Вы находитесь на странице: 1из 759

s

HiPath 4000 V5.0


Treinamento Avançado
BR0039
CONTEÚDO 
 

BR0039 – HIPATH 4000 Avançado  

1 - Configuração de Troncos
2 - LCR
3 - Grupos de Atendimento
4 - Ramais IP
5 - Key System
6 - FlexRouting
7 - Uw7 Assistant
8 - HiPath 4000 Assistant
9 - Diagnósticos
10 - Backup and Restore
Configuração de Troncos
Configuração de Troncos

1. Configuração de Troncos
Configuração de Troncos
Configuração de Troncos

Configuração de Troncos

Conteúdo
1 AMOS para troncos ............... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
2 Configurações Centrais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
3 Configuração de troncos digitais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
3.1 STMD: S0-trunk . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
3.2 S0 - tronco tie-line digital com protocolo ECMAV2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
3.3 S0 - tronco digital com a cent ral pública . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
3.4 DIUN24: S2-tronc o . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
3.4.1.S2 - tronco digital tie-line com protocolo ECMAV2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
3.4.2 S2 - troncos digitais com a c entral pública. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
Configuração de Troncos
1.

CTIME DTIM1 DTIM2 PTIME


temporiz. p/ CP, circuitos, AC, PSE temporiz. DH p/ X21, DIGITE, troncos, tie line, temporizador DH para taxas gerais, fazer/inter- temporiz. p/ SLMA, TMCOW, TMEMW
TMOM romper

WABE VBZ COSSU COP COT PROD REFTA BUEND LWPAR ZAND COFEA
dados de E
restrições para classe de classe de classe de tabela do grupos de parâm. de dados do facilidades
conversão
tráfego interno serviço parâmetros troncos descritor de clock de troncos loadware sistema CO dos tron-
de dígitos
protocolo referência para rede central cos RDSI
No. ITR No. COS No. COP No. COT No. PROT PRIO No. TGRP No. BL EREF- PEN
TGR
P
AMOs para troncos

ALL

DESTNO

TACSU TDCSU TSCSU


circuitos de tronco analógicos TMCOW, TMLRB, circuitos troncos digitais STMD, circuitos troncos especiais TMOM,
TGRP

cód. do no. de MFCVAR


DPLN
KNMAT KNDEF RICHT MFCTA DIMSU
restrições entre tráfegos código para uma/diver- tabelas de código capacidades p/ facilid.
para rede sas rotas multifrequencial

LODR

LSCHD LDAT LDSRT

LDPLN LPROF
Configuração de Troncos
Configuração de Troncos

1.1.1 Relação de AMOs para troncos

1.1.1.1 AMO BUEND

Grupos de troncos
Especificação do tamanho máximo e nome para grupo de troncos

1.1.1.2 AMO COP

Classe de parâmetros
Classificação dos parâmetros relacionados a troncos em categorias, as quais são
atribuídas pelos AMO TACSU/TSCSU aos troncos.(parametros de linha).

1.1.1.3 AMO COT

Classe de troncos
Classificação das facilidades de linha relacionadas ao processamento de
chamadas em categorias, as quais são alocadas pelos AMO TACSU/TDCSU/
TSCSU aos troncos

1.1.1.4 AMO PTIME

Tabelas padrão para troncos


Especificação de tabelas padrão para definir e ou modificar temporizações (p.ex.:
tempos de pulsos E&M) e parâmetros de funcionamento (p.ex.: bloqueio de
chamadas a cobrar DDC para troncos analógicos (CAS)

1.1.1.5 AMO TACSU


Configuração de troncos analógicos e digitais com sinalização associada a canal
(CAS) e tie lines utilizando módulos como TM2LP, TMLRB, TMEW2 e DIUN2.
Alocação de endereços de HW e de parâmetros para os troncos e para as linhas,
e colocação dos mesmos em operação.

1.1.1.6 AMO TSCSU


Configuração de troncos especiais para TMOM2, SLMD, servidores integrados e
TMX21.
Alocação de endereços de HW e de parâmetros para troncos e para linhas, e
colocação dos mesmos em operação.
Configuração de Troncos

1.1.1.7 AMO TDCSU

Configuração de troncos digitais com interfaces S0 ou S2utilizando módulos como


STMD e DIUN2 e STMI4. Obs: Configura-se tambem os troncos IP!
Interface S0.
Alocação de endereços de HW e de parâmetros para os dois canais B de um
circuito S0, e colocação dos troncos em operação.
Interfaces S2.
Alocação dos endereços de HW e de parâmetros para os 30 canais B de um
circuito S2, e colocação dos troncos em operação.

1.1.1.8 AMO RICHT

Rota
É alocada uma rota para:
- um ou diversos código(s);
- um ou diversos grupos de saída / bidirecional
dependendo de DPLN, CPS e SVC.

1.1.1.9 AMO PRODE


Descritor de protocolo. (Proticolos ISDN (CCS)
Normalmente não são necessárias alterações de protocolo, pois os protocolos
são pré-inicializados para todos os troncos conhecidos.
Obs: Por default não vem habilitado na central! Tem que ser habilitado!

1.1.1.10 AMO LWPAR


Parâmetros de loadware (Ex: Mestre/Escravo , com ou sem CRC-4)
Parametrização do loadware para troncos analógicos e digitais da rede.
Atribuição de tabelas para os troncos da rede analógica e adaptação das
mesmas, se for necessário, através deste AMO.
Os blocos de parâmetros para os circuitos DIUS2 estão atribuídos de forma
permanente, porém é possível efetuar mudanças.

1.1.1.11 AMO COFEA


Exibição das facilidades de serviço dos troncos ISDN para a CO (Central
Pública).
A informação de estado dos troncos ISDN disponíveis na CO (Central Pública) é
mostrada no terminal de serviço.
Configuração de Troncos

1.1.1.12 AMO REFTA


Tabela de clock de referência
Todos os sistemas com conexões digitais a outros sistemas Hicom ou à central
pública precisam ter um clock sincronizado. Por esta razão, todos os sistemas
Hicom possuem um gerador de clock que é sincronizado aos circuitos de linha,
que por sua vez oferecem o clock com a maior qualidade.

1.1.1.13 AMO MFCTA


Tabelas de MFC
Definição de tabelas padrão com sinais MFC e sua interpretação com
possibilidade de modificação.

Obs: Troncos R2 Digital!


Configuração de Troncos

2 Configurações Centrais

1) CHA-ZAND
TYPE = ALLDATA
PNNO =
(número do nó físico; Todo o sistema com todos os Access Points (APs)

PNODECD =
(Código de nó físico para otimização de rota)

ROUTOPTP = Yes/No
(Otimização de rota sómente na rota primária)
ROUTOPTD =Yes/No
(Desabita otimização de rota)

2) ADD-KNDEF
NNO =
(Número do nó virtual
TYPE = próprio/externo

ISDNCC =
ISDNAC = Substitui os parâmetros do TDCSU; Para modificações do
ISDNLC = número do chamado e chamador;
ISDNSK = (Skip Digits; Standard: Length of the ISDNLC)
ISDNUL = (Unique Level; Defines to which level a number should be reduced)

PNPL2C =
PNPL1C = Replace the TDCSU Parameter; For modification of the
PNPLC = called and calling number;
PNPSK = (pula digitos; Padrão: Tamanho do PNPLC)
PNPUL = (nível único; Define o número de qual nível pode ser descartado)

NODECD = (De acordo com o PNODECD no AMO:ZAND)


NODECDSK = (Pula digitos; Padrão; tamanho do NODECD)

3) CHA-KNDEF
NNO=
DFLT = y (número de nó padrão; se existirem vários nós virtuais criados no AMO KN-
DEF, um novo ramal automaticamante assume o nó marcado como default
veja o AMO: SDAT
Configuração de Troncos

4) LCR-COS upgrades
CHA-ZAND:
TYPE = LCR
LCRCOSUP = LAUTH-Situação a) quando a discagem externa é feita através da
agenda abreviada b) para tomar uma linha não discada por VPL c) para desvio
para a rede pública
LCRNSTN= LAUTH-Situação de ramal noturno ativo

5) PRODE (Descritor de protocolo)


COPY-PRODE:PVCD,1;
Obs: Verificar se ja esta habilitado na central, caso não esteja habilitar!
Como padrão, vem desabilitado na central!

6) MFCTA (Tabela MFC para troncos R2Digital)


COPY-MFCTA:19,1;
Obs: A tabela utilizada para o Brasil é a 19, veja um bloco que esteja livre
e copie a tabela de depois faça as alteraçoes necessarias!
Como padrão, vem desabilitado na central!

6) PTIME (Tabela de temporizadores para troncos analógicos)


COPY-PTIME:49,1; (R2 Digital Brasil)
COPY-PTIME:87,2; (Troncos analogicos, ex: interface celular!)
Obs: Caso não esteja configurada, veja um bloco que esteja livre e copie!
Como padrão, vem desabilitado na central!
Configuração de Troncos

3 Configuração de troncos digitais

3.1 S0 - tronco tie-line digital com protocolo ECMAV2

3) CHA-COT 7) ADD-TDCSU
COTNO= OPT=NEW
COTTYPE=
PAR=
PEN=1-xx-xxx-xx 1) ADD-BCSU
COTNO= MTYPE=PER
INFO=
COPNO= LTG=
DPLN= LTU=
4) CHA-COP ITR= SLOT=
COPNO= COS= PARTNO=”Q2174-x”
COPTYPE= LCOSV=
PAR= LCOSD=
INFO= CCT= “Info-field”
DESTNO=
PROTVAR=ECMAV2
6) ADD-REFTA
5) CHA-COSSU TYPE=CIRCUIT
SEGMENT=8
TYPE=LCOSV / D PEN=
TRACOUNT=
LCOSV/D= PRI=
SATCOUNT=
ALCR= BLOCK=
NNO=
DLCR= READYASY=
ALARMNO=
INFO=
CARRIER=
ZONE=
COTX=
FWDX=
CCHDL=
2) ADD-BUEND SRCGRP=
TGRP= TGRP=
NAME= SRCHMODE=
NO=e.g. 4 INS=Yes
DEV=S0CONN
NO= No of trunks
MASTER=
SMD=
BCNEG=
Configuração de Troncos

Exemplo de parametrização mínima Tie Line S0

BCSU 

ADD-BCSU:PER,1,5,3,"Q2217-X ",1,0,,,,,,A,,0; /*MODULO STMD3*/

BUEND 

ADD-BUEND:105,"TRONCO S0 STMD3 ",20,0,*,2,ON,0,0,NEUTRAL;

COS 

ADD-COSSU:,52,,,,,,,,;
CHA-COSSU:COS,52,TA&TNOTCR;
CHA-COSSU:COS,52,,NOCO&NOTIE;
CHA-COSSU:COS,52,,,NOCO&NOTIE;

CHA-COSSU:LCOSV,32,1&&64;

CHA-COSSU:LCOSD,32,1&&64; 

COP 

ADD-COP:194,ANS,,;
 

COT 

ADD-COT:194,XFER&ANS&CEBC&CBBN&CBFN&LWNC&CECO&TSCS&CFOS&LINO&NTON;

LWPAR 

CHA-
LWPAR:DIUS2,0,COPPER,S2,ON,N,16,0,D5,10,10,N,Y,DF,N,0,255,N,N,INDEP,;
 

TDCSU 

ADD-TDCSU:NEW,1-05-003-
0,194,194,0,0,10,32,32,"",194,ECMAV2,8,,NONE,,,,GDTR,N,TIE,NONE,N,0,,,
,,,,31,MANY,195,0,1,1,EMPTY,194,1,N,,,,,,16,8,1,10,,EC&G711&G729OPT,,1
05,CIR,Y,S0CONN,,Y,Y,0,N;
Configuração de Troncos

3.2 S0 - tronco digital com a central pública

3) CHA-COT 7) ADD-TDCSU
COTNO=
OPT=NEW
COTTYPE=
PAR=
PEN=1-xx-xxx-xx 1) ADD-BCSU
COTNO= MTYPE=PER
INFO=
COPNO= LTG=
DPLN= LTU=
4) CHA-COP ITR= SLOT=
COPNO= COS= PARTNO=”Q2174-x”
COPTYPE= LCOSV=
PAR= LCOSD=
INFO= CCT= “Info-field”
DESTNO=
PROTVAR= ETSI
6) ADD-REFTA
5) CHA-COSSU SEGMENT=1 TYPE=CIRCUIT
TYPE=LCOSV / D TRACOUNT= PEN=
LCOSV/D= SATCOUNT= PRI=
ALCR= NNO= BLOCK=
DLCR= ALARMNO= READYASY=
INFO= CARRIER=
ZONE=
COTX=
FWDX=
CCHDL=
2) ADD-BUEND SRCGRP=
TGRP= TGRP=
NAME= SRCHMODE=
NO= e.g. 2 INS=Yes
DEV=S0COD
NO= No of trunks
PERMACT1=
PERMACT2=
BCNEG=

SMD e MASTER
é setado automatica-
mente para
SMD=No
MASTER=No
Configuração de Troncos

Exemplo de parametrização mínima troncos acesso CO S0

BCSU 

ADD-BCSU:PER,1,5,3,"Q2217-X ",1,0,,,,,,A,,0; /*MODULO STMD3*/

BUEND 

ADD-BUEND:105,"TRONCO S0 STMD3 ",20,0,*,2,ON,0,0,NEUTRAL;

COS 

ADD-COSSU:,52,,,,,,,,;
CHA-COSSU:COS,52,TA&TNOTCR;
CHA-COSSU:COS,52,,NOCO&NOTIE;
CHA-COSSU:COS,52,,,NOCO&NOTIE;

CHA-COSSU:LCOSV,32,1&&64;

CHA-COSSU:LCOSD,32,1&&64; 

COP 

ADD-COP:194,ANS,,;
 

COT 

ADD-COT:194,XFER&ANS&CEBC&CBBN&CBFN&LWNC&CECO&TSCS&CFOS&LINO&NTON;

LWPAR 

CHA-
LWPAR:DIUS2,0,COPPER,S2,ON,N,16,0,D5,10,10,N,Y,DF,N,0,255,N,N,INDEP,;
 

TDCSU 

ADD-TDCSU:NEW,1-05-003-
0,194,194,0,0,10,32,32,"",194,ETSI,1,,NONE,,,,GDTR,N,CO,NONE,N,0,,,
,,,,31,MANY,195,0,1,1,EMPTY,194,1,N,,,,,,16,8,1,10,,EC&G711&G729OPT,,1
05,CIR,Y,S0COD,,Y,Y,0,N;
Configuração de Troncos

3.3 DIUN2 : S2 (E1)


3.3.1 S2 - tronco digital tie-line com protocolo ECMAV2

3) CHA-COT 8a) ADD-TDCSU 1) ADD-BCSU


COTNO= OPT=NEW MTYPE=DIU (PER)
COTTYPE= PEN=1-xx-xxx-xx LTG=
COTNO= LTU=
PAR=
COPNO= SLOT=
INFO= DPLN= PARTNO=” Q2196-X ”
ITR= FCTID= 1
4) CHA-COP COS=
COPNO= LCOSV=
COPTYPE= LCOSD= 7) ADD-REFTA
PAR= CCT= “Info-field” TYPE=CIRCUIT
INFO= DESTNO= PEN=
PROTVAR= ECMAV2 PRI=
SEGMENT=8 BLOCK=
TRACOUNT= READYASY=
5) CHA-COSSU SATCOUNT=
TYPE=LCOSV / D ATNTYP=TIE
LCOSV/D= NNO= 6) DISP-LWPAR
ALCR= ALARMNO= TYPE=DIUS2
DLCR= CARRIER=
INFO= ZONE= respectivamente
COTX=
FWDX= CHA-LWPAR
CCHDL= TYPE=DIUS2
2) ADD-BUEND SRCGRP= BLNO=0-25
TGRP= CLASSMARK=EC LNTYP=COPPER/OWG
NAME= TGRP= QUAL=Yes/No (CRC4)
NO=30 SRCHMODE= MASTER=Yes/No
INS= SMD=Yes/No
DEV=S2CONN
BCHAN=1&&30
BCNEG=
BCGR=1
LWPAR=0-25

Para adicionar canais 8b)ADD-TDCSU


B em um grupo exis- OPT = NEW
tente PEN = 1-xx-xxx-xx
:
8b) Canais B de um tronco são
ADD-TDCSU DEV = S2CONN
relacionados para diferentes
OPT=EXT BCGRs. Esses BCGRs são adi-
TGRP =
PEN=1-xx-xxx-xx cionados em diferentes TGRPs.
:
BCGR=1-8 (Para realizar chamadas de en-
BCHAN =
BCHAN= trada, saída e bidirecionais
BCGR = 2-8
Configuração de Troncos

Exemplo de parametrização mínima Tie Line S2

 
BCSU 

ADD-BCSU:DIU,1,1,25,"Q2196-X ",0,,,,,1,,,,,A;

BUEND 

ADD-BUEND:8,"TIELINE ",100,0,*,1,ON,0,0,NEUTRAL;

COS 

ADD-COSSU:,70,,,,,,,,;
 
CHA-COSSU:COS,70,TA&TNOTCR;

CHA-COSSU:LCOSV,32,1&&64;

CHA-COSSU:LCOSD,32,1&&64; 

COP 

ADD-COP:115,,TA,TA;
COT 

ADD-
COT:115,PRI&RCL&XFER&ANS&CEBC&CBBN&CBFN&BLOC&DPRE&ROPT&CECO&TSCS&ICZL&
ICZO&PINR&LINO&TRBA&NTON;
 
LWPAR 

CHA-
LWPAR:DIUS2,0,COPPER,S2,ON,N,16,0,D5,10,10,N,Y,DF,N,0,255,N,N,INDEP,;
TDCSU 

ADD-TDCSU:NEW,1-02-025-
0,115,115,0,0,70,32,32,"",182,ECMAV2,8,,NONE,,,,GDTR,N,cTIE,NONE,N,0,,5
5,19,3736,,,31,MANY,82,0,1,1,EMPTY,115,10,N,,,,,,16,8,1,10,,EC&G729A,,
1,CIR,Y,TRADITIO,S2CONN,1&&16,N,1,0,0,0,0,0,0,N,;  

ADD-REFTA:CIRCUIT,1-2-25-0,90,0,N,N;

 
Configuração de Troncos

3.3.2 S2 - troncos digitais com a central pública (EURO ISDN)

3) CHA-COT 8a) ADD-TDCSU 1) ADD-BCSU


OPT=NEW MTYPE=DIU (PER)
COTNO=
PEN=1-xx-xxx-xx LTG=
COTTYPE=
COTNO= LTU=
PAR=
COPNO= SLOT=
INFO= DPLN= PARTNO=” Q2196-X ”
ITR= FCTID= 1
4) CHA-COP COS=
COPNO= LCOSV=
COPTYPE= LCOSD= 7) ADD-REFTA
PAR= CCT= “Info-field” TYPE=CIRCUIT
INFO= DESTNO= PEN=
PROTVAR= ETSI PRI=
SEGMENT=1 BLOCK=
TRACOUNT= READYASY=
5) CHA-COSSU SATCOUNT=
TYPE=LCOSV / D ATNTYP=CO
LCOSV/D= NNO= 6) DISP-LWPAR
ALCR= ALARMNO= TYPE=DIUS2
DLCR= CARRIER=
INFO= ZONE= respectivamente
COTX=
CHA-LWPAR
FWDX=
CCHDL= TYPE=DIUS2
2) ADD-BUEND SRCGRP= BLNO=0-25
TGRP= CLASSMARK=EC LNTYP=COPPER/OWG
NAME= TGRP= MASTER=Yes/No
NO=30 SRCHMODE= QUAL=Yes/No (CRC4)
INS= SMD=Yes/No
DEV=S2COD
BCHAN=1&&30
BCNEG= 9) CHA-KNDEF
BCGR=1
LWPAR=0-25 Identificação TRK
Para adicionar canais 8b)ADD-TDCSU
B em um grupo exis- OPT = NEW
tente PEN = 1-xx-xxx-xx
:
8b) Canais B de um tronco são
ADD-TDCSU DEV = S2CONN
relacionados para diferentes
OPT=EXT BCGRs. Esses BCGRs são adi-
TGRP =
PEN=1-xx-xxx-xx cionados em diferentes TGRPs.
:
BCGR=1-8 (Para realizar chamadas de en-
BCHAN =
BCHAN= trada, saída e bidirecionais
BCGR = 2-8
Configuração de Troncos

Exemplo de parametrização mínima troncos ISDN acesso rede pública

 
BCSU 

ADD-BCSU:DIU,1,1,25,"Q2196-X ",0,,,,,1,,,,,A;

BUEND 

ADD-BUEND:8,"TIELINE ",100,0,*,1,ON,0,0,NEUTRAL;

COS 

ADD-COSSU:,70,,,,,,,,;
 
CHA-COSSU:COS,70,TA&TNOTCR;

CHA-COSSU:LCOSV,32,1&&64;

CHA-COSSU:LCOSD,32,1&&64; 

COP 

ADD-COP:115,,TA,TA;
COT 

ADD-
COT:115,PRI&RCL&XFER&ANS&CEBC&CBBN&CBFN&BLOC&DPRE&ROPT&CECO&TSCS&ICZL&
ICZO&PINR&LINO&TRBA&NTON;
 
LWPAR 

CHA-
LWPAR:DIUS2,0,COPPER,S2,ON,N,16,0,D5,10,10,N,Y,DF,N,0,255,N,N,INDEP,;
TDCSU 

ADD-TDCSU:NEW,1-02-025-
0,115,115,0,0,70,32,32,"",182,ETSI,8,,NONE,,,,GDTR,N,cCO,NONE,N,0,,5
5,19,3736,,,31,MANY,82,0,1,1,EMPTY,115,10,N,,,,,,16,8,1,10,,EC&G729A,,
1,CIR,Y,TRADITIO,SOCOD,1&&16,N,1,0,0,0,0,0,0,N,;  

ADD-REFTA:CIRCUIT,1-2-25-0,90,0,N,N;
Configuração de Troncos

3.4 STMI4 : IP TRUNKING


3.4.1 IP Trunking - TIE

3) CHA-COT 8a) ADD-TDCSU 1) ADD-BCSU


COTNO= OPT=NEW MTYPE= STMI4 (IPGW)
COTTYPE= PEN=1-xx-xxx-xx LTG=
COTNO= LTU=
PAR=
COPNO= SLOT=
INFO= DPLN= PARTNO=” Q2324-X500”
ITR= FCTID= 1
4) CHA-COP COS= FCTBLK= (BFDAT)
COPNO= LCOSV=
COPTYPE= LCOSD=
PAR= CCT= “Info-field” 7) ADD-REFTA
INFO= DESTNO= TYPE=CIRCUIT
PROTVAR=ECMAV2
PEN=
SEGMENT=8
TRACOUNT= PRI=
5) CHA-COSSU SATCOUNT= BLOCK=
TYPE=LCOSV / D ATNTYP=TIE READYASY=
LCOSV/D= NNO=
ALCR= ALARMNO=
DLCR= CARRIER= 6) DISP-LWPAR
INFO= ZONE= TYPE=DIUS2
COTX=
FWDX= respectivamente
2) ADD-BUEND CCHDL= CHA-LWPAR
SRCGRP= TYPE=DIUS2
TGRP= CLASSMARK=EC&G729 BLNO=0-25
NAME= TGRP= LNTYP=COPPER
NO=30 SRCHMODE=
MASTER=Yes
INS=
DEV=HG3550IP SMD=Yes
10) CGWB BCHAN=1&&30
Endereço IP do módulo BCNEG=
BCGR=1 11) GKREG
LWPAR=0-25
Internal e External GW
Para adicionar canais 8b)ADD-TDCSU
B em um grupo exis- OPT = NEW
tente PEN = 1-xx-xxx-xx
:
8b) Canais B de um tronco são
ADD-TDCSU DEV = S2CONN
relacionados para diferentes
OPT=EXT BCGRs. Esses BCGRs são adi-
TGRP =
PEN=1-xx-xxx-xx cionados em diferentes TGRPs.
:
BCGR=1-8 (Para realizar chamadas de en-
BCHAN =
BCHAN= trada, saída e bidirecionais
BCGR = 2-8
Configuração de Troncos

Exemplo de parametrização mínima para IP Trunking

BFDAT 

ADD-BFDAT:23,HG3550,BCHL60&BCHL120;
CHA-BFDAT:CONT,23,HG3550,2,3,;
CHA-BFDAT:OK,23,YES;
 
BCSU 

ADD-BCSU:IPGW,1,2,25,"Q2324-X500",1,0,23,,,,60,,,0; /*Módulo STMI4*/

CGWB 
ADD-CGWB:2,25,NORMAL,10.20.2.5,255.255.255.0;
CHANGE-
CGWB:CGW,2,25,GLOBIF,,,213,NO,0,10.20.2.254,,100MBFD,0,0,0,0,4060,0.0.
0.0;
BUEND 

ADD-BUEND:1,"IP TRUNK ",60,0,*,2,ON,0,0,NEUTRAL;

COS 

ADD-COSSU:,70,,,,,,,,;
 
CHA-COSSU:COS,70,TA&TNOTCR;

CHA-COSSU:LCOSV,32,1&&64;

CHA-COSSU:LCOSD,32,1&&64; 

COP 

ADD-COP:115,,TA,TA;
COT 

ADD-
COT:115,PRI&RCL&XFER&ANS&CEBC&CBBN&CBFN&BLOC&DPRE&ROPT&CECO&TSCS&ICZL&
ICZO&PINR&LINO&TRBA&NTON;
 
LWPAR 

CHA-
LWPAR:DIUS2,0,COPPER,S2,ON,N,16,0,D5,10,10,N,Y,DF,N,0,255,N,N,INDEP,;
TDCSU 

ADD-TDCSU:NEW,1-02-025-
0,115,115,0,0,70,32,32,"",182,ECMAV2,8,,NONE,,,,GDTR,N,TIE,NONE,N,0,,5
5,19,3736,,,31,MANY,82,0,1,1,EMPTY,115,10,N,,,,,,16,8,1,10,,EC&G729A,,
1,CIR,Y,TRADITIO,HG3550IP,1&&16,N,1,0,0,0,0,0,0,N,; 
Configuração de Troncos

4 Troncos analógicos

4.1 E1 - R2 Digital - CAS

3) CHA-COT 9) ADD-TACSU 1) ADD-BCSU


COTNO= PEN=1-xx-xxx-xx MTYPE= DIU (PER)
COTTYPE= NO= LTG=
COTNO= LTU=
PAR=
COPNO= SLOT=
INFO= DPLN= PARTNO=” Q2196-X ”
ITR=
4) CHA-COP FCTID= 2
COS=
COPNO= LCOSV=
COPTYPE= LCOSD=
PAR= INIGHT= 7) ADD-REFTA
INFO= TGRP= TYPE=CIRCUIT
COFIDX=
CCT= PEN= (Circuito 0 ou 32)
DESTNO= PRI=
5) CHA-COSSU NNO= BLOCK=
TYPE=LCOSV / D ALARMNO= READYASY=
LCOSV/D= CARRIER=
ALCR= ZONE= 6) MFCTA
DLCR= LINE=
Tabela 19
INFO= CIDDGTS=
CBMATTR=
SRCGRP=
CLASSMARK=EC&G729
2) ADD-BUEND
TGRP= TRTBL=GDTR
ATNTYP=CO
NAME= DEVTYPE=TC
NO=30 DEV=DIUCQ421
MFCVAR=
DGTCNT=4
8) PTIME CIRCIDX=
DIALTYPE=MFC-MFC
Initblock 49 DIALVAR=6-0

Obs: Tem que ter pelo menos 01 módulo SIX2 (FCTID=3) configurado na central!
Caso contrario os circuitos não entram em serviço!
Configuração de Troncos

Exemplo de parametrização mínima para R2 Digital

MFCTA

COPY-MFCTA:19,1;
CHANGE-MFCTA:3,MFCVAR,MISC,,,,IDBEFBS&NOMFCMO&CATTOID,N,,N,,N,,N,;
CHANGE-MFCTA:3,MFCVAR,SUPERV,,,,,,,,,,,,,,,,,13,;
CHANGE-MFCTA:3,TBLB,BSIGB,NASS,7,;
CHANGE-MFCTA:3,TBLF,BSIGA,5,IDENT;
CHANGE-MFCTA:3,TBLF,BSIGB,2,NOPO;
CHANGE-MFCTA:3,TBLF,BSIGB1,2,NOPO;
CHANGE-MFCTA:3,TBLF,FIDENT,,,33159000F,9,,,,,,,,33159000,8,0;

PTIME
COPY-PTIME:49,1;
CHANGE-PTIME:TYPE=REST,TBLK=1,BTYPE=SHORT,S4=0,S5=1,S7=10;
CHANGE-PTIME:TYPE=REST,TBLK=1,BTYPE=PARA,P11=2;

COP
ADD-COP:COPNO=32,PAR=ANS&LSUP&RLSA,TRK=TA,TOLL=TA,INFO="R2 DIGITAL";

COT
ADD-COT:COTNO=32,PAR=RCL&XFER&ANS&MFC&ATDI&NTON,INFO="R2 DIGITAL";

COS
ADD-COSSU:NEWCOS=10,AFAX=TA&TNOTCR,INFO="R2 DIGITAL";

LCOSV
CHANGE-COSSU:TYPE=LCOSV,LCOSV=32,ALAUTH=1&&64,INFO="R2 DIGITAL";

LCOSD
CHANGE-COSSU:TYPE=LCOSD,LCOSD=32,ALAUTH=1&&64,INFO="R2 DIGITAL";

REFTA
ADD-REFTA:CIRCUIT,1-1-13-0,90,N,N;

BCSU (MÓDULO SIU)


ADD-BCSU:SIUP,1,1,14,"Q2187-X ",R2B&R2F&R2B&R2F&R2B&R2F&R2B&R2F,0,3;

FEASU

CHANGE-FEASU:TYPE=A,CM=TRACCO;

Obs: Para identificação do número de “A” no aparelho digital tem que ter parâmetro TSUID na COS
Configuração de Troncos

Tabela de temporização para os troncos DIU (DIUCQ421)

DIS-PTIME:REST,DIUCQ421;
REST TIMERS:

INIBLK : 49 DEVICE : DIUCQ421


TBLK : 1
LONGTIME:
L1 = 96 MS Envio de confirmacao de ocupacao depois do reconhecimento de ocupacao
L2 = 1000 MS Impulso de atend. p/ DDC (so valido se P11 = 1 ou 2)
L3 = 2000 MS Tempo de abertura do LOOP p/ DDC (somente valido, se P11 = 1 ou 2)
L4 = 10000 MS Reconhecimento de falha na combinacao dos Bit's da linha
L5 = 200 MS Tempo de reconhecimento de deslig. forcado da Publica no sentido sainte
L6 = 400 MS Nao utilizado no Brasil
L7 = 5000 MS Supervisao da confirmacao de ocupacao depois do envio de ocupacao

SHORTTIME:
S1 = 60 MS Nao utilizado no Brasil
S2 = MS Tempo minino de reconhecimento p/ o sinal de fim de discagem
(so valido se P14 dif. 0)
S3 = MS Envio do sinal do fim de discagem (so valido se P14 dif. 0)
S4 = MS Vago
S5 = MS "
S6 = MS "
S7 = MS "
S8 = MS "
S9 = MS "
S10 = MS "
S11 = MS "
S12 = MS "
S13 = MS "
S14 = MS "
Configuração de Troncos

SHORT-PARA:
P1 = 2 Tipo de discagem : 0 = ,1 = MFV, 2 = MFC
P2 = 0 Deslig. forcado do Hicom : 0 = s/ deslig. forcado em trafego entrante,
1 = c/ deslig. forcado em trafego entrante
P3 = 0 Sentido de ocupacao : 0 = bid., 1 = saida, 2 = entrada
P4 = 7 Nao utilizado no Brasil
P5 = 1 Tempo de bloqueio de reocupacao sentido sainte ( 1 = 250 Ms )
P6 = 0 Supervisao de tom de discagem sentido sainte
P7 = 90 Supervisao de atendimento em sentido sainte
P8 = 0 Nao utilizado no Brasil
P9 = 0 Intercalacao (Camp-on)
P10 = 1 Desligamento forcado da Publica
P11 = 0 Procedimentos de atendimento : 0 = sem procedimentos DDC,
1 = c/ procedimentos DDC s/ consulta de categoria,
2 = c/ procedimentos DDC c/ consulta de categoria
P12 = 0 Nao utilizado

P14 = 0 Fim de discagem : s/ fim=0, c/ fim=1


Configuração de Troncos
Configuração de Troncos

4.2 Tronco analógico - BWA

3) CHA-COT 9) ADD-TACSU 1) ADD-BCSU


COTNO= PEN=1-xx-xxx-xx MTYPE= PER
COTTYPE= NO= LTG=
COTNO= LTU=
PAR=
COPNO= SLOT=
INFO= DPLN= PARTNO=”Q2327-X182”
ITR=
4) CHA-COP COS=
TMANI ou TM2LP
COPNO= LCOSV=
COPTYPE= LCOSD=
PAR= INIGHT=
INFO= TGRP=
COFIDX=
CCT=
DESTNO=
5) CHA-COSSU NNO=
TYPE=LCOSV / D ALARMNO=
LCOSV/D= CARRIER=
ALCR= ZONE=
DLCR= LINE=
INFO= CIDDGTS=
CBMATTR=
SRCGRP=
CLASSMARK=EC&G729
2) ADD-BUEND
TGRP= TRTBL=GDTR
ATNTYP=CO
NAME= DEVTYPE=TC
NO=30 DEV=ANMOSIG
DGTPR=
8) PTIME CIRCIDX=
DIALTYPE=MOSIG-DTMF
Initblock 87 DIALVAR=6-0
Configuração de Troncos

Exemplo de parametrização mínima para troncos analógicos

BCSU 

ADD-BCSU:PER,1,5,5,"Q2159-X170",0,0,,,,,,A,,0; /*modulo TM2LP*/


 

COS 

ADD-COSSU:,52,,,,,,,,;
CHA-COSSU:COS,52,TA&TNOTCR;
CHA-COSSU:COS,52,,NOCO&NOTIE;
CHA-COSSU:COS,52,,,NOCO&NOTIE;

CHA-COSSU:LCOSV,32,1&&64;

CHA-COSSU:LCOSD,32,1&&64; 

COP 

ADD-COP:5,DTMF&RLSB&RLSA&TDED&NO1A&TIM1&NSDL&DTM1,,;
 

COT 

ADD-COT:5,RCL&XFER&NTON;

PTIME 

COPY-PTIME:87,6;
CHANGE-PTIME:REST,6,LONG,,,200,,,,;
CHANGE-PTIME:REST,6,SHORT,,,,,,,,,,6,6,,,; /*S12 temporiza a chamada*/
CHANGE-PTIME:REST,6,PARA,,,,,,0,,,,5,,,,1;
 

TACSU 

ADD-TACSU:1-5-5-0,,5,5,0,0,52,32,32,,104,0,"INT CELULAR
",104,105,0,1,EMPTY,0,NONE,NONE,0,EC&G711&G729OPT,"
",0,GDTR,0,,Y,TC,ANMOSIG,0,,0,0,1,6,1,0,MOSIG-DTMF,6-0,0;
Configuração de Troncos

Tabela de temporização para os troncos ANALÓGICOS

DIS-PTIME:REST,ANMOSIG;
H500: AMO PTIME STARTED
REST TIMERS:

INIBLK : 87 DEVICE : ANMOSIG


TBLK : 2
LONGTIME:
L1 = 200 MS, - Tempo de tx. de sinal de flash ou terra.
L2 = 10000 MS, - Tempo de supervisão de chamada para desconexão da pública antes do
atendimento (tráfego entrante).
L3 = 200 MS, - Tempo min. de desligamento da rede pública.
L4 = 400 MS, - Tempo de atraso para conexão de caminho de voz, tempo min. para
atendimento e atraso para ativação de supervisão de linha após atendimento.
L5 = 400 MS, - tempo máximo para tarifação de pulsos.
L6 = 120 MS, - tempo min. para reconhecimento de ring.
L7 = 5000 MS, - tempo de supervisão de tronco livre.
SHORTTIME:
S1 = 40 MS, - Tempo min. para pulso de tarifação (não utilizado)
S2 = 90 MS, - tempo min. para pausa de tarifação (não utilizado)
S3 = 0, - canal de escuta (0) ou de controle (1)
S4 = 0, - sinalização de linha : HKZ (0), sem loop (1), com loop (2)
S5 = 0, - discando com V_ON (não utilizado)
S6 = 0 x 500 MS, - Atraso na ativação de deteção de ring (0 = sem atraso)
S7 = 10 x 10 MS, - tempo min. para reconhecimento de inversão de polaridade e tempo máx.
para reconhecimeno da inversão no pulso de tarifação
S8 = xy (xy em Decimal ou XY em Hex), - Proteção contra chamada a cobrar (DDC)
X=0 - Sem proteção contra DDC
X=1 - Proteção contra DDC
Configuração de Troncos

X=2 - Proteção contra DDC para ramais autorizados (COS - REVCHA)


Y=0 - Tempo para interrupção DDC de 250 ms
y=1-10 - Tempo para interrupção DDC múltiplo de 500 ms
Atenção:s8 deve ser representado em decimal. Ex. XY=11, então S8=17
S9 = 0, - supervisão de reconexão. Para supervisão, P2 = 2 ou 18.
S10 = 6 S, - tempo de aguardo após chamada sainte.
S11 = 6 S, - tempo de aguardo após chamada entrante
S12 = 0 x 30 S, - tempo limite de conversação (0 - sem limite).
S13 = 0 - inicio de ocupação de saída para resistência baixa. 0- 10 ms e 1- 350 ms
S14 = 36, - Característica da tarifação de país para 12kHz/16kHz (não utilizado)
SHORT-PARA:
P1 = 16 - Reconhecimento da interrupção de alimentação / reversão de polaridade pela
PSTN em chamada entrante.
P2 = 18 - Reconhecimento de desconexão para trás em caso de interrupção de alimentação
e/ou reversão de polaridade da PSTN em chamada sainte
P3 = 0 - Fechamento de loop / reconhecimento de liberação por interrupção da pública
antes do atendimento.
P4 = 0 - Estado de inicio de loop / tipo de pulso de comutação de tarifa.
P5 = 0 - Versão de SICOFI.
P6 = 1 - envio de terra (1 fio, 2 fios) / supervisão de tom de discar. (0 - sem
supervisão de tom de disco. 1 - com supervisão de tom de disco)
P7 = 0 S - Supervisão de sianl de atendimento em chamadas saintes (0 - sem supervisão).
Para supervisão P2 = 2 ou 18.
P8 = 0 - Supervisão de liberação da pública após desconexão no HiPath/Hicom. (não
utilizado)
P9 = 0 - Simulação de comutação de tarifa (não utilizado)
P10 = 5 - Atraso na ativação da supervisão de linha
P11 = 32 - Nível de ring
P12 = 36 - não utilizado
P13 = 17 - Valores limiares para corrente alta (5 a 50 mA) e baixa (0,5 a 5 mA)
P14 = X - Parâmetro dependente da impedância de entrada e de balanceamento utilizada no
país.
X=1 - Imped. de entrada = 900 Ω, imped. de balanceamento 800//50nF
X=2 - Imped. de entrada = 900 Ω, imped. de balanceamento 400+590//50nF
X=3 - Imped. de entrada = 900 Ω, imped. de balanceamento 190+1400//105nF
Configuração de Troncos

5 Descrição dos parâmetros COP

AANT Texto Artificial de Anúncio no começo do reconhecimento


Parâmetro controla dispositivos para TMOM, de modo a ativar anúncios gravados imediata-
mente. Anúncios 'Síncronos' irão trabalhar como ‘assíncronos’, e também anúncios com
música irão iniciar imediatamente. Veja também AMO COT parâmetro ANOD!! (Portanto,
atribuir anúncio gravado para a/b, ponte em c/d na TMOM).
ABAN Linha com atendimento antes do anúncio (MFC-R2).
ABPD Linha com atendimento antes de pós-discagem (MFC-R2).
ACKB Linha com reconhecimento de desconexão para trás, esperada pelo lado B, quando este
desliga primeiro.
ACKF Linha com reconhecimento de desconexão para trás, espereda pelo lado A, quando este
desliga primeiro.
ANIC Linha com codograma ANI (Para transmissão na opupação entrante, ver também AMO COT,
parâmetro ANIC) (GUS)
ANIO ANI sem tom (GUS)
ANIW ANI com tom (GUS)
ANNC Este parâmetro deve ser inserido se um anúncio local (tom da SIU) deve ser escutado pelos
chamadores ao invés de tom de discagem em tráfego entrante analógico tipo TIE.
DTN ou ANNC podem ser configurados!
ANS A linha transamite o sinal de atendimento para indicar que o lado chamado (lado B) atendeu.
APPR Ajuste relevante para aprovação e teste
ASEG APDUs que são muito longas e não correspondem com Elementos de Informação de Facili-
dades padrão ECMA/ISO, serão segmentadas. O parâmetro deve ser setado para todas
variantes de protocolo de CorNet-NQ, a partir da EV3.0.
ASNM Mostra mensagens de erro ASN.1.
Para diagnose apenas !!
AST1 Temporizador 1 para supervisão ANI se ANI é sem tom. O tempo é ajustado por meio do AMO
STIM2, TYPEDH=LNGEN, REQTIM1.
AST2 Temporizador 2 para supervisão ANI se ANI é sem tom. O tempo é ajustado por meio do AMO
STIM2, TYPEDH=LNGEN, REQTIM2.
BR64 Este parâmetro marca uma linha com discagem por pulso (decádica), e define o raio de pulsos
comum (make/break) de 60/40 ms para discagem na taxa de 10 pps. Se este parâmetro não
for setado, a discagem por pulso é transmitida em taxas de disgem a alta velocidade, com raio
de pulso/pausa de 30/30 ms.
BTN1 tTempo de vencimento 1 de tom de ocupado para chamadas entrantes.
O tempo é ajustado por meio do AMO DTIM2, TYPEDH=GEN, BSGNL2.
BTN2 Tempo de vencimento 2 de tom de ocupado para chamadas entrantes.
O tempo é ajustado por meio do AMO DTIM2, TYPEDH=GEN, BSGNL2.
BTN3 Tempo de vencimento 3 de tom de ocupado para chamadas entrantes.
O tempo é ajustado por meio do AMO DTIM2, TYPEDH=GEN, BSGNL3.
BTOF Tom de ocupado em resposta a solicitação CO, sem transferência para AC.
CAUS Violação da sinalização de protocolo
CCM Modo “Meet-me” (busca-pessoa)
CCR Desconectação de “busca-pessoa” após cada tarefa
Configuração de Troncos

CCTN Para CCR e CCM, espera por tom de progresso após bloco de despacho ‘a’.
COCN Consulta para shamadas CO possível.
COTT Tom da pública para tráfego de tránsito para troncos CO
COEI O parâmetro é usado para diferenciação da avaliação de índice de calsse de mensagens IAM/
SAM (CCS#7-China)
CTGF Tom contínuo em eventos de falha de grupo TSC para freqüência de portadora em troncos
analógicos do tipo tie. Em bloqueio remoto de entrada ou estado de alarme de linha, o tm
contínuo é processado de acordo no evento de um grupo de falha do equipamento de
freqüencia de portadora.
DITW Se DITW é declarado, a informação de dígito para ocupações de entrada será transferida da
memória DGTPR (parâmetro DGTPR no AMO TACSU) para o plano de numeração (número
de ramal ou código). Isto habilita conexões de entrada automaticamente configuradas para
ramais pré-definidos (função DIT).
DT1A Tempo de atraso 1 para envio de codograma ANI. O tempo é ajustado por meio de AMO
DTIM2, TYPEDH=LNGEN, DELTIM1.
DT2A Tempo de atraso 2 para envio de codograma ANI. O tempo é ajustado por meio de AMO
DTIM2, TYPEDH=LNGEN, DELTIM2.
DTBR Linha com tom de discagem ao invés de desconexão para trás, após a desconexão do ramal
para ocupação de entrada (somente para discagem por pulso!). Este parâmetro pode ser
ajustado para permitir à linha chamante a opção de estabelecer uma nova conexão para outro
usuário no PABX chamado, após desligamento da primeira chamada (conexão não é desfeita
e ao invés disso, um tom de discagem é aplicado à linha).
DTM1 Taxa de pulso (Make/break ratio) para DTMF 1 (Pulso=80ms/Pausa=80ms).
Parâmetro DTMF deve ser setado!
DTM2 Taxa de pulso (Make/break ratio) para DTMF 2 (Pulso=150ms/Pausa=150ms).
Parâmetro DTMF deve ser setado!
DTM3 MTaxa de pulso (Make/break ratio) para DTMF 3 (Pulso=200ms/Pausa=200ms).
Parâmetro DTMF deve ser setado!
DTM4 Taxa de pulso (Make/break ratio) para DTMF 4 (Pulso=300ms/Pausa=300ms).
Parâmetro DTMF deve ser setado!
DTMF Dualtone multiplefrequency (um dos parâmeter DTM1 - 4 deve ser setado).
DTN Tom de discagem para ocupações de entrada.
DTN ou ANNC podem ser setados!
DTT Tom de discagem ao invés de sinal de início de discagem. O receptor de tom de discagem da
linha chamante deteta e avalia o tom de discagem, e a linha chamante pode iniciar trans-
mitindo os pulsos de discagem.
DTV São possíveis múltiplos tons de discagem
EMOV Habilita intercalação de emergência e disconexão para troncos analógicos tie de entrada.
EO10 Intercalação de emergência em troncos analógicos tie com E&M ou sinalização CF (carrier
frequency) com 10 pulsos ao invés de 11 (por exemplo, interligação com EMS601)
EOD Linha transmite o sinal de fim-de-discagem para indicar que todos caracteres de discagem po
pulso foram recebidos. Em tráfego analógico tie, não tem outros significados (ex. para indicar
que o número chamado esteja livre ou ocupado).
EODA Fim de discagm analisada (interligação com sistema GTD) para troncos analógicos tie com
sinalização com freqüência de portadora (CF) e nó parceiro do tipo GTD ( = Sistema GTD120),
se um sinal EOD específico (livre / ocupado) deve ser avaliado.
Parametro EOD deve ser setado!
FDGT Linha com flash, nenhum dígito é enviado
Configuração de Troncos

ICAC Código de reconhecimento interno. Se este parâmetro é marcado, o primeiro dígito marcado
para discagem MFP2 é reconecido com um sianl de linha. Este parâmetro é obrigatório para
controle de sinal de linha do tipo INITIAL_CODE_ACKNOWLEDGE em sistemas de sinali-
zação chinesas para DIUC 32 / 64 com MFP2. (China)
IDP1 Pausa Interdigital 1. O tempo é ajustado por meio do AMO DTIM2, TYPEDH=LNGEN, IDGT1.
IDP2 Pausa Interdigital 2. O tempo é ajustado por meio do AMO DTIM2, TYPEDH=LNGEN, IDGT2.
IDP3 Pausa Interdigital 3. O tempo é ajustado por meio do AMO DTIM2, TYPEDH=LNGEN, IDGT3.
IDP4 Pausa Interdigital 4. O tempo é ajustado por meio do AMO DTIM2, TYPEDH=LNGEN, IDGT4.
IMEX Conversão de número implicito para explícito com DSS1
Se o sistema é usado como um DSS1 CO e "Type of number" é UNKNOWN para uma
ocupação entrante, o número é encurtado pelos prefixos fornecidos, ou seja, é convertido de
um número “implícito” para “explícito”. São usados os prefixos configrados com AMO TDCSU
are used. Se o parâmetro não foi configurado, ’Type of number’ = SUBSCRIBER é usado.
IVSN Conexão E&M em interface IVSN (GUS). Este parâmetro deve ser ajusado se for requerida
uma adaptação de E&M para rede IVSN.
LAI8 Nível de entrada ANI -0,8 dB (Padrão -4,3 dB0)
LAO0 Nível de saída ANI 0 dB (alternativa LAO3, Valor padrão -7 dB0)
LA03 Nível de saída ANI -3,5 dB (alternativa para LAO0, Valor padrão -7 dB0)
LKNQ Link de 2 PABX CorNet-NQ via inter-link
LSI0 Nível MFR-Shuttle entrante 0 dB0 (alternativa para LSI3, padrão -7 dB0)
LSI3 Nível MFR-Shuttle entrante -3,5 dB0 (alternativa para LSI0, padrão -7 dB0)
LSO0 Nível MFR-Shuttle entrante 0 dB0 (alternativa para LSI3, padrão -7 dB0)
LSO3 Nível MFR-Shuttle entrante -3,5 dB0 (alternativa para LSI0, padrão -7 dB0, Default -7 dB0)
LSUP a) Para linhas com supervisão de interrupção da linha em estado livre.
b) Para linhas com supervisão de interrupção da linha enquanto espera por reconhecimento
de ocupação ou critério de sinal de início de discagem (somente para E&M).
LWCC Linha com verificação contínua em caso de ocupação (CSN7, China)
L3AR Registro de advertência de camada 3.
NBAR Sem tom de ocupado na desconexão da linha (Polônia). Para tom de ocupado, ver BTN1/2/3.
NO1A Não fará retenção de saída de dígitos (sincronização 1a para ramais analógicos)
NOAN Sem atendimento na recepção do primeiro pulso de tarifação. Parametro não marcado
significa que em caso de recebimento de pulso de tarifação na linha, entra como critério de
atendimento. Válido para todos modos de sinalização analógica sem atendimento.
NOCH Linha sem tarifação.
Se este parâmetro é marcado, a facilidade de usuário NOCHRG (valor de COSSU) é trans-
ferida por DH para o LW do circuito de linha apropriado. O circuito E&M deve ser configurado
com critério de sinalização de atendimento. Para tráfego de saída para uma interface IVSN,
um critério artificial de atendimento deve ser gerado, desde que IVSN não transmite este
critério. Se este parâmetro ou a facilidade da COSSU NODHRG não é marcado, nenhuma
mensagem é transferida.
NONA Nenhum nome é enviado
NOTO Sem tom entre fim de discagem e atendimento.
NOTR Desativa modo de transparência entre ECMA e ISO QSIG.
NSDL Linha sem sinal de início de discagem. Invalida entrada de SDL para valor TIMx.
NTON Parâmetro deve ser marcado, se o primeiro tom de discagem de troncos CO ou tie é um tom
de discagem pulsado, ao invés de um tom contínuo. (Padrão: tom contínuo)
PDP1 Atraso de pré-discagem 1. O tempo é ajustado por AMO DTIM2, TYPEDH=LNGEN, PDLY1
Configuração de Troncos

PDP2 Atraso de pré-discagem 2. O tempo é ajustado por AMO DTIM2, TYPEDH=LNGEN, PDLY2
PDP3 Atraso de pré-discagem 3. O tempo é ajustado por AMO DTIM2, TYPEDH=LNGEN, PDLY3
PDP4 Atraso de pré-discagem 4. O tempo é ajustado por AMO DTIM2, TYPEDH=LNGEN, PDLY4
PMPO POperação ponto-multiponto para chamada de troncos S0/S2
PNIO Discagem entrante/sainte em rede com precedencia
RBLK Linha com bloqueio remoto.
Se o circuito é manualmente bloqueado, ou bloqueado devido a soft restart, o critério de
‘bloqueio remoto’ é enviado para sistema parceiro.
RCLA Chamada de retorno temporizada à AC se outro lado não disconecta
RF0C Fator de repetição 0 para codograma ANI. Codograma ANI enviado não será repitido.
RDIG Retenção do 1o. e 2o. dígito como um dígito para rota mlpp. (EUA)
RF1C Fator de repetição 1 para codograma ANI. Codograma ANI será enviado uma vez.
RF2C Fator de repetição 2 para codograma ANI. Codograma ANI será enviado duas vezes.
RF3C Fator de repetição 3 para codograma ANI. Codograma ANI será enviado três vezes.
RGSZ Discagem após registro de ocupação
a) Se um destino fixo deve ser buscado via esta segunda opção de ocupação, pela trans-
missão dos pulsos discados do número de destino pela linha, este parâmetro deve ser
marcado.
b) Se um destino fixo deve ser buscado via esta segunda opção de ocupação (registro de
ocupação), que é pré-inicializado no sistema B, este parâmetro não deve ser marcado no
sistema A.
Este parâmetro só é relevante para registro de ocupação.
RLSA Transmissão para linha do critério ‘desconexão para trás após disconexão’
RLSB Transmissão para linha do critério ‘deesconexão para trás quando ocupado’
RMSG Envia uma mensagem de reinicialização se camada 1 é ativada
RRST Reflete indicador de reinicialização & canal B quando reinicializa
R174 Elemento reserva 154
... ...
R191 Elemento reserva 175
SACK Transmissão para linha do critério de reconhecimento de ocupação para trás, de modo a
indicar que a ocupação entrante foi detectada e aceita. A linha chamante pode iniciar a trans-
missão dos pulsos discados após um tempo de espera no recebimento do sinal de reconhec-
imento de ocupação, ou pode aguardar pela aplicação de outros critérios como um sinal de
início de discagem ou tom de discagem.
SDL Transmissão para linha do sinal para trás de início de discagem para a linha chamante, de
modo a indicar que a ocupação entrante foi detectada e a linha está pronta para receber os
pulsos de discagem. A linha chamante pode iniciar a transmissão dos pulsos discados após
um tempo de espera no recebimento do sinal de início de discagem.
SEDL Este parâmetro é usado para cortar através da sequência de discagem em interligações com
anúncios locais por nó discado, por exemplo, como usado em companias de utilização de
energia. Este parâmetro deve ser ajstado somente junto com DP (discagem por pulso). O
critério de dim-de-discagem é imediatamente marcado para ocupações de saída, ou seja, os
pulsos de discagem são transmitidos assim como discagem de sufixo para uma linha ‘aberta’.
Configuração de Troncos

SFRM Linha com modo especial.


Este parâmetro deve ser setado para critérios individuais para linhas E+M (variantes US e
UK), Além disso, o parâmetro deve ser marcado para conexões TSC com sinalização inter-
mediária (AC/CF). Dependendo do dispositivo manipulado, o parâmetro SFRM tem diferentes
funções.
a) Funções para troncos de comutação S0/S2.
Este valor de parâmetro deve ser marcado para linhas comutadas S0/S2 que não podem
processar mensagens RESTART.
b) Funções para dispositivos tipo TMLS
Isto afeta os seguintes tipos DEV no AMO TACSU:
BWLD, BWEDG, BWELS, BWELSC, BWLG, BWLRS, DIDLSR, BWSR, DIDBELG, DIDIT,
DIDN2, DODBELG, DODFR, DODIT, DODN2, BWALS70, BWMSCH, BWMFR, BW,
DIDALS70, BWRSA, BWFIN, BWCHINA, ICF, ICLCH, ICLLP, ICLFB, ICLIB, NDIDIT, NDIDN2,
ICN2, SOCFR.
SPD Reconhecimeto de discagem abreviada
SPTR Este parâmetro permite um transporte transparente de discagem de elementos de informação
HLC, LLC e BC dentro de um sistema e, com restrições, dentro de uma rede CorNet-N. Trans-
missão transparente é correntemente possível entre terminais EDSS1 e/ou entre um terminal
EDSS1 e uma central EDSS1.
Aviso: Parametros devem ser setados para todos os troncos digitais até EV1.0. A partir da
EV2.0 a função é revertida, o que significa que o parâmetro não deve ser marcado por padrão!
STNI Ramal de identificação externa.
TDED Linha com tempo dependente de tom de discagem CO
TIE Usado para atribuir troncos CO BWFIN (R2-Finlandia) e SOCFR (R2-França) como troncos tie
TIM1 Temporizador de sinal de início de discagem 1. O tempo deve ser ajustado por meio do AMO
DTIM2,TYPEDH=LNGEN, STADIAL1.
TIM2 Temporizador de sinal de início de discagem 2. O tempo deve ser ajustado por meio do AMO
DTIM2,TYPEDH=LNGEN, STADIAL2.
TIM3 Temporizador de sinal de início de discagem 3. O tempo deve ser ajustado por meio do AMO
DTIM2,TYPEDH=LNGEN, STADIAL3.
TIM4 Temporizador de sinal de início de discagem 4. O tempo deve ser ajustado por meio do AMO
DTIM2,TYPEDH=LNGEN, STADIAL4.
TRAC Habilita sinalização de 'intercalação de emergência'.
Somente em conjunção de troncos analógicos tie com sinalização E&M ou CF signaling e a
facilidade ’intercalação de emergência’ (nó parceiro também deve ser um Hicom/HiPath).
Assegura a imediata disconexão de um tronco in grupo de troncos requerido no nó trânsito se
estado de todos os troncos ocupados (ATB) ocorre.
WOT2 Parametro deve ser marcado, se outros tons de discagem de troncos CO é um tom de
discagem pulsado, ao invés de contínuo. (Padrão: tom contínuo)

Relação de grupos:
Ou nenhum ou exatamente um dos valores IDP1, IDP2, IDP3 or IDP4 deve ser especificado.
Ou nenhum ou exatamente um dos valores TIM1 ou TIM2 deve ser especificado.
Ou nenhum ou exatamente um dos valores TIM3 ou TIM4 deve ser especificado.
Ou nenhum ou exatamente um dos valores PDP1, PDP2, PDP3, PDP4 deve ser especificado.
Se DTMF é especificado, exatamente um dos valores DTM1, DTM2, DTM3 ou DTM4 deve ser
especificado.
Configuração de Troncos

Notas no parâmetro PAR

a) Se SDL é especificado em TIM1-2, TIM1 é entrado no COP, mas TIM1 ou TIM2 podem
ser alocados de maneira específica.
b) Se TIM1 ou TIM2 é especificado, SDL é automaticamente marcado, porém também
pode ser entrado.
c) Em casos excepcionais, por ex. TSILP, TSAUST e TSIFD, o valor de parâmetro TIM... é
requerido, mas não SDL. SDL pode ser suprimido pela especificação de NSDL.
d) Tronco TSILP tem tom de discagem em ocupação de saída ao invés de sinal de início
de discagem. Os parâmetros DTT + TIM.. + NSDL devem ser marcados.
e) Troncos TSAUST e TSIFD podem ser atribuídos ou sinal de início de discagem ou tom
de discagem na ocupação de saída, assim como desejado. Em parâmetros COP [SDL]
+ TIM.. + SACK ou DTT + TIM.. + NSDL são marcados.
f) Tronco TSAUST também requer parâmetro COP ACKF (release acknowledgement
forwards).
g) Para discagem direta a saída de um PABX satélite via MAINLPNW, se PAR=STNI é
marcado (no PABX principal), a identificação do número do ramal é iniciada via dados
de linha MFC. O parâmetro somente é relevante para DEV=MAINLPNW (AMO TACSU,
modulo TMBS).
h) Dependendo do dispositivo manipulado, os valores de parâmetro SFRM e DITW deem
ter diferentes funções. Valor de parâmetro SFRM
1. Funções para troncos de comutação S0/S2
Este valor de parâmetro deve ser marcado para linhas comutadas S0/S2 que não
podem processar mensagens RESTART.
2. Funções para dispositivos tipo TMLS (DB_DH_DEV_TYPE_TMLS)
Isto afeta os seguintes tipos DEV no AMO TACSU:
BWLD, BWEDG, BWELS, BWELSC, BWLG, BWLRS, DIDLSR, BWSR, DIDBELG,
DIDIT, DIDN2, DODBELG, DODFR, DODIT, DODN2, BWALS70, BWMSCH,
BWMFR, BW, DIDALS70, BWRSA, BWFIN, BWCHINA, ICF, ICLCH, ICLLP, ICLFB,
ICLIB, NDIDIT, NDIDN2, ICN2, SOCFR.

Função de SFRM
Se o valor de parâmetro não é especificado, a faixa completa de dígitos e caracteres
(0-9,*,#,A,B,C,D) é transmitida para a central, para conexões saintes.
Se este parâmetro é especificado, ’#’ não será transmitido para a pública, mas usado
como um fim-de-discagem.
3. funções de SFRM para troncos tie analógicos
O valor de parâmetro SFRM deve ser marcado (para sinalização de freqüência de
portadora) se o sistema parceiro é um sistema trânsito com sinalização AC/CF.
Configuração de Troncos

O valor de parâmetro SFRM deve ser marcado para sinalização E&M, método de
sinalização "Padrão Americano", GBR/UIL, DC5/AC15, DELAY-DIAL e IMMEDIATE
(para discagem por pulso e discagem DTMF), para loop e conversor.

Valor de parâmetro DITW


Se DITW é declarado, a informação de dígito par aocupação de entrada é transferido da
memória de DGTPR (parâmetro DGTPR no AMO TACSU) para o plano de numeração (núme-
ro de ramal ou código). Isto habilita conexões de entrada para ramais pré-definidos serem mar-
cados automaticamente.

5.1 Novos parâmetros COP a partir do HiPath 4000 V 2.0

COP
– Novos parâmetros: LCOS -> Limitação de LAUTH para 32 para transferência
– Parâmetros RES 162-171 são omitidos
Siemens Configuração de Troncos

6 Descrição dos parâmetros de COT

Parâmetro Descrição

ABNA Anúncio Síncrono no ramal se ocupado ou não atende


Anúncio Síncrono antes da interceptação pela operadora, se parte chamada está ocupada ou não atende

ABPD Atendimento antes da pós-discagem ou anúncio


Este parâmetro deve ser marcado se a CO requer um critério de atendimento antes da permissão de discagem
por sufixo ou anúncio

ACRC AC com reversão de tarifa


Este parâmetro deve ser ajustado de modo a permitir à operadora configurar chamadas com reversão de tarifa

ACTR Console de atendimento com trace de chamada


Este parâmetro deve ser setado, de modo a permitir à operadora iniciar um trace de chamada na linha

ADIU Atenuação em troncos DIUC CO


Este parâmetro é marcado para troncos comutados DIUC, que requerem um repeidor de linha (na direcção para o
qual o parâmetro é setado) para estimular o nível de transmissão
Os repetidores de linha são também requeridos para conexões de um grupo de troncos digital para uma central
local analógica. Desde que os conversores na central local não possam resetar para um nível de transmissão mais
alto, os sinais deverão ser amplificados no Hicom /HiPath. O estímulo de sinal somente é necessário para camin-
hos de conexões entrantes, mas ainda deve ser marcado para todas as conexões
Se este COT não for marcado, a matriz T-REF é verificada para todas as linhas com o valor TMA_AMT

AEOD Linha com avanço em transmissão de fim-de-discagem


(ex. para sinalização disagem por pulso e Mosig)

AICF Interceptação da operadora para chamadas desviadas.


Chamadas que tem que ser marcadas como desviadas não são redirecionadas de volta à central pública. Se este
valor é marcado, a chamada é interceptada pela operadora, pois de outro modo um tom de ocupado é enviado à
central pública.
Este parâmetro previne desvio de chamada sendo encaminhado de volta à central de comutação.

ANHT Anúncio gravado em grupo de busca se chamada é entrada em uma fila de chamada.
Se este parâmetro é marcado, um anúncio é ativado para cada chamada entrada em uma fila de chamada de um
grupo de busca. O parâmetro é usado em países que preferem transmitir um tom de retenção para chamantes em
um a fila de um grupo de busca, ao invés de um tom de chamada

ANNA Anúncio assíncrono na interceptação para ATND


Se este parâmetro é marcado, um anúncio curto é tocado para o chamante na interceptação à operadora
O anúncio pode ser configurado com AMO-SSC, CPCALL=ANNICPT

ANNC Anúncio Local


Este parâmetro deve ser marcado se um anúncio local deve ser alimentado

ANOD Anúncio sem atraso


Se este parâmetro é marcado, um anúncio é comutado para chamadas via esta linha sem atraso (se configurada).
Ver também AMO SYNCA e parâmetro COP AANT (anúncio de texto artificial no começo do reconhecimento)

ANS Sinal de atendimento da linha


Linha com atendimento. Este parâmetro deve ser marcado na direção do sistema parceiro, se linhas deverão ser
comutadas através deste sistema

AOCC Aviso de tarifação por chamadal (automatico ou na requisição)

APPR Configuração relevantes para aprovação


Este parâmetro permite configurações especiais para aprovação
Configuração de Troncos

APSM Anúncio síncrono se PSM


Anúncio síncrono é comutado para chamantes a um sistema CCM (PSM)

ASNB Anúncio síncrono se rmal não está ocupado


Este parâmetro é marcado se um anúncio síncrono deve ser comutado para chamadas entrantes para ramais
livres. Este anúncio somente é comutado para chamadas via troncos com este parâmetro

ATDI Identificação de atendente


Um número para CO é demandado pela pública em chamadas entrantes para ATND.
Para identificação CO (central) no console da operadora

ATRS Ativa administração de contagem de trânsito para linhas S0/S2.


O número máximo de conexões em uma rede pode ser administrada com parâmetro TDCSU TRSCOUNT

BLOC É marcado um bloqueio de fim-de-discagem


Se este parâmetro é marcado, o campo SENDING_COMPLETE é setado para “true” tão logo os contadores de
limite de pulso em série é atingido (fornecida pela restrição de tarifadora externa e dependente dos dígitos disca-
dos)

BRAR Desligamento para trás após chamada de retorno


Segue com uma chamada de retorno para o originador (atendente ou terminal noturno), este parâmetro é usado
para liberar o tronco se não houver atendimento. o tempo de liberação após a chamada de retorno é ajustada
usando o AMO CTIME, parâmetro RELREC.
Este parâmetro permite um desligamento para trás (de uma chamada CO entrante) se um sistema inicia uma cha-
mada de retorno para operadora ou ramal em noturno não atende

BSHT Permite chamada para grupo de busca ocupado. Se uma chamada em fila é atribuída ao grupo de busca, chama-
das entrantes serão postas na fila

CBBN Rechamada em rede automática em caso ocupado


Rechamada se ocupado é permitida no âmbito da rede (na direção em que o parâmetro é marcado). Este
parâmetro somente é liberado para WTK e linhas So/S2.

CBFN Rechamada em rede automática em caso livre


Rechamada em não atendimento é permitido no âmbito da rede (na direção em que o parâmetro é marcado). Este
parâmetro somente é liberado para WTK e troncos S0/S2

CDBO CDR para chamadas entrantes


Este parâmetro permite detalhamento de bilhete para conexões de saída após quebra de uma portadora da rede

CDRD Mostra tarifa da chamada no display do usuário do telefone

CDRI CDR para chamada entrante


Este parâmetro permite bilhetagem para conexões entrantes

CDRO CDR para chamada sainte


Este parâmetro permite bilhetagem para conexões saintes

CDRT CDR para chamadas de trânsito

CEBC Transferência de chamada sobre a linha (em estado de conversação ou ocupado)


Se este parâmetro é marcado, pode ser feita uma transferência de chamada antes ou após o atendimento (ou
seja, para transferência para destinos independentemente se estiverm ocupados, livres ou em conversação).
Este parâmetro é válido para circuitos analógicos em rede, circuitos ISDN e troncos ISDN

CEOC Transferência de chamada para ramal ocupado com aviso “camp-on”


Se este parâmetro é marcado, uma chamada transferida sóo é possível de um estado de chamada. O parâmetro
deve ser setado para o lado B (lado entrante) de um circuito.
Este parâmetro é válido para circuitos em rede analógica, rede ISDN e troncos ISDN.

