Вы находитесь на странице: 1из 3

Experencias para a páscoa

1 . Garrafa invisível
Ingredientes: copo de vidro; glicerina; garrafa pequena.

Instruções: encha o copo e a garrafa com glicerina, até a metade. Coloque a


garrafa no corpo e veja sua metade inferior desaparecer. Se quiser, faça
uma comparação com um copo e garrafa cheios de água.

2 Colorindo Flores
Esse é uma experiência simples de fazer e que faz sucesso entre os alunos.
A ideia é demonstrar a condução de água nos vasos das plantas. Esse
processo vai desde a absorção de água pelas raízes até sua distribuição
por toda a planta, chegando até flores e folhas.
Você vai precisar de:
 Flores brancas
 Água
 2 Copos
 Tesoura
 Estilete
 2 Colheres
 Corante de alimentos de duas diferentes cores; azul e vermelho.
Para começar, coloque água até a metade dos copos. Adicione cerca de 30
gotas do corante azul em um copo e do vermelho em outro. Misture. Em
seguida, escolha uma flor e corte o caule em um ponto que permita que
ela seja colocada no copo sem que derrube a água. Depois, com o estilete,
divida a parte final do caule em duas partes iguais. Coloque a flor na água
com corante, de modo que metade do caule fique dentro do copo
vermelho e a outra metade fique fora dele. É só aguardar. Para resultados
ainda mais impressionantes, coloque cada parte do caule em copos com
corantes diferentes.
Dependendo do dia, os resultados começam a aparecer em cerca de 10
minutos. Você vai perceber que as pétalas da flor branca vão começar a se
colorir de acordo com a cor da água pela qual são irrigadas. O resultado é
muito bonito e, depois de algumas horas, as folhas também ficam
coloridas.
Vale lembrar que nem todas as plantas possuem sistema condutor. As que
são dotadas de vasos pertencem ao grupo das traqueófitas. Ao longo da
sua evolução, essas plantas desenvolveram tecidos especializados na
condução de água e seiva, que transportam os nutrientes necessários
para todas as partes da planta.
Nesse experimento, folhas e flores ficam coloridos por conta de dois
fenômenos relacionados a esses vasos: a capilaridade e transpiração. O
primeiro permite que os líquidos subam naturalmente através dos vasos
das plantas. Porém, isso não é o suficiente para que água chegue até as
partes mais altas das árvores, por exemplo. É aí que entra a transpiração,
que cria uma espécie de sucção, que leva os nutrientes até as folhas e
flores.

3 A Transpiração das Plantas


Esse é um experimento que pode ser feito a qualquer momento. O
objetivo é demonstrar o processo de transpiração em uma planta.
Para realizá-lo, você vai precisar de:
 Vaso
 Uma planta viva, cheia de galhos e folhas
 Saco plástico grande, incolor e sem furos
 Barbante
 Fita adesiva
Para começar, coloque alguns galhos da planta dentro do saco plástico e
amarre com um barbante. Em seguida, coloque o vaso em um local onde
possa receber luz do sol, como próximo a uma janela. Após alguns
minutos, observe o interior do saco.
Depois de cerca de 15 minutos, será possível notar a presença de
gotículas de água na superfície interna do saco plástico. Isso ocorre por
conta do fenômeno da transpiração foliar, em que a planta elimina vapor
d’água através de estruturas chamadas estômatos, responsáveis pelas
trocas gasosas.
Nas plantas, a quantidade de folha e a dimensão da superfície foliar é que
vão determinar uma maior ou menor taxa de transpiração. Isso é
essencial para a sobrevivência e nutrição das plantas, uma vez que é pela
transpiração que substâncias importantes, como sais minerais e
aminoácidos, serão transportados da raiz até a folha, em uma espécie de
força de sucção.

Похожие интересы