Вы находитесь на странице: 1из 11

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS


DEPARTAMENTO DE FÍSICA

PRINCÍPIO DE ARQUIMEDES

MANAUS – AM
2017
DANIEL PEREIRA DOS SANTOS
JULIANO GEMMA MENEZES
LHISA BEATRIZ PINHEIRO FERREIRA
LUCAS RENIÊR FREITAS DOS ANJOS
REBECA ARAÚJO RIBEIRO

PRINCÍPIO DE ARQUIMEDES

CURSO: FÍSICA BACHARELADO TURMA: FB01


PERÍODO: 2º TURNO: DIURNO
DISCIPLINA: LABORATÓRIO DE FÍSICA II
PROFESSORA: IÇAMIRA

MANAUS – AM
2017
1. INTRODUÇÃO

Os fluidos desempenham papel vital em muitos aspectos de nossa vida cotidiana.


Nósbebemos, respiramos e nadamos em fluidos. Eles circulam em nosso corpo e
sãoresponsáveis pelo clima. Os aviões voam através deles; os navios flutuam sobre
eles. (YOUNG; FREEDMAN, 2008)

A física dos fluidos é a base da engenharia hidráulica, um ramo da engenharia com


muitasaplicações práticas. Um engenheiro nuclear pode estudar a vazão da água nas
tubulaçõesde um reator nuclear após alguns anos de uso, enquanto um
bioengenheiro pode estudar ofluxo de sangue nas artérias de um paciente idoso. Um
engenheiro ambiental pode estarpreocupado com a contaminação nas vizinhanças de
um depósito de lixo ou com aeficiência de um sistema de irrigação. Um engenheiro
naval pode estar interessadoem investigar os riscos de operação de um batiscafo.
Um engenheiro aeronáutico podeprojetar o sistema de controle dos flaps que ajudam
um avião a pousar.

A engenharia hidráulica é usada também em muitos espetáculos da Broadway e de


Las Vegas, nos quaisenormes cenários são rapidamente montados e desmontados
por sistemas hidráulicos.(HALLIDAY; RESNICK; WALKER, 2016)

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

De acordo com o princípio de Arquimedes:

“Quando um corpo está total ou parcialmente submerso em


um fluido, uma força de empuxo F E exercida pelo fluido age
sobre corpo. A força é dirigida para cima e tem módulo igual
ao peso m f g do fluido deslocado pelo corpo”.

De acordo com o princípio de Arquimedes, o módulo da força de empuxo é dado


por

FE = mf∙g

Em que mf é a massa do fluido deslocado pelo corpo.

Quando colocamos uma pedra em uma balança calibrada para medir pesos, a leitura
dabalança é o peso da pedra. Quando, porém, repetimos a experiência dentro d'água,
a forçade empuxo a que a pedra é submetida diminui a leitura da balança. A leitura
passa a ser,portanto, um peso aparente. O peso aparente de um corpo está
relacionado ao peso real e a força de empuxo por meio da equação

Pap = P - F E

(HALLIDAY; RESNICK; WALKER, 2016)

3. OBJETIVOS

3.1.OBJETIVO GERAL

Estudo do princípio de Arquimedes e determinação da densidade de sólidos e


líquidos.

3.2.OBJETIVOS ESPECIFICOS
 Calcular a densidade da água através do empuxo dos sólidos
 Obter gráficos relacionando o período das oscilações com o comprimento do
fio e o ângulo utilizado;
 Determinar através dos gráficos obtidos, a aceleração de queda livre.

4. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

4.1.MATERIAIS
 1 recipiente com abertura  1 cilindro de ferro
lateral (Kitassato)  1 barra de ferro (Fe)
 1 proveta graduada  1 barra de alumínio (Al)
 1 Becker;  1 haste metálica
 1 dinamômetro graduado em N  Ganchos e presilhas

4.2.PARTE 1: Validar o princípio do empuxo realizado sobre um cilindro de Fe.


4.2.1. METODOLOGIA

Figura 1–a) montagem para medir o peso aparente dos objetos; b) montagem para medir a água transbordada.

1. Usou-se o dinamômetro para determinar o peso real do cilindro de Fe e seu peso


aparente quando totalmente imerso em água, conforme indicado na Fig.1(a).
2. Colocou-se o cilindro de Fe em um Kitassato, incialmente cheio de água.
Recolheu-se a água que transbordou conforme Fig.1(b) e determinou-se o peso.

