Вы находитесь на странице: 1из 13

 2 colheres de sobremesa ou 2 a 3 centímetros (6g) de gengibre fresco (Zingiber officinale) (rizoma);

 4 colheres de sopa de amora branca (Morus alba) (folhas) (12g);


 1 litro de água.
Modo de fazer:
Descascar e ralar um pedaço de gengibre, adicionar 4 colheres (sopa) de folhas de amora branca em 1
litro de água a 85°C. Deixar em infusão por 10 minutos. Coar e consumir ao longo do dia.

*Propriedades: antimutagênicas, anti-inflamatórias, hipoglicemiante, antimicrobiano.

 1 litro de água;
 2 colheres de sobremesa ou 2 a 3 centímetros (6g) de gengibre fresco (Zingiber officinale) (rizoma);
 Casca de 15 unidades de jabuticabas ou 2 colheres de sopa de hibisco (Hibiscus sabdariffa) (flor) (12g) ou
1 colher de sopa de anis estrelado (Illicium verum Hook) (fruto seco) (15g).
Modo de fazer:
Em uma panela, coloque a água fria, o gengibre e as cascas de jabuticaba e tampe, após levantar fervura
(100°C) aguarde de 8 a 10 minutos. Desligue o fogo e, quando a água atingir 85°C, junte o hibisco ou anis
estrelado (se optar por anis estrelado ferva junto com o gengibre e as cascas). Abafe por mais 10
minutos e coe. Consuma ao longo do dia.

 40g de mulungu (Erythrina mulungu) (casca);


 40g de camomila (Matricaria chamomilla L.) (flores);
 40g melissa (Melissa officialis L.) (folha);
 40g de maracujá (Passiflora incarnata) (folhas);
 Água.
Modo de fazer:
Triturar as ervas no mixer ou liquidificador e armazenar em uma embalagem de vidro, guardar ao abrigo
da luz e umidade. Utilizar 5 colheres de sopa cheias (30g) da mistura para 1 litro de agua quente (85°C).
Deixar em infusão por 10 minutos. Consumir 1 a 2 xícaras (200ml cada) antes de dormir.
 40g de erva-doce (Pinpinella anisum) (semente);
 40g de camomila (Matricaria chamomilla L.) (flores);
 40g de chá verde (Camellia sinensis) (folhas);
 40g de cardamomo (Elettaria cardamomum) (semente);
 40g de maçã seca (Malus domestica) (fruto seco);
 2 colheres de sobremesa de gengibre (Zingiber officinale) (rizoma) (6g);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Triturar as ervas no mixer ou liquidificador e armazenar em uma embalagem de vidro, guardar ao abrigo
da luz e umidade. Colocar o gengibre em água fria, após levar ao fogo, quando levantar fervura (100°C)
aguardar 5 minutos e desligar. Quando a água atingir 85°C utilizar 3 colher de sopa cheia (18g) da mistura
das folhas secas para o litro de chá de gengibre preparado anteriormente. Deixar em infusão por 10
minutos. Coar. Consumir ao longo do dia.

 2 colheres de sobremesa de gengibre (6g) (Zingiber officinale) (rizoma);


 3 colheres de chá de funcho (10g) (Foeniculum vulgare M.) (sementes);
 5 colher de chá de hortelã (8g) (Mentha piperita L.) (folhas);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Colocar o gengibre em água fria (1 litro), levar ao fogo, quando levantar fervura (100°C) contar no mínimo
5 minutos e desligar. Quando a água atingir 85°C adicionar o funcho e o hortelã, abafar e deixar em
infusão por 5 a 10 minutos. Coar. Consumir 1 xícara (200ml) após as refeições.

 1 litro de água;
 4 colheres de sobremesa (20g) de espinheira-santa (Maytenus ilicifolia Mart.) (folhas);
 1 colher de sopa (10g) de alecrim (Rosamrinus officianalis L.) (folha);
 5 colheres de chá de hortelã (8g) (Mentha piperita L.) (folhas).
Modo de fazer:
Ferva 1 litro de água (100°C), retire do fogo. Quando a água atingir 85°C adicione as ervas e abafe por 10
min. Coar e consumir 1 xícara (200ml).
 1 litro de água;
 2 colheres de sopa (12g) de hibisco (Hibiscus sabdariffa) (flor);
 1 colher de sopa (6g) de capim cidreira (Cymbopogon citratus) (folhas).
Modo de fazer:
Leve um 1 litro de água ao fogo. Assim que começar a levantar as primeiras bolhas (100°C) desligue.
Quando a água atingir 85°C acrescente o hibisco seco e a erva cidreira. Desligue o fogo, tampe e deixe
descansar por 5 a 10 minutos. Coe em seguida. Consumir ao longo do dia.

