Вы находитесь на странице: 1из 100

SINAPI

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA


CONSTRUÇÃO CIVIL

CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA

REATERRO DE VALAS

LOTE 3
Versão: 005
Vigência: 04/2016
Atualização: 02/2017
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

GRUPO REATERRO DE VALAS – LOTE 03

Fazem parte desse grupo 23 composições de Reaterro de Valas, para instalação tanto de
rede de esgoto, como água ou drenagem pluvial.

Além das composições de reaterro, também faz parte deste grupo 1 composição de
Umidificação de Material para Valas.

Foram considerados dois equipamentos para execução do serviço mecanizado:


 Retroescavadeira de capacidade de caçamba da retro igual a 0,26 m³;
 Escavadeiras Hidráulicas de capacidade de caçamba igual a 0,80 m³.

As profundidades e larguras consideradas foram de até 6,00 m e até 2,50 m, respectivamente.

Além disso, observou-se a influência do local de execução do serviço:


 Local com alto nível de interferência (menor produtividade);
 Local com baixo nível de interferência (maior produtividade).

Entende-se por locais com alto nível de interferência aqueles com grande adensamento
urbano, com imóveis edificados ao longo de sua extensão, como ruas, avenidas, vielas,
caminhos ou similares abertos à circulação pública, onde há restrições de espaço para os
equipamentos e para o depósito da terra escavada. Contudo, o esforço de cortar o asfalto em
ruas pavimentadas não foi considerado nas composições.

Entende-se por locais com baixo nível de interferência aquelas cuja execução de redes se dá
dentro de empreendimentos em construção, terrenos baldios ou em ruas não pavimentadas
e pouco movimentadas, sobretudo onde não há restrições na movimentação dos
equipamentos.

O reaterro da vala depende do projeto da rede, que determina seu traçado, profundidade e
largura. A largura da vala depende do tipo de contenção utilizado, do diâmetro do tubo a ser
assentado e da profundidade da vala. A norma NBR 12266/1992 apresenta diferentes
larguras de valas, como mostram as Tabelas 1 e 2.

Página | 1
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Tabela1: Largura da vala para obra de esgoto

Largura da vala em função do tipo de escoramento e cota de corte


Diâmetro Cota de Corte
Pontaletes Contínuo e descontínuo Especial Metálico - madeira
nominal (m)
(m) (m) (m) (m)
0.-2 0,65 0,65 0,75 -
2.-4 0,75 0,85 1,05 -
100 e 150
4.-6 0,85 1,05 1,35 -
6.-8 0,95 1,25 1,65 -
0.-2 0,70 0,70 0,80 -
2.-4 0,80 0,90 1,10 1,75
200
4.-6 0,90 1,10 1,40 1,90
6.-8 1,00 1,30 1,70 2,05
0.-2 0,80 0,80 0,90 -
2.-4 0,90 1,00 1,20 1,85
250 e 300
4.-6 1,00 1,20 1,50 2,00
6.-8 1,10 1,40 1,80 2,15
0.-2 0,90 1,10 1,20 -
2.-4 1,00 1,30 1,50 2,15
350 e 400
4.-6 1,10 1,50 1,80 2,30
6.-8 1,20 1,70 2,10 2,45
0.-2 1,00 1,15 1,25 -
2.-4 1,10 1,35 1,55 2,25
450
4.-6 1,20 1,55 1,85 2,40
6.-8 1,30 1,75 2,15 2,55
0.-2 1,10 1,30 1,40 -
2.-4 1,20 1,50 1,70 2,35
500
4.-6 1,30 1,70 2,00 2,50
6.-8 1,40 1,90 2,30 2,65
0.-2 1,20 1,40 1,50 -
2.-4 1,30 1,60 1,80 2,45
600
4.-6 1,40 1,80 2,10 2,60
6.-8 1,50 2,00 2,40 2,75
0.-2 1,30 1,50 1,60 -
2.-4 1,40 1,70 1,90 2,55
700
4.-6 1,50 1,90 2,20 2,70
6.-8 1,60 2,10 2,50 2,85
0.-2 1,40 1,60 1,70 -
2.-4 1,50 1,80 2,00 2,65
800
4.-6 1,60 2,00 2,30 2,80
6.-8 1,70 2,20 2,60 2,90
0.-2 1,50 1,70 1,80 -
2.-4 1,60 1,90 2,10 2,75
900
4.-6 1,70 2,10 2,40 2,90
6.-8 1,80 2,30 2,70 3,05
0.-2 1,60 1,80 1,90 -
2.-4 1,70 2,00 2,10 2,85
1000
4.-6 1,80 2,20 2,50 3,00
6.-8 1,90 2,40 2,80 3,15

