Вы находитесь на странице: 1из 32

Geografia

Aluno

Caderno de Atividades
Pedagógicas de
Aprendizagem
Autorregulada - 02
6º Ano | 2° Bimestre

Disciplina Curso Bimestre Ano


Geografia Ensino Fundamental 2° 6º

Habilidades Associadas

1. Localizar e orientar-se na superfície terrestre.

2. Identificar orientação na superfície terrestre.

3. Reconhecer os elementos do mapa e sua importância para leitura de mapas.


Apresentação

A Secretaria de Estado de Educação elaborou o presente material com o intuito de estimular o


envolvimento do estudante com situações concretas e contextualizadas de pesquisa, aprendizagem
colaborativa e construções coletivas entre os próprios estudantes e respectivos tutores – docentes
preparados para incentivar o desenvolvimento da autonomia do alunado.
A proposta de desenvolver atividades pedagógicas de aprendizagem autorregulada é mais uma
estratégia pedagógica para se contribuir para a formação de cidadãos do século XXI, capazes de explorar
suas competências cognitivas e não cognitivas. Assim, estimula-se a busca do conhecimento de forma
autônoma, por meio dos diversos recursos bibliográficos e tecnológicos, de modo a encontrar soluções
para desafios da contemporaneidade, na vida pessoal e profissional.
Estas atividades pedagógicas autorreguladas propiciam aos alunos o desenvolvimento das
habilidades e competências nucleares previstas no currículo mínimo, por meio de atividades
roteirizadas. Nesse contexto, o tutor será visto enquanto um mediador, um auxiliar. A aprendizagem é
efetivada na medida em que cada aluno autorregula sua aprendizagem.
Destarte, as atividades pedagógicas pautadas no princípio da autorregulação objetivam,
também, equipar os alunos, ajudá-los a desenvolver o seu conjunto de ferramentas mentais, ajudando-o
a tomar consciência dos processos e procedimentos de aprendizagem que ele pode colocar em prática.
Ao desenvolver as suas capacidades de auto-observação e autoanálise, ele passa ater maior
domínio daquilo que faz. Desse modo, partindo do que o aluno já domina, será possível contribuir para
o desenvolvimento de suas potencialidades originais e, assim, dominar plenamente todas as
ferramentas da autorregulação.
Por meio desse processo de aprendizagem pautada no princípio da autorregulação, contribui-se
para o desenvolvimento de habilidades e competências fundamentais para o aprender-a-aprender, o
aprender-a-conhecer, o aprender-a-fazer, o aprender-a-conviver e o aprender-a-ser.
A elaboração destas atividades foi conduzida pela Diretoria de Articulação Curricular, da
Superintendência Pedagógica desta SEEDUC, em conjunto com uma equipe de professores da rede
estadual. Este documento encontra-se disponível em nosso site www.conexaoprofessor.rj.gov.br, a fim
de que os professores de nossa rede também possam utilizá-lo como contribuição e complementação às
suas aulas.
Estamos à disposição através do e-mail curriculominimo@educacao.rj.gov.br para quaisquer
esclarecimentos necessários e críticas construtivas que contribuam com a elaboração deste material.

Secretaria de Estado de Educação

2
Caro aluno,
Neste caderno, você encontrará atividades diretamente relacionadas a algumas
habilidades e competências do 2° Bimestre do Currículo Mínimo de Geografia da 6º Ano
do Ensino Fundamental. Estas atividades correspondem aos estudos durante o período
de um mês.
A nossa proposta é que você, Aluno, desenvolva estas Atividades de forma
autônoma, com o suporte pedagógico eventual de um professor, que mediará as trocas
de conhecimentos, reflexões, dúvidas e questionamentos que venham a surgir no
percurso. Esta é uma ótima oportunidade para você desenvolver a disciplina e
independência indispensáveis ao sucesso na vida pessoal e profissional no mundo do
conhecimento do século XXI.
Neste Caderno de Atividades, vamos falar sobre a cartografia. Para isso, vamos
trabalhar a orientação e localização do aluno em diversas escalas de percepção criando
a possibilidade do aluno se entender como parte do todo. Além disso, demostraremos a
importância da utilização e interpretação de mapas.
Este documento apresenta 03 (três) Aulas. As aulas podem ser compostas por
uma explicação base, para que você seja capaz de compreender as principais ideias
relacionadas às habilidades e competências principais do bimestre em questão, e
atividades respectivas. Leia o texto e, em seguida, resolva as Atividades propostas. As
Atividades são referentes a três tempos de aulas. Para reforçar a aprendizagem, propõe-
se, ainda, uma pesquisa e uma avaliação sobre o assunto.

