Вы находитесь на странице: 1из 15

4

Objectivos
Gerais:
 Estudar a fisiologia do sistema endócrino
Específicos:
 Mencionar as glândulas endócrinas;
 Identificar as secreções de cada glândula endócrina e as respectivas funções;
 Descrever a retroalimentação (feedback).
5

Neuro endocrinologia
O Sistema Endócrino é o conjunto de glândulas responsáveis pela produção dos hormônios que
são lançados no sangue e percorrem o corpo até chegar aos órgãos-alvo sobre os quais atuam.

O sistema endócrino é composto de um grupo de diversos tecidos cuja função e de produzir e


libertar na corrente circulatória secreções conhecidas como hormonas. Um termo derivado da
palavra grega hormocin (para excitar).

Junto com o sistema nervoso, o sistema endócrino coordena todas as funções do nosso corpo. O
hipotálamo grupo de células nervosas localizadas na base do encéfalo, faz a integração entre
esses dois sistemas.

Estes hormônios geralmente são libertados, em concertações muito baixa e transportados aos
seus locais de acção e outras partes de corpo, onde exercem efeitos reguladores sobre o processo
celular, Os hormonas podem atuar sobre as células de órgãos específicos referidos como órgãos
alvos ou sobre as células amplamente distribuídas nos campos. Os processos regulados pela
hormona incluem a permeabilidade da membrana celular, a actividade de sistema enzimático
específico e terminação genética levando a síntese de outras proteínas.

A origem do conceito moderno de função endócrina pode ser relacionada a inventos que levarão
a uma compreensão da função da glândula tiroide.
Em 1983 três cirurgiões suíços removeram juridicamente tiroides aumentadas em (bócio) 46
pacientes para avaliar a pressão na Turquia.
As capacidades das células se comunicarem uma com as outras representam a base da biologia
humana. A sinalização endócrina envolve a secreção regulada de uma molécula de sinalização
extracelular, chamada de hormona no fluido extracelular.
A difusão de hormona na vasculatura e sua circulação por todo corpo, e sua circulação a um
receptor específico das células, de um órgão-alvo por causa da deciminação das hormonas por
todo corpo, um hormonio em geral regula actividade de vários órgãos-alvo. Por causa da
6

deciminação com todo corpo, um hormonio em geral regula a actividade de vários órgãos alvos,
inversamente, as células com frequência expressam receptores para múltipla hormona.
As glândulas endócrinas estão localizadas em diferentes partes do corpo: hipófise, tireoide
eparatireoide, timo, suprarrenais, pâncreas e as glândulas sexuais. A diminuição desse hormônio
reduz a quantidade de cálcio no sangue e faz com que os músculos se contraiam
violentamente.Esse sintoma é chamado de tetania, pois é semelhante ao que ocorre em pessoas
com tétano. Por sua vez, o aumento da produção desse hormônio, transfere parte do cálcio para o
sangue, de modo que enfraquece os ossos, tornando-os quebradiços.

Timo:

O timo está situado entre os pulmões. Produz uma hormôna que atua na defesa do organismo do
recém-nascido contra infecções. Nessa fase, apresenta um volume acentuado, crescendo
normalmente até a adolescência, quando começa a atrofiar. Na idade adulta diminui de tamanho,
pois tem suas funções reduzidas.
7

Suprarrenais:

As glândulas suprarrenais situam-se acima dos rins e produz adrenalina, hormôna que prepara o
corpo para a ação. Os efeitos da adrenalina no organismo são:

 Taquicardia, o coração dispara e impulsiona mais sangue para as pernas e braços,


aumentando a capacidade de correr ou de se exaltar em situações tensas;
 Aumento da frequência respiratória e da taxa de glicose no sangue, liberando mais
energia para as células;
 Contração dos vasos sanguíneos da pele, de modo que o organismo envia mais sangue
para os músculos esqueléticos e, por isso, ficamos “pálidos de susto” e também “gelados
de medo”.

Pâncreas:

O pâncreas é uma glândula mista, pois além de hormônas (insulina e o glucagon) produz também
o suco pancreático, que é lançado no intestino delgado e desempenha importante papel na
digestão.

A insulina controla a entrada da glicose nas células (onde será utilizada na liberação de energia)
e o armazenamento no fígado, na forma de glicogênio. A falta ou a baixa produção de insulina
provoca o diabetes, doença caracterizada pelo excesso de glicose no sangue (hiperglicemia).