Página | 2
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Tabela 2: Largura da vala para obra de água

Largura da vala em função do tipo de escoramento e cota de corte


Diâmetro Cota de Corte
Pontaletes Contínuo e descontínuo Especial Metálico - madeira
nominal (m)
(m) (m) (m) (m)
50 - 75 0a2 0,65 0,70 0,80
1,30
100 - 150 >2 0,75 0,85 0,95
0a2 0,70 0,75 0,85
200,00 1,35
>2 0,80 0,90 1,00
0a2 0,75 0,80 0,90
250,00 1,40
>2 0,85 0,95 1,15
300 0a2 0,80 0,85 0,95
1,45
350 >2 0,90 1,10 1,20
400 0a2 0,90 1,00 1,10
1,60
450 >2 1,00 1,20 1,30
0a2 1,00 1,15 1,25
500 1,75
>2 1,20 1,30 1,45
0a2 1,15 1,25 1,35
600 1,85
>2 1,30 1,45 1,65
0a2 1,30 1,50 1,60
700 2,05
>2 1,40 1,70 1,90
0a2 1,40 1,60 1,70
800 2,15
>2 1,50 1,80 2,00
900 >2 1,60 1,90 2,05 2,25
1000 (a) >2 1,70 2,00 2,10 2,35
1000 (b) >2 2,00 2,10 2,20 2,40
1200 (a) >2 2,40
1200 (b) >2 2,60
1500 (b) >2 2,85
1800 (b) >2 3,15
2100 (b) >2 3,45
2500 (b) >2 3,90

NORMAS E LEGISLAÇÃO

 NBR 12266:1992 Projeto e execução de valas para assentamento de tubulação de


água, esgoto ou drenagem urbana – Procedimento.
 NBR 7367:1988 Projeto e assentamento de tubulações de PVC rígido para sistemas
de esgoto sanitário.
 NR 18 – Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção.

BIBLIOGRAFIA

 ET – DE – H00/004 Especificação técnica reaterros – Departamento de Estradas e


Rodagem.

Página | 3
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

COMPOSIÇÕES AFERIDAS
Código Descrição Página
03.MOVT.REVA.001/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,
7
93360 PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.002/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE
11
93361 DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.003/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,
15
93362 PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.004/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE
19
93363 DE 3,0 A 4,5 M COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.005/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,
23
93364 PROFUNDIDADE DE 3,0 A 4,5 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.006/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE
27
93365 DE 4,5 A 6,0 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.007/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,
31
93366 PROFUNDIDADE DE 4,5 A 6,0 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.008/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,
35
93367 PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.009/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE
39
93368 DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Página | 4
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Código Descrição Página


03.MOVT.REVA.010/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,
43
93369 PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
03.MOVT.REVA.011/01
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE
47
DE 3,0 A 4,5 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
93370 CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
03.MOVT.REVA.012/01
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,
51
PROFUNDIDADE DE 3,0 A 4,5 M, COM SOLO (SEM
93371 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
03.MOVT.REVA.013/01
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE
55
DE 4,5 A 6,0 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
93372 CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
03.MOVT.REVA.014/01
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,
59
PROFUNDIDADE DE 4,5 A 6,0 M, COM SOLO (SEM
93373 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
03.MOVT.REVA.015/01
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA ATÉ 0,8 M,
63
PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
93374 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
03.MOVT.REVA.016/01
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA DE 0,8 A 1,5
67
M, PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
93375 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
03.MOVT.REVA.017/01
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA ATÉ 0,8 M,
71
PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
93376 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

