Вы находитесь на странице: 1из 20

Tradução da 6ª edição norte-americana

RON FRY
Como
Estudar
mElhor
ron Fry

tradução
marilia de moura Zanella

Austrália • Brasil • Japão • Coreia • México • Cingapura • Espanha • Reino Unido • Estados Unidos
Sumário

Introdução: Como utilizar este livro vii

Capítulo 1. Como iniciar seus estudos da forma correta 1


Capítulo 2. Como organizar seus estudos 17
Capítulo 3. Como ler e lembrar o que leu 51
Capítulo 4. Como organizar seu tempo 81
Capítulo 5. Como se destacar na sala de aula 107
Capítulo 6. Como conduzir sua pesquisa 129
Capítulo 7. Como elaborar trabalhos “nota 10” 139
Capítulo 8. Como estudar para provas 175

Epílogo 217
Índice remissivo 219

v
Capítulo 1

Como iniCiar SeuS eStudoS


da forma Correta
“Entender o que devemos ser não é suficiente, a não ser que possamos
entender o que somos; e não compreendemos oque somos,
a não ser que possamos saber o que devemos ser.”

t. S. eliot

n ão é muito fácil olhar para si mesmo com honestidade. Nos


próximos dois capítulos, vou ajudá-lo a:

• Avaliar em que nível estão as suas habilidades de estudo, um


passo necessário para reconhecer as áreas em que precisa
concentrar esforços.
• Identificar o ambiente de estudo e o estilo de aprendizagem
mais adequados as suas necessidades.
• Classificar as disciplinas que você cursa de acordo com
aquelas que você mais gosta e aquelas nas quais se sai melhor.

Como marcar os pontos


Nas páginas seguintes, vou explicar as 11 habilidades de estudo
fundamentais abordadas neste livro: leitura e compreensão, de-
senvolvimento da memória, gerenciamento do tempo, habilidades
para utilizar a biblioteca, habilidades para utilizar o computa-
dor, anotações de leituras de livros-texto, anotações feitas em aula,
anotações de leituras realizadas na biblioteca, participação em classe,

1
desenvolvimento de trabalhos escritos e preparação para provas.
Depois disso, você deverá classificar seu nível atual de realização
e compreensão em cada uma dessas áreas: “A” (excelente) para o
domínio ou quase domínio de uma habilidade em particular; “B”
(bom) para algum domínio; “C” (razoável ou fraco) para pouco ou
nenhum domínio.
Vamos fazer um teste “sem rodeios”, só para lhe dar uma ideia
do que vem depois. Leia as 28 sentenças seguintes e considere quais
se aplicam a seu caso. Se uma sentença tiver alguma relação com
você, marque “S” (Sim). Caso contrário, marque “N” (Não):

1. £ S £N Gostaria de ler mais rapidamente.


2. £ S £N Vou para a aula, mas não presto muita atenção.
3. £ S £N Raramente faço revisão para as provas, na
verdade, estudo na véspera, à noite.
4. £ S £N Acho que passo mais tempo do que o necessário
estudando.
5. £ S £N Geralmente estudo com o rádio e/ou a televisão
ligados.

6. £ S £N Raramente termino toda minha lição de casa a


tempo.
7. £ S £N Em geral, escrevo os trabalhos na semana (ou
noite) anterior à data que tenho de entregá-lo.
8. £ S £N Leio todos os livros na mesma velocidade e do
mesmo modo.
9. £ S £N Sou um craque para escrever mensagens
instantâneas, mas não consigo encontrar as
informações de que preciso na internet.
10. £ S £N Fico muito ansioso quando tenho muita lição
de casa.
11. £ S £N Nunca consigo terminar as leituras obrigatórias
a tempo.