Um abraço e bom trabalho!


Equipe de Elaboração

3
Sumário

Introdução ..........................................................................................................3
Aula 1: Aprendizagem cartográfica: Orientação e localização geográfica........... 5
Aula 2: As linhas imaginárias da Terra e os fusos horários. ............................... 13
Aula 3: A representação do espaço geográfico.................................................. 20
Avaliação ............................................................................................................ 27
Pesquisa.............................................................................................................. 30
Referências ......................................................................................................... 31

4
Aula 1: Aprendizagem cartográfica: Orientação e localização
geográfica

Fala galera! Nesta atividade iremos compreender como a alfabetização


cartográfica criará em você uma diferente e talvez nova percepção sobre o mundo e o
lugar onde vive.
Mas afinal, o que é cartografia? A cartografia é, simultaneamente, arte, ciência
e técnica de elaborar mapas. A cartografia foi a principal ferramenta usada pela
humanidade para conhecer e ampliar os espaços territoriais e organizar essas
ocupações. Hoje ela está presente no cotidiano da sociedade, seja levando soluções
para problemas, urbanos, de segurança, saúde pública, turismo, meio ambiente,
navegação ou auxiliando outras atividades.
Bom, então como surgiu a cartografia? Os primeiros mapas foram traçados no
século VI a.C. pelos gregos que, em função de suas expedições militares e de
navegação, criaram o principal centro de conhecimento geográfico do mundo
ocidental. O mais antigo mapa já encontrado foi confeccionado na Suméria, em uma
pequena tábua de argila, representando um Estado. A confecção de um mapa
normalmente começa a partir da redução da superfície da Terra em seu tamanho. Em
mapas que figuram a Terra por inteiro em pequena escala, o globo se apresenta como
a única maneira de representação exata. A transformação de uma superfície esférica
em uma superfície plana recebe a denominação de projeção cartográfica.

Fonte: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d6/Hecataeus_world_map-en.svg

5
Na pré-história, a Cartografia era usada para delimitar territórios de caça e
pesca. Na Babilônia, os mapas do mundo eram impressos em madeira, mas foram
Eratosthenes de Cirene e Hiparco (século III a.C.) que construíram as bases da
cartografia moderna, usando um globo como forma e um sistema de longitudes e
latitudes. Ptolomeu desenhava os mapas em papel com o mundo dentro de um
círculo. Com a era dos descobrimentos, os dados coletados durante as viagens
tornaram os mapas mais exatos. Após a descoberta do novo mundo, a cartografia
começou a trabalhar com projeções de superfícies curvas em impressões planas.

Mapa de Ga-Sur, 2500 a.C.


http://www.ufrgs.br/igeo/ig/multisites/multisites/m.topografia/index.php?option=com_content&view=
article&id=4&Itemid=203

E hoje? Hoje, a cartografia é feita por meios modernos, como as fotografias


aéreas (realizadas por aviões) e o sensoriamento remoto por satélite. Além disso, com
os recursos dos computadores, os geógrafos podem obter maior precisão nos cálculos,
criando mapas que chegam a ter precisão de até 1 metro. As fotografias aéreas são
feitas de maneira que, sobrepondo-se duas imagens do mesmo lugar, obtém-se a
impressão de uma só imagem em relevo. Assim, representam-se os detalhes da
superfície do solo. Depois, o topógrafo completa o trabalho sobre o terreno, revelando
os detalhes pouco visíveis nas fotografias.

