Вы находитесь на странице: 1из 3

SIS 2 a internet para divulgar o trabalho local.

“Esse é
um grande incentivo para a gente, porque é
Leia o texto para responder às questões de difícil chegarem oportunidades para nós jovens
números 01 e 02. indígenas. Com o site, vamos manter sempre
contato com outros jovens e nos informar sobre
No Amazonas, jovens Ticunas e Kokama criam nossos direitos”, afirma.
site com produções audiovisuais. As peças audiovisuais já produzidas
valorizam histórias e ações ocorridas nas
Pesquisa divulgada pelo Instituto comunidades indígenas e têm sido divulgadas
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em escolas e pontos de circulação dos
informou que quase metade da população moradores, alcançando um público
brasileira com dez anos ou mais de idade diversificado. (www.portalamazonia.com.br.
acessava a internet em 2011. O acesso aos Adaptado.)
meios de comunicação e, principalmente pelo
computador, também é realidade para os
indígenas. Jovens das etnias Ticunas e Kokama 1. De acordo com as informações contidas no
serão os responsáveis por “abastecer” um site texto,
criado para a rede de jovens indígenas do Alto
Rio Solimões, no Amazonas. O site será lançado (A) a pesquisa realizada pelo IBGE informou
após o término das oficinas sobre ferramentas que a maior parte da população brasileira,
de internet, que ocorre em Tabatinga. acima de 10 anos, acessou a internet em 2011.
As oficinas, onde aprendem a produzir (B) Gary Stahl, do Unicef, reconhece o esforço
material com foco em direitos humanos, dos jovens envolvidos no projeto, pois eles não
reúnem 30 jovens dos quatro núcleos de tiveram oportunidade de receber orientações
comunicação que funcionam em comunidades para manter o site.
indígenas dos municípios de Benjamin Constant, (C) os jovens temem que a utilização da
São Paulo de Olivença e Tabatinga. internet como ferramenta de comunicação os
As capacitações são promovidas pelo leve a abandonar os costumes de suas etnias.
Fundo das Nações Unidas para a Infância (D) o Unicef pretende criar oficinas de
(Unicef) e, segundo seu representante no Brasil, capacitação para reunir indígenas de outras
Gary Stahl, com esse projeto, os jovens lançam faixas etárias e sensibilizá-los para participar do
seus olhares para a própria realidade. “Eles projeto.
produzem jornais, vídeos, programas de rádio e (E) o material presente no site dará aos jovens
fotografias sobre temas relacionados aos condições de discutirem temas relacionados à
direitos humanos, em especial de crianças e comunidade e à cidadania e de divulgá-los
adolescentes indígenas”, detalhou. Gary amplamente.
explicou ainda que, com o site, as expressões
audiovisuais serão acessadas por um universo 2.Na construção do texto jornalístico, o autor
ilimitado de pessoas.
O jovem ticuna Sandro Flores, de 23 (A) adicionou uma curta narrativa de cunho
anos, relatou que a internet era a ferramenta pessoal com a intenção de expor seu ponto de
que estava faltando. “Queremos nos comunicar vista.
também na nossa língua ticuna e mostrar que (B) averiguou os dados fornecidos pelo Unicef
podemos continuar nosso costume tradicional, sobre o número de brasileiros que acessa a
sem jamais deixarmos de ser ticunas”, internet.
explanou. (C) citou depoimentos de indivíduos envolvidos
A kokama Geruzethe Arcanjo, de 17 no projeto descrito no texto.
anos, disse que a expectativa é aprender a usar
(D) defendeu a validade da iniciativa do órgão (C) Uma tarefa torna-se imprescindível aos novos
internacional e deu apoio a outras de mesmo pesquisadores.
(D) Torna-se aos pesquisadores novos uma tarefa
gênero.
imprescindível.
(E) levantou polêmica ao confrontar pareceres (E) Aos novos pesquisadores uma tarefa
opostos a respeito do projeto do Unicef. imprescindível torna-se.

