Вы находитесь на странице: 1из 16

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL
DISCIPLINA: LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA I (2569)

Prática 1: MEDIDAS DE PRESSÃO

Alunos: Bruno Augusto Yoshioka RA: 85637


Lucas Eduardo Cariolando RA: 83444
Roberta de Oliveira Pavão RA: 82774

Professor: Oswaldo Teruo Kaminata

Maringá, 10 de Abril de 2015


1. Assunto

Medidas de pressão.

2. Objetivos

Determinar as medidas de alta e baixa pressão em água, utilizando a


leitura direta (régua ou limnímetro), o piezômetro (tubo vertical) e o manômetro
(tubo em forma de U), bem como compará-los.

3. Fundamentação Teórica

Para a realização das medidas de alta e baixa pressão em água, faz-se


necessário o conhecimento de alguns conceitos como:

 Massa específica, ou densidade absoluta, é a razão entre a massa de


uma porção compacta e homogênea dessa substância e o volume
ocupado por ela. Matematicamente expressada como:

𝑚
𝜇=
𝑉

Em que:

 m = massa de uma porção compacta e homogênea da substância;


 V = volume ocupado pela substância.

No Sistema Internacional de Unidades a unidade de massa específica é


kg/m³. (MARQUES, 2013)

 Peso específico pode ser definido como a razão existente entre a


intensidade do seu peso e o volume ocupado. Matematicamente
expressada como:

𝑃
𝛾=
𝑉
Em que:

 P = peso que a substância exerce;


 V = volume ocupado pela substância.

No Sistema Internacional de Unidades a unidade de massa específica é


N/m³. O peso específico da água é 1000 N/m³ e o do mercúrio é 13600
N/m³. (COLEGIOWEB, 2012)

 Densidade relativa, ou densidade de um material, é a relação entre a


massa específica desse material e a massa específica de uma substância
tomada por base. No caso dos líquidos, essa substância é a água. (SILVA,
2012)
Matematicamente expressada como:

𝜇𝑎
𝜇𝑎𝑏 =
𝜇𝑏

Em que:

 𝜇𝑎 = massa específica da substância a;


 𝜇𝑏 = massa específica da substância b.

 Pressão é definida como uma força sendo aplicada em uma unidade de


área. Pressão absoluta é aquela referida à pressão zero absoluta, aquela
correspondente ao vácuo perfeito. Já a pressão efetiva é aquela medida
em uma escala cuja origem coincide com a pressão atmosférica local.
Uma pressão efetiva pode ser positiva, nula ou negativa, enquanto que a
pressão absoluta não pode ser negativa. Matematicamente expressada
como:
𝐹
𝑃=
𝐴

Em que:

 F = força exercida;
 A = área sob a qual a força está sendo exercida.
No Sistema Internacional de Unidades a unidade de pressão é N/m².
(SILVA, 2011)

Os dispositivos comumente usados para medir as pressões são o


piezômetro e o manômetro de tubo em “U”. O piezômetro é um dispositivo onde
a pressão é calculada pela lei de Stevin, uma vez conhecido o peso específico
da substância. Consiste na inserção de um tubo transparente na canalização
onde se quer medir a pressão. O líquido subirá no tubo piezométrico a uma
altura, correspondente à pressão interna. O manômetro em “U” é utilizado para
medir pressões muito pequenas ou muito grandes para o piezômetro. Quando
se trata de pressões altas, a substância utilizada no manômetro é o mercúrio, de
forma a reduzir o comprimento da escala. A pressão nesses casos é obtida pela
fórmula:

𝑃 = 𝜌. 𝑔. ℎ

Em que:

 𝜌 = massa específica da água;


 g = aceleração da gravidade;
 h = diferença de altura entre o líquido nas extremidades do tudo.

No Sistema Internacional de Unidades a unidade de pressão é N/m².


(WIKIBOOKS, 2011)

Limnímetros são réguas com escalas fixas, com uma graduação,


parcialmente imersas no líquido. São usados para medidas de níveis e de
profundidade.

Para calcular os pesos específicos da água (ág) e do mercúrio contido nos


manômetros (Hg) foram utilizadas a Equação 1 e a Equação 2, a seguir:

9800−(𝑇𝑚 −4°)²
𝛾á𝑔 = (Equação 1)
18

𝛾ℎ𝑔 = 𝛾á𝑔 × 13,596 − 0,0024 × 𝑇𝑚 (Equação 2)


Em que:

 Tm = temperatura média da água medida no sistema (em ºC).

