Вы находитесь на странице: 1из 22

Universidade Católica de Moçambique

Faculdade de Gestao de Turismo e Informatica

Co-seguro e sua Contabilizaçao

Discentes

Andersonde Luanda M. Ramos

Assucena Rafael Dimande

Carolina Tonito António


Josefina Mario Toquia

Margarida Macaringue

Slaney I . Cassamo

Paulo Sergio Luciano Dias

Pemba, Abril de 2018


Universidade Católica de Moçambique
Faculdade de Gestao de Turismo e Informatica

Co-seguro e sua Contabilizaçao

Discentes
Andersonde Luanda M. Ramos
Assucena Rafael Dimande
Carolina Tonito António
Josefina Mario Toquia
Margarida Macaringue
Slaney I . Cassamo

Paulo Sergio Luciano Dias

Cadeira de Contabilidade de Seguro


4 Ano
Curso de Contabilidade e Auditoria
Discete: Nelson Caisse

Pemba, Abril de 2018


Índice

1.Introdução .................................................................................................................................... 1

2. Contextualização

2.1 Co-seguro ...................................................................................................................... 2

3. Legislação sobre co-seguro

3.1 Funções da co-seguradora líder .................................................................................... 3

3.2 Relação entre as co-seguradoras ................................................................................... 3

3.2 Responsabilidade civil da líder ..................................................................................... 4

3.3 Recurso ao tribunal por parte do tomador de seguro .................................................... 4

3.4 Abandono do contrato por parte de uma co-seguradora ............................................... 4

4. Contabilização do co-seguro

4.1 Contas a movimentar e lançamentos a efectuar ............................................................ 4

4.2 Escrita das Co-seguradoras não-líderes ...................................................................... 11

5. Exercicio de Aplicação ............................................................................................................. 15

6. Conclusão.................................................................................................................................. 19

7. Referências Bibliográficas ........................................................................................................ 20


1. Introdução

O presente trabalho de carácter avaliativo, da disciplina de Contabilidade de Seguro tem como


tema Co-seguro, contabilização de contas a movimentar e lançamentos a efectuar. O Co-seguro é
uma operação que consiste na repartição de um mesmo risco, de um mesmo segurado, entre duas
ou mais seguradoras, podendo ser emitidas tantas apólices quantas forem as seguradoras ou uma
única apólice, por uma das seguradoras denominada, Seguradora Líder, não se verificando, ainda
assim, quebra do vínculo do segurado com cada uma das seguradoras que respondem,
isoladamente, perante ele, pela parcela de responsabilidade que assumiram.

Emco-seguro quando o risco for assumido, a apólice indicará o segurador que administrará o
contrato e representará os demais, para todos os seus efeitos.

A Seguradora Líder é aquela onde o segurado contrata o seguro e coloca parcelas do risco em co-
seguro, retendo, em geral, a sua maior quota-parte.O co-seguro, caracteriza-se por haver uma
repartição dos riscos entre mais de uma companhia seguradora, geralmente, para atender aos
interesses das próprias seguradoras, tendo em vista ser o objecto segurado de montante bastante
expressivo.

Assim, as diversas empresas seguradoras se dividem, cada qual respondendo por um porcentual
ou quota referente à importância segurada.Há nesta espécie de seguro um único contrato,
conquanto realizado com mais de uma companhia, estando facultado a emissão de apenas uma
apólice ou mais de uma, entretanto, todas elas devem possuir as mesmas cláusulas e condições,
ressalvada a participação individual de cada uma na garantia oferecida.

1
2. Contextualização

2.1 Co-seguro

Para Coelho (2008) o co–seguro consiste na assunção conjunta de um determinado risco por
várias empresas de seguros, denominadas co-seguradoras, de entre as quais uma é líder, sem que
haja solidariedade entre elas, através de um contrato de seguro único, com as mesmas garantias e
período de duração e com um prémio global.

