Вы находитесь на странице: 1из 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA

CATARINA

DEPARTAMENTO DE FÍSICA

FSC5123 – Física Experimental II – 2018.1

Experimento 09
ESPELHOS E LENTE

Grupo 01: Turma:5003


DANIELA AGÜERO S.
JOAO PEDRO FLORIANO Segunda – 15:10h
VALQUIR F. PACHECO
Professor:

Ivan H. Bechtold

Florianópolis- SC
 INTRODUÇÃO

Nesse experimento temos como objetivo calcular a


distância focal das diferentes lentes (convergente e
divergente) e espelho (côncavo), a traves de
métodos diferentes com o objetivo de obter a mesma
(ou próxima) distância focal teórica.
 QUESTIONÁRIO

1.a. Calcule o valor médio da distância focal do


espelho côncavo com os dados da Tabela I. Calcule
o erro percentual em relação ao valor nominal,
anotado no espelho.

𝑓1 + 𝑓2 + 𝑓3
𝑓𝑚𝑒𝑑 =
3

24,92 + 25,23 + 25,14


𝑓𝑚𝑒𝑑 = = 25,10
3

𝑓𝑡𝑒𝑜𝑟 = 25,00

(25,10 − 25,00)
𝐸% = × 100 = 0,4%
25,00

1.b. Explique como variam o tamanho (I) e a posição


(p’) da imagem à medida que o espelho côncavo se
afasta do objeto (veja tabela I).

- Ao afastar o espelho côncavo do objeto, o tamanho


da imagem (I) e a distancia da imagem ao espelho
(p’) diminui. O anteparo se aproxima cada vez mais
do espelho e a imagem vai se tornando cada vez
menor.

2.a. Faça o gráfico de 1 / p’ em função de 1 / p com


os dados da Tabela II. (ANEXO)

2.b. Calcule os coeficientes angular e linear da reta


obtida e, a partir deles, calcule f. Mostre seus cálculos.

1 1 1
= +
𝑓 𝑝 𝑝′
Linearização ( y=A+Bx) Melhor Reta

1 𝑦 = 0.051931477 − 1.018201285𝑥
𝑦=
𝑝′
𝐴 = 0.051931477
1
𝑥=− 𝐵 = −1.018201285
𝑝

1
𝐴=
𝑓

Como 1/f e o valor do coeficiente linear da equação,


temos:

1
𝑓= = 19,26 𝑐𝑚
0.051931477

2.c. Calcule o erro percentual de f em relação ao


valor nominal.

𝑓𝑡𝑒𝑜𝑟𝑖𝑐𝑜 = 20,00𝑐𝑚 (20,00 − 19,26)


𝐸% = × 100 = 3,7%
𝑓𝑛𝑜𝑚𝑖𝑛𝑎𝑙 = 19,26𝑐𝑚 20,00

3. Ao fazer as medidas da Tabela III você deve ter


percebido que a distância D possui um valor mínimo
abaixo do qual não se pode focalizar uma lente
convergente. Utilize a equação (10) para obter este
valor mínimo. Compare percentualmente este D com
o valor obtido experimentalmente.

𝐷2 − 𝑑2 𝐷2 d=0
𝑓= 15,00 = fT=15,00
4𝐷 4𝐷
D(Teórico)= 60,00 cm (60,00−55,31)
D(Experimental)=55,31 cm 𝐸% = × 100 = 7,82%
60,00

4. Calcule a distância focal da lente C (ou C’)


quando ela estiver mergulhada na água. Dados:
nvidro= 1,50; nágua = 1,33.

1 1 1 1 1
= (𝑛 − 1)( + ) 𝑐=( + )
𝑓 𝑅1 𝑅2 𝑅1 𝑅2

n ar = 1,00
n vidro=1, 50
n água= 1,33

1 1 1,50
= (𝑛 − 1) × 𝑐 =( − 1) × 15,00
𝑓 𝑐 1,00

1 𝑛 𝑣𝑖𝑑𝑟𝑖𝑜 1
=( − 1) × 𝑐 = 7,5
𝑓𝑎𝑟 𝑛 𝑎𝑟 𝑐

1 𝑛 𝑣𝑖𝑑𝑟𝑖𝑜 1
=( − 1) × 𝑓𝑎𝑟 = 𝑐 = 0,133
𝑐 𝑛 𝑎𝑟 7,5

1 𝑛 𝑣𝑖𝑑𝑟𝑖𝑜
=( − 1) × 𝑐
𝑓𝑎𝑔𝑢𝑎 𝑛 𝑎𝑔𝑢𝑎

1 1,50
=( − 1) × 0,133
𝑓𝑎𝑔𝑢𝑎 1,33

𝑓 𝑎𝑔𝑢𝑎 = 58,82 𝑐𝑚
5. O índice de refração varia com a cor da luz
(Exp.11). Calcule a distância focal da lente C (ou C’)
para a luz azul (nvidro/azul = 1,58), sabendo-se que o
valor obtido nesta experiência é equivalente à luz
amarela, por aproximação (nvidro/amarelo = 1,50).

𝑛 𝑣𝑖𝑑𝑟𝑜 13,17 + 13,96 + 14,00 + 13,83


= 1,5 𝑓𝑎𝑚𝑎𝑟𝑒𝑙𝑜 = 𝑓𝑚𝑒𝑑 =
4
= 13,74
𝑛 𝑎𝑚𝑎𝑟𝑒𝑙𝑜
1
𝑐
= 0,5 × 13,74 c=0,1455

1
𝑛 𝑣𝑖𝑑𝑟𝑜 = (1,58 − 1) × 0,1455
= 1,58 𝑓 𝑎𝑧𝑢𝑙
𝑛 𝑎𝑧𝑢𝑙
𝑓𝑎𝑧𝑢𝑙 = 11,85
 CONCLUSÃO

Concluímos assim, que a distancia focal de um


espelho côncavo e uma lente convergente e sempre
positiva.

Quanto mais afastarmos o espelho côncavo do


objeto, assim aumentando o valor p(distancia do
objeto ao espelho), menor será a imagem.
Concluímos também que ele reflete o objeto no
anteparo, de maneira invertida.

A lente convergente consegue obter duas distancias


focais distintas porem ao chegar uma distancia
mínima entre o objeto e o anteparo (D=55,31cm ,valor
experimental) ele perde essa características.