Вы находитесь на странице: 1из 19

GESTÃO DEMOCRÁTICA DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

NO MUNICÍPIO DE ITABORAÍ

IMPLICA NA EFETIVAÇÃO DE NOVOS PROCESSOS DE ORGANIZAÇÃO E


GESTÃO BASEADOS EM UMA DINÂMICA QUE FAVOREÇA OS PROCESSOS
COLETIVOS E PARTICIPATIVOS DE DECISÃO.
“Tudo o que a gente puder fazer no sentido de
convocar os que vivem em torno da escola, e dentro
da escola, no sentido de participarem, de tomarem
um pouco o destino da escola na mão, também.
Tudo o que a gente puder fazer nesse sentido é
pouco ainda, considerando o trabalho imenso que
se põe diante de nós, que é o de assumir esse país
democraticamente.”

Paulo Freire
QUAL A LEGISLAÇÃO QUE SUSTENTA OS C. E.?
*Carta Magna – na constituição de 1988, em seu art. 206 - O
ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: ... VI -
gestão democrática do ensino público, na forma da lei;
*Lei 9.394/96 de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, em
seu art. 14 - Os sistemas de ensino definirão as normas da gestão
democrática do ensino público na educação básica;
*Plano Nacional de Educação – Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de
2001 - que tem por objetivo, promover a participação da comunidade
na gestão das escolas, universalizando em dois anos, a instituição
de Conselhos Escolares;
*Plano Nacional de Educação – Lei nº 13.005, de 25 de junho de
2014 - aprovado o Plano Nacional de Educação - PNE, com vigência
por 10 (dez) anos;
QUAL A LEGISLAÇÃO QUE SUSTENTA OS C. E.?

*Plano Municipal de Educação de Itaboraí – Lei nº 2.077, de 28 de


novembro de 2008 institui o Plano e estabelece um conjunto de
metas e objetivos que orientarão a educação municipal pelos dez
anos;
*Plano Municipal de Educação de Itaboraí – Lei nº 2.556, 22 de
junho de 2015 – adequa o PME em consonância com as diretrizes,
metas e estratégias previstas no Plano Nacional de Educação ;
*Resolução nº 04 de 21 de março de 2013 – Normatiza os
Conselhos Escolares
*Estatuto dos Conselhos Escolares de 05 de abril de 2013 – dispõe
sobre o funcionamento dos Conselhos Escolares.
CONSELHO
“Conselho vem do latim Consilium. Por sua vez, consilium provem do
verbo consulo/consulere, significando tanto ouvir alguém quanto
submeter algo a uma deliberação de alguém, ... Trata-se, pois, de um
verbo cujos significados postulam a via de mão dupla: ouvir e ser ouvido.”
(Cury, 2000, p.47)

Definimos que, um Conselho


constitui uma assembleia de
pessoas, de natureza pública,
para aconselhar, dar parecer,
deliberar sobre questões de
interesse público, em sentido
amplo e restrito.
O termo Colegiado, que deriva de colégio, vem sempre associado ao
funcionamento dos conselhos, uma vez que esses só assumem poder, só
podem deliberar, no coletivo dos colegas, dotados da mesma dignidade,
com o mesmo poder, independentemente das categorias que
representam.
O QUE SÃO OS CONSELHOS ESCOLARES?

Órgão colegiado composto por representantes das comunidades


escolares e local, que têm como atribuição deliberar sobre questões
político-pedagógica, administrativa, financeira no âmbito da escola.
O QUE SÃO OS CONSELHOS ESCOLARES?

“Os Conselhos Escolares contribuem decisivamente para a


criação de um novo cotidiano escolar, no qual a escola e a
comunidade se identificam no enfrentamento não só dos
desafios escolares imediatos, mas dos graves problemas
sociais vividos na realidade brasileira.” E segundo a
Unicef/Undime-RN ele pode desempenhar um papel relevante
na busca de melhoria de resultados da aprendizagem dos
alunos no âmbito da escola, evitando o abandono e auxiliando
na busca de mecanismos para melhoria da prática docente.”
DIFERENÇA ENTRE CONSELHO ESCOLAR E A.A.E.
Conselhos Escolares Associação de Apoio a Escola
(C.E.) (A.A.E)
É o órgão colegiado, na É uma entidade privada sem
estrutura da escola, fins lucrativos, representativa
composto pelo diretor e por das escolas públicas
representantes dos integradas por membros da
professores, demais comunidade escolar
funcionários, pais ou responsável pela
responsáveis, estudantes e formalização dos
comunidade local, que tem procedimentos necessários
por atribuições decidir ao recebimento dos repasses
sobre questões de recursos financeiros
pedagógicas, destinados as escolas, bem
administrativas e como pela execução e
financeiras no ambiente prestação de contas desses
escolar. recursos.
DIFERENÇA ENTRE CONSELHO ESCOLAR E A.A.E.
FUNÇÕES DO CONSELHO ESCOLAR

•Deliberativas: quando decidem sobre o projeto


político-pedagógico e outros assuntos da escola,
aprovam encaminhamentos de problemas,
garantem a elaboração de normas internas e o
cumprimento das normas dos sistemas de ensino e
decidem sobre a organização e o funcionamento
geral das escolas, propondo a direção as ações a
serem desenvolvidas.
Elaboram normas internas da escola sobre
questões referentes ao seu funcionamento nos
aspectos pedagógico, administrativo e financeiros.
FUNÇÕES DO CONSELHO ESCOLAR

•Consultivas: quando têm um caráter de


assessoramento, analisando as questões
encaminhadas pelos diversos segmentos da escola
e apresentando sugestões ou soluções que
poderão ou não se acatadas pelas direções das
unidades.