03.MOVT.REVA.018/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM


RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA DE 0,8 A 1,5
75
M, PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
93377 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Página | 5
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Código Descrição Página


03.MOVT.REVA.019/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA ATÉ 0,8 M,
79
93378 PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.020/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA DE 0,8 A 1,5
83
93379 M, PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.021/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA ATÉ 0,8 M,
87
93380 PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.022/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA DE 0,8 A 1,5
91
93381 M, PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
03.MOVT.REVA.023/01
REATERRO MANUAL DE VALAS COM COMPACTAÇÃO
95
93382 MECANIZADA. AF_04/2016

03.MOVT.REVA.024/01
UMIDIFICAÇÃO DE MATERIAL PARA VALAS COM CAMINHÃO
98
PIPA 10000L. AF_11/2016
95606

Página | 6
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.001/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,

PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
93360 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0430
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0570
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0540
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0940
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0870
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 7
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços

 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com


profundidade de 0 a 1,5 m, largura de 1,5 a 2,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível alto de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo. 12266.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 8
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.

 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as


especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 9
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 1: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 10
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.002/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE

DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO NÍVEL DE
93361
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0380
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0490
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0470
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0610
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0570
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 11
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços

 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com


profundidade de 1,5 a 3,0 m, largura menor que 1,5 m, descontado o
volume do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível
alto de interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 12
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.

 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as


especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 13
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares

 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30


cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 2: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 14
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.003/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,

PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
93362 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0300
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0400
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0380
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0200
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0180
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 15
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 1,5 a 3,0 m, largura de 1,5 a 2,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível alto de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 16
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.

 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as


especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 17
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 3: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 18
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.004/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE

DE 3,0 A 4,5 M COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
93363 CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0320
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0420
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0400
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0280
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0260
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 19
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 3,0 a 4,5 m, largura menor que 1,5 m, descontado o
volume do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível
alto de interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 20
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.

 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as


especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 21
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 4: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 22
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.005/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,

PROFUNDIDADE DE 3,0 A 4,5 M, COM SOLO (SEM
93364 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0260
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0350
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0330
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0100
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0090
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 23
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 3,0 a 4,5 m, largura de 1,5 a 2,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível alto de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.

Página | 24
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.


5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 25
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 5: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 26
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.006/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE

DE 4,5 A 6,0 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
93365 CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0290
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0380
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0360
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0160
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0150
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 27
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 4,5 a 6,0 m, largura menor que 1,5 m, descontado o
volume do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível
alto de interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.

Página | 28
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.


 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser

Página | 29
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo


estado do terreno das laterais da vala.
 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada
simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 6: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 30
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.007/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,

PROFUNDIDADE DE 4,5 A 6,0 M, COM SOLO (SEM
93366 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0240
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0320
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0300
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,00600
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,00600
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,00600
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,00300
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 31
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 4,5 a 6,0 m, largura de 1,5 a 2,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível alto de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.

Página | 32
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.


 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser

Página | 33
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo


estado do terreno das laterais da vala.
 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada
simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 7: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 34
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.008/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,

PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
93367 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0390
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0510
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0490
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0940
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0870
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 35
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 0 a 1,5 m, largura de 1,5 a 2,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível baixo de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 36
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 37
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 8: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 38
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.009/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE

DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
93368 CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0330
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0440
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0420
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0610
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0570
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 39
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 1,5 a 3,0 m, largura menor que 1,5 m, descontado o
volume do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível
baixo de interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.

