Вы находитесь на странице: 1из 61

Harmônicas: Propagação e Consequências

Prof. Origa
Componentes Harmônicas ( origens )
www.feis.unesp.br/laqee

Propagação das Distorções Harmônicas:

A origem das distorções harmônicas:


Tensão ou Corrente
Harmônicas nas Redes Elétricas
www.feis.unesp.br/laqee

Comportamento das redes elétricas com distorções harmônicas

Efeito resistivo: ( o valor da resistência elétrica é afetado pela frequência do sinal )

MCM R60Hz / RCC R300Hz / RCC

R 300
450
1.01
1.02
1.21
1.35
600 1.03 1.50
700 1.04 1.60

Efeito indutivo: ( o valor reatância indutiva varia diretamente com a frequência )

L XLh = j ( 2 π f ) h L ( Ω ) XLh = j h XL ( Ω )

Efeito capacitivo: ( o valor reatância capacitiva varia inversamente com a frequência )

C XCh =
1
(Ω) XCh = -j
XC (Ω)
j (2 π f) h C h
Harmônicas nas Redes Elétricas
www.feis.unesp.br/laqee

Ressonância Harmônica:

Paralela Série

X Lh X Ch X Ehs  j( X Lh  X Ch )
X p

j ( X Lh  X Ch )
Eh

Ressonância na ordem harmônica h: X Ch  X Lh

XC XC 1 1
 hR X L hR  
hR XL  LC

Reatâncias equivalentes na frequência fundamental: XC e XL


Harmônicas nas Redes Elétricas
www.feis.unesp.br/laqee

Ressonâncias Harmônicas:

XC
hRP 
XL  XS

Arranjo típico

XC
hRS 
XL
Fontes Geradoras de Harmônicas
www.feis.unesp.br/laqee

Cargas Lineares e Não Lineares

Característica V x I (carga linear) Característica V x I (carga não linear)

Componentes Harmônicas
Transformador: Carga não linear
www.feis.unesp.br/laqee
 Componentes Harmônicas Geradas em Transformadores de Potência

• Fundamentos teóricos:
 A não linearidade entre o fluxo magnético e a corrente de excitação (Im), é uma característica operacional
intrínseca associada ao uso de materiais ferromagnéticos na construção dos núcleos.
Se o fluxo magnético é senoidal, a corrente de excitação (Im) será distorcida, apresentando apenas
ordens harmônicas impares.

Tensão de alimentação Histerese

V  NS .B

Parâmetros geométricos

Corrente de excitação

i = .H
N
Transformador: fonte de harmônicas
www.feis.unesp.br/laqee

Carga não-linear (Fonte geradora de harmônicas)


In - corrente normal

Composição harmônica típica de Im


Im / In %

Im – corrente de magnetização
I1 / Im %

I3 / I1 %

V%

I3 = 0,70 x 0,76 x 0,03 x In = 1,5% In (sobre-excitado) (5x)

I3 = 0,35 x 0,90 x 0,01 x In = 0,3% In (condições normais)


Transformadores : Classificação
www.feis.unesp.br/laqee

Quanto ao núcleo magnético:

Núcleos envolvidos (core type)

Núcleos envolventes (shell type)

Monofásicos Trifásico
s
Arranjos Trifásicos: Classificação
www.feis.unesp.br/laqee

Quanto à forma conexão dos enrolamentos (bancos ou trifásicos) :


Transformador: fonte de harmônicas
www.feis.unesp.br/laqee
 Primário em estrela aterrada e secundário em estrela isolada

Correntes de excitação

Circulação de harmônicas
homopolares (“triplens”)

Corrente no neutro
Transformador: fonte de harmônicas
www.feis.unesp.br/laqee
 Primário em triângulo e secundário em estrela isolada

Correntes de excitação

Resíduos de harmônicas “triplens” não homopolares


devido a assimetrias das unidades monofásicas

Circulação de harmônicas homopolares


no interior do triângulo ( “triplens”)
Corrente no triângulo
Chaves Eletrônicas
www.feis.unesp.br/laqee

Marco histórico: 1958 (chaves eletrônicas baseadas em semicondutores dopados/ silício).

Diodos:
O estado de operação é controlado pelo circuito de potência ( polarização direta).

Tiristores:
Condução a partir de um sinal de controle e polarização direta.
Bloqueio é feito pela interrupção da corrente no circuito de potência.