2 Como estudar melhor


12. £ S £N Na sala de aula, parece que sempre anoto a
coisa errada.
13. £ S £N Com frequência esqueço lições importantes e
datas de provas.
14. £ S £N Fico nervoso antes de exames e me saio pior do
que acho que deveria.
15. £ S £N Com frequência preciso reler passagens duas ou
três vezes para entendê-las.
16. £ S £N Geralmente, quando termino de ler um capítulo,
não lembro muito do que li.
17. £ S £N Tento anotar tudo o que o professor diz, mas
não consigo entender minhas anotações.
18. £ S £N Só consigo estudar por uns 15 minutos, depois,
fico entediado ou distraído.
19. £ S £N Quando faço um trabalho ou escrevo um
relatório, passo a maior parte do tempo com
uma enciclopédia no meu colo.
20. £ S £N Parece que sempre estudo a coisa errada.
21. £ S £N Não uso nenhum tipo de agenda.

22. £ S £N Estudo para alguns testes mas, na hora, sempre


esqueço o que estudei.

23. £ S £N Não tenho tempo suficiente para me sair bem


na escola e ter uma vida social.

24. £ S £N Não consigo entender os aspectos importantes


dos livros-texto.
25. £ S £N Quando consulto minhas anotações de aula
antes de uma prova, não consigo entendê-las
26. £ S £N Odeio ler.
27. £ S £N Não tiro notas boas em provas dissertativas
porque não organizo bem as ideias.

28. £ S £N Passo bastante tempo no computador, mas


parece que é uma perda de tempo.

Como iniciar seus estudos... 3


O que significam suas respostas? Se respondeu “sim” para as
questões:

• 2, 5, ou 18 − Você precisa trabalhar mais a concentração.


• 1, 8, 15, 16, 24 ou 26 − Sua leitura e capacidade de compre-
ensão o estão impedindo de seguir em frente.
• 3, 14, ou 22 − Você precisa aprender a estudar para as provas
e reduzir o nível de ansiedade relacionado a elas.
• 4, 6, 10, 11, 13, 21 ou 23 − Sua habilidade de organização o
está decepcionando.
• 7, 19, 27 − Você está gastando muito tempo para “redigir” os
trabalhos, pois ainda não aprendeu as habilidades adequa-
das para pesquisa ou organização.
• 9 ou 28 − É preciso aperfeiçoar suas habilidades em relação
ao computador.
• 12, 17, 20 ou 25 − Você precisa adotar um sistema mais efi-
ciente para fazer anotações das aulas e leituras.

A quantidade de “sim” não é tão importante quanto o fato de essas


respostas estarem agrupadas em uma área específica – naquela em
que, obviamente, você precisa de ajuda. (Embora 10 ou mais “sim”
indiquem problemas relevantes em mais de uma área.)
Vamos examinar isso mais detalhadamente, a fim de termos
um panorama do estado atual de suas habilidades de estudo. Na
página 5, estão as habilidades de estudo fundamentais. Antes de
continuar lendo este capítulo, pegue uma folha de papel e classifi-
que-se em cada uma delas (da leitura à preparação para provas).
Em seguida, atribua dois pontos a cada A, um ponto a cada B e não
atribua nenhum ponto a cada C.
Se sua classificação geral alcançar 18 ou mais, coloque um A
na linha que corresponde à “Autoavaliação inicial”; entre 13 e 17,

4 Como estudar melhor


coloque um B; e se for 12 ou menos, coloque um C. Essa é a avalia-
ção de seus hábitos atuais de estudo.
Vamos rever cada uma dessas áreas, dando-lhe um insight a
respeito do verdadeiro significado de “excelente”, “bom” e “razoá-
vel”. À medida que ler cada seção, complete sua classificação no
quadro “Seu ponto de partida”, e seja honesto consigo. Essa avalia-
ção lhe dará um parâmetro por meio do qual você poderá medir seu
progresso depois de terminar de ler este livro. Complete o quadro e
faça a comparação ao final da leitura deste capítulo.
Lembre-se: não há respostas certas ou erradas em nenhu-
ma dessas avaliações. São apenas pontos de partida que servirão
para medir seu progresso e identificar as áreas em que suas habili-
dades precisam ser melhoradas.