Página | 40
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser

Página | 41
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo


estado do terreno das laterais da vala.
 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada
simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 9: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 42
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.010/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,

PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
93369 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0260
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0340
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0320
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0200
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0180
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 43
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 1,5 a 3,0 m, largura de 1,5 a 2,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível baixo de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 44
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 45
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 10: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 46
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.011/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE

DE 3,0 A 4,5 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
93370 CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0280
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0360
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0350
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0280
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0260
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 47
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 3,0 a 4,5 m, largura menor que 1,5 m, descontado o
volume do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível
baixo de interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 48
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto
 Escavação da vala de acordo com o projeto de engenharia.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser

Página | 49
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo


estado do terreno das laterais da vala.
 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada
simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 11: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 50
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.012/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,

PROFUNDIDADE DE 3,0 A 4,5 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
93371
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0220
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0290
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0280
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0100
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0090
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 51
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 3,0 a 4,5 m, largura de 1,5 a 2,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível baixo de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.

Página | 52
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser

Página | 53
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo


estado do terreno das laterais da vala.
 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada
simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 12: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 54
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.013/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA ATÉ 1,5 M, PROFUNDIDADE

DE 4,5 A 6,0 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
93372 CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0250
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0330
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0310
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0160
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0150
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 55
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 4,5 a 6,0 m, largura menor que 1,5 m, descontado o
volume do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível
baixo de interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 56
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 57
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 13: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 58
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.014/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM ESCAVADEIRA
HIDRÁULICA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA: 0,8 M³ /
Código SIPCI POTÊNCIA: 111 HP), LARGURA DE 1,5 A 2,5 M,

PROFUNDIDADE DE 4,5 A 6,0 M, COM SOLO (SEM
SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
93373
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016

Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHP 0,0200
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHP DIURNO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, CHI 0,0260
POTENCIA BRUTA 111 HP - CHI DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0240
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,00600
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,00600
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 59
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Escavadeira hidráulica: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m³, peso operacional


17 T, potência bruta 111 HP.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 4,5 a 6,0 m, largura de 1,5 a 2,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível baixo de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 60
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 61
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 14: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 62
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Descrição da Composição Unidade


Código / Seq.

03.MOVT.REVA.015/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM


RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
Código SIPCI RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA ATÉ 0,8 M,

PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
93374 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5678 CHP 0,0480
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHP
DIURNO.
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5679 CHI 0,0620
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHI
DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0600
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,2740
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,2540
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 63
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Retroescavadeira: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Retroescavadeira sobre rodas com carregadeira, tração 4x4, potência


líquida 88 HP, caçamba da retro com capacidade 0,26 m³, peso
operacional 6.674 kg.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 0 a 1,5 m, largura menor que 0,8 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível alto de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.

Página | 64
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser

Página | 65
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo


estado do terreno das laterais da vala.
 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada
simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 15: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 66
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.016/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
Código SIPCI RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA DE 0,8 A 1,5

M, PROFUNDIDADE DE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
93375 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5678 CHP 0,0350
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHP
DIURNO.
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5679 CHI 0,0460
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHI
DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0430
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,1690
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,1570
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 67
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Retroescavadeira: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Retroescavadeira sobre rodas com carregadeira, tração 4x4, potência


líquida 88 HP, caçamba da retro com capacidade 0,26 m³, peso
operacional 6.674 kg.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 0 a 1,5 m, largura de 0,8 a 1,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível alto de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 68
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 69
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 16: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 70
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.017/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM REATERRO
MECANIZADO DE VALA COM RETROESCAVADEIRA
Código SIPCI (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA RETRO: 0,26 M³ /
POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA ATÉ 0,8 M, PROFUNDIDADE M³
DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª
93376 CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO NÍVEL DE
INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5678 CHP 0,0290
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHP
DIURNO.
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5679 CHI 0,0380
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHI
DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0370
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,1220
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,1130
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 71
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Retroescavadeira: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Retroescavadeira sobre rodas com carregadeira, tração 4x4, potência


líquida 88 HP, caçamba da retro com capacidade 0,26 m³, peso
operacional 6.674 kg.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 1,5 a 3,0 m, largura menor que 0,8 m, descontado o
volume do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível
alto de interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 72
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 73
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 17: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 74
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.018/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
Código SIPCI RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA DE 0,8 A 1,5

M, PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
93377 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM ALTO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5678 CHP 0,0220
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHP
DIURNO.
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5679 CHI 0,0280
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHI
DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0270
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0610
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0570
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 75
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Retroescavadeira: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Retroescavadeira sobre rodas com carregadeira, tração 4x4, potência


líquida 88 HP, caçamba da retro com capacidade 0,26 m³, peso
operacional 6.674 kg.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 1,5 a 3,0 m, largura de 0,8 a 1,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível alto de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 76
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 77
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 18: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 78
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.019/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
Código SIPCI RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA ATÉ 0,8 M,

PROFUNDIDADE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
93378 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5678 CHP 0,0410
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHP
DIURNO.
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5679 CHI 0,0540
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHI
DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0520
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,2740
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,2540
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,00600
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,00300
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 79
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Retroescavadeira: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Retroescavadeira sobre rodas com carregadeira, tração 4x4, potência


líquida 88 HP, caçamba da retro com capacidade 0,26 m³, peso
operacional 6.674 kg.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 0 a 1,5 m, largura menor que 0,8 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível baixo de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 80
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 81
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 19: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 82
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.020/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
Código SIPCI RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA DE 0,8 A 1,5

M, PROFUNDIDADE DE ATÉ 1,5 M, COM SOLO (SEM
93379 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5678 CHP 0,0300
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHP
DIURNO.
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5679 CHI 0,0390
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHI
DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0370
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,1690
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,1570
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0060
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0030
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 83
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Retroescavadeira: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Retroescavadeira sobre rodas com carregadeira, tração 4x4, potência


líquida 88 HP, caçamba da retro com capacidade 0,26 m³, peso
operacional 6.674 kg.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 0 a 1,5 m, largura de 0,8 a 1,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível baixo de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.

Página | 84
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser

Página | 85
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo


estado do terreno das laterais da vala.
 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada
simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 20: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 86
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.021/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
Código SIPCI RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA ATÉ 0,8 M,

PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
93380 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5678 CHP 0,0250
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHP
DIURNO.
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5679 CHI 0,0330
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHI
DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0320
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,1220
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,1130
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,00600
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,00300
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 87
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Retroescavadeira: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Retroescavadeira sobre rodas com carregadeira, tração 4x4, potência


líquida 88 HP, caçamba da retro com capacidade 0,26 m³, peso
operacional 6.674 kg.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 1,5 a 3,0 m, largura menor que 0,8 m, descontado o
volume do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível
baixo de interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.

Página | 88
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser

Página | 89
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo


estado do terreno das laterais da vala.
 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada
simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 21: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 90
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.022/01 REATERRO MECANIZADO DE VALA COM
RETROESCAVADEIRA (CAPACIDADE DA CAÇAMBA DA
Código SIPCI RETRO: 0,26 M³ / POTÊNCIA: 88 HP), LARGURA DE 0,8 A 1,5

M, PROFUNDIDADE DE 1,5 A 3,0 M, COM SOLO (SEM
93381 SUBSTITUIÇÃO) DE 1ª CATEGORIA EM LOCAIS COM BAIXO
NÍVEL DE INTERFERÊNCIA. AF_04/2016
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5678 CHP 0,0190
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHP
DIURNO.
RETROESCAVADEIRA SOBRE RODAS COM
CARREGADEIRA, TRAÇÃO 4X4, POTÊNCIA LÍQ. 88 HP,
CAÇAMBA CARREG. CAP. MÍN. 1 M3, CAÇAMBA RETRO
C 5679 CHI 0,0250
CAP. 0,26 M3, PESO OPERACIONAL MÍN. 6.674 KG,
PROFUNDIDADE ESCAVAÇÃO MÁX. 4,37 M - CHI
DIURNO
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0230
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91533 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS DE 4 CHP 0,0610
CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
COMPACTADOR DE SOLOS DE PERCUSSÃO
C 91534 (SOQUETE) COM MOTOR A GASOLINA 4 TEMPOS, CHI 0,0570
POTÊNCIA 4 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,00600
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,00300
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014

Página | 91
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

Escavadeira
Retroescavadeira
Hidráulica

Largura Largura Largura Largura


≤ 0,8 m de 0,8 a 1,5 m ≤1,5 m de 1,5 a 2,5 m

Profundidade Profundidade Profundidade Profundidade


≤1,5 m 1,5 a 3,0 m 3 a 4,5 m 4,5 a 6,0 m

Alto nível de Baixo nível de


interferências interferências

2. Itens e suas características

 Retroescavadeira: utilizada para lançar a terra dentro da vala.


