Вы находитесь на странице: 1из 10

REPUBLICA DE ANGOLA

MINISTÉRIO DO INTERIOR
SERVIÇO DE MIGRAÇÃO E ESTRANGEIROS
ESCOLA NACIONAL DE MIGRAÇÃO

DEPARTAMENTO DO CORPO DE ALUNOS

PROGRAMA DE ACÇÃO DO DCA

LUANDA, ANGOLA -2018


I- INTRODUÇÃO
O presente manual tem como finalidade apresentar a estrutura e
competências do Departamento do Corpo de Alunos da Escola Nacional de
Migração.

II- MISSÃO E CONSTITUIÇÃO DO DCA


1. O Departamento do Corpo de Alunos (DCA) tem por missão o
enquadramento dos alunos dos cursos de formação de oficiais, subchefes e
agentes de migração, o planeamento, a programação, a execução e o controlo
da formação militar, comportamental e física e das actividades militares, em
coordenação com a formação académica, científica e técnica.
2. No âmbito geral da sua missão cabe ainda ao DCA o enquadramento militar
e administrativo dos alunos que frequentem outros cursos ou estágios de
qualificação, de aperfeiçoamento, de reciclagem ou de especialização.
3. O Departamento do Corpo de Alunos compreende os seguintes órgãos:
a) Gabinete do Comandante do DCA;
b) Secção de Programação e Estudos Técnicos (SPET);
c) Batalhão de Instrução Militar (BIM);
d) Secção de Segurança Interna (SSI);
e) Secção de Educação Patriótica (SEP);
f) Secretaria do DCA.

a) Comandante do Corpo de Alunos

Iº- Nomeação e exoneração


1- O Comandante do DCA, deve ter a categoria de Superintendente de
Migração Chefe, sendo nomeado e exonerado pelo Director Geral do Serviço de
Migração e Estrangeiros, mediante proposta do Director da Escola Nacional de
Migração.
2- O Comandante do DCA é directamente responsável perante o Director da
Escola pelo cumprimento da missão atribuída ao DCA.
IIº- Competências
Além das competências inerentes às funções de comando definidas nos
regulamentos militares e das que o Director da Escola entender nele delegar, ao
Comandante do DCA compete, em especial:
a) comandar e dirigir os órgãos e serviços do DCA;
b) informar o Director da Escola do desenvolvimento das atividades do DCA e
do estado de disciplina dos alunos;
c) propor ao Director da Escola a convocatória do Conselho Disciplinar;
d) tomar parte nos Órgãos de Conselho e nos Conselhos de Curso;
e) planear, superintender e controlar as atividades de formação do DCA;
f) promover acções de formação para o desenvolvimento e aperfeiçoamento das
qualidades militares dos alunos;
g) apresentar propostas ao Conselho Pedagógico, acompanhadas
de estudos, projectos ou relatórios das secções do DCA;
h) propor ao Director da Escola a nomeação dos Comandantes das Companhias
de Alunos, dos chefes das Secções e dos Oficiais instrutores;
i) organizar as cerimónias militares em que tome parte o DCA;
j) exercer a competência disciplinar escolar que lhe é atribuída pelo regime
disciplinar escolar e pelo Regulamento de Disciplina do SME;
k) estudar os assuntos respeitantes a pessoal, alimentação, fardamento,
alojamentos, instalações, equipamentos e material escolar militar e propor
soluções e medidas para resolução de dificuldades ou deficiências;
l) orientar os órgãos e serviços à sua responsabilidade, no sentido de obter a
melhor conjugação de esforços e aproveitamento dos recursos humanos e
materiais existentes;
m) garantir a disciplina e o cumprimento das determinações do comando, tendo
em vista a formação militar e comportamental dos alunos;
n) propor superiormente as actualizações e reajustamentos que entender
adequados na organização e funcionamento interno das secções do DCA e na
programação das diversas disciplinas à sua responsabilidade, ouvidos os chefes
das respetivas secções;
o) propor superiormente as medidas que entender convenientes para melhorar
o funcionamento dos serviços de apoio às actividades dos alunos;
p) elaborar e propor o plano anual de actividades circum-escolares dos alunos
da escola, coordenando com restantes departamentos da mesma os aspectos
relativos ao apoio logístico necessário às actividades complementares de índole
cultural a incluir no referido plano;
q) propor ao Director da Escola a nomeação dos representantes dos alunos que
integram o Conselho Pedagógico;
r) o Comandante do Corpo de Alunos tem competência para aplicar as sanções
de repreensão escolar, repreensão escolar agravada e proibição de saída até
quinze dias.