*Propriedades: antioxidante, diurético, colerético (aumenta a quantidade de bile secretada pelo fígado),
hipotensor.

 1 litro de água;
 5 colheres de sopa (30g) de hibisco (Hibiscus sabdariffa) (flor);
 3 colheres de sopa (18g) de cavalinha (Equisetum arvense L.) (planta inteira e partes aéreas).
Modo de fazer:
Leve um 1 litro de água ao fogo. Assim que começar a levantar as primeiras bolhas, (100°C) desligue.
Quando a água atingir 85°C acrescente o hibisco e, então a cavalinha. Abafe por 10 minutos e coe em
seguida. Tome durante todo o dia e, principalmente, 30 minutos antes das refeições. Consumir 1 xícara
(200ml).

 3 colheres de sopa (12g) centela (Centella asiática) (folhas)


 5 colher de chá de hortelã (8g) (Mentha piperita L.) (folhas);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Ferver 1 litro de água a 100°C e desligar. Quando a água atingir 85°C adicionar as ervas, abafar por 10
minutos.

 40g de dente de leão (Taraxacum officinalis) (raíz e folha);


 40g de cavalinha (Equisetum arvense L.) (planta inteira e partes aéreas);
 40g de hibisco (Hibiscus sabdariffa) (flor);
 40g de chapéu de couro (Echinodorus macrophyllum) (folhas);
 40g de salsaparrilha (Smilax aristolochiaefolia) (raíz);
 1 colher de sopa (15g) anis estrelado (Illicium verum Hook) (fruto seco) para 1 litro;
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Triturar as ervas no mixer ou liquidificador e armazenar em uma embalagem de vidro, guardar ao abrigo
da luz e umidade. Colocar o anis estrelado em água fria (1 litro), após levar ao fogo, quando levantar
fervura (100°C) contar 5min e desligar. Quando a água atingir 85°C, colocar 3 colheres de sopa (18g) da
mistura de ervas no litro de anis preparado anteriormente. Deixar em infusão por 5 minutos. Consumir ao
longo do dia.

 2 colheres de sopa de hibisco (12g) (Hibiscus sabdariffa) (flor);


 3 colheres de sopa (18g) de cavalinha (Equisetum arvense L.) (planta inteira e partes aéreas);
 1 colher de sobremesa (1g) de cabelo de milho (Zea mays L) (estigmas);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Colocar 1 litro de água para ferver, quando as bolhas começarem (100°C) desligue. Após a água atingir
85°C adicione as ervas e abafe. Deixe em infusão por 10 minutos. Consumir 1 xícara (200ml) antes de
dormir.

 3 colheres de chá de funcho (10g) (Foeniculum vulgare M.) (sementes);


 2 colheres de sobremesa de gengibre (6g) (Zingiber officinale) (rizoma);
 5 colher de chá de hortelã (8g) (Mentha piperita L.) (folhas);
 1 litro de água.
Modo de preparo:
Colocar o gengibre em água fria, após levar ao fogo, quando levantar fervura (100°C) aguardar de 5 a 10
minutos e desligar. Quando a água atingir 85°C adicionar o funcho e o hortelã. Deixa em infusão por 5
minutos. Consumir 1 xícara (200ml) após as refeições.
 40g de mulungu (Erythrina mulungu) (casca);
 40g de camomila (Matricaria chamomilla L.) (flores);
 40g melissa (Melissa officialis L.) (folha);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Misturar as ervas em proporções equivalentes, triturar no mixer ou liquidificador e armazenar em uma
embalagem de vidro bem fechada, guardar ao abrigo da luz e umidade. Utilizar 5 colheres de sopa cheia
(30g) da mistura para 1 litro de água quente (85°C). Deixar em infusão por 10 minutos. Consumir 1 xícara
(200ml) antes de dormir.

 1 colher de sopa (6g) de dente de leão (Taraxacum officinalis) (raíz e folha);


 1 colher de sopa (10g) de alcachofra (Cynara scolymus L.) (folhas);
 2 colheres de sopa de hibisco (12g) (Hibiscus sabdariffa) (flor);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Colocar 1 litro de água para ferver, quando as bolhas começarem (100°C) desligue. Após a água atingir
85°C adicione as ervas e abafar. Deixar em infusão por 10 minutos.