Para os cálculos de baixa e alta pressão com auxílio do limnímetro,


piezômetro e manômetro, foram utilizadas as equações:

Limnímetro

𝑃𝑎 = 𝛾á𝑔 × 𝐻 (Equação 3)

Piezômetro

𝑃𝐵 = 𝛾á𝑔 × (𝑌2 − 𝑌1 ) (Equação 4)

Manômetro de baixa pressão

𝑃𝐶 = ∆𝐻 × (𝛾ℎ𝑔 − 𝛾á𝑔 ) − (𝑌3 × 𝛾á𝑔 ) (Equação 5)

Manômetro de alta pressão

𝑃𝐷 = ∆𝐻 × (𝛾ℎ𝑔 − 𝛾á𝑔 ) − (𝑌4 × 𝛾á𝑔 ) (Equação 6)

Em que ∆𝐻, 𝑌1 , 𝑌2 , 𝑌3 e 𝑌4 são medidas de alturas especificadas nas Figura


2, Figura 3, Figura 4 e Figura 5.
4. Material Utilizado

 Canaleta
 Dimensão: 400 cm x 40 cm x 20 cm (comprimento x altura x largura);
 Material: Vidro, PVC e aço carbono;
 Inclinação variável;

 Bomba
 Potência: 7,5 CV;
 Vazão: 60 m3/h;
 Velocidade: 1710 rpm;
 Pressão: 15 mca (metro de coluna d’água);

 Reservatório
 Material: Fibrocimento;
 Capacidade: 2000 L;

 Tubos cilíndricos
 Material: PVC;
 Dimensão: 1 ½” e 3” de diâmetro;
 Liso e rugoso;

 Painel
 Material: Acrílicro;
 Composto por piezômetros e manômetros de mercúrio;

 Manômetro
 Função: Medir pressão;
 Manômetro de mercúrio;

 Piezômetro
 Função: Medir pressão;
 Limnímetro
 Função: Medir pressão;
 Escala em milímetro;

 Termômetro
 Função: Medir temperatura;

 Seringa
 Função: Retirar as bolhas presentes nas mangueiras.

Alguns desses materiais podem ser observados na Figura 1:

Figura 1 – Foto dos materiais utilizados no experimento.

5. Montagem

Para a realização da prática, inicialmente foi aferido a temperatura inicial


da água do reservatório com um termômetro graduado de mercúrio, em seguida
fechou-se todos os registros a fim de preservar a canaleta, uma vez que há a
possibilidade de danificar a mesma ao ligar a bomba, pois, caso contrário,
haveria um grande fluxo de água.
Em seguida, ligou-se a bomba e abriu-se os registros para preencher a
canaleta com água até a altura desejada. Para isso, elevou-se o vertedor até o
nível da água atingir tal altura, e após isso, diminui-se a vazão de água a fim de
obter um escoamento laminar, com fluxo constante entre o canal e a canaleta. É
importante notar que há a necessidade de retirar as bolhas de ar do piezômetro
com o auxílio de uma seringa. Após isso, nivelou-se a canaleta rotacionando a
manivela acoplada a mesma, utilizando como referência uma mangueira
transparente com água no seu interior.

Após o término do experimento, fechou-se todos os registros, desligou-se


a bomba, abaixou-se o vertedor e mediu-se a temperatura final da água.

6. Metodologia

Medida de baixa pressão (canaleta nivelada)

Na primeira parte do experimento, o objetivo é determinar a pressão nos


pontos A, B e C na canaleta, de modo que por ser um escoamento linear, tanto
a velocidade como a pressão são baixas.

a) Pressão em A (limnímetro)

Para se determinar a pressão no ponto A, inicialmente é necessário


nivelar a canaleta, ligar a bomba, abrir os registros de água e elevar o vertedor
em aproximadamente 28cm. Foi necessário esperar o nível da água estabilizar
e atingir um escoamento laminar para que se pudesse medir a altura da água
presente na canaleta com o auxílio de um limnímetro, este foi calibrado de forma
a deixar sua extremidade de gancho atingir o fundo da canaleta, fixando-se o
zero nesta posição a fim de aferir a altura da água. Para medir essa altura (H),
elevou-se a extremidade de gancho até a superfície da água e travou-se a
medida na régua do limnímetro.
Figura 2 – Medida de baixa pressão com o limnímetro

Após a medição da distância H, é possível determinar a pressão no


ponto A através da Equação 3.

b) Pressão em B (piezômetro)

Para se determinar a pressão no ponto B, é necessário medir as


distâncias Y1 (distância entre o fundo da canaleta e do marco zero do
piezômetro) e Y2 (distância entre o nível da água e o marco zero do piezômetro).
Para medir Y1, utilizou-se como referência a mangueira transparente com água,
deixando uma das pontas fixa no fundo da canaleta e levando a outra ponta até
a régua do piezômetro.