Chaves Controladas:
Condução e bloqueio a partir de um sinal de controle.(GTO, MOSFET, IGBT, MCT)

Evolução:
 aumento dos níveis de potência processadas pelas chaves eletrônicas;
 concepção de novos dispositivos semicondutores / circuitos
 silício ainda mantém o monopólio como elemento básico na fabricação de semicondutores.
 diamante sintético é o elemento mais promissor na fabricação de novos semicondutores.
Chaves Eletrônicas
www.feis.unesp.br/laqee

Chaves Eletrônicas / Características O Tiristor

Característica V x I

Aspectos construtivos
CONDUÇÃO : Vak>0 e Ig0

BLOQUEIO : Id < Ih
SEE e a Eletrônica de Potência
www.feis.unesp.br/laqee

Uso crescente de equipamentos com chaveamentos eletrônicos

 Retificadores CA-CC convencionais (eletrodomésticos);


 Fontes chaveadas (computadores, instrumentação);
 Acionamentos de motores elétricos (controle de partida e velocidade de MIT);
 Conservação de energia (até 30% de economia na modulação de velocidade);
 Retificadores em altas potências nas indústrias de papel, cimento, têxtil, metalurgia;
 Condicionamento de energia de fontes alternativas (PV , aerogeradores);
 Transmissão em corrente contínua - HVDC;
 Compensação estática em sistemas de potência;
 Equipamentos Facts para compensação de sistemas.
SEE e a Eletrônica de Potência
www.feis.unesp.br/laqee

Aplicação de chaves eletrônicas nos diferentes seguimentos dos SEE

Condicionamento para Energia Primária


Fonte Primária de Energia • Conversores de frequência
• Inversores CC/CA

Condicionamento para Transmissão da EE


Transmissão • Conversores de Freqüência
• Transmissão CC ( HVDC)
• Equipamentos FACTS

Condicionamento para Distribuição


Distribuição • Conversores ca-cc-ca
• Conversores de frequência
• Filtros ativos / Smart Grids

Condicionamento para Uso Final


Consumidor • Retificadores CA/CC
• Inversores CC/CA
• Filtros ativos
Retificadores e Recortadores
www.feis.unesp.br/laqee

Aplicações Residenciais:
Volt T en são e C o rren te d e A m
li en tação Ampere

200 5,00

150 3,75

100 2,50

50 1,25

Volt T en são e C o rren te d e A m


li en tação Ampere
0 0,00
200 5,00

150 -50 3,75 -1,25

100 -100 2,50 -2,50

50 1,25
-150 -3,75
0 0,00
-200 -5,00
-50
0.000
-1,25
0.005
Volt
0.010
T e0n.0s1ã5 o e C o r0r.e0n20 te d e A m
li0.0e2n5 tação Ampere

et nsão co rren et200 s 5,00


-100 -2,50

-150 -3,75 150 3,75

-200 -5,00 100 2,50

0.000 0.005 0.010Volt 0.015 T e0.n02s0 ão e C0o.02r5ren te d e A m


li en tação Ampere
e
t nsão co rren e
t s 50 1,25
400 35,00

0 0,00
300 26,25

-50 -1,25
200 17,50

-100 -2,50
100 8,75

-150 -3,75
0 0,00

Volt T en são e C o rren te d e A m


li e-n100tação Ampere -200
-8,75
-5,00

200 2,00 0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025


-200 et nsão -c1o7r,re5n0et s

150 1,50
-300
Volt T en são e C-2o6,2r5ren te d e A m
li en tação Ampere
100 1,00 200 25,00
-400 -35,00
0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025
50 0,50 150 18,75
e
t nsão co rren e
t s

0 0,00 100 12,50

50 6,25
-50 -0,50
0 0,00
-100 -1,00
-50 -6,25
-150 -1,50
-100 -12,50

-200 -2,00
-150 -18,75
0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025
e
t nsão co rren e
t s -200 -25,00
0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025
e
t nsão co rren e
t s
Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee

Retificadores: dispositivos utilizados na conversão CA - CC


Retificadores monofásicos de onda completa
(Formas de onda típicas)

Diodo (chave eletrônica)


Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee
Retificadores Monofásicos de Onda Completa com Filtro Capacitivo

(1)

Tensão terminal CC

(2)
(2) (2)

Corrente de alimentação

(1) (3) (1) (3)


Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee

Retificadores: dispositivos utilizados na conversão CA - CC


Arranjo Típico Is

Is Is
4 2,0
3
2 1,5
1
0 1,0

-1
0,5
-2
-3
0,0
-4 1 3 4 5 7 9
Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee

Tipos de filtragens empregadas na retificação:

Corrente com característica “C” predominante


Volt T en são e C o rren te d e A m
li en tação Ampere

200 5,00

150 3,75

100 2,50

50 1,25

0 0,00

-50 -1,25

-100 -2,50

-150 -3,75

-200 -5,00
0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025
e
t nsão co rren e
t s

Corrente com característica “LC”


Volt T en são e C o rren te d e A m
li en tação Ampere

200 25,00

150 18,75

100 12,50

50 6,25

0 0,00

-50 -6,25

-100 -12,50

-150 -18,75

-200 -25,00
0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025
e
t nsão co rren e
t s
Cargas Elétricas Especiais: Recortadores ou Gradadores
www.feis.unesp.br/laqee

Controlam o valor RMS de uma tensão alternada

Principais aplicações:
Controle de intensidade luminosa ( dimmers )
Controle de temperatura
Controle da corrente de partida de motores de indução ( softstart)
Compensador estático ( SVC)

Características operacionais:
São baseados no uso de chaves eletrônicas ( Triacs e/ou Tiristores )
Cargas Elétricas Especiais: Recortadores
www.feis.unesp.br/laqee
Controle de temperatura de chuveiros ou aquecedores elétricos
FORMAS DE ONDA: V= 90% Vnominal
Volt

400
T en são e C o rren te d e A m
li en tação Ampere

35,00
Corrente(RMS) 14,5 A
300 26,25 THD (%) 33,88
200 17,50
Pot. Ativa (W) 2680
100 8,75
Pot. Reativa (VAr) 1730
0 0,00

-100 -8,75
Pot. Aparente 3190
-200 -17,50 (VA)
-300 -26,25 Fator de Potência 0,84
-400
0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025
-35,00
Cos (DPF) 0,98
e
t nsão co rren e
t s

FORMAS DE ONDA: para V= 50% Vnominal


Volt

350
T en são e C o rren te d e A m
li en tação Ampere

35,00
Corrente(RMS) 7,33 A
263 26,25 THD (%) 90,42
175 17,50
Pot. Ativa (W) 876
88 8,75

0 0,00
Pot. Reativa (VAr) 1320
-88 -8,75
Pot. Aparente 1580
-175 -17,50 (VA)
-263 -26,25 Fator de Potência 0,55
-350
0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025
-35,00
Cos (DPF) 0,72
e
t nsão co rren e
t s

Variação das harmônicas individuais ( % Inominal X % Vnominal ) Inominal = 20 A


25 12 8
7
10
20
6
8
15 5
I3/In %

I7/In %
I5/In %

6 4
10
c 3
4
2
5
2
1
0 0 0
15 20 30 40 50 60 70 80 90 100 15 20 30 40 50 60 70 80 90 100 15 20 30 40 50 60 70 80 90 100
%V %V %V
Cargas Elétricas Especiais: Recortadores
www.feis.unesp.br/laqee
Controle de luminosidade ( dimmers )
FORMAS DE ONDA: para V= 80% Vnominal
Volt

200
T en são e C o rren te d e A m
li en tação Ampere

3,00
Corrente(RMS) 0,77 A
150 2,25 THD (%) 50,47
100 1,50
Pot. Ativa (W) 81,9
50 0,75

0 0,00
Pot. Reativa (VAr) 54,4
-50 -0,75 Pot. Aparente 98,3
-100 -1,50 (VA)
-150 -2,25 Fator de Potência 0,83
-200
0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025
-3,00
Cos (DPF) 0,93
e
t nsão co rren e
t s

FORMAS DE ONDA: para V= 50% Vnominal


Volt

200
T en são e C o rren te d e A m
li en tação Ampere

3,00
Corrente(RMS) 0,62 A
150 2,25 THD (%) 89,87
100 1,50
Pot. Ativa (W) 42,7
50 0,75

0 0,00
Pot. Reativa (VAr) 78,4
-50 -0,75 Pot. Aparente 65,7
-100 -1,50 (VA)
-150 -2,25 Fator de Potência 0,55
-200
0.000 0.005 0.010 0.015 0.020 0.025
-3,00
Cos (DPF) 0,73
e
t nsão co rren e
t s

