Вы находитесь на странице: 1из 16

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA


ANA JÚLIA DA SILVA PEREIRA
ANTONIA GIANE MORAES PAZ
IRANILDO FRANCISCO DE SOUSA
JAISLANE LIMA DE OLIVEIRA
JOÃO PAULO BARBOSA TEIXEIRA
LUCIANO DA SILVA BARBOSA

GINÁSTICA
GINÁSTICA ACROBÁTICA
CAMPO MAIOR-PI

CAMPO MAIOR-PI
2017

ANA JÚLIA DA SILVA PEREIRA


ANTONIA GIANE MORAES PAZ
IRANILDO FRANCISCO DE SOUSA
JAISLANE LIMA DE OLIVEIRA
JOÃO PAULO BARBOSA TEIXEIRA
LUCIANO DA SILVA BARBOSA
GINÁSTICA
GINÁSTICA ACROBÁTICA

Trabalho apresentado ao Curso Licenciatura


Plena Em Educação Física da UNOPAR -
Universidade Norte do Paraná, para a
disciplina Homem, Cultura e Sociedade,
Saúde Coletiva, Metodologia do Ensino da
Ginastica, Primeiros Socorros,
Empreendedorismo, Seminário
Interdisciplinar

Prof. Alessandra Porto, Anísio Calciolari


Júnior, Edmarcos Carrara de Sousa, Fábio
Rogerio Regioli, Luana Cristine Franzini,
João Paulo Manfre dos Santos, Mário Carlos
WelinBelvedi.
CAMPO MAIOR-PI

2017

SUMÀRIO
1 INTRODUÇÂO........................................................................................................
1.0 ORIGEM E EVOLUÇÂO DA GINÀSTICA

2 DESENVOLVIMENTO.............................................................................................
2.0 ESTRUTURAÇÂO DE UM PROJETO GINASTICA

3 IMPACTOS NA SAÙDE COLETIVA.......................................................................


3.0 ASPECTOS RELACIONADOS A SAÙDE COLETIVA
3.1 ASPECTOS RELACIONADOS AOS PRIMEIROS SOCORROS

4 CONCLUSÂO..........................................................................................................

5- BIBLIOGRAFIA......................................................................................................