CECO Transferência da operadora para ramal ocupado com aviso “camp-on”


Este parâmetro permite à operadora extender uma chamada para um usuário ocupado com envio de um aviso
“camp-on” ( ou seja, indicação de chamada entrante)
Configuração de Troncos

CFBU O parâmetro deve ser setado para permitir desvio de chamada para assinantes em estado ocupado
O parâmetro FWDN tem a função de desvio em caso incondicional (CFU - Call Forwarding Unconditional) e con-
tinua válido para todos os tipos de troncos
Este parâmetro COT pode ser atribuído para todas linhas comutadas entrantes e saintes do tipo S0/S2 e linhas tie
com protocolos CORNET-N ou ECMA-Qsig

CFER Desvio em caso de não atendimento com desligamento precoce


Desligamento precoce requer por CFNR/FNAN (Call forwarding No Reply / Forward on No Answer)

CFOS Este parâmetro deve ser marcado para permitir programação de um desvio por outros usuários na rede. Este
parâmetro COT pode ser atribuído para todas linhas comutadas entrantes e saintes do tipo S0/S2 e linhas tie com
protocolos CORNET-N ou ECMA-Qsig

CFRM Este parâmetro permite desvio remoto para assinantes (desvio para destinos remotos)

CFTR Ativar, desativar, interrogar troncos com desvio na provedora


É possível programação de desvio para todos os troncos

CFVA Este parâmetro deve ser marcado para procedimento de validação de desvio a um destino
Este parâmetro COT é válido para troncos com protocolo CORNET-N ou Qsig

CHRT Comutação de retenção para tom de chamada


Este parâmetro deve ser setado se chamadores devem escutar tom de chamada ao invés de tom de retenção,
após transferência da chamada pela operadora (ou seja, estado de final de retenção)

COTN Tom CO regenerado em ocupação de saída


Um tom simulado internamente na central é transmitido pela linha para conexões saintes.
Somente para linha S2/S0 inter-PABX

CPS6 CPS 6 setado com conexão tipo "CO"


Se este parâmetro é marcado, todas chamadas entrantes na central via trânsito ou linhas tie são tratados como
CPS6. Isto também se aplica se parâmetros TIE ou ITT são setados

CSN7 Conexão DIUS2 para CSN7- Rede Chinesa

CTAL Transferência de chamada somente em estado de alerta


Se este parâmetro é marcado, transferência de chamada somente é permitida se parte consultada Es livre ou já
atendeu.
Este parâmetro é válido para troncos com protocolo CORNET-N ou ECMA-Qsig

DFFN Número de nó padrão deve ser usado


Este parâmetro deve ser marcado se o número de nó padrão da linha é para ser usada para propósitos de verifi-
cação em display. O número de nó padrão é atribuído em TACSU/TDCSU/TSCSU, parâmetr0 NNO
Este parâmetro somente trabalha na direção entrante. Não é necessário assinalar este parâmetro para linhas
comutadas. Deve ser atribuído para linhas tie.
O parâmetro LWNC executa a mesma função na direção sainte (para uso de verificação em display)

DIUD DIU-CAS with digital data transmission


Feature for China – Digital data transmission via DIU-C
This value is only specified for trunk t circuits. (Add the digit analysis results n DTED, DTE and/or the combi-codes
DTEDNO, DTENO using the AMO WABE. Use AMO RUFUM to initiate digit conversion to specific DTE devices.

DI1 Tom de discagem na ocupação entrante tipo 1

DI1N Tom de discagem na ocupação entrante tipo 1 - número de nó próprio

DI2 Tom de discagem na ocupação entrante tipo 2

DI2N Tom de discagem na ocupação entrante tipo 2 - número de nó próprio

DI3 Tom de discagem na ocupação entrante tipo 3

DI3N Tom de discagem na ocupação entrante tipo 3 - número de nó próprio

DISN Mostra o número discado do assinante B no assinante A


Configuração de Troncos

DIT Tronco de entrada dedicado

DPRE Números de destino com dígitos de prefixo para distribuição de dados de chamada.
Se usuário A chama usuário B em um nó diferente e todas as linhas tie são ocupadas, a chamada será reroteada
via CO. Neste caso, os dígitos de prefixo atribuídos com AMO RICHT serão transferidos para CDR. Este valor de
parâmetro deveria ser usado para circuitos de troncos CO.
Se um número chamado não pode atingir um usuário requerido em um sistema parceiro, pela maioria das rotas
diretas, uma rota alternativa pode ser solicitada (por ex. via rede pública). Neste caso, o no. chamado deve discar
um “prefixo” (por ex. código da central)
Se o parâmetro DPRE é marcado, então o número de destino é completamente transferido para CDR, com os
dígitos de prefixo discados

DSDL Não envia operação div_leg, baseado em dss1 e qsig

DSIT Desligamento de supervisão para tronco de entrada

DTNE Tom de discagem entrante. Para saída marca a chamada como conexão CO

DTNI Tom de discagem interno. Somente para tráfego entrante analógico

EDBA Desconexão de emergência antes do atendimento.

EODL Intercalação de emergência e desligamento somente é possível localmente (em circuitos analógicos).
Os troncos somente permitem intercalação de emergência / desconexão nesta linha / canal B. A desconexão é
possível em todos os troncos analógicos e digitais, exceto TCOM e troncos CCM/CC

FAX1 Transbordo de FAX para phone mail - não atendimento


Este parâmetro é marcado para transferência de chamada de fax entrante para phonemail se a linha chamada não
atender dentro de um tempo definido

FAX2 Transbordo de FAX para phone mail – ocupado


ESte parâmetro é marcado para transferência de chamada de fax entrante para phonemail se a linha chamada
está ocupada

FNAN Desvio para rede em caso de não atendimento é permitido com este parâmetro (na direção em que o parâmetro é
marcado). Este parâmetro é válido para todos os tipos de chamadas

FWDN O desvio incondicional é permitido para o âmbito da rede (na direção em que o parâmetro é marcado). Este
parâmetro é válido para todos os tipos de chamadas

HGTR O serviço de grupo de busca é transportável para o nó parceiro

IBSY Interceptação em caso de ocupado


A operadora intercepta de o destino discado está ocupado. O flag FEASU ICPTDID deve ser ativado para o funci-
onamento desta facilidade

ICZL Bilhetagem entrante pela zona ou da linha


Tarifação entrante é calculada pela zona ou fornecida pela linha. Para tráfego entrante, as tarifas de chamada são
calculadas de acordo com as tabelas da zona (tableas de tarifa) a não ser que as tarifações sejam fornecidas pela
linha (mensagens de aviso de tarifação)

ICZO Bilhetagem entrante somente pela zona


Tarifas de entrada computadas pela zona. Para tráfego entrante, taricas de chamada somente são calculadas de
acordo com as tabelas de zona. A informação de tarifa na linha não é avaliada

IDIS Interceptação quando o número não é permitidor


Se este parâmetro é marcado, todas as chamadas com códigos de discagem não autorizados serão comutados
para a operadora

IDND Interceptação quando não-perturbe é ativado


A operadora intercepta se o usuário chamado tiver ativado a facilidade Não perturbe. O flag FEASU ICPTDID deve
ser ativado para o funcionamento desta facilidade.
Configuração de Troncos

IEVT Registro de eventos implausíveis


Se este parâmetro é marcado, todos os eventos implausíveis serão registrados e impressos (somente funções
estatísticas)

IFR Interceptação em caso livre (após timeout)


Operadora intercepta se chamada DID para um ramal não é atendida após o vencimento de um temo (timeout). O
flag FEASU ICPTDID deve ser ativado para o funcionamento desta facilidade

IGID Este parâmetro é marcado se deve ser ignorada a ID de chamada entrante

IICB Ignora bilhetagem entrante


As unidades de custo recebidas e o bit TRANSORG recebido (AMO LDAT) não são transferidos dos elementos de
bilhete. Este parâmetro é ativado se a tarifação de chamada entrante deve ser ignorada

IIDL Interceptação quando a discagem é incompleta


Operadora intercepta se a discagem é incompleta. O flag FEASU ICPTDID deve ser ativado para o funcionamento
desta facilidade

INAU Interceptação em caso de não autorizado


Operadora intercepta se o destino discado não tem as autorizações necessárias na classe de serviço (flag de
COSSU NOCO é marcado). O flag FEASU ICPTDID deve ser ativado para o funcionamento desta facilidade.

INDG Interceptação de chamada se nenhum dígito é discado


Este parâmetro é setado para uma interceptação da operadora se nenhum dígito for discado. Esta interceptação
da operadora não deveria ser setada para discagem por pulso analógica

IONS Operadora intercepta se intercalação não foi executada com sucesso


Se este parâmetro é marcado, chamadas são comutadas para o console de atendimento seguido por uma tenta-
tiva de intercalação remota com falha

ITB Interceptação quando todos os troncos estão ocupados.


Operadora intercepta se não há um caminho disponível (por ex. todos os troncos estão ocupados ou transbordo
de chamadas em fila)

ITRC Início de temporização interna para chamada de retorno via módulo CDG
Este parâmetro é setado se um temporizador de chamada de retorno interna deve ser inicializado para chamadas
de retorno via módulo CDG (CORNET-DPNSS Gateway)

ITRN Transferência de usuário de grupos ITR groups via S0/S2 (NWU)


Este parâmetro permite a transferência de informaçãoo de um grupo ITR via circuitos S0/S2 (ou seja, no âmbito da
rede)

ITT Troncos inter-PABX


Este parâmetro indica que os troncos entrantes são operados como linhas trânsito inter-PABX. O parâmetro é ati-
vado para tráfego entrante em conjunto com CPS 12
Nota: Se este parâmetro não for ativado, chamadas entrantes são operadas como linhas de ramal com CPS 10
setado para tráfego entrante

IVAC Interceptação quando vago


Operadora intercepta se número não está disponível (não programado no WABE). O flag FEASU ICPTDID deve
ser ativado para o funcionamento desta facilidade

KNDI Aviso de segunda chamada em discagem direta a ramal


Permite indicação de chamada em espera automática (sinal knocking) para chamadas entrantes diretas à central

KNEX Aviso de segunda chamada para chamadas de troncos de entrada após transferência
Permite indicação automática de chamada em espera 9sinal knocking) para chamada entrante no sistema após
uma transferência pela operadora ou ramal

KNOR Aviso de segunda chamada e intercalação possível


Se este parâmetro é setado, intercalação ou indicação de chamada em espera em rede será possível na linha do
usuário chamado que está ocupado.
Configuração de Troncos

LINO Linha com números implícitos


O parâmetro COT LINO deve ser setado para sistemas antigos (<V3.5) ou sistemas externos conectados a esta
linha, para entender somente números implícitos (discáveis) e enviar uma combinação NPI/TON indefinida ou
incorreta.

LINC Permite ativar a linha com possibilitade de enviar à prestadora números implícitos

LPRN Ativa restrição permanente de números para EDSS1 CO

LRPM O último de redirecionamento pode ser enviado ao phonemail

LWNC Linha sem código de nó


Este parâmetro indica uma linha sem transporte de código de nó.
O parâmetro é ativado para facilidades em rede “mostrar número de ramal em rede de numeração aberta” e “livre
de loop na rede”
O parâmetro deve ser atribuído para todas linhas entrantes analógicas e digitais que não fornecem seus códigos
de nó como parte da infomração do número, por ex. linhas de nós parceiros que não são sistemas Hicom/HiPath,
ou anteriores a V3.3
O código de nó (número de nó) é administrado nos AMOs ZAND, TDCSU, TACSU, RICHT e KNMAT.

MAOV Intercalação manual


Este parâmetro deve ser ajustado de modo a permitri intercalação manual

MCIW Rechamada para caixa de correio em interligações com HiPath 3000


Este parâmetro é usado para linhas com protocolo Qsig para permitir rechamada do sistema remoto HiPath 3000.
Este parâmetro deve ser setado para a correção na sinalização de requeridas rechamadas para usuários de um
sistema HiPath 3000 remoto, gravadas como mensagens de correio de voz

MFC Sinalização MFC na linha


Se este parâmetro é marcado, o parâmetro MFCVAR não deverá ser posto como zero

MFOB Sinalização MFC-R2 sem sinal B


Este parâmetro deve ser ativado para permitir chamadas em trânsito (chamadas DDI) via um PABX principal par
um PABX satélite, independentemente do protocolo de rede usado (ou seja, CORNET-NQ ou MFC-R2/CIS). Isso é
necessário para sistemas MRF-R2 sem sinal para trás mas com controle de desligamento (Amo COT:COEX)

NCDR Suprime a sinalização de mensagens específicas CDR-e

NCHG Chamada do Console de Atendimento sem tarifação


Uma parte CO chamante não é tarifada para uma chamada para console ATND (MFC).
Este parâmetro é marcado se tarifa de chamadas para estabelecidas pela operadora paraa central de comutação
não deve ser atribuída à operadora
Requer FEASU parâmetro NOCHRG

NCHD Não envia aviso de tarifação durante a chamada

NITO Não intercepta se trânsito sainte (somente para troncos analógicos)


Se este parâmetro é ajustado, não há permissão de interceptação da operadora para conexões em saída de trân-
sito.
Este parâmetro foi intencionado originalmente para aplicações especiais com PNE, mas é atualmente usada para
previnir a interceptação à mesa operadora

NLCR Circuito de entrada de um sistema sem LCR (voz)


Este parâmetro deve ser ativado se os parâmetros de tronco para LCR não podem ser transmitidos na linha (por
ex. devido a incompatibilidade de protocolos)
Nesses casos, os parâmetros de LCR do usuário chamado serão usados (parâmetros LCOS em TDCSU/TACSU)

NLHT Sem tom de retenção local, tom de retenção do sistema remoto. Este parâmetro deve ser ativado se nenhum tom
de retenção de ser alimentado.
Configuração de Troncos

NLRD Este parâmetro deve ser ajustado de modo a permitir o uso de autorização LCR do tronco para conexões de
dados. Conexões de dados entrantes não irão mais fornecer dados LCR

NOCI Não informa conferência de saída

NOCT Não informa sobre causa de uma transferência de saída

NOFT Não ativa Flag Trace no tronco

NOHO Tronco não pose ser posto em retenção para conferências em rede

NORR Tronco não faz re-roteamento

NOSD Sem disponibilidade de diálogo simples

NOVC Sem intercalação para chamadas da CO

NPIS NPI ISDN, chamadas saintes

NPPR NPI PRIVATE, chamadas saintes

NPUN NPI Unknown, chamadas saintes

NQNP Se setado, não permite ao tronco participar de uma captura no âmbito da rede CorNet-NQ

NQPI Se setado, não suporta informação da captura CorNet-NQ

NTON Sem tom. Somente para tráfego entrante analógica

OHKQ Fila de chamdas tipo “fora do gancho” em caso de trânsito

OVRA Intercalação / intrusão da operadora

PDOB Opção para pós-discdagem em caso ocupado


É possível uma discagem por sufixo, se a parte chamada estiver ocupada

PDOT Opção de pós-discagem em caso de timeout para ramal livre


É possível uma discagem por sufixo se a parte chamada não atender

PINR Possibilidade de PIN remoto (tráfego entrante e sainte)


Este parâmetro permite ativação / desativação remota de PIN em tráfego entrante e sainte

PNEV Supressão de informação no display VMS para PNE


Para sinalização entrante, este parâmetro bloqueia o canal de voz para sinalização da informação no display VMS
para o terminal chamante, ou seja, a sinalização não irá mais interferir com o prompt do operador que estiver fal-
ante.

PRI Mensagem irá determinar a prioridade da fila para AC

PROV Prioridade de intercalação / desconexão via linha S0/S2


Intercalação de emergência na rede / desconexão para linhas tie S0/S2 (via simples canal B) ou para linhas
analógicas tie com E&M ou sinalização CF
Requer em FEASU flag EMOVR

RCBS Controle de desconexão com sinal de ocupado


Este parâmetro deve ser ajustado para permitir controle de desconexão com simulação de um sinal de ocupado
(tom de ocuapado/mensagem de texto no display para linhas chamadas quando a parte chamante desliga). O
sinal de ocupado (e texto) é resetado quando a parte chamante toma o mono-fone novamente

RCL Chamada de retorno (se usuário desliga após consulta da chamada)


Chamada de retorno para operadora se usuário vai para estado “no gancho” durante consulta de chamada.
Este parâmetro é válido para linhas analógicas (DEV=BW). Este parâmetro deve ser declarado pra todos os tron-
cos analógicos que devem iniciar uma chamada de retorno nestes casos.
Configuração de Troncos

RCLS Supressão de chamadas de retorno para operadora, em nós que não possuem operadora
Este parâmetro é marcado se chamadas de retorno para operadora não são necessários (na direção em que o
parâmetro é setado). Isto é, para tráfego interno via linhas tie ou tráfego para PABX satélite sem uma operadora.
Este flag é também requerido para troncos DDR (junto com parâmetro COP flag DITW), ou seja, para configurar
chamadas de troncos diretas a ramais

RDDI Linha com anúncio síncrono de acordo com requisição pela DDI
Este parâmetro é marcado se um dígito é requerido para discagem entrante direta (em discagem por sufixo)

ROPT Conexão para rota com otimização de nó.


Este parâmetro indica uma linha que leva a um nó com otimização de rota
O parâmetro é marcado apenas para linhas CORNET-N/NQ conduzindo a sistemas Hicom / HiPath. Isso marca
aquelas linhas que são configuradas para otimização de rota. , ou seja, para as quais o parâmetro ROUTOPT do
AMO RICHT é setado

SATC Conexão satélite via linha S0/S2


Este parâmetro indica que as linhas S0/S2 são usadas para conexões de satélite
O número máximo de conexões de satélites em uma rede pode ser administrado como auxílio do contador de
satélites do AMO TDCSU, parâmetro SATCOUNT.

SATR Anúncio síncrono do tipo transporte

SDID Linha com dígito simples DDR

SNBE Não envia elementos de bilhete.


Este parâmetro suprime a transmissão dos elementos de tarifação (elementos de bilhete)

SPCM Canal de voz comprimido.


Este parâmetro deve ser ajustado para operação com compressão de canal B

SPAH Este parâmetro é usado para as facilidades de captura sistêmica e retenção para ramal analógico.
Para chamadas entrantes, quando a chamada é posta em espera para uso das facilidades de captura sistêmica ou
retenção de ramal analógico, ao se expirar o tempo de retenção, a chamada é interceptada pela operadora.

SUPN Suprime o nome do display para tráfego externo

TCET Conexão é atravessada se chamada é transferida para estado chamante, em caso de trânsito ISDN
Se este parâmetro é marcado, as chamadas são comutadas para um estado de “transferência de ring”e nenhum
tom de retenção é aplicado.

TGRE O grupo de troncos é marcado apenas para re-roteamento.

TIE Tie lines


Este parâmetro indica que os troncos de entrada são tratados como troncos TIE. O parâmetro é marcado com
tráfego entrante em conjunto com CPS 11 (Call progress state 11).
Nota: Se este parâmetro não for marcado, as chamadas entrantes serão operadas como linhas de ramal com CPS
10 para tráfego entrantre

TIEI Identificação de tie


Para centrais públicas, a identificação no console da operadora para conexão roteadas via linha de trânsito
(DAR=TIE)

TMFC Ocupação de circuito trânsito sobre conclusão de sinalização MFC (sinaliza tom de chamada para pública)

TRAI Permite trace de chamada maliciosa na linha (por exemplo, em ISDN)


Configuração de Troncos

TRSC Tronco envia os custos sobre tarifação para o nó de origem.


Se este parâmetro é marcado, o tronco retorna o custo total ao invés das unidades de tarifação para o nó de ori-
gem, para bilhetagem em tráfego de trânsito (aplica-se para bilhetagem interna).
Se este parâmetro não é marcado, as unidades de trarifação (pulsos) são retornados para o nó de destino. Neste
caso, os dados centrais de sistema do nó de origem deve ser configurado de modo apropiado
(ZAND:TYPE=CCD,CDDISPEXT=UNIT).
O parâmetroTRSC substitui o antigo parâmetro COT CHRG
Tirado do Manual de Serviços
Se TRSC é marcado, valores de cursto são enviados nesta linha na direção do nó de origem e pode ser mostrado
na fonte, mesmo se bilhetagem nãoesteja rodando.
Se TRSC não é marcado, unidades são enviadas ao invés de valores de custos. Este parâmetro tem efeito
somente em nós trânsitos de uma conexão.

TSCS Sinalização TSC de mensagens de correio externas.


Este parâmetro permite a sinalização de mensagens de caixa de correio externa (controle de Servidor). Com este
parâmetro ajustado, ativa-se sinalização TSC.

USD Este parâmetro permite discagem irrestrita de sufixo (isto é, discagem em linha aberta) para usuários DIGITE para
conexões analógicas/CAS entrantes e saintes, em conjunto com discagem DTMF

UUS1 Serviço de sinalização usuário-a-usuário classe 1 (conexão no estabelecimento da chamada básica)

UUS2 Serviço de sinalização usuário-a-usuário classe 2 (conexão de chamada básica)

UUS3 Serviço de sinalização usuário-a-usuário classe 3 (conexão no estabelecimento da chamada básica, conexão no
desligamento da chamada básica)

VCMN Compressão de voz não permitida


Este parâmetro deve ser marcado se deve haver prevenção contra compressão de canais B

VM Voice Mail Service


Acesso ao correio de voz integrado ao sistema HICOM, voice mail server (VMS). Somente para tráfego entrante.

WAAN Anúncio síncrono para chamadas em fila de ATND


Este parâmetro deve ser ajustado para um anúncio de espera na linha ( “aguarde por favor”)

XFER Transferência de chamada de tronco (desvio)


Transferência da chamada entrante CO. Se parâmetro ZAND CONFSUB=Y é setado, este parâmetro (XFER) é
também avaliado para chamadas de conferência com linha comutada. Conferências com uma linha de ramal
interno, uma linha comutada e outra linha comutada não são executados se CONFSUB=Y e XFER não é marcado.

XTRC Início de temporização externa para chamada de retorno via CDG.


Os parâmetros ITRC e XTRC são mutuamente exclusivos.
Configuração de Troncos

6.1 Novos parâmetros COT a partir do HiPath 4000 V 2.0


COT

– BKNA -> Ativação desabilita facilidade “entrega do número chamante”


– BFSR -> Bloqueia comutação para desvio após rejeição
– CDN -> desvio de chamada no âmbito da rede
– CFBN -> Desvio em caso ocupado no âmbito da rede
– DTMF -> Entrada dtmf quando SETUP não contém classmarks
– IBBA -> Envia dígitos via grupo de netrada dtmf antes do atendimento
– PGEP -> Nó parceiro não conhece sinalizção GEP do HiPath
– SPCP -> Preferência para compressão de voz
Configuração de Troncos
LCR

2. LCR
LCR
LCR

Conteúdo
- LCR básica
- LCR para plano de númeração fechado
- LCR para plano de númeração aberto
- LCR baseado no grupo de origem
- LCR por horario.
- LCR para IP Trunking
LCR
LCR

1 Roteamento por Menor Custo (LCR)

1.1 Definições Gerais do termo LCR


O termos geralmetne referido com “Roa de Menor Custo” (LCR - Least Cost Routing) aponta
para a habilidade da central em otimizar o controle da seleção de um canal para conectiv-
idade. Portanto, LCR se refere normalmente ao fato de “tomar o caminho mais barato”.
Os dígitos discados pela parte chamante devem, essencialmente, corresponder a um siste-
ma de código de dígitos definidos (AMO LDPLN). Isto resulta em um direcionamento per-
mitindo vários caminhos alternativos para atingir a parte chamada (AMO LDAT). Depen-
dendo do caminho escolhido, os dígitos discados podem ser manipulados na seqüência
pelo sistema, de forma a definir regras de discagem para o LCR (AMO LODR). Além disso,
com LCR é possível a escolha de direções a serem ocupadas ou as rotas alternativas a ser-
em controladas. Os dados configurados no ramal também serão usados como critério de
escolha da rota (LCOS (LAUTHs), grupo ITR, grupo DPLN, grupo de origem (SRCGRP)).
A procura por uma porta livre é manipulada uma vez durante o processamento da chamada,
ou repetidamente, baseado em controle de espera de loop. O processamento somente é
feito após uma verificação completa do plano de numeração. A recepção de um sinal de
congestionamento da central de destino, não resulta necessariamente no cancelamento do
processamento de chamada. No caso de um re-roteamento, outro caminho é determinado
para o destino desejado, caso disponível, e a chamada continua por este caminho.
Chamadas externas são roteadas para o nó privado, que é localizado mais próximo do des-
tino, caso o destino possa ser encontrado dentro da área de interligação da rede privada.
Isto resulta em uma otimização de custo, pois gera uma quebra na conexão com a central
pública (Breakout).

1.1 Definições mais importantes

1.2.1 Números de nó
O número de nó é uma estrutura de construção hierárquica para facilitação da localização
do nó dentro da rede privada (desde Hicom 300E V1.0). Uma rede pode conter até 3 níveis,
resultando em até 3 estágios de números de nó. A apresentação para os parâmetros de
AMO será (exceto para AMO KNMAT) aa-bbb-ccc. Isto é:
aa = Nível 2 (domínio) número de área (0-29)
bbb = Nível 1 (sub-domínio) número de área (0-253)
ccc = Nível 0 (nó) número de nó (0-999)
Um nó multi-nível é estimado como único, se diferir de pelo menos um nível de outro número
de nó. O número 0 do nível mais baixo significa “qualquer” (ex. 2-0-0).Os “zeros”podem ser
omitidos
(ex. 0-0-2 = 2).
LCR

Número de nó Físico
Um número de nó físico é atribuído a todo nó (HiPath 4000). Este número de nó deve ser
único dentro da rede e define o PABX. O número é entrado de forma sistêmica (AMO
ZAND, parâmetro PNNO).
É a base para a determinação automática da topologia da rede (AMO KNTOP) e para ger-
ação da identificação da chamada e identificação de facilidades (como por ex. bilhetagem).
Número de nó virtual
Um número de nó virtual caracteriza um nó com todos os ramais e consoles de opera-
dora. O AMO SDAT define a quais nós um ramal ou operadora serão assignados. Pelo
menos um nó virtual deve ser definido dentro de um nó físico. Ele pode se extender so-
bre vários nós físicos ou poderia ser um dos vários nós virtuais dentro do mesmo nó físico.
Números de nó virtuais são gerenciados em uma tabela separada com AMO KNDEF,
Type=OWN e deve diferir do nó físico. Isto também se aplica a nós altenativos (LCR) e mos-
tra a modificação do número.
LCR

Exemplos:
1) ZAND 

PNNO >  É o número de nó físico do PABX, nunca pode ser igual a ZERO e tem que ser único na 
rede, servira para propósitos de  descobrimento da topologia da rede e (identificação da 
central na rede ) facilidades em rede. 

PNODECD  >  Código de acesso para o dono do nó físico (a própria central), nunca pode ser 
igual a ZERO e trabalha em conjunto com o código OWNNODE  atribuído no WABE que tem 
que ser o criado com o mesmo número e será acessado da central adjacente via um código TIE 
de mesmo número. É utilizado para as facilidades de otimização de rota e reroteamento. 

Obs: NUNCA PODE SER IGUAL A ZERO 
LCR

2) WABE 

OWNNODE  >  Código de acesso do dono do NÓ, é utilizado para plano de 
numeração aberta  e tem que ser igual ao PNODECD do ZAND 
LCR

3) WABE 

TIE  >  Código de acesso aos ramais e facilidades da central adjacente, tem que ser 
igual ao código OWNNODE da central adjacente. 
LCR

4) KNDEF 

ADD‐KNDEF:NNO=101,TYPE=OWN,ISDNUL=EXT,PNPUL=EXT; 

CHANGE‐KNDEF:NNO=101,DFLT=Y; 

KNDEF  >  Número de nó virtual de todos os ramais do PABX. 
LCR

5) RICHT 

DNNO >  É o numero de NÓ físico do PABX  adjacente (902). 

DESTNO > É atribuído o numero virtual atribuído no KNDEF do PABX. 

  PDNNO > É o numero fictício para  e atribui‐se o mesmo numero do DESTNO. 

Obs:  Os campos de números de NÓS fictícios nunca podem ser igual a ZERO. 
LCR

6)  LDAT 

DNNO  > Será o numero  de NÓ virtual criado no KNDEF que aqui será fictício  

 Obs: Nunca pode  ser igual a ZERO e tem que ser único na rede 
LCR

UNKNOWN  > Plano de numeração aberto  para Hipath 4000 

LEVEL = 0  Isto porque não estamos utilizando segmentação do número de  NÓ . 

ONNO =  É o numero de NÓ virtual atribuído no KNDEF 

DNNO = É atribuído o numero de NÓ físico da central adjacente (ZAND) e o 
numero de NÓ fictício (KNDEF) da própria central 

NUMEXT = 901 > É o número que se deseja que apareça no display do ramal 
chamado antes da identificação do número do ramal que esta chamando. 
LCR
LCR

● Exemplo para definição de número de nó:

32072 +55 11 3687 - X

HiPath 4000
1-30-100
Nó Virtual
ISDN
32073
1-11-100
OWN
1-30-100 +55-11-3687-32072 +55 41 322 - X
AMO KNDEF
42113 Nó Virtual
Curitiba
1-41-160 43113
IPDA
OWN
1-89-160 +55-41-322-42113

São Paulo 1-41-160


Nó Físico: 10-11-100 (AMO ZAND: ALLDATA)

● Interrogação do AMO KNDEF


Virtual Node Table
+-----------+-------+--------------+--------------+-----------+-----+-----+----+
| VIRTUAL | TYPE | ISDN (E.164) | PRIVATE(PNP) | UNKNOWN |POPU-| CAC |DFLT|
| Node- | | CC | L2 | | LA- | PRE-| |
| NUMBER | | AC | L1 | KNOTEN- |TION | FIX | |
| | | LC SK | L0 SK | KZ SK | | | |
| | | UL | UL | | | | |
+===========+=======+==============+==============+===========+=====+=====+====+
|1- 11-100 |OWN | 55 | | | 58| | Y |
| | | 11 | | | | | |
| | | 3687 4 | | | | | |
| | | EXT | EXT | | | | |
+-----------+-------+--------------+--------------+-----------+-----+-----+----+
|1- 41-160 |OWN | 55 | | | 10| | |
| | | 41 | | | | | |
| | | 322 3 | | | | | |
| | | EXT | EXT | | | | |
+-----------+-------+--------------+--------------+-----------+-----+-----+----+
Station Numbers
LCR

Referindo ao número chamado, no HiPath 4000 distingue-se entre:

a) dois planos de numeração (fechado ou aberto), que implicam em diferentes se-


qüências de LCR.
b) três tipos de números (Unknown, ISDN e PNP (Private)) para cada plano de nu-
meração

Número de ramal discado

ex. 45000
Numeração Aberta:
O primeiro campo é entrado
Numeração Fechada: em WABE como DAR=TIE;

O número chamado é entrado em


WABE como DAR=STN ou.
DAR=NETW; ex. 0-322-45000(Local) ex. 0-567-45000(Local)
0-041-322-45000(Nat.) 0-012-567-45000(Lev1)
0-0055-41-322-45000(Intern.) 0-0054-12-567-45000(Lev2)
ex. 91-45000
Somente o Tipo O número do ra- O Número ISDN da O Número PNP da
de Número UN- mal (45000) da parte chamada segue o parte chamada seg-
KNOWN contêm parte chamante código de saída (ex. 0) ue o código de saí-
números de ra- segue o codigo de em um de três níveis da (ex. 0) em um de
mais em numer- saída (91) no Pl- possíveis (LOCAL, NA- 3 níveis possíeis
ação fechada. ano de numer- TIONAL, ou INTERNA- (LOCAL, LEVEL 1,
ação UNKNOWN. TIONAL) no plano de ou LEVEL 2) no Pl-
Este tipo de no. numeração ISDN. Es- ano de numeração
deve ser usado tes códigos de três PNP. Estes 3 níveis
somente dentro níveis são padroniza- de códigos são ar-
da rede HiPath dos (fixos). bitrários.
4000. O código Este tipo de número Este tipo de número
TIE próprio é pode ser usado dentro deve ser usado
geralmente incrito da rede mas também comete dentro de
como para redes públicas uma rede.
DAR=OWN- (central pública). Os prefixes 0 (L1)
NODE em WABE. Os prefixos 0 (Nat.) e e 00 (L2) não are
00 (Intern.) não são en- enviados normal-
viados normalmente. mente.
LCR

1.3 Seqüência de Interrogação “Clássica” de Processamento de


Chamadas LCR

1.3.1 Coleta Geral, Informação da Discagem e Categorização

dados do lado chamante (7100):

TLN: 7100 AMO SDAT:


COS 1/2:
a geração do LCR roteia a chamada em caso da COS reter a au-
torização TA (isto é, sua LCOS está ativa).
LCOS 1/2:
mostra a chave de autorização (LAUTHs) para saída do PABX.
ITR:
mostra o grupo de relação de tráfego.
DPLN:
mostra o grupo DPLN.
SRCGRP:
mostra o grupo de origem.
NNO:
mostra o número de nó virtual do assinante.

determinação da COS ativa (LCOS) 1 ou 2:


AMO BERUM

PABX
dados do sistema (PABX):
AMO ZAND:ALLDATA
PNNO:
número do nó físico do sistema

AMO KNDEF:
dados característicos do sistema virtual do assinante A é
atribuído ( SDAT parâmeter NNO).
LCR

1.3.2 LCR para Plano de Numeração Aberto


Informação de discagem de saída
por ex. ISDN national: 0-041-3341-5252

Dica:

Os parâmetros marcados em
1) DISP-WABE:TYPE=GEN,CD=0; itálico são para uso posterior!
CD 0

DAR TIE
TIE Line 3) DISP-LPROF:PROFIDX=?
SRCGRP
de acordo com
SRCGRP do lado
2) DISP-LDPLN:TYPE=CD,CD=00897227240 chamante

PROFIDX ? LRTE

ou LROUTE ?
correspondente ao gru- 3) DISP-RICHT:ART=LRTE,LRTE=?
po DPLN-do lado cha- MODE LRTE
mante
LRTE ?
LDP 0-W-0-89-722-x
TRGP

4) DISP-LDAT:LRTE=? SVC

LROUTE 1 2 3 DNNO

schedule (A-H) 6) DISP-LSCHD:ITR=# do número chamante


LAUTH saída da agenda dedicada
TRGP ? ? ? para STN destes grupos
ITR
ODR ? ? ?
valores no campo schedule:
* -> grupo de troncos disponível na agenda
- -> grupo de troncos bloqueado na agenda
5) DISP-LODR:LWR=? E -> grupo de tronco, marcado como “caro”
na agenda
ODR
CMD echo 4
CMD echo 5 7) DISP-BUEND:TRGP=?
CMD echo 6 portas de saída
(PENs)
CMD NPI ISDN
9) DISP-SDSU:............
CMD TON NATIONAL
status das por-
CMD END 8) DISP-TDCSU:PEN=? tas
PEN
LCR

1.3.3 LCR para plano de Nu meração Fechado UNKNOWN


Informação de discagem de saída: 7240

Dica:

Os parâmetros marcados em
1) DISP-WABE:TYPE=GEN itálico são para uso posterior!
,CD=7240;
CD 7240
DAR STN
DESTNO 0 = nó próprio Obs: CPS=0
> 0 = nó externo 2) DISP-RICHT:MODE=CD,SVC=ALL,DNNO=?
DNNO ? MODE CD
3) DISP-WABE:TYPE=GEN,CD=? CD ?
CD 200 LRTE ?
DAR NETRTE TRGP
SVC
DNNO
4) DISP-LDAT:LRTE=? DESTNO
LROUTE 1 2 3
schedule (A-H) 6) DISP-LSCHD:ITR=# do número chamante
LAUTH saída da agenda dedicada
para STN destes grupos
TGRP ? ? ?
ITR
ODR ? ? ?

valores no campo schedule:


* -> grupo de troncos disponível na agenda
- -> grupo de troncos bloqueado na agenda
E -> grupo de tronco, marcado como “caro”
na agenda
5) DISP-LODR:LWR=?
ODR
CMD echo 1 7) DISP-BUEND:TGRP=?
CMD NPI UNKNOWN portas de saída
(PENs)
CMD TON UNKNOWN
CMD END 9) DISP-SDSU:............
status das por-
tas
8) DISP-TDCSU:PEN=?
PEN
LCR

1.3.4 Descrição dos AMOs para rota de menor custo (LCR)

Seqüência de geração:

DIMSU ---> WABE ---> COSSU ---------------+-> LDPLN


|
BUEND -+-> TACSU -+-> RICHT -+-+-> LDAT -+
+-> TDCSU -+ | |
+-> TSCSU -+ | |
DIMSU -----------------------+ |
LODR -------------------------+

1.3.4.1 AMO RICHT (rota)


Uma rota consiste em todas as vias possíveis (grupos de troncos) entre dois pontos (para
todos os serviços possíveis), sendo o primeiro ponto o sistema local e o segundo ponto o
destino. O destino pode ser alcançado diretamente ou por meio de transbordo de outro
grupo de troncos (grupo de troncos alternativos). O AMO RICHT é usado para atribuir os
grupos de troncos para as rotas LCR.
Programação do serviço
O parâmetro LSVC é utilizado para atribuir o serviço da chamada a ser roteado. Se não for
introduzido nenhum LSVC, os grupos de troncos são instalados em comum para ambos os
serviços (VCE e DTE), o que resulta em um grupo principal para todos os serviços da rota.
Se ambos os serviços devem conter grupos de troncos diferentes ou valores diferentes em
LDAT, o primeiro serviço deve ser instalado com o uso de MODE=LRTNEW, e o outro
serviço por MODE=LRTEXT, usando o mesmo LRTE (número de rota).
Mudanças subseqüentes para as rotas LCR no AMO RICHT devem usar MODE=LRTE.

LCR em rede
O encaminhamento para uma rede corporativa pode ser feito por uma numeração aberta
entre centrais (onde usa-se código de acesso para encaminhamento) onde programa-se a
rota por MODE=LRTE, ou fechada (onde encaminaha-se diretamente pelo número do
ramal) onde a programação é feita por MODE=CD.
É necessária a definição do número de nó da central, além do código de nó das centrais de
origem e destino.

Número de destino (DESTNO)


Com o DESTNO, um código fictício é atribuído a um nó externo. Todos os DESTNO devem
ser únicos dentro de um nó.
O DESTNO é usado pelo AMO WABE para atribuir uma rota para ramais ligados
remotamente na rede.
LCR

Número de nó de destino (DNNO e PDNNO)


Para cada rota deve ser atribuído um DNNO que é independente do DESTNO. Ele descreve
um endereço único dentro da rede. O DNNO deve ser diferente do número do próprio nó.
O parâmetro consiste em 3 níveis: LEVEL2 - LEVEL1 - LEVEL0. Os zeros à esquerda não
são considerados em nenhum comando, ou seja, são tratados como se não tivessem sido
introduzidos. Um DNNO todo de zeros não é permitido.

Otimização de rota (ROUTOPT)


Para cada rota pode ser atribuída a capacidade de otimização de rota na rede, programada
com ROUTOPT = Y e ativação de facilidade em FEASU.

Reencaminhamento (REROUT)
Conforme o padrão, a facilidade “Reencaminhamento” (seleção de uma nova via) é
atribuída para cada rota. Entretanto, também é possível desabilitar esta facilidade para cada
rota, usando o parâmetro REROUT = Y.

1.3.4.2 LSCHD (agendamentos LCR)


A facilidade de encaminhamento de menor custo possui um conjunto de agendamentos que
são usados ao configurar os elementos da rota com AMO LDAT.
Podem ser definidos até 8 agendamentos, identificados pelas letras A a H. Tipicamente,
eles irão cobrir a semana em faixas correspondentes às taxas de tarifação.
Ao configurar uma rota LCR, deve ser feita uma introdução em cada agendamento para
indicar se a rota deve ou não ser usada durante os horário abrangidos por aquele
agendamento, e, em caso positivo, um tom especial pode ser aplicado para indicar que a
rota é uma rota cara.

1.3.4.3 LODR (Administração das normas de seleção de saída LCR)


O LODR é usado para criar regras de seleção LCR completas (ODR), que consistem em
diversos comandos para regular a seleção. Os comandos são identificados por um número
para cada ODR e atribuídos aos elementos de rota LCR com AMO LDAT.

Valores mais utilizados do ODR:


● ECHO - envia todos os dígitos de um campo específico, definido com AMO LDPLN. O
número do campo deve ser especificado no parâmetro FIELD.
● ECHOALL - envia todos os dígitos de todos os campos remanescentes definidos com
AMO LDPLN.
● NPI - Identificador do plano de rede
Define-se o plano de numeração usados caso os usuários desejem se comunicar entre
si, mas estejam localizados em redes diferentes e usando planos de numeração
diferentes, necessitam de uma conversão de seus números de assinante.
LCR

● OUTPULSE - envia dígitos específicos no parâmetro DGTS.


● TON - Tipo de número (de acordo com o NPI - identificador do plano de rede)
● END - Final da seqüência do comando ODR. É necessário ao final da regra.
● O parâmetro CMDPOS, que deve ser especificado ao introduzir e substituir, determina
a posição na qual o novo comando da norma de seleção de saída deve ser introduzido
(parâmetro REPLACE=NO) ou o comando antigo da norma de seleção de saída deve
ser substituído (parâmetro REPLACE=YES).

1.3.4.4 AMO LDAT (Administração de rotas LCR)


O AMO LDAT cria os elementos de rota LCR (LRTEL) para cada rota LCR (LROUTE). Estes
elementos de rota LCR especificam em qual seqüência os grupos de troncos devem ser
ocupados, qual a regra de discagem a ser utilizada e quais as condições de saída.
Cada elemento de rota LCR é priorizado dentro da rota LCR e lhe é atribuído um grupo de
troncos a partir desta rota, uma norma de seleção de saída e uma autorização LCR.
Adicionar (ADD) o primeiro elemento de rota LCR a um LROUTE também adiciona a própria
rota. A rota pode então ser atribuída a padrões de dígitos LCR individuais, usando-se AMO
LDPLN.
Apagar o último elemento de rota LCR de um LROUTE também apaga a própria rota.
Também é possível alterar (CHANGE) os dados de um elemento de rota LCR, adicionar
(ADD) novos elementos de rota LCR e apagar (DELETE) elementos de rota LCR.
Com o AMO LDAT, podem ser usados para uma rota LCR apenas os grupos de troncos que
tenham sido previamente atribuídos à rota por meio do AMO RICHT.

1.3.4.5 AMO LDPLN (Administração do padrão de dígitos LCR)


O AMO LDPLN administra o plano de seleção LCR. Os padrões de dígitos LCR (LDP) são
classificados e armazenados na base de dados. Uma rota LCR configurada e uma
autorização LCR são atribuídas para cada LDP.
Cada padrão de dígitos LCR pode ser atribuído a um grupo DPLN específico (parâmetro
DPLN). Se o DPLN não for especificado, todos os grupos DPLN serão válidos na análise.
Os padrões de dígitos LDP devem ser dispostos em um plano de numeração LCR, chamado
DIPLNUM. O valor padrão para análise de numeração aberta é “0”.
A seqüência de dígitos de qualquer padrão de dígitos LCR pode ser dividida em até
10 campos separados por “-”. Estes campos podem ser acessados diretamente pela norma
de seleção de saída atribuída durante o envio (ver AMO LODR).
LCR

Para que padrões de dígitos individuais não tenham que ser criados para todas as
combinações possíveis dentro de uma determinada faixa de dígitos, existem caracteres
especiais para representar as faixas de dígitos:
X - para qualquer dígitos entre 0 e 9, A e D ou * (por ex. 0 - 5X )
T - para temporização vencida ou # (=caractere de fim de seleção. Por ex. 200 - 190 - T)
Z - para qualquer seqüência de dígitos seguida por uma temporização vencida ou #
(=caractere de fim de seleção. Por ex. 540 - 543Z)
W - para transmitir o tom de seleção (por ex. 0 - W - 0 - 11 - 3XX)
Por exemplo, 997-XXXX representa todos os números de 997-0000 a 997-9999. O modelo
de dígitos (997-XXXX) é identificado pelo parâmetro LDP.
O último valor do modelo de dígitos indica o ponto de ocupação do circuito físico. A
sinalização enviada pela linha estará definida de acordo com a regra de discagem tomada
(LODR).
O primeiro campo deve conter um código de encaminhamento válido (ver AMO WABE).
Caracteres especiais não podem, portanto, ser usados no primeiro campo do padrão de
dígitos. Os códigos de encaminhamento podem ter no máximo 6 dígitos. Os outros dígitos
podem ser divididos em campos, conforme a necessidade. O padrão de dígitos LCR não
deve exceder a extensão de 22 dígitos.
Um nível de autorização LCR (parâmetro LAUTH) é atribuído para cada grupo DPLN de
um padrão de dígitos, de forma que padrões de dígitos LCR podem ser habilitados ou
desabilitados para usuários específicos dentro do mesmo grupo DPLN. Este padrão pode
ser selecionado com sucesso apenas pelos usuários no grupo DPLN que tiverem esta
autorização LCR na sua classe de serviço LCR ativa (AMO COSSU, parâmetro LCOS).
Também pode ser atribuído um contador de pulsos serial ao padrão de dígitos LCR
(parâmetro SPC). O contador de pulsos serial especifica quantos caracteres em um pulso
são avaliados se o final do padrão de dígitos LCR estiver aberto (caractere especial Z). O
valor padrão do parâmetro SPC é o mesmo que a quantidade máxima de dígitos, isto é, 22.
LCR

1.3.5 Resumo: Quem é quem em LCR?


LCOSV pacote autorização para LCR (voz & fax), composto por n LAUTHs;
LCOSD pacote autorização para LCR (dados), composto por n LAUTHs;
LAUTH autorização individual para acesso LCR. Atribuído aos ramais (LCOS) e rota
(LDAT), e faz parte da análise no padrão de discagem LDPLN.
LDPLN LCR- com duas tarefas:
1. LAUTH, autorização para o padrão de seleção independente de rota;
2. determinação da rota LCR (LROUT);
LROUT rota LCR: composta por todos os TGRPs possíveis para esta rota;
RICHT atribui TGRPs (grupos de troncos) e os dados suplementares (número do nó de
destino, reencaminhamento de rota, etc. para LROUT. No entanto, ele não
controla a seqüência. Possui as entradas dos tipos:
1. LRTENEW - entrada para códigos com plano de numeração aberta
2. CD - entrada para códigos com plano de numeração fechado
3. LRTEEXT - expansão da rota com plano de numeração aberta
LDAT seleção de dispositivos de LCR: controla as ocupações de TGRP e determina:
1. autorização LAUTH para a rota (TGRP) selecionada;
2. ODR para este TGRP;
3. atributos nas faixas de horários A até H (disponível, cara, bloqueada);
4. determinação do provedor de rede e da zona para CDR.
Seqüência de ocupação:
1. provedores baratos na seqüência das entradas;
2. provedores caros na seqüência das entradas;
LSCHD atribui faixas de horários para o LCR controlado por tempo;
LODR regras de seleção externa;
LCR

1.3.6 Exemplos básicos de configuração de LCR

LCR para acesso basico a rede p´ublica

ADD-WABE:CD=0,DAR=CO,CHECK=N;
ADD-LODR:ODR=1,INFO="LOCAL",CMD=ECHO,FIELD=2;
ADD-LODR:ODR=1,CMD=END;
ADD-RICHT:MODE=LRTENEW,LRTE=1,LSVC=ALL,NAME="LOCAL",TGRP=10,DNNO=902,DESTNO=101,PDNNO=101;
ADD-LDAT:LROUTE=1,LSVC=ALL,LVAL=1,TGRP=10,ODR=1,LAUTH=1,CARRIER=1,ZONE=EMPTY,LATTR=WCHREG,DNNO=101;
ADD-LDPLN:LCRCONF=LCRPATT,DIPLNUM=0,LDP="0"-"X",LROUTE=1,LAUTH=1;

LCR para plano de numeração fechado entre centrais


ADD-WABE:CD=001,DAR=NETRTE,CHECK=N;
ADD-WABE:CD=5555,DAR=STN,CHECK=N,DESTNO=1;

ADD-LODR:ODR=10,INFO="FECHADO",CMD=ECHOALL;
ADD-LODR:ODR=10,CMD=END;

ADD-RICHT:MODE=CD,LRTE=10,CD=001,CPS=0,SVC=ALL,NAME="FECHADO",TGRP1=11,DESTNO=1,DNNO=902,PDNNO=101;
ADD-LDAT:LROUTE=10,LSVC=ALL,LVAL=1,TGRP=11,ODR=10,LAUTH=1,CARRIER=1,LATTR=WCHREG,DNNO=902;

LCR para plano de numeração aberto entre centrais

ADD-WABE:CD=811,DAR=OWNNODE,CHECK=N;
ADD-WABE:CD=812,DAR=TIE,CHECK=N;
ADD-LODR:ODR=20,INFO="ABERTO",CMD=ECHO,FIELD=2;
ADD-LODR:ODR=20,CMD=END;
ADD-RICHT:MODE=LRTENEW,LRTE=20,LSVC=ALL,NAME="ABERTO",TGRP=20,DNNO=902,DESTNO=101,PDNNO=101;
ADD-LDAT:LROUTE=20,LSVC=ALL,LVAL=1,TGRP=20,ODR=20,LAUTH=1,CARRIER=1,ZONE=EMPTY,LATTR=WCHREG,DNNO=101;
ADD-LDPLN:LCRCONF=LCRPATT,DIPLNUM=0,LDP="812"-"X",LROUTE=1,LAUTH=1;

CHANGE-KNMAT:NPI=UNKNOWN,LEVEL=0,ONNO=901,DNNO=902,NUMEXT=811;
LCR

LCR para IP Trunking entre centrais

No exemplo, o LCR é configurado para o nó 10-69-100, de tal forma que um ramal usando a
numeração aberta (UNKNOWN) neste nó possa acessar um ramal no nó 10-69-200 via tronco
IP. Os planos de numeração fechada ou ISDN são suportados e configurados da mesma forma.
Uma ramal no nó 10-69-100 acessa o nó 10-69-200 através do número TIE 902.
ADD-WABE:CD=902,DAR=TIE;
O LRTE 520 deve rotear o nó 10-69-200 e usa o grupo de troncos 50 (ver acima):
ADD-RICHT:MODE=LRTENEW,LRTE=520,LSVC=ALL,NAME="IP TO KN 69
200",TGRP=50,DNNO=1-69-199;
A seguir é mostrada uma regra simples de discagem:
ADD-LODR:ODR=520,CMD=ECHO,FIELD=2;
ADD-LODR:ODR=520,CMD=END;
ADD-LODR:ODR=520,INFO="TIE TO GW2";
Como novidade para LDAT, entrar GW1=2-0 no LRTE 520. O 2 se refere ao parâmetro GWNO
no AMO GKREG. No GKREG para o nó 10-69-100, GWNO=2 indica gateway com endereço
IP 1.69.21.80. O 0 se refere ao número do sector-path (RM). Como o gerenciador de recursos
não foi liberado, o caminho do setor é sempre 0.
ADD-LDAT:LROUTE=520,LSVC=ALL,LVAL=1,TGRP=50,ODR=520,LAUTH=1,GW1=2-0;
O número TIE é inserido no LDPLN. O número de chamada é inserido no plano de discagem
padrão com DIPLNUM=0. Um índice de perfil PROFIDX também pode ser usado no lugar da
rota LRTE (AMO LPROF):
ADD-LDPLN:LCRCONF=LCRPATT,DIPLNUM=0,LDP="902"-"X",LROUTE=520,LAUTH=1;
Se o usuário deseja ser capaz de acessar o nó 10-69-100 a partir do nó 10-69-200, deve-se
executar as mesmas configurações. Naturalmente, o GWNO=1-0 é inserido no AMO LDAT.
LCR

LCR por horário

EXPLICAÇÃO
O LSCHD é vinculado a cada LRTEL do LDAT (parâmetro LSCHED), assim configuramos para
cada um, as faixas de horário não permitidas ou as faixas de horário que são caras.
Esta combinação faz com que o Hicom busque para cada faixa de horário um LRTEL o qual não
exista restrição, e este é o que será utilizado para completar a chamada.
Esta característica torna possível escolher qual Operadora será utilizada por horário, através da
configuração de diferentes LODR para cada LRTEL.
O AMO responsável pelo vínculo da letra da restrição com a faixa de horário que ela
compreende é o LSCHD. O AMO responsável pelo vínculo da restrição à rota é o LDAT, onde
poderemos ter:
LSCHED = [A B C D E F G H] restringe o uso desta rota na faixa de horário definido pela letra
(AMO LSCHD).
LSCHED= [AE BE CE DE EE FE GE] determina que neste horário, esta rota é cara.
Podemos utilizar os dois tipos de restrição para uma mesma rota.
Abaixo temos três diferentes exemplos práticos do uso destas facilidades.

EXEMPLO I
No exemplo abaixo trata-se de um cliente que quer que seu PABX seja programado para que
todos possam discar da maneira antiga (sem digitar o número da Operadora). O código CO é 0
(zero).
Supomos que nos dias de semana, a Operadora 21 cobra mais barato chamadas DDD das 00hs
às 08hs, a Operadora 23 das 08hs as 18hs e a Operadora 89 das 18hs até 23:59.
Nos outros dias (Sábado e Domingo), a Operadora 21 será a escolhida pela empresa para
efetuar as chamadas DDD.

/* cria as faixas de horário (obs: se configurado das 08&&18,


/* toda a faixa de 08:00 até 19:00 será coberta, ou até começar
/* uma nova faixa, ex: 18&&23, deste modo a primeria faixa (08&&18)
/* teria a abrangência diminuída para 08:00 às 18:00)

CHA-LSCHD:ITR=0&&15,DAY=MON&TUE&WED&THU&FRI,HOUR=00&&08,SCHED=A;
CHA-LSCHD:ITR=0&&15,DAY=MON&TUE&WED&THU&FRI,HOUR=08&&18,SCHED=B;
CHA-LSCHD:ITR=0&&15,DAY=MON&TUE&WED&THU&FRI,HOUR=18&&23,SCHED=C;

/* Regras de discagem com os respectivos códigos de Operadora

ADD-LODR:ODR=100,CMD=ECHO,FIELD=1;
ADD-LODR:ODR=100,CMD=OUTPULSE,DGTS=21;
ADD-LODR:ODR=100,CMD=ECHO,FIELD=3;

ADD-LODR:ODR=101,CMD=ECHO,FIELD=1;
ADD-LODR:ODR=101,CMD=OUTPULSE,DGTS=23;
ADD-LODR:ODR=101,CMD=ECHO,FIELD=3;

ADD-LODR:ODR=102,CMD=ECHO,FIELD=1;
ADD-LODR:ODR=102,CMD=OUTPULSE,DGTS=89;
ADD-LODR:ODR=102,CMD=ECHO,FIELD=3;
LCR

/* Exemplo de uma programação convencional de Richt


ADD-RICHT:MODE=LRTENEW,LRTE=1,LSVC=VCE,NAME="LIG.
DDD",TGRP=1,DNNO=100,DESTNO=200;

/* Cadastro da rota 1 e as restrições de horário


/* observe que as letras cadastradas no parâmetro LSCHED restringem
/* a LRTEL na faixa de horário cadastrada no AMO LSCHD
ADD-
LDAT:LROUTE=1,LSVC=VCE,LVAL=1,TGRP=1,ODR=100,LAUTH=1,LSCHED=B&C,LATTR=WC
HREG&EODSTCDR;
ADD-
LDAT:LROUTE=1,LSVC=VCE,LVAL=2,TGRP=1,ODR=101,LAUTH=1,LSCHED=A&C,LATTR=WC
HREG&EODSTCDR;
ADD-
LDAT:LROUTE=1,LSVC=VCE,LVAL=3,TGRP=1,ODR=102,LAUTH=1,LSCHED=A&B,LATTR=WCHR
EG&EODSTCDR;

/* Cadastro do LDPLN baseado no LODR proposto


ADD-LDPLN:LDP=0-0-X,LROUTE=1,LAUTH=1

É importante verificar o parâmetro DPRE no COT do tronco. Este


parâmetro faz com que o número discado que é enviado para bilhetagem
seja o número real, e não o que o usuário discou no aparelho telefônico.
Este parâmetro normalmente é requerido quando temos um tarifador
conectado ao PABX.

Importante: Os códigos utilizados neste documento são meramente ilustrativos. Podem ser
necessárias modificações nas linhas de comando dependendo das programações existentes no
Hipath 4000.

AVISO DE CHAMADAS CARAS COM LCR CONVENCIONAL

Uma outra função que poderá ser utilizada é a LCR convencional, porém com um aviso sonoro
para chamadas feitas em horário de pico. Depois de completar o último dígito da LCR (LDPLN),
se o LDAT (no parâmtero LSCHED ) estiver programado com a letra da faixa de horário do AMO
LSCHD e o “sufixo” E (ex. AE, BE, CE),o aviso é emitido, e para os ramais digitais também será
apresentado o texto "LIGACAO DISPENDIOSA" no display. Esta programação atenderia aos
clientes que desejam que o usuário não necessite discar o código da operadora ( o código seria
sempre o mesmo embutido na LCR) para efetuar uma discagem DDD, porém gostaria de avisá-
los que aquele é um horário caro para efetuar a chamada.
LCR

EXEMPLO II
O cliente não quer roteamento por horário (sempre efetuada a chamada pela operadora 21), mas
quer um aviso sonoro quando a chamada for efetuada no horário entre 12hs e 14:00. O código
CO é 0 (zero).

/* Habilitar tom de aviso de ligações caras (tom caro):


CHA-FEASU:TYPE=A,CM=LCRET;

/* Habilitar o tom caro para as LCOS.

CHA-COSSU:TYPE=LCOSV,LCOSV=<n.lcos>,LCROPTS=LCRET;

/* Criar faixa de horário de pico


CHA-LSCHD:ITR=0&&15,DAY=MON&TUE&WED&THU&FRI,HOUR=12&&13,SCHED=A;

/* Exemplo de uma programação convencional de Richt


ADD-RICHT:MODE=LRTENEW,LRTE=1,LSVC=VCE,NAME="LIG.
DDD",TGRP=1,DNNO=100,DESTNO=200;

/* Criar regra de discagem embutindo código da operadora 21


ADD-LODR:ODR=100,CMD=ECHO,FIELD=1;
ADD-LODR:ODR=100,CMD=OUTPULSE,DGTS=21;
ADD-LODR:ODR=100,CMD=ECHO,FIELD=3;

/* Criar LDAT especificando que será emitido o aviso na faixa


/* de horário definida como A no AMO LSCHD.
/* Observe que cadastramos o conjunto AE, e não apenas a letra
/* A, pois queremos o tom caro (E = expensive).

ADD-
LDAT:LROUTE=1,LSVC=VCE,LVAL=1,TGRP=1,ODR=100,LAUTH=1,LSCHED=AE,LATTR=WCH
REG&EODSTCDR;

/* Cadastro do LDPLN baseado no LODR proposto


ADD-LDPLN:LDP=0-0-X,LROUTE=1,LAUTH=1

É importante verificar o parâmetro DPRE no COT do tronco. Este


parâmetro faz com que o número discado que é enviado para bilhetagem
seja o número real, e não o que o usuário discou no aparelho telefônico.
Este parâmetro normalmente é requerido quando temos um tarifador
conectado ao PABX.

Importante: Os códigos utilizados neste documento são meramente ilustrativos. Podem ser
necessárias modificações nas linhas de comando dependendo das programações existentes no
Hiipath4000.
LCR

UTILIZANDO LCR POR HORÁRIO COM FACILIDADE DO TOM CARO


Poderíamos utilizar os dois recursos ao mesmo tempo. Para tanto é necessário saber que o
Hicom sempre tentará sair pela rota mais barata, deste modo, se tenho duas rotas possíveis
para o mesmo horário, porém uma tem restrição A e a outra AE, sairemos pela AE. Um outro
exemplo é ter a restrição AE para uma rota e ter uma outra rota sem restrição para uma dada
faixa de horário “A”.
Independente do LVAL da rota no LDAT, a rota escolhida seria a sem restrição. A rota AE, só
seria ocupada, neste caso, se todos os troncos do grupo pertencente à rota que não restringe o
horário A, estivessem ocupados.

EXEMPLO III

Neste exemplo todas as rotas têm restrição ao horário “B”, porém o LRTEL 2 têm uma restrição
BE (diz apenas que é caro), enquanto as outras rotas restringem a faixa do horário em questão.
Na prática, na faixa de horário “B” o usuário sairá pela LRTEL 2 mas ouvirá o tom CARO, na
faixa de horário “A” sairá pela LRTEL 1 e na faixa de horário “C” pela LRTEL 3, sem o aviso do
tom caro.

/* Habilitar tom de aviso de ligações caras (tom caro):


CHA-FEASU:TYPE=A,CM=LCRET;

/* Habilitar o tom caro para as LCOS.

CHA-COSSU:TYPE=LCSV,LCOSV=<n.lcos>,LCROPTS=LCRET;

/* cria as faixas de horario (obs: se configurado das 08&&18,


/* toda a faixa de 08:00 até 19:00 será coberta, ou até começar
/* uma nova faixa, ex: 18&&23, deste modo a primeria faixa (08&&18)
/* teria a abrangência diminuída para 08:00 às 18:00)

CHA-LSCHD:ITR=0&&15,DAY=MON&TUE&WED&THU&FRI,HOUR=00&&08,SCHED=A;
CHA-LSCHD:ITR=0&&15,DAY=MON&TUE&WED&THU&FRI,HOUR=08&&18,SCHED=B;
CHA-LSCHD:ITR=0&&15,DAY=MON&TUE&WED&THU&FRI,HOUR=18&&23,SCHED=C;

/* Regras de discagem com os respectivos códigos de Operadora

ADD-LODR:ODR=100,CMD=ECHO,FIELD=1;
ADD-LODR:ODR=100,CMD=OUTPULSE,DGTS=21;
ADD-LODR:ODR=100,CMD=ECHO,FIELD=3;

ADD-LODR:ODR=101,CMD=ECHO,FIELD=1;
ADD-LODR:ODR=101,CMD=OUTPULSE,DGTS=23;
ADD-LODR:ODR=101,CMD=ECHO,FIELD=3;

ADD-LODR:ODR=102,CMD=ECHO,FIELD=1;
ADD-LODR:ODR=102,CMD=OUTPULSE,DGTS=89;
ADD-LODR:ODR=102,CMD=ECHO,FIELD=3;

/* Exemplo de uma programação convencional de Richt


ADD-RICHT:MODE=LRTENEW,LRTE=1,LSVC=VCE,NAME="LIG.
DDD",TGRP=1,DNNO=100,DESTNO=200;

/* Cadastro da rota 1 e as restrições de horário


/* observe que as letras cadastradas no parâmetro LSCHED restringem
/* a LRTEL na faixa de horário cadastrada no AMO LSCHD
LCR

ADD-
LDAT:LROUTE=1,LSVC=VCE,LVAL=1,TGRP=1,ODR=100,LAUTH=1,LSCHED=B&C,LATTR=WC
HREG&EODSTCDR;
ADD-
LDAT:LROUTE=1,LSVC=VCE,LVAL=2,TGRP=1,ODR=101,LAUTH=1,LSCHED=A&BE&C,LATTR
=WCHREG&EODSTCDR;
ADD-
LDAT:LROUTE=1,LSVC=VCE,LVAL=3,TGRP=1,ODR=102,LAUTH=1,LSCHED=A&B,LATTR=WCHR
EG&EODSTCDR;

/* Cadastro do LDPLN baseado no LODR proposto


ADD-LDPLN:LDP=0-0-X,LROUTE=1,LAUTH=1

É importante verificar o parâmetro DPRE no COT do tronco. Este


parâmetro faz com que o número discado que é enviado para bilhetagem
seja o número real, e não o que o usuário discou no aparelho telefônico.
Este parâmetro normalmente é requerido quando temos um tarifador
conectado ao PABX.

Importante: Os códigos utilizados neste documento são meramente ilustrativos. Podem ser
necessárias modificações nas linhas de comando dependendo das programações existentes no
Hipath 4000
LCR
LCR
LCR
LCR

2 Grupos de Origem LCR (AMO LPROF)

2.1 Descrição da Facilidade


Dependendo do grupo de origem, diferentes rotas LCR podem ser selecionadas sem, por
exemplo, a necessidade de usar um LCOSx especial. Isso permite não só que o roteamento
seja designado dependendo do nó, mas também que seja dividido ainda mais.
As rota LCR pertencentes a um grupo de origem são definidos em uma tabela com o AMO
LPROF. No AMO LDPLN, é então possível fazer referência à tabela com o parâmetro
PROFIDX.
Se uma entrada existe no padrão de dígito (no AMO LDPLN), a tabela administrada pelo AMO
LPROF é levada em conta, e a aprovação do grupo de origem específico com os valores da
tabela é confirmada. se uma entrada que combine é encontrada, o próximo passo para a
seleção é realizado com base no LTRE especificado, senão, o LROUTE originalmente inserido
no AMO LDPLN é utilizado para futuras seleções.