3.Considere duas orientações estabelecidas 5. Olha para si, para as chinelas (umas chinelas de
pelo Novo Acordo Ortográfico quanto ao Túnis, que lhe deu recente amigo, Cristiano Palha),
para a casa, para o jardim, para a enseada, para os
emprego do hífen.
morros e para o céu.
• Se o primeiro elemento terminar por vogal Do ponto de vista sintático, é possível dizer que o
diferente daquela que inicia o segundo trecho
elemento, escreve-se junto, sem hífen.
Portanto, se as vogais forem iguais, emprega-se (A) organiza-se por coordenação e os elementos
hífen. enumerados são objetos diretos da forma verbal olha.
(B) estabelece uma relação subordinativa entre os
• Emprega-se o hífen quando o primeiro
elementos da enumeração iniciada por para e o verbo
elemento terminar por consoante igual à que olhar.
inicia o segundo elemento. (C) destaca-se por uma coordenação aditiva, por isso
as vírgulas separam objetos indiretos da forma verbal
As frases que exemplificam, correta e olha.
respectivamente, as orientações são: (D) está organizado seguindo o princípio da
subordinação entre a oração principal, inicial, e
demais orações separadas por vírgulas.
(A) O Brasil tem regiões de clima semi-árido. / O (E) contém uma oração subordinada e intercalada, daí
serviço de entregas desta empresa é super- o emprego dos parêntesis para destacá-la.
rápido.
(B) Este remédio não tem contraindicação. / O
Congresso discutirá questões inter-raciais. 6. Jerônimo levantou-se, quase que maquinalmente, e
seguido por Piedade, aproximou-se da grande roda
(C) A mensagem do presidente foi extra-oficial.
que se formara em torno dos dois mulatos.
/ As equipes participaram de um torneio inter-
regional. Na última oração do período, o pronome relativo que
(D) É necessário repensar a infra-estrutura dos desempenha a função sintática de
portos. / Ele exerce a função de sub-
bibliotecário. (A) sujeito.
(B) objeto direto.
(E) A Europa enfrenta problemas
(C) objeto indireto.
socioeconômicos. / A loja inaugurada (D) adjunto adverbial.
recentemente é hiperrequintada. (E) predicativo.

7. O Novo Acordo Ortográfico faz a seguinte


4. Aos novos pesquisadores, uma tarefa torna-se distinção: são acentuados os ditongos abertos em
imprescindível: revisar criticamente nossa palavras oxítonas, mas não nas paroxítonas.
historiografia, quase sempre regionalista e centrada
na região Sudeste do país. Exemplificam tal distinção e estão corretamente
acentuadas as palavras:
A alternativa que reescreve a primeira parte da frase
na ordem direta é: (A) herói e colméia.
(B) ínterim e hifens.
(C) papéis e jiboia.
(A) Torna-se uma imprescindível tarefa aos novos
(D) rapé e praia.
pesquisadores. (E) vaia e traíra.
(B) Torna-se imprescindível aos pesquisadores novos
uma tarefa.
8. Leia atentamente o fragmento do texto e tradição escrita (como as línguas indígenas
classifique a conjunção subordinada presente. brasileiras) ou uma língua já extinta (como o
latim ou o grego clássicos) podem ser
empregadas para falar sobre qualquer assunto,
“você poderá ter alguns probleminhas se
como, digamos, física quântica ou biologia
entrar numa loja de roupas desconhecendo
molecular. Na prática, contudo, não é possível,
certas sutilezas da língua.”
de uma hora para outra, expressar tais
conteúdos em camaiurá ou latim, simplesmente
porque não haveria vocabulário próprio para
a) Concessiva. esses conteúdos. É perfeitamente possível
b) Conclusiva
desenvolver esse vocabulário específico, seja
c) Temporal.
d) Condicional. por meio de empréstimos de outras línguas,
e) Adversativa. seja por meio da criação de novos termos na
língua em questão, mas tal tarefa não se
realizaria em pouco tempo nem com pouco
esforço.
9. Ainda sobre a conjunção do fragmento da (BEARZOTI FILHO, P. Miniaurélio: o
questão anterior, qual conectivo pode
dicionário da língua portuguesa. Manual do
substituí-la sem mudança de sentido.
professor. Curitiba: Positivo, 2004 (fragmento).

a) Logo. A respeito das conjunções destacadas no


b) Ainda que. texto pode-se afirmar como verdadeiro
que:
c) Porém
d) Quando
e) Caso. I- Todas são adversativas.
II- A primeira e a terceira são
concessivas.
10. Leia o texto abaixo: III- Todas são conjunções
coordenadas.
IV- Somente a segunda é
O léxico e a cultura subordinada.

Potencialmente, todas as línguas de todos


os tempos podem candidatar-se a expressar a) I, III.
qualquer conteúdo. A pesquisa linguística do b) Todas estão erradas.
c) II, IV.
século XX demonstrou que não há diferença
d) Somente a I é verdadeira.
qualitativa entre os idiomas do mundo — ou e) II, III.
seja, não há idiomas gramaticalmente mais
primitivos ou mais desenvolvidos. Entretanto,
para que possa ser efetivamente utilizada, essa
igualdade potencial precisa realizar-se na
prática histórica do idioma, o que nem sempre
acontece. Teoricamente, uma língua com pouca

Похожие интересы