Вы находитесь на странице: 1из 9

1- INTRODUÇÃO

O aço inoxidável foi descoberto quando Harry Brearly (1871-1948)


pesquisava uma liga metálica com resistência maior ao desgaste (erosão) que
ocorria no interior dos canos de armas de fogo. Realizando testes com aços de
altos teores de cromo Brearly percebeu que o ataque à liga metálica com ácido
nítrico não surtia efeito algum e que havia obtido aço resistente à corrosão. Na
Alemanha, Eduard Maurer estudava uma liga Fe-Cr que continha cerca de 8%
de Ni, verificou que a liga resistia à exposição de vapores agressivos durante
vários meses, corroborando com a tese de que ligas com altas concentrações
de cromo são resistentes à corrosão (VARGAS, 2004).
Os aços inoxidáveis são, basicamente, ligas Fe-Cr. Outros metais atuam
como elementos de liga nos aços inoxidáveis, mas, o cromo é o elemento
básico mais importante para tornar um aço menos oxidável. Uma percentagem
de 5% de Cr já é suficiente (Aço-cromo) para demonstrar grande resistência à
corrosão, mas para que seja considerado inoxidável deve conter mais de
10,5%. Elementos liga como Mo, Ni, Nb, Ti, Al e Se podem ser adicionados
para produzidos aços inoxidáveis com propriedades específicas às diversas
aplicações (CÁRBO, 2008).
Devido aos fenômenos corrosivos serem distintos, determinados aços
inoxidáveis resistem bem em algumas ocasiões e mal em outras, não existe um
aço totalmente inoxidável, o que existe são aços apropriados para resistirem a
determinadas reações corrosivas
O aço inoxidável pode ser classificado em três grupos, sendo estes
observados de acordo com a sua microestrutura em temperatura ambiente.
São os aços inoxidáveis Martensíticos, Ferríticos e Austeníticos (ROMEIRO,
1997).
Austeníticos: São ligas não-magnéticas de ferro-cromo-níquel contendo
tipicamente 8% de níquel, com baixo teor de carbono.
Ferríticos: São ligas ferro-cromo contendo de 12 a 17% de cromo com
baixo teor de carbono. Não são endurecíveis por tratamento térmico.
Martensíticos: São ligas de ferro-cromo contendo de 12 a 14% de cromo
e com alto teor de carbono. São endurecíveis por tratamento térmico e
magnéticos (KLOECKNERMETALS, 2011).
Inicialmente os produtos inox eram utilizados em aplicações cuja
finalidade principal era resistência à corrosão, contudo devido ao seu forte
apelo estético e por suas condições favoráveis à limpeza e higiene, o aço
inoxidável passou a ser largamente utilizado nos mais diversos setores da
indústria: automobilístico, ferroviário, naval, agrícola, rodoviário,
eletroeletrônico, mecânico, construção civil, utilidades domésticas,
embalagens, recipientes e alimentícia (OLIVEIRA, 2009).
Dentro desse contexto, o presente trabalho teve como objetivo principal
elencar os aspectos principais inerentes ao aço inoxidável: características,
propriedade, tipos de aço, aplicações e mercador consumidor.
2 - OBJETIVOS

O objetivo do presente trabalho é o estudo do aço inoxidável, levando


informações sobre suas características e propriedades, tipos de aço,
aplicações e usos e mercado consumidor.
3 - REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

3.1 Efeito do Cr na resistência à corrosão

Os aços comuns podem reagir com oxigênio presente no ar formando


uma camada superficial de óxidos de ferro, Essa camada é porosa, o que
permite a contínua oxidação do metal, produzindo a corrosão, vulgarmente
conhecida como “ferrugem” (POURBAIX 1987).
Em atmosferas rurais, por exemplo, com baixos índices de
contaminação, observa-se uma grande diminuição da velocidade de oxidação
nas ligas Fe-Cr na medida em que aumenta a quantidade de cromo presente
na mesma. Conforme figura 1. constata-se que com 10,50% de cromo a liga
praticamente não sofre mais corrosão atmosférica nessas condições e este é o
critério utilizado para definir os aços inoxidáveis (GUIDA, 2006).
FIG. 1. Efeito do teor de cromo na resistência à corrosão nas ligas Fe-Cr.

