Вы находитесь на странице: 1из 13

AUTARQUIA DO ENSINO SUPERIOR DE GARANHUNS (AESGA)

FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS DE GARANHUNS (FACEG)


CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA CIVIL

ANTONIO LYNNIKER MONTEIRO DE MORAIS VERISSIMO


CARLOS ANTONIO BARBOSA DE OLIVEIRA
FELIPE CARVALHO EVANGELISTA
FILIPE WILLIAM BEZERRA PONTES
JUERMESSON PIMENTEL DA SILVA
TIAGO CÂNDIDO DE GOIS

ASFALTO POROSO

GARANHUNS
2016
ANTONIO LYNNIKER MONTEIRO DE MORAIS VERISSIMO
CARLOS ANTONIO BARBOSA DE OLIVEIRA
FELIPE CARVALHO EVANGELISTA
FILIPE WILLIAM BEZERRA PONTES
JUERMESSON PIMENTEL DA SILVA
TIAGO CÂNDIDO DE GOIS

ASFALTO POROSO

Pesquisa Bibliográfica entregue a


Autarquia do ensino Superior de Garanhuns
(AESGA), como pré-requisito para composição
de nota da disciplina Arquitetura e Urbanismo,
do curso de Bacharelado em Engenharia Civil,
da Faculdade de Ciências Exatas de
Garanhuns (FACEG).

Solicitado por:

Prof.ª Mariana Albuquerque Braga

GARANHUNS
2016
SUMÁRIO

1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS ........................................................................... 4

2. ASFALTO POROSO ......................................................................................... 5

2.1. TIPOS DE ASFALTOS POROSOS ........................................................ 5

2.1.1. PAVIMENTOS COM REVESTIMENTOS PERMEÁVEIS................7

2.1.2. . PAVIMENTOS POROSOS DE DETENÇÃO.....................................7

2.1.3. PAVIMENTOS POROSOS DE INFILTRAÇÃO.................................7

2.2. CAMADAS .................................................................................................. 7

3. APLICAÇÃO, VANTAGENS E DESVANTAGENS ...................................... 8

4. PRINCIPAIS DESAFIOS A SUA UTILIZAÇÃO .......................................... 10

5. A IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO DO ASFALTO PERMEÁVEL ........ 10

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS ........................................................................... 12

7. REFERÊNCIAS ................................................................................................ 13
1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

O trabalho a ser apresentado pelo grupo tem como tema abordado o asfalto
poroso, um tema amplo, e com várias maneiras e métodos para sua utilização. A
pesquisa tem por objetivo mostrar o que é o asfalto poroso, como são produzidos,
seus benefícios e custos em relação ao asfalto convencional, os desafios e
importância de sua utilização e suas aplicações na prática.
Não foi difícil encontrar diversas maneiras de serem utilizadas, todas com
mesmo objetivo de combater poças, enchentes e inundações, o que gera problema
tanto para os moradores como para o meio ambiente. No trabalho procurou-se
também levar esses aspectos para o município de Garanhuns e os seus desafios
para a execução desse material no local.
2. ASFALTO POROSO

O asfalto poroso é um tipo de pavimento que possui como característica o


disciplinamento de águas pluviais, conduzindo essas águas para um local especifico.
Através de seus dispositivos de redirecionamento de águas elediminui o escoamento
superficial, reduzindo assim os impactos hidrológicos da urbanização.

De acordo com Tomaz (2009).

O conceito de pavimento poroso foi desenvolvido nos


anos 70, no Franklin Institute na Filadélfia, PA, USA. O
pavimento poroso pode ser construído em asfalto ou
concreto. O pavimento poroso consiste de um pavimento de
asfalto ou concreto onde não existem os agregados finos,
isto é, partículas menores que 600µm (peneira número 30).
O asfalto tem agregados com vazios de 40% e o concreto
com 17%.