2.1.1 Informação do Serviço


● Um grupo de origem pode explicitamente ser designado a um “Calling Party” (e.g. com
AMO SDAT) ou, como padronizado, derivado do slot (in shelf, AMO UCSU).
● No AMO LPROF, somente válido, i.e. LRTE’s existentes podem ser inseridos.
LCR

Calling Party
Discagem SRCGRP
Wegeauswahl

AMO WABE

AMO LDPLN AMO LPROF

LROUTE PROFIDX PROFIDX SRCGRP LRTG

OR 1
to
99

AMO RICHT AMO RICHT

LRTE LRTG

AMO LDAT AMO LDAT

LROUTE LRTG

AMO LODR AMO LODR

Called Party Called Party


(Não há roteamento do Grupo de Origem) (LROUTE para SRCGRP
existe)
LCR

IPDA

LRTE=100
PSTN LTU 17
Salvador

SDAT:DATA1
SRCGRP=2

LTU 2
Grupo de Origem 1 config.
PSTN LRTE=1 padrão para todas as estações
Sao Paulo LTU 1
LDP=0-110

Figura 3-1 Exemplo de configuração de um Grupo de Origem Dependente

2.2 Geração (Exemplo)


● Para IPDA Amo UCSU e diversos outros AMOs devem ser usados
● Configurar LTU 17 com Grupo de Origem 2:
ADD-
UCSU:UNIT=AP,LTU=17,SRCGRP=2,FRMTYPE=INCH19,CONNTYPE=NBCSIPDL,LO
CATION="TESTLAB";
● ou configurar STN no LTU 17 com o Grupo de Origem 2:
CHANGE-SDAT:STNO=7140, TYPE=DATA1,SRCGRP=2;
● Definição do LCR rota 100 (rota para “PSTN Salvador”) para
Grupo de Origem 2 com AMO
LPROF: e LCR rota 1 para Grupo de Origem 1
ADD-LPROF:PROFNAME="EMERGENCY",SRCGRP=2,LRTE=100;
CHANGE-LPROF:PROFIDX=1,SRCGRP=1,LRTE=1;(Profidx encontrado do DISPLAY-
LPROF:;)
LCR

● Referência a uma entrada na tabela de um Grupo de Origem (aqui: Índice 1) com AMO
LDPLN:
ADD-LDPLN:LDP="0"-"110",PROFIDX=1,LAUTH=1;

2.3 Geração (exemplo no mesmo sistema)

SRCGRP

01
LRTE 91
ISDN 7140
ISDN
02
LRTE 322
7143

99

xxxx

CHANGE-SDAT:STNO=7140,TYPE=DATA1,SRCGRP=1;
CHANGE-SDAT:STNO=7143,TYPE=DATA1,SRCGRP=2;
ADD-LODR:ODR=33,CMD=NPI,NPI=UNKNOWN,TON=UNKNOWN;
ADD-LODR:ODR=33,CMD=ECHO,FIELD=3;
ADD-LODR:ODR=33,CMD=END;
ADD-LDAT:LROUTE=322,LSVC=ALL,TGRP=30,ODR=33,LAUTH=1;
ADD-LDAT:LROUTE=91,LSVC=ALL,TGRP=31,ODR=33,LAUTH=1
ADD-LPROF:PROFNAME="GROUP 1",SRCGRP=1,LRTE=91;
● Para cada entrada de “ADD-LPROF” um índice é criado
● Com o comando “DISPLAY-LPROF” o Profidx pode ser visto
● Usando-se o comando “CHA-LPROF” outros grupos de origem podem ser adicionados ao
mesmo Profidx
CHA-LPROF:PROFIDX=1",SRCGRP=2,LRTE=322;
ADD-LDPLN:LDP="0"-"W"-"X",PROFIDX=1,LAUTH=2,PINDP=N;
LCR

2.4 AMOs Relevantes


AMO Parâmetro Idioma Descrição
UCSU SRCGRP e índice do grupo de origem
UCSU INCH19 e Trama de 19 polegadas para ap shelves
UCSU NBCSIPDL e ap shelf conectado ip - direct link
UCSU NBCSIPNW e ap shelf conectado via IP net
LPROF PROFIDX e LCR Profil-Index
LPROF SRCGRP e índice do grupo de origem
LPROF PROFNAME e Nome do “LCR Profile” (Perfil LCR)
LPROF LRTE e Rota LCR
LDPLN LDP e Padrão de Dígito LCR
LDPLN LAUTH e Nível de autorização LCR
LDPLN LROUTE e Número da Rota LCR
LDPLN PROFIDX e Índice do “LCR Profile” (Perfil LCR)
SDAT SRCGRP e Índice do Grupo de Origem
Tabela 3-1 AMOs Relevantes
LCR
Grupos de Atendimento

3. Grupos de Atendimento
Grupos de Atendimento
s
Grupos de Atendimento

Conteúdo
1 Programação da Mesa Telefonista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
1.1 AMOs para o console de telefonista (AC), serviço noturno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
1.2 Descrição abreviada dos AMOs utilizados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
1.2.1 CTIME: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
1.2.2 ACSU . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
1.2.3 NAVAR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
1.2.4 VFGR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
1.2.5 VFGKZ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
1.3 Descrição Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
1.4 Nós sem um Console de Atendimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
1.5 Exemplo de uso de AMOs . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
1.5.1 Atribuir um Atentende (AC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
1.5.2 Atribuir um Grupo de Atendimento (ATNDGR) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
1.5.3 Atribui um Nome a um Grupo ATND . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
1.5.4 Remover um ATND do grupo ATNDGR e apagá-lo do sistema . . . . . . . . 8
1.5.5 Alterar o Número Pessoal da Operadora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
1.5.6 Adicionar um ATND ao grupo ATNDGR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
1.5.7 Serviço de Atendimento Centralizado (Interno) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
1.5.8 Grupo de Serviço de Atendimento Centralizado Externo. . . . . . . . . . . . . . 9
1.6 Atribuição de atendimento noturno automático . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
1.7 Interceptação para Operadora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
s
s
1 Programação da Mesa Telefonista

1.1 AMOs para o console de telefonista (AC), serviço noturno

LRNGZ WABE CTIME COSSU SBCSU


listas de seleção dados de análise temporizadore classes de
SCSU
abreviada central de dígitos s para AC serviço dados de ramal

No. da lista No DPLN No COS STNO

ZAND ACSU SSC


ramal especial
dados AC para (atendimento
dados de serviço diurno / noturno - AC noturno universal)
sistema
No LST ATNDNO ATNDNO GENANSNO

NAVAR
opção de comuta-
ção noturna
códigos do
No DPLN NOPTNO

VFGR
opção noturna para o horário do
dia AC
ATNDGR

VFGKZ
códigos e nomes SYNCA
para os grupos AC
mensagem gravada
síncrona

ZRNGZ
TSCSU
destinos para seleção
abreviada central troncos especiais
s
1.2 Descrição abreviada dos AMOs utilizados
No Hipath 4000, é possível administrar consoles de atendimento dos tipos AC4 ou consoles
baseados em Windows ACWin-4/5 (DQ) e ACWinMQ-2/3 (MQ). Os seguintes AMOs são
usados para configuração,

1.2.1 CTIME:
Temporizadores para AC:
ativação do terminal (AC2, AC3 ou AC4) atualização do mostrador, atribuindo o tratamento
e a consulta de chamadas

1.2.2 ACSU
Configuração do console de telefonista
Especificação dos dados e colocação em operação (ACWin ou AC4) do console de
telefonista)

1.2.3 NAVAR
Opções de noturno
Especificação de destinos para no máximo 128 opções de comutação noturna

1.2.4 VFGR
Grupos de console de telefonista
Combinação de consoles de telefonista em grupos, especificando os números da opção de
comutação noturna por grupo

1.2.4.1 Relação entre os AMOS NAVAR e VFGR

NAVAR NOPTN 1 → 3000

3 → 3001

128 → 3009

NOPT 1 = 1

VFGR

NOPT 8 = 3 → AUNTS = Y ( destino do AUNTS )


s
1.2.5 VFGKZ
Definição de qual código de acesso criado no AMO WABE (códigos ATND e ATNDDID)
deve acessar cada um dos grupo de console de telefonista.

1.3 Descrição Geral


Ao atendente é dado um número individual conhecido como número pessoal com código
ATNDIND
Ao contrário de ramais e troncos, um Atendente não está preparado para operação após
criação. Eles devem ser atribuídos a um grupo ATND (VFGR).
A partir do momento em que as opções noturnas sejam também atribuídas a todos terminais
de atendimento (pelo menos uma opção nula (“dummy”), caso não haja ramais com opção
de serviço noturno), eles devem ser criados de antemão com AMO NAVAR.
As seguintes opções noturnas podem ser atribuídas com o AMO NAVAR:
NONE Opção nula ou “dummy”
STN ramal de atendimento noturno
GENANS Atendedor Universal noturno
CASEXT Grupo ATND para serviço externo centralizado
CASINT Grupo ATND para serviço interno centralizado

A partir da liberação do Hipath 4000 V1.0, atendentes noturnas não serão mais
suportadas para opções noturnas.

O AMO VFGR é usado para alocar todos os ATND relevantes, assim como opções noturnas
para grupos ATND.
Através do parâmetro ACTYPE no AMO ACSU, pode-se escolher entre os seguintes aten-
dimentos: AC4, AC-WIN (ACW2Q) e AC-WIN MQ (ACWMQ).
Para um grupo AC-WIN MQ, o AMO-VFGR deve ser criado com o parâmetro QUE-
MODE=MQ (fila múltipla) enquanto que um grupo com outros atendentes (AC4, ACWin) é
criado via QUEMODE=DQ (fila dupla).
Atendente AC-WIN MQ não podem estar dentro do mesmo grupo de outros tipos de aten-
dentes.
As opções noturnas são atribuídas a um número de índice criado no AMO NAVAR e alocado
como opção noturna no grupo de Atendimento (1 - 8)
Uma vez que o grupo esteja definido, é assinalado aos códigos:
● ATNDDID para discagem direta de entrada (DDR de entrada da rede pública)
● Código de atendimento ATND, (chamadas internas ao atendente)
s
● GENANS, se for implementado atendimento de tronco desde um ramal qualquer
É necessário atribuir os código ATND e ATNDDID para todos os grupos de atendimento via
AMO VFGKZ. O grupo de atendimento não pode ser chamado sem atribuição desses códi-
gos de acesso (mesmo em caso de chamadas interceptadas ou chamadas pessoais para
atendente).
Se um grupo ATND for controlar as tarefas de um outro grupo como variante noturna, ele se
torna um grupo de “Serviço de Atendimento Centralizado”, que pode ser atribuído interna-
mente (CASINT) ou em um outro nó da rede (CASEXT).
Um grupo ITR e/ou um grupo DPLN nãonecessita ser especificado, a não ser que desej faz-
er uma restrição do acesso ao grupo de atendimento. isto é necessário se por exemplo, vári-
os clientes dividem um único sistema e um grupo ATND é configurado por cliente.
Se todos clientes dividem um grupo de atendimento comum, até 1000 códigos de acesso
ATNDDID podem ser atribuídos para chamadas CO entrantes e um nome de companhia
pode ser atirbuída para cada código.
Isto é feito atravé do AMO-ZAND, TYPE=ATND, COMP1000=YES e com a apropriada atri-
buição do AMO VFGKZ.
Se no AMO-ZAND o valor COMP1000 é posto para NO, então até 10 códigos de ATNDDID
podem ser adicionados por cliente para chamadas entrantes CO (VBZGR AMO).
As mesas de atendimento podem ser adicionadas ou apagadas de um grupo a qualquer mo-
mento. Porém, uma atendedora não pode pertencer a mais de um grupo ao mesmo tempo.
Atendentes em opção noturna não são mais suportadas.
Ramais com atendimento noturno podem ser atribuídos a várias opções de noturno. Para
opção noturna GENANS, somente uma estação (ANATE) pode ser entrada, usando o AMO
SSC.
Podem ser configurados até 16 grupos de atendimento em um sistema.
consoles de Atendimento não podem ser configurados em gupos de busca.
No caso de sistemas sem console de atendimento, um grupo ATND deve ser con-
figurado, Ie a ele deve ser assinalado um raml de atendimento noturno (pode ser
“dummy”), porém, nenhum hardware é necessário
s
1.4 Nós sem um Console de Atendimento

Descrição da facilidade
Assegurar que um grupo de atendimentotenha atribuído um ramal ou uma variante de no-
turno vazia, para nós ramal sem operadoras. Para essa configuração, nenhum HW é
necessário.

Exemplo
● Atribuir um ramal para comutação de opção noturna
AD-NAVAR:NOPTNO=128,TYPE=STN,STNO=53200;
ou como variante vazia:
AD-NAVAR:NOPTNO=128,TYPE=NONE;
● Atribuir um grupo ATND com o ramal acima
AD-VFGR:ATNDGR=0,NOPT1=128,OPT=1;

1.5 Exemplo de uso de AMOs

1.5.1 Atribuir um Atentende (AC)


● Atribuir um número de telefone para a operadorea no AMO WABE
ADD-WABE=CD=<número individual de chamada>,DAR=ATNDIND;
● Atribuir uma classe de serviços com AMO COSSU
ADD-COSSU:AVCE=parameter...; (geralmente possui valores TA e TNOTCR)
● Atribui console de atendimento com AMO ACSU
ADD-ACSU:ATNDNO=<número individual de chamada>,PEN =<ltg-ltu-slot-cct>,DPLN =<0
- 15>,COS =<classe de serviço>,LCOSV =<classe de serviço LCR>,LANG =<idioma da op-
eradora: por ex. BRA para Brasil>,ACTYPE =<ACW2Q / AC4 / ACWMQ>;

1.5.2 Atribuir um Grupo de Atendimento (ATNDGR)


● Atribuir um resultado de análise de dígitos (DAR) no AMO WABE
ADD-WABE:CD=<número do grupo de atendimento interno>,DAR=ATND;
ADD-WABE:CD=<Númeor entrante externo para grupo de operadora>,DAR=ATNDDID;
● Atribuir as Operadoras com AMO ACSU (idem item 1.5.1)
● Atribuir as opções notrnas no AMO NAVAR
ADD-NAVAR:NOPTNO=<número da opção noturna>,TYPE=<tipo de opção noturna>,.....;
s
● Atribuir um grupo de atendimento com AMO VFGR
Grupos de atendimento com modo Double Queue (DQ) podem consistir de consoles
dos tipos AC4, AC-Win 4.x e ACWIN XP. e ACWIN IP
ADD-VFGR:ATNDGR=<No.Grp.Atend.>,QUEMODE=DQ,ATNDNO=<No. me-
sa>,NOPT1=<Opção noturna em NAVAR>,OPT=<Número 1....8 para NOPT ativa>,IT-
DEST=<grupos ITR para interceptação>,CQMAX=<número de chamadas em fila>;
Attendant groups with Multiple Queues mode (MQ) can consist of AC-Win MQ 2.x At-
tendant type only.
ADD-VFGR:ATNDGR=<No.Grp.Atend.>,QUEMODE=MQ,ATNDNO=<No. me-
sa>,NOPT1=<Opção noturna em NAVAR>,OPT=<Número 1....8 para NOPT ativa>,IT-
DEST=<grupos ITR para interceptação>,CQMAX=<número de chamadas em fila>;

O AMO VFGR coloca todos os consoles automaticamente em operação.

● Atribuir código de discagem ao grupo criado (grupo ATND e ATNDDID) to the new de-
fined Attendant Group
ADD-VFGKZ:TYPE=ATNDGR,CD=<código>,ATNDGR=<número do grupo ATND>;

1.5.3 Atribui um Nome a um Grupo ATND


Em sistemas comparilhados por até 1000 códigos de acesso, um nome para empresa pode
ser atribuído via AMO VFGKZ. Esse nome aparece no display do console de atendimento.
● Atribuir um nome ao número de console
ADD-VFGKZ:TYPE=NAME,CD=<código>,NAME=<string>;
Para interceptação, o grupo ITR da estação do usuário é verificada e o nome atribuído a
esse grupo ITR é mostrado no terminal. O nome do cliente é alocado com grupo IT no AMO
VBZGR.
● Atribuir o mesmo nome para interceptação pela operadora
AD-VBZGR:GROUP=<número>,TYPE=CUSNAME,NAME=<string>;
Obs.: O nome dever ser precedido do número da opção NOPT, por exemplo, 1-PORTARIA

1.5.4 Remover um ATND do grupo ATNDGR e apagá-lo do sistema


● Remover o atendente do grupo
CHA-VFGR:ATNDGR=<número>,ATNDNO=<número>,FUNCT=DEL;
● apagar o atendente
DEL-ACSU:ATNDNO=<número>,DELOPT=ALL;
s
● apagar o número de telefone de atendimento do DPLN (caso necessário)
DEL-WABE:TYPE=CD,CD=<código>,DAR=ATNDIND;

1.5.5 Alterar o Número Pessoal da Operadora


● Alterar o número no DPLN
CHA-WABE:CD=código,CDNEW=novo número,DAR=ATNDIND;
● Alterar número:
CHA-ACSU:ATNDNO=número,NEWNO=novo número;

1.5.6 Adicionar um ATND ao grupo ATNDGR


Pré-requisito: o ATND deve ser configurado.
● Adicionar ATND para ATNDGR
CHA-VFGR:ATNDGR=<número>,ATNDNO=<número>,FUNCT=ADD;

1.5.7 Serviço de Atendimento Centralizado (Interno)


O grupo de serviço de atendimento centralizado interno (CASINT) é atribuído no nó local.
Esta função habilita uma faixa de funções de atendimento de um grupo ATNDGR a serem
transferidos para um outro grupo no mesmo sistema. A atribuição de um grupo é enrada
como opção noturna com AMO NAVAR.
● Atribuir uma opção noturna para CASINT
ADD-NAVAR:NOPTNO=<número>,TYPE=CASINT,ATNDGR=<número>;

Mais de uma opção noturna pode ser atribuída a um CASINT como destino.

● Atribuir um grupo de atendimento para opção noturna CASINT


ADD-VFGR:ATNDGR=número,{NOPT1...NTVA8},OPT=número,CQMAXF=número;

1.5.8 Grupo de Serviço de Atendimento Centralizado Externo


Um grupo de Serviço de Atendimento Centralizado Externo (CASEXT) é localizado em um
nó externo. Vários CASEXT podem ser atribuídos e ativados dentro de uma rede ou mesmo
dentro do mesmo sistema.
● Atribuir opção noturna para CASEXT
ADD-NAVAR:NOPTNO=número,TYPE=CASEXT,CD=número,DESTNO=número;
s

O parâmetro CD deve ser um código de acesso interno para o sistema de destino.


Em planos de numeração aberta, este número consiste de um código de linha seg-
uido pelo número de acesso ATND do sistema externo. Em numeração fechada,
deve ser entrado o código de acesso ATND do grupo de atendimento do sistema de
destino. Este çodigo é progrmado com DAR=”NETW”no AMO WABE, mais DEST-
NO igual ao número de destino da rota de saída.

● Atribui uma opção nourna para um ATNDGR


ADD-VFGR:ATNDGR=número,{NOPT1...NTVA8},OPT=número;

1.6 Atribuição de atendimento noturno automático


O atendimento noturnpo automático é na verdade a variante 8 (oito) programada no AMO
VFGR. O funcionamento desta facilidade depende de programação nos AMOs VFGR,
NAVAR e ZAND:
ZAND -> CHA-ZAND:TYPE=ATND,AUTNS=YES; (ou AUTNS=NO)
NAVAR -> ADD-NAVAR:NOPTNO=30,TYPE=STN,STNO=3000;
VFGR -> CHA-VFGR:ATNDGR=1, NOPT8=30;
VFGR -> CHA-VFGR:ATNDGR=1,TYPE=GENERAL,AUTNS=ON;
CTIME - > CHA-CTIME:TYPESWU=ATND,ATNDCALL=40;

AUTNS yes yes no no


ZAND -> ATND
AUTNS on off on off
VFGR
como funciona comuta mesa p/ não comuta mesa p/ chamada vai p/ não comuta mesa p/
noturno: chamada noturno: chamada NOPT8 e mesa noturno: chamada
vai p/ NOPT8 permanece na mesa permanece em permanece na mesa
diurno
s
1.7 Interceptação para Operadora
A interceptação para operadora é controlada de acordo com grupos ITR:
A alocação do grupo ITR para interceptação de um é entrado com AMO VFGR (parâmetro
ITDEST). Auomaticamente todos os grupos ITR são atribuídos ao primeiro grupo ATNDGR
criado.
Outros grupos ATNDGR poderão ser configurados com grupos ITR específicos para
interceptação. Desta forma, as entradas originais serão sobrescritas.

Observações
● Se o número do ramal discado é enviado a um ramal no mesmo sistema, ou então a
chamada é externa tipo DDR, o grupo ITR do ramal discado será usado para seleção
do grupo de atendimento para o qual a chamada será desviada.
● Se o número de ramal discado conduz a um ramal de um sistema remoto, com rede
privada CorNet-NQ, o grupo ITR para interceptação dependerá do parâmetro de classe
de tonco (COT) para linha chamante:
– Se ITRN é setado, o grupo do ramal chamado será usado para seleção do grupo
de atendimento ao qual a chamada deverá ser desviada.
– Se ITRN não é setado, o grupo ITR da linha (tronco) chamante será usada para
seleção do grupo de atendimento ao qual a chamada deverá ser desviada.
● Se o número discado é encaminhado para ramais de sistemas remotos que não
estejam em rede, sempre será tomado o grupo ITR da linha chamante.
● Antes de apagar um grupo ATNDGR, e considerando que ele não seja único no
sistema, deve-se carregar um outro grupo do sistema com os valores dos grupos ITR
de interceptação, usando CHANGE-VFGR.

AD-VFGR:ATNDGR=número,{NOPT1...NOPT8},OPT=número,ITDEST=5;

Exemplo
/* Permitir facilidade interceptação*/
CHANGE-FEASU:TYPE=A,CM=ICPTDID;
/* Alterar o tronco para interceptação em caso de número livre (IVAC), todos os troncos ocu-
pados (ITB), sem autorização (INAU), erro na intercalação (IONS), em caso de ramal com
-não-perturbe (IDND) e destino ocupado (IBSY)*/
CHA-COT:COTNO=xxx,PAR=IVAC&ITB&INAU&IONS&IDND&IBSY,INFO="TRK WITH IN-
TERCEPT";
/* Instalar ATNDGR com opção para interceptação ITR (5) */
CHANGE-VFGR:ATNDGR=0,TYPE=GENERAL,ITDEST=5;
Siemens

6.4 Console de operadora central (CAC) em uma rede do sistema


● O ATND “normal” também pode ser utilizado como ATND central (CAC).
● Um ATND é sempre atribuído exclusivamente a um grupo de ATND (ATNDGR).
● Cada ATNDGR pode ser alcançado exclusivamente em tráfego de terminal de entrada. A
seleção ocorre através do terminal ou código de atendimento ou indiretamente através da
restrição de tráfego interna ou alocação do grupo de análise de dígitos.
● Se um ATNDGR também controlar temporariamente ou permanentemente, por meio de
transferência, o tráfego de terminal de outros ATNDGRs (de outros sistemas de uma rede
ou do próprio sistema) em complemento ao próprio tráfego de terminal (local), ele por
definição, opera como “ATNDGR central” (CACGR) para este ATNDGR.
● Cada ATND de um CACGR é um ATND central (CAC). Ele não difere de um ATND
“normal” no que se refere ao equipamento e facilidades.
● Vários CACGRs podem ser instalados e ativados simultaneamente em uma rede de
sistemas e em um sistema.
● Um CACGR também pode ser operado no modo de comutação noturna sem que um
ATND seja instalado (“terminal noturno central”).
● Os sistemas na rede que não possuem um ATND nem uma facilidade de comutação
noturna são atendidos por um ATNDGR de outro sistema, no que se referir a “tráfego de
terminal” (= CACGR para o sistema atendido).
● Os ATNDGRs com ATND podem comutar temporariamente o tráfego de terminal para uma
variante de comutação noturna própria ou alternativamente para um CACGR de um outro
sistema na rede ou no próprio sistema. A seleção deve ser realizada por meio de um
procedimento no ATND.
● A comutação também pode ser realizada automaticamente, se o último ATND de um
ATNDGR não atender uma chamada (analogamente para comutação noturna
automática).
● Filas de espera comuns em um CACGR para as chamadas locais e para as chamadas de
todos os ATNDGRs atendidos por ele (tempos de espera parelhos).
● Um CACGR pode comutar, por sua vez, para uma variante de comutação noturna interna
do sistema.
● O ATND ou os ramais noturnos de um CACGR devem ser capazes de alcançar todos os
assinantes e ATNDs da rede do sistema e estender as chamadas até eles.
Siemens

Informativo Téccnico
s

HiPath 4000
Quick-Check Instructions
Attendant Console AC4
Keypad

Keypad

MCID Output call data DIAL Call setup

JOIN Connect a call to another on-hold PER Answer or set up a personal call
connection

TAPE Activate/deactivate LINE 1 Answer call on line 1

TRACE Trunk no. identification (test) LINE 2 Answer call on line 2

SERIAL Serial call PAGE Page a person

PARK Park call - no function -

RLS Release connection PROG Open Program menu

ALARM Alarm inquiry ENTER Memory input

ACCT Charge inquiry OVER Override

NIGHT Night service REDIAL Number redial/notebook


(memory/repeat)

RSV Trunk reservation - no function -

COS Class-of-service changeover EXTEND Call transfer

SMDR Mark connection for charge reg- CLEAR Clear


istration at attendant console

R1 Seize external route 1 DEST Call extension with announce-


ment

R2 Seize external route 2


Examples of operation

Examples of operation

Dialing
Dial
destina- Wait for answer Speak Disconnect
tion
or
Extend call
(seebelow)

Answering

Disconnect

or or

Speak Extend call (see below)

or

Extending a call

Dialed party/caller only for answering


Dial desti-
Speak is automatically Speed servicing
nation with and
extended
or
Dialed
Dial des- Wait for
Speak party/ Normal extending
tination answer
caller is

or or

Toggle (see next page)


Examples of operation

Toggling (alternating)

or
Switch Dialed
back to Speak party/caller
Wait for dialed is extended
answer or party/ or
(desti- caller Switch
nation) back to Dialed
Speak party/
destina-
tion caller is
extended
or
or

Charge registration at the attendant console


If a station user requests you to record the charges of a trunk call, mark the extended call
with (ACCT) when the called subscriber answers.

Press once Charge display ap- Read/note Press again


pears
Lamp Lamp
flashes flashes

Setting up a blocked connection for 2 parties

Both parties
Dial 1st Wait for Dial 2nd Wait for
are con-
party answer party answer
nected
Descrição das facilidades básicas disponíveis para a plataforma Hipath 4000
Descrição das facilidades básicas disponíveis para a plataforma Hipath 4000
Descrição das facilidades básicas disponíveis para a plataforma Hipath 4000

Mesa AC-4

• Atendimento de chamadas
_ Chamadas externas:
Para o atendimento de uma chamada externa pressione a tecla .

_ Chamadas internas:
Para o atendimento de uma chamada interna pressione a tecla .

- Chamada pessoal:
Para o atendimento de uma chamada pessoal pressione a tecla .

• Transferência rápida
_ Após o atendimento da chamada, digite o número do ramal desejado, se o ramal estiver livre a ligação é
transferida automaticamente.

• Transferência anunciada
_ Esta transferência é usada quando se deseja anunciar a chamada.
Após atender a chamada, pressione a tecla de retenção , digite o número do ramal e pressione a tecla
. Caso ocorra um erro na digitação do ramal ou se o ramal estiver ocupado e você desejar tentar outro
ramal, pressione a tecla e digite um novo número de ramal.

• Estacionar
_ Para estacionar uma ligação pressione a tecla
_ Para recuperar uma chamada estacionada, você deverá pressionar a tecla e selecionar a chamada
em uma das posições disponíveis de 0 a 9.

• Realizando uma ligação


_ Para realizar uma ligação externa, digite “Código de acesso à linha” + “Número externo”. Sempre que
você estiver realizando uma ligação a tecla de feixe estará acessa.

• Noturno
_ Para ativar o noturno basta pressionar a tecla .
_ Para desativar o serviço noturno pressione a tecla .
Siemens

Informativo Téccnico
Operation

HiPath 4000
AC-Win 2Q IP V1.0

www.siemens.de/enterprise
Índice

Bem-vindo ao AC-Win 2Q IP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
A sua nova consola de operadora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
Requisitos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
Acerca deste Manual de instruções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
Funções de operadora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
Funções de administração. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9

Inicializar e sair do programa . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10


Logon. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
Alterar a senha. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
Desligar o PC da consola de operadora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11

Área de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
O controlo de chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
Botões . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
As teclas de nome. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18

Navegação nas janelas da área de trabalho . . . . . 19


Utilização com o teclado ou o rato. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
Utilização com os botões. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19

Suporte acústico e óptico ao utilizador . . . . . . . . . 20


Sinais de marcar para guia do utilizador. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
Sinais para a sinalização de chamada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
Aparência dos botões . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

Transferência de chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
Transferir . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
Desligar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
Desactivar intrusão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
Apagar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
Intercalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
Intrusão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
Chamada em cadeia (Serial) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
Consulta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
Continuar uma chamada retida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
Comunicação alternada (alternar entre dois interlocutores) . . . . . . . . . 28
Comunicação alternada entre as linhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
Parque . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
Retomar uma chamada parqueada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29

3
Índice

Acoplar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29

Marcar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .30
Marcar com a Repetição de marcação (último número guardado) . . . . 31
Marcar com a Repetição de marcação (número guardado) . . . . . . . . . . 31
Marcar com as teclas de nome . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Marcar com o bloco de notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Marcar com o Histórico de Chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Marcar com a área de transferência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Marcar com "Arrastar e soltar" . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
Introdução de números de telefone com o rato . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
Marcação posterior MF . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35

Funções do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .36


Procura de pessoas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Procura de pessoas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Gravador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
Activar gravador. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
Desactivar gravador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
Activação automática do gravador. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
Identificação de chamadas (MCID) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Consultar a informação de linha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38

Teclas de nome . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .39


Abrir o objecto Teclas de Nome . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
Programação das Teclas de Nome . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
Salvar a janela Teclas de Nome . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41

Repetição de marcação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .42


Configurações básicas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42
Abrir um novo objecto Repetição de marcação . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
Salvar números para repetição de marcação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
Salvar o objecto Repetição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44

Bloco de notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .45


Abrir um novo bloco de notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
Incluir uma chamada no bloco de notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
Adicionar outros dados no bloco notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
Excluir registos do bloco de notas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
Salvar bloco de notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47

4
Índice

Histórico de Chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
Solicitar o Histórico de Chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
Abrir o Histórico de chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Indicação dos dados actuais da ligação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Mostrar os dados da ligação guardados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Imprimir dados da ligação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
Salvar o Histórico de Chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50

Taxação no Posto de operadora. . . . . . . . . . . . . . . . 51


Configurações básicas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51
Activar o registo de taxação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52
Desactivar o registo de taxação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52
Consultar taxação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52
Verificar taxação de chamadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Imprimir a taxação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Reiniciar o contador de taxação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Salvar o objecto Taxação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53

Serviço nocturno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
Activar serviço nocturno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
Serviço nocturno automático. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
Desactivar serviço nocturno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
Verificar e alterar serviço nocturno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56

Restrição de tráfego interno para grupos de utiliza-


dores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
Consultar a restrição de tráfego interno para grupos de utilizadores . . 57
Activar e desactivar a restrição de tráfego interno para grupos de utilizado-
res . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58

Alteração de classe de serviço para grupos de utili-


zadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
Consultar as classes de serviço para grupos de utilizadores. . . . . . . . . 59
Activar e desactivar classes de serviço para grupos de utilizadores . . . 60

Não incomodar para grupos de utilizadores . . . . . 61


Não incomodar para os grupos de utilizadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
Activar e desactivar “Não incomodar” para grupos de utilizadores . . . 62

5
Índice

Alarme . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .63
Consultar as mensagens de erros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Imprimir alarmes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Apagar alarme(s) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63

Regulação do sinal de chamar . . . . . . . . . . . . . . . . .64

Diagnóstico de erros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .66


CAPI Trace. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66
Diagnóstico AC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67
Determinar número da versão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68

Salvar a área de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .69

Índice remissivo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .70

6
Bem-vindo ao AC-Win 2Q IP

Bem-vindo ao AC-Win 2Q IP
O AC-Win é uma consola de operadora moderna, desenvolvido para funci-
onar com base em Windows XP® e oferecer o maior conforto nas funções
de telefonia. Se optou também pelo pacote adicional DS-Win, dispõe adi-
cionalmente de uma agenda telefónica electrónica. O seu trabalho é facili-
tado pela integração das funções de telefonia com uma agenda telefónica
electrónica.
Vantagens do AC-Win:
• Utilização confortável, com:
– Interface de rápida aprendizagem
– Acções rápidas com o teclado e o rato
• Personalização da interface do utilizador
• Diversas funções de operadora
• Capacidade de integração com a agenda telefónica electrónica em mo-
derno ambiente Microsoft Windows®.

A sua nova consola de operadora


Com a sua nova consola de operadora, agora poderá atender chamadas e
procurar números de telefone na agenda telefónica electrónica. Vantagens
da consola de operadora
• Procedimentos fáceis com o guia de utilizador
• Funções de conforto para o atendimento e a transferência de chama-
das
• Funções de administração de fácil utilização
• Teclas de nome de programação livre
• Intercalação de chamadas fácil
• Indicação de todas as chamadas parqueadas.
O pacote adicional DS-Win oferece além disso:
• Marcação automática de um número da agenda telefónica DS-Win
• Procura fácil e rápida localização de um utilizador
• Indicação de informações adicionais detalhadas de um utilizador
• Diversos critérios de busca como, por exemplo, nome, número de te-
lefone, sector ou palavras-chave.

7
Bem-vindo ao AC-Win 2Q IP

Requisitos
A instalação do computador da consola de operadora com o Microsoft
Windows é efectuada por um técnico da Siemens. A aplicação AC-Win
deve ser instalada antes de iniciar o trabalho com o PC da consola de ope-
radora. Siga os procedimentos descritos no Manual de Administração. São
necessários conhecimentos básicos de PC’s e Windows para utilizar o pro-
grama.

Acerca deste Manual de instruções


Objectivo
Com deste manual, pode utilizar todas as funções para o controlo de cha-
madas com a interface gráfica do Windows XP®.

Grupo alvo
Estas instruções destinam-se aos utilizadores que já estão familiarizados
com a interface gráfica do Windows XP® com uma consola de operadora
ligada.

Nota importante
Para facilitar a leitura, serão utilizados neste manual os seguintes meios de
apresentação:

caracteriza observações importantes

caracteres caracteriza comandos ou opões de menu


em negrito
caracteres caracteriza indicações de caminhos e nomes de programa
em itálico

O Manual de instruções contém ilustrações das janelas e teclas


no layout padrão. As janelas e teclas poderão ser diferentes, a de-
pender de cada configuração.

8
Bem-vindo ao AC-Win 2Q IP

Funções de operadora
• Indicação de tráfego e chamadas actuais
• Atendimento de chamadas
• Estabelecimento / Corte / Intercalação de chamadas
• Chamadas em cadeia (Serial)
• Comunicação alternada
• Parque de chamadas
• Retenção de chamadas
• Marcação / Correcção de erros de marcação / Repetição de marcação
/ Programação das teclas de nome
• Bloco de notas
• Registo de taxação de chamadas
• Activação do serviço nocturno
• Consulta das causas de alarme
• Histórico de chamadas
• Iniciar a procura de pessoas

Funções de administração
• Activação/desactivação da restrição de tráfego interno para grupo de
utilizadores
• Activação/desactivação da comutação de classe de acesso para grupos
de utilizadores
• Activação/desactivação da função "Não incomodar" para grupos de uti-
lizadores (Não incomodar para grupos)
• Gravação de chamadas
• Identificação do número da linha

9
Inicializar e sair do programa

Passo a Passo

Inicializar e sair do programa


Para inicializar o AC-Win:
Clicar duas vezes no símbolo do programa AC-Win, ou seleccionar
AC-Win com Iniciar -> Programas -> AC-Win.

O diálogo de início da sessão aparece automaticamente após


ter ligado o PC, se a sua consola de operadora estiver configu-
rada correctamente.

Logon
Ao abrir o programa AC-Win, aparece um diálogo de início de sessão,
no qual deve ser introduzida uma senha. O primeiro acesso só é pos-
sível com a identificação de utilizador "admin”.

Seleccionar a sua ID do utilizador.


Introduzir a sua senha. "Admin" é a identificação de utilizador para o
primeiro acesso.
O programa AC-Win é inicializado e é apresentada a área de trabalho
standard.

Por motivos de segurança, a introdução da senha é protegida,


ou seja, são mostrados apenas asteriscos (*).

10
Inicializar e sair do programa

Passo a Passo

Alterar a senha
1. Seleccionar no menu Opções, o registo Parâmetros da Apli-
cação.
2. Clicar no botão Senha.

3. Introduzir a senha actual no campo “Senha antiga”.


4. Introduzir a nova senha no campo “Nova Senha".
5. Introduzir novamente a senha no campo “Repita a senha”
.

Por motivos de segurança, a introdução da senha é protegida,


ou seja, são mostrados apenas asteriscos (*).

Desligar o PC da consola de operadora


Seleccionar a opção Sair no menu Arquivo,
ou
Alt + F4 premir Alt + F4.
O programa AC-Win é fechado.

Encerrar o Windows antes de desligar o PC da consola de ope-


radora.
Se desligar o PC antes de encerrar o Windows, pode provocar
perda de dados!

11
Área de trabalho

Área de trabalho
A figura seguinte mostra a área de trabalho standard que é apresentada
após a inicialização do AC-Win. É possível seleccionar entre várias áreas de
trabalho predefinidas.

Controlo de chamadas

Teclas de nome
Botões
Barra de estado
Data/Hora
Indicação do estado

12
Área de trabalho

O controlo de chamadas
A figura seguinte mostra as funções das teclas e explica as indicações na
janela “Controle de chamadas“

Quantidade das chamadas ainda não atribuídas para Linha 1 ou Linha 2

"Chamadas parqueadas"

Atender uma chamada na Linha 1

Ocupar linha Chamada pessoal Atender uma chamada na Linha 2


Atender chamadas pessoais
Atendimento automático de chamadas; Consulta
Se esta função estiver activada, as cha- Transferir chamadas
madas de entrada serão atendidas auto-
maticamente. Cortar a ligação
Apagar introdução
Data/Hora; O formato corresponde
àquele na sua configuração do Parquear chamada
Windows.
Retomar chamadas parqueadas

13
Área de trabalho

Primeiro participante
Esses campos contêm
• o números do telefone,
• o nome
do utilizador actual ligado, ou seleccionado, se estas informações forem re-
conhecidas pelo sistema.

Segundo participante
Esses campos contêm informações acerca do segundo utilizador consul-
tado numa ligação.

Desvio
Esses campos contêm o número do telefone e o nome (se existente), que
correspondem às chamadas desviadas para o respectivo utilizador.

Estado
Esses campos contêm o estado actual da chamada:
• Ocupado
• Em retenção
• Transferido
• Livre

14
Área de trabalho

Botões
A janela Todos Botões contém as teclas para a utilização das funções de
atendimento e do sistema AC-Win. A figura abaixo mostra 29 teclas do
layout standard. Todavia, a sua configuração actual pode ser diferente.

Funções das teclas

As funções de cada tecla estão listadas na configuração standard. Elas es-


tão agrupadas por temas e descritas brevemente.

Atender chamadas na Linha 1

Atender chamadas na Linha 2

Atender chamada pessoal

Iniciar a consulta para uma extensão

Transferir a chamada

Cortar a ligação

15
Área de trabalho

Parquear a chamada

Retomar chamadas do parque

Apagar introdução

Ocupar linha

Chamada em cadeia

Iniciar chamada pessoal

Chamada com taxação

Verificar taxação de chamadas

Identificação de linha

Marcar o número para a repetição de marcação

Guardar o número para a repetição de marcação

Procura de pessoas (com o sistema de procura de pessoas opcional = "Pa-


ger")

Bloco de notas

Mudar classe de acesso

Consulta de alarme

16
Área de trabalho

Gravador

Intercalação

Serviço nocturno

Identificação de chamadas maliciosas (MCID)

Activação / desactivação do AC-Win


(corresponde a desligar o microtelefone de cabeça).

Teclas de nome

Introdução alfanumérica

Marcar número, introduzir dígitos

Tecla de função

Comutação para marcação MF (multifrequência)

Acoplar

Intercalação de emergência

Desligamento de emergência

17
Área de trabalho

Passo a Passo

As teclas de nome
Pode guardar números de destino chamados com frequência nas te-
clas de nome e marcar a extensão com apenas um clique na respec-
tiva tecla de nome.

As teclas de nomes podem ser configuradas segundo suas ne-


cessidades. Os procedimentos necessários para a configura-
ção encontra na Æ Página 39.

18
Navegação nas janelas da área de trabalho

Passo a Passo

Navegação nas janelas da área de traba-


lho

Utilização com o teclado ou o rato


Pode utilizar o teclado ou o rato para navegar nas janelas da área de
trabalho e activar botões. É recomendada a utilização do teclado para
o processamento de chamadas por ser mais rápido e fácil do que o
rato. Os botões seleccionados são apresentados “premidos” (em bai-
xo relevo). De acordo com a chamada de entrada, no diálogo “Contro-
le de chamadas” é activado o respectivo botão e a função pode ser
iniciada imediatamente com <Enter> ou <Espaço>.

Utilização com os botões


Também pode utilizar os botões de controlo através de teclas de fun-
ção. Estas teclas podem ser livremente atribuídas aos botões.
Como fazer a atribuição das teclas aos botões está descrito no Manu-
al de Administração. A atribuição actual dos botões encontra-se na ja-
nela “Todos Botões”.

Apenas podem ser utilizadas as teclas de função quando a ja-


nela “Todos Botões” estiver aberta.

Os botões seleccionados são activados com Enter

Pode seleccionar botões e campos activos sequencialmente com a


tecla Tab.

Ctrl + Pode utilizar Ctrl + Tab


ou

Ctrl + F6 Ctrl + F6 para alternar entre as aplicações activas.

+ As teclas de cursor permitem o “rolamento” das listas.

19
Suporte acústico e óptico ao utilizador

Suporte acústico e óptico ao utilizador

Sinais de marcar para guia do utilizador

Sinal Som Significado


Sinal de marcar (op- Favor marcar (interno /
cional) externo).
Sinal de chamar A sequência de sinais depen- Nº ou serviço livre.
de das configurações no siste-
Sinal de ocupado ma. Nº ou serviço ocupado.
Sinal de intercala- Está a intercalar-se nou-
ção tra chamada.
Chamada em espe- Música ou mensagem “Favor Aguarde! Outro utiliza-
ra (confirmação) aguardar”. dor está em consulta.
Sinal NU (mensa- Sinal triplo sequencial (- - -) Telefone desligado ou
gem) com pausas de 1s. número inexistente.

Sinais para a sinalização de chamada


Sinal Som Significado
Chamada normal a ser
Chamada normal ficheiro Wav
atendida
Chamada especial ficheiro Wav Chamada urgente

O significado dos sinais de chamada depende da configuração do seu sis-


tema e do país definido. É possível efectuar configurações individuais.

Aparência dos botões


Aparência Estado Significado
Normal disponível Função a ser activada.
Função não pode ser ac-
Cinzento indisponível
tivada no momento.
Função está activada e
Em cor (vermelho) activado
deve ser utilizada.

20
Transferência de chamadas

Passo a Passo

Transferência de chamadas
Para transferir uma chamada, deve primeiro atendê-la.
Se existir apenas uma chamada em espera, esta poderá ser atendida
directamente com <Enter>
ou também poderá atender as chamadas com o respectivo botão:

Atender chamada na Linha 1

Atender chamada na Linha 2

Atender chamada pessoal

No caso de várias chamadas em espera, poderá atendê-las com o res-


pectivo botão, segundo o tipo de chamada.
Pode também atender chamadas ao premir <Enter> ou <Espaço>.
O tipo de chamada que será atendida primeiro depende da configura-
ção de sua consola de operadora. A configuração standard é atender
primeiro "Chamada na Linha 1".

Se for indicada a mensagem “Nenhuma ligação possível” na li-


nha de estado após ter atendido e transferido uma chamada, é
inútil tentar transferir novamente. Pode cancelar esta chamada
e marcar outra extensão.

21
Transferência de chamadas

Passo a Passo

Transferir
Uma chamada atendida pode ser transferida para uma extensão ou
para uma operadora com a tecla Ligar (transferência normal) ou com
o serviço rápido.

Transferência normal

Deve utilizar a transferência normal se desejar notificar a chamada ao


utilizador de destino antes da transferência, ou se desejar conversar
com o chamador e o chamado alternadamente antes de transferir a
chamada.
Atender a chamada com <Enter>
ou o botão correspondente:

Atender chamada na Linha 1

Atender chamada na Linha 2

Atender chamada pessoal

Premir <Enter> para reter a chamada

ou
ou o botão Consulta para reter a chamada.

Marcar a extensão de destino com o teclado,


ou
se possuir agenda telefónica electrónica, introduzir o nome do utiliza-
dor desejado.

22
Transferência de chamadas

Passo a Passo

Premir <Enter> ou Transferir, se ouvir um sinal de chamar, sinal de


ocupado ou se a extensão chamada atender.

A chamada é transferida directamente ao destino correspondente. Se


o utilizador de destino não atender, a chamada volta novamente à con-
sola de operadora após aproximadamente 30 segundos (Rechamada).

Serviço rápido

Utilizar o serviço rápido se não desejar falar com o utilizador antes de


transferir a chamada.
Atender a chamada com <Enter>
ou o botão correspondente:

Atender chamada na Linha 1

Atender chamada na Linha 2

Marcar a extensão de destino com o teclado,


ou
se possuir agenda telefónica electrónica, introduzir o nome do utiliza-
dor desejado.

Quando o utilizador for encontrado, premir <Enter> para estabelecer


a chamada.
Permanecerá em ligação com o chamador até que a chamada seja
transferida.
Se o utilizador de destino não atender, a chamada volta novamente à
consola de operadora após aproximadamente 30 segundos (Recha-
mada).

23
Transferência de chamadas

Passo a Passo

Desligar
Pode utilizar o botão Desligar para interromper a chamada e terminá-
la.

Desactivar intrusão
O botão Desactivar intrusão possibilita cortar uma chamada na rede,
caso durante o estabelecimento da ligação para o destino
• todas as junções para o número de destino estiverem ocupadas
ou
• o próprio número de destino estiver ocupado
As junções solicitadas são desligadas e disponibilizadas sem aviso
prévio. Esta facilidade só é possível com a respectiva configuração.

Se deseja utilizar esta facilidade, deve primeiro configurar o có-


digo para a activação do desligamento de emergência de acor-
do com a programação do sistema (p. ex., *24). Introduzir o
respectivo código no menu Opções/Parâmetros AC-Win/se-
parador Controle de chamadas/campo Códigos de facilida-
des.

Apagar
Se premir o botão Apagar, desliga a chamada. Em seguida pode se-
leccionar outro destino.

Se a extensão de destino não estiver acessível, pode premir o


botão Apagar para cortar a ligação e marcar outro número.

24
Transferência de chamadas

Passo a Passo

Intercalação
Se a extensão desejada estiver ocupada, pode intercalar-se nesta li-
nha e conversar com o utilizador (só em chamadas internas, utilizar
apenas em caso de emergência).

Para intercalar-se numa chamada existente, seleccionar o número do


utilizador interno. A linha é indicada como “ocupada”.
Premir o botão Intercalação para falar com os dois interlocutores. O
utilizador desejado ouve um sinal que avisa sobre a intercalação na
chamada.
1º Caso: o utilizador de destino termina a chamada actual
Premir Transferir. A chamada é transferida ao utilizador de destino.
2º Caso: o chamador deseja terminar a tentativa de chamada
Premir <Enter> ou o botão Intercalação para terminar a função.

Intrusão
O botão Intrusão possibilita intercalar para uma junção ocupada, ou
para uma extensão numa rede (p. ex., em casos de emergência), caso
• todas as junções estiverem ocupadas ou
• quando o próprio número de destino estiver ocupado.
Esta facilidade só é possível com a respectiva configuração.

Se deseja utilizar esta facilidade, deve primeiro configurar o có-


digo para activação da intercalação de emergência de acordo
com a programação do sistema (p. ex., *24). Introduzir o res-
pectivo código no menu Opções/Parâmetros AC-Win/separa-
dor Controle de chamadas/campo Códigos de facilidades.

25
Transferência de chamadas

Passo a Passo

Chamada em cadeia (Serial)


Se um chamador externo deseja falar com várias extensões sequen-
cialmente, a ligação deverá ser tratada como uma chamada em ca-
deia:
Atender a chamada com <Enter>
ou
o botão Linha 1 ou Linha 2.

Premir o botão Cham. em cadeia para iniciar a função.


Pode agora transferir a chamada com o procedimento normal ou rápi-
do. Assim que o utilizador interno desligar o telefone, a chamada
transferida é retomada para ser novamente atendida e o modo de cha-
mada em cadeia é automaticamente apagado. Antes de cada nova
transferência, deve ser activada previamente a função de chamada
em cadeia.
A depender da configuração da sua consola de operadora, o símbolo
no botão Chamada em cadeia aparece em cor quando esta função es-
tiver activada. A cor predefinida é o vermelho.
Pode terminar a chamada em cadeia ao premir novamente o botão
correspondente (Serial).

Esta facilidade só funciona para chamadas externas. Se serão


sinalizadas as chamadas na Linha 1 ou na Linha 2, depende da
configuração do sistema.

26
Transferência de chamadas

Passo a Passo

Consulta
Clicar no botão Consulta para estabelecer uma chamada de consulta
a uma extensão. Assim, a chamada actual será retida. (=retenção in-
directa). O chamador não pode ouvir a sua chamada de consulta a um
utilizador interno.

Continuar uma chamada retida


Clicar novamente no botão Consulta para voltar ao chamador em re-
tenção (alternar).

Clicar no botão Transferir.

27
Transferência de chamadas

Passo a Passo

Comunicação alternada (alternar entre dois in-


terlocutores)
A função Comunicação alternada permite falar alternadamente com
dois interlocutores. O interlocutor que fica em espera não pode ouvir
a sua conversa.
Atender a chamada com <Enter>
ou o botão correspondente:

Atender a chamada na Linha 1

Atender a chamada na Linha 2

Atender chamada pessoal

Premir <Enter> ou o botão Consulta.

Marcar a extensão desejada com o teclado.

Alternar entre o chamador e o chamado ao premir <Enter> ou o botão


Consulta.

É apresentada a mensagem “Em ligação” na linha de estado para o


chamador com o qual está a falar. O interlocutor em espera é indicado
com “Retenção”.

Premir o botão Transferir para interligar os dois interlocutores.

28
Transferência de chamadas

Passo a Passo

Comunicação alternada entre as linhas


Pode alternar entre Linha1, Linha2 e Chamada pessoal, ao premir os
botões correspondentes. A chamada activa é retida e indicada nova-
mente na janela de chamadas.

Parque
Pode parquear uma chamada atendida, que não foi transferida, numa
das 10 posições de parque disponíveis.
Premir o botão Parquear para parquear uma chamada atendida ou es-
tabelecida.
As chamadas parqueadas aparecem no campo de janelas de parque
no diálogo “Controlo de chamadas”
.

Retomar uma chamada parqueada


Premir o botão Religar para retomar uma chamada parqueada.
A chamada seleccionada é retomada.
Só poderá retomar uma chamada parqueada, se o “Primeiro partici-
pante” e o“Segundo participante” não estiverem ocupados.

Acoplar
Clicar no botão Join, seleccionar um chamador parqueado e ligá-lo
com o chamador actual.

29
Marcar

Passo a Passo

Marcar
Para efectuar uma chamada para uma extensão, deve marcar o núme-
ro correspondente. Pode introduzir o número do telefone de diversos
modos. A seguir serão mostradas as diferentes possibilidades de in-
trodução do número.

Em estado inactivo, isto é, quando não estiver numa chamada,


pode introduzir o número:
ao clicar no botão Ocupar Linha

ou
Linha Privada.

Se introduzir um número sem antes seleccionar uma linha, será auto-


maticamente ocupada uma linha assim que for marcado o primeiro dí-
gito.

Ao transferir, pode,
com ou sem clique no botão Consulta,

simplesmente introduzir o número da extensão desejada

Apaga as introduções incorrectas


com a tecla <Del> ou o botão Apagar.

30
Marcar

Passo a Passo

Marcar com a Repetição de marcação (último


número guardado)
Ao clicar no botão Repetição, marca o último número guardado.
Se deseja repetir um número diferente do último número marcado,
deve primeiro abrir a janela “Repetição”.

Marcar com a Repetição de marcação (número


guardado)
1. Clicar na janela “Repetição“para activá-la.

2. Seleccionar o número desejado com as teclas de cursor e premir


<Enter> ou o botão Repetição. O número é marcado.

Consultar o parágrafo “Repetição” para mais informações so-


bre como abrir a respectiva janela e como guardar números
para repetição Æ Página 42.

31
Marcar

Passo a Passo

Marcar com as teclas de nome


Clicar no botão do número que deseja marcar na janela “Teclas de No-
me” .
O número programado é marcado.

Para informações sobre a programação das teclas, consultar o


parágrafo “Teclas de nome”Æ Página 39

Marcar com o bloco de notas


1. Clicar na janela Bloco de notas para activá-la.

2. Seleccionar uma opção na janela Bloco de notas.


3. Premir o botão Marcar 1, para marcar o primeiro número.

Se existir um segundo número no registo, premir o botão Marcar


2 para marcá-lo.
A chamada é estabelecida.

Consultar o parágrafo “Bloco de notas” para as respectivas


informações.Æ Página 45

32
Marcar

Passo a Passo

Marcar com o Histórico de Chamadas


1. No menu Arquivo ->Novo Objecto, seleccionar Histórico de
Chamadas.

2. Seleccionar da lista a ligação necessária.


3. Clicar em Marcar.
O número para a ligação registada é marcado.

Para mais informações sobre a função, consultar o parágrafo


"Histórico de Chamadas" Æ Página 48.

Marcar com a área de transferência


Pode copiar números externos (sequência de dígitos) de uma outra
aplicação (p. ex., lista telefónica pessoal) para o AC-Win, através da
área de transferência do Windows. O prefixo da rede é adicionado au-
tomaticamente antes do número.
Se o número copiado contiver outros caracteres além de dígitos, es-
tes serão automaticamente apagados pelo programa.
Copiar o número da aplicação externa para a área de transferência.
Ctrl + C
Para tal, premir, ao mesmo tempo, as teclas <Ctrl> e <C>.
Maximizar ou activar o diálogo Controle de chamadas do AC-Win e cli-
car no campo Primeiro participante ou Segundo participante.
Para inserir o número, premir, ao mesmo tempo, as teclas
Ctrl + V
<Ctrl> e <V>.

33
Marcar

Passo a Passo

Marcar com "Arrastar e soltar"


Com ajuda do rato, pode arrastar números externos de outras aplica-
ções como, por exemplo, de uma lista telefónica pessoal, para o AC-
Win.
Clicar no número de telefone na aplicação e arrastá-lo para o diálogo
desejado (p. ex., para o campo Primeiro ou Segundo participante).

Esta acção só tem efeito, se existir uma ligação com o sistema.


Caso contrário, o número não poderá ser "arrastado" com o ra-
to.

Introdução de números de telefone com o rato


Pode marcar números no teclado, com o rato ou um display touch
screen.
1. Seleccionar o menu Arquivo -> Novo Objecto->Teclado de Mar-
cação.

2. Clicar os números desejados com o rato.


3. A introdução directa de números com o rato, ou o teclado é repre-
sentada aqui pelo símbolo do teclado.

34
Marcar

Passo a Passo

Marcação posterior MF
Deseja ouvir mensagens, por exemplo, do seu correio de voz, ou con-
sultar informações sobre um serviço que possui estrutura hierárquica.
Para isso, deve comutar para marcação MF, para poder navegar pelo
sistema.

Requisito:
A geração automática de MF não está activada.
Estabelecer primeiro uma chamada para o seu correio de voz.
1. Premir MF para comutar.
É activado o modo de multifrequência.

2. Introduzir a sua senha pessoal para a teleconsulta (pós-marcação).

3. Terminar a chamada com o botão Desligar.

Se deseja utilizar esta facilidade, deve primeiro configurar o có-


digo para activação de marcação MF de acordo com a progra-
mação do sistema (por exemplo, *24). Introduzir o respectivo
código no menu Opções->Parâmetros AC-Win->separador
Controle de chamadas->campo Códigos de facilidades .

35
Funções do sistema

Passo a Passo

Funções do sistema
AC-Win fornece funções do sistema adicionais.

Procura de pessoas
Requisito: deve possuir uma senha para o serviço de procura de pes-
soas. Introduzir o respectivo código no menu Opções->Parâmetros
AC-Win->separador Controle de chamadas->campo Códigos de
facilidades.
Se um utilizador interno chamado não atender ou se um substituto
atender no seu lugar, o utilizador desejado pode ser localizado através
do sistema de procura de pessoas.

Procura de pessoas
Clicar no botão Paging de pessoas.

Marcar o número da extensão do utilizador ou o número do serviço de


procura de pessoas. A procura é iniciada. Aguardar até que o utilizador
procurado responda.
Se o utilizador não responder ou se o sistema de procura de pessoas
for desactivado após um determinado período de tempo, a procura
pode ser cancelada com o botão Desligar.
A procura de pessoas é terminada.

36
Funções do sistema

Passo a Passo

Gravador
Pode gravar uma chamada, se a sua consola suportar esta função e
se um gravador estiver ligado ao PC da consola de operadora.

Activar gravador
Clicar no botão Gravador para gravar as chamadas.
O símbolo no botão aparece na cor vermelha.

Desactivar gravador
Clicar novamente no botão Gravador para interromper a gravação.
O símbolo no botão aparece na cor preta.

Activação automática do gravador


Para que o gravador seja activado automaticamente com cada chama-
da externa:
1. Seleccionar “Parâmetros AC-Win” no menu Opções.
2. Seleccionar a opção Gravação automática na janela Controle de
chamadas.

37
Funções do sistema

Passo a Passo

Identificação de chamadas (MCID)


Esta função possibilita a saída de dados da ligação no terminal do sis-
tema.

Requisito:
A facilidade deve estar activada no sistema.
Clicar no botão MCID enquanto estiver a falar com o chamador.
Os dados da ligação (número do telefone, data, hora, número da con-
sola de operadora) são indicados no terminal do sistema.

Consultar a informação de linha


Determinar o número da linha antes de informar eventuais avarias aos
serviços técnicos.
Clicar no botão Identificar linha.

O(s) número(s) de linha(s)* externa(s) aparece(m) na linha de estado


1234567AG001
da área de trabalho.
*) O número da linha é apresentado no seguinte formato:

1234567AS001

LINHA S: de saída;
E: de entrada; Direcção
B:bidireccional

Clicar novamente no botão Identificar linha para desactivar esta fun-


ção.

38
Teclas de nome

Passo a Passo

Teclas de nome
Para informações sobre como efectuar chamadas com as teclas de
nome, consultar o parágrafo “Marcação com as teclas de nome”
.
O diálogo "Teclas de Nome" encontra-se sempre na área de trabalho
standard. Se programou as teclas de nome e guardou a área de traba-
lho, esta será aberta com as teclas de nome ao inicializar o AC-Win.
Pode também criar um novo objecto "Tecla de Nome" e guardá-lo.

Abrir o objecto Teclas de Nome


1. Seleccionar a opção Abrir Objecto no menu Arquivo.
2. Seleccionar Teclas de Nome
3. Clicar no botão Abrir.
4. É aberta a janela “Teclas de Nome”.

Pode fechar a janela “Teclas de Nome” ao premir


<CTRL>+<F4> ou pelo campo de menu do sistema.

39
Teclas de nome

Passo a Passo

Programação das Teclas de Nome


Pode programar teclas de nomes vazias ou já ocupadas.
1. Mover o cursor para uma tecla de nome na janela “Teclas de No-
me” e premir a tecla direita do rato.

2. Seleccionar Propriedades das teclas de nome.

3. Introduzir o nome a ser atribuído à tecla no campo “Legenda”.


4. No campo “Número” introduzir o número que deve ser marcado
quando a tecla for premida.
5. Fechar a janela “Propriedades da Tecla de Nome” com o botão OK
ou <Enter>.
A tecla de nome é apresentada com a legenda atribuída na janela "Pro-
priedades da Tecla de Nome".
Pode utilizar estas teclas para marcar.

Para apagar uma tecla de nome, remover os registos dos cam-


pos e confirmar com OK.

40
Teclas de nome

Passo a Passo

Salvar a janela Teclas de Nome


Pode salvar a janela Teclas de Nome junto com a área de trabalho.

No parágrafo "Salvar Área de Trabalho" Æ Página 69 encontra


uma descrição detalhada dos procedimentos necessários.
Pode também salvar o objecto "Tecla de nome" independente da
área de trabalho.
1. Seleccionar a opção Salvar Objecto no menu Arquivo.
2. Seleccionar um nome e um directório.
3. Confirmar a introdução com OK.

41
Repetição de marcação

Passo a Passo

Repetição de marcação
A função de repetição de marcação permite salvar o último número
marcado para a posterior repetição. Isto é importante, por exemplo,
se o utilizador não pôde ser contactado na primeira tentativa de cha-
mada. Podem ser guardados até dez números para a repetição de
marcação.

Configurações básicas
Pode definir se o número deve ser registado manual ou automatica-
mente na lista do diálogo Repetição de marcação:
• Adição automática na lista:
Cada número marcado é registado na lista de repetição de marca-
ção.
• Adicionar quando solicitado pelo utilizador:
Define, se o número marcado deve ser registado na lista.

Para configurar a função:


1. Para isto, seleccionar a opção Parâmetros AC-Win no menu Op-
ções.
2. Seleccionar a opção Objectos.

3. Seleccionar uma opção.


4. Seleccionar Salvar em Arquivo, para salvar a lista de repetição de
marcação num arquivo.
5. Clicar no botão Salvar.
6. Confirmar a introdução com OK.

42
Repetição de marcação

Passo a Passo

Abrir um novo objecto Repetição de marcação


1. Seleccionar a opção Novo Objecto no menu Arquivo.
2. Seleccionar Repetição.
3. Clicar no botão Abrir.

Para abrir uma janela de repetição anteriormente guardada, se-


leccionar a opção Abrir diálogo no menu Arquivo.

43
Repetição de marcação

Passo a Passo

Salvar números para repetição de marcação


Requisitos:
• Se seleccionou a opção "Adição a partir de requisição do utilizador"
(consultar Configurações básicas Æ Página 51).
A tecla de função "Adic. p/repetição" foi configurada no diálogo "Todos
Botões". Os procedimentos necessários são descritos no Manual de
Administração AC-Win.
1. Marcou um número ou atendeu uma chamada.

2. Salvar o número marcado/indicado com o botão Adic. p/repe-


tição. Com isso, é guardado o número marcado, mas não o desvio
configurado.
O número e o nome (se configurado) da extensão chamada são
adicionados à lista de repetição de marcação. Esta lista pode con-
ter até 10 registos.
3. Agora pode Desligar.

Salvar o objecto Repetição


Pode salvar o diálogo actual junto com a área de trabalho. A opção
"Salvar em arquivo" tem de estar activada (ver Configurações básicas
Æ Página 42).
O diálogo "Repetição" que tiver os respectivos registos será indicado
ao inicializar o AC-Win.

No parágrafo "Salvar Área de Trabalho" Æ Página 69 encontra


uma descrição detalhada dos procedimentos necessários.

44
Bloco de notas

Passo a Passo

Bloco de notas
É possível salvar dados da ligação com o bloco de notas, ou seja, pode
memorizar no bloco de notas os números de telefone dos dois inter-
locutores. Isto é útil, p. ex., quando deve estabelecer uma ligação e a
extensão não está disponível. Pode salvar até 10 números no “Bloco
de notas”.
Consultar o parágrafo “Marcação com o bloco de notas” para as res-
pectivas informaçõesÆ Página 32.

Abrir um novo bloco de notas


1. Seleccionar a opção Novo Objecto no menu Arquivo.
2. Seleccionar Bloco de notas.
3. Clicar o botão OK.

Dessa maneira, pode abrir também um bloco de notas já exis-


tente. Para isto, clicar, no menu Arquivo, na opção Abrir diálogo
e seleccionar um bloco de notas.

45
Bloco de notas

Passo a Passo

Incluir uma chamada no bloco de notas


1. Premir o botão Adic.bloco notas para adicionar a chamada ao blo-
co de notas.

Também é possível salvar números que não podem ser marca-


dos. A integridade dos dados não é verificada.

Adicionar outros dados no bloco notas


Pode adicionar números de telefone, nome e anotações no bloco de
notas. Utilizar o rato, ou o teclado para mover o cursor para a posição
desejada.
1. Clicar no botão Nova linha.

2. Introduzir os dados.

Excluir registos do bloco de notas


1. Seleccionar primeiro um registo no bloco de notas
2. Clicar no botão Apagar. O registo é excluído do bloco de notas.

Os registos do bloco de notas são excluídos automaticamente


ao fechar o AC-Win. Os registos do bloco de notas podem ser
guardados junto com a área de trabalho.

46
Bloco de notas

Passo a Passo

Salvar bloco de notas


Pode salvar o bloco de notas com a área de trabalho. Deve efectuar as
seguintes configurações:
1. Seleccionar a opção Parâmetros AC-Win no menu Opções.
2. Seleccionar o separador Objectos.

3. Clicar em Salvar em arquivo para salvar os registos no arquivo


definido.
4. Clicar em Salvar.
5. Confirmar a introdução com OK

No parágrafo "Salvar Área de Trabalho" Æ Página 69 encontra


uma descrição detalhada dos procedimentos necessários.
O bloco de notas com os registos guardados é indicado automatica-
mente ao inicializar o AC-Win.

47
Histórico de Chamadas

Passo a Passo

Histórico de Chamadas
Um Histórico de chamadas é uma lista que contém os seguintes da-
dos:
• Nome (se existente),
• Número
• Estado (de entrada ou de saída), depende da configuração
• Data
• Hora
• Duração da chamada.
No parágrafo "Marcar com o Histórico de Chamadas" (Æ Página 33) é
descrito como estabelecer uma ligação com o histórico de chamadas.

Solicitar o Histórico de Chamadas


Tem de activar a função de registo do Histórico de chamadas:
1. Seleccionar a opção Parâmetros AC-Win no menu Opções.
2. Seleccionar o separador Objectos
3. Seleccionar os tipos de chamadas que devem ser registados.

4. Clicar em Salvar em arquivo para salvar os dados.


5. Clicar no botão Salvar.
6. Confirmar a introdução com OK.

48
Histórico de Chamadas

Passo a Passo

Abrir o Histórico de chamadas


1. Seleccionar a opção Novo Objecto no menu Arquivo.
2. Seleccionar Histórico de Chamadas.
3. Clicar em OK.

Indicação dos dados actuais da ligação


1. Clicar no botão Apres. actual.
São indicados os dados da ligação guardados desde a inicialização
do AC-Win.

Mostrar os dados da ligação guardados


1. Clicar no botão Abrir arquivo.
Os dados da ligação são carregados e indicados.

49
Histórico de Chamadas

Passo a Passo

Imprimir dados da ligação


1. Clicar no botão Imprimir.
A saída dos dados é executada na impressora standard.

Salvar o Histórico de Chamadas


O Histórico de Chamadas é guardado automaticamente se configurou
esta opção no menu Opções/Parâmetros AC-Win/separador Objec-
tos/campo Histórico de Chamadas. Por predefinição, a função Sal-
var o Histórico de Chamadas está desactivada.

Pode salvar o Histórico de Chamadas junto com a área de tra-


balho. No parágrafo "Salvar Área de Trabalho" Æ Página 69 en-
contra uma descrição detalhada dos procedimentos necessári-
os.

50
Taxação no Posto de operadora

Passo a Passo

Taxação no Posto de operadora


O AC-Win permite o registo dos dados de taxação de chamadas na
consola de operadora. A facilidade deve estar activada no sistema.