b) Secção de Programação e Estudos Técnicos (SPET)

Iº- Estrutura
A SPET, integrada no DCA, tem como atribuições preparar, coordenar e
executar os programas de formação militar, cívica, defesa pessoal e de
educação física aprovados, tendo em vista o desenvolvimento das aptidões
militares, de comando, de chefia e humanas dos alunos.
O chefe da SPET, deve ter a categoria de Superintendente de Migração,
sendo nomeado e exonerado pelo Director Geral do SME, mediante proposta do
Comandante do DCA.

IIº- Competências
Ao chefe da SPET compete, em especial:
a) coadjuvar o Comandante do DCA nas actividades do departamento;
e) promover a publicação dos planos de formação e dos programas das
disciplinas, antes do início de cada ano lectivo;
a) apoiar a ação de comando, mediante a elaboração de estudos e planos;
b) programar, coordenar e orientar o ensino das matérias curriculares e das
actividades de formação do DCA;
j) programar a realização de palestras e conferências;
b) garantir, em coordenação com outras secções, a elaboração e aprovação dos
programas das disciplinas;
f) apresentar relatórios sobre a actividade do departamento e o aproveitamento
dos alunos;
c) coordenar a elaboração dos programas de formação militar e de educação
física e desportos;
d) dar cumprimento aos programas da formação geral militar e de educação
física e desportos;
e) efectuar estudos com vista à contínua actualização dos programas de
formação;
h) elaborar o programa anual de actividades circum-escolares;
i) acompanhar a evolução dos programas de formação relactivos aos tirocínios;
c) Batalhão de Instrução Militar (BIM)

Iº- Estrutura
O Batalhão de Instrução Militar, integrado no DCA, tem como atribuições a
formação comportamental consubstanciada numa sólida educação militar, moral
e cívica, tendo em vista desenvolver nos alunos os atributos de carácter, sentido
do dever, honra e lealdade, culto da ordem e da disciplina e as qualidades de
comando e chefia inerentes à condição militar;
O Comandante do BIM, deve ter a categoria de Superintendente de Migração,
sendo nomeado e exonerado pelo Director Geral do SME, mediante proposta do
Director Geral da Escola Nacional de Migração.

O BIM compreende as seguintes cátedras:

• Cátedra de Ordem Unida (COU);


• Cátedra de Armamento e Tiro (CAT);
• Cátedra de Continências e Honras Militares (CCHM);
• Cátedra de Técnicas de Intervenção Policial (CTIP);
• Cátedra de Preparação Física e Defesa Pessoal (CPFDP);
• Cátedra de Tácticas e Técnicas de Combate (TTC).

Os Chefes de Cátedras, devem ter a categoria de Intendente de Migração,


sendo nomeados e exonerados pelo Director do SME, mediante proposta do
Comandante do DCA.
Dentro do BIM também estão as companhias, que são chefiadas por um
comandante graduado, indicado pelo Comandante do DCA.

