You are on page 1of 3

A ENTRADA TRIUNFAL

Mateus 21:1-11

Dentro de poucos dias teremos o carnaval. Muitas pessoas não


conhecem a origem desse evento, mas a grande verdade é que o
Carnaval é o início de uma etapa do calendário litúrgico que
termina com a festa da Páscoa. No texto que lemos fala sobre dia
de Ramos. Dia em que Jesus entrou em Jerusalém, a fim de
festejar a páscoa junto de seus discípulos naquela cidade.

A Páscoa é celebrada no primeiro domingo após a primeira lua


cheia que ocorre depois do equinócio da Primavera. Esta data foi
escolhida após o decreto do papa Gregório XIII em 24.02.1582. A
páscoa judaica (Pesach), que ocorre 163 dias antes do início do
ano judaico, sendo em data diferente da pascoa cristã.

Equinócio significa o momento em que o sol incide com maior


intensidade sobre as regiões que estão localizadas próximo à linha
do equador.

Durante essa visita, Jesus seria preso, torturado e cruscificado. Ele


sabia disso, portanto, esses últimos dias foram intensos e de muita
reflexão com seus discípulos.
O Texto bíblico diz que Jesus foi aclamado Rei nesse dia, sendo
que as pessoas colocavam ramos e suas capas para que ele
pudesse passar.
Veremos agora os Três grupos de pessoas presentes em Jerusalém
naquele dia e o que cada um deles esperava de Jesus.

1- A Multidão queria Jesus Libertando, e vingando.

O Povo que aclamou Jesus, queria d´Ele uma atitude em relação


aos Romanos. Não queriam de Jeito Nenhum continuar sob o
domínio político de Roma.
Achavam que Jesus poderia resolver seus problemas. Criam que
ele viria para liderá-los contra os Romanos.
Por isso mais tarde, solicitaram sua execução, pois achavam ter
sido enganados.
Hoje temos muitas pessoas assim também, que abrem caminho a
Jesus, com palmas, lágrimas, sacrificios pessoais, mas não tem
nada a oferecer a Ele.
Somente querem o que ele pode possivelmente lhes oferecer, e
quando não conseguem o que querem saem blasfemando e
ridicularizando o nome de Jesus.

2- O Sinédrio queria Jesus Calado, e manter sua Paz,

O Sinédrio era um grupo de “Sábios” que comandavam o culto no


templo.
Os Romanos embora dominando o povo judeu, permitiam que eles
mantessem sua estrutura religiosa, sua vida dogmática e seus
sacrifícios no Templo.
Os Romanso julgavam que ocupando-se com a Religião, o povo
esqueceria dos impostos e do domigio politico.
A entrada de Jesus sendo aclamado Rei, assustou o Sinédrio, que
temia uma revolta da parte dos Romanos e o fim da Paz aparente
que imperava sobre a região.
Também temos gente assim hoje em dia. Pessoas que preferem
manter seu Status Quo, invés de ousar mais e ir atrás de Jesus
ganhando almas e fazendo diferença no mundo.
Por isso hoje a igreja não mais faz diferença, pois esta alocada em
meio a um mundo desconhecido e alheio a suas atitudes.

3- Os Romanos queriam Jesus longe deles

Para os Romanos, Jesus era a penas mais um arruaceiro dentre os


que já haviam aparecido em Jerusalém.
Alguém que poderia os obrigar a agir com força e violência para
controlar a situação na cidade.
Eles não se importavam com Jesus, com a cidade, ou com o povo.
Eles queriam era mantar seu dominio controlado. Se não fosse
pela religião, seria pela força.
Jesus não os ameaçava, mas também não os atraia em nada. Para
eles Jesus era alguém dispensável. E foi o que fizeram.
Os Romanos não culparam Jesus, porém também não o
inocentaram. Ao invés disso lavaram suas mãos.
Em nossos dias também temos gente assim, que não se
compromete com Jesus. Não quer saber daquilo que Ele pode
oferecer. Preferem lavar as mãos e dizer que isso não tem haver
com eles.
Porém Com Jesus não existe em cima do muro, Não existem três
lados no Reino de Deus. Existem apenas dois.

4 – Os discípulos queriam estar perto e Jesus e aprender


com ele.
Havia um quarto grupo em Jerusalem naqueles dias. Era o grupo
que acompanhava Jesus. Entraram com ele, estiveram perto dele
na cruscificação, o viram ressurreto, e acompanharam sua
ascenção aos céus. Estavam sempre junto dele.
Esse sim é o grupo adequado para estar perto. Esse grupo não era
formado por pessoas perfeitas. Eles eram pecadores com eu e
você. Cobradores de impostos, pescadores, excluídos da
sociedade. Ex prostitutas, mulheres adúlteras. Todos pessoas que
haviam sido curadas por Jesus.
Aos olhos humanos nenhuma daquelas pessoas seria melhor do
que qualquer pessoa dos outros grupos, mas elas tinham algo de
especial. Tinham um mestre que estava disposto a morrer por
eles.

CONCLUSÃO

Terminar contando a história do Jumentinho andando sozinho em


Jerusalém.
Hoje você precisa fazer uma escolha. Uma análise em sua vida e
ficar longe dos três grupos.