1- INTRODUÇÂO
No período Pré-histórico o homem possuía duas grandes preocupações:
atacar e defender-se. Tratava-se de uma exercitação espontânea e ocasional. Nas
sociedades pré-históricas a Ginástica possuía um caráter natural, utilitário,
guerreiro, ritualístico e recreativo. Para o homem pré-histórico, a atividade física
tinha um papel importante para sua sobrevivência, expressar principalmente na
necessidade vital de atacar e defender-se. O exercício físico utilitário e
sistematizado de forma rudimentar era transmitido através das gerações e fazia
parte dos jogos, rituais e festividades. Na antiguidade, principalmente no Oriente,
os exercícios físicos apareceram nas várias formas de luta, na natação, no remo,
no hipismo, na arte de atirar com o arco, como exercícios utilitários, nos jogos, nos
rituais religiosos e na preparação militar de maneira geral.
Na era Clássica devemos considerar a Grécia e o império romano ao
analisar os exercícios físicos nesse período. Na Grécia, mais especificamente nas
cidades de Atenas e Esparta, a Ginástica recebia uma finalidade educacional para
formar cidadãos e, também, guerreiros. Em Atenas, buscava-se obter com a
Ginástica uma eficiência educacional, fisiológica, terapêutica, estética e moral sem
descuidar da preparação militar. E, em Esparta, o objetivo era a preparação militar,
disciplina cívica, endurecimento do corpo e a energia física e espiritual.
A denominação Ginástica, inicialmente utilizada como referencia à todo tipo
de atividade física sistematizada, cujos conteúdos variavam desde as atividades
necessárias à sobrevivência, aos jogos, ao atletismo, às lutas, à preparação de
soldados, adquiriu a partir de 1800 com o surgimento das escolas e movimentos
ginásticos acima descritos, uma conotação mais ligada à prática do exercício
físico, a partir desta época, a Ginástica passou a desempenhar importantes
funções na sociedade industrial, “apresentando-se como capaz de corrigir vícios
posturais oriundos das atitudes adotadas no trabalho, demonstrando assim, as
suas vinculações com a medicina e, desse modo, conquistando status”
Com a evolução da Educação Física, a ginástica se especializou, de acordo
com as finalidades com que é praticada ou então em correspondência com os
movimentos que a compõem. A ginástica como nas modalidades esportivas vem
se desenvolvendo bastante nos últimos tempos. No elenco de provas esportivas
dos Jogos Olímpicos talvez seja um dos espetáculos mais belos e de maior poder
de atração. As provas de ginástica, normalmente são aquelas que se enquadram
nos ramos conhecidos como ginástica olímpica, ginástica rítmica e ginástica
acrobática como modalidade esportiva. Ao abordar os conteúdos da cultura
corporal da Educação Física Escolar considera-se como seus conteúdos o jogo, o
esporte, a dança, a ginástica e a luta, os quais necessitam ser desenvolvidos de
forma amena, desde que abrange todas as dimensões de cada prática corporal
indistintamente. Nesse sentido, com intuito de cumprir com o compromisso da
Educação Física Escolar em proporcionar um aprofundado conhecimento a
respeito dos diversos temas da cultura corporal, a ginástica pode ser desenvolvida
como proposta de ajuda ao combate das práticas puramente esportivas dentro da
escola, pois abrange a idéia de uma prática corporal partindo do componente
lúdico da cultura corporal, por meio de uma ginástica orientada para o lazer,
priorizando o prazer, a criatividade e a liberdade de expressão.
Para uma melhor compreensão da educação física com relação a ginástica,
se faz necessário considerar suas origens no contexto brasileiro, assim como as
principais influências que a caracterizaram como disciplina e a da ginástica nas
escolas e a equiparação dos professores de ginástica aos das outras disciplinas,
destacando a importância de se ter um corpo saudável para sustentar a atividade
intelectual.Um dos primeiros estudos a ser desenvolvido relacionando atividade
física e doença arterial coronariana, foi conduzido em Londres, quando foram
comparados carteiros e trabalhadores de escritório do serviço postal, bem como
motoristas e cobradores dos ônibus de dois andares. Estes investigadores
observaram que atividades ocupacionais com maior gasto energético estavam
associadas com menores taxas de morte por doenças cardíacas coronarianas. Em
seguida, foram examinadas todas as causas de mortalidade em 3.591 homens,
executivos civis de Londres, que foram classificados em participantes e não-
participantes em atividades físicas vigorosas. Setenta e sete por cento dos
homens que reportaram não vigorosos exercícios, apresentaram taxa de
mortalidade de 8,4 por 100, enquanto que os vinte e dois por cento que
reportaram vigorosos exercícios, apresentaram significante redução na taxa de
mortalidade de 4,2 por 100. Na atualidade, os principais estudos sobre
epidemiologia da atividade física continuam a investigar a relação entre
sedentarismo, como fator de risco, ou estilo de vida fisicamente ativa, como fator
de proteção, e agravos cardiovasculares; hipertensão; câncer; diabetes e saúde
mental.

2- DESENVOLVIMENTO
2.0 ESTRUTURAÇÂO DE UM PROJETO DE GINÀSTICA
A modalidade escolhida para desenvolvimento e estruturação deste projeto foi
a ginástica acrobática. Sabemos que a acrobacia foi desenvolvida em grande
parte do século Vll, devido á criação do circo. Mas, como esporte, essa
modalidade da ginática é relativamente jovem. As primeiras competições mundiais
datam de 1973, quando foi fundada a Federação Internacional de Esportes
Acrobáticos (IFSA), faz parte do programa de jogos mundiais (competições
organizadas pelo Comitê Olímpico Internacional um ano após das Olímpiadas).
Em 1998, a IFSA se fundiu com a Federação Internacional de Ginástica (FIG).
Com isso, a Ginástica Acrobáticos passou logo a fazer parte do programa dos
Jogos Olímpicos.
A Ginástica Acrobática engloba em suas rotinas diversos movimentos de solo
da Ginástica Artística; os movimentos isolados (a acrobacia em si) são
basicamente compostos por mortais, muitos deles impulsionados pelos parceiros
(exercícios dinãmicos), por equilíbrios e força (execícios estáticos) e por exercícios
individuais (saltos, giros, equilíbrios e etc).
A Ginástica Acrobática é sempre praticada, no mínimo por dois atletas. Tem
como principais características a execução de exercícios que exigem força,
agilidade e equilíbrio. Requer, por parte do ginasta coragem, força, coordenação e
flexibilidade, alem das exigências técnicas do salto. As suas rotinas são
executadas com acompanhamento musical e requerem expressão e movimentos
do corpo perfeitamente sincronizados com a musica. Os acrobatas em grupo
devem executar três rotinas: uma de equilíbrio, uma dinâmica e outra combinada.
As séries dinâmicas são mais ativa e com elementos de lançamentos com vôos de
ginastas; O de equilíbrio valoriza os exercícios estáticos, em níveis mais altos, a
terceira rotina é uma combinação das duas anteriores. As rotinas acrobáticas são
executadas num quadrado de 12x12 metros e com uma duração de 2 minutos e
30 segundos.