Ainda Coelho (2008) estabelece que, o co-seguro é admitido em todos os ramos de seguro
relativamente a contratos que, pela sua natureza ou importância, justifiquem a intervenção de
várias empresas de seguros.

No que concerne à liquidação de sinistros decorrentes de um contrato de co-seguro, pode a


mesma ser efectuada através de uma das seguintes modalidades:

a) Ser a líder a proceder à liquidação do sinistro, em seu próprio nome e em nome e por
conta das restantes co-seguradoras;
b) Ser cada uma das co-seguradoras a proceder a liquidação da parte do sinistro
proporcional à quota –parte do risco que garantiu ou à parte percentual do capital que
assumiu.

As relações entre a co-seguradora líder, as outras co-seguradoras e o tomador de seguro podem


resumir-se no seguinte esquema:

Esquema de fonciomaneto de co-seguro envolvendo varias entidades

2
Em que:

A – Tomador de seguro;

B, C, D, E – Co-seguradoras, em que B é a líder;

 Relações directas;
 Relações indirectas (podendo, no pagamento de sinistros, haver aqui relações directas).

3. Legislação sobre co-seguro

3.1 Funções da co-seguradora líder

Para Negrao (2009) a gestão do contrato, em seu próprio nome e em nome e por conta das
restantes co-seguradoras, em relação à globalidade do contrato, competindo-lhe, nomeadamente:

 Receber do tomador do seguro a declaração do risco a segurar, bem como as


declarações posteriores de agravamento ou de diminuição deste mesmo risco;
 Fazer a análise do risco e estabelecer as condições de seguro e respectiva tarifação;
 Emitir a apólice, sem prejuízo de esta dever ser assinada por todas as co-seguradoras;
 Proceder à cobrança dos prémios, emitindo os respectivos recibos;
 Desenvolver, se for caso disso, as acções previstas nas disposições legais aplicáveis
em caso de falta de pagamento de um prémio ou fracção de prémio;
 Receber as participações de sinistros e proceder à sua regularização;
 Aceitar e propor a resolução do contrato.

3.2 Relação entre as co-seguradoras

Conforme Negrao (2009) a relçáo deve ser estabelecido entre as respectivas co-seguradoras um
acordo expresso relativo às relações entre todas e entre cada uma e a líder, no qual devem
constar, pelo menos, os seguintes aspectos:

 Valor da taxa de gestão, no caso das funções exercidas pela líder serem remuneradas;
 Forma de transmissão de informações e de prestação de contas pela líder a cada uma das
co-seguradoras;

3
 Sistema de liquidação de sinistros.

3.2 Responsabilidade civil da líder

Ainda Negrao (2009) é civilmente responsável perante as restantes co-seguradoras pelas perdas e
danos decorrentes do não cumprimento das funções que lhe forem atribuídas.

3.3 Recurso ao tribunal por parte do tomador de seguro

Bertoldi (2006) os recuros devem ser intentadas contra as co-seguradoras, salvo se o litígio se
prender com a liquidação de um sinistro e tiver adoptado, na apólice respectiva, o procedimento
de ser cada uma das co-seguradoras a pagar, ela própria, diretamente, a sua quota-parte na
assunção do risco.

3.4 Abandono do contrato por parte de uma co-seguradora

Bertoldi (2006) quando uma das co-seguradoras desejar abandonar o contrato de co-seguro deve,
com uma antecedência mínima de 30 dias em relação à data em que o pretenda fazer, comunicar
tal facto à líder, que dará conhecimento ao tomador de seguro e às restantes co-seguradoras a fim
de que decida sobre a forma de garantia da quota-parte em causa.