O comportamento típico de um metal em presença de um determinado


meio agressivo é mostrado na figura 2. Imaginemos um metal qualquer imerso
numa solução ácida que tenha certo poder oxidante, indicado pelo ponto A na
figura. À medida que o poder oxidante da solução aumenta, aumenta o ataque
ao metal, medido pela intensidade da corrente que passa pelo material.
FIG. 2 comportamento ativo de um metal em soluções ácidas oxidantes.

As figuras 2 e 3 mostram claramente as diferenças existentes, em


termos de resistência à corrosão entre os aços inoxidáveis e alguns outros
metais e ligas. O fenômeno da passividade é conferido aos aços inoxidáveis
pelo cromo e é por isso que apresentam excelente comportamento em muitos
meios agressivos (NUCLEOINOX).

FIG. 3 Comportamento passivo de um metal em soluções ácidas oxidantes.

A camada passiva é formada sobre a superfície do aço inox, pela


combinação do oxigênio do ar com o cromo. Ela é fina, contínua, resistente e
invisível. Pela alta afinidade do cromo com oxigênio essa camada é formada
rapidamente e adere-se bem a superfície do metal, além de não ser porosa,
impedindo assim a continuação da oxidação do aço (POURBAIX 1987).

3.2 Principais propriedades do aço inoxidável

3.2.1 Resistência à corrosão

Como mencionado anteriormente o cromo garante ao aço inoxidável um


resistência alta a corrosão à medida que usa concentração é elevada. A
camada passive é tão eficaz que, mesmo quando a peça de aço sofre avarias o
cromo combina-se imediatamente com o oxigênio e forma um novo filme
protetor na região danificada.

3.2.2 Resistência mecânica e boa conformação

Os aços inoxidáveis possuem uma extensa faixa de resistência


mecânica. Sua dureza varia de acordo com sua classe, sendo o aço inoxidável
austenítico o mais macio, o ferrítico dureza intermediária e o martensítico é
extremamente duro.

3.2.3 Estável em altas e baixas temperaturas

Em aços comuns a resistência mecânica decresce com o aumento da


temperatura. Já o aço inoxidável consegue manter sua resistência mecânica
em temperaturas que rompem os 1100 oC. Em temperaturas baixas (-200 oC)
ou mais baixas os aços comuns sofrem com a redução da sua ductibilidade e
resistência à impactos, tornando-se muito frágeis. Alguns tipos de aço
inoxidável são indicados na produção e liquefação de gases que atingem
temperaturas menores que -250 oC.

3.2.4 Soldabilidade
Os aços inoxidáveis apresentam uma boa soldabilidade, mas que exige
alguns cuidados durante o processo. Cada classe de aço inoxidável possui
diferentes problemas na soldagem.

3.3 Principais atributos do aço inoxidável

Além das propriedades já referidas o aço inoxidável possui outros


atributos que fazem sua utilização atrativa.
* Facilidade de limpeza, devido à sua superfície não rugosa;
* Baixo custo de manutenção;
* Acabamentos superficiais e formas variadas;
* Durabilidade alta;
* Material 100% reciclável;
* Material inerte, não deixa cheiro, gosto ou desprende metais;
* Apelo visual;
* Custo/benefício favorável (OLIVEIRA, 2009).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Carbó, H. M., Aços inoxidáveis: aplicações e especificações. 2008. Disponível
em:
http://www.aperam.com/brazil/port/produtos_servicos/sucroalcooleiro/pdfs/apost
ila_tecnica.pdf. Acesso em: 06/10/2015.

Guida, R. B., Comparação da estampabilidade de chapas de aço inoxidável


ferrítico estabilizado ao nióbio obtidas através de duas rotas de fabricação.
Escola de Engenharia, UFMG, 2006.
Oliveira, R. G., Produção e reciclagem de aços inoxidáveis. 2009. Monografia –
Escola Politécnica, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,
2009.

Pourbaix, M., Lições de Corrosão Eletroquímica, 3o ed., CEBELCOR, Bruxelas,


1987.

Romeiro, S. B. B., Química na sidurgia. Porto Alegre: Instituto de Química da


UFRGS. 1997.

Site da kloecknermetals: http://www.kloecknermetals.com.br/pdf/3.pdf.


Acessado em: 08/10/2015.

Site da nucleoinox:
http://www.nucleoinox.com.br/upfiles/arquivos/downloads/acoinoxidavel_nocoes
basicas.pdf. Acessado em: 04/10/2015.