Вы находитесь на странице: 1из 21

Tutorial do Quartus Web Edition

1 – Para adquirir o software


1. Acesse o site da Altera: http://www.altera.com

2. Clique no link download.

Figura 1 – http://www.altera.com

3. Na página aberta, escolha na seção “Altera University Program Software”, o


software “Quartus II Web Edition (versão 4.2 incluindo Service Pack 1)”

Figura 2 - https://www.altera.com/support/software/download/altera_design/quartus_we/dnl-
quartus_we.jsp

1
4. Na página aberta, escolha o arquivo de instalação
“quartusii_50_sp1_web_edition_single.exe” para download.

Figura 3 - https://www.altera.com/support/software/download/altera_design/quartus_we/dnl-
quartus_we.jsp

Esta é versão 5.0 com Service Pack 1 do software Quartus II Web Edition, a última
versão lançada quando este tutorial foi escrito. Novas versões e atualizações estão sendo
sempre lançadas. Caso seja mais conveniente, existe a opção de envio do CD de instalação do
software pelo correio. Para solicitar um CD, siga o seguinte procedimento:

1. Clique no link “You can request Quartus II Web Edition software on CD” (veja
extremidade inferior da Figura 3).

2. Na janela aberta, preencha o formulário para entrega do CD via correio e clique em


“Submit Request”.

O site ainda permite o cadastramento de perfil de usuário, dispensando o


preenchimento de formulários toda vez que se for solicitar um CD ou uma licença, que é
obrigatória (próximo item). Para cadastramento, basta clicar no botão Sign Me Up, na página
da Figura 4 e seguir o procedimento necessário.

2 – Para adquirir a licença obrigatória


Para rodar o Quartus, é necessário adquirir e configurar uma licença obrigatória
gratuita. Procedimento:

1. Clique no link “Get a license file”, ao lado do ícone de download do arquivo de


instalação (ver Figura 3).

2. Preencha um formulário semelhante ao da Figura 4, ou então crie ou use sua conta


de usuário.

3. Após clicar no botão Submit Request, a página da Figura 5 é aberta. Nela, deve-se
preencher o campo número NIC (Network Interface Card), que é o endereço físico da placa de
rede e também escolher entre licença Standard (a ser usada para fins comerciais) ou a licença
Academic (para uso em projetos acadêmicos). O número NIC é obtido (desde que o
computador tenha placa de rede) através do comando do MS-DOS ipconfig /all. Um
exemplo de saída deste comando é mostrado na Figura 5.

2
Figura 4 - You can request Quartus II Web Edition software on CD

Figura 5 – Obtenção do número NIC

No caso do exemplo acima o número NIC a ser digitado é 00C04FA392EF (número de


16 dígitos hexadecimais sem os traços).

4. Preencha a pesquisa para fins estatísticos conforme mostrada na Figura 6.

3
Figura 6 – Pesquisa

Pronto! O arquivo de licença, bem como as instruções para configuração da mesma


serão enviados para o e-mail cadastrado. Depois de configurada a licença, é só começar a usar
o software.

3 – Para criar um novo projeto e compilar


1. Execute o Quartus

Figura 7 – Chamando o Quartus

4
2. Tela inicial do Quartus:

Figura 8 – Tela inicial do Quartus

3. A primeira coisa a fazer é criar um desenho esquemático. Use o menu File -> New

Figura 9 – Criando um desenho esquemático

4. Digite o nome da folha de esquemático. Utilize a opção Block Diagram/Schematic File


na janela New. O resultado será uma janela como apresentado na Figura 10.

5
Figura 10 – Janela de edição de esquemático com destaque para o acesso a biblioteca de
símbolos.
5. Clique no ícone Symbol Tool (Figura 10) para acessar a biblioteca de símbolos. Após o
resultado será igual ao da Figura 11.

Expandir a linha que indica o


local das bibliotecas
disponíveis

Figura 11

5. Para este tutorial, será utilizado apenas uma porta E de duas entradas. Acessando a
biblioteca, como indicado na Figura 11, escolher uma porta and2 e dois pinos de

6
entrada e um de saída. Os pinos podem ser acessados na lista de bibliotecas (Figura
12).

Figura 12 – Acesso aos pinos de entrada e saída

6. A conexão pode ser realiza com um simples click no pino de cada porta. A Figura 13
ilustra esta operação.

Ao aproximar o ponteiro do mouse próximo ao


ponto de interesse o cursor muda seu aspecto.

Figura 13 – Conexão entre elementos

7. Para alterar um nome de um sinal, clique duas vezes no nome do pino. Será
apresentado uma janela que possibilita a alteração do nome do pino (Figura 14).

