Вы находитесь на странице: 1из 4

ATUALIDADES EM QUÍMICA

Romeu C. Rocha-Filho

O Prêmio Nobel de Química de 2003 foi outorgado ao descobridor dos canais de água e a um estudioso da
estrutura e mecanismos dos canais de íons. Este artigo relata, além de breves biografias dos dois laureados, o
que são esses canais nas paredes das células e discute a importância deles para processos subjacentes à vida.


Prêmio Nobel, canal de água, aquaporinas, canal de íons

Recebido em 7/11/03, aceito em 9/11/03

O
Prêmio Nobel de Química de abre a possibilidade de se desenvolver geral em resposta a um sinal extra- ou
2003 foi outorgado pela Aca- novos fármacos mais efetivos. intra-celular; neste momento entram
demia Real Sueca de Ciên- A parede celular, uma membrana em cena diferentes canais – vide Figura 9
cias por “descobertas relacionadas a composta por uma bicamada de lipí- 1. O transporte de uma espécie ao lon-
canais em membranas celulares”. deos, separa a célula de outras células go de um gradiente de concentração
Metade do prêmio foi outorgada ao e do meio extra-celular; as células tam- é mediado por proteínas canais na
químico e médico Peter Agre (Univ. bém contêm organelas envoltas em membrana, enquanto que o transporte
Johns Hopkins, em Baltimore, EUA) membranas, como o núcleo, a mito- contra um gradiente de concentração
“pela descoberta dos canais de água” côndria e o cloroplasto. Normalmente, é mediado por bombas na membrana
e a outra metade ao bioquímico e essas paredes são impermeáveis a tais como a ATPase Na+/K +, uma
médico Roderick MacKinnon (Univ. água, íons e outras moléculas polares, proteína descoberta em 1957 por Jens
Rockfeller, em Nova Iorque, EUA), “por mas, em muitos momentos, estas enti- Skou, que por isso recebeu o Prêmio
estudos estruturais e mecanísticos de dades têm que ser rapidamente trans- Nobel de Química de 1997 – vide
canais de íons”. portadas através das membranas, em Rocha-Filho (1997).
Todo ser vivo é feito de células. No
caso do corpo humano, elas são tantas
quantas as estrelas em uma galáxia:
cerca de cem bilhões. Nossas células
(musculares, renais e nervosas, por
exemplo) agem juntas em um com-
plexo e delicado sistema, cujo funcio-
namento envolve fantástica família de
engenhos moleculares, como os ca-
nais de água e os canais de íons. Co-
mo diversas doenças podem ser atri-
buídas ao funcionamento inadequado
Fundação Nobel - divulgação

dos canais de água e de íons, o co-


nhecimento na escala molecular de
como eles são e funcionam tem impor-
tantes consequências médicas, pois
A seção “Atualidades em Química” procura apresentar
assuntos que mostrem como a Química é uma ciência Figura 1: A parede celular não é uma casca totalmente impenetrável, sendo perfurada
viva, seja com relação a novas descobertas, seja no que por vários canais. Muitos deles são especialmente adaptados para íons ou moléculas
diz respeito à sempre necessária revisão de conceitos. específicas, não permitindo que outras espécies passem.

QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Canais de água e de íons N° 18, NOVEMBRO 2003