2.1. TIPOS DE ASFALTOS POROSOS

Para implantação do pavimento permeável deve-se haver um estudo do local


para identificar quais tipos de estruturas são mais viáveis, considerando o tráfego no
local, as características do solo e do terreno ao redor, as condições hidrológicas da
região e outras características que possam interferir no funcionamento do sistema
de infiltração. Para a decisão de qual a melhor estrutura de pavimentação porosa
para um local pode-se utilizar o seguinte fluxograma segundo ACIOLI (2005, apud
Azzoutet al, 1994):

Os pavimentos porosos geralmente se diferenciam pelo sistema de drenagem


que possui, podendo ser infiltração direta no solo ou através de uma canalização
que direciona a água até um exutório, e pelo tipo de cobertura do pavimento
utilizado, que pode ser permeável ou não. Sendo todas essas características
definidas de acordo com as características do local levantadas pelo estudo.
2.1.1. PAVIMENTOS COM REVESTIMENTOS PERMEÁVEIS

Possibilitam o acesso das águas pluviais às camadas inferiores do pavimento e


efetuam ligeira redução do escoamento superficial. O reservatório é fechado sem
nenhuma ligação com a rede coletora de águas fluviais ou esgoto, a água infiltra no
solo naturalmente, por isso sua redução do escoamento é menor que os outros tipos
de pavimento impermeável.

2.1.2. PAVIMENTOS POROSOS DE DETENÇÃO

Desempenham o papel de reservatório temporário das águas pluviais, ou seja,


com evacuação localizada, sem funções de infiltração, subdividindo-se em:

a) Pavimentos porosos de detenção com injeção direta: Dotados de


revestimentos permeáveis.

b) Pavimentos porosos de detenção com injeção indireta: dotados de


revestimentos impermeáveis.

2.1.3. PAVIMENTOS POROSOS DE INFILTRAÇÃO

Desempenham dois papeis distintos, a retenção temporária e a infiltração das


águas pluviais subdividindo-se em:

a) Pavimentos porosos de infiltração com injeção distribuída: dotados de


revestimentos permeáveis.

b) Pavimentos porosos de infiltração com injeção localizada: dotados de


revestimentos impermeáveis.

2.2. CAMADAS

O asfalto poroso no geral segue uma sequência de camadas, sendo a primeira


camada a camada de asfalto ou concreto, possui espessura de 65 mm a 100mm. O
pavimento poroso possui 16% de vazios muito maiores que os 3% a 5%,
comumente encontrado nos pavimentos comuns. A segunda camada é um filtro
granularcom espessura de 25mm a 50mm e agregado de 13 mm. Serve para
estabilizar a camada de asfalto ou concreto.
Aterceira camada é um reservatório de pedracom diâmetro de 40mm a 75 mm
(pedra britada nº3 e nº4). Em áreas onde há congelamento do solo a profundidade
de congelamento pode variar de 0,61 m a 1,22 m. O reservatório de pedra deverá
ser drenado no máximo em 72h. Adotando 0,25m a altura mínima do reservatório de
pedra. A quarta camada é um filtro granularcom 50 mm com agregados de 13 mm
que serve como uma interface entre o reservatório e o geotêxtil. A quinta camada é
chamada degeotêxtil. A sexta camada é o solo nativo que deverá ter condutividade
hidráulica de no mínimo 0,36mm/h. O lençol freático deverá estar no mínimo a
1,20m do fundo do pavimento poroso.

3. APLICAÇÃO, VANTAGENS E DESVANTAGENS

As características apresentadas pelo asfalto poroso foram comparadas com


características do asfalto convencional utilizado atualmente para pavimentação de
ruas e estradas. Uma das dificuldades de implantação são as características de sua
base que reduzem a sua aplicação aos locais de terreno com inclinação máxima de
5%, devido ao reservatório de pedras. Mas sua aplicação é bastante viável em ruas
de áreas residenciais, em praças, calçadas e estacionamentos que apresentem
características planas ou que não ultrapassem sua inclinação máxima.

Suas vantagens são diversas entre elas estão a de filtrar os poluentes da água,
de abastecer os lençóis freáticos principalmente em Garanhuns, pois se trata de
uma cidade com muitas nascentes, a diminuição da poluição sonora e com o
decorrer de sua implantação trará uma melhoria do clima, renova o ciclo da água,
evita os problemas da super impermeabilização do solo como inundações e entre
outros benefícios.
As desvantagens estão quase sempre ligadas ao custo da implantação e
manutenção. A implantação é 20% a 30% mais cara e em relação a Garanhuns ou
outras regiões do país a falta de engenheiros especializados em projetos de
pavimentação permeável, e de empresas que possuam mão de obra especializada
aumenta ainda mais o custo. E a menor durabilidade da cobertura do pavimento,
devido à presença de espaços vazios maiores facilita à desagregação de seus
componentes, fazendo com que a manutenção periódica seja feito em curtos
períodos de tempo. A implantação também não pode ser feita em locais que tragam
junto com o escoamento superficial ou ação do vento materiais finos que obstrua
seus espaços vazios, caso haja esta exposição o pavimento perderia a característica
de permeabilidade.