IIº- Competências
1. Ao Comandante do BIM compete, em especial:
a) coadjuvar o Comandante do DCA nas actividades do departamento;
b) comandar o Batalhão de Alunos;
c) fazer cumprir as ordens e directivas recebidas do Comandante do DCA;
d) orientar e acompanhar a educação e a formação militar e comportamental dos
alunos;
e) estabelecer contactos frequentes com os coordenadores de curso para obter
informação que conduza à elaboração de propostas visando o aperfeiçoamento
das acções de formação militar e cívica;
f) exercer a competência disciplinar escolar que lhes é atribuída pelo regime
disciplinar escolar e pelo regime disciplinar do SME;
g) controlar a execução da acção de formação militar, durante o curso na Escola
Nacional de Migração;
h) efectuar o controlo de execução pós acção da formação militar durante a
permanência do aluno na Escola Nacional de Migração;
i) promover a readaptação dos currículos de formação militar de acordo com as
necessidades demonstradas;
j) propor a realização de visitas de estudo, palestras ou conferências integradas
no âmbito dos programas, que possibilitem uma constante actualização,
valorização e validação da formação ministrada e possibilitem complementar o
ensino teórico ou prático;
k) apresentar propostas de obtenção de recursos necessários à formação;
l) apresentar relatórios sobre as actividades de formação e aproveitamento dos
alunos;
m) dirigir e coordenar as actividades dos instrutores, militares e civis, das
disciplinas e actividades das secções, tendo em vista o cumprimento dos
programas e calendários fixados;
n) orientar a elaboração de meios de apoio à formação militar e física e propor a
aquisição de publicações e de outros meios necessários;
o) organizar e manter actualizada a doutrina em vigor nos órgãos de defesa e
segurança;
o) assegurar a validação, interna, da formação militar dos alunos;
p) acompanhar o desempenho dos alunos e manter actualizada a informação
referente à formação militar ministrada;
q) propor ao Comandante do DCA o recrutamento de instrutores militares quando
necessário.
r) o Comandante do Batalhão de Alunos tem competência para aplicar as
sanções de repreensão escolar, repreensão escolar agravada e proibição de
saída até dez dias.

2. Os Chefes de Cátedras, compete-lhes em especial:


a) comandar as Companhias de Alunos;
b) ministrar formação militar e comportamental;
c) desenvolver nos alunos o espírito de disciplina e de corpo e cuidar da sua
preparação para as funções de comando e chefia;
d) zelar pela apresentação e atavio dos alunos;
e) Transmitir, através da cadeia hierárquica, as pretensões e petições dos
alunos, informando-as nos termos estabelecidos;
f) controlar a utilização pelos alunos das instalações, mobiliário, equipamentos e
material e determinar responsabilidades pelo uso indevido, deficiente ou por
destruições e inutilizações;
g) exercer a competência disciplinar escolar que lhes é atribuída pelo regime
disciplinar escolar e pelo regime disciplinar do SME;
h) coadjuvar o Comandante do BIM;
i) divulgar o regulamento disciplinar Interno do aluno;
j) assegurar o serviço de internato;
k) acompanhar as actividades extracurriculares dos alunos;

d) Secção de Segurança Interna (SSI)

Iº Atribuições e chefia
A secção de Segurança interna, tem como função especifica a protecção e
asseguramento das instalações e património da Escola Nacional de Migração,
através do serviço de guarda e guarnição tendo como recursos as forças
disponíveis na escola por escalões (oficiais superiores e subalternos, subchefes
e agentes).
O Chefe da SSI, deve ter a categoria de Superintendente de Migração, sendo
nomeado e exonerado pelo Director do SME, mediante proposta do Comandante
do DCA.