6
A cidade de Berlim, na Alemanha
http://img.estadao.com.br/fotos/19/7F/65/197F6545837D4D33B9467F76B36D1D09.jpg

Você deve estar pensando... “Mas então, só com o mapa eu consigo achar um
caminho pra algum lugar?” O que aconteceu é que a necessidade de “achar caminhos”
e de localizar pontos sobre a superfície terrestre, levou o homem a estabelecer uma
série de referências, baseadas na observação do céu e, assim, criar formas de
orientação através da montagem de um sistema de direção.
Pode-se localizar tomando por base referenciais como ruas, construções,
estradas, rios, etc (situação comum à maioria das pessoas), ou por meio de
conhecimentos geográficos, tais como: interpretação de plantas e mapas; domínio de
noções sobre coordenadas geográficas - latitude e longitude (como veremos mais a
frente), manuseio e leitura de equipamentos, como GPS, bússola.
Mas para podermos se orientar devemos conhecer os pontos de orientação:
 Pontos Cardeais: são quatro: norte (N), sul (S), leste (L ou E) e oeste (O ou W).
 Pontos Colaterais: localizados entre os pontos cardeais, também são quatro:
nordeste (NE), sudeste (SE), sudoeste (SO) e noroeste (NO).
 Pontos Subcolaterais: localizados entre os pontos cardeais e colaterais: norte-
noroeste (NNO), norte-nordeste (NNE), leste-nordeste (ENE), leste-sudeste (ESE), sul-
sudeste (SSE), sul-sudoeste (SSO), oeste-sudoeste (OSO) e oeste-noroeste (ONO)
Os pontos de orientação formam a figura da rosa-dos-ventos ou rosa-dos-
rumos.

7
Rosa dos ventos ou rosa dos rumos http://www.brasilescola.com/upload/e/pontos%20cardeais.jpg

Durante o dia, você pode usar um método simples para se orientar ou localizar
dentro do espaço Apesar de ser a Terra e não o sol a mover-se, podemos dizer que o
sol nasce aproximadamente a LESTE. Ao meio-dia, se estivermos voltados para o sol,
ele aponta-nos o SUL, ficando a nossa sombra a apontar o NORTE. Por fim, ele irá pôr-
se a OESTE. Portanto, se apontarmos o braço direito para o sol estaremos
direcionando o LESTE, então esticamos o braço esquerdo e apontaremos para o
OESTE, assim a nossa frente teremos o NORTE e nas nossas costas o SUL.

Orientação pelo sol


http://lh5.ggpht.com/_Xk7uDiUkyyA/SXCp-
eC_VBI/AAAAAAAACy0/sE6Rmm5Uuk0/s800/pontos%20cardeais.jpg

Durante as noites de céu claro, é possível orientar-se pela posição das


estrelas e constelações, pequenos grupos de estrelas. No hemisfério Sul, pela
Constelação do Cruzeiro do Sul, é possível identificar o ponto cardeal Sul. Identifique o
maior eixo da constelação, prolongue-o três vezes e meia e desça em linha reta até o
chão, esta posição é o sul. No hemisfério Norte é utilizada a Estrela Polar, que sempre

8
está indicando o Norte. A indústria química se desenvolveu bastante. A Lua tem o
mesmo movimento, de leste para oeste. Para orientar-se pela Lua, deve-se seguir o
mesmo procedimento da orientação pelo Sol.
Pode-se ainda usar alguns instrumentos como A bússola que é um dos
instrumentos de orientação mais conhecidos no mundo. Trata-se de um aparelho com
um mostrador redondo com os pontos cardeais grafados e uma agulha magnetizada
que está sempre indicando o norte magnético da Terra ou o GPS (Sistema de
Posicionamento Global) são pequenos instrumentos que pelo contato com satélites
artificiais podem determinar as coordenadas geográficas, altitude e orientação de
qualquer ponto na superfície da Terra.