O glucagon funciona de maneira oposta à insulina. Quando o organismo fica muitas horas sem se
alimentar, a taxa de açúcar no sangue cai muito e a pessoa pode ter hipoglicemia, que gera a
sensação de fraqueza, tontura, levando, em muitos casos, ao desmaio. Nesse caso o pâncreas
produz o glucagon, que age no fígado, estimulando a "quebra" do glicogênio em moléculas de
glicose. Por fim, a glicose é enviada para o sangue normalizando a hipoglicemia.
8

Glândulas sexuais:

As glândulas sexuais são os ovários e os testículos, que fazem parte do sistema reprodutor
feminino e do sistema reprodutor masculino respectivamente. Os ovários e os testículos são
estimulados por hormônas produzidas pela hipófise. Assim, enquanto os ovários produzem o
estrogênio e a progesterona, os testículos produzem diversas hormônas, entre eles a testosterona,
responsável pelo aparecimento das características sexuais secundárias masculinas: barba, voz
grave, ombros volumosos etc. Glândulas endócrinas e as hormonas secretas.

Hipotálamo secreta as seguintes hormonas: Commented [M1]:

 Hormônio liberador de tireotrofina (TRH);


 Hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH);
 Hormônio liberador de hormônio do crescimento (GHRH);
 Hormônio liberador de corticotrofina (CRH);
 Somatotrofina;
 Dopamina (DA).

Glândula pineal sintetiza:

 Dimetiltriptamina;
 Melatonina.

Hipófise (glândula pituitária):

A hipófise está localizada no centro da cabeça, logo abaixo do cérebro. Secreta diversos
hormônios, entre eles, o hormônio do crescimento.É considerada a glândula mestre do nosso
corpo, pois estimula o funcionamento de outras glândulas, como a tireoide e as glândulas
sexuais.O excesso da produção desse hormônio causa o gigantismo (crescimento exagerado) e a
falta provoca o nanismo.

Outro hormônio produzido pela hipófise é o antidiurético (ADH), substância que permite ao
corpo economizar água na excreção (formação da urina).
9

Adeno hipófise (pituitária anterior) produz:

 Hormóna do crescimento (GH) Proactiva (PRL);


 Hormóna a dreno corticotrófico (ACTH, corticotrofina);
 Hormônio estimulante da tiroide (TSH, tirotrofina);
 Hormônio folículo-estimulante (FSH, uma gonadotrofina);
 Hormônio luteinizante (LH, uma gonadotrofina)

Neuroipófise (pituitária posterior) armazena:

 Oxitocina;
 Arginina vasopressina (AVP; também ADH, hormônio antidiurético);
 Lipotropina.

Tiroide

A tiroide está localizada no pescoço, produz a tiroxina, hormônio que controla a velocidade do
metabolismo celular, na manutenção do peso e do calor corporal, no crescimento e no ritmo
cardíaco.

O hipertireoidismo, funcionamento exagerado da tireoide, acelera todo o metabolismo: o coração


bate mais rápido, a temperatura do corpo fica mais alta do que o normal, a pessoa emagrece por
gastar mais energia.

Esse quadro favorece o aparecimento de doenças cardíacas e vasculares, pois o sangue circula
com mais pressão. Se não tratada pode provocar o surgimento do bócio (inchaço no pescoço), e
também a exoftalmia (olhos saltados).

Ohipotireoidismo é quando a tireoide trabalha menos e produz menos tiroxina. Assim, o


metabolismo se torna mais lento, algumas regiões do corpo ficam inchadas, o coração bate mais
vagarosamente, o sangue circula mais lentamente, a pessoa gasta menos energia, tende a
engordar e as respostas físicas e mentais tornam-se mais lentas e se não tratada pode ocorrer o
bócio.
10

 Triiodotironina (T3), uma forma potente de hormônio da tireoide;


 Tiroxina (T4), uma forma menos ativa de hormônio da tireoide;
 Calcitonina.

Glândula paratiroides

São quatro pequenas glândulas, localizadas atrás da tireoide, que produzem o paratormônio,
hormônio que regula a quantidade de cálcio e fósforo;

Hormóna da paratireoide (PTH)

Estômago e intestinos produzem:

 Colecistoquinina (CCK);
 Gastrina;
 Grelina;
 Neuro peptídeo Y (NPY);
 Secrina;
 Somatostatina.

Fígado secreta:

 Fator de crescimento semelhante à insulina (IGF);


 Angiotensinogênio;
 Trombopoietina.