seu ponto de partida

Autoavaliação inicial A£ B£ C£
Leitura A£ B£ C£
Desenvolvimento da memória A£ B£ C£
Gerenciamento do tempo A£ B£ C£
Anotações de leituras de livros-texto A£ B£ C£
Anotações feitas em aula A£ B£ C£
Participação nas aulas A£ B£ C£
Habilidades básicas para utilizar a A£ B£ C£
biblioteca
Desenvolvimento de trabalhos escritos A£ B£ C£
Preparação para provas A£ B£ C£
Nível geral de habilidade para estudar A£ B£ C£

Como iniciar seus estudos... 5


leitura
Rapidez, compreensão e evocação são os três aspectos importantes da
leitura. Compreensão e evocação estão especialmente interligadas –
é melhor sacrificar um pouco da rapidez para aumentar esses dois
fatores. Para testar suas habilidades de leitura e compreensão, leia
o trecho a seguir (extraído de American Firsts, de Stephen Spignesi,
New Page Books, 2004). Na sequência, feche o livro, anote alguns
pontos-chave desse trecho que leu, reveja o texto e compare suas
anotações com a leitura. Você vai ter uma boa ideia a respeito do seu
nível de entendimento e de sua capacidade para lembrar.

Atualmente, os códigos de barras estão em todo lu-


gar. Eles são impressos automaticamente em quase
todos os itens manufaturados, embora ainda haja
muitos postos de venda a varejo que não utilizam
os equipamentos de leitura de códigos de barras. No
entanto, acredita-se que logo vão ter um e, então,
o código estará impresso em mais de 95% dos itens
de consumo.
Um código de barras consiste de 12 números sepa-
rados por barras duplas no início, meio e fim da se-
quência. Um escâner a laser/óptico lê o padrão dos
números e instantaneamente identifica o item e o seu
preço correto. Os códigos de barras representam um
benefício para a indústria de varejo, bem como para
o exército dos Estados Unidos, que requerem que
cada item comprado tenha um código de barras que
possa ser escaneado. Esses códigos permitem rapidez
no pagamento de produtos, atualização contínua dos
estoques e informações precisas a respeito dos pa-
drões de compra.

6 Como estudar melhor


Os códigos de barras foram inventados em 1948 por
Bernard Silver, aluno no curso de pós-graduação do
Drexel Institute, na Filadélfia, e Joseph Woodland,
seu sócio. No início, eles trabalharam com tinta
ultravioleta, depois, chegaram a um padrão que cor-
responde ao sistema utilizado atualmente.
Adeptos de teorias da conspiração acreditam que o
governo planeja colocar códigos de barras em todos
os cidadãos, no pulso ou na fronte, para poder mo-
nitorar a massa. É interessante observar que, recen-
temente, foi anunciado que a tecnologia dos códigos
de barras a laser se desenvolveu a tal ponto que é
possível imprimi-los diretamente na carne e nos ovos
e pode ser lido sem prejudicar o produto.
Isso significa que, sim, os códigos de barras podem
ser colocados com segurança na carne humana.
Imagine um futuro em que você compra um in-
gresso para um jogo de futebol pela internet usando
seu próprio código de barras com seu número de
identificação. Quando chegar ao estádio, você estica
a mão e um escâner óptico lê seu código de bar-
ras tatuado (ou marcado de algum outro modo) no
seu pulso. A base de dados mestra (compartilhada
por todos) confirma que você realmente comprou
o ingresso, em seguida, você passa pelo portão de
entrada tão rápido como passa um pacote de bata-
ta chips pelo escâner da caixa registradora de um
supermercado.
Isso é ficção científica? Na verdade, não. Já estamos
muito próximos desse cenário.

