Вы находитесь на странице: 1из 12

05/03/2018

Resistência dos Materiais


Engenharia Civil

R1

A resistência dos materiais


é um ramo da mecânica que estuda
as relações entre cargas externas
aplicadas a um corpo deformável e
a intensidade das forças internas
que atuam dentro do corpo.
Esse assunto abrange também o
cálculo da deformação do corpo e o
estudo da sua estabilidade, quando
ele está submetido a forças

1
05/03/2018

R1
Forças de Superfície:
-força concentrada: aplicada em um ponto do
corpo.
-carga linear distribuída, w(s): carga aplicada
na superfície ao longo de uma área estreita. A
força resultante de w(s), FR, equivale a área
sob a curva de distribuição da carga, e sua
resultante atua no centróide C ou centro
geométrico dessa área.
Força de Campo:
-força peso
-força elétrica
-força magnética

R1

Reações de Apoio
As forças de superfície que se desenvolvem nos apoios ou pontos de contato
entre corpos são chamadas reações.
As reações de apoio são calculadas a partir das equações de equilíbrio da estática.

Apoios
Denominamos vínculos ou apoios os elementos de construção que impedem os
movimentos de uma estrutura.
Nas estruturas planas, podemos classificá-los em 3 tipos.

2
05/03/2018

R1
Vínculos de 1ª classe
Este tipo de vínculo impede o movimento de translação na direção normal ao
plano de apoio, fornecendo-nos desta forma, uma única reação (normal ao
plano de apoio).

http://www.lmc.ep.usp.br/people/hlinde/Est
ruturas/images/Sist.%20Est.%20Apoios/Estr
http://www.lmc.ep.usp.br/people/hlinde/Estruturas/images/Sist.%20 uturas_apoios_2.gif
Est.%20Apoios/foto_2006_6.jpg

R1

Vínculos de 2ª Classe
Este tipo de vínculo impede apenas dois movimentos; o movimento no sentido
vertical e horizontal, podendo formar duas reações. (vertical e horizontal).

http://www.lmc.ep.usp.br/people/hlinde/Estruturas/images/Sist.%20 http://www.lmc.ep.usp.br/people/hlinde/Estr
Est.%20Apoios/foto_2006_04_BuenosA.jpg uturas/images/Sist.%20Est.%20Apoios/Estrut
uras_apoios_4.gif

3
05/03/2018

R1

Vínculos de 3ª Classe
Este tipo de vínculo impede a translação em qualquer
direção, impedindo também a rotação do mesmo
através de um contra-momento, que bloqueia a ação
do momento de solicitação.

http://www.lmc.ep.usp.br/people/hlinde/Estru
turas/images/Sist.%20Est.%20Apoios/figura12.j http://www.lmc.ep.usp.br/people/hlinde/Estruturas/imag
pg es/Sist.%20Est.%20Apoios/Estruturas_apoios_6.gif

R1

4
05/03/2018

R1

Equações de Equilíbrio.
O equilíbrio de um corpo requer tanto o equilíbrio de forças, para evitar que o
corpo sofra translação ou tenha movimento acelerado ao longo de uma trajetória
retilínea ou curvilínea, como o equilíbrio de momentos, para evitar a rotação do
corpo. Essas condições podem ser expressas matematicamente por duas
equações vetoriais.

EXERCÍCIOS

5
05/03/2018

EXERCÍCIOS

EXERCÍCIOS

6
05/03/2018

R1

Carga interna resultante.


Uma importante aplicação da estática na análise dos problemas de resistência
dos materiais é ser capaz de determinar a força resultante e o momento em
que atuam no interior do corpo, necessários para manter o corpo unido quando
submetido a cargas externas.

R1

Método das seções.


Esse método requer que seja feita uma seção ou 'corte' através da região
em que as cargas internas devem ser determinadas. As duas partes do
corpo são então separadas, e o diagrama de corpo livre de uma das partes
é desenhado. Nesse diagrama deve-se mostrar as forças que representam
os efeitos do material da parte superior do corpo atuando sobre o
material da parte inferior.

7
05/03/2018

R1

R1

8
05/03/2018

R1

• Força Normal (N)


Força Normal é a componente da força que age
perpendicular à seção transversal. Se for dirigida para
fora do corpo, provocando alongamento no sentido da
aplicação da força, produz esforços de tração. Se for
dirigida para dentro do corpo, provocando encurtamento
no sentido de aplicação da força, produz esforços de
N
compressão.
São equilibradas por esforços internos resistente que se 
manifestam sob a forma de tensões normais (força por A
unidade de área).

R1

• Força Cortante (V)


Força Cortante é componente da força
contida no plano da seção transversal que
tende a deslizar uma porção do corpo em
relação à outra, provocando corte.
As tensões desenvolvidas internamente que
opõem resistência às forças cortantes são
denominadas tensões de cisalhamento ou
tensões tangenciais (força por unidade de V
área). 
A

9
05/03/2018

R1

• Momento Fletor (M)


Um corpo é submetido a esforços de flexão quando solicitado por forças que
tendem a dobrá-lo, mudar sua curvatura.
• Momento de Torção (T)
A componente do binário de forças que tende a girar a seção transversal em
torno de eixo longitudinal é chamado Momento de Torção.

http://www.fec.unicamp.br/~estruturastubulares/vivencia
/img04.jpg

EXERCÍCIOS

1) Determinar a resultante das cargas internas que atuam na seção


transversal em C da viga mostrada na figura.

10
05/03/2018

EXERCÍCIOS

2) Determinar a carga interna resultante na seção transversal que passa pelo


ponto C do alicate. Há um pino em A, e as garras em B são lisas.

EXERCÍCIOS

3. Determinar a resultante das cargas internas nas seções transversais que passam
pelos pontos D e E. O ponto E localiza-se à direita da carga de 3 kip

11
05/03/2018

EXERCÍCIOS

4. A viga suporta a carga distribuída mostrada. Determinar a carga interna


resultante nas seções transversais que passam pelos pontos D e E. Assumir que as
reações nos apoios A e B sejam verticais.

BIBLIOGRAFIA
Apostila- CEFET/SC Bento, Daniela A. Fundamentos de resistência dos materiais,
Florianópolis, março de 2003.
Apostila SENAI/SC. Resistência dos Materiais
Florianópolis: SENAI/SC. 2004. 108P
HIBBELER, R. C. Mecânica Estática. 10 ed. São
Paulo: Pearson Education do Brasil, 2005, 540p.
BEER, F. P.; JOHNSTON JR, E. R. Mecânica
Vetorial para Engenheiros: Estática.5.ed. São
Paulo: Makron Books, 1991. 980p.

12