Вы находитесь на странице: 1из 4

LIÇÃO – 02

SUBSÍDIO PARA O ESTUDO DA 2º LIÇÃO DE JOVENS


2º TRIMESTRE DE 2018

DOMINGO, 08 DE ABRIL DE 2018.

A ALEGRIA PELA NOVA VIDA EM CRISTO


Texto áureo
“Lembrando-nos, sem cessar,
Da obra da vossa fé, do trabalho,
Do amor e da paciência da esperança
Em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de
Nosso “Deus e Pai.” (1Ts 1.3)
INTRODUÇÃO

Amados e queridos irmão, a paz do Senhor a todos os leitores e estudiosos da


palavra de Deus, hoje iremos estudar e refletir a respeito dos benefícios de uma
liderança afetuosa e apresentar as características da igreja em Tessalônica, a lição
tratará a respeito do relacionamento de um experiente líder cristão com uma
comunidade de novos convertidos, em nenhum momento Paulo desprezou as
aflições que inquietavam aqueles cristãos, apesar de alguns casos serem muito
triviais com relação à fé.
Logo no inicio de sua primeira Epístola aos Tessalonicenses, Paulo preocupa-se
em tornar claro àqueles irmãos seu cuidado e amor por eles, esses sentimentos
tinham uma dupla origem e a primeira, naturalmente brotavam do coração do Pai
de onde deriva toda e qualquer experiência de amor verdadeiro que vivenciamos.
Em segundo lugar, não menos importante, a afeição daquele pastor por aquele
grupo de novos convertidos era resultado da nobreza espiritual destes, é
necessário lembrarmos que quando falamos da igreja em Tessalônica, estamos
tratando de uma comunidade que nasceu debaixo de fortes perseguições, que
muito cedo ficou “órfã” de uma referência espiritual e isto no meio de uma
sociedade hostil e avessa aos valores cristãos, entretanto, a despeito deste
conjunto de circunstâncias contrárias, a igreja em Tessalônica floresceu.
Os irmãos daquela cidade abandonaram suas tradições idólatras e propuseram-
se a viver a realidade do Evangelho em sua vida, aspirando com muita singeleza de
coração o dia do Senhor.

PAULO COMO LÍDER

É inquestionável para qualquer genuíno cristão que Paulo, depois de nascer de


novo, exerceu uma vida cristã com a qualidade de um exemplar filho de Deus, ele
mesmo disse a Timóteo: Combati o bom combate, terminei a corrida, e guardei
a fé, Paulo é indubitavelmente alguém a quem devemos olhar e imitar, visto que
seus esforços, desde a compreensão dada por Deus sobre Ele e sobre si, foram
prosseguir para o alvo de seu chamado celestial de ser um ministro entre os
povos; ele disse…fui designado pregador e apóstolo (digo-lhes a verdade, e não
minto), mestre da verdadeira fé aos gentios (1Tm 2.7).

Enquanto entre os homens, o exemplar Paulo, apóstolo do Senhor Jesus Cristo,


marcou sua vida e a de outros de diversas formas, aliás, ele ainda faz isso através
de seus preservados e inspirados escritos para diversas igrejas e pessoas de sua
época, ele foi incontestavelmente um eminente modelo, um exímio mestre e um
espetacular mentor.

COMO PAI: O apóstolo aos gentios tinha confiança em sua integridade, ele
apontava para si e dizia: suplico-lhes que sejam meus imitadores, Sua convicção
era como a de um piedoso pai, que realmente era, e que reconhecia ser o melhor e
ter seus filhos o imitando do que a qualquer outro, ele suplicava aos seus filhos do
Evangelho que fossem seus imitadores, pois ele mesmo era imitador de
Cristo: Tornem-se meus imitadores, como eu o sou de Cristo (1Co 11.1).

COMO EVANGELISTA: À igreja de Tessalônica, Paulo disse: Pois vocês mesmos


sabem como devem seguir o nosso exemplo, porque não vivemos ociosamente
quando estivemos entre vocês, Paulo vivia e pregava corriqueiramente acerca do
Reino de Deus.

Paulo é alguém que firmemente podemos ter como modelo de pessoa que
administrava bem o seu tempo, especialmente no que tange a proclamação do
Evangelho, ele disse: Sejam sábios no procedimento para com os de fora;
aproveitem ao máximo todas as oportunidades (Cl 4.5).