4. Contabilização do co-seguro

4.1 Contas a movimentar e lançamentos a efectuar

No co-seguro, a líder de contrato terá de contabilizar na sua escrita os prémios, as remunerações


de mediação (caso existam) e os sinistros. Como o co-seguro é um negócio de seguro directo e
como tal contabilizando, as contas a movimentar são as indicadas para aquele tipo de seguro, isto
é:

4
A estas contas, junta – se a rubrica 42 – Co-Empresas de Seguros que registará os movimentos
com outras seguradoras resultantes da celebração conjunta de contratos de co-seguro (prémios,
remunerações de mediação, sinistros e comissão de co-gestão), que o PCES decompõe nas
seguintes contas do 2.º grau:

 420 – Filiais;
 421 – Associadas;
 422 – Outras Participadas e Participantes (Incluindo Empreendimentos Conjuntos);
 423 – Outras Co-Empresas de Seguros.

Por sua vez, todas estas contas se desdobram da seguinte forma:

A conta 42x0 – Prémio a Pagar, regista na contabilidade da líder, o valor das quotas-parte dos
prémios (incluindo encargos), correspondentes às restantes co-empresas de seguros, que ainda
não foram cobrados.

A conta 42x1 – Sinistros a Pagar, registra a crédito na contabilidade da líder, o valor da quota-
parte correspondente as outras co-empresas de seguros no valor dos sinistros a pagar quando é a
líder que procede, em seu nome próprio e em nome e por conta das restantes co-empresas de
seguros, à liquidação global o sinistro. É debitada aquando do pagamento dos sinistros pela líder.

A conta 42x2 – Reembolsos de Sinistros a Pagar, regista na contabilidade da líder, o valor da


quota-parte correspondente às outras co-empresas de seguros, dos reembolsos de sinistros que
ainda não foram cobrados.

A conta 42x3 – Remunerações a Pagar (de Estornos), regista, na contabilidade da líder, o valor
da quota-parte correspondente às outras co-empresas de seguros, nos estornos das remunerações
dos mediadores.

A conta 42x4 – Remunerações a Receber, regista na contabilidade da líder o valor da quota-parte


correspondente às outras co-empresas de seguros, nas remunerações dos mediadores processados
relativas à prémios ainda não cobrados;

5
A conta 42x5 – Estornos a Receber, regista na contabilidade da líder, o valor da quota-parte
correspondente às outras co-empresas de seguros, nos estornos de prémios emitidos que ainda
não foram pagos.

A conta 42x6 – Sinistros a Receber, regista na contabilidade de líder, a débito, o valor da quota-
parte correspondente às outras co-empresas de seguros no valor dos sinistros a pagar, quando é a
líder que procede, em seu nome próprio e em nome e por conta das restantes co-empresas de
seguros, à liquidação global do sinistro. É creditada aquando do pagamento dos sinistros pela
líder.

Por fim, a conta 42x7 – Contas Correntes, regista o movimento do efectivo ou corrente com
outras empresas de seguros resultantes da celebração conjunta de contratos de co-seguro. Esta é a
verdadeira conta financeira onde se apura o que a líder tem a receber ou a pagar às restantes co-
seguradoras.

Do ponto de vista contabilístico, os lançamentos a efectuar pela líder, com reflexo na escrita das
restantes empresas de seguros, são os seguintes:

a) Pelo processamento do recibo de prémio:

A débito:

 Conta 408 – Tomadores de Seguro/ Contas de Cobrança.

A crédito:

 Conta 70x0 – Prémios Brutos Emitidos /.../ Prémios Processados;


 Conta 70x3 – Prémios Brutos Emitidos / ... / Apólices e Actas Adicionais;
 Conta 42x0 – Co-empresas de seguro / ... / Prémios a Pagar;
 Conta 4603000 – Activos e Passivos por Impostos e Taxas / Activos e Passivos por
impostos (e Taxas) Correntes/ Outros Impostos e Taxas/ Impostos o Selo / Selo de
Apólice / Processado;
 - Conta 460310 – Activos e Passivos por Impostos e Taxas / Activos e Passivos por
Impostos (e Taxas) Correntes / Outros Impostos e Taxas / Taxa para ANPC / Processado;