A bússola a esquerda ( http://www.editoraevora.com.br/blog/wp-


content/uploads/2012/10/bussola21.jpg) e o GPS a direita,
(http://www.teodonivel.com.br/app/config/659//Imagens/Produto/grd_GPS%2060.jpg)

Como pudemos ver até aqui, a cartografia tem importante papel em nossas
vidas. Através dela foram criados mecanismos e instrumentos que facilitaram a nossa
orientação e localização no espaço em que vivemos.
Agora que já apresentamos brevemente a cartografia a você, vamos exercitar
nossos conhecimentos.

9
Atividade 1

1.

À noite, podemos nos orientar pelas estrelas. O Cruzeiro do Sul é uma constelação em
forma de cruz que ajuda a nossa orientação. Com base na figura e sobre a orientação o
Cruzeiro do Sul, marque a única alternativa correta.
(a) Serve de orientação para as pessoas que vivem no hemisfério norte e sempre
aponta o norte.
(b) Utilizados pelas pessoas que vivem no hemisfério sul e sempre indica o sul.
(c) Referência para quem vive no hemisfério sul e sempre aponta o norte.
(d) Está presente em ambos o hemisfério e aponta sempre o norte.

10
2.

Sabendo-se que o Sol “nasce” no lado de trás da padaria, responda:


a) Em que direção está o campo de futebol?
_______________________________________________________________________
b) Em que direção está a escola?
_______________________________________________________________________
c) Qual a localização do jornal?
_______________________________________________________________________
d) Em que direção está o semáforo?
_______________________________________________________________________

11
3.

Assinale a alternativa correta que mostra um dos mais modernos sistemas de orientação
e localização geográfica:
(a) Bússola
(b) Sensoriamento Remoto
(c) Rosa dos rumos
(d) Sistema de Posicionamento Global

12
Aula 2: As linhas imaginárias da Terra e os fusos horários.

E ai galera! Vamos continuar a nossa busca por conhecimento? Agora nessa


nova aula vamos falar sobre a importância da localização e para isso falaremos sobre
as coordenadas geográficas.
Bom, na aula passada você deve ter se perguntado como o GPS é capaz de dar
uma posição precisa sobre o lugar que nos encontramos dentro desse mundão que é o
planeta Terra. Essa resposta nós vamos ter entendendo o que são as linhas
imaginárias.
Então vamos lá! A fim de facilitar os estudos sobre a Terra, os cientistas a
dividiu em linhas imaginárias que a cortam nas posições vertical e horizontal. Essas
linhas são chamadas de paralelos e meridianos.

Fonte:
http://www.escolagabrielmiranda.com.br/quiz_geografia/quiz_geografia/media/mm21_globo.jpg

13
Os paralelos são linhas que passam paralelamente à Linha do Equador, que
“corta” a Terra ao meio, ocasionando a divisão entre os hemisférios norte e sul. Os
paralelos mais conhecidos são o Trópico de Câncer e o Trópico de Capricórnio.

Paralelos
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/discovirtual/galerias/imagem/0000004523/md.00000475
17.jpg

Os meridianos são linhas verticais que ligam um polo a outro polo da Terra. O
Meridiano principal divide a Terra em dois hemisférios: Leste e Oeste ou Ocidental e
Oriental e é chamado de Meridiano de Greenwich.

Meridianos
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meridianos-e-paralelos/imagens/meridianos-e-paralelos-
7.jpg

14
Desta forma, os paralelos vão dar origem àquilo que chamamos de latitudes. Já
os meridianos vão dar origem àquilo que chamamos de longitudes. As latitudes são as
linhas que tracejam a Terra no sentido horizontal, ou seja, é o afastamento, medido
em graus, da linha do Equador a um ponto qualquer da superfície terrestre. Ela vai de
0° a 90° e pode ser norte ou sul. O Equador corresponde à latitude 0°, dividindo o
planeta em hemisférios Norte e Sul. As longitudes são as linhas que cortam a Terra no
sentido vertical, ou seja, é o afastamento, medido em graus, do meridiano de
Greenwich a um ponto qualquer da superfície terrestre. Ela vai de 0° a 180° e pode ser
leste ou oeste. Como padronização internacional, adotou-se o Meridiano de
Greenwich como ponto de partida, a longitude de 0°.