Variação das harmônicas individuais ( % Inominal X % Vnominal ) Inominal= 0,89 A


40 25 14
35 12
20
30 10
25 15
I5/In %

I7/In %
I3/In %

8
20
10 6
15
4
10
5
2
5
0 0 0
30 40 50 60 70 80 90 100 30 40 50 60 70 80 90 100 30 40 50 60 70 80 90 100
%V %V %V
Cargas Elétricas Especiais: Retificadores e Gradadore
www.feis.unesp.br/laqee

Aplicações Comerciais e Industriais


Cargas Elétricas Especiais: Gradadores
www.feis.unesp.br/laqee
Controle de partida de motores
Aceleração / Frenagem - ROTAÇÃO E CORRENTE DE ALIMENTAÇÃO
RPM A
1800

1350

900

450

0
35

18

-18

-35

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
s
Rotação / Corrente e respectivo espectro harmonico 0,5 segundo após a partida
RPM A 35

1800
30
1350
25
900
20
450

15
0
35
10

18
5
0
0
-18
-5
-35
0 60 120 180 240 300 360 420 480 540 600 660 720
Hz
Rotação / Corrente e respectivo
s espectro harmonico em regime
RPM A 35
1800
30
1350
25
900

20
450

0 15
35
10
18
5
0

0
-18

-35 -5
0 60 120 180 240 300 360 420 480 540 600 660 720
Hz
Rotação / Corrente e respectivo espectro harmonico
s 5 segundos após o início da frenagem
RPM A 35
1800
30
1350
25
900

20
450

0 15
35
10
18

5
0

0
-18

-35 -5
0 60 120 180 240 300 360 420 480 540 600 660 720
Hz
s
Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee

Conversores CA/CC para aplicações em média e alta potência

Conversor Estático (Ponte de Greatz): Representação unifilar (célula de 6 pulsos):

Inversores, VSI, UPS,..

Principais Aplicações
Tração Elétrica
+

Eletrólise

-
Aquecimento

HVDC ( transmissão em CC)


Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee

Pontes de Greatz (Características Operacionais)

Tiristores – chaves eletrônicas Vp ( polo positivo )


Ld

1 3 5

4 6 2

Vn (polo negativo)

Lado CA Ponte Lado CC

Tensão terminal Vd = Vp – Vn
Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee

Características Operacionais idealizadas


Id
va
ia

vd Vd

Tensão média de saída (Vd)

Tensão instantânea de (vd)

Tensão instantânea de entrada (va)


Corrente média de saída (Id)
Corrente instantânea de entrada (ia)
Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee
Comutação:
Processo de transferência de condução de corrente entre as chaves

Transferência de condução entre as chaves não é instantânea  - Ângulo de comutação

O processo de comutação ocorre em t = /


Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee
Determinação do Ângulo de Comutação
iS ( t ) 
U 6
cos(  )  cos( t   )
2Xc

Para ωt =  is ( t )  I d

Id 
U 6
cos( )  cos(   )
2Xc

Id = 49A Xc = 0,345 Id = 49A  = 10


Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee

Ordens harmônicas características


h= 6K±1 , K  Z+

I10 
6I d I0  0

I5 I7 I11
(%) (%) (%)
I10 I10 I10
Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee
Efeitos da Indutâncias da Rede (Lc) e de Filtro (Ld) nas formas de onda
Cargas Elétricas Especiais: Retificadores
www.feis.unesp.br/laqee
corrente na fase A do sistema CA
200A

 = 30º
 = 15,5º
0A

-200A
160ms 165ms 170ms 175ms 180ms 185ms 190ms 195ms 200ms

6 .I 6 .167 B
d) Determinar o valor RMS da 5a e 7a harmônicas no lado CA.  pelodtiristor
I1 corrente  conectado a fase130 ,2 A
200A  

I5 0A I7
(%) (%)
I10 I10
-200A
160ms 165ms 170ms 175ms 180ms 185ms 190ms 195ms 200ms

I5 I7
 18,6%  I 5  0,186 130,2  24,2 A  12,2%  I 7  0,122 130,2  15,8 A
I1 I1
34
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

Energia e Potência Média


Transferência de energia entre a Fonte de Alimentação e a Carga:

i(t)