IIº- Competências
A SSI tem por principais finalidades:
a) manter a segurança da escola;
b) elaborar e fiscalizar a execução da escala de serviço para os postos de OSA,
Of. Dia e Sgt. Dia;
c) executar o içar e o arriar da bandeira nacional;
d) manter os alunos punidos e detidos nos locais determinados, não permitindo
que os mesmos saiam do perímetro da escola, salvo mediante ordem de
autoridade competente;
e) impedir a saída de alunos que não estejam convenientemente fardados, só
permitindo a sua saída em trajes civis quando portadores de competente
autorização e, neste caso, convenientemente trajados;
f) só permitir a saída de alunos, durante o expediente e nas situações
extraordinárias, mediante ordem ou licença especial e somente pelos locais
estabelecidos;
g) não permitir a entrada de bebidas alcoólicas, inflamáveis, explosivos e outros
artigos proibidos pelo Regulamento da Escola, excepto os que constituírem
suprimento para a escola;
h) não permitir ajuntamentos nas proximidades das prisões nem nas imediações
do corpo da guarda e dos postos de serviço;
i) impedir a saída de animais, viaturas ou material sem ordem da autoridade
competente, bem como exigir o cumprimento das prescrições relactivas à saída
de viaturas;
j) impedir a entrada de força não pertencente à escola, sem conhecimento e
ordem do Of. Dia, devendo, à noite, reconhecer à distância aquela que se
aproximar da escola;
k) dar conhecimento imediato ao Of Dia sobre a entrada de oficial estranho à
escola no recinto da mesma;
l) impedir a entrada de civis estranhos ao serviço da escola sem prévio
conhecimento e autorização do Of Dia;
m) só permitir a entrada de civis, empregados na escola, mediante a
apresentação do cartão de identidade em vigor, fornecido pela escola;
n) só permitir a entrada de qualquer viatura à noite, depois de reconhecida à
distância, quando necessário;
o) relacionar os alunos da escola que se recolherem depois de fechado o portão
principal e permitir a saída, neste caso, somente das que estejam autorizadas
pelo Of Dia; e
p) prestar as continências regulamentares.

e) Secção de Educação Patriótica (SEP)

Iº- Estrutura
A SEP, é uma secção, integrada no DCA que tem como atribuições o dirigir
e coordenar as tarefas de educação moral, ética, patriótica, cívica, fomentar a
actividade desportiva e cultural do DCA, a concepção, desenvolvimento e
divulgação da imagem institucional do departamento, assegurar a informação
pública interna, bem como orientar e controlar outras actividade do seu âmbito
na Escola.

O chefe da SEF, deve ter a categoria de Superintendente de Migração, sendo


nomeado e exonerado pelo Director do SME, mediante proposta do Comandante
do DCA.

IIº- Competências
Ao chefe da SEP compete, em especial:
a) coadjuvar o Comandante do DCA nas actividades do departamento;
b) propor e promover a realização de visitas de estudo, palestras ou conferências
integradas no âmbito dos programas, que possibilitem uma constante
actualização, valorização e validação das tarefas de educação moral, ética,
patriótica, cívica, fomentar a actividade desportiva e cultural do DCA;
d) assegurar a preparação e a participação em competições desportivas com
outros estabelecimentos de ensino militar, assim como com outras instituições
desportivas;
f) Secretaria do Corpo de Alunos (SCA)

Iº Atribuições e chefia
A Secretaria do DCA é uma área de apoio do Comandante do DCA, chefiada
por um 1º Subchefe de Migração, e tem as atribuições gerais das secretarias,
definidas nas normas e regulamentos do SME.

III- CONSIDERAÇÕES FINAIS

a) Instrutores e monitores
1. Os instrutores e monitores são militares ou civis com a qualificação
adequada e de comprovada competência para o exercício de actividades de
instrução e treino;
2. Os instrutores militares devem ter a categoria de oficiais e, eventualmente
podem ser de outros ramos do MININT ou das Forças Armadas;
3- O monitores devem ser Subchefes ou Agentes do SME.

Funções dos instrutores


Aos instrutores do DCA compete, em especial:
a) ministrar as sessões de formação militar, defesa pessoal e educação física;
b) leccionar as sessões práticas ou teórico-práticas;
c) comandar as Companhias de Alunos;
d) divulgar o regulamento disciplinar Interno do aluno;
e) acompanhar as actividades extracurriculares dos alunos;
f) coadjuvar, sempre que solicitado, em aulas práticas e em trabalhos de
laboratório ou de campo das unidades curriculares integradas nas secções de
unidades curriculares de outros departamentos de ensino.

Funções dos monitores


a) coadjuvar os instrutores nas sessões de formação militar, defesa pessoal e
educação física;
b) coadjuvar os instrutores, sempre que solicitado, em aulas práticas e em
trabalhos de laboratório ou de campo das unidades curriculares integradas nas
secções de unidades curriculares de outros departamentos de ensino.

Похожие интересы