Вы находитесь на странице: 1из 39

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ

CET 1202- Fontes alternativas de energia elétrica


DOCENTE: ADJEFERSON CUSTODIO GOMES
DISCENTES: AMANDA OLIVEIRA ROSEIRA (201710860)
DENILSON ENCARNAÇÃO(201710862)

ENERGIA ELÉTRICA E SUSTENTABILIDADE:


ASPECTOS TECNOLÓGICOS
E SOCIOAMBIENTAIS
A indústria da energia elétrica
● Parte do ramo energético
● Conjunto de empresas que formam a cadeia dessa indústria e são responsáveis pela
geração,transmissão, distribuição e utilização de energia.

Figura 1. Geração,transmissão e distribuição


Geração
● A área da geração preocupa-se com o processo da produção de energia elétrica por meio do uso
de diversas tecnologias e fontes primárias.

Figura 2. Impactos socioambientais da geração


Transmissão
● Está associada ao transporte de blocos significativos de energia a distâncias
razoavelmente longas.
● Visão socioambiental
● Problemas relacionados com segurança
● Interferência de campos elétricos e magnéticos
● Convivência com a vegetação nas áreas distantes dos grandes centros e com
movimentos comunitários estabelecidos em torno da questão da posse de terras, com as
práticas agrícolas não saudáveis.
Transmissão
● Transmitir grandes quantidades de energia em um reduzido nível de tensão não é
econômico à luz da atual tecnologia por isso as subestações elevadores junto com as
usinas transformam a tensão para o nível adequado.
● A corrente contínua em alta tensão(CCAT) serve algumas situações específicas:
Transmissão subterrâneos ou submarina, transmissão a distâncias muito longas,
interligação de sistemas com frequências diferentes.No brasil ela tem aplicação no
sistema de transmissão de Itaipu, conectado ao sistema sudeste na região de São
Paulo,as máquinas de usina de Itaipu pertencentes ao Paraguai ( onde a frequência é 50
Hz) perfazendo uma capacidade de transmissão contínua de 6.300 mW.
Figura 3.Diagrama Unifilar de um sistema elétrico de potência
Definições e funções das linhas, as subestações e os circuitos nos
sistemas elétricos
● Transmissão:interliga a geração aos centros de carga;
● Interconexão: transmissão que efetua a interligação entre sistemas independentes;
● Distribuição: rede que interliga a transmissão aos pontos de consumo.
● LINHA DE DISTRIBUIÇÃO - é conjunto de condutores, isoladores, estruturas e
acessórios, utilizada para o transporte da energia elétrica entre as subestações e os
consumidores finais, as quais operam usualmente com tensões de 34,5 kV (trinta e
quatro vírgula cinco kilovolts) e 13,8 kV (treze vírgula oito kilovolts).
● LINHA DE SUBTRANSMISSÃO – é conjunto de condutores, isoladores, estruturas e
acessórios, utilizada para o transporte da energia elétrica entre as subestações e que
operam com tensões iguais a 34,5 kV (trinta e quatro vírgula cinco kilovolts).
Figura 4. Impactos socioambientais das linhas de transmissão
ASPECTOS SOCIOAMBIENTAIS DOS SISTEMAS DE TRANSMISSÃO
● Desobstrução da faixa( desmatamento para início das obras),escavações para as
fundações, montagem das estruturas(movimentação local), implantação de um canteiro
de obras, abertura de estradas de acesso, efeito de campos elétricos e magnéticos( a
existência desses campos pode causar indução de tensão e corrente em objetos
metálicos), efeito corona( refere-se a fontes de interferência eletromagnética que causam
problemas de recepção em aparelhos de rádio e TV trazendo incômodo para os
moradores, produz ruído e formação de ozônio e óxido de nitrogênio que por sua vez
contribuem para a formação de chuva ácida), transferências de potencial( as linhas de
transmissão e subestações estão sujeitas à ocorrência de curtos-circuitos, a corrente que
flui para a terra neste momento pode atravessar o corpo humano e ocasionar a morte)
Distribuição
● Está associada ao transporte de energia no varejo ou seja do ponto de chegada de
transmissão até cada consumidor individualizado,são em certos casos conectadas por
meio dos sistemas anteriormente conhecidos como de subtransmissão , cuja
nomenclatura não se mantém no novo modelo do setor elétrico brasileiro, no qual o
sistema interligado é formado por dois componentes: a rede básica( para tensões acima
ou iguais a 230 kv, compondo a transmissão) e a distribuição( para tensões abaixo de
230 kv) .
● Nos grandes centros o impacto econômico dos custos das áreas necessárias para a
construção das subestações e das linhas pode ser decisório no que se refere a
tecnologia utilizada.
Figura 5. Processo de distribuição de energia elétrica
ASPECTOS SOCIOAMBIENTAIS DOS SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO
● No âmbito do setor elétrico, projetos de distribuição não se encontram sujeitos aos
mesmos requisitos de licenciamento ambiental dos projetos de geração de maior porte e
dos projetos de transmissão.Muitos acidentes acontecem porque muitas empresas têm
dificuldades para atender as ocorrências durante emergências como alagamentos,
congestionamentos e etc.
● Temos a questão da arborização pois é necessário a prática da poda das árvores para a
manutenção da rede de distribuição aérea já que a arborização urbana mal planejada
pode acarretar problemas como interrupções no fornecimento de energia, perda da
eficiência da iluminação pública, entupimento de calhas e bueiros, danos aos muros e
telhados. visando a conservação da energia empresas de distribuição criaram programas
para solucionar estes problemas como : plantio de espécies adequadas, substituição de
árvores incompatíveis com o espaço urbano, treinamento da equipe de podas e
educação ambiental.
Principais processos de transformação utilizada para a geração de
eletricidade
● Transformação de energia mecânica em elétrica por meio das turbinas hidráulicas e
eólicas.
● Transformação direta da energia solar em elétrica por meio de células fotovoltaicas.
● Transformação de energia térmica em energia mecânica
● Transformação da energia produzida por reações químicas como no caso das células a
combustível.
● Opções de geração: hidrelétricas,termoelétricas, solares, eólicas, células a combustível,
aproveitamento de energia oceânica, e os outras tecnologias em desenvolvimento tais como o
sistema de armazenamento e a fusão nuclear.
Figura 6. Comparação entre a oferta de energia elétrica no Brasil(A) e no mundo(B).
Figura 7. Comparação das diversas fontes de energia : Brasil, OECD e Mundo.
Figura 8. Diagrama do sistema elétrico Brasileiro interligado.
Principais desvantagens da interligação em diferentes sistemas
● A necessidade de operação segura do ponto de vista da estabilidade entre
geradores,pois um distúrbio em um local pode provocar o desligamento de outros
geradores em locais mais distantes, isso pode ser superado com o dimensionamento
adequado do sistema para os defeitos mais frequentes, melhoria do sistema de proteção
com a adoção de atuações protetivas que isolam a área defeituosa e introdução de
técnicas modernas de gestão de confiabilidade.
● Aumento dos níveis de corrente de curto-circuito que pode ocasionar a necessidade do
uso de equipamentos mais dispendiosos nas subestações novas e/ou a troca de
equipamentos nas já existentes , mas esse aumento tem vantagens como a melhoria do
desempenho do sistema diante de perturbações como a injeção de correntes
harmônicas, variações da tensão decorrentes de manobras de cargas.
CENTRAIS HIDRELÉTRICAS