6
 - Conta 460320 – Activos e Passivos por Impostos e Taxas / Activos e Passivos por
Impostos (e Taxas) Correntes / Outros Impostos e Taxas / Taxas para o INEM /
Processado;
 - Conta 460330 – Activos e Passivos por Impostos e Taxas / Activos e Passivos por
Impostos (e Taxas) Corrente/ Outros Impostos e Taxas / Taxa para o FAT / Processado.

b) Pelo processamento das remunerações de mediação:

A débito:

 Conta 630x60 – Custos e Gastos de Exploração / Custos de Aquisição / ... /


Remunerações e Comissões / Remuneração de Moderação;
 Conta 42x4 – Co-Empresas de Seguros /... / Remunerações a Receber.

A crédito:

 Conta 41x0 – Mediadores de Seguro / ... / Remunerações a Pagar.

c) Pelo crédito às restantes co-seguradoras do valor o prémio de seguro a que têm


direito, reflexo da cobrança do recibo de prémio pela líder ou por um mediador:

A débito : Conta 42x0 – Co-Empresas de Seguros /... / Prémios a Pagar.

A crédito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

d) Pelo débito às restantes co-seguradoras do valor das remunerações de mediação que


lhes respeitam, reflexo da cobrança do recibo de prémio pela líder ou por um
mediador:

A débito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Seguros.

A crédito: Conta 42x4 – Co-Empresas de Seguros / ... / Remunerações a Receber.

7
e) Pelo processamento das comissões de co-gestão:

A débito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes;

A crédito: Conta 790x0 – Outros Rendimentos / Técnicos / ... / Comissões de Gestão de Co-
Seguro.

f) Pelo processamento do recibo de estorno:

A débito

 Conta 70x2 – Prémios Brutos Emitidos / ... / Prémios Estornados;


 Conta 42x5 – Co-Empresas de Seguros / ... / Estornos a Receber;
 Conta 4603000 – Activos e Passivos por Impostos e Taxas / Activos e Passivos por
Impostos (e Taxas) Correntes / Outros Impostos e Taxas / Impostos do Selo / Selo de
Apólice / Processado;
 Conta 460320 – Activos e Passivos por Impostos e Taxas / Activos e Passivos Por
Impostos (e Taxas) Correntes / Outros Impostos e Taxas / Taxa para ANPC / Processado;
 Conta 460330 – Activos e Passivos por Impostos e Taxas / Activos e Passivos por
Impostos (e Taxas) Correntes / Outros Impostos e Taxas / Taxa para o FAT / Processado.

A crédito : Conta 40x4 – Tomadores de Seguro / ... / Estornos a Pagar.

g) Pelo processamento do estorno das remunerações de mediação:

A débito: Conta 41x1 – Mediadores de Seguro / ... / Remunerações a Receber (de Estornos).

A crédito:

 Conta 360x60 – Custos e Gastos de Exploração / Custos de Aquisição / ... /


Remunerações e Comissões / Remunerações de Mediação;
 Conta 42x3 – Co-Empresas de Seguros / ... / Remunerações a Pagar (de Estornos).

8
h) Pelo débito às restantes co-seguradoras do prémio estornado, reflexo do pagamento
pela líder ou por um mediador do recibo do estorno:

A débito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

A crédito: Conta 42x5 – Co-Empresas de Seguros / ... / Estornos a Receber.

i) Pelo crédito às restantes co-seguradoras das remunerações de mediação estornadas,


reflexo do pagamento pela líder ou por um mediador do recibo do estorno:

A débito: Conta 42x3 – Co-Empresas de Seguros / ... / Remunerações a Pagar (de Estornos).

A crédito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

j) Pela regularização da comissão de co-gestão, reflexo do pagamento pela líder ou por


um mediador do recibo do estorno:

A débito:Conta 790x0 – Outros Rendimentos / Técnicos / ... / Comissões de Gestão de Co-


Seguro.