Configurações básicas
Pode definir, se deseja
• actualizar os dados de taxação manual ou automaticamente,
• salvar os dados num arquivo geral.

Proceder da seguinte maneira:


1. Seleccionar a opção Parâmetros AC-Win no menu Opções.
2. Seleccionar o separador Controle de Chamadas.
3. Seleccionar Retenção automática para taxação, para actualizar au-
tomaticamente a lista de dados de taxação no diálogo Taxação de
Chamadas.
4. Seleccionar a opção Objectos.
5. Clicar em Salvar em arquivo para salvar os dados.
6. Clicar no botão Salvar.
7. Confirmar a introdução com OK.

51
Taxação no Posto de operadora

Passo a Passo

Activar o registo de taxação


1. Premir o botão Req. taxação.
O símbolo na tecla aparece na cor vermelha . Agora podem ser
visualizados os custos para novas chamadas.

Desactivar o registo de taxação


1. Clicar no botão Req. taxação.
O símbolo na tecla aparece na cor preta. O registo de taxação é
desactivado.

Consultar taxação
Para poder consultar os custos, deve estar activada a taxação de cha-
madas e a janela “Taxação” deve estar aberta.
1. Clicar no botão Taxação.
É aberta a janela Taxação. Podem ser visualizados os custos das
chamadas efectuadas.

Pode fechar a janela “Taxação” ao premir <CTRL>+<F4> ou


pelo campo de menu de sistema.

52
Taxação no Posto de operadora

Passo a Passo

Verificar taxação de chamadas


1. Clicar no botão Taxação na janela "Taxação" ou no diálogo "Todos
Botões".
Podem ser visualizados os custos das chamadas efectuadas.

Imprimir a taxação
1. Clicar no botão Imprimir na janela "Taxação".
A saída da taxação é executada na impressora standard, configu-
rada no PC da consola de operadora.

Reiniciar o contador de taxação


1. Clicar no botão Apagar na janela "Taxação".
O registo seleccionado será apagado. Se não seleccionar um re-
gisto, será apagada a lista completa.

Salvar o objecto Taxação


Se configurou esta opção nas configurações básicas, os dados da ta-
xação serão guardados automaticamente Æ Página 42. Esta configu-
ração está desactivada por predefinição.

Pode salvar a Taxação de chamadas junto com a área de traba-


lho. No parágrafo "Salvar Área de Trabalho" Æ Página 69 en-
contra uma descrição detalhada dos procedimentos necessári-
os.

53
Serviço nocturno

Passo a Passo

Serviço nocturno
Quando a consola de operadora está desactivada (p. ex., após o expe-
diente diário), o "Serviço nocturno" encaminha todas as chamadas de
entrada para um telefone de serviço nocturno (p. ex., para o porteiro).

Activar serviço nocturno


1. Clicar no botão Nocturno.
A cor do botão “Nocturno” é alterada. As chamadas em espera
que ainda constam da janela “Controle de Chamadas” devem ser
atendidas. As novas chamadas de entrada são encaminhadas para
as consolas de operadora ainda operacional, ou para o telefone de
serviço nocturno.
2. Clicar no botão Plug.
As chamadas em espera e as novas chamadas de entrada (excep-
to as chamadas pessoais) são encaminhadas para uma consola de
operadora ainda operacional ou para o telefone de serviço noctur-
no.

54
Serviço nocturno

Passo a Passo

Serviço nocturno automático


O serviço nocturno é activado automaticamente após alguns segun-
dos (standard: 60 s.), se
• existirem uma ou mais chamadas na fila de espera e
• não forem executadas funções de controlo de chamadas durante
este tempo.
Neste caso, as funções de controlo de chamadas são, p. ex.,
• Atendimento de chamadas
• Transferência de chamadas
• Estabelecer ligações
• Consultar informações da linha
• Marcar
• Activar a procura de pessoas
O intervalo de tempo, após o qual o serviço nocturno é activa-
do automaticamente, é administrado no sistema e não pode
ser alterado no AC-Win.

Desactivar serviço nocturno


1. Se a ficha do microtelefone de cabeça não foi puxada, pode desac-
tivar o serviço nocturno com o botão Nocturno.
2. Clicar no botão Plug.

55
Serviço nocturno

Passo a Passo

Verificar e alterar serviço nocturno


Entre as variantes de serviço nocturno existentes no sistema, é acti-
vada a variante que foi seleccionada pela última vez de qualquer con-
sola de operadora. Na janela Modo de serviço nocturno, o modo acti-
vado é indicado seleccionado. São possíveis 8 serviços nocturnos
diferentes.
1. Abrir a janela Serviço nocturno. Para isto, seleccionar no menu
Opções a opção Alterar Configuração.
2. Seleccionar o separador Nocturno. É indicada a variante de servi-
ço nocturno actualmente seleccionada.

3. Seleccionar a variante de serviço nocturno desejada e clicar no bo-


tão Aplicar. É activada a nova variante de serviço nocturno.

As variantes de serviço nocturno disponíveis são específicas


do sistema e não podem ser administradas com o AC-Win.

56
Restrição de tráfego interno para grupos de utilizadores

Passo a Passo

Restrição de tráfego interno para grupos


de utilizadores
As chamadas internas entre determinados grupos de extensões po-
dem ser bloqueadas temporariamente por um SuperUser ou adminis-
trador, para evitar a marcação do próprio número. Estas chamadas só
podem ser estabelecidas pela operadora (p. ex., em hotéis).

Consultar a restrição de tráfego interno para gru-


pos de utilizadores
1. Seleccionar no menu Opções a opção Alterar Configuração.
2. Seleccionar o separador Restrição de Tráfego.

As restrições de tráfego interno existentes são específicas do


sistema e não podem ser administradas com o AC-Win.

57
Restrição de tráfego interno para grupos de utilizadores

Passo a Passo

Activar e desactivar a restrição de tráfego inter-


no para grupos de utilizadores
1. Seleccionar o grupo de utilizadores na janela Restrição de Tráfe-
go.
Pode efectuar as seguintes configurações:
Clicar em Reter para verificar a configuração actual.

Clicar em Aplicar para salvar as configurações.

Clicar em Cancelar para fechar a janela.

Clicar em Alternar para activar ou desactivar a classe de serviço.

Clicar em Ligar Tudo para activar a classe de serviço para todos


os grupos de utilizadores.
Clicar em Desligar Tudo para desactivar a classe de serviço para
todos os grupos de utilizadores.

58
Alteração de classe de serviço para grupos de utilizadores

Passo a Passo

Alteração de classe de serviço para gru-


pos de utilizadores
É possível alterar temporariamente a classe de serviço para um deter-
minado grupo de utilizadores. A alteração de classe de serviço permi-
te, p. ex., evitar o estabelecimento de chamadas com custos fora do
horário de expediente.

Consultar as classes de serviço para grupos de


utilizadores
Clicar no botão COS
ou
1. Seleccionar no menu Opções a opção Alterar Configuração.
2. Seleccionar o separador Classe de serviço.

É mostrada a lista de grupos de utilizadores com suas respectivas


classes de serviço.

As classes de serviço possíveis são específicas do sistema e


não podem ser administradas com o AC-Win.

59
Alteração de classe de serviço para grupos de utilizadores

Passo a Passo

Activar e desactivar classes de serviço para gru-


pos de utilizadores
1. Marcar a opção desejada na janela Classe de serviço.
Pode efectuar as seguintes configurações:
Clicar em Reter para verificar a configuração actual.

Clicar em Aplicar para salvar as configurações.

Clicar em Cancelar para fechar a janela.

Clicar em Alternar para activar ou desactivar a classe de serviço.

Clicar em Ligar Tudo para restringir a classe de serviço para todos


os grupos de utilizadores.
Clicar em Desligar Tudo para cancelar a restrição da classe de ser-
viço para todos os grupos de utilizadores.

60
Não incomodar para grupos de utilizadores

Passo a Passo

Não incomodar para grupos de utilizado-


res
A função “Não incomodar” pode ser activada temporariamente para
determinados grupos de utilizadores (extensões), se estes não dese-
jarem receber chamadas.

Não incomodar para os grupos de utilizadores


1. Seleccionar no menu Opções a opção Alterar Configuração.
2. Seleccionar o separador Não incomodar.

É mostrada a lista dos grupos de utilizadores com a função “Não


incomodar” activada.

As opções do serviço “Não incomodar” disponíveis são espe-


cíficas do sistema e não podem ser administradas com o AC-
Win.

61
Não incomodar para grupos de utilizadores

Passo a Passo

Activar e desactivar “Não incomodar” para gru-


pos de utilizadores
1. Seleccionar a opção desejada na janela Não incomodar.
Pode efectuar as seguintes configurações:
Clicar em Reter para verificar a configuração actual.

Clicar em Aplicar para salvar as configurações.

Clicar em Cancelar para fechar a janela.

Clicar em Alternar para activar ou desactivar a classe de serviço.


Clicar em Ligar Tudo para restringir a classe de serviço para todos
os grupos de utilizadores.
Clicar em Desligar Tudo para cancelar a restrição da classe de ser-
viço para todos os grupos de utilizadores.

62
Alarme

Passo a Passo

Alarme
A cor do botão de alarme muda quando ocorrem erros ou falhas na
consola de operadora. Pode ser determinado o tipo de erro pela cor
do botão de alarme.
A cor amarela indica erros de menor importância. A cor vermelha in-
dica erros que devem ser informados imediatamente à Assistência
Técnica.

Cor Alarmes
vermelha alarmes urgentes
amarela alarmes gerais

Consultar as mensagens de erros


1. Premir o botão Alarmes.

As causas dos alarmes são apresentadas na janela Alarmes.

Imprimir alarmes
As causas dos alarmes são apresentadas na janela Alarmes.
1. Clicar no botão Imprimir.

Apagar alarme(s)
As causas dos alarmes são apresentadas na janela “Alarmes”.
1. Clicar no botão Apagar, para apagar os registos.

63
Regulação do sinal de chamar

Passo a Passo

Regulação do sinal de chamar


No diãlogo Definições do sinal de chamar define os recursos de entra-
da e saída para voz. Se possuir um cartão de áudio, pode atribuir dife-
rentes ficheiros WAV a chamadas normais ou chamadas de emergên-
cia.
1. Seleccionar a opção Config. sinal de chamar no menu Opções.

2. Nos campos de selecção, definir o driver para


– Toque (saída)
– Misturador para o microtelefone (de cabeça) (saída)
– Altifalante (saída)
– Microfone (entrada)

64
Regulação do sinal de chamar

Passo a Passo
Se utilizar uma placa de som
3. No campo Sinal de chamar placa de som pode seleccionar fichei-
ros WAV para chamadas normais e chamadas especiais/de emer-
gência ao clicar em Browse.
4. Clicar em OK.
5. Testar os ficheiros WAV seleccionados. Se desejar um outro sinal,
repetir o passo 3.
6. Clicar em Aplicar, para guardar as alterações.
7. Clicar no botão Cancelar para fechar a janela sem guardar as al-
terações.
8. Confirmar a introdução com OK.

65
Diagnóstico de erros

Passo a Passo

Diagnóstico de erros
Nos casos de falhas na aplicação AC-Win, pode activar programas de
diagnóstico, que possibilitam ao técnico de assistência encontrar pos-
síveis erros com facilidade. Estão disponíveis três tipos de informa-
ção:
• Rastreio CAPI (Common ISDN Application Interface)
• Diagnóstico AC
• Informações acerca do software, número da versão do AC-Win uti-
lizado

CAPI Trace
Com a função Rastreio CAPI são gravadas informações sobre o com-
portamento da interface CAPI da ficha de AC-Win utilizada.
1. Seleccionar a opção CAPI-Trace no menu Opções.

2. Para sair do rastreio CAPI, tem de fechar o AC-Win e reiniciá-lo.

66
Diagnóstico de erros

Passo a Passo

Diagnóstico AC
A função Diagnóstico AC possibilita a gravação de informações sobre
o comportamento interno do AC-Win.
1. Para isto, seleccionar a opção Iniciar AC-Diag no menu Opções.

2. Clicar em Trace-Information sichern (Salvar informação de rast-


reio).

As informações de rastreio são guardadas no ficheiro indicado.

67
Diagnóstico de erros

Passo a Passo

Determinar número da versão


Para determinar a versão do AC-Win utilizado e outras informações,
deve proceder da seguinte maneira:
1. Seleccionar a opção Acerca AC-Win no menu Ajuda.

Esta janela fornece informações sobre a


• Versão AC-Win
• Versão AC-Win 2Q IP
• Versão SoftOLA

68
Salvar a área de trabalho

Passo a Passo

Salvar a área de trabalho


Deve salvar a área de trabalho se tiver efectuado alterações nesta, p.
ex., nas teclas de nome
1. Seleccionar a opção Salvar Área de Trabalho no menu Arquivo.

2. Ao salvar a área de trabalho pela primeira vez, é aberta uma caixa


de diálogo na qual deve ser introduzido o nome do arquivo e o di-
rectório correspondentes.
3. Clicar no botão OK para salvar a área de trabalho.
A sua área de trabalho é guardada.

69
Índice remissivo

Comunicação alternada ............................. 28


Índice remissivo Comunicação alternada entre as linhas .. 29
Comunicação alternada entre os tipos de
A chamada ...................................................... 29
Comutação para marcação MF ................ 17
Abrir
Configurações do sistema ........................ 56
bloco de notas ........................................ 45
Consulta ....................................................... 27
Abrir a janela Teclas de nome .................. 39
Consulta de alarme .................................... 16
Abrir janela de repetição de marcação ... 43
Consultar as mensagens de erros (alarmes)
Abrir o Histórico de chamadas ................ 49
....................................................................... 63
Acoplar ................................................... 17, 29
Consultar taxação de chamadas .............. 52
Activação / desactivação do AC-Win ...... 17
Continuar uma chamada retida ................ 27
Activação automática do gravador .......... 37
Cortar a ligação ........................................... 15
Activar gravador ......................................... 37
Cortar ligação .............................................. 24
Activar o registo de taxação ..................... 52
Activar serviço nocturno ........................... 54
Alarme .......................................................... 63 D
Alteração de classe de serviço ................ 59 Desactivar gravador ................................... 37
Alterar a senha ........................................... 11 Desactivar intrusão .................................... 24
Alterar modo de serviço nocturno .......... 56 Desactivar o registo de taxação .............. 52
Apagar .......................................................... 24 Desactivar serviço nocturno ..................... 55
Apagar alarme(s) ........................................ 63 Desligamento de emergência .................. 17
Apagar introdução ...................................... 16 Desligar ........................................................ 24
Área de trabalho ......................................... 12 Desligar o PC da consola de operadora . 11
Atender chamada pessoal ........................ 15 Diagnóstico AC ........................................... 67
Atender chamadas externas .................... 15 Diálogo
Atender chamadas internas ..................... 15 controlo de chamadas ........................... 13
Atendimento automático de chamadas . 13 teclas de nome ....................................... 18
Atendimento de chamadas .................. 7, 21 todos botões ........................................... 15
Diálogo de início da sessão ...................... 10
B DS-Win ........................................................... 7
Bloco de notas ...................................... 16, 45
Bloco notas E
adicionar outros dados .......................... 46 Excluir
registos do bloco de notas ................... 46
C Excluir registos do bloco de notas .......... 46
CAPI Trace .................................................. 66
Chamada alternada .................................... 28 F
Chamada com taxação .............................. 16 Ficheiro WAV .............................................. 65
Chamada em cadeia ............................ 16, 26 Funções das teclas .................................... 15
Chamada serial ........................................... 26 Funções de operadora ................................ 7
Classe de serviço Funções de telefonia ................................... 7
activar ....................................................... 60 Funções do sistema .................................. 36
consultar .................................................. 59
desactivar ................................................ 60

70
Índice remissivo

G N
Gravador ................................................ 17, 37 Não incomodar
Grupo alvo ..................................................... 8 activar ....................................................... 62
Guardar o número para a repetição de mar- desactivar ................................................ 62
cação ............................................................ 16 Não incomodar para grupos de utilizadores
....................................................................... 61
Navegação
H Área de trabalho ..................................... 19
Histórico de Chamadas ............................. 48 Novo objecto ............................................... 43
dados da ligação guardados ................. 49 Número da versão ..................................... 68

I O
Identificação de chamadas maliciosas Objectivo ....................................................... 8
(MCID) .......................................................... 17 Objecto Tecla de Nome
Identificação de linha ................................. 16 abrir ........................................................... 39
Identificação do número de linha ............ 38 Ocupar linha ................................................ 16
Identificação do utilizador ......................... 10
Imprimir a taxação ..................................... 53
Imprimir alarmes ........................................ 63 P
Imprimir dados da ligação ......................... 50 Parque .......................................................... 29
Incluir uma chamada no bloco de notas 46 Parquear a chamada .................................. 16
Inicializar o programa ................................. 10 Personalização da interface do utilizador . 7
Iniciar a consulta para uma extensão ..... 15 Placa de som .............................................. 65
Iniciar chamada pessoal ............................ 16 Procura de pessoas ............................. 16, 36
Intercalação ........................................... 17, 25 Procura de pessoas (Paging) .................... 36
Intercalação de chamadas .......................... 7 Programação das teclas de nome ........... 40
Intercalação de emergência ..................... 17
Introdução alfanumérica ........................... 17
Intrusão ........................................................ 25 R
Registo de taxação .................................... 51
Regulação do sinal de chamar ................. 64
M Repetição
Marcação posterior MF ............................. 35 guardar número automaticamente ...... 42
Marcar .......................................................... 30 Repetição de marcação ....................... 42, 43
com "Arrastar e soltar" ........................... 34 Requisitos ...................................................... 8
com a área de transferência ................. 33 Restrição de tráfego interno .................... 57
com a repetição de marcação .............. 31 activar ....................................................... 58
com as teclas de nome ......................... 32 consultar .................................................. 57
com o bloco de notas ............................ 32 desactivar ................................................ 58
com o histórico de chamadas .............. 33 Retomar chamadas do parque ................. 16
com o rato ............................................... 34 Retomar uma chamada parqueada ......... 29
Marcar número ........................................... 17
Marcar o número para a repetição de mar-
cação ............................................................ 16
Mostrar dados da ligação ......................... 49
Mudar classe de acesso ........................... 16

71
Índice remissivo

S
Sair do programa ........................................ 10
Salvar a área de trabalho ........................... 69
Salvar a janela Teclas de nome ............... 41
Salvar bloco de notas ................................ 47
Salvar informação de rota ......................... 67
Salvar números para repetição de marca-
ção ................................................................ 44
Salvar o Histórico de Chamadas .............. 50
Salvar o objecto Repetição ....................... 44
Serviço nocturno .................................. 17, 54
Serviço nocturno automático ................... 55
Serviço rápido ............................................. 23
Sinais de chamada ..................................... 20
Sinais de marcar ......................................... 20
Solicitar Histórico de Chamadas .............. 48
Suporte acústico ........................................ 20
Suporte óptico ............................................ 20

T
Taxação
apagar ....................................................... 53
salvar o objecto ...................................... 53
Tecla de função .......................................... 17
Teclas de nome .................................... 17, 39
de programação livre ............................... 7
Todos Botões ............................................. 15
Transferência de chamada ....................... 21
Transferência de chamadas ....................... 7
Transferência normal ................................. 22
Transferir ..................................................... 22
Transferir a chamada ................................. 15

U
Utilização com o rato ................................. 19
Utilização com os botões ......................... 19

V
Verificação do modo de serviço nocturno .
56
Verificar taxação de chamadas .......... 16, 53
Versão AC-Win ........................................... 68

72
Copyright © Siemens Enterprise
Communications GmbH & Co. KG 06/2007
Hofmannstr. 51, D-81359 München
Nº de encomenda: A31003-G4010-U100-2-7919
As informações neste documento contêm apenas
descrições gerais ou facilidades, que nem sempre
correspondem, na forma como estão descritas, e
que podem sofrer alterações devido ao desenvolvi-
mento dos produtos. As facilidades desejadas ape-
nas serão vinculativas, se tiverem sido estabelecidas
por expresso nos termos do contrato.
Reserva-se a possibilidade de entrega e o direito de
alterações técnicas. As marcas comerciais utilizadas
são propriedade da
Siemens Enterprise Communications
GmbH & Co. KG ou do respectivo titular.

www.siemens.com/enterprise
Ramais IP

4. Ramais IP
Ramais IP
Devices IP Siemens

Devices IP

Contents
1 optiPoint 410 / 420 Family. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
1.1 General informations . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
1.2 Overview of the terminals and the optional modules . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
1.3 Feature description . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
1.4 optiPoint 410/420 Adapter support . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
1.5 Service information . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
1.6 HiPath 4000 V2.0. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
1.7 AMO changes for the feature Self Labling Key . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
2 Installation optiPoint 410 / 420 with Terminal software < 5.x.x . . . . . . . . . . . . . . . 23
2.1 Settings for all optiPoint 410 and 420 except optiPoint 410 entry . . . . . . . . . . . . . . . . 23
3 optiClient 130 V5.0. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
3.1 Description. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
3.2 Installation and Settings. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
3.3 Generating of the optiClient 130 V5.0 in the HiPath 4000 V2.0. . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
3.4 Short description of the user interface of the optiClients 130 V5.0 . . . . . . . . . . . . . . . 46
4 optiPocket V1.0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51
4.1 Feature description . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51
4.2 Usage . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52
5 W-LAN. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
5.1 optiPoint WL2 professional / S. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
6 OpenStage IP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
6.1 General Information . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55

BR0038 17/09/2009 Page 1 of 102


Siemens Devices IP

6.2 OpenStage 20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55


6.3 OpenStage 40. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56
6.4 OpenStage 60. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
6.5 OpenStage 80. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58
6.6 Key Modules . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
6.7 Key assignment . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60
7 OpenStage Manager . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
7.1 General . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
7.2 Installation. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
7.3 Log on. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
7.4 Start Program . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
7.5 Phone Book Maintenance. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
7.6 Search functionality . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66
7.7 Synchronization . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66
7.8 Screensaver . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67
8 AC-WIN IP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
8.1 Systemconcept . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
8.2 Variants from ACWIN IP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70
8.2.1 Hardware. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72
8.2.2 Initial operation . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72
8.2.3 Entering general data . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
8.2.4 Licensing . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 74
8.2.5 DLS/DLC Configuration. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 75
8.2.6 General settings . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 76
8.2.7 Voice Recording . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77
8.2.8 Settings in the AC for automatic voice recording . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78
8.2.9 Deinstallation of the AC-Win IP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79
9 License Management . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
9.1 Basic Information . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
9.1.1 Introduction . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
9.2 Customer License Agent . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84
9.2.1 Installation of the CLA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85
9.2.1.1 Standalone Setup . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
9.3 License Management (CLM) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 90
9.3.1 Installation of the CLM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91
9.3.1.1 Standalone Setup . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 92
9.4 Working with License Management . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
9.4.1 License Management Contents Page . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
9.4.2 License Management Setup . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95
9.4.3 Activating Licenses . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96
9.4.4 Products . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 97
9.4.5 License Agents . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98
9.4.6 Computer . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99

2
BR0038 17/09/2009 Page 2 of 102
Devices IP Siemens

9.4.7 Logs . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 100


Abbreviations . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 101

BR0038 17/09/2009 Page 3 of 102


Siemens Devices IP

BR0038 17/09/2009 Page 4 of 102


Devices IP Siemens

1 optiPoint 410 / 420 Family

1.1 General informations


The terminals of the optiPoint 410 / 420 family can be connected as IP-phones to the
HiPath 3000 and HiPath 4000 systems.

1.2 Overview of the terminals and the optional modules

● optiPoint 410 entry


– IP standards:
- HFA
- H323, CorNet IP, SIP
- G.711, G.723, G.729 AB,
G.722 for DMC, QoS, Security
H.235
- SNMP, HTTP, DHCP, FTP
– 10/100Base-T, VLAN support
– Power over LAN resp. power supply
unit
– CTI (TAPI) applications
– No display
– Eight function keys with LED
– Loudspeaker
– Two keys (+/-) for settings ringer tone
volume, ringer pitch and alerting tone
– No adapter ports for add-on modules
– No key module- and display module
- interface
– Wall mountable
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 5 of 102


Siemens Devices IP

● optiPoint 410 economy


– IP standards:
- HFA
- H323, CorNet IP, SIP
- G.711, G.723, G.729 AB,
G.722 for DMC, QoS, Security
H.235
- SNMP, HTTP, DHCP, FTP
– 10/100Base-T, VLAN support
– Power over LAN resp. power supply
unit
– CTI (TAPI) applications
– Alphanumeric LCD swivel display 2
lines (24 characters per line)
– 12 function keys LED
– Two keys (+/-) for settings ringer vol-
ume, ringer pitch and alerting tone
– Three dialog keys for easy menu
navigation and selection
– Loudspeaker
– No adapter ports for add-on modules
– No key module- and display module
- interface
– Wall mountable
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 6 of 102


Devices IP Siemens

● optiPoint 410 economy plus


– IP standards:
- HFA
- H323, CorNet IP, SIP
- G.711, G.723, G.729 AB,
G.722 for DMC, QoS, Security
H.235
- SNMP, HTTP, DHCP, FTP
– 10/100Base-T, mini-switch (VLAN)
support
– Power over LAN resp. power supply
unit
– CTI (TAPI) applications
– Headset port (121 TR9-5)
– Alphanumeric LCD swivel display 2
lines (24 characters per line)
– 12 function keys LED
– Two keys (+/-) for settings ringer vol-
ume, ringer pitch and alerting tone
– Three dialog keys for easy menu
navigation and selection
– Loudspeaker
– No adapter ports for add-on modules
– No key module- and display module
- interface
– Wall mountable
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 7 of 102


Siemens Devices IP

● optiPoint 410 standard


– IP standards:
- HFA
- H323, CorNet IP, SIP
- G.711, G.723, G.729 A / AB,
G.722 for DMC, QoS, Security
H.235
- SNMP, HTTP, DHCP, FTP
– 10/100Base-T, mini-switch (VLAN)
support
– Power over LAN resp. power supply
unit
– CTI (TAPI) applications
– Headset port (121 TR9-5)
– Alphanumeric LCD swivel display 2
lines (24 characters per line) addi-
tional background lighting
– 12 function keys with LED
– Two keys (+/-) for settings ringer vol-
ume, ringer pitch and alerting tone
– Three dialog keys for easy menu
navigation and selection
– Full duplex handsfree talking
– Two adapter ports for add-on mod-
ules
– Key module (self labling and stan-
dard) - and display module - interface
– Wall mountable
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 8 of 102


Devices IP Siemens

● optiPoint 410 advance


– IP standards:
- HFA
- H323, CorNet IP, SIP
- G.711, G.723, G.729 AB,
G.722 for DMC, QoS, Security
H.235
- SNMP, HTTP, DHCP, FTP
– 10/100Base-T, mini-switch (VLAN)
support
– Power over LAN resp. power supply
unit
– CTI (TAPI/JTAPI) applications
– USB master port
– One headset port (121 TR9-5)
– Excellent audio quality with “Speech
Extender”
– LCD swivel display with 4 lines (24
characters per line) additional back-
ground lighting
– 19 function keys with LED
– Support of the self labeling keys
– Two keys (+/-) for settings ringer vol-
ume, ringer pitch and alerting tone
– Three dialog keys for easy menu
navigation and selection
– Loudspeaker
– Full duplex handsfree talking
– 1 port for add-on modules
– Key module (self labling and stan-
dard) - and display module - interface
– Wall mountable
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 9 of 102


Siemens Devices IP

● optiPoint 420 economy


– IP standards:
- HFA
- H323, CorNet IP, SIP
- G.711, G.723, G.729 AB,
G.722 for DMC, QoS, Security
H.235
- SNMP, HTTP, DHCP, FTP
– 10/100Base-T, VLAN support
– Power over LAN resp. power supply
unit
– CTI (TAPI) applications
– Alphanumeric LCD swivel display 2
lines (24 characters per line)
– 12 self labeling function keys (5+7)
with LED
– Two keys (+/-) for settings ringer vol-
ume, ringer pitch and alerting tone
– Three dialog keys for easy menu
navigation and selection
– Loudspeaker
– No adapter ports for add-on modules
– No key module- and display module
- interface
– Wall mountable
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 10 of 102


Devices IP Siemens

● optiPoint 420 economy plus


– IP standards:
- HFA
- H323, CorNet IP, SIP
- G.711, G.723, G.729 AB,
G.722 for DMC, QoS, Security
H.235
- SNMP, HTTP, DHCP, FTP
– 10/100Base-T, mini-switch (VLAN)
support
– Power over LAN resp. power supply
unit
– CTI (TAPI) applications
– Headset port (121 TR9-5)
– Alphanumeric LCD swivel display 2
lines (24 characters per line)
– 12 self labeling function keys (5+7)
with LED
– Two keys (+/-) for settings ringer vol-
ume, ringer pitch and alerting tone
– Three dialog keys for easy menu
navigation and selection
– Loudspeaker
– No adapter ports for add-on modules
– No key module- and display module
- interface
– Wall mountable
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 11 of 102


Siemens Devices IP

● optiPoint 420 standard


– IP standards:
- HFA
- H323, CorNet IP, SIP
- G.711, G.723, G.729 AB,
G.722 for DMC, QoS, Security
H.235
- SNMP, HTTP, DHCP, FTP
– 10/100Base-T, mini-switch (VLAN)
support
– Power over LAN resp. power supply
unit
– CTI (TAPI) applications
– Headset port (121 TR9-5)
– Alphanumeric LCD swivel display 2
lines (24 characters per line) addi-
tional background lighting
– 12 self labeling function keys (5+7)
with LED
– Two keys (+/-) for settings ringer vol-
ume, ringer pitch and alerting tone
– Three dialog keys for easy menu
navigation and selection
– Full duplex handsfree talking
– Two adapter ports for add-on mod-
ules
– Key module (self labling and stan-
dard) - and display module - interface
– Wall mountable
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 12 of 102


Devices IP Siemens

● optiPoint 420 advance


– IP standards:
- HFA
- H323, CorNet IP, SIP
- G.711, G.723, G.729 AB,
G.722 for DMC, QoS, Security
H.235
- SNMP, HTTP, DHCP, FTP
– 10/100Base-T, mini-switch (VLAN)
support
– Power over LAN resp. power supply
unit
– CTI (TAPI/JTAPI) applications
– USB master port
– One headset port (121 TR9-5)
– Excellent audio quality with “Speech
Extender”
– LCD swivel display with 4 lines (24
characters per line) additional back-
ground lighting
– 18 self labeling function keys (5+13)
with LED
– Support of the self labeling keys;
– Two keys (+/-) for settings ringer vol-
ume, ringer pitch and alerting tone
– Three dialog keys for easy menu
navigation and selection
– Loudspeaker
– Full duplex handsfree talking
– 1 port for add-on modules
– Self labeling key module - and dis-
play module - interface
– Wall mountable
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 13 of 102


Siemens Devices IP

● AP1120
– Connection to STMI 2 for HFA
– 2x RJ11 for analog devices
– 1x 10/100 BaseT Ethernet access
– 10/100 BaseT Ethernet, inline pow-
ered
– Connection for analog devices

BR0038 17/09/2009 Page 14 of 102


Devices IP Siemens

● optiPoint 410 key module and self


labeling key module
– 16 function keys with LED
– Maximum two key modules per ter-
minal, if no Display Module is
installed
– Button is twice verifiable for named
buttons
– Can not be connected to an optiPoint
410/420 entry, economy and econ-
omy plus
– Colors: arctic, mangan
● optiPoint 420 Self Labling Key Module
– 13 function keys with LED
– Indication of the key function, name
or phone number over integrated
LCD displays.
– Button is fourfold verifiable with
named buttons and get select over
the Shift button (button 13).
– Maximum two key modules per ter-
minal, if no Display Module is
installed
– Can only be connected to an opti-
Point 410/420 standard and advance
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 15 of 102


Siemens Devices IP

● optiPoint Display Module


– Big LCD display with touchscreen
function (320x240) and additional
background lighting
– Swivel display
– Applications:
- Graphical user interface for tele-
phony
- Online help
- JAVA platform, JDK (only for
advance)
- Local, personal telephon book
- Access to “Corporate directories”
via LDAP
- WML/HTML Browser
- Voice dialing
– Can only be used for optiPoint 410/
420 standard and advance
– Colors: arctic, mangan
● optiPoint Application Module
– Full color LCD display with touch-
screen function
– Integrated alphanumeric Keyboard
(English or German)
– Applications:
- Graphical user interface for tele-
phony
- Online help
- JAVA platform, JDK (only for
advance)
- Local, personal telephon book
- Access to “Corporate directories”
via LDAP
- WML/HTML Browser
- Voice dialing
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 16 of 102


Devices IP Siemens

● optiPoint acoustic adapter


Permits to connect telephony accesso-
ries:
– active speaker, external microphone
via Y cable
– Headset (wired or wireless official
121 TR9-5)
– dry contact "contact adapter" e.g.
door opener, Busy display, second
bell.
– can not be used, if the terminal is
connected via power over LAN
● optiPoint recorder adapter
– external recorder connection or sec-
ondary speaker
– Second handset

● optiPoint signature module


– Telephone adapter for Chipcard
reader (Smart Card Application)
– The cards are programmed with the
help of a card reader and a PC pro-
gram
– max. 1 module per telephone can be
connected
– Colors: arctic, mangan

BR0038 17/09/2009 Page 17 of 102


Siemens Devices IP

1.3 Feature description


● The new optiPoint 410 terminal is available in five different configurations. One terminal
has no display, 4 include a display.
● The new optiPoint 420 terminal is available in five different configurations and supports self
labling keys. All terminals include a display.
● 2 key modules can be connected, if no display or application module is installed. If a dis-
play/application module is installed, only one key module can be used.
● All optiPoint 410 / 420 have the same UI (user interface) as the optiPoint 500 terminals.
● Display of country-specific characters is supported.
● The integrated USB 1.1 interface is used to connect an external keyboard.
● When adapters or add-on-modules are used, the wall mounting option is not possible.

BR0038 17/09/2009 Page 18 of 102


Devices IP Siemens

1.4 optiPoint 410/420 Adapter support


The optiPoint family of telephones support adapters and add-on modules as detailed in the
table below. Basically the Entry, Economy and Economy plus do not support any adapters or
add-on modules.
The standard and Advance however support them as shown in the table below.

Optipoint Add-On Modules Adapters


Key BLF Signature Self Recorder Acoustic DSM
labeling
key
410 Entry N N N N N N N
410 Economy N N N N N N N
410 Economy plus N N N N N N N
410 Standard Y Y Y Y Y Y Y
410 Advance Y Y Y Y Y Y Y
420 Economy N N N N N N N
420 Economy plus N N N N N N N
420 Standard Y Y Y Y Y Y Y
420 Advance Y Y Y Y Y Y Y

Notes:
1. The BLF (Busy-Lamp Field) is not supported by the Hipath 4000
2. The Signature (Card-Reader) module is not supported by the Hipath 3000

BR0038 17/09/2009 Page 19 of 102


Siemens Devices IP

1.5 Service information


● Care has to be taken, that the correct Key standard for optiPoint 410/420 is always used.
T8 for optiPoint 410 entry, T12 for optiPoint 410/420 economy, 410/420 economy plus and
410/420 standard, and T19 for optiPoint 410/420 advance.
● The self labling key module can be connected to an optiPoint 410 advance and standard,
but only in HiPath 4000 V2.0, not in HiPath 4000 V1.0.
● To reach the "Configuration Menu" of the terminal, the buttons 1 0 3 have to be pressed
at the same time. The standard password is “123456”.
● To reset a terminal, a “Factory Reset” can be executed via the “Configuration Menu”
respectively via the WBM (depending on the loaded phone software).
An additional possibility is to use key combination 2 8 9 (simultaneously). The Reset pass-
word is “124816”.

1.6 HiPath 4000 V2.0


● The optiPoint 410 /420 are generated in the same way as the optiPoint 400. New param-
eters in AMO SBCSU:...CONN=IP2, if the terminal is connected to a STMI2 board.
● In the AMO ZAND the type=optiset is also valid to the optiPoint 410 / 420.
● Max. one "optiPoint signature module" is possible per terminal.
● An "optiPoint self labeling key module" may only be connected/disconnected to an opti-
Point 410 / 420 in the power off condition.
● An optiClient 130 is configured like a corresponding optiPoint telephone. An exchange of
an optiPoint IP telephone for an optiClient 130 soft client is possible.
● The “optiPoint display module” for the optipoint 410 / 420 family can not be added to an
optiPoint500 or 600.
● There can be only one optiPoint display module connected to an optiPoint 410 / 420.
● An "optiPoint display module" must always be attached directly to the optiPoint 410 / 420.

BR0038 17/09/2009 Page 20 of 102


Devices IP Siemens

1.7 AMO changes for the feature Self Labling Key

ADD-ZIEL: TYPE=NAME/DSS,SLKTYPE=yyyyyyyyy
ADD-ZIELN: TYPE=RNGXFER/DSS/DSSWOOVR, SLKTYPE=yyyyyyyyy
ADD-KCSU: TYPE=PRIM,PRIMKEY=zz,SLKTYPE=yyyyyyyyy
ADD-KCSU: TYPE=SEC,KYNO=zz,SLKTYPE=yyyyyyyyy
CHANGE-KCSU: TYPE=PRIM,PRIMKEY=zz,SLKTYPE=yyyyyyyyy
CHANGE-KCSU: TYPE=SEC,KYNO=zz,SLKTYPE=yyyyyyyyy
CHANGE-CHESE:...,TYPE=EXECSLK,EXEC=xxxxxx,KEY=RNGXFER1,SLKTYPE=yyyyyyyyy
CHANGE-CHESE:...,TYPE=SECRSLK,SECR=xxxxxx,KEY=RNGXFER1-RNGXFER4 resp. PUS1-PUS4,
SLKTYPE=yyyyyyyyy

Explanation:
● yyyyyyyyy = SLKSTNO -> Station number of the destination subscriber
SLKNAME -> Name coming from AMO PERSI, if available
SLKTEXT -> Individual text with capital or lower case letters
(max. 12 characters)

Number of self labling keys with individual text in the system:


DISPLAY-DIMSU:TYPE=USER;
ADD-DIMSU:TYPE=USER,SLKTEXT=......;

Set display contrast for Self Labling Key:


ADD-ACTDA: TYPE=STN,STNO=xxxxxx,FEATCD=OPTISET,SLKCONT=[0,3]

BR0038 17/09/2009 Page 21 of 102


Siemens

BR0038 17/09/2009 Page 22 of 102


Devices IP Siemens

2 Installation optiPoint 410 / 420 with Terminal


software < 5.x.x

2.1 Settings for all optiPoint 410 and 420 except optiPoint 410 entry
In this document only the basic steps are described. For detailed information please use the
Administration resp. User manual.

a) DHCP is used (standard-setting):

Change into “Configuration”-Menu (push keys 1 0 3 simultaniously); -> By first installation


use Enter key:

Administration: Enter
01 = Configuration?

Enter admin password 123456 Enter

Change to 02 = System:

Configuration: Enter
02 = System?

System: HiPath-4K-V1 Enter


01 = System type?

Select System type with arrow keys:

System type: Enter


HiPath-4K-V2

BR0038 17/09/2009 Page 23 of 102


Siemens Devices IP

Change to 02 = PBX Address:

System: 0.0.0.0 Enter


02 = PBX Address?

Change to Edit IP:

PBX Address: Enter


Edit IP?

Enter
PBX Address:
001.040.031.070
Dot in IP address is equivalent to*-key!

Change to 03 = Subscriber number:

System: Enter
03 = Subscriber number?

Subscriber number: Enter


7376

If a password is needed-> change to 04 = Subscriber password:


This password has to be configured with AMO SBCSU with parameter IPPASSW.

System: Enter
04 = Subscriber password?

BR0038 17/09/2009 Page 24 of 102


Devices IP Siemens

Change to 00 = End:

System: Enter
00 = End?

Change to 00 = End:

Configuration: Enter
00 = End?

Save Changes? Enter


Yes

Change to 03 = Start Phone:

Administration: Enter
03 = Start Phone?

16:08 Th 01.07.04
7376 TI Munich

BR0038 17/09/2009 Page 25 of 102


Siemens Devices IP

b) Without DHCP:

Change into “Configuration”-Menu (push keys 1 0 3 simultaniously); -> By first installation


use Enter key:

Administration: Enter
01 = Configuration?

Enter admin password 123456 Enter

Configuration: Enter
01 = Network?

Netwerk: On Enter
01 = DHCP IP assign?

Change DHCP setting with arrow key to OFF , confirm with Enter.

Change to 02 = Terminal IP addr.:

Network: 0.0.0.0
02 = Terminal IP addr.? Enter

Enter
Terminal IP addr.:
001.040.031.006
Dot in IP address is equivalent to*-key!

BR0038 17/09/2009 Page 26 of 102


Devices IP Siemens

Change to 03 = Terminal mask:

Network: 0.0.0.0 Enter


03 = Terminal mask?

Enter
Terminal mask:
255.255.255.0
Dot in IP address is equivalent to*-key!

Change to 04 = Default route:

Network: 0.0.0.0 Enter


03 = Default route?

Enter
Default route:
001.040.031.254
Dot in IP address is equivalent to*-key!

Change to 00 = End:

Network: Enter
00 = End?

Change to 02 = System:

Configuration: Enter
02 = System?

BR0038 17/09/2009 Page 27 of 102


Siemens Devices IP

System: HiPath-4K-V1 Enter


01 = System type?

Choose system type with the arrow key:

System type: Enter


HiPath-4K-V2

Change to 02 = PBX Address:

System: 0.0.0.0 Enter


02 = PBX Address?

Change to Edit IP:

PBX Address: Enter


Edit IP?

Enter
PBX Address:
001.040.031.070
Enter dot with *-key!

Change to 03 = Subscriber number:

System: Enter
03 = Subscriber number?

Subscriber number: Enter


7376

BR0038 17/09/2009 Page 28 of 102


Devices IP Siemens

If a password is needed-> change to 04 = Subscriber password:


This password has to be configured with AMO SBCSU with parameter IPPASSW.

System: Enter
04 = Subscriber password?

Change to 00 = End:

System: Enter
00 = End?

Change to 00 = End:

Configuration: Enter
00 = End?

Save Changes? Enter


Yes

Change to 03 = Start Phone:

Administration: Enter
03 = Start Phone?

16:08 Th 01.07.04
7376 TI Munich

BR0038 17/09/2009 Page 29 of 102


Siemens

BR0038 17/09/2009 Page 30 of 102


Devices IP Siemens

3 optiClient 130 V5.0

3.1 Description
The optiClient 130 V5.0 is the succession product of the Version V2.5 for the HiPath 4000 V2.0
and the HiPath 3000. It supports the feature Direct Media Connection (DMC) and is connected
to a STMI2 board. The used protocol is HFA.

3.2 Installation and Settings


In this document only the basic steps are described. For detailed information please use the
Administration resp. User manual.
The installation will be started with the Setup.exe file. Then follow the menu of the installation
routine.

The optiClient 130 V5.0 can be installed with a 30-day-license for testing. to activate
this 30-day-license, you have to start the Setup.exe in the directory ..../Licensing/
CLA, on the PC and follow the menu of the installation routine.

BR0038 17/09/2009 Page 31 of 102


Siemens Devices IP

After starting the optiClient 130 V5.0 on the PC, the following settings and entries are required.

1.

2.
3.

If an user ID is added without a password, the login window will not be displayed for
future starts of the client. To get the login window, e.g. to change settings, it is nec-
essary to press the Shift-key during the client boot.

BR0038 17/09/2009 Page 32 of 102


Devices IP Siemens

3.

Select color scheme for the Client-sur-


face

BR0038 17/09/2009 Page 33 of 102


Siemens Devices IP

Example for Audio settings in the PC:


● Signal channel via Sound card
● USB Handset is used

BR0038 17/09/2009 Page 34 of 102


Devices IP Siemens

Select the desired Audio-Scheme and move it to the


upper position.

BR0038 17/09/2009 Page 35 of 102


Siemens Devices IP

In this menu it is possible to define the options for click in the display of the
Client.

Free phone can be


closed by clicking on
the display a second
time.

BR0038 17/09/2009 Page 36 of 102


Devices IP Siemens

There the symbols in the communication circuit and the image of the easy-
Com - design can be defined.

If you want to select


image to be represented
in colors that match the
current color scheme,
enable the option.

BR0038 17/09/2009 Page 37 of 102


Siemens Devices IP

Selection of phone type, Key module type and of maximum number of key
modules (0-4).

BR0038 17/09/2009 Page 38 of 102


Devices IP Siemens

Extension number of the optiClient from AMO WABE and


SBCSU.
User password from AMO SBCSU, Parameter=IPPASSW

IP address of the STMI2 board from AMO HFAB.

Type options are HiPath 3000 resp. HiPath 4000.

BR0038 17/09/2009 Page 39 of 102


Siemens Devices IP

Settings of the Central Office (CO) access:

BR0038 17/09/2009 Page 40 of 102


Devices IP Siemens

Bandwidth - and DMC control:

Teleworking deactivated -> G711 resp. setting in field Codec sequence


Teleworking activated with setting in the field Codec sequence -> G723 / G729
depending on the codec sequence in
AMO HFAB: TYPE=ASC -> CODECLIST

BR0038 17/09/2009 Page 41 of 102


Siemens Devices IP

Quality of Service settings (QoS for L2 and L3 are deactivated in standard):

BR0038 17/09/2009 Page 42 of 102


Devices IP Siemens

Under Server, enter the IP address of the PC on which the license server for optiClient 130
is installed. For a local installation of the license server (as in the illustrated example), enter
the local IP address or the address of the local host. If the license server is installed on the
network, enter its IP address on the network.

BR0038 17/09/2009 Page 43 of 102


Siemens Devices IP

Only the function keys F2 up to F11 of the PC can be used!

BR0038 17/09/2009 Page 44 of 102


Devices IP Siemens

3.3 Generating of the optiClient 130 V5.0 in the HiPath 4000 V2.0

1. Define the number of STMIHFA2 boards:

ADD-DIMSU:TYPE=SYSTEM,STMIHFA2=xx;

2. Define the number of optiClients:

CHANGE-ZAND:TYPE=CIT,APIMAX=xxx;
ADD-DIMSU:TYPE=APPLICAT,WSPROT=xxx;
(the same value xxx is to set in both AMOs!)

3. Add the STMI2 board:

ADD-BCSU:MTYPE=PER,LTG=1,LTU=2,SLOT=25,PARTNO=Q2316-x/Q2316-x10,
FCTID=3;

ADD-HFAB:MTYPE=STMIHFA2,LTU=2,SLOT=25,SMODE=NORMAL,
IPADDR=1.40.31.70,NETMASK=255.255.255.0,DEFRT=1.40.31.254;

4. Add the optiClient 7375 with TAPI:

ADD-SBCSU:STNO=7375,OPT=OPTI,CONN=IP2,PEN=1-2-25-0,
DVCFIG=OPTIIP&API,COS1=33,COS2=30,LCOSV1=9,LCOSV2=1,LCOSD1=9,
LCOSD2=1,DPLN=0,ITR=0,COSX=0,SPDI=30,REP=1,STD=101,SECR=NO,
INS=YES,HEADSET=NO,HSKEY=NORMAL,TEXTSEL=ENGLISH,
CALLOG=TRIES,APICLASS=TSX,IPPASSW=xxxxxxxx,IPCODEC=G711PREF;

For using the HiPath 4000 Headset, the parameter HEADSET= WITHIND is to be
set.
If a user password is set in the “HiPath-Provider “ settings, this password must
be set in the parameter IPPASSW.

5. Activate the authorization for Direct Media Connection (DMC) for the subscriber:

CHANGE-SDAT:STNO=7375,TYPE=ATTRIBUT,AATTR=DMCALLWD;

BR0038 17/09/2009 Page 45 of 102


Using the right mouse key in the main bar, the following functions can be selected:

3.4

BR0038
Siemens

17/09/2009
It is not possible to make basic changes in the “Setting-Menu”, like extension num-
ber, Gatekeeper, Audio settings etc. Do you want to make such changes, the “Set-
ting-Menu” has to be activated during the program start.
Devices IP

Short description of the user interface of the optiClients 130 V5.0

Page 46 of 102
Using the function button, the extended key pads (additional 8 resp. 13 function key pad, and the add on mod-
ules, if configured in the HiPath 4000), the callog and the internal phone book are shown. Furthermore the

BR0038
design of the Client (with easyCom communication circuit) can be controlled.
Devices IP

17/09/2009
Page 47 of 102
Siemens
Extended key pads. The add on modules can be fade in or fade out with the arrows.

BR0038
Siemens

17/09/2009
Devices IP

Page 48 of 102
Key descriptions can be changed individually (use the right mouse key on the desired key). If the phone type

BR0038
optiPoint 420 is selected, this function can not be used.
Devices IP

17/09/2009
Page 49 of 102
Siemens
Complete design with easyCom and an incoming call.

BR0038
Siemens

17/09/2009
Devices IP

Page 50 of 102
Devices IP Siemens

4 optiPocket V1.0

In this document only the installation in the HiPath 4000 V2.0, installation of the
Pocket PDAs and its settings are described. The configuration of the WLAN-Router
is not part in this documentation.

4.1 Feature description

The optiPocket software offers a mobile business telephony interface for high-end handhelds
(PDA). This provides secure access to voice and data in a LAN/WLAN environment (hotspots
and company campus, for example). As soon as you activate optiPocket, all incoming calls are
automatically diverted to your PDA, and you have simple telephone facilities. You enjoy online
access to your data and Microsoft Outlook, or you can dial a number from the Corporate Direc-
tory - just as conveniently as if you were in the office.
The optiPocket software can be used on almost all PDAs running under Microsoft Pocket PC
2003. The Voice-over-IP application uses a secure VPN solution for call set-up, and supports
the CorNet IP features in a WLAN environment.
On large company campuses, WLAN-Access-Points extend the range of the PDAs. Here, a
HiPath WLAN server enables realtime "Roaming", so that handover to the next WLAN Access
Point takes place without interrupting the flow of the conversation, even if the user is moving
quickly around the site.

BR0038 17/09/2009 Page 51 of 102


Siemens Devices IP

4.2 Usage

HiPath 4000
WLAN
HG3530V2 IP Network Access
Point
64530
IP-Address: 1.50.50.203 WEP-Key: xxxxxxxxxxx
Netmask: 255.255.255.0 SSID: e.g.: WLAN
Default-GW: 1.50.50.254 Authentification: shared

BR0038 17/09/2009 Page 52 of 102


Devices IP Siemens

5 W-LAN

5.1 optiPoint WL2 professional / S


The optiPoint WL2 professional/ professional Sis capability characteristics equipped with
a colored background-lit display and simple access to various. The Devices possess additional
applications like an extensive directory, language choice and an access to local enterprise
directories.

● Interfaces: WLAN, USB


● Environment: WLAN- and IP-Infrastructure and over
HiPath and/or SIP-based HiPath independent commu-
nication systems orders.
● Standards: WLAN, 802.11b (11 Mbit/s), 802.11g
(54Mbit/s), CorNet IP, SIP
● G.711 (a-law und µ-law)
● G.729ab (G.729a with VAD Voice Activity Detection)
● G.723 , G.722
● Advanced Echo Cancellation (AEC)
● ToS, DiffServ, 802.1q , 802.11e (WMM-Subset)
● 802.11g (Fall-Back to 802.11b)
● Frequency: 2,4 - 2,497 GHz
● Number of channel:
13 (ETSI) or 11 (Nordamerika)
● SSID
● WEP (64, 128 Bit) , WPA
● Telephone can be protected with PIN
● VPN-Client
● Authentifizierung (Login/Password)

BR0038 17/09/2009 Page 53 of 102


Siemens

BR0038 17/09/2009 Page 54 of 102


Devices IP Siemens

6 OpenStage IP

6.1 General Information


The OpenStage IP telephones are members of a completely new generation of end devices
that round out the existing end device portfolio.
The OpenStage IP product family contains four variants.
The OpenStage can only be used with a HiPath 4000 V4.0.

6.2 OpenStage 20

OpenStage 20 is a universal solution for efficient and professional telephony. Each subsequent
model contains expanded functionalities.
Properties:
– Tiltable graphical display with 2 lines, 205 x 41 pixel
– No backlit
– Monochrome display with 2 lines à 24 characters
– No visual call alert
– Fixed function keys (push buttons)
7 keys with 5 red LEDs (no LED for „release“ and „redial“)
– Volume adjustment via +/- keys
– No headset jack
– External power supply unit
– Integrated 10/100 MBit/s Ethernet switch
– Gigabit Ethernet variant optional
– Possible color in „iceblue“ and „lava“

BR0038 17/09/2009 Page 55 of 102


Siemens Devices IP

6.3 OpenStage 40

With it’s ability to be customized for various workplace environments OpenStage 40 T is rec-
ommended to be used as office phone, e.g. for desk sharers, people working in teams or call
center staff.
Properties:
– Tiltable graphical display with 6 lines, 240 x 126 pixel
– Backlit
– Monochrome display 5,1 inch (diagonal)
– Visual call alert with red LEDs
– Fixed function keys (push buttons)
8 keys with 6 red LEDs (no LED for „release“ and „redial“)
– Programmable touch/sensor keys
6 (the shift key enables programming on 2nd level for name keys)
– Volume adjustment via +/- keys
– Headset jack for corded (121 TR9-5) and cordless (121 TR9-5*) headset
– External power supply unit
– Integrated 10/100 MBit/s Ethernet switch
– Gigabit Ethernet variant optional
– Possible color in „iceblue“ and „lava“

BR0038 17/09/2009 Page 56 of 102


Devices IP Siemens

6.4 OpenStage 60

Offers top notch functionality and innovations with a maximum of usability combined with a
clear intuitive and sleek design. It’s functionality and personalization options make this phone
the first choice for boss-/secretary environments and people interacting with other devices, like
mobile phones or PDAs.
Properties:
– Tiltable graphical display with 320 x 240 pixel (QVGA),
TFT backlit
– Color display 5,7 inch (diagonal) with 16-bit color depth, 65.000 colors
– Visual call alert with blue LEDs
– Fixed function keys (push buttons)
6 keys with 6 blue LEDs (no LED for „release“)
– Programmable touch/sensor keys
8 (the shift key enables programming on 2nd level for name keys), 8 blue LEDs
(functionality of the programmable keys similar to the optiPoint)
– Volume adjustment via touchslider with blue/white LEDs
– Headset jack for corded (121 TR9-5) and cordless (121 TR9-5*) headset
– External power supply unit
– Integrated 10/100 MBit/s Ethernet switch
– Gigabit Ethernet variant optional
– HTML browser / XML interface
– Bluetooth 2.0, USB
– Possible color in „iceblue“ and „lava“

BR0038 17/09/2009 Page 57 of 102


Siemens Devices IP

6.5 OpenStage 80

Premium features, materials and components turn this device into an extraordinary user expe-
rience. The best in class LCD display and open interfaces for easy synchronization with other
devices, like PDA and mobile phone are specially designed with the needs of the top level man-
ager and executive in mind.
Properties:
– Tiltable graphical display with 640 x 480 pixel (VGA),
TFT backlit
– Color display 6,4 inch (diagonal) with 16-bit color depth, 65.000 colors
– Visual call alert with blue LEDs
– Fixed function keys (push buttons)
6 keys with 6 blue LEDs (no LED for „release“)
– Programmable touch/sensor keys
9 (the shift key enables programming on 2nd level for name keys), 9 blue LEDs
(functionality of the programmable keys similar to the optiPoint)
– Volume adjustment via touchslider with blue/white LEDs
– Headset jack for corded (121 TR9-5) and cordless (121 TR9-5*) headset
– External power supply unit
– Integrated 10/100 MBit/s Ethernet switch
– Gigabit Ethernet variant optional
– HTML browser / XML interface
– Bluetooth 2.0, USB
– Possible color „aluminium“

BR0038 17/09/2009 Page 58 of 102


Devices IP Siemens

6.6 Key Modules

● The maximum number of key modules is 2.


● A busy lamp field and key modules can not be combined.
● Even if only one key module is connected, it requires an external power supply
because the two large displays (in the end device and key module) have a higher power
consumption than the optiPoint and cannot be supplied by the UP0/E interface.

BR0038 17/09/2009 Page 59 of 102


Siemens Devices IP

6.7 Key assignment


OpenStage telephones have fixed keys. For this reason, the correct standard key layouts must
be assigned. The variable keys start from key 9 onwards.
● Shift key
A Shift key can also be configured on OpenStage terminals (previously this was only possible
on key modules). This is achieved with the AMO TAPRO or via the Service menu on the termi-
nal.
When the SHIFT key is pressed on an optiPoint key module, the same action is performed on
all other key modules. In other words, the SHIFT level is also activated on the second and
fourth key modules.
This is not the case on OpenStage telephones and key modules. In this case, the SHIFT level
is only activated on the telephone/key module on which the SHIFT key was pressed.
● Tapro
CHANGE-TAPRO:STNO=<station number>,KYxx=SHIFT;

xx must be greater than 08 since the first 8 keys are fixed. Only key 9 onwards can
be freely assigned!

● Separate key standard for an OpenStage 40:


CHANGE-TAPRO:SNU=122,DIGTYP=OPENST40,TD09=xx,,,,,,INFO="OPENSTAGE 40";

BR0038 17/09/2009 Page 60 of 102


Devices IP Siemens

7 OpenStage Manager

7.1 General
OpenStage Manager is a comprehensive tool for your telephone.
The main function of OpenStage Manager is to act as an interface betweenyour telephone and
your PC for convenient PC-based phonebookadministration. OpenStage Manager also allows
you to synchronize contacts from Microsoft Outlook and Lotus Notes with your telephone con-
tacts.
In addition, you can use OpenStage Manager to configure various telephone settings conve-
niently via your PC. These settings include programming keys and adjusting graphic display or
audio settings.

7.2 Installation
● Installation of Microsoft.NET2.0
● Installalation of OpenStage Manager Software
● Telephone registration via the service program of OpenStage Manager (ServiceLayer) -
see next figure

BR0038 17/09/2009 Page 61 of 102


Siemens Devices IP

7.3 Log on
Your phone must be logged on to the OpenStage Manager ServiceLayer utility before it can
establish a connection with the OpenStage Manager installed on your PC.

These settings are


necessary

The Password must also be set by the phone (in the User settings).

If the connection is established between the


phone and the OpenStage device an icon in
the windows system tray is visible.

BR0038 17/09/2009 Page 62 of 102


Devices IP Siemens

7.4 Start Program


You can access OpenStage Manager via the following path:
Start --> Programs --> Siemens --> OpenStage Manager
When starting the OpenStage Manager for the first time all data saved on the telephone will be
copied to the computer. Depending on the pack of data, this can take several minutes.

7.5 Phone Book Maintenance


With the help of the Phone Book Maintenance you can create, edit and delete contacts.

BR0038 17/09/2009 Page 63 of 102


Siemens Devices IP

You can manage images and assign them to individual contacts in the Phonebook Editor using
the Images tab. You may save a maximum of 20 images, the following data format are supported:
● .png (Portable Network Graphics)
● .jpg (JPEG)

First you have to download the pictures to the OpenStage Phone Manager, then you can allo-
cate a image to a contact.

BR0038 17/09/2009 Page 64 of 102


Devices IP Siemens

BR0038 17/09/2009 Page 65 of 102


Siemens Devices IP

7.6 Search functionality


By using the search function of the Phonebook-Editor you can search the contact table for
certain terms and definitions. You can restrict the search process on only one column (e. g. First
Name) or expand it on several columns.

7.7 Synchronization

Automatic synchronization allows you to synchronize data in your phonebook with Outlook con-
tact data (or Lotus Notes contact data). There are three options for doing this:
● OpenStage Phone --> Outlook contacts
● OpenStage Phone <-- Outlook contacts
● Both ways

BR0038 17/09/2009 Page 66 of 102


Devices IP Siemens

7.8 Screensaver
You can upload pictures in the screensaver area.

BR0038 17/09/2009 Page 67 of 102


Siemens

BR0038 17/09/2009 Page 68 of 102


Devices IP Siemens

8 AC-WIN IP
The comfort operator´s position AC-Win IP V1.0 of the Realtime-IP-Systems HiPath 4000 V2.0
/ V3.0 is a Windows®-application being based on a PC.
According to size of the system and the company structure one or several operator positions
can be fit out. The up to 60 different service features AC-Win are by means of a Windows sur-
face easy help. They facilitate for example of external or internal calls. The arriving calls know
in two (AC-Win 2Q IP V1.0) or twelve queues (AC-Win MQ IP 1.0) to be represented.

8.1 Systemconcept
The activation of the comfort operator´s position AC-Win IP V1.0 occurs about IP at a HG3530
V2.0 in a system HiPath 4000 V2.0 / HiPath 4000 V3.0.
At the PC the USB-Device (Handset and Headset) are connected that. At the PC it concerns a
commercial execution, hoever the tested Fujitsu-Siemens-PCs are recommended.
The offered functionalty is provided exclusvely by means of software.

BR0038 17/09/2009 Page 69 of 102


Siemens Devices IP

8.2 Variants from ACWIN IP


a) ACWIN 2Q IP

BR0038 17/09/2009 Page 70 of 102


Devices IP Siemens

b) ACWIN MQ IP

BR0038 17/09/2009 Page 71 of 102


Siemens Devices IP

8.2.1 Hardware
● For AC-Win IP V1.0 (AC-Win 2Q IP V1.0 and AC-Win MQ IP V1.0)
– Windows XP Professional with Service Pack 2
– Pentium® 4 with at least 1,7 GHz
– RAM: at least 512 Mbyte
– Harddisk: at least 256 Mbyte free non removable disk capacity
– At least 19"- Screen (1240 x 1024 )
– CD-ROM- or DVD-Device
– Sound-Card
– Multimedia-Keyboard
– For AC-Win IP approved USB-Hand-/Headset
● Supported Communication systems
– HiPath 4000 V2.0
– HiPath 4000 V3.0
– HiPath 4000 V4.0
● Applications which can be used with AC-Win IP V1.0
– DS-Win V3.0
– BLF-Win V3.0
– ASC V5.0

8.2.2 Initial operation


After the installation, or with
Start->Programs->AC-Win [2Q|MQ] IP->AC-Win IP Configuration
the configuration interface is displayed. The first window displayed is the "Main connections"
window.
There the IP address of the Common Gateway (Registration Address), the extension number
(Admin number), the used headset (Mixer and Wave settings) and the license server must be
filled out. Optional the address of the DLS can be set. The default language is english. This can
be changed.

BR0038 17/09/2009 Page 72 of 102


Devices IP Siemens

8.2.3 Entering general data


After starting the AC-Win IP configuration, the following dialog window is displayed:

Registration address: the IP address of the HiPath 4000 IP gateway (STMI2 module/Com-
mon Gateway).
Admin number: AC-Win number which is used with the Admin user ID.
Admin password/Retype admin password: If a password is assigned when setting up the
AC-Win number in the HiPath 4000, enter it here. Otherwise, an arbitrary password can be
assigned for use when logging on to AC-Win.
Note: The password is case-sensitive.
Mixer, Microphone, Speaker: Specify the audio I/O device (headset) to be used with AC-Win
here.
Note: Before these values are specified, the headset must be connected.
Only then can the corresponding I/O devices be selected. If these values are not set, AC-Win
will not operate.
After filling out these parameters „Save settings“ must be done.

BR0038 17/09/2009 Page 73 of 102


Siemens Devices IP

8.2.4 Licensing

Server IP Address: Enter the IP address of the computer on which the CLA (Common License
Agent) application is installed.
After doing the settings concerning the license a restart of the PC is necessary!

BR0038 17/09/2009 Page 74 of 102


Devices IP Siemens

8.2.5 DLS/DLC Configuration

DLS deployment enabled: specifies whether or not the central configuration is to be used.
Connection: Specify here whether all DLS services are to be used, or only the encryption of
voice packets.
Server (DLS):
– Address: IP address or DNS name of the DLS.
– Port: port number of the DLS
Client (DLC):
– Address: AC-Win IP address to be used for communication with the DLS.
– Port: port number of the DLS connection on the AC-Win PC.
– Network card: MAC address at which the data will be stored on the DLS.

BR0038 17/09/2009 Page 75 of 102


Siemens Devices IP

8.2.6 General settings

● Program type: shows which attendant console (2Q/MQ) is installed.


● Software version: software version of the installed AC-Win application.
● Selected language: from this list, you can select one of the AC-Win languages.

BR0038 17/09/2009 Page 76 of 102


Devices IP Siemens

8.2.7 Voice Recording


Use this dialog to make settings for digital voice recording at the attendant console.

● Voice recording active: This setting activates voice recording in AC-Win.


Note: In the HiPath 4000, use AMO ZAND to set the parameter TAPALOW =YES in the
ATND branch.
● Automatic tape recording: If this setting is activated, voice recording starts automatically
(without pressing the record button) after a call is taken.
● Voice recording directory: This is the directory where the digital speech files (.wav files)
are stored.
Note: We recommend that you use a local directory. With network drives, delays can result.
● Voice recording beeps: When this setting is active, a beep is played at intervals while a
conversation is being recorded.
● Beep wave file location: here you can select the *.wav file with the voice recording beeps.

BR0038 17/09/2009 Page 77 of 102


Siemens Devices IP

8.2.8 Settings in the AC for automatic voice recording


Select the menu Extra in the AC-WIN settings.

The "Automatic tape recording" function can be started on the left side.

BR0038 17/09/2009 Page 78 of 102


Devices IP Siemens

8.2.9 Deinstallation of the AC-Win IP


An installed AC-Win IP V1.0 variant can be deinstalled at anytime. Therefor open the folder
"system" (Start -> settings) and start the application "software". Select the setting AC-Win 2Q
IP resp. AC-Win MQ IP and select "change/remove"- button.