Canais de água: aquaporinas rou células que continham a proteína arquitetura dos canais (Figura 2) per-
em foco com células que não a conti- mite que somente moléculas de água
Os canais de água são cruciais
nham. Quando as células foram colo- passem em fila indiana, sendo que resí-
para a vida, sendo encontrados em to-
cadas em uma solução aquosa, duos positivamente carregados pre-
dos os organismos, de bactérias ao ho-
aquelas que tinham a proteína em suas sentes no canal repelem os íons H3O+.
mem. Eles permitem que as células
membranas absorveram água por os- Além disso, o campo eletrostático lo-
regulem seus volumes e a pressão os-
mose, inchando-se, enquanto que cal gerado pela proteína muda de pola-
mótica interna. Por outro lado, os
nada ocorreu com as células que não ridade no meio do canal, o que obriga
canais de água são fundamentais
tinham a proteína. O mesmo fenômeno as moléculas de água a fazerem uma
quando moléculas de água necessi-
foi observado quando a CHIP28 foi rotação de tal modo que seus dipolos
tam ser recuperadas de um fluido cor-
reconstituída em vesículas de lipídeos. ficam orientados em direções diferen-
poral, como ocorre quando a urina é
Além disso, em ambos os casos, o tes na parte inferior e na parte superior
concentrada nos rins. Nas plantas,
inchamento era inibido por íons Hg2+, do canal. Isso evita a formação de uma
esses canais são críticos para a absor-
um tratamento já conhecido para cadeia contínua de moléculas de água
ção de água nas raízes e para a manu-
bloquear o transporte de água através conectadas por pontes de hidrogênio,
tenção do balanço de água por toda a
da membrana de glóbulos vermelhos. desse modo bloqueando a passagem
planta.
A descoberta da CHIP28 foi um de prótons via o mecanismo de “salto
Descoberta momento decisivo no estudo de canais de prótons” (conhecido como meca-
A existência de canais mediando o de água celulares. Muitas proteínas ca- nismo de Grotthuss).
fluxo de água e pequenos solutos atra- nais de água foram encontradas desde
então em todo o mundo vivo; por Canais de íons
vés de tecidos biológicos como a pare-
de da bexiga urinária ou mesmo atra- sugestão de Agre, elas são conhecidas Em 1890, um dos pioneiros da Físi-
vés da membrana de células indivi- como aquaporinas (poros d’água), co-Química, o alemão Wilhelm Ostwald
duais foi postulada desde a década de sendo que a CHIP28 é a aquaporina-1 (laureado com o Prêmio Nobel de
40 do século 19. Em 1957, descobriu- (AQP1). No ser humano, existem pelo 1909), baseado em experimentos com
10 se que moléculas de água são rapida- menos 11 aquaporinas diferentes; em membranas coloidais artificialmente
mente transportadas através da mem- plantas, o número é bem maior, sendo preparadas, propôs que os sinais elé-
brana celular do glóbulo vermelho via que só na planta modelo Arabidopsis tricos em tecidos vivos poderiam ser
canais seletivos a água, que excluíam thaliana mais de 35 versões diferentes causados pelo movimento de íons
íons e outros solutos. Estudos nos pró- já foram encontradas. através da membrana celular. A idéia
ximos 30 anos sobre transporte de de que os potenciais de membrana
Como funcionam eram eletroquímicos passou a ser acei-
água em vários organismos e tecidos
sugeriram que os canais de água têm Em 2000 e 2001, Agre e outras equi- ta nas décadas seguintes e, em 1925,
um estreito filtro de seletividade que pes de pesquisa relataram as primeiras foi proposta a existência de estreitos
impede o fluxo de prótons (H3O+) en- imagens de alta resolução da estrutura canais de íons. Nos anos 1950, dois
quanto mantém uma taxa muito alta de tridimensional da AQP1. Com esses cientistas ingleses, Alan Hodgkin e
permeação para H2O (até mais de um dados, foi possível
bilhão de moléculas por segundo!). estabelecer mode-
Entretanto, até 1988 ninguém tinha sido los detalhados pa-
capaz de identificar uma proteína ca- ra explicar algumas
nal de água e o próprio conceito de de suas caracterís-
canais específicos de água ainda era ticas: alta taxa de
controverso. permeação, estrita
Em meados dos anos 1980, Agre seletividade à água
e seu grupo estudavam várias proteí- e a habilidade de
nas de membranas das células de gló- evitar vazamento
bulos vermelhos. Em 1988, eles isola- de prótons. Esta úl-
ram uma proteína de massa molecu- tima propriedade é
Fundação Nobel - divulgação