A crédito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros /... / Contas Correntes.

k) Pelo processamento do sinistro:

A débito:

 Conta 60x1 – Custos com Sinistros / ... / Variação da Provisão para Sinistros;
 Conta 42x6 – Co-Empresas de Seguros / ... / Sinistros a Receber.

A crédito:

 Conta 3010 – Provisões Técnicas de Seguro Directo Vida / Provisão para Sinistro /
Prestação; ou
 Conta 311 – Provisões Técnicas de Seguro Directo Não-Vida / Provisão para Sinistros;

9
 Conta 42x1 – Co-Empresas de Seguros / ... / Sinistros a Pagar.

l) Pelo pagamento do sinistro pela líder ou por um mediador:

A débito:

 Conta 301 – Provisões Técnicas de Seguro Directo Vida / Provisão para Sinistros; ou
 Conta 311 – Provisões Técnicas de Seguro Directo Não – Vida / Provisão para Sinistros;
 Conta 42x1 – Co-Empresas de Seguros / ... / Sinistros a Pagar.

A crédito:

 Conta 500 – Caixa e seus Equivalentes / Sede; ou


 Conta 51 – Depósitos à Ordem; ou
 Conta 41x2 – Mediadores de Seguro / ... / Contas Correntes; ou
 Conta 2326 – Investimentos não Técnicos / Outros Investimentos Financeiros / Depósitos
à Ordem em Instituições de Crédito.

m) Pelo débito às restantes co-seguradoras o sinistro a seu cargo, reflexo do seu


pagamento pela líder ou por um mediador:

A débito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

A crédito: Conta 42x6 – Co-Empresas de Seguros / ... / Sinistros a Receber.

n) Pela liquidação de saldos entre a líder e cada uma das restantes co-seguradoras:

Debita – se ou credita –se, consoante a natureza dos saldos, a conta 42x7 – Co-Empresas de
Seguros / ... / Contas Correntes das restantes empresas de seguros por contrapartida de 50- Caixa
e seus Equivalentes ou 51 – Depósitos à Ordem.

10
4.2 Escrita das Co-seguradoras não-líderes

Os registos a efectuar na escrita das co-seguradoras não líderes são:

a) Pelo processamento do prémio de seguro correspondente às responsabilidades


assumidas:

A débito: Conta 40800 – Tomadores de Seguro / Contas de Cobrança / Directa / Sede.

A crédito: Conta 70x0 – Prémios Brutos Emitidos / ... / Prémios Processados.

b) Pelo processamento das remunerações de mediação correspondentes às


responsabilidades assumidas

A débito: Conta 630x30 – Custos e Gastos de Exploração / Custos de Aquisição / ... /


Remunerações e Comissões / Remunerações de Mediação.

A crédito: Conta 41x0 – Mediadores de Seguro / ... / Remunerações a Pagar.

c) Pelo débito à líder do prémio de seguro, reflexo da cobrança do recibo do prémio:

A débito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

A crédito: Contas 40800 – Tomadores de Seguro / Contas de Cobrança / Directa / Sede.

d) Pelo crédito à líder das remunerações de mediação devidas, reflexo da cobrança do


recibo do prémio:

A débito: Conta 41x0 – Mediadores de Seguro / ... / Remunerações a Pagar.

A crédito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

11
e) Pela acumulação da quota-parte do prémio e das remunerações de mediação

Após a comunicação pela líder da anulação de um determinado recibo, as restantes empresas de


seguros farão a anulação dos prémios que lhes respeitam e ainda, se for o caso, das remunerações
de mediação. Assim sendo, os lançamentos a efectuar são os inversos dos efectuados aquando do
processamento, quer dos prémios de seguro, quer das remunerações de mediação.

f) Pelo processamento da comissão de co-gestão

A débito: Conta 690x0 – Outros Gastos / Técnicos / ... / Comissões de Gestão de Co-Seguro.

A crédito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

g) Pelo processamento da quota-parte do prémio estornado

A débito: Conta 70x2 – Prémios Brutos Emitidos / ... / Prémios Estornados.

