Вы находитесь на странице: 1из 2

2017­6­13 A ética nas organizações e a responsabilidade social ­ Portal Educação

Voltar

A ética nas organizações e a responsabilidade social

ENFERMAGEM (/conteudo/artigos/enfermagem/2)

08/02/2013

“Ética empresarial compreende princípios e padrões que orientam o comportamento no mundo


dos negócios”. (Ferrell, Fraedrich e Ferrell, 2001, p. 07).

A responsabilidade social e a ética estão intrinsecamente ligadas. A ética é à base da


responsabilidade social e se expressa por meio dos princípios e valores adotados pela
organização na condução dos seus negócios.

Vazquez de韛�ne ética como “teoria ou ciência do comportamento moral dos homens em sociedade.
Ou seja, é ciência de uma forma especí韛�ca de comportamento humano”. (1993, p.12).

Já Srour diz que a ética estuda as morais e as moralidades, analisando as escolhas que os agentes fazem em situações concretas e se as opções
escolhidas estão dentro de padrões sociais. (1998, p.270-271). As de韛�nições citadas pelos dois autores atrelam a ética à moral. De acordo com
Vazquez, a moral seria constituída dos atos humanos conscientes e voluntários dos indivíduos que afetam outros indivíduos, grupos sociais ou a
sociedade como um todo (1993, p. 14).

Srour a韛�rma que não devemos falar de uma “ética em geral”, mas de morais claramente de韛�nidas.

“As morais têm caráter exclusivamente social, não se aplicam a atos pessoais que não afetem os outros ou que não produzam consequências
sobre outrem. Expressam relações de força e formam os núcleos de ideologias. Assim, para conhecer a moralidade de uma organização é preciso
antes de tudo saber como se imbricam suas ideologias política e econômica, porque toda ideologia comporta uma moral particular”. (SROUR, 1998,
p.270).

As moralidades seriam as morais praticadas por organizações e públicos que se aplicam os problemas do cotidiano. Srour diz que a ética não se
confunde com a moral. Na verdade, ela rege a conduta de indivíduos e organizações dentro de padrões e princípios moralmente aceitáveis.

A responsabilidade social é o comportamento que as empresas têm perante a sociedade, a postura que adotam ao lidar com as questões e
demandas do cotidiano, obedecendo a critérios e pressupostos éticos. De acordo com Ferrell, Fraedrich e Ferrell, a “ética empresarial diz respeito a
regras e princípios que pautam decisões de indivíduos e grupos de trabalho; a responsabilidade social refere-se ao efeito das decisões de empresas
sobre a sociedade”. (2001, p. 08).

Essa de韛�nição reforça a ideia de que a responsabilidade social nas empresas só poderá ser incorporada ao processo diário de tomada de decisão
se as organizações incluírem em sua 韛�loso韛�a e sua estratégia de ação, preocupações de natureza ética.

A conduta ética nas organizações também é de韛�nida na transparência das empresas, nas relações com seus públicos e na preocupação que
possuem com o impacto das suas atividades na sociedade. Essa relação de con韛�ança contribui para o sucesso das empresas, sucesso que se
reverte de forma 韛�nanceira, graças à imagem que se tem das empresas e está relacionada à responsabilidade social.

A relação de con韛�ança entre empresas e públicos deve estar alicerçada em bases sólidas. Observamos que a ética não pode ser um artifício
mercadológico, tem que estar na essência das empresas. A máscara cai nas situações de crise e nesse contexto, valoriza-se a transparência que
vai além de informar o que está acontecendo, mas se antecipar aos fatos. Evitar situações que possam prejudicar os públicos, como, por exemplo,
retirar do mercado um produto contaminado, antes de saber as causas da contaminação.

Os consumidores valorizam e prestigiam as empresas pelo seu comportamento. No Reino Unido, organizações estão mensurando o consumo de
bens e serviços considerados éticos pela população. Segundo estimativas do grupo bancário The Co-Op divulgadas em seu último relatório sobre o
tema — o Ethical Consumerism Report, o consumo “ético” chegou ao equivalente a US$ 34,4 bilhões em 2003.

O relatório foi montado de acordo com os dados do Ethical Purchasing Index do banco. O índice examina o total consumido pela população em
bens e serviços rotulados de “éticos”, que vão de artigos de consumo normais a serviços 韛�nanceiros e compras motivadas pelos princípios do
consumidor.

A ética inퟢ�uencia na escolha dos consumidores e também no valor das ações das organizações. Empresas com responsabilidade social valorizam
30% mais suas ações na bolsa. Um levantamento feito em abril de 2003, pela consultoria italiana Value Partners nas bolsas de valores da Europa e
Estados Unidos, revela que as empresas com certi韛�cado de responsabilidade social tiveram, nos últimos anos, uma valorização, em média, 30%

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/enfermagem/a­etica­nas­organizacoes­e­a­responsabilidade­social/32818 1/4
2017­6­13 A ética nas organizações e a responsabilidade social ­ Portal Educação
maior do que as que não possuem essa certi韛�cação.

As empresas listadas no índice Dow Jones de sustentabilidade, por exemplo, tiveram uma valorização de 44%, entre dezembro de 1993 e fevereiro
deste ano. Já as que estão fora dessa lista, tiveram valorização média de 21%.

Os ganhos de se ter um comportamento ético e socialmente responsável está gerando lucros palpáveis para empresas no mercado.

Como vimos à conduta ética tem de estar presente na gestão das empresas. Um estudo do Institute of Business Ethics estimou que mais de 60%
das 500 maiores empresas do mundo têm códigos de ética. O código de ética é um documento que diz quais são os princípios éticos que orientam
a organização na condução dos negócios e que devam atender aos interesses de seus públicos. Ele é um instrumento impresso que orienta as
ações da empresa e explicita sua conduta a todos com quem mantêm relações. Porém, não é a existência de um código de ética que comprova a
conduta da empresa. A vivência de princípios é o que assegura o caráter ético, prioritário para os públicos quando consideram sua relação com as
empresas.

O código e a ética devem ser incorporados naturalmente ao modus operandi das organizações. Porém alguns aspectos têm de ser levados em
consideração segundo Ferrell, Fraedrich e Ferrell.

Um deles é a constatação de que as empresas precisam ter lucro para sobreviver no mercado e o outro é a conciliação de interesses entre a “gana”
de ter lucro e os desejos e as necessidades da sociedade. A forma como obtêm o lucro e a busca pelo equilíbrio entre os dois pontos de interesse
(sociedade e empresas) caracteriza a conduta e a ética das organizações com seus públicos.

por COLUNISTA PORTAL - EDUCAÇÃO


O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para
pro韛�ssionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento quali韛�cado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível,
recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.

Disqus seems to be taking longer than usual. Reload?

­7% ­24% ­24%

­54% ­8% ­8%

PUBLICIDADE

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

NOME

EMAIL

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/enfermagem/a­etica­nas­organizacoes­e­a­responsabilidade­social/32818 2/4