Existem cinco divisões na ginástica acrobática:

. Par feminino

. Par masculino

. Par misto
. Trio Feminino

. Quarteto masculino.

A ginástica acrobática é um desporto que engloba dança, ginástica artística e


elementos acrobáticos.

Existem campeonatos mundiais oficiais desde 1973, sendo estes realizados


pela Federação Internacional de Esportes Acrobáticos (IFSA). Desde os
primeiros campeonatos que esta modalidade vem sendo dominada pela China,
Rússia e por outros países da antiga União Soviética. Atualmente apesar do
domínio da China e da Rússia, existem outros países como Portugal, Estados
Unidos, Inglaterra e Alemanha que têm vindo a desenvolver programas para a
divulgação da ginástica acrobática.

 Público alvo: São homens e mulheres a parti dos 15 anos de idade.


 Local: Ginásio de Ginástica Olímpico do Complexo Esportivo.

 Material: Os competidores podem participar com ou sem sapatilhas;

Jóias como brincos, colares, pulseira e adornos decorativos são proibidos.

Roupas e acessórios soltos não são permitidos;

As senhoras competem com collants. Os homens competem com calças ou


calções de licra.

Os competidores de pares e de grupos devem usar equipamentos idênticos ou


complementares.

Os exercícios são avaliados pela sua dificuldade, composição, execução,


coreografia, duração e tempo de manutenção dos equilíbrios (exercícios
estáticos e combinados)
PLANO DE AULA NÚMERO

Observação Coparticipa X Intervenção

Horário: 8:00hrs ás Ano: 2017 Turma:


Data: 13/05/2017
9:00hrs 9ºAno
Nº de alunos: 20
Tema da aula: Ginastica Acrobatica
Conteúdo: Ginastica
Objetivo: Capacidasdes Físicas ( Força e Equilíbrio)
Recursos materiais: Internet e livros
Atividades 1: Brincadeira sobre o step.
Tipo: Solução de problemas
Tarefa: Trocar de posição, mantendo a si e os outros colegas sobre o step.
Objetivo: Trabalhar espontaneamente a pega e o equilíbrio.
Atividade 2: Equilíbrio e contrapeso em duplas.
Tipo: tarefas guiadas
Tarefas:
- ambos de frente com corpo reto;
- ambos de frente com corpo em v;
- ambos de lado, segurando apenas uma das mãos;
- uma de frente em v segurando a outra de costas com corpo reto;
- igual a anterior, porém abas com corpo reto;
- ambos agachados em 90º;
- ambos de costas retos.
Objetivo: Trabalhar diversas formas de pegas, equilíbrio, exploração de
movimentos corporais e percepção de peso e contrapeso.
Atividade 3: Brincadeira de gancho entre pés e mãos.
Tipo: Solução de problemas – após várias tentativas sem sucesso houve
demonstração dos professores.
Tarefa: Enganchar membros inferiores com pegada e se locomover junto ao
parceiro.
Objetivo: Trabalhar pega em diferentes partes do corpo (trabalho tátil), formas de
se juntar ao parceiro, solucionando o problema de se deslocar, trabalhando a
sociabilização, o equilíbrio e a busca de se organizar sincronizada mente na
tarefa.
Atividade 4: Carrinho de mão
Tipo: Parcialmente guiada
Tarefa: Se deslocar na formação de carrinho de mão
Objetivo: Trabalhar outro tipo de pega, onde deve haver a confiança entre os
parceiros sobre quem anda e quem carrega, além de sincronia no caminhar .
Atividade 5: Salto sobre o colega – Grupos
Tipo: Tarefa parcialmente guiada com solução de problemas
Tarefa: Saltar sobre o corpo ‘encolhido’ do colega
Objetivo: Confiança, propulsão, saltos, abertura de pernas (flexibilidade)

Avaliação: Os alunos tiveram bom desempenho na aula, obtiveram


resultados satisfatórios em cada atividade e foi verificado que os objetivos
da aula foram atingidos.