Como iniciar seus estudos... 7


Pontuação: Se conseguir ler o texto sem interrup-
ções e resumir com exatidão o que leu, tudo em menos de
dois minutos, atribua-se um A. Se tiver alguns problemas
para ler e entender o texto, mas, se for capaz de terminar
a tarefa em menos de quatro minutos, atribua-se um B. Se for inca-
paz de completar a tarefa nesse intervalo de tempo, se não conseguir
lembrar o que leu ou se tomar notas adequadas, atribua-se um C.

retenção
Teste no 1: Durante 10 segundos, observe o número a seguir por 10
segundos. Depois, cubra a página e escreva tudo o que lembrar:

762049582049736

Teste no 2: A lista seguinte traz 12 palavras sem sentido, em uma


língua que acabei de inventar, e suas “definições”. Estude a lista por
60 segundos e tente se lembrar de cada palavra, como ela é soletrada
e sua definição:

Berilly agitado Narouf urinol


Simpoc chorar Mccusker sonhar
Delmak homem velho Yerbtry sal
Triddle vadear Armulla xícara de café
Gazdon leão Frabje pular
Cognit espinha dorsal Eklek almoço

Terminou? Feche o livro e escreva todas as 12 palavras e suas de-


finições. Elas não precisam estar na mesma ordem em que foram
listadas.

8 Como estudar melhor


Pontuação: Teste no 1: Se conseguiu se lembrar dos 12 dí-
gitos na ordem correta, atribua-se um A; entre 8 e 11, um B; 7 ou
menos, um C. Teste no 2: Se listou corretamente entre 9 ou mais
palavras e suas definições (isso inclui soletrar corretamente as pa-
lavras novas), atribua-se um A. Se listou entre cinco e oito palavras
e suas definições ou se listou e soletrou corretamente nove ou mais
palavras, mas, se confundiu ao defini-las, atribua-se um B. Se não
conseguiu se lembrar de pelo menos quatro palavras e suas defini-
ções, atribua-se um C.

Gerenciamento do tempo
A utilização eficaz do tempo disponível para estudar pode ser medi-
da por meio de dois parâmetros: (1) sua capacidade para dividir as
tarefas em partes (por exemplo, leitura, anotação, esboço, escrita); e
(2) sua capacidade para completar cada tarefa de modo eficiente.

Pontuação: Se acha que usa seu tempo com sabedoria e eficá-


cia, atribua-se um A. Se sabe que há períodos em que você fica sem
tempo, atribua-se um B. Se não tiver tempo para nada, atribua-se
um C.

habilidades para utilizar a biblioteca


Tirar o melhor proveito possível da biblioteca é resultado da com-
preensão de sua organização – e de como utilizá-la. Quanto mais
tempo você passar nesse local – estudando, lendo e fazendo pes-
quisa –, mais produtivo será. Você se tornará um especialista em
encontrar rapidamente materiais de referência e as informações de
que precisa.
Quase todas as bibliotecas seguem a mesma organização.
Quando estiver a par disso, você será um “perito em bibliotecas”,
independentemente daquela que frequenta. Neste livro, você vai

Como iniciar seus estudos... 9


conhecer os recursos disponíveis (livros, periódicos, anuários, en-
ciclopédias, dicionários, revistas, jornais, documentos, arquivos em
microfilmes) e aprender como localizar material (usando o sistema
de classificação decimal de Dewey, bem como o sistema computa-
dorizado das bibliotecas).
Para melhor avaliar suas habilidades relacionadas à utilização
de bibliotecas, responda às seguintes perguntas:

1. Na biblioteca que costuma frequentar, que coleções são de uso


restrito?
2. Na biblioteca local, onde encontraria a biografia de Herbert
Hoover?
3. Onde fica a seção de referências na biblioteca local?
4. Se lhe fosse dado o número da classificação de Dewey para
um livro, você conseguiria encontrar a obra em menos de cin-
co minutos?
5. Nos últimos seis meses, quantas vezes esteve em uma biblio-
teca? E no mês passado?
6. Você sabe localizar livros, periódicos e outros materiais utili-
zando o catálogo computadorizado da biblioteca?

Pontuação: Se as respostas a essas perguntas são óbvias para


você, indicando um padrão constante de utilização da biblioteca, en-
tão, você pode afirmar que tem o hábito de frequentar esse local: atri-
bua-se um A. Se não conseguir responder a pelo menos quatro das
perguntas ou se tiver um cartão de biblioteca que raramente utiliza,
atribua-se um B. Se não tem a menor ideia de onde fica a biblioteca
mais próxima, atribua-se um C.