 30g de canela em pau (Cinnamomum zeylanicum) (casca);


 1 colher de sobremesa (3g) de pata de vaca (Bauhinia forficata) (folhas);
 1 colher de sobremesa (3g) de chá verde (Camellia sinensis) (folhas);
 1 litro de água.
Modo de preparo:
Colocar a canela em 1 litro de água fria e deixar de molho por 24h. Após, levar ao fogo. Quando iniciar a
fervura (100°C) contar 30 minutos e desligar o fogo. Quando a água atingir 85°C adicionar a pata de vaca
e o chá verde. Deixa em infusão por 10 minutos. Consumir 1 xícara (200ml) após as refeições com
carboidratos.

 1 colher de chá (1,5g) de cúrcuma em pó (Curcuma longa) (rizoma);


 2 colheres de sobremesa de gengibre (6g) (Zingiber officinale) (rizoma);
 1 colher de sobremesa (3g) de chá verde (Camellia sinensis) (folha);
 1 litro de água.
Modo de preparo:
Colocar o gengibre em água fria (1 litro), após levar ao fogo, quando levantar fervura (100°C) contar 5 a 10
minutos e desligar. Quando a água atingir a temperatura de 85°C adicionar a cúrcuma e o chá verde.
Deixa em infusão por 10 minutos.

 1 colher de sobremesa (3g) de calêndula (Calendula officinalis) (flores);


 3 colheres de sopa (9g) de orégano seco (Origanum vulgare) (folhas);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Ferver a água (100°C) e desligar. Quando a água atingir 85°C adicionar as ervas e deixar em infusão por
10 minutos. Consumir 1 xícara (200ml) antes de dormir.

 Casca de 1 maçã (Malus domestica) (casca);


 2 colheres de sobremesa de gengibre (6g) (Zingiber officinale) (rizoma);
 30g de canela em pau (Cinnamomum zeylanicum) (casca);
 4 colheres de café de cravo-da-índia (8g) (Eugenia caryophyllata) (florais secos);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Colocar a canela em 1 litro de água fria e deixar de molho por 24h, após isso levar ao fogo junto com a
casca de maçã e o cravo-da-índia, quando iniciarem as bolhas (100°C) contar 30 minutos e desligar o
fogo. Quando a água atingir 85°C, adicionar o gengibre ralado e deixar em infusão por 10 minutos.
Consumir 1 xícara (200ml).
 1 fatia de abacaxi (100g) (Ananas comosus) (fruto);
 2 colheres de sobremesa de gengibre (6g) (Zingiber officinale) (rizoma);
 2 colher de sopa (12g) de casca de romã (Punica granatum) (casca);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Colocar em água fria o abacaxi, o gengibre e o romã, levar ao fogo, quando levantar fervura (100°C)
esperar 5 minutos e desligar. Consumir uma xícara de chá (200ml) nos intervalos das refeições, até 5
vezes por dia.

 1 colher de sopa (6g) de chá verde (Camellia sinensis) (folha);


 1 colher de sopa (6g) de erva-doce (Pinpinella anisum) (semente);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Ferver 1 litro de água a 100°C e desligar. Quando a água atingir 85°C adicionar as ervas, abafar por 10
minutos. Consumir 1 xícara (200ml).

 1 colher de chá (3g) de casca de laranja desidratada (Citrus X sinensis) (casca);


 3 colheres de sopa (20g) de alfafa desidratada (Medicago sativa L.) (folha);
 2 colheres de sopa de hibisco desidratado (12g) (Hibiscus sabdariffa) (flor);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Colocar a casca de laranja em água fria (1 litro), levar ao fogo, contar 5 minutos após levantar fervura
(100°C) e desligar. Quando a água atingir 85°C adicionar a alfafa e o hibiscos e deixar em infusão por
10min.

 1 colher de sopa (10g) de alcachofra (Cynara scolymus L.) (folhas);


 3 colheres de sopa (18g) de cavalinha (Equisetum arvense L.) (planta inteira e partes aéreas);
 1 colher de sopa (10g) capim cidreira (Cymbopogon citratus) (folhas);
 1 litro de água.
Modo de fazer:
Ferver 1 litro de água a 100°C e desligar. Quando a água atingir 85°C adicionar as ervas, abafar por 10
minutos.

 40g de hortelã (Mentha piperita L.) (folhas);


 40g de anis estrelado (Illicium verum Hook) (fruto seco);
 40g de funcho (Foeniculum vulgare M.) (sementes);
 40g de erva-doce (Pinpinella anisum) (semente);
 40g de camomila (Matricaria chamomilla L.) (flores);

Modo de fazer:
Triturar as ervas no mixer ou liquidificador e armazenar em uma embalagem de vidro, guardar ao abrigo
da luz e umidade. Ferver 1 litro de água a 100°C e desligar. Quando a água atingir 85°C adicionar 4
colheres (sopa) da mistura das ervas, abafar por 5 minutos. Coar e consumir após as refeições.
Atenção:

FORMAS DE PREPARO DE CHÁS:

Tomar um bom chá – seja preto, verde, de ervas, de flores, de frutas ou de raízes – é um hábito
ligado ao prazer, ao conforto e ao convívio social. O chá, uma das bebidas mais consumidas no mundo,
pode ser utilizado com vistas a se obter benefícios de suas propriedades terapêuticas, desde que se saiba
quando, o quanto e como utilizá-lo.

