Вы находитесь на странице: 1из 6

Universidade Federal Fluminense

Departamento de Ciências da Linguagem


Professora Diana Klinger

Teoria da literatura III

Ementa

Diferentes correntes teóricas do século XX à atualidade: formalismo russo, teoria crítica


(sociológica), estruturalismo e pós-estruturalismo, desconstrução, discussões
contemporâneas em torno dos estudos culturais, pós-coloniais e feministas. Leitura de
textos literários.

Bibliografia básica

I) Formalismo russo

Chklóvski, Victor. "A arte como procedimento". Trad. Ana Mariza R. Filipouski e
outros. In A Teoria da literatura. Formalistas russos. Porto Alegre, Globo, 1978. 4ª ed.
p.39-56.

Eikhenbaum, Boris. “A teoria do ´Método Formal´” e "Como é feito O Capote de


Gogol". In Teoria da literatura. Formalistas russos. Ed. cit. p. 227-244.

Gogol, Nikolai. O capote. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2001.

Tinianov . "O ritmo como fator constitutivo do verso". Em Costa Lima, Luiz. Teoria da
literatura em suas fontes. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

II) Literatura e sociedade (Escola de Frankfurt)

Adorno, Theodor. “Posição do narrador no romance contemporâneo” e “O artista como


representante”. Em Notas de literatura.I. São Paulo: Duas Cidades, 2003.

Benjamin, Walter. “Paris capital do século XIX”. Em LIMA, Luiz Costa. Teoria da
literatura em suas fontes. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1983, vol. II.

---. Charles Baudelaire um lírico no auge do capitalismo. A boemia. Em Obras


Escolhidas, vol. 3. São Paulo: Brasiliense, 1989.

Baudelaire, Charles: Poemas “Lê Cygne” “Le voyage” e outros.

1
III) Estruturalismo, pós-estruturalismo

Barthes, Roland. “A morte do autor” e “Da obra ao texto”. Em O rumor da língua. .


São Paulo: Martins Fontes, 2004.

Borges, Jorge Luis. “A biblioteca de Babel” e “O milagre secreto”, em Ficções. Rio de


Janeiro: Companhia das Letras, 2007.

Foucault, Michel. “A linguagem ao infinito”. Em Ditos e Escritos. Vol III. Rio de


Janeiro: Forense Universitária, 2001.

Iser, Wolfgang. "Problemas da teoria da literatura atual. Em Teoria da literatura em


suas fontes. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1983, vol. 2.

Nietzsche, F. Para alem do bem e do mal. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

Proust, Marcel. "Sobre a leitura”. Campinas: Pontes, 1989.

Silva, Victor Manuel de Aguiar. “A problemática do estruturalismo”. Teoria da


Literatura. 7ª. Ed. Coimbra: Livraria Almedina, 1986. (Cap. XVI )

IV) Desconstrução

Derrida, Jaques. “O pai do logos”. Em A farmácia de Platão. Trad. Rogério da Costa.


São Paulo: Iluminuras, 1991

--. “Assinatura, evento, contexto.” Em Limited.inc. Campinas: Papirus, 1991.

V) Desdobramentos contemporâneos: estudos culturais, “crise da teoria”, debates


atuais

De Souza, Eneida Maria. “A teoria em crise” e “Nostalgias do cânone”. Em Crítica


cult. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

Santiago, Silviano. “O entre-lugar do discurso latino-americano”. Em Uma literatura


nos trópicos. São Paulo, Perspectiva, 1978

Perrone Moisés, Leyla. “Que fim levou a crítica”. Em Inútil Poesia. São Paulo:
Companhia das Letras, 2000.

2
Bibliografia complementar

Acizelo de Souza, Roberto. Teoria da literatura. São Paulo: Atica, 2007.

Barthes, Roland. Aula. São Paulo: Cultrix, 1987.

Compagnon, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Belo Horizonte:


Editora da UFMG, 1999,

Costa Lima, Luiz. Teoria da literatura em suas fontes. Rio de Janeiro, Francisco
Alves, 1983, 2 vols. 2ª ed. revista e ampliada.

Derrida, Jaques. Margens da filosofia. Trad. Joaquim Torres Costa e Antônio


Magalhães. Campinas: Papirus, 1991

----. “La Différance”. Em AA. VV. Théorie d'ensemble. Paris: Seuil, 1968.

---. "A estrutura, o signo e o jogo no discurso das ciências humanas". Em: A Escritura e
a Diferença. São Paulo: Perspectiva, 1971,

Eagleton, Terry. Teoria da literatura uma introdução. São Paulo: Martin Fontes,
2006.Cap III. “Estruturalismo e semiótica” e Cap IV “O pós-estruturalismo”.

Irigaray, L. “The power of discurse and subordination of the femenine”. In Literary


Theory, an anthology. Rivkin and Ryan (orgs). Baltimore: Blackwell, 1991.

Lévy Strauss, J. Claude. “A análise estrtural em linguística e em antropologia” e “A


estrutura dos mitos”. Em Antropologia estrutural. São Paulo: Cosac e Naify, 2008.

Tezza, Cristóvão. Entre prosa e poesia. Bakhtin e o fromalismo russo. Rio de Janeiro:
Rocco, 2003.

3
Objetivos

Apresentar e discutir correntes críticas diversas, tendo em vista conceitos e


perspectivas trazidos por cada uma para o debate literário. Compreender e
problematizar os enfoques em seus respectivos horizontes históricos.

o formalismo russo no início do XX. Segue-se a análise de tendências da crítica


estilística, com ênfase para a linhagem de Erich Auerbach. Por fim, focalizam-se as
condições e o desenvolvimento da crítica dialética de obras literárias - Lukács,
Benjamin e Adorno - e suas especificidades na crítica brasileira.