Ilhotas de Langerhans no pâncreassecretam:

 Insulina;
 Glucagon;
 Somatostatina.
11

Glândulas adrenaissecretam

Córtex adrenal secreta:

 Glicocorticóides (principalmente cortiços)


 Mineralocorticóides (principalmente aldosterona);
 Andrógenos (incluindo DHEA e testosterona)

Medula adrenal secreta:

 Adrenalina (epinefrina);
 Noradrenalina (norepinefrina);
 Testerona.

Rim secreta:

 Renina;
 Eritropolotina (EPO);
 Calcitriol (a forma ativa da vitamina D3);

Em homens

Testículossecretam:

 Testosterona

Em mulheres

Folículo ovariano secreta:

 Estrógenos;
 Progesterona.
12

Essas glândulas endócrinas sintetizam e secreta hormónios bioactivos, com excepções das
gónadas que desempenham tanto funções endócrinas quanto gametogênicas, dedicadas a
produção de hormonas.
Estas incluem células dentro do coração que produzem pepitideosatrialnatriurectico, células
hepáticas que produzem o factor de crescimento, e similar a insulina (IGF-1), células dentro do
rim que produzem eritropolotina e numerosos tipos de células dentro do trato gasto intestinal que
produzem hormonas intestinas. Também existe grupo de corpo celulares denominados núcleos
dentro do igualamos que secretam peptideos, chamados de neurohormonios, para os capilares
associados a glândula hipófise.
Um terceiro componente do sistema endócrino é representado por numerosos tipos células que
exercem enzimas intracelulares, enzimas ou secretam enzimas que modificam preensores
motivos ou hormonios menos activos em hormonios altamente activos:

Fig3: Hormonas altamente activas.


13

Um exemplo é a geração de angiotensivado polipeiro angiotensinogenioinactivo por duas


clivagens propedêuticas subsequentes no fígado e no rim para produzir a hormonio altamente
bioactivos 1,25 di-hidrocrixe vitamina D (vitamina D).

Configurações das alças de retroalimentação dentro do sistema endócrino


A forma predominante de uma alça de retroalimentação fechado entre as glândulas endócrinas e
a retroalimentação negativa, em uma alça de retro alimentação negativa, o hormonio A activa em
um ou mais órgãos alvos para induzir uma mudança (diminuição ou aumento) nos níveis
circulatórios do “componente B” e a mudança no componente B por sua vez inibe a secreção do
hormónio. As alças de retroalimentação negativa garantem estabilidade por manter um parâmetro
fisiológico (por ex: Glicose sanguíneo) dentro de uma escala normal.
Também existe poucos exemplos de retroalimentação positiva, na regulação endócrina. Uma alça
de retroalimentaçãopositiva, na qual o hormónio X aumenta os níveis do componente Y e o
componente Y estimula a secreção do hormónio X confere instabilidade. Sobe o controlo de
alças de retroalimentação positiva, um estimulo e recebido e amplificado por EX; as alças de
retroalimentação positiva controlam os processos que levam a ruptura de um folículo através de
parede ovarina ou expulsão de feto do útero.
Existem duas configurações básicas das alças de retroalimentação negativas dentro do sistema
endócrino:
Uma alça de resposta fisiológica direccionadamencionada simplesmente como (retroalimentação
de resposta direccionada) e uma alça de retroalimentaçãodireccionada do eixo endócrino

Glandula
endocrina
Componentes
circulantes (por
Hormónio exemplo: glicose
sanguenea)

Órgão(s) - alvo Efeitos fisiologicos


14

Esquema 1: Retroalimentação negativa de resposta fisiológica direccionada.

Neuronios neuro endocrinos,


hipotalamicos

Libertação de hormónios

Glandula hipofise

Hormonios troficos

Glandula endorcinas perifericas

Hormonios

Órgão-alvo

Efeitos fisiologicos

Esquema 2: Retroalimentação negativa direccionada ao eixo endócrino


A alça de retro-alimentacao de resposta direccionada e observada em glândulas endócrinas que
controlam os níveis de glicose sanguínea (ilhotas pancreáticas), níveissanguíneos de Ca+ e P+,
(glândulas paratiroides, rim), osmolaridade e volume de sangue (hipotalamo/Neuroipófise), e
Na+, K+ e H+sanguíneos (zona glamerulosa do córtexsupra-renal e células atriais).
Na configuração da resposta direccionada, a secreção de um hormónios e estimulado ou inibida
por uma mudança de nível de parâmetro extra-celularespecífico (por exemplo: um aumento de
glicose sanguínea estimula a secreção de insulina). Níveis hormonais alterados levam a mudança
na fisiologia dos orgãos-alvo (por exemplo: glicogénios hepática reduzida, consumo aumentado
de glicose pelo musculo). Que regulam directamente o parâmetro (i, e, glicose sanguínea) em
questão.
15

A mudança no parâmetro (i, e, glicose sanguínea reduzida), desta forma inibe a


secreçãoadicional do hormónio (i, e, a secreção da insulina cai quando a glicose
sanguíneadiminui).