4.3.PARTE2:
4.3.1. OBJETIVOS

Determinar a densidade da água através do volume deslocado e peso aparente do Fe


e Al.

4.3.2. METODOLOGIA
1. Usou-se o dinamômetro para determinar os pesos real das barras de Fe e de Al e
seus respectivos pesos aparente quando totalmente imerso em água.
2. Introduziu-se a barra de Fe em uma proveta graduada contendo 80ml de água,
determinou-se a leitura no dinamômetro quando liquido é deslocado 2, 4, 6, 8,
10 e 12ml.
3. Repetiu-se o procedimento anterior com a barra de Al.

5. RESULTADOS E DISCUSSÃO

5.1. PARTE 1

1. Através dos dados obtidos, calculou-se o Peso da água transbordada.

 Massa do cilindro: 92,7g ± 0,1g


 Massa do Becker: 99,8g ± 0,1g
 Massa da água transbordada: 12g ± 0,1g

𝑚
PH₂O = 1,2 x 10-2 Kg ∙ 9,8 → PH₂O = 0,1176N ≅ 0,12N
𝑠²

2. Construiu-se uma tabela contendo os resultados encontrados, peso real e aparente


do cilindro de Fe bem como o peso da água transbordada. Conforme tabela 1
apresentada abaixo:

Tabela 1–Peso real e Peso Aparente


Peso (N) ± erro
REAL DO CILINDRO DE Fe 0,92 ± 0,05
APARENTE DO CILINDRO DE Fe 0,80 ± 0,05
ÁGUA TRANSBORDADA 0,12 ± 0,05

3. Calculou-se o empuxo e comparou-se com o peso da água transbordado.


E = Peso Real (Fe) – Peso Aparente (Fe)
E = 0,92N – 0,80N
E = 0,12N

Calculando o Empuxo obtemos 0,12N e o Peso da água transbordada foi


aproximadamente 0,12N.
5.2. EXPERIMENTO 2

1. Construiu-se uma tabela contendo os resultados encontrados, volume


deslocado e peso aparente da barra de Fe, e a de Al. Conforme tabela 2
apresentada abaixo:

Tabela 2 - Volume Deslocado x Peso Aparente

Volume Peso Aparente (N) Empuxo (N)


Deslocado
(m³x10ˉ6)
Fe Al Fe Al
2 0,89 0,3 0,01 0,02
4 0,87 0,28 0,03 0,04
6 0,85 0,26 0,05 0,06
8 0,82 0,24 0,08 0,08
10 0,8 0,22 0,1 0,1
12 0,79 0,21 0,11 0,11

Peso Real da barra de Fe: 0,90N Peso Real da barra de Al: 0,32N

A partir dos dados, Volume deslocado e Empuxo, obtidos na tabela 2 construiu-


se o gráfico para o Fe e o Al, apresentados nas Fig. 2 e Fig. 3.

Figura 2 - Gráfico 1: Volume Deslocado x Empuxo (Fe).


Figura 3 - Gráfico 2: Volume Deslocado x Empuxo (Al).

Através dos gráficos 1 e 2 pôde-se obter o valor da densidade do fluído.


Utilizando a equação do Empuxo:

E = ρH₂O ∙ Vdesl. ∙ g (1)

Onde:

E = Empuxo (N)
𝑘𝑔
ρ = densidade do fluido (𝑚³ )

Vdesl.= Volume deslocado (m3 )


𝑚
g = gravidade (𝑠² )

Vale ressaltar que, nosso objetivo nesta parte do experimento é encontrar o valor
da densidade do fluído (ρ). Então a partir da Equação (1), isolamos o empuxo e o
volume deslocado e obtivemos a seguinte equação:

𝐸
= 𝑔 ∙ 𝜌𝐻₂𝑂 (2)
𝑉𝑑𝑒𝑠𝑙
𝐸
Observando os dados apresentados no gráfico, pode-se observar que está
𝑉𝑑𝑒𝑠𝑙
apresentado nos gráficos como tgƟ.
Sendo assim, substituindo e aplicando a relação com a tgƟ (valor obtido no
gráfico), teremos:
tgƟ
tgƟ = 𝑔 ∙ 𝜌𝐻₂𝑂 (3) → 𝜌𝐻₂𝑂 = (4)
𝑔