lar 28 ku (então denominada de crucial porque a di-


CHIP28), também encontrada no rim, ferença de concen-
com função desconhecida. Após a de- tração hidrogeniô-
terminação de sua seqüência peptídica nica entre o interior
e a correspondente seqüência de DNA, e o exterior da cé-
se deram conta que a proteína CHIP28 lula é a base para
deveria ser aquilo que tantos procu- o sistema celular Figura 2: Passagem de moléculas de água através da
ravam: o canal de água celular. Agre de armazenamento aquaporina AQP1. Devido à carga positiva no centro do canal,
testou esta hipótese por meio de um de energia. íons carregados positivamente como o H3O+ são defletidos.
experimento simples, no qual compa- Em resumo, a Isto evita o vazamento de prótons pelo canal.

QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Canais de água e de íons N° 18, NOVEMBRO 2003


Andrew Huxley, lideraram o surgimento se livra durante a
da era moderna da Neurofisiologia ao entrada no canal.
mostrar como os sinais elétricos eram Em meados da
transmitidos ao longo de tecidos nervo- década de 90, ficou
sos: propuseram um modelo baseado claro que canais de
na idéia de que canais separados de íons K+ e Na+ ti-
íons Na + e K + (e às vezes Ca 2+), nham filtro de seleti-
presentes na membrana, com portões vidade próximo à
controlados por voltagem, produzem ponta extra-celular e
um sinal elétrico que é carregado de um portão sepa-

Fundação Nobel - divulgação


célula nervosa em célula nervosa de rado próximo à sua
modo análogo a um bastão em corri- ponta intra-celular.
das de passagem de bastão. Por seu Tinha-se então
trabalho desbravador, Hodgkin e consciência que
Huxley receberam o Prêmio Nobel de avanços rumo a
Fisiologia ou Medicina, em 1963. Além uma melhor visão
disso, na época também foi demons- molecular só seriam
trado que os íons K + se moviam possível via a cris- Figura 3: O canal de íons permite a passagem de íons K+ mas
através da membrana em fila indiana, talografia de raios X, não de íons Na+. Os átomos de oxigênio do filtro de íons formam
fortalecendo ainda mais a idéia de mas não era fácil um ambiente muito similar ao ambiente de água fora do filtro. A
estruturas de canais inseridas na mem- determinar estrutura célula também pode controlar a abertura e fechamento do canal.
brana celular. de proteínas com este método. non conseguiu mostrar que efetiva-
Portanto, há mais de 50 anos já se Muitos tentaram, mas esse desafio mente a distância entre os átomos de
tinha conhecimento bastante avança- foi surpreendentemente vencido por oxigênio do filtro na proteína e o íon K+
do das características fundamentais um pesquisador que se voltara ao é igual à entre este íon e os átomos de
dos canais de íons: capacidade de problema poucos anos antes: Roderick oxigênio das moléculas de água que
11
admitir um tipo de íon seletivamente (e MacKinnon. Após estudar Bioquímica, o rodeiam em solução; por isso ela é
não outro), possibilidade de se abrir e ele se interessou pela Medicina, tirou seletiva a íons K+, pois os íons Na+,
se fechar (portões controlados por seu título de doutor e militou na área menores, não consegue passar por
voltagem), e às vezes conduzir íons em por alguns anos; como passou a se não se ajustarem adequadamente en-
uma única direção. Todavia, continuava interessar cada vez mais por canais de tre os átomos de oxigênio no filtro, per-
sendo um mistério como este maqui- íons, começou a pesquisar na área. Ra- manecendo em solução (Figura 4).
nário molecular funcionava. pidamente se deu conta da necessi- A célula também deve ser capaz
dade de se obter estruturas melhores de abrir e fechar o canal. MacKinnon
Rumo à visão molecular e de alta resolução
Durante os anos 1970 mostrou-se para que avanços