Justificativa
Uma vez que textos teóricos e críticos são instrumentos de análise necessários para
o aprofundamento de nossa visão da obra literária, a presente disciplina procura
centrar problemas e questionamentos pertinentes a algumas correntes críticas.
Busca-se, com a diversidade de textos e o aclaramento de suas perspectivas,
desenvolver o conhecimento teórico do aluno, a fim de que possa exercitar o
discernimento crítico para a análise e a interpretação da obra de arte literária.

PROGRAMA

1. Formalismo russo. Conceitos centrais.


2. A estilística de Auerbach.
3. Teoria crítica. A crítica dialética de Lukács, Benjamin e Adorno.
4. Estruturalismo, pós-estruturalismo. Barthes, Foucault, Derrida.

Textos literários:
1- Poemas
2- ?
3- Baudelaire/ kafka
4- Barthes conceito de texto e autor. Foucault: as palavras e as coisas. Derrida: a
desconstrução. Contos de Borges

Auerbach. Mimesis
Barthes da obra ao texto e A morte do autor
Foucault. Prefacio à transgressão

ATIVIDADES DO PROFESSOR
Aulas expositivas: problemas teóricos e abordagens críticas.
Aulas práticas: análise de textos.
Orientação e coordenação de seminários.
Orientação para trabalho monográfico.

ATIVIDADES DOS ALUNOS


Participação nas aulas, debates e seminários teóricos.
Projeto para o trabalho final. Monografia.
AVALIAÇÃO

O trabalho escrito deverá ser individual e datilografado. Na avaliação serão


considerados: capacidade analítica, clareza de exposição; fontes corretamente
citadas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA (textos complementares serão indicados ao longo do


curso)

4
Manuais e compêndios:

EAGLETON, Terry. Teoria da Literatura: uma introdução. Trad. Waltesir Dutra. São
Paulo, Martins Fontes, 1994.

LIMA, Luiz Costa. Teoria da literatura em suas fontes. Rio de Janeiro, Francisco
Alves, 1983, 2 vols. 2ª ed. revista e ampliada.

Formalismo russo:

BAKHTIN, Mikhail. "Epos e romance". In: Questões de Literatura e de Estética. São


Paulo,Unesp,1990.
CHKLÓVSKI, Victor. "A arte como procedimento". Trad. Ana Mariza R. Filipouski e
outros. In A Teoria da literatura. Formalistas russos. Porto Alegre, Globo, 1978. 4ª
ed. p.39-56.
EIKHENBAUM, Boris et al. Théorie de la littérature. Textes des formalistes russes.
Seleção, apres., e trad. de T. Todorov. Paris, Seuil, 1965.
EIKHENBAUM, Boris. "Como é feito O Capote de Gogol". In Teoria da literatura.
Formalistas russos. Ed. cit. p. 227-244.
JAKOBSON , Roman. "Do realismo artístico". In Teoria da literatura. Formalistas
russos. Ed. cit. p. 119-127.
TYNIANOV, Iúri. "A noção de construção". In Teoria da literatura. Formalistas
russos. Ed. cit. p. 99-103.

Estilística:
AUERBACH, Erich. Mimesis. A representação da realidade na literatura ocidental
Trad. George Sperber. São Paulo, Perspectiva, 1987. 2ª ed., revisada.
SPITZER, Léo. Études de style. Paris, Gallimard, 1970.
STAROBINSKI, Jean. "O fuzil de dois tiros de Voltaire". In: As máscaras da
civilização. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

Teoria crítica:
ADORNO, Theodor W. "O ensaio como forma". In Notas de Literatura I. Trad. Jorge
de Almeida. São Paulo, Duas Cidades / Ed. 34, 2003. p. 15-45.
__. "Sobre a ingenuidade da épica". In Op. cit. p. 47-54.
__. "Posição do Narrador no Romance Contemporâneo". Trad. Modesto Carone. In
BENJAMIN, Walter et al. Textos Escolhidos. São Paulo, Abril, 1983. 2ª ed. p. 269-
73. [nova tradução em: Notas de Literatura I. Trad. Jorge de Almeida. São Paulo,
Duas Cidades / Ed. 34, 2003].
__. "Lecture de Balzac". In Notes sur la littérature. Trad. Sibylle Muller. Paris,
Flammarion, 1984. [Tradução em inglês: "Reading Balzac". In Notes to Literature.
Trad. Shierry Weber Nicholsen. New York, Columbia University Press, 1991. vol. 1,
p. 121-136.]
__. "Museu Valéry-Proust". In Prismas: crítica cultural e sociedade. Trad. Augustin
Wernet e Jorge de Almeida. São Paulo, Ática, 1998. p. 173-185.
__. "Anotações sobre Kafka". In Op. cit. P. 239-270.
BENJAMIN, Walter. "O narrador". In Magia e técnica. Arte e Política. (Obras
escolhidas I). São Paulo: Brasiliense, 1993. 6ª ed. p. 197-221.
__. "A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica". In Op. cit. p. 165-196.

LUKÁCS, Georg. "O romance como epopéia burguesa". Ensaios Ad Hominem, n. 1,


tomo II, São Paulo, 1999, pp. 87-117.
__. "Balzac: Les IIlusions perdues". Trad. Luís Fernando Cardoso. In: Ensaios sobre
literatura. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1965. p. 95-114.
__."Técnica e forma". Introdução a uma estética marxista. Rio de Janeiro,
Civilização brasileira, 1968. Trad. Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. p.
186-192.

5
__. "Originalidade artística e reflexo da realidade". Op. cit. p. 203-208.
__. Realismo crítico hoje. Trad. Ermínio Rodriguez. Brasília, Coordenada, 1969.