BR0038 17/09/2009 Page 79 of 102


Siemens

BR0038 17/09/2009 Page 80 of 102


Devices IP Siemens

9 License Management

9.1 Basic Information

9.1.1 Introduction
Whether you are a customer or a sales partner, License Management provides you with a
userfriendly and efficient license management tool for all your licensing needs. With License
Management, you can license a range of different products, for example communication sys-
tems, workpoint clients, applications, etc. You can apply for a license via the Internet. The rel-
evant products are activated immediately. If you are a sales partner, you can also purchase
multiple license packages and manage these using License Management.
● License Management consists of the following components:
– Central License Server/License Server (CLS)
– Customer License Client/License Client (CLC)
– Customer License Agent/License agent (CLA)
– Customer License Management/License Management (CLM)

CLC, CLA and CLM can be operated together on the product PC

Additional
PC

Admin - PC
CLS Internet
Product
(CLM) CLM
(for HW)
or PC
(for SW) CLA

CLC
LAN

BR0038 17/09/2009 Page 81 of 102


Siemens Devices IP

● Central License Server/License Server (CLS)


License files are requested via the License Server (CLS) and are created there by a license
generator. License applications are made over the Internet. Customers are allowed a
grace period, for example, 30 days (depending on the product) after product purchase or
installation to apply for a license. The product functions properly during the grace period
but ceases to work when this period runs out. The license server also manages the license
agents and the product licenses allocated to the license agents. Each customer or sales
partner has an individual license account (=user) on the CLS. These accounts can be
administered at the CLS over a separate Web-based interface. Available and previously
purchased licenses can be displayed. Licenses can also be transferred from one license
agent to another. A hierarchical structure of accounts is employed here so that every user
who sells software licenses to sub-contractors can create users, assign licenses, and man-
age user authorizations on behalf of these sub-contractors. This is supported by the use
of different user levels.
● Customer License Client/License Client (CLC)
The CLC represents the interface between the product and the CLA. The product can use
the CLC to query CLA and find out if a valid license is available. The CLC is a key compo-
nent of the product to be licensed and is contained in the product’s installation.
● Customer License Agent/License agent (CLA)
The License Agent (CLA) is a software application that is installed either on the PC with
the product(s) or on an administration PC that is connected to the product PC in a common
network. This application automatically starts running in the background as soon as it is
installed on the PC. The License Agent (CLA) saves the acquired product licenses and
makes them available to the products. The product queries the CLC to find out if the license
entered is valid or not. The CLA checks the request and releases the software if the license
is valid. While there is only one CLA per PC, there can be several CLAs in a network, dis-
tributed over several PCs A CLA can manage licenses for an individual product or several
products.
● Customer License Management/License Management (CLM)
The CLM can be installed on the product, on the administration PC together with the CLA
or on any PC in the network. The CLM accesses the license agent(s) over the network.
The CLM features an interface to the CLS and the CLA that can be used to manage various
License Management processes, such as activating a license or displaying the current
license distribution for the individual products. The CLM is a Web application. The CLM is
connected to the CLS over the Internet.

BR0038 17/09/2009 Page 82 of 102


Devices IP Siemens

● You can use License Management to


– activate licenses for a product,
– retrieve licenses for a product or license agent,
– manage license agents,
– etrieve products and product features for a license agent,
– create group members for a feature and bring together in groups,
– retrieve networked computers that use License Management,
– display configuration and error logs.

BR0038 17/09/2009 Page 83 of 102


Siemens Devices IP

9.2 Customer License Agent


The License Agent manages all license files required by the Central License Server (CLS) and
should therefore be installed in every network containing licensed products. In the case of stan-
dalone configurations, the License Agent is installed on all PCs containing products that require
licensing. The license files can be requested either via the License Management tool (CLM,
Customer License Management) or directly via the License Server. The License Agent checks
the validity of the license files and enables the licensed products.
● Software requirements

Operating systems Windows NT 4.0 Workstation or Server (Service Pack 6 or later)


Windows 2000 Professional or Server
(valid for all Service Packs)
Windows XP Home or Professional
(valid for all Service Packs)
Windows 2003 Server
Installation rights Administrator
DNS DNS must be correctly configured so that the response times for
(Dynamic Name Solution) name resolution (computer name for IP address) are as short as
possible.
SNMP The SMNP service must be activated.
TLS protocol The TLS protocol must be available.
Free IP address The IP address 224.0.23.23 must not be assigned in the exi-
224.0.23.23 sting network because it is needed by the software (for multi-
cast). The IP address must be changed if it was already assi-
gned in the current network.
Additional software A firewall should be configured so that the multicast address
and all ports are accepted. Rejections, enquiries or separate
authentication block the License Agent.

BR0038 17/09/2009 Page 84 of 102


Devices IP Siemens

● Hardware requirements

Processor power At least Pentium II 400 MHz, if possible Pentium 4.


Memory At least 128 MB, if possible 256 MB or more.
Disk space Approximately 5 MB of free disk space on the installation drive
for the software.
The size of the CLA database depends on the products installed
and licensed.
Disk space is also required for the trace and log files:
- Default size for trace files: 100 MB, max. 200 MB.
- Log files are limited for the most part by the variable
length of the time period - their absolute size is potentially
unlimited.
Additional hardware LAN card.

9.2.1 Installation of the CLA


The License Management software consists of two components: License Management and
License Agent. The two components share the same setup routine. This routine allows you to
install License Management, License Agent, or both components together.
The CLA service starts up automatically as soon as the License Agent is installed.

>
You can also install the two components, License Management (CLM) and License
Agent (CLA), separately (the common setup routine is not used). The setup pro-
gram for this (setup.exe) is located in the corresponding subdirectory "...\Clm"
or"...\Cla". This program allows you to change the installation path and the
default values of the configuration data during the installation.

>
If License Management and License Agent are to be installed on the same PC, you
need to make certain that License Management is either installed together with the
license agents or, in the case of a standalone installation, before the license agents.
In this case, the login to the license agent is not reuqired in License Management.
In all other cases, you need to log on to the license agent in License Management.

BR0038 17/09/2009 Page 85 of 102


Siemens Devices IP

● Important hint for installing License Management and License Agent on different PCs
If you install a License Agent on a PC that does not have License Management installed, you
can only administer this License Agent with License Management via the network. License
Management must be installed on another PC in the network for this. To avoid unauthorized
use, access to a License Agent via the network is protected. When you install the License
Agent, you are therefore prompted to specify a user as the administrator of the License Agent.
At a later stage, this user must log on to the License Agent via License Management using his/
her user name and password.
The following dialog then appears during the installation:

● Default User
This option configures the user who is logged on to the PC and who is performing the installa-
tion as the administrator for the license agent. When logging on to the license agent, the user
must enter their user name and password.

BR0038 17/09/2009 Page 86 of 102


Devices IP Siemens

● New User
This option allows you to set up another, already existing user as the administrator for the
License Agent. The user name must, however, be known on the PC or in the domain of the PC.
In order to prevent mistakes and misunderstandings (such as when the same user identification
is used on the local computer and in a domain), it is important that you also enter the domain
name with the user name ("user name@domain name"). This is imperative if users want to
identify themselves over a domain. When logging on via License Management, this user name,
including the domain name and password, must also be entered. The domain name must be
entered during logon if a local ID is used on the PC with License Agent installed.

You do not need the user password while you are installing the License Agent. To log on to the
the license agent from License Management at a later stage, the user name and password
must be entered in full.

BR0038 17/09/2009 Page 87 of 102


Siemens Devices IP

9.2.1.1 Standalone Setup


1. Insert the setup CD in your CD/DVD drive. If the setup routine does not start automatically
(AutoRun function disabled), use Windows Explorer to open the setup.exe file from your
CD/DVD drive.
2. The InstallShield Wizard starts and guides you through the setup routine. Confirm with the
Continue button.
3. Select whether you want to install only the License Agent, only License Management, or
both components.

Click Continue.
4. Start the License Agent installation by clicking Start. The necessary files are copied to the
installation directory specified.
During the installation, the following configuration data are automatically set to the values
given in the table:

BR0038 17/09/2009 Page 88 of 102


Devices IP Siemens

Configuration data default value


Service Port Number 61740
License error log size (days) 180
License audit trail size (days) 180

If you clicked the Dialog to change the default settings option, the setup program dis-
plays an additional configuration dialog where you can change the configuration data dur-
ing setup. You can also modify the configuration data after installation by selecting Start |
Settings | Control Panel | Software | Change or Remove Programs | License Agent.
The setup program for the License Agent displays the progress of the installation and ends
automatically following installation.

BR0038 17/09/2009 Page 89 of 102


Siemens Devices IP

9.3 License Management (CLM)


The License Management is a browser-supported application that can be used to request
licenses from the central license server (CLS) and activate them on a customer license agent
(CLA). A further function of the License Management is the management of the licenses on the
license agents. In a network, the License Management only needs to be installed once. For the
other users in the network, access to the License Management can be set up in the License
Management later on.
● Software requirements

Operating systems XP/2000/2003


Rights Administrator
Additional software ● Java Runtime Environment, JRE 1.4 for Windows
● Tomcat Servlet Engine
(contained on the installation CD)
Browser ● Internet Explorer as of version 5.5 Service Pack 2
● Netscape Navigator as of version 7.1
Cookies and JavaScript must be enabled.
If you are using a proxy server, you should deactivate the "By-
pass proxy server for local addresses" option under the LAN
settings in the browser.

● Hardware requirements

PC performance Min. Pentium II 400 MHz, preferably Pentium 4


RAM 256 MB or more
Hard disk memory Approx. 50 MB free hard disk memory on the installation drive
(incl. JRE and Tomcat Servlet Engine)
Additional hardware LAN card

BR0038 17/09/2009 Page 90 of 102


Devices IP Siemens

9.3.1 Installation of the CLM


The License Management software consists of two components: License Management and
License Agent. The two components share the same setup routine. This routine allows you to
install License Management, License Agent, or both components together.

You can also install the two components, License Management (CLM) and License
> Agent (CLA), separately (the common setup routine is not used). The setup program
for this (setup.exe) is located in the corresponding subdirectory "...\Clm"
or"...\Cla". This program allows you to change the installation path and the de-
fault values of the configuration data during the installation.

If License Management and License Agent are to be installed on the same PC, you
> need to make certain that License Management is either installed together with the
license agents or, in the case of a standalone installation, before the license agents.
In this case, the login to the license agent is not reuqired in License Management.
In all other cases, you need to log on to the license agent in License Management.

If your system supports a firewall (automatically the case for Windows XP SP 2 or


> later), then you must take into consideration the required ports/applications for your
network. If browsers in your network are to access an installed CLM, then you need
to activate the appropriate HTTP or HTTPS ports (default settings 8818 and 8819).
If License Management is to access license agents in the network, then the license
agent service port (default setting 61740) on the license agent PCs must be activat-
ed. In order for License Management to be able to search for license agents in the
network, multicast must be activated on port 23232 for IP address 224.0.23.23.

BR0038 17/09/2009 Page 91 of 102


Siemens Devices IP

9.3.1.1 Standalone Setup


1. Insert the setup CD in your CD/DVD drive. If the setup routine does not start automatically
(AutoRun function disabled), use Windows Explorer to open the setup.exe file from your
CD/DVD drive.
2. The InstallShield Wizard starts and guides you through the setup routine. Confirm with the
Continue button.
3. Select whether you want to install only License Management, only the License Agent, or
both components.
If you click the Dialog to change the default settings option, the setup program will offer
you an additional dialog during setup where you can change the default values of the con-
figuration data. You can also change these default values after the successful installation.

4. Start the License Management installation by clicking Start. The necessary files are copied
to the installation directory specified. During the installation, the following configuration
data are automatically set to the values shown below:
– HTTP port: 8819

BR0038 17/09/2009 Page 92 of 102


Devices IP Siemens

– HTTPS port: 8818


– Shutdown port: 8820
The HTTP port and the HTTPS port are needed for setting up the connection from the Web
browser to License Management. In the case of a connection over the HTTPS protocol, all
data is transmitted in encrypted format.
The shutdown port is needed to exit the license management service (Tomcat Servlet
Engine) on the local license management system.
5. The shared installation routine shows you the currently installed versions of the License
Management and the license agents (if installed). Click on the Finish button.

BR0038 17/09/2009 Page 93 of 102


Siemens Devices IP

9.4 Working with License Management

9.4.1 License Management Contents Page


The License Management contents page appears as soon as License Management is started
up. You do not have to log on to License Management to see this page. However, access to
some license agents can be restricted by the allocation of user names and password. If this is
the case, you must log on to the license agent with License Management.
This contents page provides you with an overview of the License Management functions on the
left in the navigation area. Important initial actions and information are provided in the work
area.
Content of the License Manager

BR0038 17/09/2009 Page 94 of 102


Devices IP Siemens

9.4.2 License Management Setup


You have clicked the License Management setup button under Actions for License Manage-
ment on the contents page. The general License Management settings are shown here.
The settings provided vary depending on whether "expert mode" has been set.

BR0038 17/09/2009 Page 95 of 102


Siemens Devices IP

9.4.3 Activating Licenses


You have clicked the Activate license button under Actions for License Management on the
contents page. Various ways of activating a license are displayed. However, you must have
done the following before you can activate a license:
1. The software has been ordered or purchased from the dealer.
2. You have received an appropriate license authorization code. The license authorization
code identifies you as the legal user of the software. You can now activate the software via
the License Management.

>
You cannot use License Management to order licenses. You can only activate the
purchased software for your PC.

The options available to you depend on whether or not "expert mode" has been enabled . The
additional options that are only available in expert mode are indicated as such in the following.

You can select from a choice of three (in expert mode, four) preset licensing types:
– Create license key and install on license agent (online activation).
The license is generated immediately by the license server and installed on a license
agent.
– Create license key and save locally (online connection required)
The license is generated immediately by the license server and can be installed on a
license agent later on.

BR0038 17/09/2009 Page 96 of 102


Devices IP Siemens

– Install local license key on license agent (offline activation)


The license is already activated and you have a license file or a license string. You can
now install this license file or license string on a license agent.
– Retrieve/restore a previously generated license (online)
(only in expert mode)
Select this item if you have just installed new systems, for instance, and would now like to
restore existing license files.
● Selecting the licensing type
1. Select one of the licensing types listed above.
2. Click Continue.

9.4.4 Products
You have selected Products in the navigation area. A list of products for all available license
agents is now displayed in the work area. If a product is installed on several license agents, it
will also be displayed several times in the product list. If you click the “+” symbol in front of the
menu item Products in the navigation area, a list of all products in the product list is displayed.

● Further information/actions for a product


If you click the icon in the Details column for a product in the product list, detailed informa-
tion and additional actions are displayed for this product.
● Product licenses for this product
If you click a product in the product list or in the navigation area, an overview is displayedof
all licenses for that product.
● All products for a license agent
If you click a license agent in the list of products, an overview is displayed of all products
installed on that license agent.

BR0038 17/09/2009 Page 97 of 102


Siemens Devices IP

9.4.5 License Agents


You have selected the License agents menu item in the navigation area. A list of all license
agents found is now displayed in the work area. The menu item License agents also opens in
the navigation area. All license agents with the connection status connected are displayed
here.
If you use a firewall in your system (e.g. Windows XP SP 2 or later), the service port must be
activated in the firewall of the license agent’s system so that License Management can request
data from a license agent. The default setting for a license agent is port 61740.
If License Management is to find license agents in a network, access to the multicast port
23232 for IP address 224.0.24.24 must also be taken into account.

● Further information/actions for a license agent


Detailed information and additional actions are displayed for a license agent if you click the
icon in the Details column for a license agent in the list of license agents.
● All products for a license agent
If you click a license agent in the list of license agents or in the navigation area, an over-
viewof all products installed on this license agent appears.

BR0038 17/09/2009 Page 98 of 102


Devices IP Siemens

9.4.6 Computer
You have selected the Computer menu item in the navigation area. A list of all network com-
puters whose installed products use CLA via the CLC is displayed in the work area. The prod-
ucts installed on the computer must be activated for a computer to be displayed in the list. If
there are several products installed and activated on the same PC, this PC appears several
times in the list, with a separate line for each activated product.

● Computer features
If you directly click a computer in the list of computers or in the navigation area, a feature
overview of all products installed on the selected computer is displayed.
If several products are activated on the same PC, there is a separate entry in the list of PCs
for each product. The top entry for the corresponding PC contains the link to the features
that all products on this computer are using.
● Computer feature details
Detailed information on the computer features is displayed.

BR0038 17/09/2009 Page 99 of 102


Siemens Devices IP

9.4.7 Logs
You have selected the Logs menu item in the navigation area (only possible in expert mode).
You can display the different logs for the selected license agents here.

● License audit trail


Changes in the license configurations are documented here.
● License error log
Incomplete license requests and abandoned connections are listed here.

BR0038 17/09/2009 Page 100 of 102


Abbreviations Siemens

Abbreviations

This table shows some important abbreviations.

Abbreviation Definition

A
AMO Administration and Maintenance Operation

C
CLA Customer License Agent
CLC Customer License Client
CLM Customer License Management
CLS Central License Server

D
DLC Deployment Client
DLS Deployment and Licence Service
DNS Dynamic Name Solution

H
HTTP HyperText Transfer Protocol
HTTPS HyperText Transfer Protocol Secure

I
IP Internet Port

J
JRE Java Runtime Environment

L
LAN Local Area Network
LCD Liquid Crystal Display
LED Light Emitting Diode

P
PDA Personal Digital Assistant

Q
QVGA Quarter Video Graphics Array

BR0038 17/09/2009 Page 101 of 102


Siemens Abbreviations

S
SNMP Simple Network Management Protocol

T
TFT Thin-Film Transistor
TLS Transport Layer Security

U
USB Universal Serial Bus

BR0038 17/09/2009 Page 102 of 102


Siemens

Informativo Téccnico

90
BR0049
© 2009 Siemens Enterprise Communications - APT-LAM
Informativo Técnico
Siemens Enterprise Communications
Technology Support Center São Paulo

Como configurar ramal IP HFA.

: IT 2008 Hipath 4000 V4.0 DOC 0016 Configurar Ramal IP


Documento
HFA.Doc
Categoria : HiPath 4000
Principal : Hipath 4000 V4.0
Versão : 1.0
Autor: : Thiago Roldão Pinheiro Costa

É válido o documento visualizado via ISI em https://sistemas.siemens.com.br/isi/

As informações contidas neste documento são de propriedade de Siemens


Enterprise Communication. Não poderão ser usadas, reproduzidas ou divulgadas a
terceiros salvo quando especificamente permitido por escrito pelo proprietário. O
recebedor destas informações, ao detê-las e usá-las, concorda em proteger as
mesmas contra perda, roubo ou uso indevido. Esse documento é cópia não
controlada quando impresso no todo ou em partes.
Como configurar ramal IP HFA.

Histórico de Versões

Versão Data Descrição Autor


1.0 3/05/08 Criação do documento Thiago Roldão P. Costa

Autores

Autor Departamento Fone/Fax e-mail Capítulos


Thiago Roldão P. Costa SEN CS RS TSC 11 38172655 thiago.roldao@siemens.com Integral

Referências

Título do Documento Versão Autor Link Emitido em


e-Doku Siemens AG http://apps.g- 2008-05-3
dms.com:8081/techdoc/search
_en.htm

Produtos envolvidos

Modelo Versão Comentário


HiPath 4000 V4 R1.6.0

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 2/9


Como configurar ramal IP HFA.

Conteúdo

1 Introdução............................................................................................................................... 4
2 Como utilizar esse documento ................................................................................................... 4
3 Objetivo .................................................................................................................................. 4
4 Itens básicos............................................................................................................................ 5
4.1. Software para os terminais IP............................................................................................ 5
4.2. Módulo HG3500 – STMI4. ................................................................................................. 5
4.3. Terminais IP suportados. .................................................................................................. 5
4.4. Políticas de QoS ............................................................................................................... 5
5 Topologia. ............................................................................................................................... 6
6 Configura o Hipath 4000. .......................................................................................................... 7
6.1. Configurar o AMO BFDAT. ................................................................................................. 7
6.2. Configurar o AMO BCSU. ................................................................................................... 7
6.3. Configurar o AMO CGWB................................................................................................... 8
6.4. Criar o ramal no Hipath 4000 ............................................................................................ 9

Lista de Figuras

Figura 9: Topologia. ....................................................................................................................... 6

Lista de Tabelas

Tabela 1: Endereços IP. .................................................................................................................. 6

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 3/9


Como configurar ramal IP HFA.

1 Introdução

Esse informativo técnico visa orientar nossos colaboradores e parceiro, quanto ao procedimento
para configurar um ramal IP com o protocolo HFA no HiPath 4000 V4.0.

2 Como utilizar esse documento

Sugerimos ao profissional fazer uma primeira leitura deste documente para assimilar cada etapa
e posteriormente iniciar as configurações sugeridas em cada módulo.

Leia cada capítulo e respeite a seqüência aqui exposta, pois, um módulo que esteja no capítulo
de número “1000” dependerá da configuração do módulo que está no capítulo de número “999”.

Caso tenha dificuldades em proceder com as configurações aqui expostas, solicite ajuda através
de um chamado (0800149002), pois, dependendo do erro a melhor solução será refazer todas as
configurações desde o inicio.

3 Objetivo

• Configurar o módulo STMI no HiPath 4000.


• Definir o endereço IP do módulo STMI.
• Configurar dois ramais com o amo SBCSU.

Boa sorte e bom trabalho!!!!!!!!!!!!!

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 4/9


Como configurar ramal IP HFA.

4 Itens básicos.

4.1. Software para os terminais IP.

O primeiro passo é atualizar os terminais IP com a última versão de software que esteja
disponível no site do SWS ou no site do ISI. Caso tenha dificuldades, solicite o software diretamente ao
suporte, através de um chamado.

4.2. Módulo HG3500 – STMI4.

Na versão Hipath 4000 V4.0, somente o módulo STMI4 está liberado para uso em clientes. O
antigo módulo STMI2 poderá ser utilizado nos casos em que o módulo STMI4 não poderá ser fornecido
de imediato e para que o cliente não fique esperanto, o módulo STMI2 poderá ser fornecido.

4.3. Terminais IP suportados.

Toda a linha OptiPoint 410.


Toda a linha OptiPoint 420.
Toda a linha OpenStage.
OpitClient 130.

4.4. Políticas de QoS

O cliente deverá aplicar políticas de QoS nos equipamentos da rede (Roteadores, Switches) para
garantir que o trafego de voz e sinalização, proveniente dos aparelhos IP e do módulo HG3500 tenham
prioridade em relação ao trafego de dados.

Caso as políticas de QoS não sejam aplicadas, não será possível garantir que a solução VoIP irá
funcionar corretamente, pois, poderá ocorrer falhas na comunicação, como: Ruído, Chiados, Echo,
Picotes (Chamada chega faltando partes), Atrasos, etc...

Importante: Qualquer duvida quanto aos itens acima, contate o suporte ou o gerente responsável pelo
projeto.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 5/9


Como configurar ramal IP HFA.

5 Topologia.

Para os testes, será utilizado uma central telefônica modelo Hipath 4000 V4.0 com uma bandeja
de periferia (LTU 1), dois telefones IP modelo OptiPoint 420 e um Switch do fabricante Enterasys.

Foi definido um seguimento de rede classe “C” para ser utilizado nos testes, sendo um (01)
endereço IP para a interface Customer LAN do Hipath 4000, um (01) endereço IP para o módulo HG
3500 e dois (02) endereços IP para os terminais OptiPoint 420.

Veja na figura abaixo, como ficará a nossa topologia e a seguir, a lista com os endereços IP
utilizados.

Figura 1: Topologia.

Rede 172.24.1.0
Mascara 255.255.255.0 (/24)
Gateway 172.24.1.254
Hipath 4000 (Customer LAN) 172.24.1.90
HG3500 172.24.1.92
Ramal 9000 172.24.1.105
Ramal 9001 172.24.1.106
Tabela 1: Endereços IP.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 6/9


Como configurar ramal IP HFA.

6 Configurar o Hipath 4000.

6.1. Configurar o AMO BFDAT.

O BFDAT no HiPath 4000 V4.0 será utilizado para dizer ao módulo STMI4, quanto canais serão
utilizados para a função HFA. Lembrando que no Hipath 4000 V4.0, um mesmo módulo STMI4 pode ser
utilizado para prover ramais HFA, SIP, IP Trunking H323 ou SIP, etc…

Criar o bloco de funções


ADD-BFDAT:FCTBLK=8,FUNCTION=HG3530,BRDBCHL=BCHAN120;

HG3530 = HFA / BCHAN60 = STMI Q2324-X500 / BCHAN120 = STMI Q2324-X510

Configurar a quantidade de canais


CHANGE-BFDAT:CONFIG=CONT,FCTBLK=8,FUNCTION=HG3530,LINECNT=240,BCHLCNT=120;

Posso criar até 240 ramais em uma placa.


Somente 120 ramais falam ao mesmo tempo.

Ativar o BFDAT
CHANGE-BFDAT:CONFIG=OK,FCTBLK=8,ANSW=YES;

Visualizar como ficou configurado.


DISPLAY-BFDAT:FCTBLK=8;

6.2. Configurar o AMO BCSU.

Utilize o AMO BCSU para configurar o módulo STMI4 no sistema operacional do Hipath 4000,
defina o parâmetro FCTID com o valor 1 (um), o parâmetro FCTBLK com o mesmo número do BFDAT
que foi criado anteriormente e o parâmetro IPADDR com o endereço IP do módulo.

Criar o módulo STMI no HiPath 4000.

ADD-BCSU:TYPE=IPGW,LTG=1,LTU=1,SLOT=85,PARTNO=Q2324-
X510,FCTID=1,FCTBLK=8,IPADDR=172.24.1.92;

Importante: O módulo STMI 4 demora aproximadamente 20 minutos para entrar em serviço.

Após o módulo entrar em serviço.


CHANGE-FUNSU:PIT=FLASH,PARTNO="Q2324-X510",FCTID=1,ACTION=RESET;

Observação: Este comando faz com que o modulo STMI carregue mais rápido da próxima vez, pois, já
possui o loadware.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 7/9


Como configurar ramal IP HFA.

6.3. Configurar o AMO CGWB.

Este AMO substitui o antigo AMO STMI e é utilizado para definir dados complementares
relacionado à configuração de rede e trafego de voz.

Configurar os dados de rede.


ADD-CGWB:LTU=1,SLOT=85,SMODE=NORMAL,IPADR=172.24.1.92,NETMASK=255.255.255.0;
CHANGE-CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=GLOBIF,DEFRT=172.24.1.254;

Configurar o range de portas UDP.


CHANGE-CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,UDPPRTLO=29100,UDPPRTHI=29339;

Configurara o QoS LAYER 3 - VOZ (EF) Sinalização (EF31).


CHANGE-CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,TOSPL="184",TOSSIGNL="104";

Ativar DTMF via RFC2833


CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,RFCFMOIP=YES,RFCDTMF=YES,REDRFCTN=YES;

Configurar lista de prioridade dos CODEC's

CODEC VAD RTP SIZE


G.723 30, 60 e 90
G.729 NO 20, 30, 40, 50, 60, 70 e 80
G.729A NO 20, 30, 40, 50, 60, 70 AND 80
G.729B YES 20, 30, 40, 50, 60, 70 AND 80
G.729AB YES 20, 30, 40, 50, 60, 70 AND 80
Tabela 2: CODEC

CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO1,CODEC=G729AB,VAD=YES,RTP="20";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO2,CODEC=G729A,VAD=NO,RTP="20";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO3,CODEC=G711A,VAD=NO,RTP="30";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO4,CODEC=G711U,VAD=NO,RTP="30";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO5,CODEC=G723,VAD=NO,RTP="30";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO6,CODEC=NONE,VAD=NO,RTP="20";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO7,CODEC=NONE,VAD=NO,RTP="20";

Ativar as configurações
RESTART-BSSU:ADDRTYPE=PEN,LTG=1,LTU=1,SLOT=85;

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 8/9


Como configurar ramal IP HFA.

6.4. Criar o ramal no Hipath 4000

Parâmetros centrais

ADD-DIMSU:TYPE=APPLICAT,WSPROT=600;
CHA-ZAND:TYPE=CIT,APIMAX=600;
CHANGE-ZAND:TYPE=OPTLOAD;

Ramal 9000

ADD-SBCSU:STNO=9000,OPT=OPTI,CONN=IP2,PEN=1-1-85-
0,DVCFIG=OPTIIP&API,COS1=1,COS2=1,LCOSV1=10,LCOSV2=10,LCOSD1=10,LCOSD2=10,APICLASS=
TSX;

Ramal 9001

ADD-SBCSU:STNO=9001,OPT=OPTI,CONN=IP2,PEN=1-1-85-
1,DVCFIG=OPTIIP&API,COS1=1,COS2=1,LCOSV1=10,LCOSV2=10,LCOSD1=10,LCOSD2=10,APICLASS=
TSX;

FIM

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 9/9


Informativo Técnico
Siemens Enterprise Communications
Technology Support Center São Paulo

Como configurar ramal SIP.

Documento : IT 2008 Hipath 4000 V4.0 DOC 0017 Configurar Ramal SIP.Doc
Categoria : HiPath 4000
Principal : Hipath 4000 V4.0
Versão : 1.0
Autor: : Thiago Roldão Pinheiro Costa

É válido o documento visualizado via ISI em https://sistemas.siemens.com.br/isi/

As informações contidas neste documento são de propriedade de Siemens


Enterprise Communication. Não poderão ser usadas, reproduzidas ou divulgadas a
terceiros salvo quando especificamente permitido por escrito pelo proprietário. O
recebedor destas informações, ao detê-las e usá-las, concorda em proteger as
mesmas contra perda, roubo ou uso indevido. Esse documento é cópia não
controlada quando impresso no todo ou em partes.
Como configurar ramal SIP.

Histórico de Versões

Versão Data Descrição Autor


1.0 11/03/08 Criação do documento Thiago Roldão P. Costa

Autores

Autor Departamento Fone/Fax e-mail Capítulos


Thiago Roldão P. Costa SEN CS RS TSC 11 38172655 thiago.roldao@siemens.com Integral

Referências

Título do Documento Versão Autor Link Emitido em


e-Doku Siemens AG http://apps.g- 2008-03-15
dms.com:8081/techdoc/search
_en.htm

Produtos envolvidos

Modelo Versão Comentário


HiPath 4000 V4 R1.6.0

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 2/9


Como configurar ramal SIP.

Conteúdo

1 Introdução............................................................................................................................... 4
2 Como utilizar esse documento ................................................................................................... 4
3 Objetivo .................................................................................................................................. 4
4 Itens básicos............................................................................................................................ 5
4.1. Software para os terminais IP............................................................................................ 5
4.2. Módulo HG3500 – STMI4. ................................................................................................. 5
4.3. Terminais IP suportados. .................................................................................................. 5
4.4. Políticas de QoS ............................................................................................................... 5
5 Topologia. ............................................................................................................................... 6
6 Configurar o Hipath 4000. ......................................................................................................... 7
6.1. Configurar o AMO BFDAT. ................................................................................................. 7
6.2. Configurar o AMO BCSU. ................................................................................................... 7
6.3. Configurar o AMO CGWB................................................................................................... 8
6.4. Criar o ramal no Hipath 4000 ............................................................................................ 9

Lista de Figuras

Figura 1: Topologia. ....................................................................................................................... 6

Lista de Tabelas

Tabela 1: Endereços IP. .................................................................................................................. 6


Tabela 2: CODEC............................................................................................................................ 8

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 3/9


Como configurar ramal SIP.

1 Introdução

Esse informativo técnico visa orientar nossos colaboradores e parceiro, quanto ao procedimento
para configurar um ramal IP com o protocolo SIP no HiPath 4000 V4.0.

2 Como utilizar esse documento

Sugerimos ao profissional fazer uma primeira leitura deste documente para assimilar cada etapa
e posteriormente iniciar as configurações sugeridas em cada módulo.

Leia cada capítulo e respeite a seqüência aqui exposta, pois, um módulo que esteja no capítulo
de número “1000” dependerá da configuração do módulo que está no capítulo de número “999”.

Caso tenha dificuldades em proceder com as configurações aqui expostas, solicite ajuda através
de um chamado (0800149002), pois, dependendo do erro a melhor solução será refazer todas as
configurações desde o inicio.

3 Objetivo

• Configurar o módulo STMI no HiPath 4000.


• Definir o endereço IP do módulo STMI.
• Configurar dois ramais com o amo SBCSU.

Boa sorte e bom trabalho!!!!!!!!!!!!!

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 4/9


Como configurar ramal SIP.

4 Itens básicos.

4.1. Software para os terminais IP.

O primeiro passo é atualizar os terminais IP com a última versão de software que esteja
disponível no site do SWS ou no site do ISI. Caso tenha dificuldades, solicite o software diretamente ao
suporte, através de um chamado.

4.2. Módulo HG3500 – STMI4.

Na versão Hipath 4000 V4.0, somente o módulo STMI4 está liberado para uso em clientes. O
antigo módulo STMI2 poderá ser utilizado nos casos em que o módulo STMI4 não poderá ser fornecido
de imediato e para que o cliente não fique esperanto, o módulo STMI2 poderá ser fornecido.

4.3. Terminais IP suportados.

Toda a linha OptiPoint 410.


Toda a linha OptiPoint 420.
Toda a linha OpenStage.
OpitClient 130.

4.4. Políticas de QoS

O cliente deverá aplicar políticas de QoS nos equipamentos da rede (Roteadores, Switches) para
garantir que o trafego de voz e sinalização, proveniente dos aparelhos IP e do módulo HG3500 tenham
prioridade em relação ao trafego de dados.

Caso as políticas de QoS não sejam aplicadas, não será possível garantir que a solução VoIP irá
funcionar corretamente, pois, poderá ocorrer falhas na comunicação, como: Ruído, Chiados, Echo,
Picotes (Chamada chega faltando partes), Atrasos, etc...

Importante: Qualquer duvida quanto aos itens acima, contate o suporte ou o gerente responsável pelo
projeto.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 5/9


Como configurar ramal SIP.

5 Topologia.

Para os testes, será utilizado uma central telefônica modelo Hipath 4000 V4.0 com uma bandeja
de periferia (LTU 1), dois telefones IP modelo OptiPoint 420 e um Switch do fabricante Enterasys.

Foi definido um seguimento de rede classe “C” para ser utilizado nos testes, sendo um (01)
endereço IP para a interface Customer LAN do Hipath 4000, um (01) endereço IP para o módulo HG
3500 e dois (02) endereços IP para os terminais OptiPoint 420.

Veja na figura abaixo, como ficará a nossa topologia e a seguir, a lista com os endereços IP
utilizados.

Figura 1: Topologia.

Rede 172.24.1.0
Mascara 255.255.255.0 (/24)
Gateway 172.24.1.254
Hipath 4000 (Customer LAN) 172.24.1.90
HG3500 172.24.1.92
Ramal 9000 172.24.1.105
Ramal 9001 172.24.1.106
Tabela 1: Endereços IP.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 6/9


Como configurar ramal SIP.

6 Configurar o Hipath 4000.

6.1. Configurar o AMO BFDAT.

O BFDAT no HiPath 4000 V4.0 será utilizado para dizer ao módulo STMI4, quanto canais serão
utilizados para a função SIP. Lembrando que no Hipath 4000 V4.0, um mesmo módulo STMI4 pode ser
utilizado para prover ramais HFA, SIP, IP Trunking H323 ou SIP, etc…

Criar o bloco de funções


ADD-BFDAT:FCTBLK=10,FUNCTION=SIP,BRDBCHL=BCHAN120;

BCHAN60 = STMI Q2324-X500 / BCHAN120 = STMI Q2324-X510

Configurar a quantidade de canais


CHANGE-BFDAT:CONFIG=CONT,FCTBLK=10,FUNCTION=SIP,LINECNT=240,BCHLCNT=120;

Posso criar até 240 ramais em uma placa.


Somente 120 ramais falam ao mesmo tempo.

Ativar o BFDAT
CHANGE-BFDAT:CONFIG=OK,FCTBLK=10,ANSW=YES;

Visualizar como ficou configurado.


DISPLAY-BFDAT:FCTBLK=10;

6.2. Configurar o AMO BCSU.

Utilize o AMO BCSU para configurar o módulo STMI4 no sistema operacional do Hipath 4000,
defina o parâmetro FCTID com o valor 1 (um), o parâmetro FCTBLK com o mesmo número do BFDAT
que foi criado anteriormente e o parâmetro IPADDR com o endereço IP do módulo.

Criar o módulo STMI no HiPath 4000.

ADD-BCSU:TYPE=IPGW,LTG=1,LTU=1,SLOT=85,PARTNO=Q2324-
X510,FCTID=1,FCTBLK=10,IPADDR=172.24.1.92;

Importante: O módulo STMI 4 demora aproximadamente 20 minutos para entrar em serviço.

Após o módulo entrar em serviço.


CHANGE-FUNSU:PIT=FLASH,PARTNO="Q2324-X510",FCTID=1,ACTION=RESET;

Observação: Este comando faz com que o modulo STMI carregue mais rápido da próxima vez, pois, já
possui o loadware.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 7/9


Como configurar ramal SIP.

6.3. Configurar o AMO CGWB.

Este AMO substitui o antigo AMO STMI e é utilizado para definir dados complementares
relacionado à configuração de rede e trafego de voz.

Configurar os dados de rede.


ADD-CGWB:LTU=1,SLOT=85,SMODE=NORMAL,IPADR=172.24.1.92,NETMASK=255.255.255.0;
CHANGE-CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=GLOBIF,DEFRT=172.24.1.254;

Configurar o range de portas UDP.


CHANGE-CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,UDPPRTLO=29100,UDPPRTHI=29339;

Configurara o QoS LAYER 3 - VOZ (EF) Sinalização (EF31).


CHANGE-CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,TOSPL="184",TOSSIGNL="104";

Ativar DTMF via RFC2833


CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,RFCFMOIP=YES,RFCDTMF=YES,REDRFCTN=YES;

Configurar lista de prioridade dos CODEC's

CODEC VAD RTP SIZE


G.723 30, 60 e 90
G.729 NO 20, 30, 40, 50, 60, 70 e 80
G.729A NO 20, 30, 40, 50, 60, 70 AND 80
G.729B YES 20, 30, 40, 50, 60, 70 AND 80
G.729AB YES 20, 30, 40, 50, 60, 70 AND 80
Tabela 2: CODEC

CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO1,CODEC=G729AB,VAD=YES,RTP="20";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO2,CODEC=G729A,VAD=NO,RTP="20";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO3,CODEC=G711A,VAD=NO,RTP="30";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO4,CODEC=G711U,VAD=NO,RTP="30";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO5,CODEC=G723,VAD=NO,RTP="30";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO6,CODEC=NONE,VAD=NO,RTP="20";
CHANGE-
CGWB:MTYPE=CGW,LTU=1,SLOT=85,TYPE=ASC,PRIO=PRIO7,CODEC=NONE,VAD=NO,RTP="20";

Ativar as configurações
RESTART-BSSU:ADDRTYPE=PEN,LTG=1,LTU=1,SLOT=85;

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 8/9


Como configurar ramal SIP.

6.4. Criar o ramal no Hipath 4000

Parâmetros centrais

ADD-DIMSU:TYPE=APPLICAT,WSPROT=600;
CHA-ZAND:TYPE=CIT,APIMAX=600;
CHANGE-ZAND:TYPE=OPTLOAD;

Ramal 9000

ADD-SBCSU:STNO=9000,OPT=FPP,CONN=SIP,PEN=1-1-85-
0,DVCFIG=S0PP,COS1=90,COS2=90,LCOSV1=1,LCOSV2=1,LCOSD1=1,LCOSD2=1,PROT=SBDSS1,INS=
Y,OPTIDX=10;

Ramal 9001

ADD-SBCSU:STNO=9001,OPT=FPP,CONN=SIP,PEN=1-1-85-
1,DVCFIG=S0PP,COS1=90,COS2=90,LCOSV1=1,LCOSV2=1,LCOSD1=1,LCOSD2=1,PROT=SBDSS1,INS=
Y,OPTIDX=10;

FIM

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 9/9


Informativo Técnico
Siemens Enterprise Communications
Technology Support Center São Paulo

Como atualizar aparelhos IP OptiPoint


4X0 via WEB

: IT 2008 Hipath 4000 V4.0 DOC 0004 Atualizar Aparelhos IP


Documento
Optipoint 4X0 Via WEB.Doc
Categoria : HiPath 4000
Principal : Hipath 4000 V4.0
Versão : 1.0
Autor: : Thiago Roldão Pinheiro Costa

É válido o documento visualizado via ISI em https://sistemas.siemens.com.br/isi/

As informações contidas neste documento são de propriedade de Siemens


Enterprise Communication. Não poderão ser usadas, reproduzidas ou divulgadas a
terceiros salvo quando especificamente permitido por escrito pelo proprietário. O
recebedor destas informações, ao detê-las e usá-las, concorda em proteger as
mesmas contra perda, roubo ou uso indevido. Esse documento é cópia não
controlada quando impresso no todo ou em partes.
Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

Histórico de Versões

Versão Data Descrição Autor


1.0 11/03/08 Criação do documento Thiago Roldão P. Costa

Autores

Autor Departamento Fone/Fax e-mail Capítulos


Thiago Roldão P. Costa SEN CS RS TSC 11 38172655 thiago.roldao@siemens.com Integral

Referências

Título do Documento Versão Autor Link Emitido em


e-Doku Siemens AG http://apps.g- 2008-03-11
dms.com:8081/techdoc/search
_en.htm

Produtos envolvidos

Modelo Versão Comentário


HiPath 4000 V4 R1.6.0

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 2/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

Conteúdo

1 Introdução............................................................................................................................... 4
2 Como utilizar esse documento ................................................................................................... 4
3 Objetivo .................................................................................................................................. 4
4 Itens básicos............................................................................................................................ 5
4.1. Software para os terminais IP............................................................................................ 5
4.2. Instalar o servidor de FTP – 3CDaemon.............................................................................. 8
4.3. Fazer o upgrade via interface WEB................................................................................... 13

Lista de Figuras

Figura 1: Tela inicial do SWS. .......................................................................................................... 5


Figura 2: Como localizar a versão .................................................................................................... 6
Figura 3: Iniciar o download da versão............................................................................................. 6
Figura 4: Descompactar o arquivo com a versão. .............................................................................. 7
Figura 5: Instalar o servidor de FTP ................................................................................................. 8
Figura 6: Tela inicial do servidor de FTP ......................................................................................... 11
Figura 7: Configurando o servidor de FTP ....................................................................................... 12
Figura 8: Topologia da rede .......................................................................................................... 13
Figura 9: Confirmar o certificado.................................................................................................... 13
Figura 10: Tela Inicial / Senha....................................................................................................... 14
Figura 11: Tela Inicial – File Transfer ............................................................................................. 15
Figura 6: Tela Inicial – File Transfer ............................................................................................... 16

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 3/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

1 Introdução

Esse informativo técnico visa orientar nossos colaboradores e parceiro, quanto ao procedimento
para atualizar a versão dos telefones IP modelo optipoint 4X0 que esteja utilizando o software HFA
através da interface WEB.

2 Como utilizar esse documento

Sugerimos ao profissional fazer uma primeira leitura deste documente para assimilar cada etapa
e posteriormente iniciar as configurações sugeridas em cada módulo.

Leia cada capítulo e respeite a seqüência aqui exposta, pois, um módulo que esteja no capítulo
de número “1000” dependerá da configuração do módulo que está no capítulo de número “999”.

Caso tenha dificuldades em proceder com as configurações aqui expostas, solicite ajuda através
de um chamado (0800149002), pois, dependendo do erro a melhor solução será refazer todas as
configurações desde o inicio.

3 Objetivo

• Instalar e configurar o servidor de FTP.


• Baixar a versão de software via SWS.
• Atualizar os terminais via WEB.

Boa sorte e bom trabalho!!!!!!!!!!!!!

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 4/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

4 Itens básicos.

4.1. Software para os terminais IP.

O primeiro passo é atualizar os terminais IP com a última versão de software que esteja
disponível no site do SWS ou no site do ISI. Caso tenha dificuldades, solicite o software diretamente ao
suporte, através de um chamado.

Acesse o site do SWS http://sws.siemens.com.br:8080/swsdownload e informe os dados de


usuário, senha e pais de origem. Este acesso é restrito aos colaboradores Siemens, porém, o software
também pode ser baixado através do site do ISI ou solicitado ao suporte.

Figura 1: Tela inicial do SWS.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 5/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

Após acessar o site do SWS, utilize o filtro de busca para indicar exatamente a versão de
software correspondente ao modelo de aparelho que deseja utilizar, em nosso exemplo, será utilizado a
versão de software V5 R5.2.0 para terminais IP modelo OptiPoint 420 Advance.

Figura 2: Como localizar a versão

Na próxima janela, selecione a versão do arquivo e inicie o download, não se esqueça de salvar
esse arquivo em um diretório conhecido.

Figura 3: Iniciar o download da versão.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 6/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

Localize o diretório onde o arquivo foi salvo e descompacte-o. O mais importante neste processo
é saber a onde o arquivo 420adv_HFA_V5_R5_2_0.app está armazenado. Em nosso exemplo o
arquivo ficou armazenado no diretório:

C:\Documents and Settings\op7908\Desktop\OptiPoint 420\420adv_HFA_V5_R5_2_0

Figura 4: Descompactar o arquivo com a versão.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 7/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

4.2. Instalar o servidor de FTP – 3CDaemon.

Em nosso exemplo será utilizado o servidor de FTP 3CDaemon que pode ser baixado facilmente da
internet. Descompacte o arquivo e execute o arquivo SETUP.EXE, siga o procedimento de instalação
como mostra as figuras a seguir.

Figura 5: Instalar o servidor de FTP

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 8/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 9/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 10/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

O servidor de FTP foi instalado com sucesso, agora vamos configurar um usuário com as
permissões de acesso e definir o diretório onde o arquivo poderá ser encontrado.

Execute o servidor de FTP através do menu: “iniciar \ Programas \ 3CDaemon \ 3CDaemon”. Na


tela inicial, selecione a aba FTP Server e click na opção “Configure FTP Server”.

Figura 6: Tela inicial do servidor de FTP

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 11/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

Vamos agora configurar o servidor de FTP e informar os dados do usuário. Defina o “Profile
Name” dls e configure o password hipath*4000 através do botão “Set/Change user’s password”.

Na opção “User Directory”, selecione diretório a onde o arquivo com a versão está armazenado,
em nosso exemplo o arquivo está no diretório:

C:\Documents and Settings\op7908\Desktop\OptiPoint 420\420adv_HFA_V5_R5_2_0

Marque todas as opções na caixa “This user can:” e por ultimo, click no botão Save Profile para
salvar a nossa configuração.

Figura 7: Configurando o servidor de FTP

Click no botão “Apply” para salvar o novo usuário dls e no botão OK para “sair”.

A partir deste momento o FTP está ativo de será utilizado quando formos fazer o upgrade de
versão do software do aparelho.

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 12/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

4.3. Fazer o upgrade via interface WEB

Até o momento, foi configurado o servidor de FTP no notebook e baixamos o novo software para
o telefone IP via SWS. A partir de agora, será necessário colocar o telefone IP e o notebook na rede para
nos permitir configurar o telefone IP via WEB e também, permitir ao telefone IP acessar o servidor de
FTP para baixar a nova versão de software.

Veja na figura abaixo a topologia utilizada nos testes.

Figura 8: Topologia da rede

A partir do momento em que a topologia da rede estiver montada, prossiga com os passos para
configurar o upgrade através da interface WEB do aparelho. Acesse o aparelho através do seu “Brower”,
em nosso exemplo, foi utilizado o Internet Explorer Version: 6.0.2900.2180.xpsp_sp2_qfe.070227-2300.

Utilize os links https://172.24.1.117/ ou http://172.24.1.117:8085

Figura 9: Confirmar o certificado

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 13/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

Na tela inicia, acesse o menu administrator e informe a senha do telefone IP, normalmente a
senha é “123456”.

Figura 10: Tela Inicial / Senha

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 14/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

Após se autenticar no aparelho IP, acesse o menu “File Transfer” para configurar o acesso ao
servidor FTP e informar o nome do arquivo com a versão.

Figura 11: Tela Inicial – File Transfer

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 15/16


Como atualizar aparelhos IP OptiPoint 4X0 via WEB

Na tela do “File Transfer”, informe o endereço IP do servidor de FTP, o nome de usuário e senha,
o nome do arquivo com a nova versão e por ultimo, selecione a opção “Download application”, para que
o terminal inicie a download da versão no servidor FTP.

Figura 12: Tela Inicial – File Transfer

Click no botão “Submit” para que o terminal IP inicie o processo de upgrade. O terminal IP irá
reiniciar e durante o processo de boot, se conectará ao servidor FTP para baixa a nova versão.
Esse processo demora uns 2 minutos e no final, o terminal IP voltara em serviço já com a nova
versão e sem perder as configurações antigas.

FIM

SEM CS RS TSC – Technology Support Center São Paulo Página 16/16


Key System

5. Key System
Key System
s
1 Visão Geral de Acesso Multilinhas
A facilidade de funcionalidade de teclas integrada está disponível a partir do Hicom 300E
V3.0. As funções da facilidade são similares a sistemas de equipes empresariais ou
sistemas telefônicos com teclas para multilinhas.

Primária
Máx. 28 linhas por terminal
Linha 1
Máx. 40 terminais por linha
12 layouts de teclas pré-configurados, dos quais 4 Linha 2
são reservados para terminais ACD
Linha 3
Funciona em todos os telefones optiset E Linha 4
Exibição do estado da linha por LED
Linha 5
Não permitido com a facilidade de chefe/secretária. Keyset
Linha 6
Linha 7

Keyset

Primária

Keyset Linha 1
Linha 2
Disponível a partir do Hicom 300 E V3.0
A facilidade pode ser usada apenas localmente Linha 3
Liberada por código Linha 4
Quantidade das centrais KS limitada por DIMSU
Linha 5
Keyset
Linha 6

Central KS Linha 7
3 configurações para equipes
Sistema de telefone com teclado
Sistemas de telefone com teclas de multilinhas
s
1.1 Descrição da facilidade
O acesso de multilinhas está disponível a partir do Hicom 300E V3.0. Ele compreende
novas facilidades e afeta muitas facilidades existentes.
O acesso de multilinhas somente pode ser ativado por Optisets ou OptiPoints que tenham
sido especialmente configurados com o uso de AMO KCSU. Os telefones configurados para
este fim serão mencionados neste documento como Keysets.
O acesso de multilinhas permite a ocupação de uma linha primária (linha inicial) e até 28
linhas secundárias a partir de um Keyset para chamadas de entrada e saída. Cada linha
corresponde a um número de ramal. Um linha pode ser atribuída a 40 telefones diferentes.
Para cada linha existe uma tecla de linha com LED no terminal. O LED sinaliza o estado da
linha. Livre: o LED está apagado, ocupado: o LED está aceso, em chamada: o LED pisca
rapidamente, chamada retida: o LED pisca devagar.

1.1.1 Descrição resumida das facilidades do Keyset


● Cada Keyset possui uma linha inicial ou primária, que é acessada através do número
da ramal principal. Esta linha pode ser atribuída a outros Keysets como linha
secundária.
● Uma linha fantasma é atribuída a outros terminais como uma linha secundária e não
é atribuída a nenhum terminal como uma linha primária. Uma linha fantasma á
configurada como um Keyset desabilitado (log off), ou seja, uma vez que a linha
fantasma tenha sido configurada (SBCSU:ins=signoff), ela deve ser adicionada como
uma linha primária no KCSU para habilitar a sua adição como uma linha secundária em
outros Keysets.
● Chamada: cada linha pode ser configurada como uma linha com, ou sem, toque de
chamada (KCSU, parâmetro RIOP). O toque de chamada é ativado assim que uma
chamada é sinalizada em uma das linhas para qual o toque de chamada foi configurado
para este ramal em particular. O LED da tecla da linha pisca. Várias chamadas
simultâneas são sinalizadas por ordem de chegada. Toques de chamada diferentes
podem ser configurados para todas as teclas de linha para as quais o tom de chamada
foi programado. Se o tom de chamada não pode ser injetado porque o Keyset está
ocupado, é ativado um tom de alerta (se configurado, KCSU, parâmetro BUSYRING).
● Seleção de linha: está disponível a seleção automática e manual de linhas.
– Com a seleção automática de linhas, uma das linhas configuradas é
automaticamente ocupada assim que o usuário retira o monofone do gancho para
iniciar ou atender uma chamada. Diversas opções podem ser configuradas para
definir as preferências de conexões de entrada e saída.
– Dependendo da opção configurada, é ocupada para conexões de saída a
linha primária (KCSU, ORLNPF=PRIME), a última linha usada (KCSU,
ORLNPF=LAST), qualquer linha livre (KCSU; ORLNPF=IDLE) ou nenhuma
linha (KCSU; ORLNPF=NONE -- > necessária a seleção manual).
s
– Dependendo da opção configurada, é selecionada, para conexões de
entrada, uma linha chamadora (KCSU; TMLNPF=RING), qualquer linha de
entrada (primeiro, as linhas chamadoras são consultadas, seguidas por linhas
não configuradas para o tom de chamada, com base em FIFO. KCSU;
TMLNPF=ALER) ou nenhuma linha (KCSU; TMLNPF=NONE). Chamadas
para a linha primária podem ser configuradas para atendimento com
prioridade, independente do momento de sua chegada (KCSU;
TMLNPF=RINGP ou ALERP).
● Com o uso da seleção de linha manual, um usuário pode desviar uma seleção
automática de linha ao pressionar uma tecla de linha antes de colocar o monofone no
gancho. Podem ser configuradas as opções: modo de tecla única, modo de pré-seleção
ou seleção da linha subseqüente.
– No modo de tecla única (KCSU; SGLBMOD= YES), a linha é selecionada ao se
pressionar uma tecla de linha. O Keyset passa para o modo de viva-voz com o
monofone no gancho.
– No modo de pré-seleção (KCSU; SGLBMOD=NO), a tecla de linha é pressionada
quando no estado livre e a linha necessária é pré-selecionada assim que o usuário
retirar o monofone do gancho, pressionar as teclas do alto-falante, nome, DSS ou
rediscagem, ou introduzir dígitos de discagem. A pré-seleção é válida por 10
segundos (configurável por AMO). Se foi configurada uma linha com tom de
chamada, o chamador é exibido quando a tecla de linha é pressionada até que o
tempo de pré-seleção expire. Depois da pré-seleção, a chamada de entrada pode
ser recebida na linha pré-selecionada ao se retirar o monofone do gancho.
– Seleção de linha subseqüente. O usuário levanta o monofone e pressiona uma
tecla de linha para subseqüentemente escolher ou mudar a linha a ser usada.
● Classes de serviço: as chamadas podem ser iniciadas com o uso de qualquer linha
em qualquer terminal. Dependendo da configuração do sistema, é usada a linha COS
ou a COS do Keyset (AMO ZAND, parâmetro COSLNBAS). Existem, entretanto,
facilidades que sempre usam a COS atribuída ao terminal usado ou à linha usada.
● Mostrador: durante a chamada, e depois do atendimento de uma chamada, o
mostrador da parte chamada normalmente exibe <número do ramal e nome > da linha
primária do ramal chamador ou a linha usada, dependendo da configuração do
sistema (AMO ZAND, parâmetro DISLNBAS). A tecla também afeta a apresentação da
parte chamadora depois que o lado B atende.
● Retenção geral e exclusiva. A retenção permite que um usuário retenha uma conexão
e coloque o monofone no gancho ou para iniciar ou para atender uma chamada em uma
linha diferente sem perder a conexão retida. Apenas chamadas a dois podem ser
retidas. A retenção em chamadas de consulta não é possível.
– Se for configurada a retenção geral, a conexão retida pode ser capturada por
todos os Keysets onde a linha respectiva foi atribuída (o LED pisca lentamente
nestes ramais) ao se pressionar a tecla da linha.
s
– Se for configurada a retenção exclusiva, a conexão retida apenas pode ser
terminada pelo Keyset que colocou a linha em retenção (o LED pisca lentamente
apenas neste ramal) ao se pressionar a tecla da linha.
Existem 3 maneiras de colocar uma linha em retenção: pressionando-se as teclas “Hold” ou
“Exclusive hold” ou através de seleção a partir do menu de diálogo. Mudar para outra linha
ou pressionar a tecla da linha atual também coloca uma linha em retenção (ou a libera,
dependendo da configuração do sistema, AMO ZAND, parâmetro HDNOACKY).
Se for selecionada a retenção exclusiva, o Keyset que colocou a linha em retenção recebe
uma rechamada com prioridade se a chamada retida não for finalizada depois do
vencimento da temporização. Se for configurada a retenção geral, é sinalizada uma
rechamada em todos os Keysets onde a linha está atribuída.
● Consulta múltipla. Um usuário com diversas linhas atribuídas pode iniciar uma
conferência a três pressionando a tecla da linha que ele deseja intercalar. Uma
conferência a três é estabelecida se uma chamada a dois (A-B) estiver ativa na linha
selecionada e uma chamada particular não foi iniciada. O tom de conferência é injetado
para as três partes (A, B, C) se a consulta múltipla for ativada. Apenas um ramal pode
entrar em uma conexão existente.
● Chamada particular. Esta facilidade protege o usuário Keyset contra consulta múltipla
por outro usuário Keyset. São possíveis chamadas particulares automáticas e manuais.
A chamada particular automática (configurada com o uso de AMO KCSU,
APRIVAT=YES) é ativada assim que uma chamada é iniciada. Keysets sem a facilidade
de chamada particular automática são protegidos em uma conexão ao ativar a
facilidade manualmente.
● Exibição da linha ocupada. É exibida a linha atualmente ocupada ou selecionada pelo
Keyset, assim que o monofone é levantado. A exibição automática da linha atualmente
ocupada é ativada assim que a linha é selecionada. A linha atualmente usada pode ser
consultada manualmente em diversos estados através da tecla de função “I-USE” ou
da seleção do menu “Show seized line?” no menu de serviço.
● Livre O usuário pode desativar o tom de chamada no Keyset ao pressionar a tecla “Idle”
ou selecionar “Switch off ringing?” no menu de serviço. O LED de tecla de função
correspondente está “aceso” se esta facilidade está ativada. As chamadas de entrada
são sinalizadas apenas visualmente através do LED piscando na(s) tecla(s) de linha.
Todas as chamadas de entrada são sinalizadas no seu destino, porém apenas
visualmente (LED, mostrador). Elas podem ser atendidas normalmente. Alguns tipos de
chamadas cancelam a opção “Idle”, p.ex. chamadas exclusivas, ACD.
● Broadcast É possível programar para que um grupo de keysets recebam mensagens
de voz simultaneamente. Para isto, é necessário uma liberação da facilidade para o
terminal originador no AMO SDAT (BROADCAST). Os ramais que receberão as
chamadas deverão ter a linha broadcast com sinalização sonora, além de necessitar
liberação para chamadas de voz (VC).
● Verificação da tecla do usuário. É exibida a identificação do usuário conectado, de
acordo com a linha pré-selecionada.
s
1.1.2 Efeitos em outras facilidades
A funcionalidade da central KS também afeta outras facilidades. São elas:
● Auxílios à discagem, tais como discagem abreviada, nome, teclas DSS ou de
rediscagem de número são específicos por ramal. Eles podem ser usados com
qualquer linha atribuída a um Keyset. O LED da tecla DSS mostra o estado na linha de
destino introduzida.
● Transferência Temporária de Chamada: cada terminal pode transferir todas as linhas
atribuídas (isto é feito com base na linha individual). O LED da tecla de transferência
sempre sinaliza o estado da linha primária do terminal respectivo. Linhas transferidas
ou secundárias não são sinalizadas.
● Não Perturbe: se a opção não perturbe estiver ativada para a linha, nenhum Keyset
onde esta linha está atribuída recebe qualquer chamada. Ao invés de não perturbe,
selecionar “Idle” para proteção contra chamadas de entrada nos Keysets.
● Rechamada: se um Keyset usa uma linha e introduz uma solicitação de rechamada, a
linha primária é apresentada como a fonte da rechamada. Assim que a rechamada seja
possível, a linha primária é chamada exclusivamente. Depois da fonte da rechamada
atender, o destino da rechamada é chamada não-exclusivamente, ou seja, todos os
Keysets onde esta linha está atribuída podem atender à chamada.
● Caixa Postal. Podem ser deixadas introduções na caixa postal do Keyset onde a linha
usada está atribuída como linha primária. A exibição da caixa postal e o início de
rechamadas são possíveis apenas neste Keyset.
● A Chamada em Espera é executada em linhas ocupadas. O mostrador do Keyset que
está usando esta linha em particular mostra a mensagem apropriada e o LED de
captura de chamada pisca. A chamada em espera automática também é executada no
Keyset usando esta linha em particular, se a facilidade de chamada em espera estiver
autorizada.
● A intercalação é executada em linhas ocupadas. O Keyset que está usando esta linha
em particular é intercalado, a mensagem correspondente é exibida e o LED de captura
de chamada pisca.
● Telemensagem. Todas as linhas podem ser encaminhadas com fins de telemensagem
e o usuário pode atender uma chamada de telemensagem em qualquer linha. A tecla
de telemensagem é sempre atribuída à linha ocupada (paging).
● Grupo de Captura de Chamadas. As chamadas dentro de um grupo de captura de
chamadas são apenas sinalizadas (mostrador, LED e tom de alerta) no Keyset onde a
linha em particular está atribuída como linha primária. As chamadas sinalizadas neste
Keyset podem ser capturadas usando qualquer linha atribuída.
● Chamada em grupo. A sinalização paralela é executada em ramais especialmente
marcados dentro do grupo de captura de chamadas. Nos Keysets a chamada em grupo
é exclusiva, o que significa que a chamada não é sinalizada em linhas secundárias e
também não pode ser atendida por outros Keysets. Esta chamada exclusiva pode ser
desativada usando-se “Idle” (livre).
s
● A Captura Direta de Chamadas pode ser ativada através da ocupação de qualquer
linha.
● Estacionamento de Chamadas. Um usuário pode transferir a outra parte para a fila de
estacionamento do grupo de captura de chamadas onde a linha primária está atribuída,
independente da linha que foi ocupada. As chamadas estacionadas podem ser
capturadas por Keysets dentro do grupo de captura de chamadas pela ocupação de
qualquer linha atribuída.
● Grupo de busca. De modo similar a terminais, linhas podem ser combinadas para
formar grupos de busca. As chamadas no grupo de busca são sinalizadas em todos os
Keysets onde a linha está atribuída. A tecla do grupo de busca sempre permanece
atribuída à linha primária do respectivo terminal.
● Chamada por voz. O terminal chamada é comutado diretamente para o modo viva-voz,
se a parte chamada não tiver ativado a opção “Stop voice calling”. No caso de Keysets,
a chamada por voz é executada no terminal onde a linha selecionada está atribuída
como linha primária. Se este Keyset em particular estiver ocupado, é sinalizada uma
chamada normal.
● Timed reminder. Esta facilidade é específica por terminal. Ela é sinalizada apenas no
terminal do respectivo usuário, contanto que a facilidade de Transferência Temporária
de Chamada não tenha sido ativada. Uma chamada de serviço de aviso agendado é
exclusiva.
● A comutação COS pode ser executada por qualquer linha atribuída e comuta entre
COS1 e COS2 no terminal usado.
● Identificação (PIN manual / placa de ID). A ativação/desativação de PIN pode ser
realizada através de qualquer linha atribuída no terminal usado. O PIN é válido apenas
para ligações de saída estabelecidas a partir deste terminal, independente de qual linha
é usada. São usados o COS (COS1) e os dados (p.ex. nome e número do ramal) do
ramal para o qual o PIN está atribuído. O PIN não afeta outros Keysets que usam a linha
de um terminal com PIN ativado.
● O registro de chamada é atribuído à linha primária. São introduzidas apenas
chamadas de entrada para a linha primária. As chamadas de saída são introduzidas no
registro da linha primária, independente da linha que foi realmente ocupada.
● O call log pode ser executado por terminal ou por linha.
● O grupo COM pode ser executado pelo keyset. A origem de chamada é sempre
baseada no dispositivo originador e não na linha. As chamadas destinadas via
COMGRP são sinalizadas em linhas adjacentes.
s
1.1.3 Informações de serviço
● A facilidade somente pode ser usada com optiset E.
● O optiset E deve ser configurado em uma placa SLMO / SLOP2
(ou deve ser configurado como desabilitado)
● Todos os Keysets onde uma linha é atribuída devem estar localizados no mesmo PABX.
Não é possível o acesso de multilinha num âmbito de rede.
● Relações com outras facilidades:
– sistema de secretária
A central KS e o sistema de secretária são mutuamente exclusivos. Não é possível
nem mesmo atualizar um ramal de secretária como um Keyset usando SBCSU
AMO (SECR=YES).
– Autoset Relocate:
O optiset E com a funcionalidade da central KS pode ser mudado usando-se
Autoset Relocate. Os terminais optiset E (com ou sem as funções da central KS)
podem efetuar seu registro na porta anterior. Para registrar um optiset E com as
funções da central KS, é suficiente uma ligação simples do optiset E que foi
apropriadamente preparado.
● Não é necessário novo hardware.
● A facilidade não precisa ser liberada através de AMO FEASU.
A quantidade máxima de Keysets configurados é limitada pela capacidade de memória
Flexama existente (AMO DIMSU).
● A funcionalidade da central KS pode ser usada em todos os países.
s
1.1.4 Fluxograma da central KS

DIMSU
USER KEYSYS

ZAND
CTIME
ALLDATA DISPMODE;
CP CTHLDREC

KEYSYSTEM COSLNBAS
DTIM1 ACTDA DISLNBAS
DIGITE CTPRESEL STN RCUTOFF HOLDACKY
HDNOACKY

TAPRO para Optiset


WABE
STD 3 KEY
DAR HOLDKY
8 KEY
EXHOLDKY
12 KEY
PRIVKY
19 KEY
IUSEKEY
RCTOFFKY
TRNSKY
RLSKY
TOGGLEKEY
CONSKY
CBKKY
APRIV
DPRIV

r
Ramal fantasma

SBCSU SBCSU
STD 19&&31 STD 19&&31
SECR NO SECR NO
INS YES INS SIGNOFF

1
s
1

KCSU
PRIM PRIMKEY
RIOP
ORLNPF KCSU
TMLNPF SEC KYNO
SGLBMOD STNOSEC
BUSYRING RIOP
APRIVAT AICS
AICS OFFTYPE
OFFTYPE

Linha própria Linha associada


ou

Linha fantasma
s
1.1.5 Comandos AMO
Configuração de um Keyset:
Configurar ou definir layout de teclas padrão apropriado para Keysets (layouts de teclas
padrões com teclas de linhas):
DIS-TAPRO:TYPE=STD,DIGTYP=OPTISET,STD=
Alterar o layout de teclas padrão existente, se não existirem teclas de LINHA:
CHA-TAPRO:TYPE=STD,DIGTYP=OPTIT12,STD=26,
KY01=LINE,KY02=LINE,KY03=LINE,
KY04=IUSE,KY05=HOLD,KY06=EXCLHOLD,
KY07=PRIVAT,...,KY12=RCUTOFF;
Os novos layouts de teclas padrões específicos para Keyset têm os possíveis efeitos:
(apenas em optisets E que foram reconfigurados para Keysets!!):

Qtde. máx. por


Função da tecla Descrição Keyset
LINE Tecla de linha 29
IUSE Tecla para identificar a própria linha usada entre diversas teclas de 1
linha ativas.
HOLD Tecla para reter uma chamada. Qualquer outro Keyset pode 1
capturar a chamada retida.
EXCLHOLD Tecla para reter uma chamada exclusivamente. Nenhum outro 1
Keyset, exceto o Keyset que colocou a chamada em retenção, pode
capturar a chamada.
PRIVAT Tecla para evitar que outros Keysets intercalem uma ligação 1
(conferência) ou removam Keysets intercalados da ligação.
RCUTOFF Tecla para ativar ou desativar o toque de chamada para todas as 1
teclas de linhas.
PREVIEW Tecla para verificar a identificação do chamador em certas linhas. 1
s
Configurar o optiset E com layout de teclas padrão do Keyset:
Se o optiset E está configurado, atribuir layout de teclas padrão do Keyset:
CHA-TAPRO:STNO=4711,STD=26;
Se o optiset E ainda não foi configurado:
ADD-SBCSU:STNO=4711,OPT=<OPTI/OPTIEXP>,DVCFIG=OPTISET,..., STD=26;

Verificar a memória Flexama para o Keyset:


DIS-DIMSU:TYPE=USER;

Ampliar memória insuficiente:


ADD-DIMSU:TYPE=USER,KEYSYS=<sufficient_size>;

Configurar optisets como Keysets e atribuir linhas primárias:


A primeira etapa é atualizar todos os optisets para Keysets usando AMO KCSU
(TYPE=PRIM). O próprio número do ramal (linha primária) deve ser atribuído a uma tecla
de linha.
Os parâmetros usados têm o efeito a seguir:

Parâmetro Descrição Valor padrão


(TYPE=PRIM)
STNO Número de ramal do optiset a ser atualizado para um Keyset. STNO deve
ser
especificado
PRIMKEY Número de tecla da linha primária: Número de
1 - 12 (terminal 12 teclas) tecla da
13 - 28 (ADD_ON 1 - se configurada) primeira tecla
29 - 44 (ADD_ON 2 - se configurada) de LINHA
45 - 60 (ADD_ON 3 - se configurada) livre
61 - 76 (ADD_ON 4 - se configurada)
RIOP Opção de toque de chamada, ou seja, tipo de sinalização de chamadas YES
de entrada na linha primária:
YES- por toque de chamada + LED + mostrador
NO - apenas por LED (+ mostrador, dependendo da configuração
TMLNPF)
ORLNPF Preferências para ligações de saída: PRIME
NONE - sem preferências
IDLE - qualquer linha livre
(a linha primária é preferencial)
LAST - a última linha usada
PRIME - linha primária
s
Parâmetro Descrição Valor padrão
(TYPE=PRIM)
TMLNPF Preferências para ligações de entrada: RING
NONE - sem preferências
ALER - qualquer linha de entrada
(sinalização por toque de chamada ou LED)
ALERP - como ALER,
porém a linha primária é preferencial
RING - linha chamadora
RINGP - como RING,
porém a linha primária é preferencial
SGLBMOD Modo de tecla única: YES
YES - pressionar uma tecla de linha não apenas seleciona, mas também
ocupa a linha
NO - pressionar uma tecla de linha apenas pré-seleciona a linha.
A linha somente é ocupada quando o monofone é levantado.
BUSYRING Sinalização de uma segunda chamada de entrada (em uma linha NORING
configurada com RIOP=YES) se o terminal estiver em estado de
chamada:
ALERT - por LED + tom de alerta
NORING - apenas por LED
STAND - ring diferenciado
APRIVAT Chamada particular automática: NO
YES - outros Keysets não podem intercalar a ligação
(uma tecla PARTICULAR é automaticamente
ativada quando uma ligação é estabelecida)
NO - outros Keysets podem intercalar uma ligação
(conferência)
(uma tecla PARTICULAR é automaticamente
desativada quando uma ligação é estabelecida)
AICS Atendimento automático na linha primária com o monofone: YES
YES - chamadas de entrada são automaticamente atendidas
NO - chamadas de entrada devem ser atendidas manualmente
OFFTYPE Tipo de bloqueio de ramal durante modificações usando TYPE=PRIM: DC
NO - sem bloqueio
DC - com pré-bloqueio
DI - sem pré-bloqueio
LINETONE Ativação de diferenciação de tons para linhas NO
YES - Pode-se particularizar-se o tipo de ring e volume para linha
primária, de acordo com parâmetros RINGTYPE e RINGVOL de KCSU.
NO - O tipo de ring e volume é definido pelo AMO ACTDA.