Afim de aumentar a eficácia e confiabilidade do experimento foi


necessário retirar as possíveis bolhas de ar presentes nas mangueiras que
conectam a água da canaleta até estes medidores, para isso desconectou-se
essa mangueira do piezômetro a qual estava acoplada e deixou-se a água
escorrer.

Acoplou-se as mangueiras novamente nos aparelhos e esperou a água


estabelecer seu nível. Para fazer a medição do piezômetro, aferiu-se o valor
atingido pela água, na régua do próprio instrumento (Y2).
Figura 3 – Medida de baixa pressão com o piezômetro

Após medir tanto Y1 como Y2, é possível determinar a pressão no ponto


B através da Equação 4.

c) Pressão em C (manômetro)

Para se determinar a pressão no ponto C, é necessário medir a distância


Y3 ( medida entre o fundo da canaleta e o marco zero do manômetro). Para isto,
utilizou-se o mesmo procedimento realizado na medida do Y1.

Em seguida, fazendo uso de um manômetro ligado a canaleta através de


uma mangueira, mediu-se a altura do mercúrio no manômetro nas duas
extremidades, e calculou-se a diferença entre essas alturas (∆H). É importante
notar que assim como no experimento envolvendo o piezômetro, foi necessária
a retirada das possíveis bolhas de ar presentes na mangueira da mesma maneira
supracitada.
Figura 4 – Medida de baixa pressão com o manômetro de mercúrio

A partir dos dados obtidos, é possível calcular a pressão no ponto C


através da Equação 5.

Na segunda parte do experimento, o objetivo é determinar a pressão no


ponto D na canaleta, de modo que o escoamento é turbulento devido à alta
pressão. Desse modo, a água se move em trajetórias irregulares e aleatórias.
Esse tipo de escoamento ocorre geralmente em líquidos de baixa viscosidade.
Normalmente apresentam velocidade e pressão maiores do que os líquidos em
escoamento laminar.

a) Pressão no ponto D (tubo)

Para se determinar a pressão no ponto D, é necessário inicialmente medir


as distâncias Y4 (distância entre o eixo do tubo e a altura do mercúrio da
extremidade mais distante) e ∆H (diferença entre as alturas das colunas de
mercúrio no manômetro).
Para medir a cota do tubo de PVC (Y4) de 1 ½” fixou-se uma das
extremidades da mangueira no eixo do tubo e a outra extremidade foi levada até
a régua do manômetro de alta pressão marcando o ponto em que a água atingiu
então, com o auxílio de uma trena, mediu-se a distância do ponto marcado até o
bulbo do manômetro.

A fim de medir a alta pressão no tubo de PVC de 1 ½”, abriu-se o registro


totalmente e deixou a água fluir, da mesma maneira, esperou-se água
estabelecer seu nível no manômetro de alta pressão, e aferiu-se os valores
atingidos pelo mercúrio em cada uma das extremidades do tubo e fez-se a
diferença entre esses valores (∆H).

Figura 5 – Medida de alta pressão com o manômetro de mercúrio

Após determinar os valores de Y4 e ∆H, é possível calcular a pressão no


ponto D através da Equação 6.

7. Resultados

7.1 Dados Obtidos

Por meio dos experimentos realizados, foram obtidos os seguintes


dados expressos na Tabela 1:
TEMPERATURA DA ÁGUA
Inicial 24,20° C
Final 24,50° C
Média 24,35° C
Tabela 1 – Temperatura da água no sistema.

BAIXA PRESSÃO
Limnímetro Piezômetro Manômetro
Y3 = 18,00 cm
Y1 = 0,00 cm
H = 33,62 cm H1 = 22,00 cm
H2 = 17,90 cm
Y2 = 33,30 cm
ΔH = 4,10 cm
Tabela 2 – Dados obtidos por meio de limnímetro, piezômetro e manômetro para
cálculo de baixa pressão.

ALTA PRESSÃO
ΔH =
Y4 = 96,20 cm H1 = 80,70 cm H2 = 11,20 cm
72,50 cm
Tabela 3 – Dados obtidos por meio de manômetro para cálculo de alta pressão.