10 Como estudar melhor


habilidades relacionadas à utilização
do computador
Nos dias de hoje, é virtualmente impossível ser bem-sucedido
em qualquer nível de escolaridade se o indivíduo não dominar o
computador. Entretanto, saber como utilizá-lo é só o começo. Esse
conhecimento é necessário para que você estude de forma mais
eficiente e eficaz. Isso inclui aprender a melhorar a escrita dos tra-
balhos, entregá-los no prazo estipulado e aproveitar ao máximo as
ilimitadas possibilidades de pesquisa disponíveis on-line.

Pontuação: Se for capaz de fazer praticamente tudo no com-


putador, com exceção de invadir o banco de dados do governo, e
se transformou seu computador em ferramenta-chave para buscar
meios de melhorar sua forma de estudar e de obter notas mais altas,
atribua-se um A. Se for um especialista em utilizar o processador de
textos, se souber jogar e conectar-se, mas não utiliza nem 75% das
ferramentas disponíveis na sua máquina e se enrola mais do que na-
vega na web, atribua-se um B. Se nem souber o que significa “estar
on-line” e precisar de quatro minutos para descobrir como ligar seu
computador, atribua-se um C.

Fazer anotações
Quatro arenas diferentes – em casa com seus livros, na sala de
aula, na biblioteca e on-line – requerem métodos diferentes
de anotação.
Com os livros-texto: Ao ler seus livros em casa, você precisa
identificar as ideias principais, reescrever as informações com suas
próprias palavras, bem como selecionar os detalhes com os quais
você não está familiarizado. À medida que lê, faça anotações re-
sumidas, concisas, em um caderno separado. Elabore perguntas e
respostas para garantir seu domínio sobre o material; coloque uma

Como iniciar seus estudos... 11


estrela nas perguntas para as quais não tem respostas, assim pode
fazê-las em classe.
Em classe: Preparação para as aulas é a chave para a parti-
cipação em classe. Se ler antes o material a ser tratado em aula,
você será capaz de se concentrar e absorver as interpretações e
os aspectos apontados pelo professor. Se utilizar uma aborda-
gem tópica, com sentenças curtas, taquigrafia ou símbolos, anote
os itens que vão despertar compreensão temática do assunto. Suas
anotações devem ter uma sequência, de forma que sigam o padrão
de aula do professor. Reveja suas anotações na primeira oportu-
nidade que tiver, após a aula. Preencha os vazios e acrescente suas
próprias ideias.
Na biblioteca ou on-line: Qual a diferença entre fazer anota-
ções na biblioteca ou trabalhar em casa com os livros da biblioteca
ou com aqueles que encontrou on-line e trabalhar com seus pró-
prios livros? Mais cedo ou mais tarde você vai ter de devolver os
livros da biblioteca (se é que vai poder retirá-los) e bibliotecários
costumam franzir a testa ao enfatizarem isso. A não ser que esteja
planejando imprimir todas as páginas da web que encontrar e usar
sua caneta marca-texto, você precisa de um sistema eficaz para to-
mar notas direto da fonte, quer seja um livro da biblioteca, quer seja
uma página da web.

Pontuação: As suas habilidades de anotação são suficientes


para resumir os dados necessários de seus livros e selecionar os
pontos-chave nas aulas e discussões? Elas permitem que obtenha as
informações necessárias de uma variedade de fontes, que prepare
esboços detalhados e escreva bons trabalhos? Então, atribua-se um
A. Se achar que suas habilidades são deficientes, atribua-se um B.
Se o que escreve em classe for somente bilhetinhos para passar aos
amigos, atribua-se um C.

12 Como estudar melhor


Participação em classe
A maioria dos professores, quando dá notas, leva em considera-
ção a participação de cada aluno em classe, independentemente do
número de testes-surpresa que aplicam ou do número de trabalhos
escritos que determinam. Como você já deve ter notado, há profes-
sores que baixam as notas até mesmo daqueles alunos que costu-
mam tirar “dez” em todos os trabalhos e provas, se agirem como se
não estivessem presentes na aula.