Para os tessalonicenses Paulo também reafirma sua convicção de obreiro


aprovado por Deus, Irmãos, vocês mesmos sabem que a visita que lhes fizemos não
foi inútil, apesar de termos sido maltratados e insultados em Filipos, como vocês
sabem, com a ajuda de nosso Deus tivemos coragem de anunciar-lhes o evangelho
de Deus, em meio a muita luta, pois nossa exortação não tem origem no erro nem
em motivos impuros, nem temos intenção de enganá-los; ao contrário, como
homens aprovados por Deus param nos confiar o evangelho, não falamos para
agradar pessoas, mas a Deus, que prova o nosso coração.

COMO MESTRE: Além de se apresentar como modelo a ser imitado, Paulo também
reconhecia ser um mestre, “cujo trabalho é de instruir” homens, particularmente
os gentios, a quem ele especificamente foi enviado, para proclamar as doutrinas da
vida eterna, a ressurreição e incorruptibilidade final do corpo humano, em resumo,
a salvação do corpo e alma dos homens por Cristo Jesus.
O apóstolo reconhecia que era o próprio Deus quem lhe dera o ofício de
mestre: Deste evangelho fui constituído pregador, apóstolo e mestre (2Tm 1.11).
Todo mestre tem sua área de domínio, e Paulo especificou a sua; a Palavra de Deus.

QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DA IGREJA QUE PAULO AMOU?

O que Deus espera da Igreja? Quais as características de uma igreja segundo o


coração de Deus? Para cumprir nosso papel no mundo hoje é necessário responder
a tais questões.

A compreensão de quem somos e para onde vamos é fundamental para cumprir


nossa missão onde estamos, creio que estudar a carta aos Tessalonicenses nos
ajuda a responder estas questões, a carta aos Tessalonicenses é provavelmente o
primeiro escrito do Novo Testamento, Paulo escreveu entre 49 e 50 d.C., não
muitos meses depois de ter estado ali, pregando-lhes a mensagem de Cristo, e
Lucas é quem nos dá o relato do estabelecimento da igreja em Tessalônica em Atos
17, onde podemos observar:

A evangelização ocorreu em período curto de tempo, apenas três sábados Paulo


pregou na sinagoga local, aonde alguns judeus foram convertidos, entre eles
destaca-se Jasom, mas era uma igreja em sua maioria gentílica, pois houve um
número grande de gregos tementes a Deus e mulheres gregas de posição que
foram transformados pelo poder do Evangelho de Cristo.
A intensa oposição dos judeus não convertidos geravam tumultos e
perseguições, e isto fez com que Paulo e seus companheiros fugissem para Beréia,
Contudo o Evangelho chegou ali não só em palavras, mas, sobretudo em poder, e as
notícias trazidas por Timóteo alegraram o coração de Paulo.

MODELO DE FÉ ATUANTE:

Os “tessalonicenses eram exemplos de uma fé que envolvia a totalidade da


pessoa, levando-a a um novo modo de viver”, eles testemunhavam acerca de uma
fé operosa, que produziu uma mudança radical, abandonaram aos ídolos e serviam
ao Deus vivo e verdadeiro, Tiago, irmão de Jesus, nos diz “a fé sem obras é morta”.
O cristianismo ali vivido não era intelectual ou um religiosíssimo aparente e
farisaico, mas a evidência de uma transformação profunda, marcante na vida dos
convertidos.

MODELO DE AMOR PRESTATIVO:

Eles não só demonstravam uma fé atuante, mas também um amor abnegado,


evidenciado por feitos de gentileza e misericórdia, eles haviam compreendido, pela
graça de Deus e pela ação do Espírito Santo, que o amor gracioso de Deus por eles,
os resgatou de uma vida fútil, sem significado dedicado aos ídolos, para uma vida
abundante em Cristo Jesus, agora demonstravam o mesmo amor para com os
perdidos, proclamando-lhes a mensagem de salvação, o Evangelho da graça de
Deus, o amor de Deus os impulsionou ao amor em favor de pecadores que
caminhavam neste mundo perdidos.

MODELO DE ESPERANÇA EM CRISTO:

A palavra 'esperança' é uma palavra escatológica, a qual se refere a uma


expectação confiante na volta de Cristo, produzindo constância, perseverança
mesmo diante de tão intensas tribulações.

Esperança produziu firmeza e determinação, as dificuldades e perseguições não


os impediu de realizarem a obra de Deus.

A igreja de Tessalônica nos ensina que a igreja segundo o coração de Deus é


aquela que foi transformada pelo poder do Seu Evangelho e que assume um
compromisso com a evangelização. Fé atuante, amor prestativo e esperança em
Cristo são as marcas que o SENHOR espera da Sua igreja.

Aux. Lucas Silva

Похожие интересы