Fonte v(t) Carga

Energia: Potência:

 1
T T

   v(t).i(t).dt P    v(t).i(t).dt
T T 0
0
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

Fator de Potência ( FP )
• A eficiência na transferência de energia da fonte para a carga esta relacionada com a
maximização da Potência Média, e minimização do valor RMS da corrente

• O Fator de Potência é uma figura de mérito que quantifica a eficiência da transferência


de energia entre a fonte e a carga:

1
P( kW ) T  v( t ).i( t ).dt
FP  
S ( kVA ) Vrms .I rms

Em um sistema suprindo apenas cargas lineares ( FD -Fator de deslocamento):

P(kW ) P( kW )  Q( kVAr ) 
FP   cos   FD FP   cos tg 1
S (kVA) S ( kVA )  kW 
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

Cargas Não Lineares

Tensão e Corrente representados como séries de Fourier:


i(t)  I o   I n .cos n .ωt   n 

v(t)  Vo  Vh .cos h .ωt  φh 
n 1
h 1
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

Potencia Média na Carga

A partir da tensão e corrente instantâneas em séries de Fourier:

1  
 

T
P   Vo  Vh .cos h .ωt  φh . I o   I n .cos n .ωt   n .dt
T 0 h 1  n 1 

P  Vo I o para h≠n

Vh I h
P  Vo I o  cos( φh   h ) para h=n
2

A energia é transmitida para a carga somente se as séries de Fourier de


v(t) e i(t) possuírem termos de MESMA frequência.
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

Valores Eficazes da Tensão e da Corrente :


T
Vh2
1  V 
T 0
Vrms  2 2
v (t)dt Vrms 0
h 1 2


T
I n2
1 2 I 
I rms   I rms  2
i (t)dt o
T 0 n 1 2

•As componentes Harmônicas AUMENTAM o Valor Eficaz;


•Aumento nos Valores Eficazes implica no AUMENTO DAS PERDAS.
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

Distorção Harmônica e Fator de Distorção

• Distorção Harmônica Total de Tensão e Corrente:

hmax hmax

V
h 2
h
2
I
h 2
2
h
DHTV  DHTI 
V1 I1

I1
• Fator de Distorção (definido apenas quando THDv=0): Fdist  2
hmax
I h2
I 
2
o
h 1 2

1
• Relação (para Io=0) : Fdist 
1  DHTI2
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

Tensão Senoidal (THDv=0) e Carga Não Linear

• As harmônicas da corrente não contribuem para a Potência Média (h≠n).


• As harmônicas da corrente aumentam o Valor Eficaz da Corrente.
• As harmônicas da corrente reduzem o Fator de Potência.

v(t)  V1. cos1ωt  φ1 


V1 I1
 P cos( φ1  1 )
i(t)  I o   I n .cos n .ωt   n  2
n 1

I1

I n2
I  FP  Fdist .FD
FP  2 .cos( 1  1 )
I rms  2
o hmax 2
n 1 2 I
I o2   h

h 1 2
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

Fator de Distorção, THD, Fator de Potência (p/ THDv=0)


Fdist(%)
105
100
95
90
85
80
1
75 Fdist 
70 1  DHTI2 DHTi(%)
65
60
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100

THDv=0 FP(%)
105
100
95
FP% (DHTi=0) 90
85
80
75
70
FP  Fdist .FD
65
60 DHTi(%)
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100
Fator de Potência ( análise experimental )
www.feis.unesp.br/laqee

FP  (1,0).(1,0)  1,0 FP  (0,79).(0,76)  0,6 FP  (0,91).(0,99)  0,9


FP  Fdist .FD
Fator de Potência ( análise experimental )
www.feis.unesp.br/laqee

1 1 1
Fdist   0,999 Fdist   0,795 Fdist   0,910
1  0,002 2
1  0,764 2
1  0,455 2
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

1 v(t)
i(t)

Forma de Onda de Tensão: 0.5


• somente com a componente fundamental
0

Forma de Onda de Corrente: 0.5


• somente com a componente de 3a ordem
1
1 p(t)=v(t)*i(t)

0.5

Potência Instantânea [ p(t) ] 0

Potência Média [P]