Figura 9. Diagrama Geral de uma hidrelétrica


ASPECTOS BÁSICOS DA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NAS
CENTRAIS HIDRELÉTRICAS
● Esta produção depende entre outros fatores da vazão de água efetivamente usada para
produzir a energia mecânica que acionará o gerador elétrico( por causa das interações
eletromagnéticas ocorridas em seu interior) essa vazão se chama turbinável e é medida
em m³/s.
● Utiliza- se os geradores síncronos de corrente alternada porque os sistemas de potência
devem operar com frequência fixa ( 60 Hz) , para controlar esta potência utiliza- se os
reguladores de tensão ( controlando a tensão nos terminais do gerador por atuação na
tensão aplicada na corrente e no enrolamento do rotor do mesmo gerador), e de
velocidade ( controlando a frequência pela variação de potência por atuação na válvula
de entrada de água da turbina).
Figura 10. Hidrelétrica em Barramento
Figura 11. Central hidrelétrica em desvio
TIPOS DE CENTRAIS HIDRELÉTRICAS
● Quanto a função no sistema:Centrais a fio d’água(tem uma capacidade de
armazenamento muito pequena e, em geral, dispõe somente da vazão natural do curso
d´água),centrais de acumulação e centrais reversíveis
● Quanto à potência: micro P < 100 kW ,mini 100 < P < kW,pequenas < P < kW, médias <
P < kW, grandes P > kW
● Quanto à altura de queda d’água: baixíssima H < 10 metros, baixa 10 < H < 50
metros,média 50 < H < 250 metros,alta H < 250 metros
● Quanto à forma de captação da água: leito de rio ou de barramento, desvio ou em
derivação
ESTUDOS PRÉVIOS DE IMPACTO AMBIENTAL(EPIAs).
● Abastecimento da água: Estima-se que o consumo humano per capita para
dessedentação seja de dois a três litros de água por dia. 80% das doenças de origem
hídrica e mais de ⅓ das mortes nos países em desenvolvimento são causadas por
consumo de água contaminada.
● A situação da rede de água e saneamento no Brasil é bastante deficiente e segundos
dados de 1999 os abastecimentos de água potável cobrem apenas 85% do meio urbano
e 31% do rural, apenas 55% do meio urbano é coberto e no rural apenas 3%.
● No uso industrial apenas 9% da água utilizada apresenta caráter consumptivo e na
devolução da água representa maior potencial poluidor é preciso um tratamento prévio
de acordo com as estações de tratamento de efluentes(ETE), o reúso da água nos
processos industriais pode baixar em até 50% a captação original.
Centrais Termoelétricas

