Вы находитесь на странице: 1из 2

E

3o Encontro de Química e Formação Docente E


s
Departamento de Química – Universidade Federal Rural de Pernambuco (DQ/UFRPE)
p
e
ESTÁGIOS SUPERVISONADOS: Uma Análise Comparativa dos Anseios c
i
Expectativas e Resultados na Visão de um Futuro Docente. f
i
c
Amilton da S. Souza1(IC)*, Roberto A. Sá2(PG). amilton_souza2@hotmail.com a
r
r,2,3,4 Universidade Federal de Pernambuco – Centro Academico do Agreste.
a
Palavras-Chave: Estágio Supervisionado, Ensino de Química, Formação docente.
Á
com licenceiandos,
r
futuros professores de Química,
INTRODUÇÃO afim de virem, eem suas salas de aulas, a suprir estas
dificuldades. Pois,
a para ser um bom educador é
O Estágio supervisionado de Licenciatura é preciso refletir muito e criar várias estratégias de
d
uma exigência da Lei de Diretrizes e Bases da mudança (ALVES, o
2005).
Com relação a fase de regências, foi
Educação Nacional (nº 9394/96). O estágio é
necessário tantot no E1 quanto do E2 que se fizesse
necessário à formação profissional a fim de adequar r
um planejamento de aula, sendo de fundamental
essa formação às expectativas do mercado de a
importância. Todo esse planejamento foi feito
trabalho onde o licenciado irá atuar. b
mediante a necessidade
a e as orientações especificas
A experiência vivenciada durante o estágio de cada estagio,l assim como a necessidade de cada
permite que o futuro profissional da educação turma verificadoh na fase de observações.
desenvolva estratégias de ensino através de Mesmoo( diante de todas as dificuldades na
dificuldades encontradas pelos alunos durante as realização do estágio como um todo,
E
aulas observadas, ou seja, que seja possível observação/regência,
A é notável a sua importância
desenvolver metodologias diferenciadas de ensino P
que vem contribuir na formação dos futuros
,
quando verificar que tal metodologia utilizada não professores. Pois, é nesse momento que o licenciado
está alcançando o objetivo: o aprender. passa a ter uma F noção de como se dá a relação
Esse trabalho tem por objetivo uma análise P
ensino-aprendizagem
, / professor-aluno.
comparativa entre o estágio 1 e 2 da grade curricular
do curso de Química - Licenciatura, fase de M
D CONSIDERAÇÕES
observação, com relação aos anseios e resultados ,
desses estágios realizados em turmas de 9ª ano do
O estágio
L é uma ferramenta útil para a
ensino fundamental e 3ª ano do Ensino Médio, em
formação do C futuro docente, pois proporciona
uma escola pública localizada na cidade de Caruaru
oportunidades ,de perceber o quanto a preparação
– PE.
teórica é essencial
E antes da prática docente, se
X
tratando tanto das disciplinas específicas quanto das
METODOLOGIA ,
pedagógicas. Sendo assim é de suma importância
para que o licenciando
H conheça as dificuldades dos
O presente trabalho foi realizado nos dois alunos e queFS a partir disso possam elaborar
semestres do letivo de 2014, nas disciplinas metodologias eficientes
, para conduzir o aprendizado.
obrigatórias de estágio supervisionado 1 e 2 do curso Assim, o estágio funciona como uma “janela do
E
de Química -Licenciatura, pautado no método futuro” atravésFdo qual o aluno antevê seu próximo
organizacional do estágio que é dividido em: modo de viver. D
Observação, Regência e ,
Em síntese, o estágio Supervisionado dá
Resultados/Discussão/Produção de um Relatório. oportunidade Tde se conhecer a realidade da
Tendo como finalidade traçar um comparativo dos I
profissão docente, e quando levado a serio o
C
anseios, expectativas e resultados em seu futuro licenciando aprende
, a resolver problemas e passa a
campo de trabalho, a partir desses dois momentos entender a grande importância que tem o educador
de grande importância para a formação docente, E
na formação pessoal
A e profissional de seus alunos,
focando a fase de observação. Sendo assim este assim como observado
, nesse trabalho. Se tornando
trabalho dividido em dois momentos Estagio 1 (E1) e assim verdadeiro para esses profissionais bem
C
Estagio 2 (E2). formados as palavras
T de FREIRE (1996) que diz
“não posso serS professor se não percebo cada vez
,
RESULTADOS E DISCUSSÃO melhor que, por não poder ser neutra, minha prática
exige de mim Cuma definição […] Sou professor a
A
O estágios supervisionado do curso de favor da boniteza
,
de minha própria prática...”
Química – Licenciatura do CAA – UFPE traz em sua ____________________
ementa uma discussão sobre a formação do - Disponível I em
P
<http://portfoliosirlene.wikispaces.com/file/view/introdu%C3%
professor de Química e a construção de sua E
A7%C3%A3o.pdf> acessado dia 15 de janeiro de 2015.
identidade profissional. - ALVES, Rubem. ) Estórias de quem gosta de ensinar. 6ª ed.
Ao se fazer um comparativo da fase de São Paulo. Cortez.2005
observação entre E1 e E2, é notável a grande - FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia – saberes
necessidade de se trabalhar estratégias didáticas necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e terra ,
2005.
3o Encontro de Química e Fomação Docente – Departamento de Química (UFRPE)
Recife, PE, Brasil – 03 a 06 de novembro de 2015.
E
3o Encontro de Química e Formação Docente E
s
Departamento de Química – Universidade Federal Rural de Pernambuco (DQ/UFRPE)
p
e
c
i
f
i
c
a
r

Á
r
e
a

d
o

t
r
a
b
a
l
h
o
(
E
A
P
,

F
P
,

M
D
,

L
C
,

E
X
,

H
F
S
,

E
F
D
,

T
I
C
,

E
A
,

C
T
S
,

C
A
,

I
P
E
)

25a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química - SBQ 2