0.5
P = 0 ( Valor Médio NULO )
1 Valor Médio NULO
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

1
v(t)
Forma de Onda de Tensão: i(t)
• somente com a componente de 3a ordem. 0.5

0
Forma de Onda de Corrente:
• somente com a componente harmônica de 3a 0.5
ordem, e, em fase com a tensão.
1

0.5

Potência Instantânea [ p(t) ] 0

Potência Média [P]


0.5

P= 0,5 (Valor Médio NÃO nulo)


1 p(t)=v(t)*i(t)
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

1.5
v(t)
i(t)
1
Forma de Onda de Tensão:
• Fundamental, 3a e 5a ordens. 0.5

Forma de Onda de Corrente: 0.5


•Fundamental, 5a e 7a ordens.
1

1.5
1

Energia transferida depende das 0.5

componentes fund. e 5ª harmônica


0

Potência Média [P] 0.5


P= 0,32 (Valor Médio NÃO nulo)
1 p(t)=v(t)*i(t)
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee

Representação por séries de Fourier :

v(t)  1,2.cosωt  0,33.cos3ωt  0,2.cos5ωt

i(t)  0 ,6. cos(ωt  30o )  0 ,1. cos(5ωt  45o )  0 ,1. cos(7ωt  60o )

Cálculo da Potência Média:

(1,2).(0,6) (0 ,2).(0,0)
P cos(30o )  cos(45o )  0,32
2 2
Fator de Potência ( regime não senoidal )
www.feis.unesp.br/laqee
Carga Resistiva e Tensão Não-Senoidal

• As harmônicas de corrente estão em fase e com amplitudes


proporcionais às harmônicas de tensão.
• Todas as harmônicas contribuirão para a energia transmitida à carga, e,
o Fator de Potência será UNITÁRIO.

 
v(t)  Vo  Vh .cos h .ωt  φh  i(t)  I o   I n .cos n .ωt   n 
h 1 n 1

Vh
Carga resistiva: Ih  h   h cos ( h   h )  1
R

VI Vh I h Vo2 Vh2
P  Vo I o  h h cos( φh   h ) P  Vo I o   
2 2 R 2R
Percepção dos efeitos
www.feis.unesp.br/laqee

Perdas e Fator de Potência

1
Diminuição do Fator de Potência: FP  .cos(  )
Desprezando a distorção harmônica na tensão 1  THD 2
I

cos(φ) – fator de deslocamento


THDI – taxa de distorção harmônica da corrente

Aumento das perdas joule (efeito Skin - pelicular): Perdas  I 2 .R freq


Rfreq – Resistência dependente da frequência

MCM 60 Hz / CC 300 Hz/CC


300 1.01 1.21
450 1.02 1.35
600 1.03 1.50
700 1.04 1.60
Percepção dos efeitos
www.feis.unesp.br/laqee

Perdas ( harmônicas triplens – componentes de sequência zero )

 Sobrecarga em condutores neutro

 Sobrecarga nos transformadores

sobrecarga

Ex: Cargas não-lineares equilibradas


Intensidades das correntes harmônicas: I1 = 110 A (seq +); I3 = 57 A (seq O); I5 = 25 A (seq -); I7 = 17 A (seq +).

I R  I S  I T  1102  572  252  172  127 A


I ( neutro)  57  57  57  171A
Percepção dos efeitos
www.feis.unesp.br/laqee
Transformadores
 Aumento das perdas no cobre;

Pelicular: Proximidade:

 Harmônicas de tensão podem aumentar as perdas no ferro;


 Reatâncias de dispersão são amplificadas;
 Aumento das correntes induzidas devido fluxo de dispersão;
 Elevação da temperatura do ponto mais quente (fator K – derating);
 Capacitâncias parasitas podem produzir ressonâncias internas com possíveis sobretensões.
Percepção dos efeitos
www.feis.unesp.br/laqee

Motores e Geradores
 Aumento das Perdas no Ferro e no Cobre;
 Diminuição da eficiência e do torque disponível;
 Oscilações mecânicas, vibrações devido a torques em sentido oposto;
 Aumento do ruído audível (torques pulsantes);
Desgastes prematuros de mancais e rolamentos;
Perda de vida útil.