Meridianos e paralelos
http://educacao.uol.com.br/disciplinas/geografia/coordenadas-geograficas-latitude-longitude-e-
gps.htm

Então, cruzando as latitudes com as longitudes formamos as coordenadas


geográficas, ou seja, "para que cada ponto da superfície da Terra possa ser localizado
num mapa, foi criado um sistema de linhas imaginárias chamado de "Sistema de
Coordenadas Geográficas." A coordenada geográfica de um determinado ponto da
superfície da Terra é obtida pela interseção de um meridiano e um paralelo" (IBGE.
Atlas Geográfico Escolar. p. 17. 2002). A partir das coordenadas geográficas é possível
localizar qualquer ponto existente na Terra, o que é muito útil para viajantes,

15
marinheiros, e para quem gosta de saber exatamente onde está. Como por exemplo,
no mapa abaixo:

Fonte: Acervo pessoal

Ex.: Determine as coordenadas geográficas dos pontos acima:


a) A – 50o latitude norte e 100o longitude oeste
b) B – 40o latitude norte e 80o longitude leste
c) C – 20o latitude sul e 40o longitude oeste
d) D – 100 latitude sul e 20o longitude leste

E Ai galera! Outro ponto importante a se pensar são as diferentes horas dos


diferentes lugares no mundo. Para resolver esse problema criou-se uma convenção
chamada fuso horário. A necessidade dos fusos é devido ao movimento de rotação da
Terra, durante o qual ela gira no seu próprio eixo, esse movimento dá origem a dias e
noites, perfazendo em 24 horas.
Ao realizar o movimento da Terra (rotação), um lado do planeta recebe luz
solar (dia) e o outro lado fica sombreado (noite), o movimento e a luz do sol que incide

16
criam as variações como manhã, tarde, noite, madrugada, então sempre há 24 horas
distintas.
A partir dessas informações verifica-se que a Terra, que é esférica, possui 360o,
e o movimento de rotação que ela realiza gasta 24 horas para ser realizado, se
dividirmos 360o por 24 horas, obteremos 15o, então, cada 15o, que é a distância entre
dois meridianos, corresponde a 1 hora, isso é denominado fuso horário.
O ponto Zero é o meridiano de Greenwich ao leste, a cada 15 o aumenta 1 hora;
e a oeste de Greenwich, a cada 15o diminui 1 hora.

http://www.estudopratico.com.br/wp-content/uploads/2013/01/fuso-horario-mapa-conceito-em-
geografia.jpg

É Isso ai galera, estou gostando de ver! Agora podemos dizer que a cartografia
tem um importante papel nas nossas vidas e que muitas vezes acaba passando
despercebido por nós. Saber se localizar e orientar no espaço geográfico é
fundamental, seja com a utilização de instrumentos ou simplesmente pela natureza.
Pois bem, chegou a hora mais divertida da nossa aula! Chegou a hora de
exercitar nossos conhecimentos! Vamos lá galera, lápis na mão e concentração.

17
Atividade 2

1. Assinale V ( verdadeiro ) ou F ( falso ):


( ) Os paralelos são linhas imaginárias traçadas paralelamente à Linha do Equador.
( ) A Linha do Equador divide a Terra em dois hemisférios, norte e sul.
( ) Os meridianos são linhas imaginárias traçadas de um pólo ao outro.
( ) A latitude é a distância em graus de qualquer ponto da superfície terrestre à linha
do Equador.
( ) A longitude é a distância em graus de qualquer ponto da superfície terrestre ao
Meridiano de Greenwich.
( ) Por meio das coordenadas geográficas, não é possível a localização exata de
qualquer ponto na superfície terrestre.