Pontuação: Se estiver sempre preparado para as aulas (o que


significa no mínimo ler todo o material indicado, preparar a lição
de casa e os projetos solicitados, e entregá-los no prazo), participar
ativamente das discussões e fizer perguntas pertinentes como um
meio de proclamar o que sabe ou de preencher os vazios em rela-
ção àquele conhecimento, atribua-se um A. Se não fizer nada disso,
atribua-se um B. Se não tiver certeza do local onde fica a sala de
aula, atribua-se um C.

Como redigir trabalhos e se preparar


para avaliações orais
Preparar-se para qualquer tipo de avaliação, escrita ou oral, é
90% de transpiração (pesquisar) e 10% de inspiração (escrever).
Em outras palavras, a capacidade de fazer um bom trabalho de-
pende mais do seu domínio sobre outras habilidades já discutidas
do que de seu domínio de escrita. Se for um leitor ávido, se esti-
ver familiarizado com a biblioteca local, se for um pesquisador
on-line veterano, se souber fazer boas anotações e for capaz de
subdividir os tópicos mais complexos em informações gerenciá-
veis necessárias para elaborar um trabalho, é provável que suas
produções sejam excelentes.

Como iniciar seus estudos... 13


Pontuação: Se já obteve A em habilidades para utilizar a bi-
blioteca, anotações na biblioteca e on-line, gerenciamento de tem-
po e leitura, atribua-se um A agora. Se acha que entrega trabalhos
relativamente bons, mas que lhe faltam habilidades relacionadas
aos aspectos citados, atribua--se um B. Se sua ideia a respeito de tra-
balho tem a ver com fotocopiar trechos de Cliffs Notes1 e reescrever
o resumo com sua própria letra, atribua-se um C.

Preparação para o teste


A chave para se preparar adequadamente para os testes é saber que
material será objeto de avaliação e qual será o formato do teste. Pro-
vas semanais ou exames sobre uma unidade ou capítulo geralmen-
te abrangem material mais recente. Os exames de metade e final
de curso cobrem uma área mais ampla – no geral, toda a matéria
até aquela data. Todos os testes de múltipla escolha, dissertativos,
de problemas de matemática e de laboratório de ciências requerem
preparo especial e se aplicam a diferentes habilidades relacionadas
a fazer testes. Ter conhecimento do tipo de teste que vai ser aplicado
facilita muito a preparação do estudante.
Elaborar uma lista com perguntas que acha que seu profes-
sor fará também pode ajudar. Se rever suas anotações de leitura do
livro e de classe com frequência, pode identificar os temas pelos
quais seu professor parece ter mais interesse... e é mais provável
que ele avalie você com base nesses assuntos. Mais um truque:
prepare uma lista com 10 perguntas ou mais que você faria se fosse
o professor.

Pontuação: Se for capaz de elaborar testes mais difíceis do


que os de seu professor – e tirar boas notas –, atribua-se um A.

1 Série de guias, em língua inglesa, com resumos das principais obras literárias. (N.E.)

14 Como estudar melhor


Visite a página deste livro na
Cengage Learning Brasil e
conheça também todo o nosso
catálogo
Como Estudar Melhor é um livro
de imensa popularidade entre
estudantes norte-americanos de
todas as idades, agora publicado
no Brasil pela Cengage Learning.

Esta edição, revista e atualizada


pelo autor, traz informações
importantes para todos aqueles
que já estudam ou que estão
voltando a estudar, por
exemplo: como ter sucesso nos
estudos, como utilizar a
biblioteca, fazer pesquisas
on-line e muito mais.

A obra inclui ainda questões de


leitura, escrita, gerenciamento
de tempo e memorização.

ISBN 13 – 978-85-221-0785-8
ISBN 10 – 85-221-0785-8

Para suas soluções de curso e aprendizado, 9 788522 107858


visite www.cengage.com.br

Похожие интересы