Вы находитесь на странице: 1из 2

Atuação da Fisioterapia no NASF

O Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) é um programa que foi


desenvolvido pelo Governo Federal, através da Portaria GM nº 154, de 24 de
janeiro de 2008, com o intuito de apoiar a Estratégia Saúde da Família (ESF)
desenvolvendo ações de prevenção e promoção da saúde, onde sua maior
ênfase é a educação em saúde.

Existem dois tipos de NASF: tipo 1 e tipo 2. Cada um desses Nasf deve
estar vinculado a um mínimo de oito e máximo de 20 equipes de ESF.

O NASF 1 deverá ser composto por, no mínimo cinco profissionais de


nível superior de ocupações não-coincidentes entre: Médico Acupunturista;
Assistente Social; Profissional da Educação Física; Farmacêutico;
Fisioterapeuta; Fonoaudiólogo; Médico Ginecologista; Médico Homeopata;
Nutricionista; Médico Pediatra; Psicólogo; Médico Psiquiatra; e Terapeuta
Ocupacional.

O NASF 2 deverá ser composto por no mínimo três profissionais de nível


superior de ocupações não-coincidentes entre: Assistente Social; Profissional
da Educação Física; Farmacêutico; Fisioterapeuta; Fonoaudiólogo;
Nutricionista; Psicólogo; e Terapeuta Ocupacional.

Com formação acadêmica clínica generalista, o profissional de


fisioterapia do NASF enfatiza programas de saúde do idoso, da criança, da
mulher, do trabalhador e da família, que são desenvolvidas nos diversos níveis
de atenção à saúde.

As atividades de educação em saúde desenvolvidas pelo fisioterapeuta


junto ao NASF incluem, dentre outras: visitas domiciliares, acolhimento,
implementação e acompanhamento de grupos de idosos, hipertensos,
diabéticos, gestantes, mulheres, bem como de cuidadores de crianças
especiais.

A Educação em Saúde é efetivada em, basicamente, dois momentos:


nas visitas domiciliares e nos encontros com grupos específicos de indivíduos,
estejam eles com alguma patologia ou não.

Nos domicílios, atentamos para as necessidades integrais do paciente e


de sua família, de forma a fomentar (ou fortalecer) a qualidade de vida naquele
lar. Dentre as ações mais utilizadas nos domicílios estão incluídas: orientações
e informações à família e aos cuidadores dos pacientes sobre manuseio,
posicionamento e as atividades de vida diária.

Quando em coletividade, nos grupos, a educação em saúde se dá


através do acolhimento, orientações, palestras, esclarecimentos, fortalecendo
as práticas grupais, a socialização e a troca de experiências entre as equipes
do NASF, da ESF e os participantes do grupo. Dentre os temas abordados nos
referidos encontros, são freqüentes: posicionamentos, posturas, cuidados com
coluna, prevenção de quedas e lesões em idosos e diabéticos, benefícios dos
exercícios, prevenção de lesões durante exercícios, orientações às gestantes,
amamentação, esclarecimentos sobre ciclos de desenvolvimento infantil e as
mudanças fisiológicas nas diversas fases da vida.

A atuação, dentro de um contexto interdisciplinar, pode propiciar a


redução de incapacidades ou deficiências (físicas e funcionais), favorecendo a
inclusão social do paciente ou indivíduo, combatendo a discriminação em
relação a suas deficiências, ampliando o acesso ao sistema de saúde, e,
portanto, a melhoria da qualidade de vida da população atendida.