. As questões 2 e 3 se referem ao mapa abaixo:

Fonte: Novo Atlas Geográfico do Estudante, 2005

18
2. Responda:
a) Quais são as cidades estão assinalados no mapa?
_____________________________________________________________________

b) Em quais continentes as cidades estão localizadas? E em quais hemisférios – Norte


ou Sul, Leste ou Oeste.
_____________________________________________________________________

3. Com base no mesmo mapa identifique a cidade de acordo com a sua localização
(latitude e longitude):

a) 42° latitude norte e 13° longitude leste: __________________________

b) 19° latitude norte e 73° longitude leste: _________________________

c) 23° latitude sul e 43° longitude oeste: _________________________

19
Aula 3: A representação do espaço geográfico

Rascunho de mapa
http://www.estacoesferroviarias.com.br/s/fotos/stoantonio_mapa.jpg

E Ai galera! Será que você quando foi mostrar o caminho da sua casa para
aquele amiguinho da escola já não fez um mapa parecido com esse? Pois bem,
estamos de volta e dessa vez para falar dos mapas. Já vimos no inicio da Aula 1
(Aprendizagem cartográfica: Orientação e localização geográfica) como surgiram os
primeiros mapas e sua importância ao longo da história, agora vamos estudar como
eles são produzidos, como podemos criar o nosso mapa e a sua importância nas suas
diversas escalas de observação. Vamos lá?
Os mapas existem desde antes mesmo a escrita ter sido inventada. Eles servem
para representar alguma parte do espaço geográfico. Existem diversos tipos de mapas,
e cada um deles pode apresentar aspectos diferentes, mesmo se tratando de uma
mesma região, como por exemplo a vegetação ou características da hidrografia de um

20
lugar. O uso dos mapas pode ser aprendido e estudado nas escolas, além de servir
como ferramenta para facilitar o processo de ensino/aprendizagem. Mais do que isso,
os mapas contribuem na realização de diversas atividades humanas, como no turismo,
na preservação ambiental, nas viagens, etc.
Após convivermos determinado tempo em um mesmo lugar, passamos a
conhecer as características desse lugar, como estradas, ruas, pontos de referência,
áreas de risco, áreas de lazer, setor industrial, área ambiental ou qualquer outra coisa
que o identifique. Mas quando não temos muita noção de onde estamos e para onde
vamos? É para isso que servem os mapas, para nos orientar e localizar no espaço
geográfico.
Um bom mapa deve apresentar a indicação da escala. A escala mostra a relação
entre a medida real na superfície terrestre e a sua medida representada no papel.
Em todos os mapas existe uma proporção entre a superfície terrestre e a sua
representação no papel e a escala quantifica essa relação. Nos mapas encontraremos
dois tipos de escalas, numérica ou gráfica, em alguns mapas constam as duas escalas.
 Escala Numérica - toda escala numérica terá sempre o valor unitário (1) no
numerador, correspondente a 1 cm medido no mapa. Já o denominador terá
diferentes valores, dependendo de quanto foi a redução das medidas reais.
Exemplo de Escala Numérica: 1:30.000.000, que deve ser lida como “um por
trinta milhões”, mostrando que a redução do espaço real foi de 30.000.000 de vezes. A
desvantagem da escala numérica é que exige algum cálculo para obtenção da distância
real. Mais exemplos: 1:5.000 ; 1:50.000 ; 1:250.000 ; 1:100.000 1:200.000.000.