3- IMPACTOS NA SAÚDE COLETIVA


3.0 ASPECTOS RELACIONADOS À SAÚDE COLETIVA
Na atualidade, saúde tem sido definida não apenas como a ausência de
doenças. Saúde se identifica como uma multiplicidade de aspectos do
comportamento humano voltados a um estado de completo bem-estar físico,
mental e social. A relação entre epidemiologia e atividade física aparentemente
tem início na era epidemiológica das doenças crônicas não transmissíveis, como
fatores multicausais de risco, o sedentarismo aparece como fator determinante
de agravos à saúde. Desta forma, a atividade física relacionada à saúde, no
contexto das redes multicausais, aparece como um dos fatores que poderia
modificar o risco dos indivíduos para adoecerem. Para incrementar o
conhecimento e o envolvimento da população em relação aos benefícios da
atividade física, chamando a atenção para sua importância como fator
predominante de proteção à saúde, em especial no caso de portadores de DCNT
o Ministério da Saúde criou em 2001 o programa Agita Brasil. Com base na
experiência brasileira e seguindo o sucesso do Dia Mundial de Saúde 2002, a
OMS passou a promover anualmente o “Agita Mundo”, uma forma de estimular a
atividade física como um elemento essencial à saúde e ao bem-estar.

Este fato indica a importância que a atividade física tem atingido no mundo
como uma excelente estratégia de prevenção e controle de doenças crônicas e
promoção da saúde. Compreendendo que o estímulo à atividade física é prioritário
no controle das DCNT e que a mudança de padrões comportamentais requerem
medidas abrangentes e intersetoriais, a Organização Mundial da Saúde propôs a
implementação da Estratégia Global para Dieta, Atividade Física e Saúde.

3.1 ASPECTOS RELACIONADOS AOS PRIMEIROS SOCORROS


As principais lesões por traumas que podem vir a ocorrer em academias de
ginástica: quedas, que podem levar a entorses, traumas diretos na cabeça,
traumas e luxação articulares, lesões musculares, fraturas, fissuras, etc... Em
linhas gerais, cada situação dessas requer um tipo especifico de pronto
atendimento onde o socorrista estará preparado para proceder corretamente.
Para todo e qualquer atendimento de primeiros socorros, quem socorre,
nesse caso, o professor de Educação Física, precisa esta seguro da ação, ser um
líder no processo e acima de tudo atentar para sua própria segurança.
Em casos de lesões por traumas, analisar cuidadosamente como ocorreu e a
região afetada são aspectos indispensáveis para avaliar o atendimento e realizar a
intervenção, se necessário. Importante lembrar que na maioria dos casos, após
avaliar de forma ágil, é imprescindível acionar o SME (Serviço Médico de
Emergência,192).

4- CONCLUSÂO
A Ginástica Acrobática surgiu nas nossas vidas durante a infância e faz
parte do nosso desenvolvimento e amadurecimento juntamente com outras
modalidades desportivas. No âmbito da disciplina de Educação Física, foi proposto
que realizasse um trabalho sobre esta mesma Ginástica Acrobática modalidade e,
apesar do tema não ter sido eleito por mim, penso que irei desfrutar e lucrar com a
realização do trabalho, pois é uma oportunidade para conhecer melhor e para
voltar a estabelecer contato com um desporto que está presente nas nossas vidas
desde que somos pequeninos. Escolhemos a Ginastica Acrobatica como forma de
apresenta-la não superficialmente, mas sim como poucos a virão, a fundo,
relatando a sua história, características específicas.

5- BIBLIOGRAFIA
http://www.notapositiva.com/old/pt/trbestbs/educfisica/10_ginastica_acrobatica_d.h
tm
http://movimentese7.blogspot.com.br/2011/05/analise-da-primeira-aula-
ginastica.html
https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637663
http://espaco10.com.br/n/primeiros-socorros-em-academias-de-ginastica-lesoes-
traumaticas#.WTgw_2jytPY