A crédito: Conta 40x4 – Tomadores de Seguro / ... / Estornos a Pagar.

h) Pelo processamento da quota-parte das remunerações de mediação estornadas:

A débito: Conta 41x1 – Mediadores de Seguro / ... / Remunerações (de Estornos).

A crédito: Conta 630x60 – Custos e Gastos de Exploração / Custos de Aquisição / ... /


Remunerações e comissões / Remunerações e Mediação.

i) Pelo crédito à líder da quota-parte do prémio de seguro estornado, reflexo do


pagamento do recibo de estorno:

A débito: Conta 40x4 – Tomadores de Seguro / ... / Estornos a Pagar.

A crédito: Conta 42x1 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

12
j) Débito à líder da quota-parte das remunerações de mediação estornadas, reflexo do
pagamento do recibo de estorno

A débito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguro / ... / Contas Correntes.

A crédito: Conta 41x1 – Mediadores de Seguro / ... / Remunerações a Receber (de Estornos).

k) Pela regularização da comissão de co-gestão, reflexo do pagamento do recibo de


estornos

A débito: Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

A crédito: Conta 690x0 – Outros Gastos / Técnicos / ... / Comissão de Gestão de Co-Seguro.

l) Pelo processamento da quota-parte do sinistro:

A débito: Conta 60x1 – Custos com Sinistros / ... / Variação da Provisão para Sinistros.

A crédito:

 Conta 301 – Provisões Técnicas de Seguro Directo Vida / Provisão para Sinistros; ou
 Conta 311 - Provisões Técnicas de Seguro Directo Não-Vida / Provisão para Sinistros

m) Pelo crédito à líder da quota-parte do sinistro, reflexo do seu pagamento do sinistro

A débito:

 Conta 301 – Provisões Técnicas de Seguro Directo Vida / Provisões para Sinistros; ou
 Conta 311 – Provisões Técnicas de Seguro Directo Não-Vida / Provisões para Sinistros.

A crédito:Conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... / Contas Correntes.

n) Pela liquidação de saldos entre as restantes co-seguradoras e a líder

Debita –se, conforme a natureza dos saldos, a conta 42x7 – Co-Empresas de Seguros / ... /
Contas Correntes, da líder, por contrapartida de 50 – Caixa e seus Equivalentes, de 51 –

13
Depósitos à Ordem ou de 2326 – Investimentos não Afectos / Outros Investimentos Financeiros /
Depósitos à Ordem em Instituições de Crédito.

5. Exercicio de Aplicação

Entre as empresas de seguros Alfa, SA e Beta, SA, ambas com sede em Moçambique, foi
estabelecido no ramo Incêndio e Outros Danos / Incêndios e Elementos da Natureza um contrato
em regime de co-seguro em que a primeira (líder) participa no capital seguro com uma
percentagem de 70% e a outra com os restantes 30%.

Em 28 do mesmo mês o recibo foi cobrado pela líder.

Pedido: Considerando que os factos ocorridos na líder foram de imediato comunicados à outra
co-seguradora, que a comissão de gestão de co-seguro a pagar à líder é de 𝟏𝟎𝟎, 𝟎𝟎 𝑴𝒁𝑵 , onde
a taxa se supervisao do seguro corresponde a 6%, e que entre as duas seguradoras não existe
qualquer ligação em termos de participação no capital social.