 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pela escavadeira e que
manipula o equipamento de compactação de solos.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3. Equipamentos

 Retroescavadeira sobre rodas com carregadeira, tração 4x4, potência


líquida 88 HP, caçamba da retro com capacidade 0,26 m³, peso
operacional 6.674 kg.
 Compactador de solos de percussão (soquete) com motor a gasolina 4
tempos de 4 CV.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, para vala com
profundidade de 1,5 a 3,0 m, largura de 0,8 a 1,5 m, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado em local com nível baixo de
interferências.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 A profundidade considerada é a partir da geratriz inferior do tubo.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

Página | 92
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Locais com nível alto de interferências ocorrem onde há grande
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como execução de
reaterros em vias pavimentadas e/ ou calçadas onde há maior tráfego de
carros e/ ou pessoas, e onde há maior interferência com outras redes.
Locais com nível baixo de interferências são aqueles onde há menor
adensamento urbano, podendo ser caracterizado como vias não
pavimentadas, terrenos baldios e reaterros executados dentro de
empreendimentos fechados em construção.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade era feita em etapas com
camadas na ordem de 20 cm de altura.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de reaterro está
ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de reaterro está
parado por falta de frente (exemplos: espera para execução de
contenção, espera pelo assentamento de tubo)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Executa-se o reaterro lateral, região que recobre o tubo, atendendo as
especificações de projeto e garantindo que a tubulação enterrada fique
continuamente apoiada no fundo da vala sobre o berço de assentamento.
 Prossegue-se com o reaterro superior, região com 30 cm de altura sobre a
geratriz superior da tubulação, nas partes compreendidas entre o plano
vertical tangente a tubulação e a parede da vala. O trecho por cima do tubo
não é compactado para evitar deformações ou quebras.
 Terminada a fase anterior é feito o reaterro final, região acima do reaterro
superior até a superfície do terreno ou cota de projeto. Esta etapa deve ser
feita em camadas sucessivas e compactadas de tal modo a obter o mesmo
estado do terreno das laterais da vala.

Página | 93
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 No caso de existir escoramento da vala a mesma deve ser retirada


simultaneamente as etapas do reaterro garantindo assim o preenchimento
total da vala.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para
evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura 22: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 94
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0021 – Aterro/Reaterro de Valas Com ou Sem Compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.023/01
REATERRO MANUAL DE VALAS COM COMPACTAÇÃO
Código SIPCI M³
MECANIZADA. AF_04/2016
93382
Vigência: 04/2016 Última atualização: 02/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente


SERVENTE COM ENCARGOS
C 88316 H 0,6590
COMPLEMENTARES
COMPACTADOR SOLOS PNEUMÁTICO TIPO
C 91533 CHP 0,2740
SAPO ATE 35 KG TIPO CLOZIRONE OU EQUIV
COMPACTADOR SOLOS PNEUMÁTICO TIPO
C 91534 CHI 0,2540
SAPO ATE 35 KG TIPO CLOZIRONE OU EQUIV
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO
BRUTO TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA
15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M,
C 5901 CHP 0,0060
POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO.
AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO
BRUTO TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA
15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M,
C 5903 CHI 0,0030
POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO.
AF_06/2014

2. Insumos e suas Características


 Servente: profissional que lança o material, de forma manual, para o interior
da vala e auxilia o trabalho feito pelo equipamento.
 Compactador de solos: equipamento para a compactação do solo utilizado
no reaterro da vala.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