Exemplo: configuração de um Keyset. A linha primária é atribuída à primeira tecla de LINHA.


Chamadas de entrada são sinalizadas nesta linha através do toque de chamada. Outros
Keysets não podem intercalar ligações estabelecidas:
ADD-KCSU:STNO=4711,TYPE=PRIM,RIOP=YES,APRIVAT=YES;
s
Se a linha primária não deve ser atribuída à primeira tecla de LINHA disponível, o parâmetro
PRIMKEY deve ser especificado (p.ex. PRIMKEY=13, se a linha primária deve ser atribuída
à primeira tecla de LINHA do discador automático. Isto somente é possível se o discador
automático foi configurado e a 13ª tecla é uma tecla de LINHA).

Configure secondary lines of the Keyset:


The second step is to assign the remaining line keys with the station numbers of other
Keysets (secondary lines) using AMO KCSU (TYPE=SEC).
Os parâmetros usados têm os efeitos a seguir:

Parâmetro Descrição Valor padrão


(TYPE=SEC)
STNO Número de ramal dos Keysets para os quais a linha secundária STNO deve ser
deve ser configurada especificado
KYNO Número da tecla da linha secundária: KYNO deve ser
1 - 12 (terminal) especificado
13 - 28 (ADD_ON 1 - se configurada)
29 - 44 (ADD_ON 2 - se configurada)
45 - 60 (ADD_ON 3 - se configurada)
61 - 76 (ADD_ON 4 - se configurada)
RIOP Opção de toque de chamada, ou seja, o tipo de sinalização de NO
chamadas de entrada na linha secundária:
YES - por toque de chamada + LED + mostrador
NO - apenas por LED (+ mostrador, dependendo da configuração
TMLNPF)
STNOSEC Número de ramal da linha secundária STNOSEC deve ser
especificado
AICS Atendimento automático na linha secundária com monofone: NO
YES- chamadas de entrada são automaticamente atendidas
NO - chamadas de entrada devem ser atendidas manualmente
OFFTYPE Tipo de bloqueio de ramal durante modificações usando DC
TYPE=SEC:
NO - sem bloqueio
DC - com pré-bloqueio
DI - sem pré-bloqueio

Exemplo: ocupação da 2ª e 3ª tecla de LINHA. Chamadas de entrada são sinalizadas na 2ª


tecla de LINHA apenas visualmente (pelo LED correspondente):
ADD-KCSU:STNO=4711,TYPE=SEC,KYNO=2,STNOSEC=4712;
ADD-KCSU:STNO=4711,TYPE=SEC,KYNO=3,STNOSEC=4713,RIOP=YES;
1. Modificar as configurações de Keysets no âmbito do sistema:
Configurações de consultas específicas por Keyset:
DIS-ZAND:TYPE=KEYSYS;
s
Os parâmetros apresentados têm o efeito a seguir:

Parâmetro Descrição Inicialização de DB


(TYPE=KEYSYS)
COSLNBAS Verificar o COS atribuído à linha usada: NO
YES - o COS atribuído para uma linha é válido para o
lado A
NO - o COS atribuído para uma linha primária é valido
para o lado A
DISLNBAS Número do ramal/ nome apresentado atribuído a uma linha NO
ocupada:
YES - são mostrados os dados do usuário do outro
lado atribuído à linha ocupada
NO - são mostrados os dados do usuário do outro
lado atribuído à linha primária
HOLDACKY Uma chamada é retida ao se pressionar a tecla de linha YES
correspondente:
YES - a ligação atual é retida ao se pressionar a tecla de linha
ativa atribuída
NO - a ligação atual é terminada ao se pressionar a tecla de linha
ativa atribuída
HDNOACKY Uma chamada é retida ao se pressionar outra tecla de linha: YES
YES - a ligação atual é retida ao se pressionar outra tecla de linha
NO - a ligação atual é terminada ao se pressionar outra tecla de
linha

Exemplo: mudar a configuração do sistema para que as ligações ativas sejam retidas e não
liberadas:
CHA-ZAND:TYPE=KEYSYS,HOLDACKY=YES,HDNOACKY=YES;
Comentário: os valores dos parâmetros para COSLNBAS e DISLNBAS devem ser os
mesmos!
Se um Keyset deve ser realterado para um optiset, executar as etapas a seguir:

Remover todas as linhas secundárias dos Keysets:


Primeiro, remover todas as teclas de linha para outros Keysets:
DEL-KCSU:STNO=4711,TYPE=SEC [,KYNO=2&3&...];
Se o parâmetro KYNO não for especificado, todas as linhas secundárias serão removidas.
s
Remover a linha primária do Keyset e reconfigurar o Keyset para um optiset:
A linha primária é então removida (as teclas de linha de outros Keysets que têm uma linha
secundária para o Keyset que será removido são corrigidas). O Keyset torna-se então um
optiset normal:
DEL-KCSU:STNO=4711,TYPE=PRIM;
O comando
DEL-KCSU:STNO=4711;
tem o mesmo efeito que os dois comandos individuais anteriores!

Atribuir o layout de teclas não-Keyset para o optiset E:


As teclas específicas para o Keyset não podem mais ser usadas. Atribuir um layout de
teclas padrão projetado para optisets sem funções de Keyset (neste exemplo, 4) ao
terminal:
CHA-TAPRO:STNO=4711,STD=4;
s
1.2 Visão geral dos AMO utilizados

AMO Parâmetro Idioma Descrição


ACTDA RCUTOFF e Corte da corrente de toque
CTIME CTHLDREC e temporizador para controlar a duração da retenção manual de
uma chamada
DIMSU KEYSYS e Quantidade máxima de centrais KS
CTPRESEL e Temporizador de controle para pré-seleção manual de uma
linha
KCSU ----------- e ver item 1.1.5
TAPRO KYxx = e Função de tecla a ser atribuída à tecla número xx:

LINE Tecla de linha


HOLD Retenção
EXCLHOLD Retenção exclusiva
PRIVACY Privacidade
IUSE Mostrar linha usada real
RCUTOFF Corte da corrente de toque
PREVIEW Verificação do chamador em linha conectada
WABE DAR = e Resultado de análise de dígito para:

HOLDKY Tecla Retenção


EXHOLDKY Tecla Retenção exclusiva
PRIVKY Tecla Privacidade
IUSEKY Tecla “I-use”
RCTOFFKY Tecla Corte da corrente de toque
TRNSKY Tecla Transferência de chamada
RLSKY Tecla Cancelar
TOGGLEKY Tecla Pêndulo
CONSKY Tecla Consulta
CBKKY Tecla Rechamada
LNRKY Tecla Rediscagem do último número
SNRKY Tecla Rediscagem de número salvo

APRIV Privacidade ativada


DPRIV Privacidade desativada
ZAND TYPE = KEYSYS e selecionar a derivação para as configurações para centrais
KS
COSLNBAS e Usar o COS que pertence à linha apresentada ao invés do
COS que pertence ao primário da linha apresentada
DISLNBAS e Exibir o número de ramal e o nome do usuário que pertencem
à linha apresentada ao invés dos que pertencem ao primário
da linha apresentada.
HOLDACKY e Colocar a chamada ativa em retenção ao pressionar a tecla de
linha correspondente à chamada ativa.
HDNOACKY e Colocar a chamada ativa em retenção ao pressionar outra
tecla de linha não-correspondente à chamada ativa.
s
AMO Parâmetro Idioma Descrição
ZANDE BRDGETON e Usar para desativar a geração de tom de sinalização para
facilidade “bridge call”
s
5 Ramais Hotline e Warmline

5.1 Hotline/Warmline
A facilidade “hotline” automaticamente configura conexões de VOZ e DTE imediatamente
através da captura inicial de um destino pré-configurado, atribuído no AMO HOTLN.
● Atribuir um destino hotline
ADD-HOTLN:TYPE=HOTDEST,HOTLNIDX=<número>,DEST=<número>;
● Ativar a facilidade:
CHA-FEASU:A,HOTRCL;
● Atribuir o destino hotline a um ramal
CHA-SDAT:STNO=<número>,TYPE=DATA1,HOTIDX=<número>;
● Atribuir o atributo HOT para serviço de voz de um ramal pela atribuição comutável a
uma COS de ramal (alternando entre uma COS com atributo HOT e um sem HOT é
possível - COS1/COS2):
CHA-COSSU:TYPE=COS,COS=<número>,AVCE=HOT; (para VOZ)
ou pela atribuição fixa (COS com AVCE=HOT não é necessário nesse caso):
CHA-SDAT:STNO=<número>,TYPE=ATTRIBUT,AATTR=HOT;
● Atribuir o atributo HOT para serviço DTE a um COS do ramal (alternando entre um
COS com atributo OFHKRC e um sem OFHKRC):
CHA-COSSU:TYPE=COS,COS=<número>,ADTE=HOT;
A facilidade rechamada “off-hook” (warmline) automaticamente configura uma conexão a
um destino pré-configurado atribuído no AMO HOTLN se dígitos não são discados, ou se
apenas uma seqüência de dígitos incompleta é discada dentro de um tempo
predeterminado. Para ramais AnaTe, a conexão é também configurada após término do
tempo do tom de ocupado da desconexão A-B de uma parte ou após término do tempo do
tom de ocupado após discagem para um destino Fora de Serviço. Esta facilidade é
fornecida para serviço de VOZ apenas.
● Atribuir um destino de rechamada “off-hook”
ADD-HOTLN:TYPE=OFRCDEST,HOTLNIDX=<número>,DEST=<número>;
● Ativar a facilidade:
CHA-FEASU:A,HOTRCL;
● Mudar o tempo para conexão automática configurado em AMO DTIM2:
CHA-DTIM2:TYPEDH=GEN,DTNT1=10; /*10 segundos é o valor padrão*/.
● Atribuir o destino de rechamada “off-hook” a um ramal
CHA-SDAT:STNO=<número>,TYPE=DATA1,HOTIDX=<número>;
s
● Atribuir OFHKRC a um ramal pela atribuição comutável via COS do ramal (alternando
entre uma COS com atributo OFHKRC e um sem OFHKRC - COS1/COS2):
CHA-COSSU:TYPE=COS,COS=<número>,AVCE=OFHKRC;
ou pela atribuição fixa (COS com AVCE=OFHKRC não é necessária nesse caso):
CHA-SDAT:STNO=<número>,TYPE=ATTRIBUT,AATTR=OFHKRC;

5.1.1 AMOs Relevantes

AMO Parâmetro Idioma Descrição


HOTLN TYPE e OFRCDEST, HOTDEST, HOTDEST,
TAPRO HTLNIDX e índice hotline desejado para destinos hotline/
offhook
TAPRO DEST e destino interceptado offhook
SDAT TYPE e DATA1
SDAT HOTIDX e índice hotline
COSSU HOT e hotline (AVCE/ADTE)
COSSU OFHKRC e código azul (AVCE)
Tabela 5-1
FlexRouting

6. FlexRouting
FlexRouting
Introduction to FlexRouting
1

FlexRouting Configuring the XMU recorded


announcement device 2

Setting up ACD in HiPath 4000


3

Configuring FlexRouting
4

Configuring ACD environment


5

Basic batches for FlexRouting


6

9
Referencias:
A31003-G7310-S100-2-7620, November 1998
FlexRouting V1.0, Service manual
A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007 10
HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware
Contents

Contents 0

1 Introduction to FlexRouting. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-1


1.1 General overview . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-1
1.2 Agent and supervisor telephones . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-3
1.3 Flexible routing . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-6
1.3.1 Available agents . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-7
1.3.2 Queues for incoming calls . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-7
1.3.3 End-of-shift routing . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-8
1.3.4 Calendar routing . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-8
1.3.5 Controlling agent features (CAF). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-8
1.3.6 ACD call forwarding (e.g. for night service). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-9
2 Configuring the XMU recorded announcement device . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-1
3 Setting up ACD in Hicom . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-1
3.1 Enabling FlexRouting in Hicom . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-3
3.2 Types of FlexRouting-compatible telephones . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-5
3.3 Configuring ACD members . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-6
3.4 Configuring ACD groups . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-7
3.5 Configuring agents. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-9
3.6 Configuring FlexRouting telephone functions . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-11
3.6.1 Telephone key standards . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-14
3.6.1.1 optiset basic (T8) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-14
3.6.1.2 optiset E Standard, Advance and Advance plus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-16
3.6.1.3 SET 400 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-18
3.6.1.4 SET 500/SET 700. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-20
3.6.3 Configuring customer-specific key standards . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-24
3.6.4 Configuring codes for ACD functions (AMO WABE) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-26
3.6.5 Configuring CAF codes (AMO WABE) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-29
3.6.6 Tone monitoring/silent monitoring . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-34
3.6.7 Automatic Incoming Call Signaling (AICS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-37
3.8 IVR (Interactive Voice Response) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-38
3.9 Configuring short messages and emergency messages. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-39
4 Configuring FlexRouting . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-1
4.1 Configuring Route Control Groups and ACD numbers . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-4
4.1.1 Configuring ACD numbers . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-4
4.1.2 Configuring Route Control Groups . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
4.2 Configuring DNIT tables . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-7
4.2.1 Configuring DNIT tables for destination-based routing . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-11
4.2.2 Configuring DNIT tables for destination/source-based routing . . . . . . . . . . . . . . 4-13
4.2.2.1 Configuring secondary DNI tables (parameter ROUTING=SA) . . . . . . . . . . 4-20
4.2.2.2 Configuring GDTR rules . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-21

0-1
Contents

4.2.2.3 Configuring primary DNI tables (parameter ROUTING=DRTSA) . . . . . . . . . 4-24


4.3 Configuring the ACD call threshold . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-25
4.4 Configuring ART (ACD Routing Tables) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-26
4.4.1 Action steps of ACD routing table. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-28
4.5 Configuring daily/calendar routing and shift numbers . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-35
4.5.1 Configuring shift numbers. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-37
4.5.2 Configuring daily and calendar routing (AMO ACDRS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-39

Index . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Z-1

0-2
Introduction to FlexRouting
General overview

FlexRouting can be used with Hicom 300E from version 2.0 onwards.
FlexRouting is a standardized ACD solution which is supported on all Hicom 300 systems
worldwide (Hicom 300 from V3.6 and Hicom 300E from V2.0 onwards).
FlexRouting enhances Hicom 300 switching technology to include specific routing functions for
call distribution systems, and also provides agent locations.

Routing
Routing distributes calls via ACD Routing Tables which are valid according to date and time. It
also searches for available resources and provides the supervisor and report system with both
current and history data.
Within the Routing Table (ART), calls can be forwarded to other systems. Where destination
resources are busy, the next stpe in the Routing Table is processed.

Voice terminals and displays


As well as being configured for Hicom functions, selected digital voice terminals from the Set
451, Set 551 and Set 751 series, Optiset E and analog Hicom 300 members can also be con-
figured to operate as agent locations.
To ensure optimum customer service, the digital terminal displays the call status and call-relat-
ed information for incoming calls.

Supervisor functions at digital voice terminals


Supervisor functions include:
● Messages to agents
● Activation/deactivation of agent and group statistics
● Control of day and night service
● Group displays
● Silent monitoring (requires authorization)
● Tone monitoring

1-2
Introduction to FlexRouting
Agent and supervisor telephones

1.2 Agent and supervisor telephones


Supervisor telephones are configured on a number-specific basis.

ACD agents
An ACD agent is a telephone connection which has been defined as an agent by the adminis-
trator. ACD agents are designed to answer ACD calls distributed via ACD routing. The agent
can simultaneously perform both ACD-related and other tasks.
The agent features meet Hicom 300 NLS (National Language Support) requirements, i.e., ACD
agent texts are available in all the same languages as the text information provided for termi-
nals.

Agent IDs
All agents are assigned an ID during configuration. The system supports a total of 4,000 agent
IDs. The length of an agent ID can be configured individually for each Hicom (max. 6 charac-
ters). Agents must first enter their IDs before they can answer ACD calls.

Automatic logon
Members with the autologon feature are logged on automatically with their IDs following
● a group change,
● system reboot,
● a hard restart,
● restart following a status change and
● configuration as part of normal system operation.
This feature is used for
● IVR systems (Interactive Voice Response).

ACD telephone modes


A logged-on ACD agent can be in one of 3 modes:
● Available
● Unavailable
● Work

1-3
Introduction to FlexRouting
Agent and supervisor telephones

Agent telephone states


● Non-ACD, outgoing
Agent in any mode with an outgoing call
● Non-ACD, incoming
Agent in any mode with an incoming call
● Non-ACD, internal
Agent in any mode with an internal non-ACD call
● ACD incoming
Agent in any mode with an incoming ACD call
● Other
Agent in any mode and in transition status (e.g. dialling)
● Unknown
Status temporarily unknown (e.g. restart).

Work
ACD calls are not forwarded to the agents during work time.
● Autowork
It can be defined individually for each agent whether work time is automatically allocated
when an ACD call is completed. Agents can terminate autowork time at their own discre-
tion.
The duration of autowork can be defined as follows:
– 1-10 seconds in 1-second intervals
– 15-300 seconds in 5-second intervals
● Work
The Work key must also be configured for each agent. The agent uses this key to activate
work mode during a call and after a call has been completed.
Work time can be terminated either at the
● agent telephone or
● at the supervisor telephone.

1-4
Introduction to FlexRouting
Agent and supervisor telephones

Agent mode LEDs at the agent telephone


Certain LEDs at the digital agent telephone indicate whether the agent is in available, unavail-
able or work mode. These LEDs are assigned to the Available, Unavailable and Work keys.

LEDs indicating waiting ACD calls


The number of ACD calls waiting for a group can be signalled, via the group status LED, at ei-
ther the agent’s or the supervisor’s digital telephone.
Example: LEDs indicating waiting ACD calls
LED Out On Flashing slowly Flashing quickly
Waiting calls None 1 to 6 7 to 15 >16

Marking calls and entering billing codes


(Account code and transactions code)
An agent can enter a billing code during an ACD call. In this way, a call can be assigned to a
particular event in the statistics.
Example
Calls to be marked Marking number
Call received due an advertisement in a daily paper 101
Call received due an advertisement in a weekly magazine 102
The marking numbers can also be used as billing codes:
Maintenance 701
Acceptance of order 801

The length of the billing code can be set as required (1-12 characters). It is forwarded to the
ACD server via the ACL C protocol for reporting and statistics.

Displaying queuing time


If a connection has been established with an agent, the length of time for which the caller has
had to queue appears on the agent telephone display.
This corresponds to the delay between initial assignment of the call to an ACD Routing Table
by the system and call pickup by the agent.
The time is displayed for 5 seconds, once the call source and call destination have been delet-
ed from the display.

1-5
Introduction to FlexRouting
Flexible routing

1.3 Flexible routing


Each ACD is allocated to a particular ACD Routing Table. The selection of this table depends
on both the time and the day of the week (and on calendar routing). It also depends on the
translation result of the source/destination-related routing which has been determined based
on the
● called number and
● calling number.
The ACD routing table is created using one or both numbers. This table defines the command
steps, e.g. "route call to agent", "route call to music-on-hold", etc., which are provided to handle
ACD calls.
Various control and call-control commands can be entered in each ACD Routing Table.
1. Conditional routing (COND)
2. GO STEP
3. Call acceptance and ringing tone delay (DELAYRB)
4. Disconnect (DISCON)
5. Route to ACD group (RTGRP)
6. Route to agent ID (RTAGT)
7. Route to internal member (RTEXT)
8. Route to music (RTMUS)
9. Wait (WTSEC)
10. Route to recorded announcement (RTREC)
11. Route to external member (RTOFF)

1-6
Introduction to FlexRouting
Flexible routing

1.3.1 Available agents


Calls are allocated to free ACD agents via:
● Regular searches
The available agent which has been free the longest is selected (FIFO).
● Cyclical searches (circular)
The search begins at the agent location following the agent which took the last call.
● Linear searches
The search for a free agent always starts with the first agent location in the list and is linear
in nature.

1.3.2 Queues for incoming calls


If agents are not available, calls are ordered in the selected ACD group queue.

Group overflow
Maximum number of RTGRP entries in the routing table
A call can be entered in up to 16 group queues (primary group plus max. 15 overflow groups).
More than 15 overflow groups in the routing table
Free agents can also be searched for via more than 15 overflow groups. If the number of
RTGRP entered in a routing table is greater than 16, the remaining groups are each searched
once only for a free agent.
If a free agent is not found, the call is not requeud for the group, i.e., the system continues to
search for a free agent only in the first 16 groups.

Priority upgrade
It is possible to specify the queuing time after which caller priority is to be upgraded by one level
(5–300 seconds in 5-second intervals, 0=no priority upgrade).
You can define the period after which the priority of all the calls in queue is increased by one
level (5–300 seconds in 5-second intervals, 0=no priority upgrade).
● Highest priority = 1
● Lowest priority = 64

1-7
Introduction to FlexRouting
Flexible routing

1.3.3 End-of-shift routing


It is possible to define whether waiting calls are still to be processed despite the end of a shift,
or whether they should be rerouted.

IMPORTANT
7
If waiting calls are rerouted at the end of a shift, the priority upgrades assigned dur-
ing the last shift are lost.
New incoming calls are routed for processsing by the new shift.

1.3.4 Calendar routing


Using this feature, the customer can configure special rerouting of ACD calls for certain days
of the year, e.g. public or local holidays, religious feast days or company holidays.
This allows the same date every year, a particular date in the current year or a particular date
in any given year to be defined.
This feature is an extension of daily routing.
Time periods can also be entered using calendar routing (max. 1 year).

1.3.5 Controlling agent features (CAF)


CAF codes are equipped with a remote control function. This allows call distribution to
● a particular agent,
● a particular group or
● a particular RCG (route control group)
to be controlled from an authorized telephone (e.g. supervisor).

1-8
Introduction to FlexRouting
Flexible routing

1.3.6 ACD call forwarding (e.g. for night service)


There are two night service options:
1. The supervisor can activate and deactivate the night service using the CAF feature
(CAF, see page 3-29).
The call forwarding function can forward incoming CO calls to a predefined alternative
destination number (e.g. an alternative ACD number, a recorded night announcement or
an attendant).
2. The system can also activate day and night service automatically by selecting particular
ACD Routing Tables using the end-of-shift routing feature.

1-9
Introduction to FlexRouting
Flexible routing

1-10
Configuring the XMU recorded announcement device

2 Configuring the XMU recorded announcement


device
The XMU recorded announcement device is provided for FlexRouting.

64 Western connector lines via


HiPath 4000 distribution frame to SLMA

SLMA

XMU (eXtended Message Unit)


Configuring recorded announcement ports
for FlexRouting
Each XMU announcement channel is connect-
ed with a Hicom SLMA port. ART (ACD Routing Table)

Step ART 16
Recorded announcement numbers
1 RTREC RECNUM 2
All recorded announcements connected to a
2 RTGRP ACDGRP 1
SLMA port are assigned a recorded an-
nouncement number via the AMO RCSU. 3 RTGRP ACDGRP 2
These numbers can be entered subsequently 4 RTMUS MUSNUM 1
in the following ACD tables:
5 WTSEC SEC
● ART (see page 4-26) 30
Recorded announcements can be located ...
either at the start of the ART
or further on (e.g. "Please hold...").
DNIT Table
– Recorded announcement
(on request) INTRTDN 93511
– Music (continuous). ROUTING=DRTD
● DNIT for audible source ID GDTRRULE=0
(see page 4-7). DISPLAY ACD VIA 93511
– Repeated announcement RCG index - 100
(continuous) PRI - 10
Using the audible source ID, a short text OVRPRI - 5
can be broadcast to agents when AUDSCRID - 7
answering calls (e.g. "Call from USA") .
THRSHLD - *

2-1
Configuring the XMU recorded announcement device

Front panel (chassis with 64 recorded announcement ports)

LCD display
Function keys
Handset: record texts and play back
Tape input

Setting XMU playback modes


1. Ensure that the recorded announcements required are loaded into the recorded announce-
ment device.
These are normally provided either by a recording studio or are recorded by the customer.
2. Once the announcements are loaded, assign the corresponding description via the front
panel:
a) Recorded announcement: set the mode to "R" (one-off announcement)
b) Repeated announcement and music: set the mode to "CP NO" (continuous).

2-2
Configuring the XMU recorded announcement device

Press the Enter key and, using the arrow keys,


● select the announcement and the required mode (card and line number) and
● set the corresponding mode.

Main Menu Select Line #


< Card > < 1 >

⇐⇓⇒ Ò
Select Card # Card 1 Line 1
< 1 > < Mode

⇐⇓⇒ ⇐⇓
Card # 1 < Mode < Mode
Select Line > R and CP NO

⇓⇒ Recorded Recorded
Announcement Announcement/
Select Line #
Music
< ALL >

⇐⇓⇒

Configuring the XMU recorded announcement device


The XMU recorded announcement device is configured using the AMO RCSU.
The XMU can have a maximum of 64 ports. Via the front panel, assign the corresponding mode
to each of the 64 ports.

Although more than 64 announcements can be recorded, only 64 ports are avail-
> able.

2-3
Configuring the XMU recorded announcement device

Configure the recorded announcement port for a greeting (XMU mode ⇒ "R")

Start of recorded greeting Start of recorded greeting

New incoming calls are collected to- At this point


gether during the repeated greeting.
● the collected callers all hear the re-
New callers hear the ringing tone corded greeting and
during this time.
● callers who have already heard the
greeting have their calls processed
in accordance with the type of rout-
ing configured.

The recorded greeting should be as short as possible, as it also corresponds to the


maximum period during which the ringing tone can be applied.

The recorded greeting is assigned the mode "R" (fixed announcement length).
● The recorded announcement begins when a call is assigned
● Hicom is notified when the announcement (which is played once only) is completed.
Example: "Welcome to the Siemens AG Munich technical support service. All our technicians
are currently busy, your call will be connected as soon as possible. Please hold".
ADD-RCSU:PEN=1-2-25-0,NO=1,ACT=YES,OPMODE=DEMAND,
OPTYPE=FIXED,RECAPL=ACDR,RECNUM=1,LENGTH=8;
PEN Enter the PEN for each XMU recorded announcement port.
OPMODE Demand
OPTYPE Fixed
RECAPL Recorded announcement port
ANSNR Recorded announcement number. This is entered subsequently into the ACD
Routing Table (ART) using the AMO ACDRT, parameter RTREC (see page 4-
26).
Note: Only one-off announcements are used in the ART.

2-4
Configuring the XMU recorded announcement device

LENGTH Duration of a one-off announcement. You can query the length of each an-
nouncement via the XMU menu. Either the given duration or a longer period
can be entered here.

Interim recorded announcements (e.g. "Please hold...")


This announcement is corresponds to item 1, except that if music on hold has already been
configured, waiting callers hear music instead of a ringing tone.

Configuring a recorded announcement port for audible source ID


(XMU mode => "CP NO")
These are announcements which can be broadcast to the agent when a call is being taken. The
RECNUM is entered subsequently to the corresponding DNIT table with the AMO DNIT, pa-
rameter AUDSCRID (see page 4-7).
Example: "Call from USA"
ADD-RCSU:PEN=1-2-25-2,NO=1,ACT=YES,OPMODE=CONT,
OPTYPE=RANDOM,RECAPL=ACDR,RECNUM=2,LENGTH=5;

OPMODE Cont
OPTYPE Random
RECAPL Recorded announcement
RECNUM Recorded announcement number
LENGTH Duration how long the agent can hear the announcement.This can be queried
for each announcement via the front panel of the recorded announcement de-
vice.

2-5
Configuring the XMU recorded announcement device

Configuring a recorded announcement port for music (XMU mode => "CP NO" )
ADD-RCSU:PEN=1-2-25-3,NO=1,ACT=YES,OPMODE=CONT,
OPTYPE=RANDOM,RECAPL=ACDMUS,MUSNUM=1;

OPMODE CONT
OPTYPE RANDOM
RECAPL ACDMUS
MUSNUM In this way, the music which is stored on the XMU is broadcast to the member.

The MUSNUM is entered subsequently to the required ACD Routing Table with the
> AMO ACDRT, parameter "RTMUS" (see page 4-26).
In order to restrict the duration of the music, enter a time limit for the search for free
agents in the ACD Routing Table. It should be entered after the Music destination
field (ART command WTSEC).
The board port only starts operating when
1. it is connected to the recorded announcement device and
2. the announcement device is configured accordingly.

Testing recorded announcements


Recorded announcements cannot be selected and tested via a number. Announcements are
only available in ACD.
If you are not sure whether the announcements are working, they should first be configured us-
ing AMO SCSU. In this way they can be selected for test purposes via a number.

2-6
Setting up ACD in Hicom

3 Setting up ACD in HiPath 4000

Agent Supervisor

HiPath 4000

XMU (eXtended Message Unit)

The following steps are described in this chapter:

Enabling FlexRouting
Configuring agents and groups

Overview of agent/supervisor telephone features


Configure agent and supervisor telephones and their groups:
1. Configure agents and supervisors as members
2. Configure groups
3. Configure special features
a) Silent monitoring (<< requires authorization >> ).
b) Tone monitoring.
c) Automatic call pickup (e.g. where a headset is used).
Routing is described in Chapter 4.

3-1
Setting up ACD in Hicom

4. Overview of agent and supervisor telephone functions

Keys (from page 3-14 onwards)


for agent/supervisor telephones
Agent logon/logoff Work
Agent unavailable Agent available
Marking (account code) Headset
Automatic call pickup Send emergency message
Short message to supervisor Acknowledgment
Primary group status Scroll key with LED for messages
Primary queue status Secondary queue status
Typical supervisor telephone keys
Short message to agent Secondary group status
Supervisor-only keys
Tone monitoring Tone monitoring (third-party monitoring)

Codes (from page 3-26 onwards)


for agent/supervisor telephones
Agent logon/logoff Work
Agent unavailable Agent available
Marking (account code) Headset
Short message to supervisor Primary group status
Primary queue status Secondary queue status
Typical supervisor telephone codes
Short message to agent Secondary queue status
Supervisor-only codes
Tone monitoring Tone monitoring (third-party monitoring)

CAF codes (from page 3-29 onwards)


(CAF=Control of Agent Features)
CAF group available CAF group unavailable
CAF group logoff CAF agent logoff
CAF agent available CAF agent unavailable
CAF call forwarding on CAF call forwarding off
Tone monitoring (third-party monitoring)

3-2
Setting up ACD in HiPath
Enabling FlexRouting in Hicom

3.1 Enabling FlexRouting in HiPath

Requirements
● A dongle must first be plugged at the operating terminal interface in order to enable
FlexRouting in Hicom 300 E.
● No special LCR, COP or COT details are required.

Dimensioning a FlexRouting datafield in Hicom (AMO DIMSU)


These details are used to define the maximum FlexRouting value.
ADD-DIMSU:TYPE=CC2,ACDAGT=300,ACDCQ=600,ACDGRP=30,ACDLOGON=50,
ACDPRIM=75,ACDRCG=1000,ACDSHIFT=100,ACDRT=100,ACDCALEN=100,ACDRTX=200,
ACDMONID=100,GDTR=10,DNI=100,DPDNI=10;
ACDAGT Number of agents which can be configured in ACD G
ACDCQ Number of entries in the ACD call queue
ACDGRP Number of configurable ACD groups
ACDLOGON Number of agents which can log on simultaneously
ACDPRIM Number of primary agents
This must be the same as the number in ACDAGT.
ACDRCG Number of route control groups (RCG)
ACDSHIFT Number of shifts
ACDRT Number of ACD Routing Tables
ACDCALEN Number of entries for calendar routing (for weekdays, Sundays and public
holidays)
ACDRTX Number of additional ACD Routing Tables
ACDMONID Number of ACL monitor points (e.g. number=number of ACDRCG)
GDTR Number of entries for translating source numbers
DNI Number of entries for translating ACD numbers
DPDNI Number of datapool elements for the DIMSU parameter DNI
DIS-DIMSU:TYPE=CC;
If you discover during further configuration that a particular field has been under-dimensioned,
a corresponding message is displayed.
You can then extend the required data field using the AMO DIMSU.

3-3
Setting up ACD in Hipath 4000
Enabling FlexRouting in Hicom

Old CO trunks which cannot be cleared down at next step


>
These trunks are associated with the following problem. Although the caller has
hung up, FlexRouting may not have registered this fact and forwards the call to an
agent. When the agent accepts this call, a busy tone is heard. This is why old CO
trunks should not be used.

Configuring FlexRouting in Hicom (AMO ZAND)


CHANGE-ZAND:TYPE=ACD,ACDALLOW=YES;
Number corresponds to the DPLN group for ACD FlexRouting:
Default value is 0#
The DPLN group ACDWABE should correspond to the DPLN group of the routing destinations.

Assign DPLN group (AMO ZAND)


CHANGE-ZAND:TYPE=ACD,ACDDPLN=0;

CAUTION
7
When the parameter ACDALLOW=NO is set,
● FlexRouting is deactivated and
● all agents are logged off.

3-4
Setting up ACD in HiPath
Types of FlexRouting-compatible telephones

3.2 Types of FlexRouting-compatible telephones

FlexRouting-compatible telephones are marked with "+" Agent Superv. CAF


ANATE +
DIGI211 +
DIGI260 +
SET400 + + +
Ext. TTX, DTE
KEY300 SET500-based trading phone + + +
SET500 + + +
SET700 + + +
OPTISET + + +
SET600
CMI BASE OPTISET-based
CMI EXTLINE SET600-based extension line
CMI ADM OPTISET-based
CMI RADIO OPTISET-based cordless phone + + +
SKY MANAGER OPTISET-based
SKY EXTLINE SET600-based extension line
SKY PHONE OPTISET-based trading phone
SKY LINE OPTISET-based trading line + + +
NT LOGOPTI Network team OPTISET only logically defined but
physically to be plugged in a different Network
node
NT REMOPTI Network team OPTISET only physically plugged
but logically defined in a different Network node
NT EXTLINE SET600-based extension line
TC LOGOPTI OPTISET-based telecommuting station only
logically defined
TC REMOPTI OPTISET-based telecommuting station
Station signed off Member logged off + + +
Floating station Floating member
Station with + + +
associated DCI
CHESE executive Executive + +
CHESE secretary Secretary
CHESE Secretary representative + + +

3-5
Setting up ACD in Hicom
Configuring ACD members

3.3 Configuring ACD members

Configuring members in WABE (AMO WABE)


ADD-WABE:CD=3401,DAR=STN,CHECK=N;
ADD-WABE:CD=3402,DAR=STN,CHECK=N;
ADD-WABE:CD=3403,DAR=STN,CHECK=N;

Configuring telephones in Hicom


Members may not be configured as secretaries (SECR=N).
● AMO SBCSU for optiset
● AMO SCSU for ANATE and DIGITE SET 400
● AMO SSCSU for SKY Line
● AMO SBCSU for DIGITE SET 500 and Set700
● SBCSU, SCSU and SSCSU are transparent for FlexRouting.

Activating members for management using FlexRouting (AMO SDAT)


Possible configurations:
CHA-SDAT:STNO=3242,TYPE=ATTRIBUT,DATTR=,AATTR=SUPER
CHA-SDAT:STNO=3243,TYPE=ATTRIBUT,DATTR=,AATTR=AGENT
CHA-SDAT:STNO=3244,TYPE=ATTRIBUT,DATTR=,AATTR=AGENT&SUPER
CHA-SDAT:STNO=3245,TYPE=ATTRIBUT,DATTR=,AATTR=AGENT&AUTOLOG
CHA-SDAT: STNO=3246 ,TYPE=ATTRIBUT, DATTR=,AATTR=AGENT&SUPER&AUTOLOG
AATTR activates attributes
DATTR deactivates attributes
Before a member attribute can be deactivated using SDAT, this must have been deactivated
using the AMO DSSU.

Once a member has been enabled for FlexRouting, it cannot immediately be


> deleted. In order to delete an agent port, FlexRouting must first be disabled.

3-6
Setting up ACD in Hicom
Configuring ACD groups

3.4 Configuring ACD groups


Every ACD group must be assigned a supervisor. The first assigned group is agreed as
standard as the primary group for the supervisor.
If a supervisor is subsequently assigned to an additional group, the supervisor can also be
assigned another group as a primary group using the parameter PRIMARY.

Maximum values
Up to 255 groups can be configured.
Up to 1000 agents can be entered in a group.

Changing the search method


If the search method is changed from CIRC => FIFO or LIN => FIFO or vice versa, all agents
are logged on. Using AUTOLOG, agents which have been overlooked are automatically logged
on again in the port when the change occurs.
● Logoff is automatic when a change occurs
● Automatic logon only occurs with AUTOLOG

Configuring ACD groups


ADD-ACDGP:ACDGRP=1,SEARCH=FIFO,SUPEXT=3242,PRIMARY=YES,
LED=YES,ON=5,FLASH=7,WINK=10;
ACDGRP Group number <1-255> or no entry.
If a group number is not specified, the next free group number is used. A
preexisting ACDGRP group is not used.
SEARCH Call distribution for this group:
Standard=FIFO (long. idle), LIN=linear or CIRC=cyclical.
SUPEXT This is used to assign a supervisor to a group.
PRIMARY (Yes/no) is entered to define whether this is assigned to the supervisor as a
primary or secondary group. Each supervisor may only be assigned one
primary group.
LED Yes/standard=no: This defines whether the number of waiting calls is indicated
by a flashing LED (LED at the ACDPGS or ACDPQS key).
ON The LED remains on once this number of waiting calls is exceeded (1-253
calls).
FLASH The LED flashes once this number of waiting calls is exceeded (2-254).
WINK The LED winks once this number of waiting calls is exceeded (3-255).
Example: ON < FLASH < WINK

3-7
Setting up ACD in Hicom
Configuring ACD groups

To activate the LED function, either the ACDPGS or the ACDPQS key must be configured.
ACDPGS=primary group status, ACDPQS=primary queue status (see page 3-26).

Displaying ACD groups


Example: Displaying ACD groups assigned to the supervisor 91101
DIS-ACDGP:SUPEXT=91101;
+-------+--------+---------+------+--------+----+-----+-----+
| |NUMBEROF| | | |LED |LED |LED |
|ACDGRP |AGENTS |SUPEXT |SEARCH|PRIMARY |ON |FLASH |WINK |
+-------+--------+---------+------+--------+----+-----+-----+
| 3 | 15 | 91101 | CIRC | NO | 7 | 15 | 30 |
+-------+--------+---------+------+--------+----+-----+-----+
| 4 | 8 | 91101 | LIN | NO | 7 | 15 | 30 |
+-------+--------+---------+------+--------+----+-----+-----+
| 11 | 17 | 91101 | FIFO | YES | 7 | 15 | 30 |
+-------+--------+---------+------+--------+----+-----+-----+
| 12 | 22 | 91101 | FIFO | NO | 7 | 15 | 30 |
+-------+--------+---------+------+--------+----+-----+-----+

Deleting ACD groups


An ACD group can be deleted if:
● It is not a primary group for a supervisor (parameter PRIMARY).
If several groups have been assigned to the supervisor, another group must be entered as
a primary groups where necessary.
Exception: If only one group is assigned to the supervisor, this can be deleted if both of the
following conditions are met:
● The agents assigned to this group have been reassigned or deleted using the AMO
AGENT (see page 3-9).
● This group is not entered into an ACD Routing Table (see page 4-26).
If these conditions are not met, the deletion action is rejected and an error message is output.
Example:
DEL-ACDGP:ACDGRP=2;
F13: THE ACD GROUP (ACDGRP) IS CONFIGURED AS THE PRIMARY GROUP.
IT CAN ONLY BE DELETED ONCE ANOTHER ACD GROUP IS CONFIGURED AS
A PRIMARY GROUP FOR THE SUPERVISOR.

3-8
Setting up ACD in HiPath
Configuring agents

3.5 Configuring agents


Condition: The ACD groups have already been configured.

Define standard system parameters for agents


Using the AMO ACDSD, TYPE=SYS, set universally valid agent features:
CHA-ACDSD:TYPE=SYS,AGTIDLEN=3,QFACTOR=10,AGTTARGT=EXT,DELAYRBT=1;
AGTIDLEN <1..6> Number of agent ID characters.
QFACTOR <0-300> Time after which waiting calls are assigned.
Higher priority (0=priority unchanged, 5-sec. intervals).
AGTTARGT Entry which identifies agents:
=EXT : agent extension number.
=ID : agent identification number.
DELAYRBT Ringing tone delay <1...25>, standard = 5 seconds.
Maximum time value for DELAYRBT interval in the ART.
Example: DELAYRB entry in the ACD Routing Table
CHA-ACDRT:ART=22,TYPE=ARTSTEP,STEP=1,ACT=DELAYRB;

Configure agents and allocate group


AMO AGENT
ADD-AGENT:AGTID=101,ACDGRP=1,AGTPOS=1,AUTOWK=10,AUTOEXT=3243;
ADD-AGENT:AGTID=102,ACDGRP=1,AGTPOS=2,AUTOWK=10;
ADD-AGENT:AGTID=103,ACDGRP=1,AGTPOS=3,AUTOWK=10;
AGTID Unique agent identification number.
The number of characters is defined in ACDSD.
ACDGRP <0-255> group IDs.
0 = flexible agents (agents not assigned group membership).
AGTPOS <1...1000> Entering a position assigns a fixed position to the agent within a
group.
If a position is not entered, the agent is assigned as standard the next free
position in the ACD group table.
Note: This entry assigns a priority in the case of linear agent searches.
Wherever possible, the call is assigned to the agent with the lowest AGTPOS.
The agent search is defined in the AMO ACDGP.

3-9
Setting up ACD in HiPath
Configuring agents

AUTOWK <0...300> Work time in 5-second intervals.


This defines the number of seconds, after a call is completed, during which
calls may not be assigned to the agent.
Standard=0, 299="unlimited" work time.
0=no work time, 1–10 in 1-second intervals 15–300 in 5-second intervals.
AUTOEXT Extension number for automatic logon.

Configure flexible agents (agents not assigned group membership)


Flexible agents are configured using the parameter ACDGRP=0.
In this case, AGTPOS cannot be configured for the agents.
Flexible agents are not assigned group membership until the supervisor has entered all
corresponding group data for these agents.
Only when this is complete can a flexible agent log onto this group.
Example: Configuring flexible agents:
ADD-AGENT:AGTID=111,ACDGRP=0,AUTOWK=20;
H06: THE AGENT (AGTID) 101 HAS BEEN CONFIGURED IN THE FLEXIBLE ACD
GROUP.

CHA AGENT (change agent)


The additional parameter NEWID is available for the action CHA AGENT
CHA-AGENT:AGTID=101,NEWID=93101;
H02: THE AGENT (AGTID) 101 HAS BEEN CHANGED.

Additional notes
Whether incoming call should be
● ACD-group distributed only or
● allocated directly to certain agents
can be entered subsequently in the ART.
Allocating calls directly to agents
Example: The agent with agent ID 301 is a member of group 104

Possible ART constellation Unauthorized ART constellations


1. RTAGT 301 1. RTGRP 104
2. RTGRP 104 2. RTAGT 301 => ERROR
3. ... 3. ...

3-10
Setting up ACD in HiPath
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6 Configuring FlexRouting telephone functions


This section introduces the default key standards of the FlexRouting telephone:
● optiset E T8 (page 3-14)
● optiset E T12 (page 3-16)
● SET 400 (page 3-14)
● SET 551/SET 751 (page 3-21)
Note for SET 500:
When installing Set500, use the latest firmware. Although the system will operate with old-
er versions, it cannot receive calls.
The terminal must be adjusted before calls can be forwarded to it (e.g. the handset must
be lifted or placed on-hook).
With FlexRouting you can also
● display the features using codes (see page 3-26)
This feature is used for workstations where the feature has not been configured on any
function key (e.g. ANATE) and
● display CAF features using codes (see page 3-29).
This allows the user, for example, to log an agent or group off from a supervisor telephone.
Do-not-disturb, voice calling protection, call forwarding and call forwarding, no answer are not
activated for ACD calls. These features continue are still available for non-ACD calls.

Features tone monitoring and silent monitoring


7 In certain countries these features may only be activated in consultation with the
customer and, where necessary, with employee representatives. Written customer
authorization must be provided (see page 3-34).

3-11
Setting up ACD in HiPath
Configuring FlexRouting telephone functions

Possible agent supervisor telephone functions


Default ACD key standards are configured for the ACD functions. These key standards can be
modified as described from page 3-24 onwards.

Idx AMO TAPRO Key description


A ACDLOG Agent logon/logoff Max ID length 6 characters
A ACDWORK Work Activate only
A ACDNAV Agent unavailable Activate only
A ACDAV Agent available Deactivate work/unavailable
A ACC Marking (account code) Enter number of markings
H HS Headset Available/unavailable
H AUTOM Automatic call pickup Activate/deactivate
S ADDON Silent monitoring Third-party monitoring
S MONTONE Tone monitoring Tone monitoring
A/S ACDEMMSG Send emergency message Agent to supervisor
A/S ACDSPVM Short message to supervisor Agent to Supervisor
S ACDAGTM Short message to agent Supervisor to agent
AS ACK Acknowledgement Confirm short message
AS SCROL Arrow key with LED Scrolling in short messages
A ACDPGS Primary group status Status of own group
S ACDSGS Secondary group status Status of selected group
A ACDPQS Primary queue status Status of own queue factor
A ACDSQS Secondary queue status Queue factor of selected group
Column Idx
A Agent telephone
H Agent telephone with headset
S Supervisor telephone
AS Agent and supervisor telephone
A/S This key must also be configured on the supervisor telephone so that supervisors
can dispatch a message to their superiors. For this purpose the supervisor must be
configured as an agent in another group.

3-12
Setting up ACD in HiPath
Configuring FlexRouting telephone functions

Notes about special keys


● "Available" key
The Available key terminates the
– unavailable,
– work and autowork modes.
● "Unavailable" key
Before leaving their workstations for a short time, agents must press this key.
● "ACK" key
When recording messages, the ACK and SCROL keys must be configured. The ACK key
cannot be configured as a keyboard code.
● Expansion to include 20 standard key assignments (STD)
The AMO TAPRO already provides standard FlexRouting key assignments for the SET
400, SET 500 and optiset telephones.

3-13
Setting up ACD in HiPath
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.1 Telephone key standards


The telephones are described on the following pages:
● optiset E basic (T8) from page 3-14 onwards
● optiset E standard, advance and advance plus (T12) from page 3-16 onwards
● SET 400 from page 3-18 onwards
● SET 500/SET 700 from page 3-21 onwards

3.6.1.1 optiset basic (T8)

Key standards for agents


optiset basic (T8)

optiset E T8
* 1 Key Agent assignment TAPRO
1 Agent IDs ACDLOG
* 2
2 Available ACDAV
* 3 3 Unavailable ACDNAV

4 4 Work ACDWORK
*
5 Transactions code ACC
+ * 5 Classifies callers for
statistical evaluation
- * 6 6 Parking PARK

* 7 7 Release CL
8 Direct Station Selection DSS
* 8

3-14
Setting up ACD in HiPath
Configuring FlexRouting telephone functions

Key standards for supervisors


optiset basic (T8)

optiset E T8
* 1 Key Supervisor TAPRO
assignment
* 2 1 Available ACDAV
2 Unavailable ACDNAV
* 3
3 Third-party monitoring ADDON
* 4
4 Tone monitoring MONTONE

+ * 5 5 Date REMIND
6 Parking PARK
- * 6
7 Release CL
* 7 8 Direct Station Selection DSS

* 8

optiset basic (T8): Display key standards


DIS-TAPRO:STD,14,OPTISET; or DIS-TAPRO:STD,15,OPTISET;

STD DIGTYP KEY ASSIGNMENT

Agents
14 OPTIT8 1 ACDLOG 2 ACDAV 3 ACDNAV 4 ACDWORK 5 ACC

6 PARK 7 CL 8 DSS

Supervisors
15 OPTIT8 1 ACDAV 2 ACDNAV 3 ADDON 4 MONTONE 5 REMIND

6 PARK 7 CL 8 DSS

3-15
Setting up ACD in HiPath
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.1.2 optiset E Standard, Advance and Advance plus

Key standards for agents

optiset E T12

* 1 * 5 Key Agent assignment TAPRO


+
1 Agent IDs ACDLOG
* 2 * 6
- 2 Available ACDAV
* 3 * 7 3 Unavailable ACDNAV
4 Work ACD-
* 4 * 8
WORK

* 9 5 Scroll SCROL
6 Message for supervisor ACDSPVM
* 10
7 Confirm ACK
* 11 8 Emergency AC-
DEMMSG
* 12
9 Transactions code ACC
Classifies callers for sta-
tistical evaluation
10 Parking PARK
11 Release CL
12 Direct Station Selection DSS

3-16
Setting up ACD in HiPath
Configuring FlexRouting telephone functions

Key standards for supervisors

optiset E T12

Key Supervisor Tapro


assignment
* 1 * 5
+ 1 Available ACDAV
* 2 * 6 2 Unavailable ACDNAV
-
7 3 Third-party monitoring ADDON
* 3 *
4 Tone montoring MONTONE
* 4 * 8
5 Scroll SCROL

* 9 6 Message for agent ACDAGTM


7 Confirm ACK
* 10
8 Primary group status ACDPGS
* 11 9 Primary queue status ACDPQS

12 10 Parking PARK
*
11 Release CL
12 Direct Station DSS
Selection

optiset E (T12): Display key standards


DIS-TAPRO:STD,17,OPTISET; or DIS-TAPRO:STD,16,OPTISET;

STD DIGTYP KEY ASSIGNMENT

Agents
16 OPTIT12 1 ACDLOG 2 ACDAV 3 ACDNAV 4 ACDWORK 5 SCROL

6 ACDSPVM 7 ACK 8 ACDEMMSG 9 ACC 10 PARK

11 CL 12 DSS

Supervisors
17 OPTIT12 1 ACDAV 2 ACDNAV 3 ADDON 4 MONTONE 5 SCROL

6 ACDAGTM 7 ACK 8 ACDPGS 9 ACDPQS 10 PARK

11 CL 12 DSS

3-17
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.1.3 SET 400

Key standards

SET 451 T 25 FD
* 9 * 1

10 ACD assignment 2
* *

* 11 * 3

* 12 * 4

* 13 * 23

* 14 * 24

* 15 * 19

* 16 * 20

* 5 8

* 29 * 7 6

* 18 22

* 17 21

Key Agent 1/2 TAPRO Supervisor TAPRO


9 Agent IDs ACDLOG Available ACDAV
10 Available ACDAV Unavailable ACDNAV
11 Unavailable ACDNAV Third-party monitoring ADDON
12 Work ACDWORK Tone monitoring MONTONE
1 Scroll SCROL Scroll SCROL

3-18
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

Key Agent 1/2 TAPRO Supervisor TAPRO


2 Message for supervisor ACDSPVM Message for agent ACDAGTM
3 Confirm ACK Confirm ACK
4 Emergency ACDEMMSG Emergency message ACDEMMSG

SET 400: Key standards


Agent 1: DIS-TAPRO:STD,14,SET400;
Agent 2: DIS-TAPRO:STD,15,SET400;
Supervisor: DIS-TAPRO:STD,16,SET400;

STD DIGTYP KEY ASSIGNMENT

Agent 1
14 SET4C2 1 SCROL 2 ACDSPVM 3 ACK 4 ACDEMMSG 5 FWD

6 SNR 7 PU 8 CBK 9 ACDLOG 10 ACDAV

11 ACDNAV 12 ACDWORK 13 REMIND 14 TRNS 15 SPLT

16 ST 17 SPKR 18 CH 19 KNOVR 20 CONF |

21 CONS 22 RLS 23 PARK 24 CL 25 VACANT |

26 VACANT 27 VACANT 28 VACANT 29 MB

Agent 2
15 SET4C2 1 SCROL 2 ACDSPVM 3 ACK 4 ACDEMMSG 5 FWD

6 SNR 7 PU 8 CBK 9 ACDLOG 10 ACDAV

11 ACDNAV 12 ACDWORK 13 ACC 14 TRNS 15 SPLT

16 ST 17 SPKR 18 CH 19 KNOVR 20 CONF |

21 CONS 22 RLS 23 PARK 24 CL 25 VACANT |

26 VACANT 27 VACANT 28 VACANT 29 MB

Supervisors
16 SET4C2 1 SCROL 2 ACDAGTM 3 ACK 4 ACDPGS 5 FWD

6 SNR 7 PU 8 CBK 9 ACDAV 10 ACDNAV

11 ADDON 12 MONTONE 13 REMIND 14 TRNS 15 SPLT

16 ST 17 SPKR 18 CH 19 KNOVR 20 CONF

21 CONS 22 RLS 23 PARK 24 CL 25 VACANT

26 VACANT 27 VACANT 28 VACANT 29 MB

3-19
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.1.4 SET 500/SET 700

Key standards

SET 500/ SET 700


* 1 * 9

* 2 * 10

* 3 * 11

* 4 * 12

* 5 * 13

* 6 * 14

* 7 * 15

* 8 * 16

* 17 21
* 25
* 18 22

* 19 23

* 20 24

Key Agent 1/2 TAPRO Supervisor TAPRO


1 Agent IDs ACDLOG Available ACDAV
2 Available ACDAV Unavailable ACDNAV
3 Unavailable ACDNAV Third-party monitoring ADDON
4 Work ACDWORK Tone monitoring MONTONE
9 Scroll SCROL Scroll SCROL
10 Message for supervisor ACDSPVM Message for agent ACDAGTM

3-20
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

Key Agent 1/2 TAPRO Supervisor TAPRO


11 Confirm ACK Confirm ACK
12 Emergency ACDEMMSG Emergency message ACDEMMSG

SET 500/700: Key standards


Agent 1: DIS-TAPRO:STD,9,SET500;
Agent 2: DIS-TAPRO:STD,10,SET500;
Supervisor: DIS-TAPRO:STD,11,SET500;

STD DIGTYP KEY ASSIGNMENT

Agent 1
9 SET500 1 ACDLOG 2 ACDAV 3 ACDNAV 4 ACDWORK 5 REMIND |

6 TRNS 7 SPLT 8 ST 9 SCROL 10 ACDSPVM |

11 ACK 12 ACDEMMSG 13 NAME 14 CL 15 KNOVR |

16 CONF 17 FWD 18 PU 19 CH 20 SPKR |

21 CBK 22 SNR 23 RLS 24 CONS 25 MB

Agent 2
10 SET500 1 ACDLOG 2 ACDAV 3 ACDNAV 4 ACDWORK 5 ACC |

6 TRNS 7 SPLT 8 ST 9 SCROL 10 ACDSPVM |

11 ACK 12 ACDEMMSG 13 NAME 14 CL 15 KNOVR |

16 CONF 17 FWD 18 PU 19 CH 20 SPKR |

21 CBK 22 SNR 23 RLS 24 CONS 25 MB

Supervisors
11 SET500 1 ACDAV 2 ACDNAV 3 ADDON 4 MONTONE 5 REMIND |

6 TRNS 7 SPLT 8 ST 9 SCROL 10 ACDAGTM |

11 ACK 12 ACDPGS 13 ACDPQS 14 CL 15 KNOVR |

16 CONF 17 FWD 18 PU 19 CH 20 SPKR |

21 CBK 22 SNR 23 RLS 24 CONS 25 MB

3-21
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.2 TAPRO parameters and key descriptions

TAPRO Key description


ACC Account code (mark call) ACD
ACDAGTM Send message to agent ACD
ACDWORK Agent working ACD
ACDLOG Agent LOGON/LOGOFF ACD
ACDEMMSG Send emergency message ACD
ACDNAV Agent unavailable (e.g. for a short break) ACD
ACDPGS Primary group status ACD
ACDPQS Primary queue status ACD
ACDSGS Secondary group status ACD
ACDSQS Secondary queue status ACD
ACDSPVM Send message to supervisor ACD
ACDAV Agent available ACD
ACK Acknowledge message ACD
DND Do-not-disturb key
KNOVR Key for call override, call waiting ...
VCR Direct voice calling protection
FWD Call forwarding key
PU Call pickup
PUS Call pickup (for executive/secretary telephone)
AUTOM Automatic call pickup ACD
MB Mailbox key
MSGR Message retrieval key
CH Check (query mailbox contents)
CL Clear
VC Voice calling key
DSS Direct Station Selection key
STO Data transfer (store)
VACANT Key unassigned
CONF Conference key
LNAME Local name key

3-22
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

TAPRO Key description


SPKR Loudspeaker key
SPLT Toggle
MONTONE Tone monitoring ACD
MUTE Loudspeaker mute key
NAME Name key
NV Non-voice (data) key
PARK Parking key
CC Code calling key
CONS Consultation
CBK Callback, trunk queuing
RNGXFER Ring transfer (for executive/secretary telephone)
HT Hunt group key (on/off)
SCROL Scroll messages ACD
HS Headset key
ST Start key
REMIND Reminder function key
RLS Release
DOOR Door key
TRNS Transfer, pickup
TIME Date/time
REP Representative key (for executive/secretary telephone)
LNR Redial last number dialled
SNR Store number, redial number
ADDON Third-party monitoring key

The LED next to the ACDPGS button (or ACDPQSC if only this button is installed)
> does not light up when the button is operated as this LED is used as a call waiting
level LED. This means that this LED indicates the number of waiting callers, see
Section 3.4 on page 3-7.

3-23
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.3 Configuring customer-specific key standards


Cistomer-specific key standards can be configured in two ways:
1. The standard key assignment can be modified for a particular telephone.
Unassigned standard numbers can be configured (depending on
availability) or a default standard number (STD) can be overwritten.
2. The key assignment can modified specifically for particular extensions.

Modifying key standards for various types of telephone


DIS-TAPRO:STD,9,SET500; Display the STD 9 key assignment
+-----+---------+----------------------------------------------------------------+
| 9 | SET500 | 1 ACDLOG 2 ACDAV 3 ACDNAV 4 ACDWORK 5 REMIND |
| | | 6 TRNS 7 SPLT 8 ST 9 SCROL 10 ACDSPVM |
| | | 11 ACK 12 ACDEMMSG 13 NAME 14 CL 15 KNOVR |
| | | 16 CONF 17 FWD 18 PU 19 CH 20 SPKR |
| | | 21 CBK 22 SNR 23 RLS 24 CONS 25 MB |
+-----+---------+----------------------------------------------------------------+

● optiset
CHA-TAPRO:,<nn>,OPTISET,ACDLOG,ACDAGTM,...; <nn>standard number 0-19
● SET 400
CHA-TAPRO:,<nn>,SET400,ACDLOG,ACDAGTM,...; <nn>standard number 0-19
● SET 500/700
CHA-TAPRO:,<nn>,SET500,ACDLOG,ACDAGTM,...; <nn>standard number 0-19

3-24
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

Modifying agent telephone key standards (e.g. telephone no. 3401)


● optiset
Modify keys 01-04 and 09-12
Function keys: ,01,02,03,04,,,,,,09,10,11,12;
CHA-TAPRO:3401,,OPTISET,xx,xx,xx,xx,,,,,,xx,xx,xx,xx;
....additional telephones
● SET 451
Modify keys 01-04, 09-14 and 23-24
Function keys: ,01,02,03,04,,,,,09,10,11,12,13,14,..,23,24;
CHA-TAPRO:3401,,SET400,xx,xx,xx,xx,,,,,xx,xx,xx,xx,xx,xx,..,xx,xx;
....additional telephones
● SET 551 and 751
Modify keys 01-04 and 09-12
Function keys: ,01,02,03,04,05,06,,,09,10,11,12,13,14;
CHA-TAPRO:3401,,SET500,xx,xx,xx,xx,xx,xx,,,xx,xx,xx,xx,xx,xx;
.....additional telephones
xx => ACC / ACDAGTM / ACDWORK / ACDLOG / ACDEMMSG / ACDNAV / ACDPGS /
ACDPQS / ACDSGS / ACDSPVM / ACDSQS / ACDAV / ACK / SCROL /
MONTONE /
ADDON Third-party monitoring (silent monitoring) /
DND (do-not-disturb key) /
KNOVR (key for call override, call waiting, etc.) .
See page 3-14 for an explanation of parameters.

Assigning key standards for an extension


CHA-TAPRO:STNO=3401,DIGTYP=SET500,STD=17;

3-25
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.4 Configuring codes for ACD functions (AMO WABE)


As well as key functions, features can also be activated using codes.

Example: configuring codes

Code WABE CP Feature


927 ACC Account code Marking calls (# f. terminate)
928 MONSLNT Silent monitoring Third-party monitoring
929 MONTONE Tone monitoring Tone monitoring
930 ACDLOGON Agent logon Agent logs on
931 ACDLOGOF Agent logoff Agent logs off
932 ACDAV Available Agent available
933 ACDNAV Unavailable Agent unavailable
934 ACDWORK Work Work on
936 ACDPGS Primary group status Displays own group status
937 ACDSGS Secondary group status Displays status of selected group
938 ACDPQS Primary queue status Displays own queue status
939 ACDSQS Secondary queue status Displays queue status of selected group
980* ACDSHMSG Short message to Agent to supervisor
supervisor
981* AC- Send emergency message Agent to supervisor
DEMMSG
*These codes are only available with ANATE.

These codes can also be used to activate features for telephones


● which do not have function keys (e.g. ANATE) and
● where a given feature is not assigned a function key.

Configure codes in consultation with the customer and supplement the table on
> page 3-32 with the customer-specific data.
Because agents may also have access to the customer table on page 3-32, it
contains no information concerning silent or tone monitoring.

3-26
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

Digit analysis results are configured in WABE as follows:


● Mark calls
Marking code (account code or transactions code)
ADD-WABE:CD=927,DAR=ACC,CHECK=N;
● Monitoring
Silent monitoring (third-party monitoring) (see also page 3-34)
ADD-WABE:CD=928,DAR=MONSLNT,CHECK=N;
Tone monitoring (see also page 3-34)
ADD-WABE:CD=929,DAR=MONTONE,CHECK=N;
● Agents
ACD agent logon
ADD-WABE:CD=930,DAR=ACDLOGON,CHECK=N;
ACD agent logoff
ADD-WABE:CD=931,DAR=ACDLOGOF,CHECK=N;
ACD agent available
ADD-WABE:CD=932,DAR=ACDAV,CHECK=N;
ACD agent unavailable
ADD-WABE:CD=933,DAR=ACDNAV,CHECK=N;
ACD agent work
ADD-WABE:CD=934,DAR=ACDWORK,CHECK=N;
● Telephone status display
Primary ACD group status
ADD-WABE:CD=936,DAR=ACDPGS,CHECK=N;
Secondary ACD group status
ADD-WABE:CD=937,DAR=ACDSGS,CHECK=N;
Primary ACD status of the group queue
ADD-WABE:CD=938,DAR=ACDPQS,CHECK=N;

3-27
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

Secondary ACD status of the group queue


ADD-WABE:CD=939,DAR=ACDSQS,CHECK=N;
● Short messages
Short message
ADD-WABE:CD=980,DAR=ACDSHMSG,CHECK=N;
Emergency message
ADD-WABE:CD=981,DAR=ACDEMMSG,CHECK=N;

3-28
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.5 Configuring CAF codes (AMO WABE)


CAF codes have a remote control function. In this way supervisors can, for example, assign
calls to particular agents and particular groups, or select a particular RCG.