Figura 12. Termoelétrica a vapor.


A energia mecânica é produzida por transformação de energia térmica , originada por
processos de combustão ou de fissão nuclear.

Figura 13. Usina Termoelétrica


Figura 14. Diagrama do vapor d’água
Figura 15. Configuração de uma termoelétrica a vapor e seu ciclo Rankine no diagrama TxS
Termoelétricas a gás e diesel

Figura 16. Regeneradores utilizados em vários estágios


Principais aspectos de inserção no meio ambiente

Figura 17. Fatores médios de emissão dos poluentes(SO2,CO2 E PM) para vários tipos de Termoelétrica
Figura 18. Efluentes aéreos e líquidos
SISTEMA SOLAR FOTOVOLTAICO

Figura 19. Diagrama de bloco de um sistema solar fotovoltaico


Aspectos básicos e socioambientais do sistema solar fotovoltaico

● A energia solar propaga-se para a Terra por meio de radiação eletromagnética que a
partir do limite superior da atmosfera sofre uma série de reflexões,dispersões e
absorções em seu percurso até o solo, em razão da natureza variável da radiação solar
incidente na superfície terrestre é conveniente que as estimativas e previsões do recurso
solar sejam baseadas em informações solarimétricas levantadas durante prolongados
períodos.
● A geração fotovoltaica é adequada para a alimentação de pequenas cargas, os módulos
são fáceis de transportar e requerem pouca manutenção com vida útil média de cerca de
20 anos, já as baterias são trocadas após alguns anos e o seu descarte é um dos
problemas.
Figura 20. Tipos de sistemas fotovoltaicos
Aspectos básicos e socioambientais da energia eólica
● O vento é influenciado pela rotação da Terra, que provoca variações sazonais na sua
intensidade e direção pela topografia do local, no tratamento dos dados a curva mais
importantes é a da frequência das velocidades que fornece o período em que uma
velocidade de vento foi observada, principais componentes são: rotor,
transmissão,controle,conversor e sistema de armazenamento(quando não conectado à
rede).
● Pequenas turbinas com potência de 50W Até 2kW são usadas para carregar baterias ,
acima de 5MW são usadas em fazendas eólicas de médio e grande porte, em sistemas
eólicos terrestres , estes podem ser ligados à rede elétrica principal sem afetar a
qualidade da energia.
Figura 21. Diagrama de bloco de um sistema eólico
TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E IMPACTOS AMBIENTAIS

Figura 22.Processo de determinação do condutor mais econômico para um par de valores fixos de tensão e
potência
Figura 23. Custo total da transmissão em função da potência a ser transmitida
Figura 24. Comparação do custo econômico entre CC e CA: Do ponto de vista da linha(custo por km) CC é
mais barata(menos condutores,torres mais leves, porém avaliando equipamentos e sistemas adicionais é mais
cara)
Referências Bibliográficas
● Figura [13] .

energia mcpe blogspot/usina termoelétrica

www.ebah.com.br/geração transmissão e distribuição de energia elétrica

www.slideplayer.com.br/slide/1252407/Curso de especialização em eficiência energética

● Figura[6],[7] .

Energia, meio ambiente e economia: o Brasil no contexto mundial/Quím. Nova vol.32 no.3 São Paulo
2009

● Figuras [3],{8],[10],[11],[14],[15],[16],[19],[21],[22],[23] e [24].

Livro: Energia Elétrica e Sustentabilidade, Aspectos tecnológicos,socioambientais e legais / 2


edição/Lineu Belico dos Reis e Eldis Camargo Santos

Оценить