Fundação Nobel - divulgação


que a seletividade dos canais de íons efetivos fossem
decorria deles terem um tipo de “filtro conseguidos; as-
iônico” ou filtro de seletividade. Tam- sim, decidiu apren-
bém ficou claro que este filtro era um der os fundamen-
elemento estruturalmente separado do tos da cristalografia
portão. Posteriormente, com o desen- de raios X. Poucos
volvimento da capacidade de fazer re- anos depois, em
gistros de um único canal associada à abril de 1998, ele
possibilidade de clonar, causar muta- deixou atônita a co-
ções e expressar proteínas canais de munidade científica
íons em células como os oócitos de ao relatar a primeira
Xenopus, houve rápido progresso no estrutura de alta re-
mapeamento das diferentes regiões solução do canal
funcionais dos canais de íons. Consi- de íons K+ (conhe-
derando a diferença de raio iônico en- cido como KcsA)
tre os íons K+ e Na+, foi lançada a da bactéria Strepto-
hipótese de que a seletividade para myces lividans.
Figura 4: A - fora da membrana celular, os íons estão ligados a
íons K+ era decorrente de átomos de Estava revelado
moléculas de água com certas distâncias aos átomos de oxi-
oxigênio na proteína fazerem o papel como um canal de
gênio da água. B - dentro do filtro de íons, para os íons K+ a
de “substitutos” das moléculas de íons funciona na distância aos átomos de oxigênio no filtro é a mesma ou igual à
água de hidratação que cercam o íon escala atômica em água. Os íons Na+, menores, não se ajustam aos átomos de
K+ em solução aquosa e das quais ele (Figura 3). MacKin- oxigênio no filtro, o que os impede de entrar no canal.

QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Canais de água e de íons N° 18, NOVEMBRO 2003


cloreto) e a absorção de água nas
Os premiados raízes das plantas.
Peter Agre - Nasceu em 1949, em Northfield, Minne- Quaisquer distúrbios nas funções
sota (MN), nos EUA. Bacharel em Química (1970) pelo desses canais podem levar a doenças
Univ. Johns Hopkins - divulgação