7
Figura 14 – Alterando um nome de um pino.

8. Salve o esquemático desenhado como porta e, confirme se a opção Create New


Project based on this File está selecionada. Esta opção cria um projeto associado ao
esquemático. O projeto é necessário para permitir a simulação e síntese do circuito em
um CPLD ou FPGA (Figura 15).

Figura 15 – Salvando um esquemático.

8
9. Como neste momento, não existe o interesse de escolher um dispositivo CPLD ou
FPGA, podemos optar na Figura 16, pelo botão Finish.

Esta opção aparece após pressionar o botão Finish.


Como desejamos continuar a utilizar o software
Quartus II, aceite a opção selecionada e clique no
botão OK.

Figura 16 – Finalizando o auxiliar para criar um projeto

10. Compile o projeto (Figura 17).

Figura 17 – Compilando um projeto

11. Não existindo erros, a etapa de compilação está finalizada (Figura 18). Agora é
necessário simular o circuito para confirmar a sua operação correta.

9
Figura 18

Durante a compilação, todas as mensagens são exibidas na guia Processing da janela


Messages. Algumas das mensagens podem ter sua origem localizada no projeto ou em algum
arquivo fonte. Algumas mensagens são agrupadas. Para expandir um grupo de mensagens,
clique no ícone +. Para tentar localizar a origem de uma mensagem – é uma prática muito útil
na correção de erros de código – basta dar um clique duplo sobre a mensagem à qual deseja-
se localizar sua origem.

Por exemplo, clicando-se duas vezes sobre a primeira mensagem de erro (as
mensagens de erro são as mensagens em vermelho, enquanto as mensagens warning são
exibidas em azul e as mensagens meramente informativas são exibidas em verde).

10
4 – Simulando o Projeto
Tendo sido corretamente compilado o projeto, a próxima etapa do desenvolvimento é a
simulação lógica do projeto, que serve para validar a lógica a ser implementada.

Para esta finalidade, os seguintes passos devem ser seguidos:

1. Criar um novo arquivo, do tipo Vector Waveform File (.vwf) (veja Figura 19)

2. Na janela aberta (Figura 20), clicar com o botão direito do mouse na área indicada e
escolher Insert Node or Bus...

3. Clicar no botão Node Finder.(veja Figura 21)

4. Selecionar Pins: all e clicar no botão List (veja Figura 22)

5. Selecionar tudo e clicar no botão indicado pela seta do mouse na Figura 23.

6. Clicar em Ok.

7. Clicar em Ok novamente.

Figura 19 – Novo arquivo .vwf

Figura 20 – Insert Nodes

11
Figura 21 – Node Finder

Figura 22 – Inserção de Sinais

Selecione um nó e
pressione o botão >, ou
para adicionar todos os
sinais ao simulador
utilize o botão >>.

Figura 23 – Seleção dos nós

12
8. Para esta simulação escolheu-se definir o tempo final de simulação como sendo 160
ns. Para definir este tempo, utilize o menu Edit -> End Time...

9. Coloque 160 ns para o End Time e clique em Ok.

Figura 24 – End Time

10. Para fazer com que todo o intervalo de tempo de simulação apareça na tela, é preciso
definir o zoom. Para isto, vá ao menu View -> Zoom...

11. Escolha a opção Show Range e entre com 0 ns para Start Time e 160 ns para End
Time.

12. Selecione o sinal a e clique no botão indicado na Figura 26.

13. Escolha o período para o sinal a como 40 ns e clique Ok.

14. Faça o mesmo para o sinal b, só que para este atribuindo um período de 80 ns.

Figura 25 – Zoom

Figura 26 – Editando o sinal a

13
Figura 27 – Ajuste do período do sinal de clock

15. Selecione o sinal a, pressione e segure a tecla Ctrl e em seguida selecione o sinal b
também.

16. Clique no botão INV da barra de ferramentas, conforme indicado na Figura 28.

Figura 28 – Invertendo os sinais a e b

17. Selecione (clicando, agarrando e arrastando o mouse) o sinal a entre os instantes 150
ns e 155 ns.

18. Atribua o valor 1 ao sinal neste intervalo de tempo. Para isto, use o botão Forcing
High da barra de ferramentas (indicado na Figura 29) ou o botão INV, utilizado
anteriormente.

14
19. Tendo definido completamente o vetor de testes, deve-se salvar o arquivo de entrada
do simulador (o arquivo .vwf). Para isto, clique em File -> Save, ou então use as teclas
de atalho Ctrl + S ou ainda, use o ícone correspondente da barra de ferramentas.