Página | 95
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

3. Equipamentos
 Compactador de solos pneumático tipo sapo até 35 kg tipo clozirone ou
equivalente.

4. Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de reaterro geométrico, definido em projeto, descontado o volume
do tubo, sem substituição de solo e executado de forma manual.
 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

5. Critérios de Aferição
 O tipo de reaterro considerado nesta composição é o de vala, ou seja, um
reaterro que tem comprimento mais expressivo que a largura.
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo de reaterro, a fim de atender as exigências normativas
e definições de projeto.
 Para gerar os índices de produtividade referentes à compactação da vala
reaterrada foi considerado que a atividade é feita em etapas com camadas
na ordem de 20 cm de altura.
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços para restabelecer o local de escavação da vala para a situação
anterior ao serviço, isto é, por exemplo, refazer o piso, plantio de grama
etc. não estão contemplados nos índices de produtividade desta
composição.
 São separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI) dos
equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento está em uso para
realizar as atividades de compactação da vala
 CHI: considera os tempos em que o equipamento está parado por
falta de frente (exemplos: espera pelo assentamento de tubo).

6. Execução
 Inicia-se, quando necessário, com a umidificação do solo afim de atingir o
teor umidade ótima de compactação prevista em projeto.
 Escavação da vala de acordo com o projeto de engenharia.
 A escavação deve atender às exigências da NR 18.

7. Informações Complementares
 Em alguns casos, o projeto pode exigir que a compactação dos últimos 30
cm da camada do reaterro final seja executada com rolo compactador, para

Página | 96
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

evitar patologias ao elemento sobre o qual será feito o reaterro. Neste caso,
considerar composição específica de compactação (a aferir).

Figura23: Camadas de reaterro conforme NBR 7367

8. Pendências
 Não se aplica.

Página | 97
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0283 – Compactação ou Apiloamento

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.MOVT.REVA.023/01
UMIDIFICAÇÃO DE MATERIAL PARA VALAS COM
Código SIPCI M³
CAMINHÃO PIPA 10000L. AF_11/2016
95606
Vigência: 11/2016 Última atualização: 11/2016

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente


SERVENTE COM ENCARGOS
C 88316 H 0,0090
COMPLEMENTARES
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO
BRUTO TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA
15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M,
C 5901 CHP 0,0060
POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO.
AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO
BRUTO TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTILMÁXIMA
15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M,
C 5903 CHI 0,0030
POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO.
AF_06/2014

2 Insumos e suas Características


 Servente: profissional que auxilia o trabalho feito pelo caminhão pipa.
 Caminhão pipa: utilizado para a umidificação do solo.

3 Equipamentos
 Caminhão pipa 10000 L, peso bruto total 23000kg, potência 230 CV.

4 Critérios para quantificação dos serviços


 Volume de material terroso a ser umedecido.

Página | 98
SINAPI - Cadernos Técnicos de Composições para Reaterro de Valas – Lote 3

 A geometria da vala deve atender aos valores definidos pela norma NBR
12266.
 O grau de compactação mínimo exigido é de 95% do Proctor normal.

5 Critérios de Aferição
 Estão comtemplados na composição os esforços necessários para a
umidificação do solo, a fim de atender as exigências normativas e
definições de projeto.
 Foram separados o tempo produtivo (CHP) e o tempo improdutivo (CHI)
dos equipamentos da seguinte forma:
 CHP: considera o tempo em que o equipamento de umidificação
está ligado
 CHI: considera os tempos em que o equipamento de umidificação
está parado por falta de frente (exemplos: espera para
compactação de uma camada)
 A composição não faz distinção entre valas com ou sem escoramento,
valendo o uso da mesma para ambas situações.
 Os serviços de compactação do solo não estão contemplados nos índices
de produtividade desta composição.

6 Execução
 Posiciona-se o caminhão tanque na lateral do solo a ser umidificado.
 Inicia-se com a umidificação do solo afim de atingir o teor umidade ótima
de compactação prevista em projeto.

 A umidificação deve ser feita em camadas sucessivas, logo após a devida


compactação da camada anterior.

7 Informações Complementares
 Não se aplica.

8 Pendências
 Não se aplica.

Página | 99