You are on page 1of 2

Olá!

Nessa Unidade de aprendizagem, você conheceu um pouco da história da genética e os


principais conceitos básicos sobre esta disciplina. Na dica de hoje do professor, revisaremos os
termos principais que você conheceu ao longo da leitura do capitulo.

Inicialmente, é importante compreender o que são ácidos nucleicos. Estes ácidos são uma
molécula composta por uma base nitrogenada, uma pentose ( que é um açúcar) e um fosfato.

Os ácidos nucleicos pode ser de dois tipos: o Ac. Desoxirribonucleico, que é o dna ou o ác.
Ribonucleico, o RNA. As diferenças entre eles residem em sua estrutura e composição. o RNA é
mono filamentar, tendo uma ribose ocmo pentose e as mesmas bases nitrogenadas que o
DNA, exceto a timina, que no RNA é substituída por uma uracila, enquanto O DNA é uma
molécula bifilamentar, em formato de dupla hélice contendo como bases nitrogenadas ad,
citosina timina e guanina.

Falando ainda sobre o DNA, essa dupla hélice mantem uma formação estável, em que as a
pentose fica posicionada na porção mais externa da molécula, semelhante ao corrimão de uma
escada espiral. Os desta escada são formados pelas pontes de hidrogênio que ligam as bases
nitrogenadas. Lembre-se que as ligações das bases nitrogenadas repetem sempre os mesmos
pares: a adenina sempre se liga somente a timina, quanto a citosina sempre se liga a guanina. É
nesta molecula que ficam armazenadas as informações genéticas que orientarão a produção de
proteínas para o desenvolvimento dos seres vivos.

Para que esta molécula extensa contendo tantas informações coubesse nas células, o DNA fica
enovelado em proteínas chamadas histonas, formando os cromossomos, cuja visualização so
eh possível na divisão celular.

Os cromossomos podem ser homólogos, ou seja: apresentar mesma forma, tamanho e


sequencia de informação genética. Em células diploides, um cromossomo eh de origem
materna e outro de origem paterna.

Nos cromossomos, existem posições que os genes ocupam que contem a codificação que
determinara uma determinada característica. Essa posição dos genes chama-se locus.

Já os genes são fragmentos de DNA que codificam informaçoes que resultam na transmissão
de características hereditárias. O gene é composto por regiões codificadoras, os exons e não
codificadoras, os introns.

Quando estes genes ocupam o mesmo local, locus,, em cromossomos homólogos, estamos
falando de genes alelos. Estes alelos podem ser de dois tipos: dominantes, em que basta que o
gene apareça em apenas um dos cromossomos homólogos para que sua característica seja
expressa ou o alelo pode ser recessivo. Neste caso, o fenótipo se manifestara apenas se os dois
cromossomos apresentarem genes recessivos no locus em questão.

Dois conceitos importante de diferenciar são genótipo e fenótipo. Enquanto o genótipo


correponde informações genéticas presentes nos cromossomos que não são passíveis de
modificação naturalmente o fenótipo é o termo que representa o Grupo de características
expressas como resultado do genótipo e ambiente em que o indivíduo está inserido. Um bom
exemplo para esclarecer a diferença entre estes termos são irmãos gêmeos univitelinos. Isso
porque é um exemplo em que ambos contem o mesmo genótipo, porem o ambiente pode
apresentar elementos, como o tipo de alimentação e o índice de atividade física, por exemplo,
que pode gerar em diferentes composições corporais, ou seja: diferentes fenótipos.

Por fim, vamos relembrar o termo cariótipo, que refere ao conjunto de cromossomos em um
organismo. Cariograma é um termo considerado sinônimo de cariótipo, e representa por
imagens os cromossomos. Trata-se de um recurso que permite identificar a presença de
anaormalidades cromossômicas.

Por hj é so! Bons estudos!