INFUSÃO: Conhecida popularmente como chá caseiro. Para o preparo, é despejada água fervente em um
recipiente (em geral uma xícara de vidro ou porcelana com capacidade de volume variando entre 150 e
200ml), junto com duas colheres de chá da planta desidratada (seca) ou 1 colher de chá da planta in
natura (fresca). Espera-se de 5 a 10 minutos, abafando o recipiente, sendo esta forma ideal para as
folhas, as flores e os ramos finos.

DECOCÇÃO: É o processo de cozimento das plantas medicinais que são colocadas em recipiente
adequado (não metálico). Essa técnica é utilizada para plantas como casca, raiz e folhas muito duras. Os
intervalos de tempo médio estabelecidos para as ervas em fogo brando são: Folhas e flores: 2 minutos;
Raízes e caules: 7 minutos; Planta toda: 10 minutos.

REFERÊNCIA: KALLUF, L. Fitoterapia Funcional: Dos princípios ativos à prescrição de fitoterápicos. 2


ed., 2015.
CONTRAINDICAÇÕES

Gengibre (Zingiber officinale): nenhum efeito tóxico foi reportado. Algumas pessoas podem ter efeitos
colaterais leves, incluindo azia, diarreia e desconforto gástrico. Altas doses de gengibre pode diminuir a
agregação plaquetária, portanto, deve-se evitar o uso concomitante com anticoagulantes, especialmente
próximo a procedimentos cirúrgicos. O gengibre pode reduzir a glicose sérica. Pacientes com uso de
hipoglicemiantes devem acompanhar os níveis de glicose. A suplementação de gengibre é contraindicada
na gravidez e na lactação.

Capim cidreira (Cymbopogon citratus): O linalol e o terpineol produzem um efeito depressor do sistema
nervoso central, podendo provocar sonolência. É contraindicado o uso durante a gestação e lactação.

Hibisco (Hibiscus sabdariffa): não pode ser usado por gestantes e lactantes e mulheres em idade fértil
que estejam tentando engravidar.

Cavalinha (Equisetum arvense L.): não deve ser usada por pacientes com disfunção cardíaca ou renal.
Não apresenta efeitos colaterais, quando usado em doses terapêuticas, porém não é recomendado o seu
uso contínuo.

Alcachofra (Cynara scolymus L.): é contraindicado em casos de cálculos biliares, sendo que, em
algumas pessoas, pode ocorrer flatulência e reações alérgicas. Não deve ser administrado por crianças
menores de 12 anos de idade, durante a gravidez e lactação.

Centela (Centella asiática): o consumo de altas doses por via oral podem provocar cefaleias, vertigens,
hipotensão arterial e estados narcóticos leves a moderados. Além disso, tem apresentado efeitos
hepatotóxicos e depressores do sistema nervoso central. É contraindicada em pessoas alérgicas às
plantas angiospérmicas da família Apiaceae, como salsa e cenoura. Tratamentos prolongados podem
elevar o colesterol total nos pacientes. É contraindicado o uso na gestação e lactação.

Chá verde (Camellia sinensis): a ingestão demasiada ou, em longo prazo, a Camellia sinensis pode
elevar a pressão arterial. Há relatos de reações adversas como nervosismo, insônia, taquicardia,
extrassístoles, poliúria. É contraindicado o uso na gestação e lactação.
Romã (Punica granatum): não há evidências de efeitos colaterais descritos na literatura, porém seu uso é
contraindicado na gestação e durante a lactação. Gastrite e ulcera gastroduodenal, pois os taninos podem
irritar a mucosa gástricas.

Alfafa (Medicago sativa L.): quando ingerida fresca, em animais causa distúrbios orgânicos, provocando
inchaços e inflamações internas. Contra indicada em lúpus, e quando há o uso de anticoagulante.