Example: CAF code assignment

Code WABE CP Feature


CAF => Control of Agent Feature (only with telephones with CAF authorization)
982 CAFGRAV CAF group available 982 + group no.
983 CAFGRNAV CAF group unavailable 983 + group no.
984 CAFGROFF CAF group logoff 984 + group no.
985 CAFAV CAF agent available 985 + agent no.
986 CAFNAV CAF agent unavailable 986 + agent no.
987 CAFLOGOF CAF agent logoff 987 + agent no.
988 CAFAFWD CAF call forwarding on 988 + RCG address + forwarding
destination
989 CAFDFWD CAF call forwarding out 989 + RCG address

Conditions for using CAF functions


In order to call up CAF codes at a telephone, it must have CAF authorization. This authorization
is assigned using the AMO SDAT.
CHA-SDAT:STNO=3520,TYPE=ATTRIBUT,DATTR=,AATTR=AGENT&AUTOLOG&SUPER&CAF&...;

Digit analysis results are configured in WABE as follows:


CAF group available: ADD-WABE:CD=982,DAR=CAFGRAV,CHECK=N;
CAF group not available: ADD-WABE:CD=983,DAR=CAFGRNAV,CHECK=N;
CAF group logoff: ADD-WABE:CD=984,DAR=CAFGROFF,CHECK=N;
CAF agent available: ADD-WABE:CD=985,DAR=CAFAV,CHECK=N;
CAF agent not available: ADD-WABE:CD=986,DAR=CAFNAV,CHECK=N;
CAF agent logoff: ADD-WABE:CD=987,DAR=CAFLOGOF,CHECK=N;
CAF RCG call forwarding on: ADD-WABE:CD=988,DAR=CAFAFWD,CHECK=N;
CAF RCG call forwarding off: ADD-WABE:CD=989,DAR=CAFDFWD,CHECK=N;

3-29
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

CAF group available/group unavailable/group logoff


● Group unavailable
– Dial code for "CAF group unavailable" (e.g. CAF code 982).
– Enter the number of the group in question.
● Group available
– Dial code for "CAF group available" (e.g. CAF code 983).
– Enter the number of the group in question .
● Group logoff
– Dial code for "CAF group logoff" (e.g. CAF code 984).
– Enter the number of the group in question.
This removes the group from call distribution.
A confirmation tone is output.

CAF agent available, agent unavailable, agent logoff


Use the AMO ACDSD to define whether the number or ID is to be entered.
● Agent available
An agent with status "unavailable" or "work" is now available for call distribution.
– Dial code for "CAF agent available" (e.g. CAF code 985).
– Enter the number and agent ID of telephones with status "unavailable" and "work".
● Agent unavailable (e.g. pause)
– Dial code for "CAF agent unavailable" (e.g. CAF code 986)
– Enter the number of the telephone and agent ID, for which the pause function is to be
activated.
● Agent logoff
This removes the agent from call distribution.
– Dial code for "CAF agent logoff" (e.g. CAF code 987).
– Enter the number and ID of the telephone or agent which is to be logged off.

3-30
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

CAF call forwarding of a Route Control Group (RCG, see page 4-26)
This allows an RCG to be forwarded to another destination (e.g. night destination)
● Activate call forwarding for a RCG
– Dial the code for call forwarding (e.g. CAF code 988).
– Wait for the signal tone.
– Enter the RCG number (CAFDN and not the RCG index).
Use the RCG number (CAFDN) which you have used to the configure the RCG in the
WABE.
– Enter the destination number to which the calls to this RCG are to be rerouted.
The forwarding destination can also be another ACD number.
– A confirmation tone is output.
In this way the RCG is forwarded to the corresponding destination.
● Cancelling call forwarding (activating day destination)
– Dial the code for "cancel call forwarding“ (e.g. CAF code 989).
– Wait for the tone.
– Enter the RCG address for which call forwarding is to be cancelled.

3-31
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

Codes for activating FlexRouting features


The table below must be supplemented with the codes which each individual customer should
dial. This table should be made available to all supervisors and agents.

Code Feature
Account code Marking calls
Agent logon Agent logon
Agent logoff Agent logoff
Agent available Terminates "unavailable" and "work" modes
Unavailable Agent unavailable
Work Work
Primary group status Displays own group status
Secondary group status Displays status of selected group
Primary queue status Displays own group queue
Secondary queue status Displays queue of selected group
Headset Switches between available/unavailable
Automatic call pickup Switchover on/off
Short message to supervisor Agent to supervisor
Send emergency message Agent to supervisor
Short message to agent Supervisor to agent
Acknowledgment Confirm short message
Scroll key with LED Scroll through short messages
CAF group available CAF code: group available
CAF group unavailable CAF code: group unavailable
CAF group logoff CAF code: group logoff
CAF agent available CAF code: agent available
CAF agent unavailable CAF code: agent unavailable
CAF agent logoff CAF code: agent logoff

3-32
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

Code Feature
CAF forwarding on CAF code: call forwarding on
CAF forwarding off CAF code: call forwarding off

3-33
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.6 Tone monitoring/silent monitoring

Silent monitoring and tone monitoring


7 In certain countries, these features may only be activated in consultation with the
customer, and where necessary, with employee representatives.
Written customer authorization must be provided.
The supervisor can use these features to monitor agent calls which are currently in progress.
The supervisor microphone is switched off when this feature is in use.
● With tone monitoring, agents and callers hear the conference tone.
● With silent monitoring, agents and callers are not informed that the supervisor is monitoring
the call.

Procedure
1. Activate silent and tone monitoring for all calls:
● Tone monitoring
CHA-ZAND:TYPE=ACD,MONTONE=YES;
● Silent monitoring
This feature is unnauthorized in Germany and can thus only be activated where pass-
word level 5 authorization exists.
SET-ZAND:MONSLNT=YES;
Password:
Enter the level 5 password.
2. Configure digit analysis results
This allows silent and tone monitoring to be activated using a speeddial code.
ADD-WABE:CD=928,DAR=MONSLNT,CHECK=N;
ADD-WABE:CD=929,DAR=MONTONE,CHECK=N;
CD Number used to display the feature on the supervisor telephone
DAR=MONSLNT Silent monitoring (no tone)
DAR=MONTONE Tone monitoring

Only extensions with the corresponding authorization can be used for


> monitoring purposes.
3. Authorize the supervisor to monitor agent calls.

3-34
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

Call monitoring must be activated individually for each agent.


CHA-SDAT:STNO=AgentNr,TYPE=ATTRIBUT,AATTR=CBSTMON;
STNO Number of member for which monitoring is authorized.
AATTR=CBSTMON Configures an attribute: The agent’s calls may be monitored.
4. Authorize the supervisor for silent monitoring
CHA-SDAT:STNO=SupervisorNr,TYPE=ATTRIBUT,AATTR=CASTMON;
STNO Supervisor member number.
This extension can be used for monitoring purposes.
AATTR=CASTMON The station is authorized to monitor agent calls.
5. Now define whether the agent’s ID or number must be entered in order to activate moni-
toring
CHA-ACDSD:TYPE=SYS,AGTTARGT=EXT and ID
AGTTARGT=EXT To monitor agent calls, the EXTENSION is entered.
AGTTARGT=ID To monitor agent calls, the AGENT ID is entered.

In FlexRouting, the entries EXT or ID refer to the following features:


>
● Short messages
● CAF
● Silent and tone monitoring

3-35
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

If you wish to monitor a call:


1. Press the following on a telephone authorized for monitoring:
a) The Silent Monitoring and Tone Monitoring keys or
b) Enter the code for silent monitoring and tone monitoring.
2. Now enter the processor number of the agent whose calls you wish to monitor:
a) If you have used the AMO ACDSD, TYPE=SYS to define that the agent ID is to be
used:
E N T E R C O D E N U MB E R

b) If you have used the AMO ACDSD, TYPE=SYS to define that the agent number is to
be used:
E N T E R E X T E N S I O N

When a correct processor number is entered but


● monitoring is not authorized for this agent, the function is aborted and a message is output.
When configuring agents, monitoring authorization must be defined individually for each
agent (AMO SDAT).
● this agent is already being monitored by another supervisor, the function is also aborted
and a message is output.

With tone monitoring, an override tone is output at intervals during the conversation
> being monitored. This notifies the agent and caller that the call is being monitored.

3-36
Setting up ACD in Hicom
Configuring FlexRouting telephone functions

3.6.7 Automatic Incoming Call Signaling (AICS)


The AICS (Automatic Incoming Call Signaling) facility can be used for automatically connecting
telephone calls to the agent. When a call arrives, the agent hears a „ZIP tone", and is then im-
mediately connected to the caller.
The agent does not have to perform any actions in order to collect the call.
AICS is permitted only in conjunction with digital telephones
1. which have a configurable headset key or a headset adapter that notifies the system when
a headset has been plugged in.
These headsets can be broken down into two types:
a) Modular headset (headset instead of earpiece)
This is a headset without any hardware detection facility. With this headset, the system
is not able to recognize whether a headset has been inserted in the telephone or not.
In order to activate these headsets, a button must be provided on the telephone.
The headset is activated/deactivated by pressing the headset button.
b) Jack headset (headset and ear piece)
This headset type requires a special hardware detection facility that notifies the sys-
tem whether a headset is connected to the telephone or not.
With this headset type, the agent does not need to press a button in order to notify the
system that a headset has been connected to the telephone.
2. which are equipped with an additional function key and a key table that enables automatic
call acceptance to be activated/deactivated. This key is known as the „Auto/Manual" key.
For telephones that are supplied with a headset, it is possible for the system to automati-
cally switch over to automatic call acceptance with the following activities:
– When the headset is connected
– When the headset button is pressed
– When the „Auto/Manual" button is pressed.

3-37
Setting up ACD in Hicom
Configuring short messages and emergency messages

3.9 Configuring short messages and emergency messages


Short messages are configured using the AMO ACDSD, TYPE=MSG.
CHA-ACDSD:TYPE=MSG,MESSAGE="<Text>",MSGCAT=<TYPE>[,MSGNUM=<n>];
MSGCAT EMER: 1 emergency message can be configured
AGENT: up to 8 messages "Supervisor to agent"
SPV:: up to 8 messages "Agent to supervisor"
MESSAGE Text field max. 24 characters (preassigned with blank spaces as default).
[MSGNUM] Number of given message (agent and supervisor only)

Examples
● Short messages: supervisor to agents
CHA-ACDSD:
TYPE=MSG,MESSAGE="#1: supervisor to agent",MSGCAT=AGENT,MSGNUM=1;
CHA-ACDSD:
TYPE=MSG,MESSAGE="#8: supervisor to agent",MSGCAT=AGENT,MSGNUM=8;
● Short messages: agent to supervisors
CHA-ACDSD:
TYPE=MSG,MESSAGE="#1: agent to superv.",MSGCAT=SPV,MSGNUM=1;
CHA-ACDSD:
TYPE=MSG,MESSAGE="#8: agent to superv.",MSGCAT=SPV,MSGNUM=8;
● Emergency short message
CHA-ACDSD:TYPE=MSG,MESSAGE="Help required!!!",MSGCAT=EMER;
● Alerting tone
Deactivate: CHA-SDAT:STNO=x...x,TYPE=ATTRIBUT,DATTR=,AATTR=DNDSR;
Activate: CHA-SDAT:STNO=x...x,TYPE=ATTRIBUT,DATTR=DNDSR;

3-39
Setting up ACD in Hicom
Configuring short messages and emergency messages

Display
DIS-ACDSD:TYPE=MSG,MSGCAT=AGENT;

ACD SHORT MESSAGES


MSGCAT MSGNUM MESSAGE
AGENT 1 Supervisor to agent
...

3-40
Configuring FlexRouting

4 Configuring FlexRouting
Set up "incoming call => agent telephone" link
1. ACD numbers (Service numbers)
This refers to the numbers which the customer dials.
The properties of an ACD number are defined in the DNIT table.
2. DNIT tables (DNIT => Directory Number Information and Translation)
3. RCG (Route Control Groups)
4. Calendar for
a) each of the 7 days of the week
b) special days and national holidays
5. Shift numbers which can be assigned to the weekdays and special days.
6. ART (ACD Routing Tables)
Each shift is linked to an ACD Routing Table. The shift numbers define the routing table
assigned to a shift.
Several shift numbers can also be linked to a single ACD Routing Table.

4-1
Configuring FlexRouting

Overview of tables processed for FlexRouting

Primary DNIT table (Type=DNI)


ACD number
The starting point is generally the
(with source no. if applicable) primary DNI table,
where the
INTRTDN parameter = ACD number.

The result is a:
Route Control Group (RCG)

RCG (index)

Specific calendar days


and weekdays

Check
the shift number which applies
to this Route Control Group (RCG)

The result is a
Shift number

Shift number and time

DNI tables for "destination- page 4-11


based routing only"
ACD Routing Table
DNI tables for "destination/ page 4-13
(ART)
source-based routing"
Primary DNI table page 4-24
DNI GDTR rules page 4-21
The ART which was created
Secondary DNI table page 4-20
for this
Shift numbers page 4-35 shift number and time
ACD Routing Tables page 4-26 is executed

4-2
Configuring FlexRouting

Structural overview: searching for the ACD Routing Table which applies to the caller

DNI table
ACD call Number analysis AMO DNIT : TAB=DNI

AMO WABE INTRTDN x (primary table)

ROUTING=DRTSA or DRTD

GDTRRULE

DISPLAY

Type of Destination and source number RCG


number
ROUTING = DRTSA
analysis GDTRRULE = d PRI

OVRPRI
Destination
AMO DNIT : TAB=GDTR
number only AUDSRCID
GDTRRULE
ROUTING = DRTD THRSHLD
AMO DNIT DGTSTR
Rule for source analysis
ROUTING e
INTRTDN i ROUTING f
INTRTDN i INTRTDN i (secondary table)
Internal routing address number
ROUTING = SA

GDTRRULE

DISPLAY

RCG
RCG (Route Control Group)
..........
Calendar routing
AMO ACDRS : TYPE = CR

z
CR=Calendar Routing
Has today’s SUN
No RCG, weekday
date been programmed AMO ACDRS : TYPE = RS
MON x
in CR?
Shift number TUE x
AMO ACDRS : TYPE = DS
Yes WED x

DSNUM x,
DSNUM x, THU x
Time Time

FRI y

SAT z
DSNUMxx
DSNUM
y
Shift Set A
(End of shift) z
SHIFT

EOSART
Timec ART 1
ACD Routing Tables
ART c for shifts
00:00-07:59 routing steps d
EOF = YES/NO AMO ACDRT
ACTION
Step(Announcement1)
1 Value

08:00-15:59
SHIFT routing
Stepsteps
2 Value e
ACTION (Announcement...)
EOS Time ART x Step 3 Value
ART d
Step24
ACTION
Step Value
EOS = YES/NO
Shift Set Step 5 Value
max. 64
max. 16

max. 1020 max. 4000

4-3
Configuring FlexRouting
Configuring Route Control Groups and ACD numbers

4.1 Configuring Route Control Groups and ACD numbers


Incoming ACD calls are routed to a DNIT table. RCG and ACD numbers must already exist in
order to set up the DNIT tables.

ACD call ACD number => RCG (index)


The ACD number is used to access
ACD number: 93511 the DNIT table.
RCG address 9620 with RCG 100 The call is subsequently routed with
RCG.

4.1.1 Configuring ACD numbers


ACD numbers are the numbers dialled by the customer to access ACD.
Use the AMO WABE to configure ACD numbers as follows:
ADD-WABE:CD=93501,DAR=STN,CHECK=NO;
ADD-WABE:CD=93502,DAR=STN,CHECK=NO;
ADD-WABE:CD=93503,DAR=STN,CHECK=NO;
....
ADD-WABE:CD=93511,DAR=STN,CHECK=NO; CD=station number

4-4
Configuring FlexRouting
Configuring Route Control Groups and ACD numbers

4.1.2 Configuring Route Control Groups


The Route Control Group is a table of the AMO ACDSD, TYPE=RCG.
Each Route Control Group comprises
● the RCG address (internal number of RCG for CAF) and
● the RCG index (also referred to as RCG).
The RCG index determines the shift number which applies to a given call.
Explanation
The ACD numbers are subsequently assigned to the RCGs in the DNIT tables (see page 4-7).
An incoming call with an ACD number is routed to the DNIT table which lists this ACD number
as INTRTDN. The DNIT table assigns (amongst other things) an RCG (RCG index) to the call.
The next routing step is based on the RCG identified for the call. In conjunction with the day
and time, the RCG determines the shift number which applies to the call in question.
A joint RCG can also be assigned to several ACD numbers (see page 4-10)

Procedure
Configuring an RCG address in the WABE
ADD-WABE:CD=9260,DAR=RCG,CHECK=NO; e.g. RCG address 9260
ADD-WABE:CD=9261,DAR=RCG,CHECK=NO; e.g. RCG address 9261
ADD-WABE:CD=9262,DAR=RCG,CHECK=NO; e.g. RCG address 9262
Configuring a Route Control Group
CHA-ACDSD:TYPE=RCG,RCG=100,CAFDN=9260; add RCG 100
CHA-ACDSD:TYPE=RCG,RCG=101,CAFDN=9261; add RCG 101
CHA-ACDSD:TYPE=RCG,RCG=102,CAFDN=9262; add RCG 102
TYPE=RCG Create RCG table
RCG=<1...1020> Range of RCG index: 1-1020
CAFDN=1-6-digit RCG address or RCG number Users with CAF require this number in
order to set up call forwarding for the RCG (see also page 3-31 and
page 1-9).

4-5
Configuring FlexRouting
Configuring Route Control Groups and ACD numbers

Changing an RCG address


It is not possible to modify an RCG address (e.g. 9260) directly.
Proceed as follows to change an RCG (RCG index e.g. 100):
● delete CAFDN (e.g. 9260) and RCG (CHA-ACDSD:RCG,100,*;)
● then create the RCG index (e.g. 100) with the new CAFDN value (e.g. 9280).

4-6
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

4.2 Configuring DNIT tables


In general, a separate DNIT table (TYPE=DNI) is provided for each ACD number.
2 tables can be set up with the AMO DNIT:
● DNI table (Directory Number Information)

DNIT table, TAB=DNI


ACD call
INTRTDN 93511
ACD number: 93511 ROUTING - DRTD
RCG 100 with RCG address 9620
GDTRRULE - 0
DISPLAY "ACD 93511"
RCG - 100 (RCG index)
PRI - 10
OVRPRI - 5
AUDSRCID -
THRSHLD - *

The DNI table contains routing and display information to identify the calling and called par-
ties.
The AUDSRCID field for Audible Source Identification (see page 2-1).
The customer does not hear this announcement.
It is used to audibly identify the source of the call when the agent answers the call (e.g.
"call from Spain").
● GDTR table (General Digit Translation) see from page 4-13 onwards
GDTR tables are set up if routing is based on the source number.
A source number or source numbering plan can be recorded in each GDTR rule. An indi-
vidual DNIT table can also be assigned as the destination.
Using the country code on the agent display, a message such as "Call from USA" for ex-
ample, can thus appear on the agent display.

4-7
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

Configuring DNIT tables


ADD-DNIT:TAB=DNI,INTRTDN=93511,ROUTING=<PARAM>,GDTRRULE=<NO.>,
Display="ACD VIA 95511",RCG=100,Pri=10,Ovrpri=5,AUDSRCID=1,THRSHLD=*;
INTRTDN<NO. ACD number to which the parameters of this DNIT table are to be as-
signed.
ROUTING=<PARAM> DRTD: destination-based routing (see page 4-11)
DRTSA: destination/source-based routing (see page 4-13)
SA: the table is a continuation of DRTSA
GDTRRULE=<no.> GDTRRULE must be =0 if ROUTING=SA
GDTRRULE must not be equal to 0 if ROUTING=DRTSA
DISPLAY=<TEXT> Text which appears on the agent display
RCG=100 RCG index which is entered in the calendar routing (ACD number =>
RCG index) and the daily routing tables
PRI=10 <1...64> Priority determining position of the call in the call queue
(1=max. priority).
OVRPRI=5 <1...64> Priority of call if it is routed to an overflow group (1=max.
priority).
AUDSRCID=1 Number of announcement port for "audible source identification". If
an announcement number is specified here, this announcement is
played to that agent when the agent answers a call (e.g "Call from
USA")
Use the announcement number set up with the AMO RCSU (see
page 2-1).
THRSHLD Max. number of simultaneous callers to a DNI, see also page 4-25
THRSHLD=*
This value extends the ACD routing functions to all callers who use
this ACD number. This is generally the case, as all callers should
hear at least one ACD announcement rather than a busy tone. This
also ensures that all callers using this ACD number are included in
the ACD statistics.
These statistics are analysed by ACDApp on the ACD server.
THRSHLD=<no.>
This value limits the number of calls that can be added to the call
queue under a given ACD number. If the number of calls in the queue
for this ACD number corresponds to <no.>, all subsequent callers
hear a busy tone.
Calls which were not answered (busy tone) are not included in the
statistics.

4-8
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

Automatic increase in priority


A meter automatically increases the priority of the waiting callers at a programmable interval
(between 0 and 300 seconds). This interval is set with the AMO ACDSD (see page 3-7).
CHA-ACDSD:TYPE=SYS,QFACTOR=<no.>;
0 = no increase,
1–10 at intervals of 1 second,
15–300 at intervals of 5 seconds

. . . the next step


Incoming ACD calls are forwarded to the DNIT table where the INTRTDN corresponds to the
ACD number.
Further routing is determined by the configuration of the corresponding DNIT table (destination-
based or destination/source-based).
... see following pages for subsequent procedures:
1. Notes on assigning a joint RCG to several ACD numbers, see page 4-10.
2. DNIT tables for destination-based routing
Set up the following:
– DNIT tables with TYPE=DNI: only primary DNI tables, ROUTING=DRTD, see page 4-
11
3. DNIT tables for destination/source-based routing
Set up the following:
– DNIT tables with TYPE=DNI: secondary DNI tables, ROUTING=SA, see page 4-20
– DNIT tables with TYPE=GDTR: GDTR rules, see page 4-21
– DNIT tables with TYPE=DNI: primary DNI tables, ROUTING=DRTSA, see page 4-24
The source number (if available) is analysed with these DNIT tables.

4-9
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

Assigning a joint RCG to several ACD numbers


If several ACD numbers have the same routing destination, it may be advisable to use the
same RCG in the DNIT tables with these ACD numbers.
If the same RCG is entered in several DNIT tables for different ACD numbers, each individual
ACD number retains its own priority, display text etc. via the DNIT table.
Example: you wish to assign a joint RCG to several ACD numbers ...
Assign the same RCG to the following DNIT tables to simplify call forwarding for the supervisor:
● INTRTDN = 93511 is assigned RCG=100
Announcement="Call from Portugal", PRI=10, OVRPRI=5, AUDSRCID=7, THRSHLD=*
● INTRTDN = 93512 is assigned RCG=100INTRTDN
Announcement="Call from Spain", PRI=10, OVRPRI=5, AUDSRCID=6, THRSHLD=*
● INTRTDN = 93551 is assigned RCG=100
Announcement="Siemens VIP", PRI=1, OVRPRI=1, AUDSRCID=1, THRSHLD=*

The call forwarding destination can also be another ACD number!


>

4-10
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

4.2.1 Configuring DNIT tables for destination-based routing


This section describes how to set up DNIT tables for destination-based routing without source
number analysis.
Prerequisit: The ACD numbers and RCG tables must already be set up in Hicom (see page
4-4).
+-----------------------------------------------------------------------+
| INTRTDN - 93511 |
| GDTRRULE - 0 DISPLAY - ACD 93511 ROUTING - DRTD |
| RCG - 100 PRI - 10 OVRPRI - 5 AUDSRCID - 7 THRSHLD - * |
+-----------------------------------------------------------------------+
| INTRTDN - 93512 |
| GDTRRULE - 0 DISPLAY - ACD 93512 ROUTING - DRTD |
| RCG - 100 PRI - 5 OVRPRI - 5 AUDSRCID - 6 THRSHLD - * |
+-----------------------------------------------------------------------+
| INTRTDN - 93551 |
| GDTRRULE - 0 DISPLAY - ACD VIA 93513 ROUTING - DRTD |
| RCG - 100 PRI - 1 OVRPRI - 1 AUDSRCID - 1 THRSHLD - * |
+-----------------------------------------------------------------------+
ACD call AMO DNIT : TAB=DNI

INTRTDN 93511
Number dialled: 93511
ROUTING=DRTD (primary only)
ROUTING=DRTD GDTRRULE=0
No source number check
DISPLAY "ACD 93511"
GDTRRULE=0
RCG (index) - 100
GDTR rules are not applied in the
case of destination-based routing. PRI - 10
OVRPRI - 5
AUDSRCID - 7
THRSHLD - *

INTRTDN 93512
ROUTING=DRTD (primary only)
GDTRRULE=0
DISPLAY "ACD 93512"
RCG (index) - 100
PRI - 2
OVRPRI - 1
Calendar routing AUDSRCID - 6
AMO ACDRS: TYPE = CR THRSHLD - *

4-11
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

Configuring DNIT tables for destination-based routing


The DNIT table is executed once in the case of destination-based routing. The parameters en-
tered in this table determine subsequent routing.
Set up a separate DNIT table for each ACD number.
ADD-DNIT:TAB=DNI,INTRTDN=93511,ROUTING=DRTD,GDTRRULE=0,DISPLAY="ACD VIA
95511",RCG=100,PRI=10,OVRPRI=5,AUDSRCID=7,THRSHLD=*;
ROUTING=DRTD DRTD=destination-based routing
GDTRRULE=0 No digit translation
DISPLAY="ACD93511" Text which appears on the agent display
RCG=100 <1...1020> RCG index which is entered in the calendar routing and
daily routing tables
PRIO=10 <1...64> Priority determining the position of the call in the call queue
OVRPRI=5 <1...64> Priority of call in overflow group
AUDSRCID=7 Number of announcement port for "audible source identification"
THRSHLD=* *=unlimited
<no.> maximum number of calls which may be simultaneously waiting
in the call queue
The DNIT parameters are described in more detail on page 4-7.

4-12
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

4.2.2 Configuring DNIT tables for destination/source-based routing


This section describes the DNIT tables for destination/source-based routing with source num-
ber analysis.
Prerequisite: The ACD numbers and RCG tables must already be set up in Hicom (see page
4-4).

The following tables must be set up with the AMO DNIT for destination/source-based
routing (page 4-21):
The following sequence must be observed when creating tables in Hicom:
1. Set up secondary DNI tables
These are the DNIT tables with TYPE=DNI, parameter ROUTING = SA
(DNI: Directory Number Information)
These tables must be created first as their INTRTDN parameters are used as the destina-
tion in the GDTR rules.
2. Set up GDTR rules
These are the DNIT tables with TYPE=GDTR (General Digit Translation Rules)
The DNI tables with ROUTING=SA previously set up are used as the destination for the
source numbers in question.
3. Set up primary DNI tables
These are the DNIT tables with TYPE=DNI, parameter ROUTING=DRTSA
The DNI tables with ROUTING=DRTSA are set up last as the GDTR rule previously crea-
ted for the source number analysis is entered in these tables.
An incoming ACD call is routed to the DNI table with ROUTING=DRTSA.
The system checks to see if a GDTR rule exists for the source number.
If a rule is found, the GDTR rule returns the INTRTDN of a DNIT table (SA) as the forwar-
ding destination.
The source number can be identified in a number of ways:
● using the A subscriber number (if available) received via an analog line (e.g. MFC si-
gnalling)
● using the A subscriber number (if available) received via a digital line (e.g. ISDN si-
gnalling)
● internal source number.

4-13
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

Example: You are setting up FlexRouting at a retail company (see picture on next page). You
wish to have the following appear on the display when handling queries:
● the name of the customer
● the customer number.
Procedure:
1. Create a DNIT table with the ROUTING parameter SA for the customer "ACD Siemens Mu-
enchen", for example. Enter the following in this table:
ADD-DNIT:TAB=DNI,ROUTING=SA,INTRTDN=93581,GDTRRULE=0,
DISPLAY="ACD Siemens Muenchen"...;
Also create a DNIT table with ROUTING=SA for customer number "N20142":
ADD-DNIT:TAB=DNI,ROUTING=SA,INTRTDN=93522,GDTRRULE=0,
DISPLAY="SNI N20142"...;
2. Create a separate GDTR rule for source number identification as several employees from
this customer place orders:
GDTR rule 1 for Siemens AG Muenchen
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE=1,DGTSTR=0897221233,INTRTDN=93581;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE=1,DGTSTR=0897221234,INTRTDN=93581;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE=1,DGTSTR=08972249429,INTRTDN=93581;
GDTR rule 1 for SNI
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE=1,DGTSTR=089636151*,INTRTDN=93522;
3. The last step entails creating the DNIT table with the routing parameter "DRTSA".
ADD-DNIT:TAB=DNI,ROUTING=DRTSA,INTRTDN=93521,GDTRRULE=1,...;
93521 is the number dialled by the customer

Source number analysis: GDTR rule for the source number


● The primary DNIT contains rules governing source number analysis.
● The "primary DNIT" parameters are applied if no rules have been defined for the source
number.

4-14
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

1. +-----------------------------------------------------------------------+
| INTRTDN - 93581 |
| GDTRRULE - 0 DISPLAY - ACD Siemens Muenchen ROUTING - SA |
| RCG - 110 PRI - 2 OVRPRI - 2 AUDSRCID - 1 THRSHLD - * |
+-----------------------------------------------------------------------+
2. ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 0897221233,INTRTDN=93581;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 0897221234,INTRTDN=93581;

3. +-----------------------------------------------------------------------+
| INTRTDN - 93521 |
| GDTRRULE - 1 DISPLAY - ACD VIA 93521 ROUTING - DRTSA |
| RCG - 100 PRI - 2 OVRPRI - 2 AUDSRCID - 4 THRSHLD - * |
+-----------------------------------------------------------------------+

ACD call AMO DNIT : TAB=DNI

INTRTDN 93521
Dialled number: 93521
ROUTING=DRTSA (primary table)
Source number: 089722-1234
GDTRRULE= 1 GDTR rule 1
The parameters 0897221233,93581
of this DNIT are 0897221234,93581
used for routing if
no GDTR rule
has been defined GDTR rule 2
for this source #,93601
number
0044******,93610
Rule exists for source number

INTRTDN 93581
The call is routed to the DNIT table with the
ACD number 93581. ROUTING - SA (secondary table)
GDTRRULE - 0
DISPLAY
RCG index 110
PRI - 2
OVRPRI - 2
AUDSRCID - 4
Calendar routing
AMO ACDRS: TYPE = CR THRSHLD - *

4-15
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

Source number analysis: GDTR rule with numbering scheme


● The primary DNIT contains rules governing source number analysis.
● Part of the source number is defined as a GDTR rule.

4-16
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

1. +-----------------------------------------------------------------------+
| INTRTDN - 93610 |
| GDTRRULE - 0 DISPLAY - Call from England ROUTING - SA |
| RCG - 144 PRI - 2 OVRPRI - 2 AUDSRCID - 1 THRSHLD - * |
+-----------------------------------------------------------------------+
2. ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 2,DGTSTR= #,INTRTDN=93601;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 2,DGTSTR= 0044******,INTRTDN=93610;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 2,DGTSTR= 0044*******,INTRTDN=93610;
3. +-----------------------------------------------------------------------+
| INTRTDN - 93521 |
| GDTRRULE - 2 DISPLAY - ACD VIA 93521 ROUTING - DRTSA |
| RCG - 100 PRI - 2 OVRPRI - 2 AUDSRCID - 1 THRSHLD - * |
+-----------------------------------------------------------------------+

ACD call AMO DNIT : TAB=DNI

INTRTDN 93521
Dialled number: 93521 ROUTING=DRTSA (primary table)
Source number: 0044 151 2241 GDTRRULE= 2 GDTR rule 2
GDTR 2 contains a #,93601
rule with "#" 0044******,93610
As a result, 0044*******,93610
no analysis
of primary GDTR rule 3
table
.....
A rule exists for the source
number
INTRTDN 93610
ROUTING - SA (secondary table)
The call is routed to the DNIT table GDTRRULE - 0
with the ACD number 93610.
DISPLAY
RCG index 144
PRI - 2
OVRPRI - 2
AUDSRCID - 1
Calendar routing
AMO ACDRS: TYPE = CR THRSHLD - *

4-17
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

Source number analysis: GDTR rule "#" for general translation


● The primary DNIT contains rules governing source number analysis.
● The rule "#" is applied if no rule has been defined for the source number.

4-18
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

1. +-----------------------------------------------------------------------+
| INTRTDN - 93610 |
| GDTRRULE - 0 DISPLAY - Call from England ROUTING - SA |
| RCG - 144 PRI - 2 OVRPRI - 2 AUDSRCID - 1 THRSHLD - * |
+-----------------------------------------------------------------------+
2. ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 2,DGTSTR= #,INTRTDN=93601;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 2,DGTSTR= 0044******,INTRTDN=93610;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 2,DGTSTR= 0044*******,INTRTDN=93610;
3. +-----------------------------------------------------------------------+
| INTRTDN - 93521 |
| GDTRRULE - 2 DISPLAY - ACD VIA 93521 ROUTING - DRTSA |
| RCG - 100 PRI - 2 OVRPRI - 2 AUDSRCID - 1 THRSHLD - * |
+-----------------------------------------------------------------------+

ACD call AMO DNIT : TAB=DNI

INTRTDN 93521
Dialled number: 93521 ROUTING=DRTSA (primary table)
Source number: 0043 179510 GDTRRULE= 2 GDTR rule 2
GDTR 2 contains a #,93601
rule with "#" 0044******,93610
0044*******,93610
As a result,
no analysis
of primary GDTR rule 3
table
Rule # for this source number .....

INTRTDN 93601
As the # rule exists, the call is routed to ROUTING - SA
the DNIT table with the ACD number GDTRRULE - 0
93600.
ANZEIGE
RCG index 120
PRI - 2
OVRPRI - 2
AUDSRCID - 1
Calendar routing
THRSHLD - *
AMO ACDRS: TYPE = CR

4-19
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

4.2.2.1 Configuring secondary DNI tables (parameter ROUTING=SA)


First set up the secondary DNI tables. The GDTR rules refer to these tables when translating
numbers.
The parameter ROUTING=SA is assigned to secondary tables.
Pseudo numbers
The ACD numbers to be entered as the INTRTDN parameter in secondary DNI tables are
pseudo numbers.
These pseudo numbers must also be set up in the WABE. They must not, however, be disclo-
sed externally.

Set up a separate DNIT table for each GDTR rule.


ADD-DNIT:TAB=DNI,INTRTDN=93601,ROUTING=SA,GDTRRULE=0,
DISPLAY="ACD VIA 95521",RCG=100,PRI=10,
OVRPRI=5,AUDSRCID=1,THRSHLD=*;

ADD-DNIT:TAB=DNI,INTRTDN=93610,ROUTING=SA,GDTRRULE=0,
DISPLAY="Please speak English",RCG=120,PRI=10,
OVRPRI=5,AUDSRCID=1,THRSHLD=*;
INTRTDN=<no.> PSEUDO ACD number
ROUTING=SA SA=SIDANI entry
GDTRRULE=0 No GDTRRULE in a secondary DNI table
DISPLAY=<Text> Text which appears on the agent display
RCG=<1...1020> This entry is used to find the shift number which is valid for this call
PRI=<1...64> Priority determining the position of the call in the call queue
OVRPRI=<1...64> Priority of call in overflow group
AUDSRCID=1 Number of announcement port for "audible source ID"
THRSHLD=* *=unlimited
<no.>=max. no. of calls for this DNI.
The DNIT parameters are described in more detail on page 4-7.

4-20
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

4.2.2.2 Configuring GDTR rules


Each GDTR rule can comprise several entries.
The AMO DIMSU, parameter GDTR defines the number of translation entries per GDTRRULE.
The DNIT table GDTR lists the translation rules for destination/source-based routing. A maxi-
mum of 128 translation rules can be defined under one GDTRRULE.
● Routing with GDTRRULE
ACD calls are generally routed to the DNI table where the INTRTDN corresponds to the
ACD number. This is a primary DNI table.
If this primary DNI table states that ROUTING=DRTSA, the system checks the assigned
GDTRRULE to see if a translation destination is available for the source number supplied
(DRTSA=source-based routing).
The call is routed on the basis of the parameters entered in the primary DNI table if no rule
has been defined for the source number.
If a rule has been defined for the source number, the secondary DNI table entered in the
GDTR rule for this source number is assigned to the call.
● GDTRRULE and GDTR rule
The GDTR rule refers to the assignment of a source number to a secondary DNI table.
● GDTRRULE with the entry #
The system first checks whether an entry for the source number exists if # is entered in
GDTRRULE.
If no entry is available, the call is routed to the secondary table provided as the destination
for the entry #.
● GDTRRULE with the entry "*" (asterisk)
The * dummy acts as a wild card (representing any digit).
As the source numbers of incoming calls may vary in length, all possible source numbers
must be entered in a GDTRRULE.
Example of * entry in a GDTRRULE
089******
089*******
089********
etc.
The prepared A number is used when analysing the source number (Hicom Private Num-
bering Plan).

4-21
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

Example: GDTRRULE and its destination – the secondary DNI table


Set up one GDTRRULE to take orders in several languages. Define one GDTR rule for each
possible country code in this GDTRRULE:
● ACD group 101 contains agents who speak English and French.
RCG 112 routes to an ART with group 101.
● ACD group 102 contains agents who speak Spanish and Portuguese.
RCG 117 routes to an ART with group 102.
Interworking of GDTRRULE and associated destination DNI tables

Entries in GDTRRULE=1 Destination DNI tables (SA)


Source no. Destination DNI INTRTDN Display RCG
001********* 97001 97001 Call from USA 112
0044******** 97002 97002 Call from GB 112
0033******** 97003 97003 Call from France 112
0034******** 97021 97021 Call from Spain 117
00351******** 97022 97022 Call from Portugal 117

Further processing of RCG

RCG Calendar/daily routing Shift number


from page 4- page 4-39 page 4-37
7 onwards Defines the shift number The shift number
valid for the day specifies the time and the ART
and RCG in question ACD Routing Table valid page 4-26
for the caller in question

Configuration sequence: 3. 2. 1.

It may be advisable to configure a joint GDTR rule for each RCG if several ACD numbers have
been merged under a joint RCG (s. page 4-10).
Exception: if you are only configuring one single GDTR rule in total.
● No general translation (no "DGTSTR = #")
In this instance, all source-based calls where a GDTR rule has been defined for the source
number are routed to the destination of the GDTR rule.
Routing is carried out irrespective of the ACD number dialled.
Calls without a GDTR rule are routed on the basis of the primary DNI table.

4-22
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

● With general translation ("DGTSTR= #")


In this instance, the ACD number dialled is not analysed if no GDTR rule has been defined
for the source number.

AMO DNIT, GDTR table


ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= #,INTRTDN=2224;
GDTRRULE=<1..128> Index entered in the primary DNI table.
DGTSTR The number of entries is determined by the entry in the DIMSU parame-
ter "GDTR".Translate GDTRRULE.
INTRTDN Refers to the INTRTDN of the destination DNI. Only secondary DNI ta-
bles may be specified (i.e. DNI tables with parameter "ROUTING=SA".

Example: Configuring GDTR tables


All calls with source numbers "001" and "0044" are to be answered by an English-speaking
agent. Calls with source number "0033" are to be answered by a French-speaking agent.
Prerequisite: You have already set up the secondary DNI tables INTRTDN=2224, INTRTDN
2201 and INTRTDN=2233, which further differentiate the calls appropriately with the RCG ent-
ries.
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= #,INTRTDN=2224;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 001*,INTRTDN=2201;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 001**,INTRTDN=2201;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 001***,INTRTDN=2201;
...
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 001*********,INTRTDN=2201;

ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 0044*,INTRTDN=2201;


ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 0044**,INTRTDN=2201;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 0044***,INTRTDN=2201;
...
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 0044*********,INTRTDN=2201;

ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 001*,INTRTDN=2233;


ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 001**,INTRTDN=2233;
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 001***,INTRTDN=2233;
...
ADD-DNIT:TAB=GDTR,GDTRRULE= 1,DGTSTR= 001*********,INTRTDN=2233;
The primary DNI table with the parameter ROUTING=DRTSA must then be set up. This refers
to GDTRRULE=1.

4-23
Configuring FlexRouting
Configuring DNIT tables

4.2.2.3 Configuring primary DNI tables (parameter ROUTING=DRTSA)


The last step entails setting up the primary DNI tables. These are the first tables to be assigned
to incoming ACD callers.

Destination/source-based routing
>
The parameter ROUTING=DTRSA must be set in the case of destination/source-ba-
sed routing. A GDTR rule must be specified in DNI tables with ROUTING=DRTSA.

Prerequisite: The ACD numbers and RCG tables have already been set up in Hicom (see
page 4-4). GDTRRULE has already been set up.

Procedure:
Set up a primary DNIT table for each ACD number.
ADD-DNIT:TAB=DNI,INTRTDN=93521,ROUTING=DRTSA,GDTRRULE=1,
DISPLAY="ACD VIA 95521",RCG=120,PRI=10,OVRPRI=5,AUDSRCID=1,THRSHLD=*;

INTRTDN=<no.> ACD number disclosed externally


ROUTING=DRTSA Destination/source-based DNI table
GDTRRULE=1 Number of GDTR rule specified
DISPLAY=<Text> Text which appears on the agent display
RCG=<1...1020> RCG index entered in the calendar routing tables
PRI=<1...64> Priority determining the position of the call in the call queue
OVRPRI=<1...64> Priority of call in overflow group
AUDSRCID=1 Number of announcement port for "audible source ID"
The DNI parameters are described in more detail on page 4-7.

4-24
Configuring FlexRouting
Configuring the ACD call threshold

4.3 Configuring the ACD call threshold


The threshold defines the maximum number of incoming ACD calls.
There are 2 ways of dealing with an overload situation (i.e. too many simultaneous ACD calls)
with FlexRouting:

Trunk limitation DNIT table


ACDTHRH=20
INTRTDN 93511
Trunk limitation ROUTING=DRTD
ACDTHRH=18
GDTRRULE=0
DISPLAY ACD VIA 93511
Trunk limitation RCG index - 100
ACDTHRH=12
PRI - 10
In the above example, the 26th caller who dial- OVRPRI - 5
led the ACD number 93511is not included in AUDSRCID - 1
the queue.
THRSHLD - 25
The caller hears a busy tone.

1. AMO BUEND, parameter ACDTHRH


CHA-BUEND:TGRP=<x1>,ACDTHRH=<y1>;
<y1>: Max. no. of lines in a trunk group for ACD calls
This defines the maximum number of callers who can reach ACD via a given trunk group.
The AMO BUEND is generally used to restrict the number of incoming calls for the ACD
system.
2. AMO DNIT, parameter THRSHLD
You can also define the maximum number of callers that can be queued for a given ACD
number in the ACD DNIT tables (see page 4-4).

● Set the threshold for calls to be rejected with the busy tone as high as possible.
> Callers prefer to hear a message advising them that they may have to wait for
a few minutes than to hear a busy tone.
● Calls which have exceeded the threshold are not included in ACD statistics.
● An ACD trunk group must be set up for incoming trunk lines in order to apply the
threshold to these lines.

4-25
Configuring FlexRouting
Configuring ART (ACD Routing Tables)

4.4 Configuring ART (ACD Routing Tables)


On completion of the DNIT tables, configure the ACD Routing Tables (ART).
Further processing of RCG

RCG Calendar/daily routing Shift number


from page 4-7
page 4-39 page 4-37
onwards Defines the shift number The shift number
valid for the day specifies the time and the ART
and RCG in question ACD Routing Table valid
for the caller in question

Configuration sequence: 3. 2. 1.

ART ACD Routing Tables


The ART defines the routing steps which can be applied to an ACD call.

Example:
1. Delay ringback if no agent is available (DELAYRB)
2. Route to recorded announcement (RTREC)
3. Route to ACD group (RTGRP)
4. Route to music (RTMUS)
From this point on, the system searches in the group for a free agent while music is played
to the caller.
5. Wait x seconds (WTSEC x, 0=unlimited)
6. Route to overflow group x (RTGRP)
7. ...

Number of routing steps in an ART


An ART can comprise up to 64 routing steps. ART memory is allocated in blocks of 16 steps.
Hence an ART with 17 entries occupies the same amount of memory as 32 steps.

Number of ACD Routing Tables in Hicom


A maximum of 4000 ARTs can be set up if each ART contains an average of 16 steps.

4-26
Configuring FlexRouting
Configuring ART (ACD Routing Tables)

The AMO ACDRT is used to set up ACD Routing Tables.

DIS-ACDRT:ART=19;
H500: AMO ACDRT STARTED
+------------------------------------------------------------+
| ART 19 MAXSTEP 32 ACDRS REFERENCES 1 |
+-----+---------+---------+----------------+-----+----+------+
| | | | | DES.|TEST| |
|STEP |ACTION |PARAMETER|VALUE |COND.|COND|VALUE |
+-----+---------+---------+----------------+-----+----+------+
| 1 DELAYRB 5 |
| 2 RTREC AUDSRCID 2 |
| 3 RTGRP ACDGRP 1 |
| 4 RTGRP ACDGRP 2 |
| 5 RTGRP ACDGRP 3 |
| 6 RTGRP ACDGRP 4 |
| 7 RTGRP ACDGRP 5 |
| 8 RTGRP ACDGRP 6 |
| 9 RTGRP ACDGRP 7 |
| 10 RTGRP ACDGRP 8 |
| 11 RTGRP ACDGRP 9 |
| 12 RTGRP ACDGRP 10 |
| 13 RTGRP ACDGRP 11 |
| 14 RTGRP ACDGRP 12 |
| 15 RTGRP ACDGRP 13 |
| 16 RTGRP ACDGRP 14 |
| 17 RTGRP ACDGRP 15 |
*17 | 18 RTGRP ACDGRP 16 |
*18 | 19 RTGRP ACDGRP 17 |
*19 | 20 RTGRP ACDGRP 18 |
*20 | 21 RTGRP ACDGRP 19 |
*21 | 22 RTGRP ACDGRP 20 |
*22 | 23 RTGRP ACDGRP 21 |
*23 | 24 RTGRP ACDGRP 22 |
*24 | 25 RTGRP ACDGRP 23 |
*25 | 26 RTGRP ACDGRP 24 |
| 27 RTGRP ACDGRP 25 |
| 28 RTMUS MUSNUM 1 |
| 29 WTSEC SEC 0 |
| 30 SKIP |
| 31 SKIP |
| 32 SKIP |
+------------------------------------------------------------+
max. 64 steps

Note RTGRP 1-16 and *17 - *25


The call is inserted in the queue of all groups if no agent is free in groups 1–16.
The system only checks groups 17 to 25 once to see if an agent is free as a call can only be
entered in a maximum of 16 queues.
If no agents are free in groups 17 to 25, the system continues to look for a free agent only in
groups 1–16.

4-27
Configuring FlexRouting
Configuring ART (ACD Routing Tables)

4.4.1 Action steps of ACD routing table


The routing steps listed in the following can be applied in any order. Certain conditions must be
observed with some of the steps, however.
ART 1 to 15 are reserved for Service:
1. ART 1
● is preassigned the entry "DISCON"
● and cannot be modified.
2. ART 2 to 15
● are preassigned the entry "DISCON"
● and can be modified using a SET command and password level 4.
3. ARTs from 16 onwards can be administered as required and used for the application.

Parameter Explanation
DELAYRB Delay ringback
● This should be the first step in an ACD routing table.
● Can be used for external, CORNET and internal ACD calls.
● If the step DELAYRB is followed by:
– the step RTGRP, the caller hears a ringing tone (ringback).
– the steps RTGRP and RTREC and the ACD group is not available, the
caller hears an announcement.
– the steps RTGRP and RTMUS and the ACD group is not available, the
caller hears music.
– the steps RTGRP and DISCON and the ACD group is not available, the
line is disconnected.
DISCON Disconnect
● The system disconnects the line.
● Used to handle calls outside office hours.
● This step should follow the "Route to recorded announcement"
(RTREC) step.
● It should be the last logical step in the routing table.

4-28
Configuring FlexRouting
Configuring ART (ACD Routing Tables)

Parameter Explanation
COND Conditional routing (COND):
Used for a conditional GOSTEP.
● If the condition produces the result
– "True", routing continues with the specified step
– "False", routing continues with the next step.
● Is based on dynamic values (status) of an ACD group.
● Possible values
– the number of available agents for comparison (VALAGT),
– the number of logged on agents (AGTLGN),
– the number of queued calls (CALQED),
– the oldest queued call in minutes and seconds (OLDINQ).
These values can be checked for =, ≠, < or >.
● Cannot refer to a step which exceeds the maximum number of steps in the
ART.
VALAGT Number of available agents
AGTLGN Number of logged on agents
CALQED Number of queued calls
OLDINQ Oldest call in queue (in minutes and seconds)
GOSTEP GOTO step xx
● The system routes the call to the specified step number.
● If step xx comes before the current step, the following actions must not take
place between the current step and the target step:
– Delay ringback (DELAYRB) or
– Route to ACD group (RTGRP).
This ensures that a call is not inserted several times in a queue.

4-29
Configuring FlexRouting
Configuring ART (ACD Routing Tables)

Parameter Explanation
RTAGT Route to agent
● The call is routed to the logon ID of the specified agent.
● The logon ID of the agent is checked.
● Routing continues with the next step if the agent cannot be reached.
● The RTGRP step must not be followed by RTAGT, if this agent is assigned
to the same group!
RTEXT Route to extension
● Forwards the call to the specified extension.
● The AMO checks that the specified extension is valid.
● The AMO stores the digit sequence.
● Routing continues with the next step if the extension cannot be reached.
● The destination can be an ACD routing address, a non-ACD extension or an
ACD extension.
Routing tables with type SA are not permitted (see page 4-20).
● An error is output if the extension number
– is not in the same ACD WABE group (AMO ZAND, standard value = 0),
– is not an extension number or routing address with digit analysis result
STN, ATND, HUNT or ATNDIND (via ADD-WABE) or DNI (ADD-DNIT,
TAB=DNI).
● ACD extensions with digit analysis result
– ATND must be assigned an attendant code via the AMO VFGKZ.
– STN or ATNDIND must be assigned a device with the AMO SCSU/
SBCSU/SSCSU or ACSU.
Otherwise an error will be output.

4-30
Configuring FlexRouting
Configuring ART (ACD Routing Tables)

Parameter Explanation
RTGRP Route to ACD group x
● The call is routed to the specified group number.
● The caller is placed on hold if no agents are available.
Routing continues with the next step.
● A group must only be entered once in an ART.
● The "RTGRP" step must not be followed by a step routing the call to an
agent in this group.
● The group number is checked.

Maximum number of RTGRP entries in the routing table


Each caller may be inserted in a maximum of 16 group queues (primary groups
plus a maximum of 15 overflow groups).
Entering more than 15 overflow groups in the routing table
Routing can also be set up to search for free agents in more than 15 overflow
groups.
If the number of RTGRPs entered in a routing table exceeds 16, the system
checks the subsequent groups only once to see if an agent is free.
If these groups do not contain a free agent, the system continues to search only
in the first 16 groups for a free agent.
RTMUS Route to music
● The system routes the call to the specified music-on-hold number
(1 .. 32).
● The RTMUS step should be followed by the WTSEC x step (defines how
long the caller hears music before routing continues with the next step).
● The music-on-hold number is checked.

4-31
Configuring FlexRouting
Configuring ART (ACD Routing Tables)

Parameter Explanation
RTOFF Route to offsite number
● Routes the call to an offsite number.
RTEXT ● Routes the call to a user number in a networked Hicom.

RTVMS ● Routes a call to a PhoneMail server


(2 digit strings possible)
Digit string for digital PhoneMail server with mailbox number:
aaaaaaACDmm...m
aaaaaa 1-6 digits for PhoneMail number
ACD Routing ID for
PhoneMail or VoiceMail server
mm...m 1 to n digits for PhoneMail mailbox number
ADD-Richt:PM,X,,,aaaaaa;
PM : address type (PhoneMail)
X : index available for server access number
aaaaaa: SAN (server access number)
Digit string for digital PhoneMail server with CP mailbox (general mailbox
number):
aaaaaaACD
aaaaaa 1-6 digits for PhoneMail number.
ACD Routing ID for
PhoneMail or VoiceMail server
ADD-Richt:PM,X,,,aaaaaa;
PM : address type (PhoneMail)
X : index available for server access number
aaaaaa: SAN (server access number)

4-32
Configuring FlexRouting
Configuring ART (ACD Routing Tables)

Parameter Explanation
continued: Route to offsite number
● routes a call to a PhoneMail server
(2 digit strings are possible)
Digit string for analog PhoneMail server and mailbox number and analog
PhoneMail server with CP mailbox (general mailbox number)
aaaaaaACDmm....m
aaaaaa 1-6 digits for PhoneMail number.
ACD Routing ID for
PhoneMail or VoiceMail server
mm..m 1 to n digits for mailbox number

ADD-Ziel:EVMTAB,FWDANS,aaaaaa;
EVMTAB : seizure type table for the VMX server
FWDANS : seizure after no answer forward
aaaaaa : VMX server number (master hunt group)
● Routes a call to a VoiceMail server
(1 digit string possible):
Digit string for VoiceMail with mailbox number:
X...XACDmm...m
aaaaaa 1-6 digits for VoiceMail
ACD Routing ID for
PhoneMail or VoiceMail server
mm...m 1 to n digits for VoiceMail mailbox number
ADD-Ziel:SERVER,VOICE,X..X;
X..X: VM Access Number (number of WABE DAR VMOWN).
● The AMO does not check the number.
● The AMO stores the digit sequence.
● A special access code is required for the public network.
RRTREC Route to recorded announcement
● The system routes the call to the specified announcement.
● The announcement must be defined with OPTYPE = FIXED.
● The recorded announcement number is checked.

4-33
Configuring FlexRouting
Configuring ART (ACD Routing Tables)

Parameter Explanation
WTSEC) Wait x seconds
● The connection stops for x seconds at the previous step.
● If this step is the first step in a routing table, the caller hears the ringing tone
during the programmed delay.
● The delay is entered in steps of 5 seconds to max. 300 seconds. (1–10 s in
1-second intervals, 10–300 s in 5-second intervals.)
● The caller waits for the call to be answered, picked up, disconnected etc. if
0 seconds is entered.
Skip Skip to the next step
Does not affect the connection – routing continues with the next step.

4-34
Configuring FlexRouting
Configuring daily/calendar routing and shift numbers

4.5 Configuring daily/calendar routing and shift numbers


The RCG identified for the call is transferred to the daily or calendar routing tables.
RCG = 100 Today’s date has been configured in calendar routing
+----+------+------------+---------+
DISPLAY "ACD 93511" |RCG |DSNUM |START DATE |END DATE |
+----+------+------------+---------+
PRI - 10 |100 | 7 | 01.01.* | 01.01.* |
OVRPRI - 5 +----+------+------------+---------+
AUDSRCID - 1 |100 | 22 | 06.01.* | 06.01.* |
...
THRSHLD - * |100 | 7 | 25.12.* | 26.12.* |
+----+------+------------+---------+
|100 | 22 | 31.12.* | 31.12.* |
+----+------+--- max. 32,000 entries

e.g. DSNUM=7

+----+------+------+------+------+------+------+------+
| |DSNUM|DSNUM|DSNUM|DSNUM|DSNUM|DSNUM|DSNUM|
|RCG | SUN | MON | TUE | WED | THU | FRI| SAT |
+----+------+------+------+------+------+------+------+
|100 | 7 | 5 | 5 | 5 | 5 | 5 | 7 |
+----+------+------+------+------+------+------+------+
|101 | 7 | 2 | 2 | 2 | 2 | 2 | 7 |
+----+------+------+------+------+------+------+------+
|102 | 7 | 11 | 11 | 11 | 11 | 11 | 7 |
+----+------+------+------+------+------+------+------+
|... | | | | | | | |
+----+------+------+------+------+------+------+------+
Shift indices: 0-5120

SHIFT NUMBERS
+--------+--------+------+------+
| DSNUM | SHIFT | ART | EOS |
+--------+--------+------+------+ Shift no. from
| 5 | 07:00 | 16 | YES | 00:00 to 07:00
+--------+--------+------+------+ Shift no. from
| 5 | 20:00 | 32 | NO | 07:01 to 20:00
+--------+--------+------+------+ Shift no. from ACD
| 5 | 23:59 | 32 | NO | 20:01 to 23:59 Routing
+--------+--------+------+------+
Tables
+--------+--------+------+------+
| DSNUM | SHIFT | ART | EOS |
+--------+--------+------+------+ Shift no. from ART 32
| 7 | 23:59 | 32 | YES | 00:00 to 23:59
+--------+--------+------+------+

4-35
Configuring FlexRouting
Configuring daily/calendar routing and shift numbers

If today’s date has not been configured in calendar routing.

RCG - 100

Today’s date
DISPLAY "ACD 93511" has not
PRI - 10 been configured
OVRPRI - 5 in
AUDSRCID - 1 calendar routing
THRSHLD - *

Daily routing table


+----+------+------+------+------+------+------+------+
| |DSNUM|DSNUM|DSNUM|DSNUM|DSNUM|DSNUM|DSNUM|
|RCG | SUN | MON | TUE | WED | THU | FRI | SAT |
+----+------+------+------+------+------+------+------+
|100 | 7 | 5 | 5 | 5 | 5 | 5 | 7 |
+----+------+------+------+------+------+------+------+
|101 | 7 | 2 | 2 | 2 | 2 | 2 | 7 |
+----+------+------+------+------+------+------+------+
|102 | 7 | 11 | 11 | 11 | 11 | 11 | 7 |
+----+------+------+------+------+------+------+------+
|... | | | | | | | |
e.g. DSNUM=5 +----+------+------+------+------+------+------+------+
Shift indices: 0-5120

SHIFT NUMBERS
+--------+--------+------+------+
| DSNUM | SHIFT | ART | EOS | ART 16
+--------+--------+------+------+ Shift no. from ART 16
| 5 | 07:00 | 16 | YES | 00:00 to 07:00
+--------+--------+------+------+ Shift no. from
| 5 | 20:00 | 32 | NO | 07:01 to 20:00 ACD
+--------+--------+------+------+ Shift no. from
| 5 | 23:59 | 32 | NO | 20:01 to 23:59 Routing
+--------+--------+------+------+ Table
+--------+--------+------+------+
| DSNUM | SHIFT | ART | EOS |
+--------+--------+------+------+ Shift no. from
| 7 | 23:59 | 32 | YES | 00:00 to 23:59
+--------+--------+------+------+

4-36
Configuring FlexRouting
Configuring daily/calendar routing and shift numbers

4.5.1 Configuring shift numbers


The AMO ACDRS (ACD Route Selection) is used to administer the shift numbers, daily and
calendar routing.
Further processing of RCG

RCG Calendar/daily routing Shift number


from page 4-7
page 4-39 The shift number
onwards Defines the shift number specifies the time and the
valid for the day ACD Routing Table valid ART
and RCG in question for the caller in question page 4-26

Configuration sequence: 3. 2. 1.

First configure the shift numbers.


This diagram illustrates the routing sequence.
The tables are set up in the opposite direction however.

A shift number generally starts at 00:00 hours.


The 1st entry in the shift number indicates that this shift starts at 00:00 hours and ends at the
time specified.
H500: AMO ACDRS STARTED
+--------+--------+------+------+
| DSNUM | SHIFT | ART | EOS |
+--------+--------+------+------+
| 5 | 07:00 | 16 | YES | Shift no. from 00:00 to 07:00
+--------+--------+------+------+
| 5 | 20:00 | 32 | NO | Shift no. from 07:01 to 20:00
+--------+--------+------+------+
| 5 | 23:59 | 32 | NO | Shift no. from 20:01 to 23:59
+--------+--------+------+------+
+--------+--------+------+------+
| DSNUM | SHIFT | ART | EOS |
+--------+--------+------+------+
| 6 | 08:00 | 18 | YES | Shift no. from 00:00 to 08:00
+--------+--------+------+------+
| 6 | 16:00 | 32 | NO | Shift no. from 08:01 to 16:00
+--------+--------+------+------+
| 6 | 23:59 | 32 | NO | Shift no. from 16:01 to 23:59
+--------+--------+------+------+
+--------+--------+------+------+
| DSNUM | SHIFT | ART | EOS |
+--------+--------+------+------+
| 7 | 23:59 | 17 | YES |
+--------+--------+------+------+
+--------+--------+------+------+
AMO-ACDRS-85 ACD - ROUTE SELECTION

4-37
Configuring FlexRouting
Configuring daily/calendar routing and shift numbers

The shift number defines the ART which is valid for the caller.
The ART determines
● which greeting announcement is played
● which group should be checked for a free agent
● which overflow groups (if applicable) should be checked for a free agent
● which announcement is played while the caller is on hold.

Set up shift numbers


ADD-ACDRS:TYPE=RS,DSNUM=1,SHIFT=07-00,ART=16,EOS=NO,ARTDEF=32;
CHA-ACDRS:TYPE=RS,DSNUM=1,SHIFT=20-00,ART=31,EOS=YES;
CHA-ACDRS:TYPE=RS,DSNUM=1,SHIFT=23-59,ART=31,EOS=YES;

ADD-ACDRS:TYPE=RS,DSNUM=2,SHIFT=23-59,ART=31,EOS=YES,ARTDEF=32;

ADD-ACDRS:TYPE=RS,DSNUM=3,SHIFT=08-00,ART=10,EOS=NO,ARTDEF=32;
CHA-ACDRS:TYPE=RS,DSNUM=3,SHIFT=16-00,ART=32,EOS=YES;
CHA-ACDRS:TYPE=RS,DSNUM=3,SHIFT=23-59,ART=32,EOS=YES;
DSNUM Shift number
SHIFT The time when the shift ends.
A shift always starts at the end of the previous shift plus 1 minute.
ART ACD Routing Table
Defines the ART to which the call is to be routed if this shift number has been
assigned. ART see page 4-26.
EOS End-of-shift function
● YES
When the shift ends, calls in the queue must not be processed.
IMPORTANT!
Callers in the queue are rerouted in accordance with the calendar and daily
routing steps. As a result, the time-based priority assigned to certain call is
lost.
● NO
When the shift ends, calls in queue must still be processed by the agents.
ARTDEF ACD Routing Table ART
Preset ART, routing for remaining final shift up to 23.59 hours.

4-38
Configuring FlexRouting
Configuring daily/calendar routing and shift numbers

4.5.2 Configuring daily and calendar routing (AMO ACDRS)


The AMO ACDRS (ACD Route Selection) is used to administer daily and calendar routing.
Further processing of RCG

RCG Calendar/daily routing Shift number


page 4-37
from page 4-7
onwards Defines the shift number The shift number
valid for the day specifies the time and the ART
and RCG in question ACD Routing Table valid page 4-26
for the caller in question

Configuration sequence: 3. 2. 1.

Day-dependent and date-dependent routing


The AMO ACDRS can be used to set up day or date-dependent routing for any Route Control
Group by assigning a shift number to a weekday or to a date.

Daily routing (TYPE=RS)


The shift numbers of a regular 7-day week are defined with daily routing.
A shift number must be assigned for each weekday.
ADD-ACDRS:TYPE=RS,RCG=100,DSNUMSO=1,DSNUMMO=1,...DSNUMSA=1;
ADD-ACDRS:TYPE=RS,RCG=101,DSNUMSO=2,DSNUMMO=2,...DSNUMSA=2;
ADD-ACDRS:TYPE=RS,RCG=102,DSNUMSO=3,DSNUMMO=3,...DSNUMSA=3;
ADD-ACDRS:TYPE=RS,RCG=103,DSNUMSO=4,DSNUMMO=4,...DSNUMSA=4;
...
DSNUMSO, ..MON, ...TUE, ...WED, ...THU, ..FRI, ...SAT

Calendar routing (TYPE=CR)


Calendar routing is used to define the shift numbers on national holidays and special days.
A maximum of 32,000 entries are possible in the calendar routing table.
ADD-ACDRS:TYPE=CR,RCG=100,STARTMON= 12,STARTDAY= 25,ENDMON= 12,ENDDAY= 25,
DSNUM= 2;
ADD-ACDRS:TYPE=CR,RCG=101,STARTMON= 7,STARTDAY= 28,STARTYR= 1997,DSNUM= 2;
ADD-ACDRS:TYPE=CR,RCG=102,STARTMON= 12,STARTDAY= 28,STARTYR= *,ENDMON= 1,
ENDDAY= 2,ENDYR= *,DSNUM= 3;

4-39
Siemens

Informativo Téccnico
BATCH PARA CRIAÇÃO BÁSICA DE GRUPOS ACD 

1) WABE 

ADD‐WABE:*00,,,ACDLOGON,N,,,,,,,,; /*logon*/ 

ADD‐WABE:#00,,,ACDLOGOF,N,,,,,,,,; /*logoff*/ 

ADD‐WABE:*01,,,ACDAV,N,,,,,,,,;    /*disponivel*/ 

ADD‐WABE:#01,,,ACDNAV,N,,,,,,,,;   /*indisponivel*/ 

ADD‐WABE:*02,,,ACDWORK,N,,,,,,,,;  /*pausa*/  

ADD‐WABE:*03,,,MONSLNT,N,,,,,,,,;  /*monitoração silenciosa*/  

ADD‐WABE:*04,,,WHISANN,N,,,,,,,,;  /*sussurro*/ 

ADD‐WABE:793021,,,RCG,N,,,,,,,,;   /*código virtual para grupo de controle de roteamento*/ 

ADD‐WABE:783021,,,STN,N,,,,,,,,;   /*PILOTO DO GRUPO ACD*/ 

ADD‐WABE:6666,,,STN,N,,,,,,,,;   /*PILOTO DO GRUPO ACD*/ 

2) ZAND 

CHANGE‐ZAND:ACD,YES,NO,,NO,NO,NO,YES; 

CHANGE‐ZAND:ACD,NO,,0,,NO,NO,YES; 

CHANGE‐ZAND:ACD,YES,,,,NO,NO,YES; /*libera aplicação Flexrouting*/ 

set‐zand:yes; /*libera monitoração silenciosa (DIGITAR EM MÍNÚSCULO!!!)*/ 

3) ZANDE 

CHANGE‐ZANDE:TYPE=ACD,WHISANN=YES; /*libera a facilidade sussurro*/ 

4) TAPRO (ramal do supervisor) 

ADDON,MONTONE,ACDPGS,WHISANN 

5) TAPRO (ramal do agente) 

ACDLOG,ACDAV,ACDNAV,ACDWORK 

 
6) SDAT (atributo do ramal do agente) 

CHANGE‐SDAT:1101,ATTRIBUT,AGENT&CBSTMON; 

7) SDAT (atributo do ramal do supervisor) 

CHANGE‐SDAT:2100,ATTRIBUT,AGENT&SUPER&CASTMON; 

8) ACDSD (comprimento das senhas dos agentes e módo de monitoração) 

CHANGE‐ACDSD:SYS,4,10,ID,3,500,YES,NO,NO,NO; 

/*associação do controle de facilidade ao código virtual de rcg criado no WABE*/ 

CHANGE‐ACDSD:CAFRCG,31,793021; 

9) ACDGP 

/*criação do grupo ACD associando o ramal supervisor 2100*/ 

ADD‐ACDGP:31,NORMAL,FIFO,2100,YES,NO; 

10) AGENT  

/*criação dos senhas de logon para o grupo 31*/ 

ADD‐AGENT:1001,31,1,NORMAL,0,,0; 

ADD‐AGENT:1002,31,2,NORMAL,0,,0; 

ADD‐AGENT:1003,31,3,NORMAL,0,,0; 

11) RCSU  

/*criação da PEN para musica em espera 1 do grupo ACD 31*/ 

ADD‐RCSU:1‐1‐6‐8,1,YES,CONT,RANDOM,0,,G711&G729AOPT&ML&VIAHHS,ACDMUS,1; 

 
12) ACDRT  

/*criação dos passos da chamada para o grupo 31*/ 

ADD‐ACDRT:31,6; 

CHANGE‐ACDRT:31,ARTSTEP,1,DELAYRB; 

CHANGE‐ACDRT:31,ARTSTEP,2,RTGRP,31; 

CHANGE‐ACDRT:31,ARTSTEP,3,RTMUS,1; 

CHANGE‐ACDRT:31,ARTSTEP,4,WTSEC,300; 

CHANGE‐ACDRT:31,ARTSTEP,5,GOSTEP,3; 

CHANGE‐ACDRT:31,ARTSTEP,6,SKIP; 

13) ACDRS 

/*criação do basic day shift*/ 

ADD‐ACDRS:DS,31,23‐59,31,NO,31; 

ADD‐ACDRS:RS,31,31,31,31,31,31,31,31; 

14) DNIT 

/*criação dos pilotos para o grupo ACD 31 associado a RCG 31 com bloqueio de chamadas a cobrar*/ 

ADD‐DNIT:DNI,783021,DRTD,0,"PILOTO PARA TESTE       ",YES,31,64,0,0,*,FORB; 

ADD‐DNIT:DNI,6666,DRTD,0,"PILOTO VERDADEIRO       ",YES,31,64,0,0,*,FORB; 

 
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Pressuposições

4 Configurando o PABX HiPath 4000


Este capítulo proporciona instruções e exemplos para configurar o PABX HiPath
4000 V2.0, V3.0 e V4.0 para se comunicar com o HiPath ProCenter.