21
Ex.:

http://www.grupoescolar.com/a/b/A793D.jpg

No mapa acima, 1 cm equivale a 1.150.000 cm no mapa, portanto, se


multiplicarmos a distância medida no mapa 4,5 cm por 1.150.000, vamos encontrar o
resultado de 5.175.000 cm. Transformando o resultado para quilômetros teremos
51,75 km.
 Escala Gráfica - A escala gráfica apresenta a vantagem de permitir uma
interpretação visual e direta das informações, pois graficamente apresenta segmentos
de retas.

http://portalgeo.rio.rj.gov.br/armazenzinho/web/imagens/fig18_escalaGrafica.jpg

22
Além da escala um mapa deve apresentar outros elementos também muito
importantes como o título, a direção (rosa dos ventos) e os símbolos cartográficos
(legendas).
Existem diversos tipos de mapas, como os topográficos, os temáticos, os gerais,
os especiais e os estilizados. Conheça cada um deles:
 Mapas topográficos:
Os mapas topográficos procuram representar o mais fielmente possível os
elementos físicos que compõem o espaço, como o relevo, a vegetação, os rios, os
meios de comunicação e de transporte. São os mapas de base sobre os quais são
realizados estudos específicos, os chamados mapas temáticos.

Mapa de relevo de Jurandir Ross


Acervo pessoal

23
 Mapas temáticos:
São os mais utilizados em Geografia e, diferentemente dos mapas topográficos,
servem para realizar o estudo espacial de um determinado tema (clima, distribuição da
população, localização industrial, crescimento industrial etc.). Sua função é variada: a
localização dos fenômenos, sua distribuição no espaço, a visualização das relações
entre diversos fatos geográficos e as hierarquias que se estabelecem entre eles, por
exemplo.

Mapa demográfico do Brasil


http://www.guianet.com.br/brasil/demografia.gif

 Mapas gerais, especiais e estilizados:


Os mapas gerais apresentam assuntos de interesse geral, como os de regiões,
os de continentes e os planisférios.

24
Os mapas especiais destinam-se a determinados assuntos técnicos ou
profissionais. Por exemplo, os mapas econômicos, as cartas náuticas e as aéreas.
Os mapas estilizados não têm preocupação com a forma ou o tamanho dos
países, distorcendo as imagens de acordo com os elementos que se quer representar.
São muito usados por jornais e revistas.

Anamorfose
http://www.mmm.org.br/media/galerias/294_416/anamorfose_geografica.JPG

Como podemos notar, a nossa orientação e a localização no espaço geográfico


depende de alguns conceitos chave como latitudes, longitudes, coordenadas, direções
e etc. Além disso vimos que os mapas, que existem a mais tempo que a escrita, são
fundamentais para nossa colocação no espaço em que vivemos.
Então ficamos aqui com as aulas galera! Chegou a hora de partir para os
exercícios com tudo e se preparar para a avaliação. E ai? Vamos treinar?

25
Atividade 3

1. Encontre no texto uma definição para mapa?


_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
2. Qual a importância dos mapas e cartas?
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
3. Assinale com V a alternativa verdadeira e com F a falsa:
(___) A escala é uma relação entre o tamanho real do objeto ou espaço que se quer
representar e sua representação.
(___) A cartografia não trabalha com escala.
(___) A escala numérica tem a forma de fração, onde o numerador representa a
unidade de medida no mapa, e o denominador a indicação da medida real.
(___) A escala é o único elemento que um mapa deve apresentar.

26
Avaliação

1. Sobre a orientação no espaço geográfico, associe:


(A) Bússola
(B) GPS
(C) Sol
( ) os pontos de orientação, chamados pontos cardeais, foram determinados com
base na observação deste meio de orientação.
( ) instrumento de orientação semelhante a um relógio, possui uma agulha imantada
que sempre aponta para o norte.
( ) meio moderno de orientação, que permite localizar com precisão um objeto em
qualquer lugar da superfície da Terra.

2. Complete as lacunas com as palavras do quadro abaixo:

Meridianos -- Coordenada geográfica – Latitude – Paralelos -- Longitude

a) A distância em graus de qualquer ponto na superfície terrestre em relação à linha do


Equador denomina-se ___________________.
b) A distância em graus de qualquer ponto na superfície terrestre em relação ao
Meridiano de Greenwich denomina-se ___________________.
c) Os _________________ são linhas imaginárias verticais traçadas do polo Norte ao
polo Sul.
d) Os _________________ são linhas imaginárias horizontais que circulam o planeta.
e) O encontro ou cruzamento das linhas imaginárias determina uma
_________________________.