Canela (Cinnamomum zeylanicum): não deve ser utilizado por mulheres com suspeita de gravidez,
gestantes e lactantes. O uso de chá de canela, em altas doses provoca irritação das mucosas e
hematúria. Dentre as aplicações do chá de canela, destaca-se o tratamento da amenorreia, diretamente
relacionada à ocorrência de aborto

Pata de vaca (Bauhinia forficata): pode potenciar o efeito de hipoglicemiantes orais e da insulina, sendo
contraindicada para indivíduos insulinodependentes. É contraindicado o uso na gestação e lactação.

Maracujá (Passiflora incarnata): em altas doses, pode causar reações adversas. A mais comum é torpor
(entorpecimento/adormecimento). É contraindicado o uso na gestação e lactação.

Mulungu (Erythrina mulungu): É contraindicado o uso na gestação e lactação e o uso concomitante com
medicamentos para hipertensão.

Camomila (Matricaria chamomilla L.): deve ser usada com cautela por gestantes, pois possui ação
emenagoga. Pode causar dermatite de contato ou fotodermatite em pessoas alérgicas a outras plantas da
família Compositae. Em superdosagem a camomila pode causar náuseas, excitação nervosa e insônia.

Melissa (Melissa officialis L.): evitar o uso nos casos de hipersensibilidade. Pode ter seu efeito sedativo
potencializado por hipnóticos (pentobarbital).

Cúrcuma (Curcuma longa): é contraindicada na gestação por apresentar efeito estimulante uterino, em
casos de cálculos biliares, icterícia obstrutiva e mulheres lactantes.

Dente de leão (Taraxacum officinalis): o uso é contraindicado para pessoas com gastrite, úlcera
gastroduodenal, cálculos biliares, obstrução dos ductos biliares e do trato intestinal. O uso pode provocar
hipotensão arterial. Pode causar raras reações alérgicas por contato devido às lactonas sesquiterpênicas.
É contraindicado o uso na gestação e lactação.
Alecrim (Rosamrinus officianalis L.): é contraindicado na gravidez e na lactação, por ter efeito abortivo.
O uso de alecrim a noite pode alterar o sono. Em doses elevadas podem provocar irritações
gastrintestinais e nefrite.

Espinheira-santa (Maytenus ilicifolia Mart.): o uso prolongado pode reduzir o leite materno em mulheres
que amamentam. É contraindicado na gravidez e na lactação.

Anis estrelado (Illicium verum Hook): é contra indicado em caso de gastrite, úlcera péptica e insônia.
Cautela ao associar com anti-inflamatórios não-estereoidais, anticoagulantes, corticoides, psicotrópicos.
Não usar em gestantes.

Amora branca (Morus alba): contra indicado em casos de doença inflamatória intestinal.

Hortelã (Mentha piperita L.): Não deve ser utilizado em casos de obstruções biliares, danos hepáticos
severos e durante a lactação. Na presença de cálculos biliares, consultar profissional de saúde antes de
usar.

Chapéu de couro (Echinodorus macrophyllum): não deve ser utilizado por pessoas portadoras de
insuficiência renal e cardíaca.

Calêndula (Calendula officinalis): Evitar usar com remédios relaxantes ou calmantes, pois aumentam o
efeito de sedativos e tranquilizantes.

Erva-doce (Pinpinella anisum): Em caso de reações alérgicas, suspender o uso imediatamente.

Funcho (Foeniculum vulgare M.): Não usar em gestantes, lactantes, crianças menores de dois anos,
alcoolistas, diabéticos e pessoas com síndromes que cursem com hiperestrogenismo. Evitar o uso em
pessoas alérgicas ou com hipersensibilidade ao funcho ou plantas da família Apiaceae. Doses acima das
recomendadas não devem ser utilizadas por longos períodos de tempo.

Orégano (Origanum vulgare): pode causar sonolência em altas doses. Contra indicado na gravidez e
lactação.

Cravo-da-índia (Eugenia caryophyllata): o cravo da índia é contra indicado em pacientes em uso


anticoagulantes, portadores de úlceras gastrintestinais, gestantes e lactantes.

Cabelo de milho (Zea mays L): Pessoas com dificuldade em urinar devido à inflamação da próstata
devem evitar a infusão do cabelo do milho. Pode aumentar a dor em pacientes com inflamação da
próstata.

Salsaparrilha (Smilax aristolochiaefolia): Contraindicado para crianças e gestantes. Apresenta


propriedades hemolíticas, portanto, não é recomendável o uso em pacientes anêmicos.

Cardamomo (Elettaria cardamomum): por possuir um efeito hipotensor cuidar com a administração
concomitante a hipertensivos. Possui capacidade fibrinolítica, atenção a pacientes que fazem uso de
medicamento anticoagulante.

Bacopa (Bacopa monnieri): em doses altas pode causar problemas digestivos, sede, náuseas e fadiga
muscular.