Os exemplos de PABXs foram criados para orientá-lo nos fluxos de roteamento


simples, incluindo o roteamento de emergência, que corresponde às faixas de
telefonia padrão predefinidas no HiPath ProCenter.

Nota: Se precisar configurar fluxos mais complexos ou estratégias de


roteamento de emergência, siga os exemplos dados no capítulo e defina os
valores adicionais. Para obter mais informações sobre seu ambiente, entre em
contato com seu representante de atendimento ao cliente.

Complete as seções neste capítulo. Após ter configurado o PABX HiPath 4000,
continue com a implementação, seguindo as diretrizes a seguir no Guia de
Instalação e Manutenção.

4.1 Pressuposições
Supõe-se que:

• O PABX está operacional e totalmente funcional. Teste para certificar-se de


que o PABX pode fazer e receber chamadas externas.

• Os técnicos de manutenção tenham acesso irrestrito ao PABX. Isto é


necessário para configurar o PABX.

Cuidado: Somente pessoal devidamente treinado deve tentar configurar


este PABX. Tentativas de configurar o PABX por pessoal que não seja
devidamente treinado podem afetar de forma negativa a operação do HiPath
ProCenter.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware 55
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Antes de começar

4.2 Antes de começar


Antes que seja possível configurar o PABX, será necessário fazer o seguinte:

• Obtenha um endereço de IP para UNIX.

• Se você estiver usando o recurso Config-Sync (sincronização da


configuração), no ACDAPP, crie um nome e senha de usuário para o HiPath
ProCenter.

Cuidado: Ao criar senhas, certifique-se de seguir as diretrizes de segurança


apropriadas para seu ambiente.

• Confirme se a conexão da rede através da rede local do PABX está


disponível.

• Apenas para o PABX V2.0, confirme se o PABX está licenciado através de


um dongle para usuários e supervisores do HiPath ProCenter. (Use o AMO
CODEW para verificar.)

• Confirme se o PABX está executando o patch correto para o nível do


software. Para obter mais informações, entre em contato com seu
representante do Serviço de Atendimento ao Cliente.

• Conecte o servidor no qual você pretende instalar o HiPath ProCenter à rede


local do PABX e à rede local do cliente. Para obter diretrizes, veja Seção 4.3,
“Configuração da rede do HiPath 4000”, na página 57.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


56 HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Configuração da rede do HiPath 4000

4.3 Configuração da rede do HiPath 4000


O diagrama abaixo mostra como o HiPath ProCenter e o PABX HiPath 4000 se
comunicam.

Nota: O PABX HiPath 4000 também pode ser usado em um ambiente de alta
disponibilidade (standby a quente) do HiPath ProCenter. Para obter mais
informações, consulte a Seção 4.10, “Configurando um ambiente de alta
disponibilidade (standby a quente)”, na página 69.

Figura 8 Configuração da rede

Conforme mostrado em Figura 8, há dois caminhos de comunicação que o


HiPath ProCenter utiliza para se comunicar com o PABX:

• O primeiro caminho é a ligação entre o PABX e o HiPath ProCenter pela


rede local (parte inferior do diagrama). Esta rede local é reservada somente
para as aplicações do PABX. A sub-rede nesta rede local, automaticamente,
é 192.0.2.0/24.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware 57
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Compreendendo a configuração ACD

• O segundo caminho é a ligação entre o PABX e o HiPath ProCenter pela rede


do cliente (parte superior do diagrama).

4.4 Compreendendo a configuração ACD


O seguinte fluxo proporciona um exemplo de configuração do ACD para o PABX
HiPath 4000. Os números entre parênteses são os números padrão criados pelo
HiPath ProCenter.

Figura 9 Fluxo de configuração da ACD

O fluxo de configuração ACD mostrado na Figura 9 é o seguinte:

1. Uma chamada chega ao PABX por um número discado, que é traduzido a um


DNIT (Dialed Number Identification Table). Um DNIT é um cursor no PABX.
O número entrante pode ser um número 0-800 discado diretamente ou um
número transferido por um dispositivo front-end, como o Xpressions.

Nota: Vários números piloto podem ser usados para esta etapa, todos
entrando neste fluxo no PABX.

2. Para o HiPath ProCenter, o DNIT deve apontar para um RCG (Grupo de


Controle de Roteamento) do HiPath ProCenter.

3. O RCG faz referência a um Grupo de Turnos. O grupo de turnos determina


o fluxo da chamada do PABX durante as horas do dia. Certifique-se de que
este Grupo de Turnos esteja configurado apropriadamente para seus turnos,
como uma operação 24x7x365.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


58 HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Compreendendo a configuração ACD

4. O Grupo de turnos faz referência a uma ART, que é a Tabela de roteamento


do ACD no PABX. A TRA é configurada para fazer verificações especiais que
asseguram que o aplic encontra-se em funcionamento. Para obter mais
informações, consulte o Seção 4.4.1, “Sobre o mecanismo de heartbeat”, na
página 60.

5. Se o heartbeat estiver operacional, o PABX roteia a chamada para um grupo


ACD do HiPath ProCenter. As chamadas deste grupo são monitoradas pelo
HiPath ProCenter. Após a chamada chegar neste grupo, o HiPath ProCenter
roteia a chamada de acordo com o fluxograma configurado no aplicativo
HiPath ProCenter Manager (para obter mais informações, veja o Guia de
Administração do Manager). Se a chamada ainda estiver na fila do PABX
após 15 segundos, o PABX verificará novamente o status do HiPath
ProCenter. Se ele estiver em funcionamento, a chamada permanecerá na
fila, esperando que o HiPath ProCenter faça o roteamento.

6. Se o heartbeat não está em estado operacional, o PABX precisará rotear a


chamada. No caso padrão, deve-se adicionar uma etapa após o ART instruir
o PABX para enviar todas as chamadas para um DNIT alternativo até que a
comunicação seja restabelecida entre o PABX e o HiPath ProCenter.

7. O DNIT alternativo aponta para um GCR de emergência.

8. O GCR de Emergência aponta para um Grupo de Turno de Emergência. O


Grupo de Turno de Emergência pode ser configurado no PABX de maneira a
corresponder com a abertura ou fechamento da central de contatos. O
padrão é definido para uma central de contatos 24x7x365. Para obter mais
informações, veja Seção 4.7, “Configuração do roteamento de emergência”,
na página 62.

9. Se a central de contatos estiver aberta, então as chamadas serão roteadas


para a ART de Emergência. A ART de Emergência fará o PABX rotear todas
as chamadas para o Grupo ACD de Emergência. Este grupo é onde todos os
usuários são configurados no PABX. Observe que não existe roteamento
inteligente dentro deste grupo no PABX.

10. Se você configurar o Grupo de Turnos para refletir quando a central de


contatos estiver fechada, as chamadas serão roteadas para o destino na
ART de Emergência Alternativa. Sugestões para o destino incluem HiPath
Xpressions ou um operador.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware 59
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Compreendendo a configuração ACD

4.4.1 Sobre o mecanismo de heartbeat


Um mecanismo de monitoração (heartbeat) é usado por todos os PABXs para
determinar se o HiPath ProCenter está funcionando adequadamente. Se o PABX
detectar que o HiPath ProCenter não está funcionando corretamente, o PABX
roteará as chamadas usando a lógica de emergência configurada no PABX.

O mecanismo de monitoração (heartbeat) usar mensagens do CSTA à rede local


de PABX.

A TRA que contém o grupo ACD do HiPath ProCenter (padrão é 100), contém
ART steps que fazem o monitoramento do grupo ACD de heartbeat. As etapas
da ART asseguram que as chamadas estejam sendo feitas para o Grupo do ACD
do heartbeat e que as chamadas sejam desconectadas no intervalo adequado.

Se houver um problema na comunicação entre o HiPath ProCenter e o PABX, o


PABX roteará as chamadas de acordo com as etapas definidas no exemplo de
tabela TRA.

Exemplo de tabela TRA


As etapas predefinidas de roteamento das chamadas do HiPath ProCenter com
verificação de heartbeat são:
Etapa 1 CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,1,HEARTCND,HPPC,20,6;
Etapa 2 CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,2,RTGRP,100;
Etapa 3 CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,3,WTSEC,15;
Etapa 4 CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,4,HEARTCND,HPPC,20,6;
Etapa 5 CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,5,GOSTEP,3;
Etapa 6 CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,6,RTEXT,7891;
Observe que 100 é o grupo ACD padrão para o HiPath ProCenter que é criado
pelo arquivo de macro e 7891 é o número DNIT padrão que faz referência à
estratégia de emergência para o cliente.

No exemplo acima, o PABX esperará 20 segundos para que o HiPath ProCenter


envie uma mensagem ao CSTA pela rede de PABX. Se a mensagem for
recebida, o PABX roteia a chamada para um grupo ACD do HiPath ProCenter.
Se a chamada não for roteada a um usuário em 15 segundos, o PABX verificará
o sinal de monitoração (heartbeat) novamente. As etapas 3 e 4 são repetidas até
a chamada ser roteada para um usuário. Se por qualquer motivo o heartbeat
falhar, o PABX passará para a etapa 6 (e quaisquer etapas subseqüentes,
conforme desejar), que relaciona a estratégia de emergência.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


60 HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Carga das configurações da CSTA no PABX

4.5 Carga das configurações da CSTA no PABX


O HiPath ProCenter e o PABX comunicam-se através de CSTA. O PABX
notificará o HiPath ProCenter sobre chamadas que necessitem de roteamento e,
depois, o HiPath ProCenter instruirá o PABX sobre como rotear as chamadas. As
configurações do CSTA padrão, que são carregadas pelo representante do
suporte técnico do cliente, são mostradas abaixo.

Nota: Se você estiver conectando mais de uma máquina do servidor principal do


HiPath ProCenter a um único PABX HiPath 4000, as configurações de CSTA
(como o número do aplicativo) configurado no PABX e no Adaptador de
Conectividade (CA4000) devem ser exclusivas para cada máquina do servidor
HiPath ProCenter.

Configurações de CSTA do HiPath 4000


ADD-CPTP:DPCON,55,"PROCID5","192.0.2.25";
ADD-CPTP:APPL,55,"ACM55","PROCID5","APPL55",YES,102,102,"ACM55","APPL55";
ADD-ACMSM:,55,ACLAPPL,"APPL55","ACM55","PROCID5",CB,"CSTAGW",Y,1020,1020;
ADD-XAPPL:55,"APPL55","APPLICATION_55",,Y;
CHANGE-XAPPL:SUBAPPL,55,D25,ACCOUNT&AGASSIGN&AGENT&ABANDON&QUEUED,;
CHANGE-XAPPL:SUBAPPL,55,D25,REDIRECT&LOGON&RCGDISC&RCGSEL&DIGDIALD,;
CHANGE-XAPPL:MONCB,55,D25,RCG,;
EXE-UPDAT:BP,ALL;
EXE-UPDAT:A1,ALL;

4.6 Carregando as configurações da ACD no PABX


O HiPath ProCenter foi projetado para trabalhar com as configurações padrão
(mostradas abaixo), que são carregadas pelo representante de atendimento ao
cliente.

Nota: Se você estiver conectando mais de uma máquina do servidor principal do


HiPath ProCenter a um único PABX HiPath 4000, o nome do aplicativo (HPPC
padrão) e os recursos (ramais, grupos ACD, etc.) devem ser exclusivos para
cada máquina do servidor do HiPath ProCenter. Além disso, o nome do aplicativo
deve corresponder ao nome do aplicativo de heartbeat configurado no aplicativo
HiPath ProCenter Manager.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware 61
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Configuração do roteamento de emergência

Configurações de ACD do HiPath 4000


CHA-SDAT:<Supervisor Extension>,ATTRIBUT,AGENT&SUPER;
ADD-ACDGP:100,NORMAL,FIFO,<Supervisor Extension>,YES,YES,5,20,30;
/* HPPC's basic ACD group
ADD-ACDGP:110,NORMAL,FIFO,<Supervisor Extension>,YES,YES,5,20,30;
/* fallback ACD group
ADD-WABE:7890,,,STN;
ADD-WABE:7891,,,STN;
ADD-WABE:7895,,,RCG;
ADD-WABE:7896,,,RCG;
CHA-ACDSD:CAFRCG,100,7895;
CHA-ACDSD:CAFRCG,110,7896;
ADD-ACDRT:100,6;
CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,1,HEARTCND,HPPC,20,6;
CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,2,RTGRP,100;
CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,3,WTSEC,15;
CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,4,HEARTCND,HPPC,20,6;
CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,5,GOSTEP,3;
CHANGE-ACDRT:100,ARTSTEP,6,RTEXT,7891;
ADD-ACDRT:110,3;
CHANGE-ACDRT:110,ARTSTEP,1,RTGRP,110;
ADD-ACDRS:DS,100,23-59,100,NO,100;
ADD-ACDRS:DS,110,23-59,110,NO,110;
ADD-ACDRS:RS,100,10,10,10,10,10,10,10;
ADD-ACDRS:RS,110,11,11,11,11,11,11,11;
ADD-DNIT:DNI,7890,DRTD,0,"HPPC MAIN",YES,100;
ADD-DNIT:DNI,7891,DRTD,0,"HPPC BACKUP",YES,110;
EX-UPDAT:BP,ALL;

4.7 Configuração do roteamento de emergência


Se o HiPath ProCenter não estiver funcionando devidamente, é imperativo que
as chamadas continuem a ser atendidas pelos usuários. Os usuários os podem
continuar a atender chamadas através do roteamento de emergência.

O conceito do roteamento de emergência principal do HiPath ProCenter é que se


o HiPath ProCenter ficar indisponível, o PABX passará a ser responsável pelo
roteamento das chamadas para os usuários disponíveis que tiverem feito logon
no PABX até que o HiPath ProCenter seja restaurado.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


62 HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Configuração do roteamento de emergência

Como mostrado no Seção 4.4, “Compreendendo a configuração ACD”, na


página 58, existe a possibilidade de se definir um roteamento de emergência
para que quando o HiPath ProCenter esteja indisponível, as chamadas sejam
roteadas para um destino predeterminado, em vez de seguirem para a central de
contatos onde não haverá nenhum usuário ativo.

4.7.1 Exemplo de ambiente comercial


O diálogo a seguir representa um exemplo de ambiente comercial. O formato de
“perguntas e respostas” reflete as perguntas típicas feitas durante uma entrevista
de projeto:

Pergunta: A que horas e dias a central de contatos tem usuários que fizeram
logon e estão ativos?

Resposta: Nossa central de contatos possui três departamentos: vendas,


suporte técnico e faturamento. O expediente de vendas e faturamento é das
09h00 às 17h00. Segunda a sexta-feira. O departamento de suporte técnico
trabalha 7 dias por semana das 7:00 h às 23:00 h.

Pergunta: Para onde devem ser encaminhadas as chamadas quando a central


de contatos estiver fechada?

Resposta: As chamadas podem ir para o HiPath Xpressions ou para um


operador disponível 24 horas. Estes são apenas dois exemplos possíveis.

Após estas perguntas terem sido respondidas, você estará pronto para
configurar o fluxograma. Para obter mais informações, consulte Guia de
Planejamento e Projeto.

4.7.2 Modificando o horário da central de contatos


Para modificar o horário da central de contatos para as configurações de
roteamento de emergência no PABX, execute os AMOs de acordo com o
exemplo desta seção.

Cuidado: Antes de executar os AMOs, certifique-se de que o ComWin esteja


conectado ao PABX e que esteja sendo executado e ativo. Para obter mais
informações sobre o ComWin, veja a documentação do PABX Hicom.

Para modificar o horário da central de contatos:


1. Defina os números do turno no PABX (cada dia com horários diferentes). Por
exemplo, execute o AMO:
ADD-ACDRS:DS,100,<Shift time Start>,120,NO,120;

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware 63
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Configuração do roteamento de emergência

onde <Shift time Start> é quando o turno termina. Deve ser inserido
no formato <HH-MM> para o relógio de 24 horas.

Nota: O texto Shift time Start refere-se ao horário efetivo em que o


turno termina. O parâmetro AMO, no entanto, é chamado de shift end. O
turno vai de meia-noite até o horário do turno começar. Supõe-se que a
central de contatos esteja fechada durante este tempo e que todas as
chamadas que chegarem quando a central de contatos estiver fechada
sejam enviadas à Tabela de Roteamento da ACD 120.

2. Defina quando a central de contatos está aberta. Por exemplo, execute o


AMO:
CHA-ACDRS:DS,100,<Shift time End>,110,NO;
onde <Shift time End> é quando o turno terminará. Deve ser inserido no
formato <HH-MM> para o relógio de 24 horas.
Este turno vai de <shift time start> a <shift time end>. As chamadas são
enviadas para a ART 110 para fins de roteamento de emergência quando a
central de contatos é aberta. Ela contém uma etapa que roteia as chamadas
para o Grupo ACD do Agente no PABX.

3. Feche o turno. Por exemplo, execute o AMO:


CHA-ACDRS:DS,100,23-59,120,YES;
Isto muda as execuções de <shift time end> até o final do dia.

4. Modifique o turno. Por exemplo, execute o AMO:


CHA-ACDRS:RS,110

5. Após executar o AMO acima, será solicitado que você insira o seguinte:
Sun = <Inserir no número do Turno criado para o horário
de Domingo>
Mon = <Inserir no número do Turno criado para o horário
de Segunda-Feira>, etc.

6. Após você ter inserido os dias apropriados, configure o destino após o


horário comercial na Tabela alternativa de roteamento do ACD de
emergência. Por exemplo, execute o AMO:
CHA-ACDRT:120,ARTSTEP,1,RTEXT,<After hours destination
number>;
onde <After hours destination number> é um número que
corresponde ao destino após o horário comercial no projeto do HiPath
ProCenter.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


64 HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Configurar números discáveis adicionais e redirecionar destinos em fila

4.7.2.1 Exemplo de AMOs de um turno diário de uma central


de contatos

Um exemplo de um dia de um turno para uma central de contatos aberta das 7:00
às 18:00 h é:

Etapa 1: ADD-ACDRS:DS,120,07-00,120,NO,120;

Etapa 2: CHA-ACDRS:DS,120,18-00,110,NO;

Etapa 3: CHA-ACDRS:DS,12,23-59,120,YES;

onde

Etapa 1 define que a central de contatos está fechada das 24h00 até as 07h00,
que é quando ela abre. As chamadas são encaminhadas para a TRA 120 que faz
a correspondência relativa ao destino pós-expediente.

Etapa 2 define o fim do horário em que a central de contatos está aberta. No


exemplo acima, a central de contatos está aberta das 07h00 às 18h00. As
chamadas são enviadas para a ART 110, que envia os chamadores ao Grupo
ACD do Agente.

Etapa 3 fecha as 23h59. No exemplo acima, a central de contatos está fechada


das 18h00 às 23h59 naquele dia. As chamadas são encaminhadas para a TRA
120.

Se você tiver horários diferentes em dias diferentes (por exemplo, nos fins de
semana), será necessário criar diferentes turnos para esses dias. Para fazer
isso, execute os três AMOs acima novamente, mas aumente o número 12 para
13, em seguida para 14, e assim por diante, para cada dia que tiver horários
diferentes.

4.8 Configurar números discáveis adicionais e redirecionar destinos em


fila
No HiPath ProCenter, qualquer DNIT que aponte para um RCG (Grupo de
controle de roteamento) monitorado pode ser utilizado como um número discável
ou um destino do redirecionamento em fila. Os números usados para criar esses
destinos devem ser criados para trabalhar dentro do plano de discagem.
Números discáveis adicionais podem ser utilizados como números de trânsito de
rede para rede.

Execute o AMO em cada número discável ou destino de reenfileiramento que


desejar criar.
ADD-DNIT:DNI,<DIALABLE NUMBER>,DRTD,0,<DESCRIPTION>,YES,100;

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware 65
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Configurando ramais

onde <DIALABLE NUMBER> é um número discável no plano de discagem;


<DESCRIPTION é a descrição do número; e 100 é o número GCR padrão do
HiPath ProCenter que é criado pelo arquivo de macros.

4.9 Configurando ramais


Esta seção descreve como configurar ramais dos usuários e ramais do Call
Director. É possível configurar ramais dos usuários, ramais do Call Director, ou
ambos, dependendo de sua configuração.

4.9.1 Configurando ramais dos usuários


Se você estiver configurando ramais dos usuários, certifique-se de que o telefone
esteja devidamente configurado, executando os AMOs especificados nesta
seção. Para obter mais informações, veja a documentação do PABX
HiPath 4000.

Para configurar o telefone:


1. Execute o AMO TAPRO para configurar os seguintes botões no telefone:

• Logon/Logoff da ACD

• ACD Disponível

• ACD Indisponível

• Pausa

2. Execute o AMO SDAT para certificar-se de que os atributos do ramal


contenham uma marca de classe do agente.

4.9.2 Como configurar os ramais do Call Director


Esta seção descreve como configurar ramais do Call Director. É necessário
configurar os ramais do Call Director se você planeja usar a função Call Director
para ativar mensagens interativas para chamadores. É necessária uma licença
para usar a função Call Director.

Nota: Não configure os ramais do Call Director como logon automático do agente
porque o Call Director pode ter problemas.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


66 HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware
hwdin4000install.fm
Configurando o PABX HiPath 4000
Configurando ramais

Para configurar os ramais do Call Director:


1. Configure os ramais do Call Director no PABX. Isto deve ser feito por um
técnico do PABX. Para obter detalhes, consulte a Seção 4.9.2.1,
“Configuração de ramais analógicos” e a Seção 4.9.2.2, “Configuração de
ramais OPST1”.

2. Usando o aplicativo HiPath ProCenter Manager, configure o processador de


voz. Para obter detalhes, consulte a Ajuda do Manager.

3. Usando o aplicativo HiPath ProCenter Manager, configure os ramais do Call


Director. Para obter detalhes, consulte a Ajuda do Manager.

Nota: Quando o sistema estiver configurado para alta disponibilidade (standby a


quente), serão necessários processadores de voz redundantes. Portanto, é
necessário configurar o processador de voz de backup e um segundo conjunto
de ramais do Call Director separadamente na máquina do servidor de backup.
Para obter detalhes, consulte a Ajuda do Manager.

4.9.2.1 Configuração de ramais analógicos

Esta seção descreve como configurar ramais analógicos do Call Director no


PABX.

Para configurar ramais analógicos para o Call Director:


1. Adicione uma placa analógica (se não houver nenhuma presente). Por
exemplo, execute o AMO:
ADDBCSU:MTYPE=PER,LTG=1,LTU=<SHELF>,SLOT=<SLOT>,PARTNO="Q2246
-X", FCTID=0,LWVAR="0",HWYBDL=A;
2. Adicionar um ramal analógico a cada porta analógica à qual se deseja
conectar o Call Director. Por exemplo, execute o AMO:
ADD-SCSU:STNO=<STNO>,PEN=<BOARD LOCATION>,DVCFIG=ANATE,
DPLN=0,ITR=0,COS1=<COS>,COS2=<COS>,LCOSV1=1,LCOSV2=1,LCOSD1=1
,LCOSD2=1,COSX=0,SPDI=0,COFIDX=0,SPEC=SUFDIAL,
DIAL=VAR,DHPAR=DTMFST,INS=YES,SSTNO=NO,
HMUSIC=0,CONN=DIR,FLASH=YES,DTMFBLK=NO;

Nota: Observe que Flash = yes e DTMFBLK = NO são configurações


críticas dos ramais, necessárias para o funcionamento do Call Director.

3. Os atributos dos ramais contêm a marca de classe do agente. Use o ComWin


com o AMO SDAT. Para obter mais informações, veja a documentação do
PABX HiPath 4000.

A31003-S2270-S120-8-V420, Novembro 2007


HiPath ProCenter Enterprise, V7.0 R2, Guia de Integração de Hardware 67
Uw7 Assistant

7. Uw7 Assistant
Uw7 Assistant
UW7 Assistant and Tools Siemens

UW7 Assistant and Tools

Contents
1 HiPath 4000 Assistant . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
1.1 General . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
1.2 Informations . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
1.3 UBA configuration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
2 HiPath 4000 Assistant – menu structure and its contents . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
2.1 Handling of the applications. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
2.2 Main menu (LAP2) of the HiPath 4000 Assistant (all applications activated) . . . . . . . . 8
2.3 Contents and brief description . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
2.3.1 Software management . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
2.3.2 Access management . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
2.3.3 Utilities . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
2.3.4 Base administration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
2.3.5 Expert mode. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
2.3.6 System management . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16
2.3.7 Configuration Management . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
2.3.8 chese wizart . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
2.3.9 Diagnostics. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
2.3.10 Performance Management. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
2.3.11 Collecting Agent . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42
3 Access Management – Overview . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
3.1 Introduction . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
3.2 Access Management Security Levels and User Accounts . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
3.2.1 Security Levels and Predefined User Accounts . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44

BR0038 09/17/2009 Page 1 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

3.2.2 System Accounts and Accounts for Network Single Logon (NSL) . . . . . . . . 46
4 Functionality . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
4.1 Server and Application Access Control . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
4.2 User Account Administration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
4.3 System Account Administration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51
4.4 Access Right Configuration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
4.5 Access Right Group Configuration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
5 Access to the HiPath 4000 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
5.1 HiPath 4300/4500 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
5.2 HiPath 4000 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58
5.3 Access via the Customer LAN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
5.4 AMO access via the HiPath 4000 Assistant . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60
5.5 Direct AMO access via the customer LAN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
5.6 Direct AMO access via the Atlantic LAN. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
5.7 Direct AMO access via V.24 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64
6 Exercise for User Administration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65
7 Solution for User Administration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67

BR0038 09/17/2009 Page 2 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

1 HiPath 4000 Assistent

1.1 General
With HiPath 4000 assistent was created a new service platform apartfrom a board possibility
at system entrances also many tools. The new platfrom is WEB based and automates many
procedures.With the operating system Unixware 7 can be net far used now also many stan-
dards such as Telnet and FTP. Thus an almost complete integration is possible into the data
world.
Service access for HiPath 4300 und 4500

HTS via VPN Server


The entrance of external is made by virtu-
al private net (VPN). Each System and
Service Techniker each Server receive a clear VPN IP-ad-
dress with “10” begin
TAP

MTS
ISDN
PPP-Link
SNS-Server
for HTS Kunden-LAN
WAML
SNS-Server
Controller
8
TAP V24 to RMX RMX
9
FAMOS

SCSI

10
Terminal V24 oder UNIX
11 SL100
192.0.2.222 PPP-Link 221
Skript: Siemens.CPPP .5
.3 .4
Atlantic LAN 192.0.2.0

.6 SNS-Server

Access to Applcationen overr Port-Server

At least as a rule the SL100 (SL200) receives one IP


adress from the customer LAN. With the delivered condi-
tion has it the IP adress 192.1.2.5

BR0038 09/17/2009 Page 3 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Service access for HiPath 4000


HTS via VPN Server
The entrance of external is made by virtu-
al private net (VPN). Each System and
Service Technicer each Server receive a clear VPN IP-
adresse with “10” begin
TAP

MTS
ISDN

PPP-Link
SNS-Server
WAML-

Kunden-LAN
for HTS STMI2

Controller DSCXL SNS-Server


Service-LAN Customer
TAP
-LAN
(10)
(8/11)

.3/5

Atlantic LAN 192.0.2.0

TAP over Atlantic-LAN

At least as a rule the SL100 (SL200) receives one IP adress from the cus-
tomer LAN. With the delivered condition has it the IP adress 192.1.2.5

BR0038 09/17/2009 Page 4 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

1.2 Informations
● In each case a user may connect itself with the HiPath 4000 assistant.
● User furnished by UW7
Disp-USER;
H500: AMO USER GESTARTET
BENUTZER-TABELLE
+---+----------+----------------+----------+---------------+-------+-------+
|UID| NAME | RECHTE | STATUS | ZUSATZ | VER- | SPERR-|
| | |111111 | | | | | | | | | | SUCHE | ZEIT |
| | |5432109876543210| |L|R|C|F|P|E|T|I| | (MIN) |
+===+==========+================+==========+=+=+=+=+=+=+=+=+=======+=======+
| 2 | SYSTEM |.....XXXXXXXXXXX| INIT. |X X X X X| 99 | 0 |
+---+----------+----------------+----------+---------------+-------+-------+
| 3 | ENGR1 |.....XXXXXXXXXXX| INIT. |X X X X | 99 | 0 |
+---+----------+----------------+----------+---------------+-------+-------+
| 4 | ENGR2 |.....XXXXXXXXXXX| INIT. |X X X X | 99 | 0 |
+---+----------+----------------+----------+---------------+-------+-------+
| 9 | ENGR3 |.....XXXXXXXXXXX| INIT. |X X X X | 99 | 0 |
+---+----------+----------------+----------+---------------+-------+-------+
|10 | ENGR4 |.....XXXXXXXXXXX| INIT. |X X X X | 99 | 0 |
+---+----------+----------------+----------+---------------+-------+-------+
|11 | ENGR5 |.....XXXXXXXXXXX| INIT. |X X X X | 99 | 0 |
+---+----------+----------------+----------+---------------+-------+-------+

1.3 UBA configuration


In the UBA Unix-configurations made how:
● IP-configuration.
● WAN-configuration.
● Chance the system time
● Server-Shutdown (only over V24 possible) and Server-Restart.
● The attittude of the IP-Adresse, the net mask as well as the Broadcast can be made also
over the AMO UW7 after the system start.
● The following attitude is as standard before configures: 192.1.2.5
● All IP attitudes for Unix has to be made except for few exceptions by UBA.
● In place of the local host list also DNS server can be used.
● If the IP-address is changed and / or an VPN address is furnished, then UW7 must again
be started.

BR0038 09/17/2009 Page 5 of 67


Siemens

BR0038 09/17/2009 Page 6 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

2 HiPath 4000 Assistant – menu structure and its


contents

2.1 Handling of the applications


Not all applications are activated in the standard menu structure of the HiPath 4000 Assistant.
These applications must activated if required or deactivated if “not required”. Only activated ap-
plications are displayed in the menu system (LAP2) of the HiPath 4000 assistant. They can be
created in a special main menu item or be integrated in an existing menu item as a sub menu.
The activation or deactivation is carried out in the menu:
Base Administration --> Application Control

Hint:

Activated application
Deactivated application

Its only possible to activate 2 applications in one


step!

The application is located:

Utilities
Separate menu
Diagnostics
Diagnostics
Separate menu
Utilities
Diagnostics
Utilities
Separate menu
Software Management
Diagnostics
Diagnostics
Diagnostics
Diagnostics

BR0038 09/17/2009 Page 7 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

2.2 Main menu (LAP2) of the HiPath 4000 Assistant (all applications
activated)

For content and brief description, see the follow-


ing pages.

If you want to leave the HiPath 4000 Assistant, it


is absolutely necessary to end the active ses-
sion (closing the browser is not enough).

BR0038 09/17/2009 Page 8 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

2.3 Contents and brief description

2.3.1 Software management

List of all installed applications.


Installation or update of applications.
Deleting of applications.
Detailed information of the applications.

Backup and restore concepts of RMX and UNIX


data.
Configuration of a backup server.
Configuration of an AP-Backup-Servers.
GLA <-> PDS - handling.
– Preparation of a Recovery MOD
– Copy of PDS area to GLA area

Backup and restore log files.

Transfer of new software (from server to HiPath


4000):
- Complete RLCs or patch packages (PPs)

Immediate or time-controlled activation of the


transferred software packages.
VK activation (preliminary corrections).

Transfer of new software (from server to HiPath


4000):With secure FTP connection
- Complete RLCs or patch packages (PPs)

Administration of a backup system (Hipath and


switch) which is switched to in the case of a fault

Administration of a Productive switch. A produc-


tive switch is a normal switch in the network and
takes over the access points of another switch in
the network, if this fails

BR0038 09/17/2009 Page 9 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

2.3.2 Access management

Access management provides:


- Management of application licenses
- Management of sessions
- HiPath 4000 user administration
- Emergency access via the Unix user interface

With the aid of the application license manage-


ment, the administrator can inform himself
about installed licenses and can install new li-
censes. This protects all HiPath 4000 applica-
tions and software subject to license that a cus-
tomer would like to install.

Changing the password of a registered login


name.

Checking the registered user.


Ending the current session.

Administration of HiPath4000 Assistant users.

Establishing new or modifying existing HiPath


4000 Assistant users.

Administration of the system users


(pre-configured: engr, rsta, rcsa and cusa.)

Allocation of a configured access right group to


a user (what a user may do).
Administration of access right groups that users
can be allocated.

3 lists can be exported for the documentation on


the client PC:
1. List of self-created login names
2. List of login names with access right
groups
3. List of self-created access right groups with
Note: Setting up a new Assistant user: their contents
1. Add a new user (User Account Administra- Access can be made optionally via Unix login on
tion). a local console or via Telnet. Direct accesses via
2. Set up a new access rights group or use an ex- the Unix shell are intended for emergencies only.
isting group (Access Right Group Configura-
tion).
3. Allocate an access right group to a user (Ac-
cess Right Configuration).

BR0038 09/17/2009 Page 10 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

Management of the digital certificates via a


secure connection to the Assistant

Creating, checking, activating and importing


certificates for local systems

Existing certificates can be displayed and


activated, contents can be displayed. (e.g.
CA period of validity etc.

Own simple certificates can be created


and then activated by menu. (without CA)

Certificates issued by CA can be imported


and activated.

Creating through Certificate agreement


contract and exporting for CA

Root certification authority for other users


in the network. Sign External certificate
requests

Creating root certificate.

Signing of self issued certificates

BR0038 09/17/2009 Page 11 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

2.3.3 Utilities

On the ACDAPP homepage, the ACDAPP appli-


cation can be activated or deactivated from this
Web page. In addition, the ACDAPP database
can be synchronized with the HiPath 4000 PBX
database. Log files for each of these actions can
be displayed. The ACDAPP administrator appli-
cation can be downloaded to the client PC in or-
der to then install it on the PC (for configuration
of data, e.g. ACD agents and ACD groups, used
on HiPath 4000 PBX).

Checking the status of the ACDAPP application


(activated or deactivated).

The ACD administrator application can be called


up from the HiPath 4000 function window or
from the Windows start menu. The ACD adminis-
trator application contains its own help informa-
tion.

The "Data Migration Tool (DMT)" application can


be used to migrate already existing data from ex-
isting applications for the HiPath 4000 Assistant
/ Manager.
Servers from the HiPath LAN as well as servers
from a C-LAN can be monitored with the Local
Alarm Agent (LAA) application. C-LAN servers
must be reachable, i.e entries in the “Routes” ta-
ble of the basic administration may be required.

Use of predefined reports in the individual appli-


cations (e.g in the CM).
Generation of a customer-specific report (e.g.
for CM) by means of a Crystal Report (Layout De-
signer - chargeable software).
Performance Management provides the possi-
bility of defining reports, which appear here,
without a Crystal Report.

Checking of status announcements and debug- Download of the “API Export Table” application
ging of PPP or LAN connections. and Interface DLL to the client PC in order to in-
stall them on the PC.
This application can display HiPath 4000 tables
(e.g. trunk groups, DIMSU......) on the screen or
export them to the PC.

BR0038 09/17/2009 Page 12 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

2.3.4 Base administration

LOGBOOK of UW7 events.

Changing the VPN address which is set up by


Unix Basis Administration -> WAN configura-
tion.
Modifying the VPN server address and HTS ad-
dress.

Settings of the:
1. LAN configuration
- SL100/200
- Create Hosts table (Name <-> IP)
- Enter DNS servers of the customer LAN
- Define routes (Gateway)
- Create Firewall entries (automatic entry
(IP) as soon as a client PC has authenticat-
ed itself with user and password)
2. WAN configuration
- Set up VPN configuration with device
pools (modem) for accesses
3. System Administration
- Date/time setting (Time server)
- Shut down UW7 server
- Activate TFTP servers for SW updates of
HG2500 and HG3550

Activation or deactivation of applications (acti-


vated applications appear in the main menu).
See also page 1.

BR0038 09/17/2009 Page 13 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

2.3.5 Expert mode

Starts ComWin (must be installed on client


PC) under a separate system login name
(engr1-engr5) (AMO access).

File transfer to RMX (E-K areas).

File transfer to UW7.

Install ComWIn application on a client PC


(pay attention to revision level).

The HG3550 V2 manager offers the possi-


bility to search for available HG3550 V2
boards.The list is created and a direct
connection with WBM can be made to
these boards

BR0038 09/17/2009 Page 14 of 67


The HG 35xx Telnet/SSH application can be inserted to the support

BR0038
during the problem treatment and analysis by IP board into HiPath
4000 Systems. Application makes the remote access possible to the
boards over a command line interface ( command line interface CLI
). The board types HG3530, HG3570 and HG 3575 are supported.
UW7 Assistant and Tools

09/17/2009
Page 15 of 67
Siemens
Siemens UW7 Assistant and Tools

2.3.6 System management

Checking and, in some cases, modifying general


system information and settings for the CM (only
relevant for Manager), COL and PM applications.
Call up of the Expert mode (direct access) for
ComWin and file transfer accesses.

Checking and modifying general system infor-


mation of the phone mail system.
Configuration of administration access via mo-
dem or direct (“Connection”) with correspond-
ing LOGIN (“direct access”).

Entry of all HG3550 (STMI for IP trunking) in-


stalled in the system. The entry is used as a link
in order to configure the corresponding HG.

BR0038 09/17/2009 Page 16 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

2.3.7 Configuration Management

Display of the domain with the corresponding


system.

1. Management data (system (L) number, node


number, customer name.......) and check
(and, in some cases, change) status display
(UPLOAD status) of the selected system.
2. Check dimensioning (AMO DIMSU)
3. Check COPIN settings (AMO PERSI)
4. Check availability of languages for the
digital terminals
(AMO ZAND:ALLDATA2,TEXTSEL)

BR0038 09/17/2009 Page 17 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Checking, modifying, deleting and reinstalling


modules (no status display)
(AMO BCSU).

Checking, modifying, deleting and reinstalling


of the Board Pools (STMI2) for the feature “HFA-
Standby-Board” (AMO BPOOL)

Checking, modifying, deleting and reinstalling


Firewall entries (dependent on IP address) of the
WAML module (AMO LANC).

Checking, modifying, deleting and reinstalling


Firemac (dependent on MAC- and IP address) of
the WAML module (AMO LANC).

Checking, modifying, deleting and reinstalling


routing tables of the WAML module (AMO
LANC).

Checking, modifying, deleting and reinstalling


ISDN-REMOTE terminals of the WAML module
(AMO LANC).

Checking, modifying, deleting and reinstalling


network data of the WAML module (AMO LANC).

BR0038 09/17/2009 Page 18 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

Checking, modifying, deleting and re-


installing COP classes (authorization
for trunks).

Checking, modifying, deleting and re-


installing COT classes (authorization
for trunks).

Administration of the overflow destina-


tions and message waiting destination
in a phone mail

Administration of the reference clock


table (AMO REFTA).

Control of the feature Screening (tele-


phone number modifications)
(AMO SCREN).

Administration of analog and digital


trunks and special trunks (AMO TAC-
SU/TDCSU/TSCSU).

Checking the code types (WABE:


DAR=NETRTE) for closed numbering
plan with routing information (AMO
RICHT).
(for UW7 database)
Administration of the trunk group of
the system (AMO BUEND).

The T reference point is a defined inter-


face (LTUCx) between system and the
public network (country-specific)
(not normally required)
(AMO TREF)

BR0038 09/17/2009 Page 19 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Network definition with Ping functions of


the relevant HiPath 4000 components
(AMO SIPCO).

AP administration with Ping functions in


the system. (AMO UCSU/APRT).

Partial and Complete Phone number for


IPDA faults and IPDA Emergency cases
dependent on the source group.
(AMO APRT/SDAT)

Administration of the “survivability set-


up” in the case of IP failure. (AMO SIPCO /
APRT).
Administration of an alternative routing to
an AP for the HG3570 =STMI module (AMO
APRT).

Administration of an alternative routing


starting from an AP for the HG3575 =NCUI
module (AMO APRT).

BR0038 09/17/2009 Page 20 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

Administration of ACD agents. This agent can be


selected in advance (empty variants) or assigned
to an ACD group already set up.

Administration of special devices for announce-


ment/waiting music (AMO: RCSU).

Administration of ACD groups. The agents are as-


signed to such a group.

Administration of ACD numbers


(WABE:DAR=RCG). As a result of this number, a
call will be routed by means of the calling or called
number.

Administration of ACD-RCG. This references a


daily routing table for the individual weekdays.

Administration of ACD routing tables. These de-


fine the individual steps (e.g. 1. Announcement, 2.
Allocation to a group.....) (ART).

Administration of ACD shift scheduling. This de-


fines a time plan of when which routing tables
(ART) are used.

Modification and testing of general ACD system


parameters.

BR0038 09/17/2009 Page 21 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Checking the status of


all slots of the system.
Modules can be
switched in the pull
down menu “Action ->
Execute” (for details of
the possible “Action”,
see table)
Also all actions for the
feature “HFA standby
board are realized.
(AMO BCSU / BSSU /
BPOOL).

BR0038 09/17/2009 Page 22 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

Checking the status of all slots of


the system. Ports can be switched
and signed off in the pull down
menu, “Action -> Execute” (for de-
tails of the possible “Action”, see
table) (AMO SDSU/DSSU)

Checking the status of all terminals


of the system. Devices can be
switched and signed on and off in
the pull down menu, “Action -> Ex-
ecute” (for details of the possible
“Action”, see table)
(AMO SDSU/DSSU).

BR0038 09/17/2009 Page 23 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Activation of module-specific features such as, e.g. “call for-


warding”, “do not disturb”, “voice call reject”, terminal settings
(volume, tone...), schedule function
(AMO ACTDA).

Activation of ITR group-dependent features (“group


do not disturb” and “restriction of internal traffic”
(ITR) (AMO ACTDA).

Selection of a night variant for the night


switching of the attendant console (se-
lected in advance in the AC group)
(AMO ACTDA).

User feature activation for the feature Mobile HFA


Stations can be Logged on and Logged off.Visited station and
Logon Pin can be entered
(DAR: MHFALGON / MHFALGOFF respectively AMO ACTDA)

BR0038 09/17/2009 Page 24 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

Modification or checking of Cordless E setups.


Settings of AMOs (BCSU, ZIEL etc.) that, other-
wise, can only be administrated via the CAT tool
are displayed. It is not possible to reset these set-
tings.
Only for a Unix database. Refers to “Cordless E
system data”.

Administration of analog and digital terminals of


the system (initial configuration) with possible
BUS configuration
(AMO SCSU/SBCSU).

In addition, the following points are administrat-


ed:
1. Individual keyboard layout (AMO TAPRO).
2. Group allocations such as call pick up group,
hunt group, CHESE, COM group and key sys-
tem) (AMO AUN / SA / CHESE / COMGR / KC-
SU).
3. Name with organizational unit and PINs
(AMO PERSI).
4. Individual module authorizations, such as
e.g. voice call, call waiting, language choice
authorization...
(AMO SDAT).
5. Call forwarding control
(AMO ACTDA).
6. Adapter configurations and number of add-
on devices via “Device combination” param-
eter (AMO SBCSU).

Checking, modifying, deleting and reinstalling of


stations with the most important data (extract of
Checking of a table with all portd of AMO SBCSU / SCSU with PERSI).
modules set up with status output
(free or busy) and HVT data. Checking, modifying, deleting and reinstalling of
station Call Forwardings (AMO ZIEL / ACTDA).

Output of the name with department


(organization) of all terminals set up Administration of special terminals of the system
in the system such as MESSENGER, general answering (GEN-
(AMO PERSI). ANS)...... (AMO SSC).

BR0038 09/17/2009 Page 25 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Checking, modifying, deleting and reinstalling


module PINs of the corresponding COPIN
classes (AMO PERSI:STN).

Checking and modifying the three modulo pro-


cedures selected in advance for checking the
PIN (AMO PERSI:MODULO).

Checking and modifying general PIN data (dis-


play of the PIN of a COPIN class on the display,
number of incorrect entries)
(AMO PERSI: SYS/COPIN).

Checking and modifying of COPIN settings,


such as, e.g. pin length, type, duration, test-
ing...) (AMO PERSI: SYS/COPIN).

Checking, modifying, deleting and reinstalling


modules and VF station numbers of the system
with its own status output (free or busy)
(AMO WABE: DAR=STN/ATNDDID/ATNDIND).

Reservation of station number ranges.

Checking, modifying, deleting and reinstalling


module station numbers of external nodes with
their destination node numbers, destination
number and traffic situation (CPS)
(AMO WABE: DAR=STN).

Checking, modifying, deleting and reinstalling


code types for the network, such as codetypes:
NETW /
OWNNODE / FWDREM, with their destination
node numbers and destination
(AMO WABE).

BR0038 09/17/2009 Page 26 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

Checking, modifying, deleting and reinstalling


function directory numbers of the system, i.e.
all codetypes which are not covered in the “dial
numbers” and “rote info” directories
(AMO WABE: DAR).

Checking, modifying, deleting and reset of all


virtual node numbers of the system with their
ISDN and PNP entries
(AMO KNDEF).

Checking, modifying, deleting and reset of dis-


play subscriber number modifications
(AMO KNMAT).

Checking, modifying, deleting and reset of


modification of the Calling Number in a specific
format (Level)
(AMO KNFOR).

Checking, modifying, deleting and reset of the


prefixes and CO exit for the numbering plans
ISDN and PNP
(AMO KNPRE).

Conversion of a station number for which no


connection level is furnished in the system to
another station number
(AMO RUFUM).

Collection of station number digits before they


are handed over to the dial plan (WABE)
(AMO TWABE).

BR0038 09/17/2009 Page 27 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Checking, modifying, deleting and reinstalling


authorization classes (content: Authorization
and features) of the system
(AMO COSSU).
Not used (CHINA only)
Checking and modifying the time-controlled
authorization change-over (day/night) of COS1
<-> COS2 (LCOSx1/2)
(AMO BERUZ).
Day/night change-over of COSX groups of the
system (COS1 <-> COS2)
(AMO BERUM).
Control of the accessibility of two modules
which are assigned to different ITR groups
(AMO VBZ).

Checking, modifying and reinstalling ITR


group-dependent features (witness and charge
zone)
(AMO VBZGR).
Checking, modifying, deleting and reinstalling
central speed dial lists (0-15) of the system and
their destinations
(AMO LRNGZ / ZRNGZ).

Check of all key standards with associated


modules
(AMO TAPRO).

Checking, modifying, deleting and reinstalling


central device combinations, i.e. terminal type
/ number of add-on devices / adapter / headset
/ display / badge reader / hands-free...
A device combination must be assigned to a
module in the “Module connection” menu
(part of AMO SBCSU / SCSU).

Checking, modifying, deleting and reinstalling


hotline and off-hook intercept destinations (in-
dex). The index can be assigned to the station
in the “Module station” menu
(AMO HOTLN).

BR0038 09/17/2009 Page 28 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

Checking, modifying, deleting and reinstalling hunt


groups of the system
(AMO SA).

Checking, modifying, deleting and reinstalling a call


pickup group (PU group) of the system
(AMO AUN).

Checking, modifying, deleting and reinstalling a com-


munication group (COM group) of the system
(AMO COMGR).

Checking, modifying, deleting and reinstalling night


options which can be assigned to a AC group (with
AMO VFGR)
(AMO NAVAR).

Checking, modifying, deleting and reinstalling a


CHESE group of the system
(AMO CHESE).

Station-specific data for the UNIX database. RMX-


PERSI data are accepted.

BR0038 09/17/2009 Page 29 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Management of the LCOSD in the AMO: COSSU

Management of the LCOSV in the AMO: COSSU

LAUTH meanings for Unix (info).

Trunk groups overview with trunk group data


and some trunk data. (AMO: BUEND+TDC-
SU). (Unix data only)

Encryption procedure for LCR dialing rules


(AMO:LAUTH).

Management of the LCR directions for open


(LCR) and closed (NWLCR) numbering plan
(AMO:RICHT). Only the open numbering plan
can be set up.

Management of the LCR route elements for


those LCR directions set up in the
AMO:RICHT (AMO:LDAT).

Summary of the most important LCR setups


of the open numbering plan of the system
(AMO:LDPLN/RICHT/LDAT).

Management of the LCR dialing pattern


(AMO:LDPLN).

Management of the LCR dialing rules


(AMO:LODR).

Checking of the LCR time bands


(AMO:LSCHD).

Operating carrier data for Unix database.

Management of forbidden digit strings in the


LCR dialing patterns (AMO:LDSRT).
Source group-dependent routing in different
directions for the same dialing pattern Adding or deleting destination-dependent
(AMO:LPROF). Administration of the profile routing of LCR authorizations (LAUTH) for
indexes transit nodes (AMO:KNLCR).

BR0038 09/17/2009 Page 30 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

HIM start page with system number, operat-


ing system version and hardware architec-
ture

Display of all technical data of the system,


connected by links.
Display of all technical data of the system in
detail (single tabs of the menu item, “Display
all HIM Data”).

????????

Dispaly from all administrat shelfs, IPDA and


peripher boards (AMO BCSU)

Display from all SWU periphere, seriell line


data and SCSI device (AMO ATCSM)

Display the shelf information (AMO CONSY)


and memory from your HiPath 4000 system
(AMO DIMSU)

Display the hardware architecture and load-


ware information (AMO DBC)

Reading the marketing licence (AMO


CODEW) and technical feature (AMO FEASU)

Display the operating system (APS) and all


patches in the HiPath 4000 system

Reading the software version in processor


and Unix operating system

Starting or reading of REGEN files. “Initial


Backup” and 9 additional backup files are
available

BR0038 09/17/2009 Page 31 of 67


Configuration Wizard for the feature IPDA

BR0038
Siemens

– Configuring the System environment (AMO SIPCO)


– Configuring and/or modification of the STMI/STMI2 Boards (AMO BC-
SU)
– Configuring and/or modification of the Access Points (AMO UCSU/
APRT)
– Configuring the Payload and/or Signalling Survivability (AMO SDAT
/APRT)
– Configuring the Access Point Emergency part in RMX (AMO APESU)
– Restart Control, Loadware loading operations, Board loading

09/17/2009
UW7 Assistant and Tools

Page 32 of 67
UW7 Assistant and Tools Siemens

The scheduled batch created can now be used in the


CM for any kind of modification or new creation, i.e. the
modification or new creation is not immediately sent to
RMX, but rather at the time it is generated. The assign-
ment of the scheduled batch is carried out via the pull
down menu “Scheduled Batch”.

Protocol Log of all UW7 User actions in Configuration


Management

BR0038 09/17/2009 Page 33 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

2.3.8 chese wizart


Are the HiPath 4000 V3.0 can Chesen into a run be worked on now ( e.g. Chese STN, Key
Layout and allocation)

BR0038 09/17/2009 Page 34 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

2.3.9 Diagnostics

The Dynamic Traffic Monitoring (DTM) application


provides the option of measuring the loading (in
percent) of the trunk groups set up in the system (4
trunk groups can be selected in one measurement
task). The duration of the measurement can be indi-
vidually specified.

The ACLC-C Tracer application provides the ACL-C


platform in order to transmit command from the Re-
mote ACL-C to the system. (e.g to activate a call
from STN A to STN B: $cmkcall 7140 7240 2)
All available commands can be queried by entering
the $chelp command. Possible control parameters
for a command can be obtained with the $chelp
<command>.

a) Monitoring of a digital station (optisets


and optiPoints).
b) Terminal take-over by the service technician
from remote in order to check all functions that are
to be performed on the terminal (service menu, dial-
ing, keys, etc.)

The Service Access provides the service technician


with an up-to-date statement on the payload quality
of the HG3530 and HG3550. Measurement values
from the RTP/RTCP protocol are displayed: Pack-
age Loss, Delay Measurement, Jitter Variation.
CQR: Snapshot
MIB: Constant view of the RTP/RTCP measure-
ments
QoS: Graphic display over a measurement period

The HSD application provides the service techni-


cian with the option of reading error messages and
alarm messages of the HiPath 4000, and to analyse
and possibly to correct an error via switch func-
tions.It is possible to call up the ALFE tool.

BR0038 09/17/2009 Page 35 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

The Service Access provides the service technician


with an up-to-date statement on the payload quality
of the HG3570 and HG3575. Measurement values
from the RTP/RTCP protocol are displayed: Pack-
age Loss, Delay Measurement, Jitter Variation.
CQR: Snapshot
MIB: Constant view of the RTP/RTCP measure-
ments
QoS: Graphic display over a measurement period

The RDS application provides the Service techni-


cian with the options of using trace and monitor
functions.
If an extension directory number is entered, this
can only be monitored.
If a location is entered (batch), this can be moni-
tored or recorded with the ISDN trace. If a location
(extension) is entered, this can be monitored or the
Cornet-TS messages can be recorded with the ISDN
tracer.

Moreover, bit error rate tests and signal tests can

BR0038 09/17/2009 Page 36 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

2.3.10 Performance Management

The PM application provides


the option of performing se-
lected load measurements
which are based on the charge
data sets (COL).

BR0038 09/17/2009 Page 37 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

BR0038 09/17/2009 Page 38 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

BR0038 09/17/2009 Page 39 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

BR0038 09/17/2009 Page 40 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

BR0038 09/17/2009 Page 41 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

2.3.11 Collecting Agent

COL enables the recording of charge data which can be


forwarded to the Accounting Management (AM) or the
Performance Management (PM).

BR0038 09/17/2009 Page 42 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

3 Access Management – Overview

3.1 Introduction
Access Management is the access control component for HiPath 4000 servers. It controls
which users are allowed to access a specific server, and which applications and access rights
these users may use. Possible users are customer administrators and service technicians that
manage HiPath/Hicom systems (e.g. HiPath 4000 and Hicom 300 releases).
For those users, Access Management creates user accounts, manages their passwords, pass-
word attributes and other account-related data, and controls their access via a web browser.
Further features of Access Management are:
● Web Session Management
– Control of users that are currently logged on.
– Web sessions time out after a configurable amount of time the user is inactive.
– Web sessions can also be terminated explicitly by using the Logoff button, or the Web
Session Manager.
● Network Single Logon (NSL)
– Users can log on only once to a HiPath 4000 network server, being able to access con-
nected HiPath 4000 systems without further authentication.
– Security and access control is managed via the NSL password configuration and ap-
propriate access right configuration on the HiPath 4000 systems.
● Integration of Windows (TM) Client and Server programs
– Windows (TM) programs are also integrated into the HiPath 4000 authentication and
session concept.
Two ways are offered:
– Integration into the Start Page of HiPath 4000 Assistant/Manager: execution of the
Windows (TM) client after web-based authentication via the Start Page of HiPath 4000
Assistant/Manager.
– Using an authentication library provided by Access Management that avoids the need
to use a browser for log on.

BR0038 09/17/2009 Page 43 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

● Emergency access to Unix command shell


– During regular operation of HiPath 4000 servers, access to a Unix shell is not neces-
sary, since all functions are offered via web-based or Windows (TM) client based user
interfaces.
– For emergency cases, however, service technicians are able to access the server at
Unix shell level, with the same authentication (username/password) as used for log on
via a browser.
● Control of system accounts
– For technical reasons, HiPath 4000 servers generate a predefined set of Unix ac-
counts used internally by different applications, e.g. for accessing the Database with
specific permissions, or to allow attached systems to connect.
– Access to these system accounts can also be controlled via Access Management. For
a detailed list of system accounts please refer to
Access Management Security Levels and User Accounts.

3.2 Access Management Security Levels and User Accounts

3.2.1 Security Levels and Predefined User Accounts


Access Management provides five different Security Levels.
Every user that logs on to a HiPath 4000 server belongs to exactly one of these levels.
For four of them, predefined user accounts with initial passwords are created to grant immedi-
ate access to the HiPath 4000 server.
For security reasons, the initial password must be changed when the user logs on for the first
time.
The table below provides a detailed overview of the Access Management security levels and
predefined user accounts.

BR0038 09/17/2009 Page 44 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

Security Levels

Security Pre- Initial Unix Owner Remarks


Level defined Password Shell
User Access
Account
engr engr(1) Siemens2000 yes ICN Engineer (full system administration privileg-
Service es).
To be used in emergency cases only.
Includes all other security levels
Access to Unix Shell is with superuser rights
(uid 0).
rsta rsta Siemens2000 yes ICN Remote Service Technical Assistance (restrict-
Service ed system administration privileges).
To be used by upper level service technicians.
Includes security level rsca.
rsca rsca Siemens2000 yes ICN Remote Service Customer Assistance (restrict-
Service ed system administration privileges).
To be used by lower level service technicians.

cusa cusa c.u.s.a no Cus- CUstomer Security Administrator (restricted


tomer system administration privileges).
To be used by the customer’s "master" adminis-
trator(s).
Includes security level cust.
cust -- -- no Cus- CUSTomer level (standard user).
tomer Individual accounts can be created at runtime to
fit into the customer-specific environment.

(1) By default, logon to root is locked and can be unlocked only via engr.

Predefined User Accounts for HiPath 4000 HTS

Please note that if a HiPath 4000 Server is installed as "HTS" the predefined user
names will change as follows:
htssvc0 instead of engr
htssvc1 instead of rsta
htssvc2 instead of rsca
htsadm instead of cusa
Initial passwords of these users are the same as for engr, rsta etc.
In case of update from a previous load, the new accounts inherit the passwords of
their previous equivalent.

BR0038 09/17/2009 Page 45 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

3.2.2 System Accounts and Accounts for Network Single Logon (NSL)
In addition, Access Management manages two other types of accounts that are not used for
interactive logon:
● System Accounts
and
● Accounts for Network Single Logon (NSL)
These account types are shown and explained in the tables below.

System Accounts

Account /Cate- Icon Description


gory
System ac-
counts
syst Unix accounts created for different purposes to assure proper operation of Hi-
Path 4000 features and communication to their partner systems. These ac-
counts are not used for interactive logon.

BR0038 09/17/2009 Page 46 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

Accounts for Network Single Logon (NSL)

Account /Cate- Icon Description


gory
Network single Setting the password of these accounts avoids illegal access to this server via
logon (NSL) Network Single Logon (NSL). Communicate the passwords only to administra-
tors of master systems (e.g. HiPath 4000 Manager or HiPath 4000 HTS for re-
accounts
mote service access), where access via NSL is accepted from.
nsl-syst System level - used for internal server-server communication of HiPath 4000
components like System Management, HiPath 4000 Expert Access/MPCID,
Logging Management.
nsl-engr Network single logon for remote access of service technicians at expert level for
emergency cases (engr).

nsl-rsta Network single logon for remote access of service technicians at upper service
level (rsta).

nsl-rsca Network single logon for remote access of service technician at lower service
level (rsca).

nsl-cusa Network single logon for remote access of customer security administrator
(cusa).

nsl-cust Network single logon for remote access of standard (cust-level) users.

BR0038 09/17/2009 Page 47 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

BR0038 09/17/2009 Page 48 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

4 Functionality

4.1 Server and Application Access Control


Access Management ensures that every user has to authenticate against a HiPath 4000 server
with a valid account name and password. In case of successful logon, a session is created.
Within this session, the user is allowed to access HiPath 4000 applications according to his/her
user profile only. The Access Management application itself is also included in this access
control. For example, User Account Administration tasks are granted to administrators (se-
curity levels: rsta and cusa) only.
By default, every user can change his/her password using. This privilege can be withdrawn by
the administrator to keep passwords for certain accounts unchanged.
The Web Session Manager is used to view and kill running sessions on the server. Depending
on the security level of the logged-on user, sessions of other, lower-leveled users may also be
listed. The main purpose of the Web Session Manager is to kill orphaned sessions that have
not yet timed out. A session is orphaned if for example a user closes all browser windows with-
out logging off explicitly.
The Account Administration is only accessible for administrators. This section includes:
● User Account Administration
Create or delete individual (cust level) user accounts, and manage their password proper-
ties.
● System Account Administration
Change the password properties of HiPath 4000 server system accounts, predefined ad-
ministrator accounts, and Network Security Levels (NSLs).
● Access Right Configuration
Assign or withdraw access right groups to/from these users, creating individual profiles.
● Access Right Group Configuration
Create and manage access right groups by sorting application access rights into them.
● Export User Reports
Display the current user and access right configuration data from the server in an HTML
file. Export the data into a text file. Import the data into a spread sheet program for further
editing or evaluation.

BR0038 09/17/2009 Page 49 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

4.2 User Account Administration


The User Account Administration dialog is used to add users to or delete users from the sys-
tem, or to modify the password properties of a selected user or group of users. All user ac-
counts created here belong to the security level ’cust’. To modify the access rights of these us-
ers, use the Access Right Configuration dialog.

Left Hand Side Area (User List)


The columns in the left hand part of the dialog show the list of currently registered users and
their account settings.

Right Hand Side Area


The right hand side of the User Account Administration dialog contains the following areas:
Identification area, Actions area, Properties area. These areas are used to define or edit the
properties of existing and new user accounts.User Accounts List, User Account Administration
dialog.

BR0038 09/17/2009 Page 50 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

4.3 System Account Administration


The System Account Administration dialog is used to administer a specific user group (NSL
and system accounts), i.e. by adding, changing or deleting system accounts or by changing the
password properties of a specific account or group of accounts. Modifications of access rights
for specific user accounts or groups of accounts should be performed using the Access Right
Configuration feature.

Left Hand Side Area


The columns on the left hand side of the dialog show the list of accounts the current user is
allowed to manage. This dialog offers the possibility to select multiple accounts and to set or
change properties to the same value for multiple users with a single click. The user interface is
similar to the User Account Administration dialog.
When you click on Apply a dialog prompt will notify you that the password properties of multiple
user accounts are being changed.
To select multiple consecutive items or users, press and hold down the Shift key while selecting
items/users with the left mouse key.
To select multiple non-consecutive items or to de-select individual items, press and hold down
the Ctrl key while selecting items/users with the left mouse key.

BR0038 09/17/2009 Page 51 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Right Hand Side Area


The right hand side of the System Account Administration dialog contains the following ar-
eas: Identification area, Actions area, Properties area. These areas are used to define or edit
the properties of existing and new system accounts.
The list of displayed accounts is determined by the accounts that have been created on the
server, and by the current user’s access rights, i.e.: which user is the “caretaker” or owner of
which accounts.
There are three different types of accounts, indicated by different icons:
● System accounts:
Unix accounts created for different purposes to assure proper operation of HiPath 4000
features and communication to their partner systems. These accounts are not used for in-
teractive logon.
● Predefined administrator accounts:
Accounts created for logon of other ("lower-leveled") administrators.
● Network Single Logon (NSL) accounts
Setting the password of these accounts avoids illegal access to this server via Network
Single Logon (NSL). Communicate the passwords only to administrators of master sys-
tems (e.g. HiPath 4000 Manager or HiPath 4000 HTS for remote service access), where
access via NSL is accepted from.
Note that all NSL accounts are open by default! This means that full access to the server
via Network Single Logon is allowed without any password protection, as long as pass-
words are not set in the System Account Administration dialog!

BR0038 09/17/2009 Page 52 of 67


UW7 Assistant and Tools Siemens

4.4 Access Right Configuration


The Access Right Configuration dialog is used to assign available access right groups (for
execution of applications) to users.

The process of assigning only some out of a large amount of access rights is simplified by as-
signing "access right groups”.
A set of predefined access right groups is available after installation. It may be expanded by
new access right groups in the Access Right Group Configuration dialog. Changes in one of
these access right groups will affect all users with that group assigned.
The Access Right Configuration dialog is vertically divided into two panes, or areas:

Users (Left Hand Side Area)


The left hand side area, labeled Users, displays a two-level tree containing all available
users (top level) and their assigned access right groups (lower level).

BR0038 09/17/2009 Page 53 of 67


Siemens UW7 Assistant and Tools

Access Right Groups (Right Hand Side Area)


The right hand side area, labeled Access Right Groups, contains all assignable access
right groups.

Preview Panes
Each window area has a Preview Pane (at the bottom of the window) that can be turned on
and off. The Preview Panes - Access Right Configuration show the properties of the selected
user or access right group. The height of the preview panes can be changed.
Both the user tree and the group list have extended selection style, and menu functions are
enabled depending on the selections made in these lists, both in the standard menus and in
the Context menu.

Selecting items
To select multiple consecutive items (user accounts or access right groups, respectively), press
and hold down the Shift key while selecting items/users with the left mouse key.
To select multiple non-consecutive items or to de-select individual items,