Augsburg College (Minneápolis – MN), doutorou-se em sérias. No caso dos canais de água
Medicina (1974) pela Univ. Johns Hopkins, em Baltimore, nos rins, seu funcionamento é estimu-
Maryland, EUA. Após períodos de residência médica lado pelo hormônio antidiurético vaso-
(na Univ. Case Western Reserve) e estágio de pós- pressina; pessoas com deficiência
doutoramento (na Univ. da Carolina do Norte em Chapel deste hormônio podem sofrer da doen-
Hill), foi pesquisador na iniciativa privada por um ano ça diabetes insípida, que causa a
(Labs. Wellcome, em Research Triangle Park, na Carolina do Norte) e na Univ. produção de 10-15 L de urina por dia.
Johns Hopkins por três anos (1981-1984). A partir de 1984, entrou na carreira A baixa resistência de muitas pessoas
docente na Escola de Medicina da Univ. Johns Hopkins, na qual é professor a altas temperaturas (responsável pelo
titular no Departamento de Química Biológica desde 1993. Detém duas patentes elevado número de mortes durante on-
(uma sobre a aquaporina-1 e outra sobre a aquaporina-5) e é autor de quase das de calor exacerbado) também pa-
duas centenas de publicações acadêmicas, incluindo-se capítulos de livros e 3 rece estar relacionada a funcionamento
livros. Recebeu diversos prêmios e homenagens por seu trabalho com inadequado de aquaporinas. Por outro
aquaporinas. Anualmente tem proferido um número significativo de palestras lado, deficiência no funcionamento dos
em congressos científicos pelo mundo afora; no Brasil, esteve em 2000 em canais de potássio pode levar a doen-
congressos em Campinas e Caxambu, tendo retornado após o anúncio do ças cardíacas.
Prêmio Nobel para participar de congresso no Rio de Janeiro, na 2ª quinzena Portanto, contribuições, como as
de outubro de 2003. Desde 2000, é membro da Academia Nacional de Ciências de Agre e MacKinnon, para o entendi-
dos EUA; em 2003, foi eleito para a Academia Americana de Artes e Ciências. mento em escala molecular do funcio-
namento desses canais permitirão que
Roderick MacKinnon - Nasceu em 1956, no estado de novos remédios sejam engendrados
Massachussets (MA), EUA, tendo crescido em Bur- para o tratamento das diferentes doen-
12
lington, nos arredores de Boston. Bacharel em Bioquí- ças a eles associadas.
mica (1978) pela Univ. Brandeis (Boston – MA), douto-
rou-se em Medicina (1982) pela Univ. Tufts, também em Romeu C. Rocha-Filho (romeu@dq.ufscar.br), licen-
ciado em Química pela Universidade Federal de São
Boston. Em 1986 retornou à Univ. Brandeis para reali-
Carlos (UFSCar), mestre em Físico-Química e doutor
zação de estágio de pós-doutoramento no laboratório em Ciências (Físico-Química) pela USP, é docente do
©2003 Robert Rathe, para o Instituto
Médico Howard Hughes de seu orientador de graduação, onde começou a Dep. de Química da UFSCar, em São Carlos - SP.
trabalhar sobre aspectos biofísicos do funcionamento de canais de íons, mais
especificamente da proteína seletiva de íons potássio. Continuou este tipo de Referências bibliográficas
estudos após ingressar no corpo docente da Escola de Medicina de Harvard, ROCHA-FILHO, R.C. Prêmio Nobel
em 1989, onde é professor titular. Em 1996, transferiu-se, como professor titu- 97 e a decisão sobre os nomes dos
lar, para a Univ. Rockfeller, em Nova Iorque; desde 1997 é pesquisador do elementos químicos. Química Nova na
Instituto Médico Howard Hughes. Recebeu diversos prêmios e homenagens Escola, n. 6, p. 13-14, 1997.
por seu trabalho com canais de íons. Desde 2000, é membro da Academia
Para saber mais
Nacional de Ciências dos EUA.
AGRE, P. e KOZONO, D. Aquaporin
mostrou que isso ocorre por meio de water channels: molecular mecha-
Considerações finais
nisms for human diseases. FEBS Let-
um portão situado no fundo do canal,
ters, 2003 (disponível em: http://
que se abre ou fecha em resposta a Os canais de membranas permi- www.elsevier.nl/febs/14/241/article.
um sensor molecular próximo a ele. tem o transporte rápido, seletivo e re- html - acessado em 8/11/03).
Este sensor pode reagir a um sinal, por gulado de água, íons e pequenos solu- MACKINNON, R. Potassium chan-
exemplo à aproximação de alguma tos através das membranas biológicas. nels. FEBS Letters, 2003 (disponível
molécula, ao aumento na concentração Presentes em todas as células vivas, em: http://www.elsevier.nl/febs/14/196/
de íons cálcio ou mesmo a uma volta- estão subjacentes a funções celulares article.html - acessado em 8/11/03).
gem na membrana da célula. Com a críticas como os sinais nervosos, as Na internet:
possibilidade de ter diferentes sensores contrações musculares, a função car-
Museu Nobel Eletrônico da
em canais de íons, a Natureza criou díaca, a reabsorção de água nos rins
Fundação Nobel: http://www.nobel.se/
canais que respondem a um grande (150-200 L por dia, com concomitante chemistry/laureates/2003
número de estímulos diferentes. reabsorção de íons sódio, potássio e

Abstract: Nobel 2003. Water and Ion Channels: Life Processes at the Molecular Level – The 2003 Nobel Prize in Chemistry was awarded to the discoverer of water channels and to a studious
researcher of the structure and mechanisms of ion channels. This article presents, besides brief biographies of the two laureates, what are these channels in cell walls and discusses their importance
for processes underlying life.
Keywords: Nobel prize, water channel, aquaporins, ion channel

QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Canais de água e de íons N° 18, NOVEMBRO 2003