Natureza Química Dos Hormónios


Todos os hormonios gerais pertencem a dois tipos químicos distintos que são:
 Proteínas pequenas ou derivados de proteínas;
 Compostos esteróides.
Todos hormonios com ascensão dos hormonios docórtexsupra-renal e dos hormonios sexuais,
pertencem ao grupo de proteínas ou derivados de proteínas, com polipeptídeos, animais
polipeptídicas ou, composto químicos derivados de um ou mais aminoácido.
Os hormonios do córtex supra-renal e dos hormonios sexuais são todos esteróides, possuem
estruturas químicas semelhantesa do colesterol e, na maioria dos casos podem ser sintetizadosa
partir do colesterol, tanto pelo córtex supra-renal como pela glândulas renal.

Mecanismo Da Acção Hormonal


Mecanismo pelo qual os diferentes hormonios controlam os níveis de actividade nos tecidos-
alvos difere de um hormonio para outro. Entretanto dois importantes mecanismos gerais são:
 Activação do sistema de AMP ciclo das células que sua vez activamfunçõescelulares
específicas.
 Activação dos genes das células que então provocam produção de proteínas
intracelulares que por sua vez descendiam funções celulares específicas, esses dois
mecanismos pode ser discreta de seguintes modos.

AMP cíclico, um mediador hormonal intracelular


A maior partes dos hormónios proteicos peptideos exercem efeitos sobre as células por
provocarem primeiro a formação pelas células de AMP cíclico (monofosfacto cíclico de três;
cincoadenocina) uma vez formado, o AMP cíclico da inicio da actividade desejada no interior da
célula a primeiro evento neste mecanismo de controlo hormonal e acção da hormona
estimulantesobre o receptor especifico na membrana celular. Seg. uma que é hormona tenha
reagido com a receptora e a activa uma enzima da membranacelular, adenilciclase.
16

 Adenilciclase converte parte da ATP presente no interior da célula do AMP cíclico, esse
AMP cíclico persiste na célula por período de alguns segundos e alguns minutos antes de
ser reconvertido em ATP com tudo, enquanto hormonas estimulantes permanecer activo
no receptor continuara a ser formado o AMP.
 Uma vez dando sido formado no interior da célula, o AMP cíclico começa a desempenhar
certo número de funçõesfisiológicos distintos, que incluem:
1) Activação de enzima;
2) Alterações de permeabilidade celular;
3) Modificações do grão da concentração do musculo liso;
4) Activação da síntese proteica;
5) Promoção da secreção celular.
O efeito especifica que ocorrem em cada célula em determinado pela característica da célula, tem
sedemonstrado que o mecanismo do AMP cíclico actua como o mediador hormonal intracelular,
para pelo menos algumas das funções do seguinte Hormónio:
1) Hormónioadrenocorticotropico;
2) Hormóniotiro estimulante;
3) Hormóniogonadotropico, estimula s glândulas sexuais;
4) Hormónio antidiurético;
5) Hormónioparatiroidiano, que controla o teor do cálcio no líquidointracelular;
6) Glucagon, que participa na regulação da concentração sanguínea;
7) Epinefrina, que controla a concentração de muitos músculos lisos;
8) Os factores de libertaçãohipotálamos, que controlam a secreção da maioria dos
hormonios da hipófise anterior.
17

Conclusão
Neste presente trabalho de investigação concluímos que O sistema endócrino é composto de um
grupo de diversos tecidos cuja função e de produzir e libertar corrente circulatória sob conhecida
como hormónios, O Sistema Endócrino é o conjunto de glândulas responsáveis pela produção
dos hormônios que são lançados no sangue e percorrem o corpo até chegar aos órgãos-alvo sobre
os quais atuam.
18

BIBLIOGRAFIA

KOEPPEN, Bruce M; Stanton, Bruce A; Berne; levy, Fisiologia 6° edicão;

GUYTON, Googan,Fisiologia humana 6°Edição,Guanabara;

www.google.com