20. Nomeio o arquivo como e2.vwf e clique Ok para confirmar.

21. Pronto. É só rodar a simulação. Para tal finalidade, use o menu Processing -> Start
Simulation, Ctrl + I ou o ícone correspondente na barra de ferramentas.

22. A saída do simulador deve ser semelhante à mostrada na Figura 30.

23. Para visualizar todo o intervalo de tempo simulado, faça o ajuste de zoom indicado nos
passos 10 e 11.

24. Feito este ajuste, têm-se as formas de onda indicadas na Figura 31.

Figura 29 – Alterando o sinal a entre os instantes 150 e 155 ns.

15
Figura 30 – Saída do simulador

Figura 31 – Formas de onda resultantes da simulação

Na Figura 31, observa-se que a lógica implementada está funcionando conforme


esperado, com a saída apresentando um atraso de 10 ns em relação à entrada.

16
Caso se deseje aumentar o zoom para melhor visualização das ondas, basta clicar no

botão da barra de ferramentas Waveform Editor. Para aumentar o zoom, clique com o
botão esquerdo do mouse em algum ponto da forma de onda. Clicando com o botão direito do
mouse, reduz-se o zoom.

5 – Programando o dispositivo
Caso o projeto tenha sido compilado e simulado sem erros, pode-se então gravar o
dispositivo. Para isto, é necessário informar ao software em qual dispositivo Altera a lógica será
implementada.

Caso se tenha deixado em aberto a escolha do dispositivo quando se criou o projeto


(veja Figura 12) é necessário agora especificar o mesmo. Para isso clique em Assignments ->
Device. Caso o dispositivo já tenha sido escolhido, desconsidere este procedimento.

O download dos dados de configuração dos dispositivos pode ser feito através dos
cabos de comunicação ByteBlasterMV, ByteBlaster II ou USB-Blaster. A programação dos
dispositivos pode ser feita nos modos Passivo Serial, Ativo Serial, JTAG ou In-Socket.

Porém, antes de programar o dispositivo, é necessário atribuir os sinais de entrada e


saída aos pinos reais do dispositivo. Isto é feito através do Pin Planner (menu Assignment ->
Pin Planner). Uma janela semelhante à da Figura 32 é aberta. A Figura 33 apresenta a
convenção para os símbolos utilizados que pode ser obtida através do menu View – Pen
Legend Window.

Para atribuir um sinal a um pino, basta selecionar um pino na figura que representa o
chip (Figura 34) e executar dois cliques simultâneos. Como exemplo (veja Figura 35), a entrada
a foi colocada no pino 19, a entrada b no pino 20 e a saída s no pino 41.

Figura 32 – Pin Planner

17
Figura 33 – Convenção de símbolos para pinos

18
Note a alocação
de pinos.

Figura 34 – Sinais atribuídos aos pinos

Indicação dos
pinos alocados

Alocação final

Figura 35 – Alocação final dos pinos

Na atribuição dos sinais aos pinos alguns cuidados devem ser tomados. Alguns pinos
são utilizados para comunicação com o PC durante o processo de gravação do dispositivo.
Deve-se evitar usar estes pinos. Caso o projeto possua interface com sinais de clock, preset ou

19
clear (por exemplo, na implementação de flip-flops), existem pinos no CI específicos para estes
sinais.

Depois de atribuídos os sinais aos pinos, o projeto deve ser novamente compilado.

Para a programação de um dispositivo, é usado um arquivo do tipo Chain Desciption


File (.cdf), que armazena o nome do dispositivo, seu número, e informações de programação e
de hardware.

Para criar um arquivo .cdf, vá ao menu Tools -> Programmer (Figura 36). Para
configurar a gravação de um dispositivo no modo JTAG, siga os seguintes passos:

1. Clique no botão Hardware Setup. A caixa de diálogo Hardware Setup é aberta.


2. Clique em Add Hardware. A caixa de diálogo Add Hardware se abre.
3. Na lista Hardware type, selecione ByteBlasterMV or ByteBlaster II.
4. Clique Ok.
5. Clique Close.

Figura 36 – Seleção do Programador

Clique em Hardware Setup

Figura 37 – Escolha do Programador

Ligue o cabo ByteBlasterMV da porta paralela do PC ao gravador, ligue a alimentação


do gravador, e então clique Start.

20
Figura 38 – Configuração final antes da programação do dispositivo.

Antes de gravar, selecione a opção Program/Configure. Depois clique no botão Start e


acompanhe no campo progress o progresso da gravação (Figura 38).
Observe na janela Messages se não existem mensagens de erro. Se não existirem
erros, isto significa que o dispositivo já está gravado, podendo-se então utilizá-lo.

21