Distribuição sequencial predominantes das harmônicas

SEQUÊNCIA ORDENS HARMÔNICAS


Positiva h = 1,4,7 ... ou (3m+1) Sequências positivas

Negativa h = 2,5,8, ... ou (3m-1)


Sequências negativas
Zero h = 3,6,9 ... ou (3m+3)
m = 0,1,2,3 ...
Percepção dos efeitos
www.feis.unesp.br/laqee

Capacitores
1
Reatância capacitiva é reduzida aumentando-se as correntes ( Ih) X ch 
2 .h. f .C
 Aumento das perdas / elevação de temperatura / redução da vida útil
Problemas relacionados com ressonâncias série e/ou paralela Vh
I  h
h
c
• Sobrecorrentes e/ou sobretensões harmônicas. Xc
• Risco de explosão .

Explosão de uma unidade monofásica

Limites % dos nominais


Tensão (Pico) 120
Tensão (RMS) 110
Corrente (RMS) 135
kVAr 135
IEEE Std 18 (revisão 2012)
Percepção dos efeitos
www.feis.unesp.br/laqee

Ressonâncias

Caso típico de ressonância série:

Caso típico de ressonância paralela:


Percepção dos efeitos
www.feis.unesp.br/laqee

Ressonância paralela ( exemplo )

V2 kVAt .100
S PAC
cc  2

Xt V Xt
.
100 kVAt

Scc kVAt .100 kVAt .100


hr   hr 
Qc k var .X t k var .X t

1500 100
hr   12,9
150  6
Percepção dos efeitos
www.feis.unesp.br/laqee

Medidores de Energia

~3%

Arranjo Experimental

Medidores de Energia Convencionais (Discos de


indução) são sensíveis às componentes harmônicas,
podendo resultar em erros POSITIVOS ou
NEGATIVOS na medição , dependendo do tipo de
medidor e das componentes harmônicas dos sinais.
Contador de rotações
Percepção dos efeitos
www.feis.unesp.br/laqee

 Proteção
• Operação inadequada dos elos fusíveis devido ao aumento da corrente eficaz,
relacionada à presença de harmônicas. Não é possível generalizar os efeitos os relés de
proteção, devido à grande variedade das distorções existentes e dos diferentes tipos de
relés (digitais e convencionais);

 Equipamentos Elétricos
• Equipamentos sensíveis à distorção harmônica da tensão quando a utilizam as tensões
como referência para sua operação, e/ou, execução de determinada tarefa (conversores
estáticos; reguladores de tensão, etc.)

 Ruídos e interferências em sistemas de comunicação


• Indução eletrostática ou eletromagnética produzidas pelas harmônicas no sistema de
potência. Dependem das intensidades das correntes, da faixa de frequência de
operação e naturalmente da proximidade física destes circuitos.
Normas e Recomendações
www.feis.unesp.br/laqee

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional


PRODIST - Módulo 8 – Qualidade da Energia Elétrica

Vh
DITh (%)  .100
V1

hmax

V
h 2
h
2

DTT (%)  .100


V1

⃰ As mesmas definições são aplicadas para as correntes


Normas e Recomendações
www.feis.unesp.br/laqee

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional


PRODIST - Módulo 8 – Qualidade da Energia Elétrica

Distorção Harmônica Total ( Limites Recomendados )

Tensão Nominal (DTT) [%]


hmáx
VN  1kV 10
V
h 2
2
h
1kV < VN  13,8kV 8
DTT (%)   100 13,8kV < VN  69kV 6
V1
69kV < VN  138kV 3
Normas e Recomendações
www.feis.unesp.br/laqee
Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional
PRODIST - Módulo 8 – Qualidade da Energia Elétrica
Distorção Harmônica Individual de Tensão [%] – ímpares não múltiplas de 3
h Vn  1kV 1 < Vn  13,8kV 13,8 < Vn  69kV 69 < Vn  230kV
5 7,5 6 4,5 2,5
7 6,5 5 4 2
11 4,5 3,5 3 1,5
13 4 3 2,5 1,5
17 2,5 2 1,5 1
Distorções Harmônicas Individuais 19 2 1,5 1,5 1
23 2 1,5 1,5 1
25 2 1,5 1,5 1
V
DITh (%)  h  100 >25 1,5 1 1 0,5
V1
3 6,5 5 4 2
9 2 1,5 1,5 1
15 1 0,5 0,5 0,5
>21 1 0,5 0,5 0,5

2 2,5 2 1,5 1
4 1,5 1 1 0,5
6 1 0,5 0,5 0,5
8 1 0,5 0,5 0,5
10 1 0,5 0,5 0,5
>12 1 0,5 0,5 0,5