•Fiscais: quando acompanham e execução das


ações pedagógicas, administrativas e financeiras,
avaliando e garantindo o cumprimento das normas
das escolas e a qualidade social do cotidiano
escolar.
FUNÇÕES DO CONSELHO ESCOLAR

•Mobilizadoras: quando promovem a participação,


de forma integrada, dos segmentos representativos
da escola e da comunidade local em diversas
atividades, contribuindo assim para a efetivação de
democracia participativa e para a melhoria da
qualidade social da educação

•Pedagógicas: quando mobiliza e cria


possibilidades para que as comunidades escolar e
local reflitam sobre questões pedagógica, fazendo
com que cada um se sinta efetivamente partífice
dos processos educativos na escola.
ALGUMAS ATRIBUIÇÕES DO CONSELHO ESCOLAR

• Contribuir na elaboração do Projeto Político Pedagó-


gico da escola;
• Acompanhar a execução do calendário escolar,
assegurando o cumprimento dos duzentos dias letivos
e das oitocentas horas anuais de efetivo trabalho
escolar estabelecido conforme o inciso I, do Artigo 24
da LDB;
• Apropriar-se dos resultados das avaliações internas e
externas da escola, com o objetivo de acompanhar e
propor ações de melhoria da aprendizagem;
• Buscar a melhoria das condições de infraestrutura,
materiais didáticos e pedagógicos da escola;
ALGUMAS ATRIBUIÇÕES DO CONSELHO ESCOLAR
• Acompanhar os indicadores educacionais (abandono
escolar, aprovação, aprendizagem, reprovação). Propondo
intervenções pedagógicas e/ou medidas sócio educativas
visando a melhoria de qualidade social da educação
escolar.
• Acompanhar o Planejamento de Aplicação de recursos
financeiros oriundos de transferência ou captados pela
escola, em consonância com a legislação vigente e o
Projeto Político Pedagógico da unidade de ensino e as
normas emanadas da Secretaria Municipal de Educação e
Cultura.
• Fiscalizar a gestão administrativa, pedagógica e
financeira da Unidade Escolar.
DIFERENÇA ENTRE CONSELHO ESCOLAR E A.A.E.

Conselhos Escolares Associação de Apoio a


DELIBERATIVA Escola
É o órgão colegiado, na
estrutura da escola, É uma entidade privada
composto pelo diretor e sem fins lucrativos,
por representantes dos representativa das escolas
professores, demais CONSULTIVA públicas integradas por
funcionários, pais ou membros da comunidade
responsáveis, escolar responsável pela
estudantes e formalização dos
comunidade local, que procedimentos necessários
tem por atribuições FISCALIZADORA ao recebimento dos
decidir sobre questões repasses de recursos
pedagógicas, financeiros destinados as
administrativas e escolas, bem como pela
financeiras no ambiente execução e prestação de
MOBILIZADORA
escolar. contas desses recursos.
COMO CONSOLIDAR OS C.E.?

• Como todo órgão colegiado, o Conselho Escolar toma decisões coletivas. Ele só
existe enquanto está reunido. Ninguém tem autoridade especial fora do
colegiado só porque faz parte dele ;

• O diretor atua como um coordenador na execução das deliberações do


Conselho escolar e também como o articulador das ações de todos dos
segmentos, visando a efetivação do projeto pedagógico na construção do
trabalho educativo;

• Pautar-se na efetiva participação; sendo importante a representatividade dos


segmentos da comunidade escolar (representação dos alunos, dos pais ou
responsáveis, dos professores, dos trabalhadores em educação não docentes
e da comunidade local), a disponibilidade e o compromisso;

• É saber ouvir e dialogar, assumindo a responsabilidade de acatar e representar


as decisões da maioria, sem nunca desistir de dar opiniões e apresentar suas
propostas.
DO FUNCIONAMENTO DO CONSELHO ESCOLAR
CAPÍTULO II DO ESTATUTO, ART. 31 a 34

*O C. E. funcionará com “quórum” mínimo de metade mais


um de seus membros;

*As reunião ordinárias serão mensais, convocadas pelo


presidente com 72horas de antecedência e com pauta
claramente definida no edital de convocação.

*As reuniões extraordinárias realizar-se-ão sempre que


necessário, por: convocação do presidente, solicitação de
metade mais um de seus membros através de
requerimento dirigido ao presidente e pelo presidente da
AAE. Com 24horas de antecedência e com pauta
claramente definida na convocatória.
DO FUNCIONAMENTO DO CONSELHO ESCOLAR
CAPÍTULO II DO ESTATUTO, ART. 31 a 34

*As reunião serão lavradas atas, em livro próprio e por um


secretário escolhido para está finalidade.

*As deliberações só serão válidas quando tomadas por


metade mais um dos presentes na reunião.

*Para divulgação das deliberações tomadas pelo C.E.


serão utilizados editais, livros de aviso, garantindo um fluxo
de comunicação permanente e em tempo hábil.
A Escola também é sua!