27
3. Como é denominada a escala de um mapa representada na forma: 1:20.000?
a)Gráfica
b)Distancial
c)Numérica
d)Altimétrica

4. (Fmtm) Esse sistema foi projetado para fornecer o posicionamento instantâneo e a


velocidade de um ponto na superfície terrestre ou próximo dela, através das
coordenadas geográficas. O apoio técnico ao sistema é dado por uma constelação de
24 satélites distribuídos por 6 órbitas em torno da Terra. Pode ser aplicado em vários
ramos de atividade, em que a localização geográfica é uma informação necessária. Foi
originalmente concebido para ser utilizado na navegação aérea, marítima e terrestre.
Tornou-se importante instrumento para a realização de levantamentos topográficos e
geodésicos, demarcação de fronteiras, unidades de conservação e de terras indígenas
e implantação de eixos rodoviários, além do monitoramento de caminhões de carga,
carros ou qualquer tipo de transporte. O texto refere-se ao processo de localização
por:
a) Aerofotogrametria.
b) ENSO.
c) Representação Cartográfica Tridimensional.
d) Sistema de Posicionamento Global – GPS.

28
5. Observe a ilustração a seguir e depois responda à questão:

 Tomando como referência o rio Pequeno, assinale a alternativa correta:

a. ( ) a represa esta localizada a leste do rio

b. ( ) a estação fica a oeste do rio

c. ( ) a sudoeste do rio fica a floresta

d. ( ) a vila está a nordeste do rio

29
Pesquisa

Caro aluno, agora que já estudamos todos os principais assuntos relativos ao 2°


bimestre, é hora de discutir um pouco sobre a importância deles na nossa vida. Então,
vamos lá?
Nas três aulas anteriores aprendemos sobre cartografia, orientação e
localização no espaço geográfico. Vimos os mapas podem sem decisivos nas nossas
vidas.
Então vamos lá! Chegou a hora de produzir o nosso próprio mapa. Com o
auxílio das nossas aulas você vai produzir o seu mapa. Descrevendo e detalhando o
caminho feito da sua casa até a nossa escola.
Não se esqueça dos detalhes:

 Os pontos de referência (aqueles lugares mais famosos do caminho).


 O caminho que você percorre.
 Os elementos também não podem faltar! Escala, título, símbolos e etc.

30
Referências

[1] BAKKER, M. P. R. Cartografia: noções básicas. [Rio de Janeiro]: Ministério da


Marinha - Diretoria de Hidrografia e Navegação, 1965.
[2] DUARTE, Paulo Araújo. Fundamentos da Cartografia. 2. ed. Florianópolis: Ed. da
UFSC, 2002
[3] FRANCISCHETT, Mafalda N. A Cartografia no ensino de Geografia: a aprendizagem
mediada. 2001. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Estadual Paulista Júlio
de Mesquita Filho, UNESP, Presidente Prudente-SP.
____________.A Cartografia no ensino-aprendizagem da Geografia. Disponível em:
http://www.bocc.ubi.pt/_esp/autor.php?codautor=793. Acesso em: 02 de agosto de
2013.
[4] http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/ - Acesso em: 02 de agosto de 2013.

31
Equipe de Elaboração

COORDENADORES DO PROJETO

Diretoria de Articulação Curricular


Adriana Tavares Maurício Lessa

Coordenação de Áreas do Conhecimento


Bianca Neuberger Leda
Raquel Costa da Silva Nascimento
Fabiano Farias de Souza
Peterson Soares da Silva
Ivete Silva de Oliveira
Marília Silva

PROFESSORES ELABORADORES
Alberto Toledo Resende
Elton Simões Gonçalves
Patrícia Batista Melo Lopes
Tiago da Silva Lyra
Tongaté Arnaud Mascarenhas Junior

32

Похожие интересы