Dados:

Em 12 de Março do ano 2018 foi emitido pela líder, naquele ramo de seguro, o recibo n.º
3005678, de sua cobrança, relativo à apólice n.º 300555 com base nos seguintes elementos:

𝐶𝑆 = 1.800.000,00
𝑇𝑎𝑥𝑎 𝑑𝑒 𝑅𝑖𝑠𝑐𝑜 = 1%
𝑇𝑎𝑥𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑛𝑐𝑎𝑟𝑔𝑜𝑠 = 5%
𝐶𝑢𝑠𝑡𝑜 𝑑𝑒 𝐴𝑝𝑜𝑙𝑖𝑐𝑒 = 200.00
𝑆𝑒𝑙𝑜 𝑑𝑒 𝐴𝑝𝑜𝑙𝑖𝑐𝑒 = 2%
𝑇𝑎𝑥𝑎 𝑑𝑒 𝑆𝑢𝑝𝑒𝑟𝑣𝑖𝑠ã𝑜 = 6%

14
Resolução

𝑃𝑆 = 𝐶𝑆 ∗ 𝑇. 𝑅𝑖𝑠𝑐𝑜 𝐸𝑛𝑐𝑎𝑟𝑔𝑜𝑠 = 𝑃𝑆 ∗ 𝑇. 𝑑𝑒 𝐸𝑛𝑐𝑎𝑟𝑔𝑜𝑠


𝑃𝑆 = 1.800.000,00 ∗ 0.01 𝐸𝑛𝑐𝑎𝑟𝑔𝑠𝑜 = 18.000,00 ∗ 0.05

𝑃𝑆 = 18.000,00 𝐸𝑛𝑐𝑎𝑟𝑔𝑜𝑠 = 900,00

𝑃𝐶 = 𝑃𝑆 + 𝐸𝑛𝑐𝑎𝑟𝑔𝑜𝑠 𝑃𝐵 = 𝑃𝐶 + 𝐶. 𝐴𝑝
𝑃𝐶 = 18.000,00 + 900,00 𝑃𝐵 = 18.900,00 + 200,00
𝑃𝐶 = 18.900,00 𝑃𝐵 = 19.100,00

𝑆. 𝐴𝑃 = 𝑃𝐵 ∗ 𝑇. 𝑠𝑒𝑙𝑜 𝑇. 𝑆𝑈𝑃 = 𝑃𝐵 ∗ 𝑇. 𝑆𝑈𝑃


𝑆. 𝐴𝑃 = 19.100,00 ∗ 0.02 𝑇. 𝑆𝑈𝑃 = 19.100,00 ∗ 0.06
𝑆. 𝐴𝑃 = 382,00 𝑇. 𝑆𝑈𝑃 = 1.146,00

𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑅 = 𝑃𝐵 + 𝑆𝑒𝑙𝑜 + 𝑇. 𝑆𝑈𝑃


𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑅 = 19.100,00 + 382,00 + 1.146,00
𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑅 = 20.628,00

Valor pertencente a cada empresa:

 𝐴𝑙𝑓𝑎 𝑆𝐴1 = (18.900,00 × 70%) = 13.230,00


 𝐵𝑒𝑡𝑎 𝑆𝐴 = (18.900,00 × 30%) = 5.670,00

1
Tratando-se de duas seguradoras, o valor de participação é obtido no valor do premio comercial, multiplicado por
percentagem de cada empresa.

15
a) Escrita de Alfa SA (Líder)

Moçambique 12 de Março de 2015

Transportar
1 Diversos
a Diversos
P/ Processamento do recibo
40 Tomadores de Seguro 1
408 Cntas de Cobrança
4080 cobrança directa
40800 sede
a 70 Premio bruto Emitido 2
a 701 Premio de Seguro Directo não -vida
a 7010 Premios Processados 13.230,00
a 7013 Apolice de seguro 200,00
a 42 Co-empresas de seguros 3
a 423 Outras Emopresa de seguro
a 4230 Premios a pagar ( BETA, SA) 5.670,00
a 46 Actvos e Passivos por Impostos 4
a 46030 Imposto de selo
a 460300 Selo de Apolice 382,00
a 46031 Taxa de supervisão 1.146,00 20.628,00
…..………………….…//………………………
2 11 Deposito a Ordem 5
a 40 tomadores de seguro 1
a 408 conta de Cobrança
a 4080 cobrança Directa
a 40800 sede 20.628,00
P/ pagemento do Recibo 20.328,00
……………………....//………………………..
3 46 Actvos e Passivos por Impostos 4
46030 Imposto de selo
460300 selo de Apolice
46031 Taxa para a ANPC
a 46 Actvos e Passivos por Impostos 4
a 46030 Imposto de selo
a 460300 selo de Apolice 382,00
a 46031 Taxa para a ANPC 1.146,00
P/Transferencia da 1ª para 2ª 1.528,00
………………….//……………………………
4 42 Co-empresas de seguros 3
423 Outras Empresa de seguro
4230 Premios a pagar ( BETA, SA)
a 42 Co-empresas de seguros 3
a 423 Outras Emopresa de seguro