7.2 Cálculos

Para calcular os pesos específicos da água (ág) e do mercúrio contido nos


manômetros (Hg) por meio da Equação 1 e da Equação 2, temos:

9800 − (24,35° − 4°)²


𝛾á𝑔 = ∴ 𝜸á𝒈 = 𝟗. 𝟕𝟕𝟔, 𝟗𝟗 𝑵/𝒎³
18

𝛾ℎ𝑔 = 9776,99 × 13,596 − 0,0024 ∴ 𝜸𝒉𝒈 = 𝟏𝟑𝟐. 𝟗𝟐𝟕, 𝟖𝟗 𝑵/𝒎³

Para os cálculos de baixa e alta pressão com auxílio do limnímetro,


piezômetro e manômetro, foram utilizadas as seguintes equações:
A. Limnímetro

Substituindo os valores obtidos, na Equação 3, temos:

𝑃𝐴 = 9.776,99 × 0.3362 ∴ 𝑷𝑨 = 𝟑. 𝟐𝟖𝟕, 𝟎𝟐 𝑵/𝒎²

B. Piezômetro

Substituindo os valores obtidos, na Equação 4, temos:

𝑃𝐵 = 9.776,99 × (0.333 − 0) ∴ 𝑷𝑩 = 𝟑. 𝟐𝟓𝟓, 𝟕𝟒 𝑵/𝒎²

C. Manômetro de baixa pressão

Substituindo os valores obtidos, na Equação 5, temos:

𝑃𝐶 = 0,041 × (1.32927,89 − 9776,99) − (0,18 × 9776,99) ∴


𝑷𝑪 = 𝟑. 𝟐𝟖𝟗, 𝟑𝟑 𝑵/𝒎²

D. Manômetro de alta pressão

Substituindo os valores obtidos, na Equação 6, temos:

𝑃𝐷 = 0,725 × (1.32927,89 − 9776,99) − (0,962 × 9776,99) ∴


𝑷𝑫 = 𝟗𝟖. 𝟔𝟖𝟗, 𝟖𝟕 𝑵/𝒎²

Realizando uma comparação percentual entre as medidas de baixa


pressão pelo limnímetro e piezômetro, e depois, entre as medidas de baixa
pressão pelo limnímetro e manômetro obteve-se os seguintes valores:
Limnímetro e piezômetro

|𝑃𝐵 − 𝑃𝐴 | |3255,74 − 3287,02|


× 100% = × 100% = 𝟎, 𝟗𝟓%
𝑃𝐴 3287,02

Limnímetro e manômetro

|𝑃𝐶 − 𝑃𝐴 | |3289,33 − 3287,02|


× 100% = × 100% = 𝟎, 𝟎𝟕%
𝑃𝐴 3287,02

8. Conclusão

Como foram realizadas três medições de baixa pressão em relação a


pontos de mesma altura da canaleta, teoricamente, as pressões encontradas
deveriam ter o mesmo valor.

Comparando percentualmente as pressões encontradas por meio de


limnímetro, piezômetro e manômetro, e tomando a medida direta como
referência, ou seja, a medida realizada com o limnímetro, observou-se desvios
padrões menores do que 10%, entre os resultados. Dessa maneira, os valores
obtidos experimentalmente, podem ser considerados consistentes e assim, é
possível concluir que, mesmo com as pequenas discrepâncias, a prática prova
a teoria de que pontos posicionados na mesma altura, possuem a mesma
pressão.

A quarta pressão calculada, foi encontrada sob circunstâncias diferentes,


obtendo-se assim um valor muito mais elevado, ou seja, um valor de alta
pressão. Assim, pode-se concluir que o escoamento turbulento gerado pela
abertura do segundo registro, possui muita influência no valor da pressão em um
ponto.

As incertezas e discrepâncias nos resultados se devem a erros


experimentais como por exemplo, erro na leitura dos aparelhos, erros de
arredondamento para os cálculos realizados, presença de bolhas
remanescentes de ar nas mangueiras de ligação, incerteza no nivelamento por
mangueira transparente contendo água, falha de equipamentos ou calibração
dos medidores, entre outros.

9. Referências

COLEGIOWEB. Peso específico. 2012. Disponível em:


<http://www.colegioweb.com.br/trabalhos-escolares/fisica/hidrostatica/peso-
especifico.html>. Acesso em: 05/04/2013.

MARQUES, Domiciano. Massa específica. 2013. Disponível em: <


http://www.brasilescola.com/fisica/massa-especifica.html>. Acesso em:
05/04/2013.

SILVA, Domiciano Correa Marques da. Massa específica e densidade


relativa. 2012. Disponível em: <http://www.alunosonline.com.br/fisica/massa-
especifica-densidade-relativa.html>. Acesso em: 04/05/2015.

SILVA, Marco Aurélio da. Pressão. 2011. Disponível em:


<http://www.brasilescola.com/fisica/pressao.html>. Acesso em: 04/05/2015.

WIKIBOOKS. Mecânica dos fluidos/ Manômetros. 2011. Disponível em:


<http://pt.wikibooks.org/wiki/Mec%C3%A2nica_dos_fluidos/Man%C3%B4metro
s>. Acesso em: 04/05/2015.