4. PRINCIPAIS DESAFIOS A SUA UTILIZAÇÃO

Os desafios para o município de Garanhuns se encontram em suas


características geografias, as maiorias de seus terrenos apresentam declividades
que impedem a sua implantação. A falta de mão de obra especializada na região
também dificulta a utilização dessa tecnologia fazendo muitas vezes o custo do
serviço ficar mais alto.
A falta de informação dos benefícios que está tecnologia pode trazer impedem
a saída no mercado e com o pouco incentivo político em políticas sócio-ambientais
dificultam ainda mais a chegada desse material a cidades como Garanhuns, mas
existem expectativas para uma maior demanda de mercado já que foi
regulamentado no estado de São Paulo.

5. A IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO DO ASFALTO PERMEÁVEL

Devido à degradação do meio ambiente pela urbanização, a utilização de


tecnologias, que diminuem os efeitos colaterais das ações do homem, torna-se uma
solução para preservação do planeta e o asfalto permeável apresenta-se como uma
tecnologia inovadora em comparações com outros produtos do mercado de
pavimentação. As características apresentadas pelo asfalto permeável trazem
benefícios tanto ao meio ambiente como também aos próprios habitantes da cidade.
Os benefícios trazidos pelo asfalto permeável para o meio ambiente pode-se
citar a capacidade filtrante que ele possui sendo capaz de retirar impurezas da água
pluvial ocasionadas pela poluição do ar. Outro beneficio é uma menor interferência
nas bacias hídricas, fazendo com que parte da água infiltrada seja devolvida ao ciclo
natural da água, podendo também ser utilizada em jardins para hidratação das
plantas.
Para os habitantes a aplicação dessa tecnologia, trará um conforto térmico
melhor, graças à renovação do ciclo da água, a utilização dessa água em jardins
evitara a necessidade de utilizar água encanada para o mesmo.
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Portanto, pode-se concluir que: a retirada do concreto é uma grande aliada no


combate às enchentes, pois aumenta a absorção pelas margens e retarda a
chegada aos pontos críticos, e vem sendo adotada no exterior, em cidades como
Seul, que transformou um canal poluído e fétido em parque, ou Paris, onde, no La
Bièvre, estão sendo retirados canais construídos há 200 anos, e nos Estados
Unidos, onde foi criado um manual de orientação à renaturalização dos rios.
Do ponto de vista econômico, o novo asfalto apresenta um custo 25% superior
ao convencional, decorrente da utilização de matéria-prima de melhor qualidade, um
tipo de asfalto que permite a passagem de água e um plástico não convencional,
além do custo de regulagem da usina, quando produzido em conjunto com o asfalto
tradicional. A técnica hoje em estudo, voltada para a diminuição no escoamento,
poderá entrar em operação dentro de dois anos, entretanto possui restrições, pois,
não poderá ser aplicada em vias de trânsito pesado, pois resiste no máximo a
caminhões de pequeno porte, o que leva a uma estimativa de utilização em 40% das
ruas de uma cidade como São Paulo.
Independente disso, trata-se de uma grande contribuição ao combate desse
problema urbano que são as enchentes, que chega no bojo de diversas outras
iniciativas, inclusive de natureza tributária, como a discussão de leis de incentivo
fiscal ao contribuinte que aumente a permeabilidade do solo.
7. REFERÊNCIAS

ACIOLI, Laura Albuquerque. Estudo Experimental de Pavimento Permeável para


o Controle do Escoamento Superficial Na Fonte. Instituto de Pesquisa Hidráulica,
Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2005.

TOMAZ, Plinio. Pavimento poroso. Curso de Manejo de águas pluviais, 2009.


Disponível em:
<http://www.pliniotomaz.com.br/downloads/capitulo60_pavimento_poroso.pdf>
acessado em: 20/03/2016.

Похожие интересы