0
a 4237 Contas Correntes (Beta SA) 5.670,00
P/credito á co-empresa de seguro da quota-parte
do premio 5.670,00
………………………//…………………………
5 42 Co-empresas de seguros 3
423 Outras Emopresa de seguro
4237 Contas Correntes (Beta SA)
a 79 Outros rendimentos 6
a 709 Técnica
a 791 Relctivo ao ramo não vida 100.00
P/ débito à co-empresa de seguro da comisao 100.00
de co-gestão
………………………….//………………………

b) Escrita da BETA , SA

Moçambique 12 de Março de 2015


Transporte

1 40 Tomadoes de Seguro 1
408 Cntas de Cobrança
4080 cobrança directa
40800 sede
a 70 Premio bruto Emitido 2
a 701 Premio de Seguro Directo não -vida
a 7010 Premios Processados 5.670,00
P/ Processamento do Premio 5.670,00
…………….….//………………………..
2 42 Co-empresas de seguros 3
423 Outras Emopresa de seguro
4230 Premios a pagar
a 40 Tomadoes de Seguro 1
a 408 Cntas de Cobrança
a 4080 cobrança directa
a 40800 sede 5.670,00
P/ Processamento do Premio 5.670,00
………………...//……………………….
3 69 Outro Gastos 4
690 Tecnica
6901 Relatorio aos ramos não vidas
a 42 Co-empresas de seguros 3
a 423 Outras Emopresa de seguro
a 4230 Premios a pagar ( ALFA, SA) 100.00
P/ Processamento do Premio 100.00
…………………….//…………………….

1
6. Conclusão

Chegando ao final do trabalho, pode –se concluir que existem diversos contratos de
seguros, razão pela qual é necessário fazer a distinção entre o co-seguro e os demais.

Porém, em face da redução de sua capacidade de facto derivada da representação legal,


somente a companhia líder (seguradora representante) é quem tem legitimidade para o
processo, devendo agir em juízo nesta qualidade agir em juízo.

É de salientar que a seguradora líder agirá em juízo, atciva ou passivamente,


defendendo os interesses de todo o grupo de co-seguradoras, inclusive o seu próprio. Os
efeitos jurídicos das decisões judiciais deverão atingir todas as seguradoras, mas,
inexistindo solidariedade passiva (salvo se for convencionalmente estipulada) nenhuma
será obrigada integralmente pela eventual prestação devida ao segurado.

Inexistindo título executivo em favor do segurado, sua obtenção far-se-á por meio de
processo de conhecimento, com pretensão condenatória, mandamental ou executiva,
sendo sujeito passivo, a líder, como representante de todas as co-seguradoras. E, para a
primeira hipótese o processo de execução continuará em face da líder, entretanto, os
meios executivos serão exercitados em face de cada co-seguradora, que deve satisfazer
o crédito do autor, na medida de sua responsabilidade contratual, acordada na apólice do
seguro.

2
7. Referências Bibliográficas

Bertoldi, M. M. (2006). Curso avançado de direito comercial. São Paulo: Revista dos
Tribunais.
Coelho, F. U. (2008). Curso de direito comercial. São Paulo.
Negrao, R. (2009). Manual de direito comercial e de empresa. São Paulo: Saraiva.

Оценить