Aplicando a equação (4) nos dados apresentados no gráfico 1 (Fig. 2),


encontrou-se:
𝑘𝑔 ∙ 𝑚⁴
10571 ,43 𝒌𝒈
𝜌𝐻₂𝑂 = 𝑚
𝑠²
→ 𝝆𝑯₂𝑶 = 𝟏𝟎𝟕𝟖,𝟔𝟕
9,8 𝒎³
𝑠²

Aplicando a equação (4) nos dados apresentados no gráfico 2 (Fig. 3), obteve-se:
𝑘𝑔 ∙ 𝑚⁴
9285 ,71 𝒌𝒈
𝜌𝐻₂𝑂 = 9,8
𝑚
𝑠²
→ 𝝆𝑯₂𝑶 = 𝟗𝟒𝟕, 𝟓𝟐 𝒎³
𝑠²

Comparou-se os resultados obtidos com o valor padronizado para densidade do


líquido, que neste experimento foi a água, apresentado na tabela 3 a seguir.

ρ ρ ρ
(padrão) (gráfico Fe) (gráfico Al)
𝑘𝑔 𝑘𝑔 𝑘𝑔
1000 1078,67 947,52
𝑚³ 𝑚³ 𝑚³

Logo, calculando-se a variação (%) entre o valor obtido experimentalmente e o


padronizado, obtemos:

1087 ,67−1000
%(gráfico Fe) = ( ) 𝑥 100 ≅ 7,87
1000

1000 −947 ,52


%(gráfico Al) = ( ) 𝑥 100 ≅ 5,54
947,52
6. CONCLUSÕES
Os fluidos possuem uma propriedade observada nos experimentos cujo empuxo
depende apenas da densidade do material imerso. O corpo imerso pode ser
substituído por um volume igual ao do fluído que deslocou, sendo assim a força de
empuxo atuando sobre a amostra do fluido é idêntica à força de empuxo que atuava
sobre o corpo.

Pois, o fluido que envolve a amostra e o que envolvia o corpo possuem mesma
configuração. Se considerarmos qualquer porção de um fluído estático como nossa
amostra, com um formato irregular, existirá uma força de empuxo exercida sobre ela
pelo fluído do entorno que equilibrará exatamente o seu peso, logo, a forma
geométrica não influencia no empuxo exercido pelo fluído.

O peso da água deslocada e transbordada possui uma relação com a aparente perda
de peso do objeto que a deslocou. Tal peso aparente é devido a força de empuxo
exercida pelo fluido, como observado nos resultados do experimento 1 (5.1 PARTE
1), o valor do peso da massa transbordada é aproximadamente igual ao valor obtido
para o empuxo na relação E = Preal - Paparente cujo resultado fora E = 0,12N e o peso
do fluído deslocado demonstrado foi Ph2 O ≅ 0,12N, logo a intensidade do empuxo é
igual ao peso dessa massa deslocada: E = mf ∙ g = ρf ∙ Vf ∙ g.

Os objetos utilizados para imersão foram um cilindro (experimento 1) e uma barra


(experimento 2) ambos de ferro e densidade 7,68g/cm3 , bem como uma barra de
alumínio com densidade de 2,7g/cm3 . Logo, ambos são aproximadamente e
respectivamente 8 e 3 vezes mais densos que a água.

Ao fim de lograr o objetivo proposto no início deste relatório, comparou-se o valor


da densidade do fluído obtido experimentalmente com o valor padronizado e
𝑘𝑔
observou-se que no gráfico 1 (Fig. 2) a densidade encontrada foi 1078,67 que por
𝑚³
𝑘𝑔
sua vez possui uma variação de 7,87% em relação ao padrão que é ρ =1000 .
𝑚³

𝑘𝑔
Em relação ao Al, gráfico 2 (Fig. 3), a densidade obtida experimentalmente foi 947,52 , ou
𝑚³

seja, uma variação de 5,54%.


7. REFERÊNCIAS

HALLIDAY, David; RESNICK, Robert; WALKER, Jearl. Fundamentos de física:


Gravitação,Ondas e Termodinâmica. 10ª ed. Rio de Janeiro, RJ: LTC, 2016. 60, 68,
69, 70 p.

YOUNG, Hugh D.; FREEDMAN, Roger A. Física 2: Termodinâmica e Ondas. 12ª


ed. SãoPaulo: Pearson, 2008. 72 p.

Похожие интересы