Вы находитесь на странице: 1из 4

PROPOSTA PARA O ARTIGO CIENTÍFICO

Disciplina: Letras-Português

Turma: EAD

Aluno: Guilherme Miguel Teixeira

Matrícula: 201502941104

1. Tema escolhido:

A linguagem utilizada nas redes sociais e sua influência no aprendizado da


escrita tradicional: um estudo de caso com alunos do segundo segmento do ensino
fundamental.

2. Justificativa:

Com o avanço da tecnologia e maior facilidade de aquisição de eletrônicos portáteis,


o número de pessoas com acesso à internet vem aumentando consideravelmente nos
últimos anos. De acordo com informações do Centro Regional de Estudos para o
Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC), que monitora a disponibilidade do
acesso à Internet nos domicílios e o seu uso pela população brasileira, em 2014 acerca de
50% dos domicílios brasileiros possuíam computador e acesso à Internet, enquanto em
2005, apenas 17% dos domicílios urbanos possuíam computador e 13% dispunham de
conexão à Internet. Quanto ao acesso à Internet via aparelho celular, o percentual de
brasileiros com 10 anos ou mais que acessou a Internet mais do que triplicou nos últimos
entre os anos de 2011 e 2014, saltando de 15% para 47%.

A internet tornou-se uma ferramenta poderosa no ramo da comunicação,


principalmente com o advento das redes sociais e aplicativos próprios de mensagens, como
o WhatsApp. E uso dessas ferramentas não se restringe apenas à população adulta. É cada
vez mais comum observar crianças e jovens utilizando das mesmas para se manterem
comunicados com a família, amigos e pessoas do convívio.

O internetês - linguagem ou linguajar (como se quiser) que os internautas


estão espalhando pelo mundo - vem sendo objeto de desconfiança das
gerações mais velhas e de grande familiaridade e júbilo para as mais
jovens, em especial para aqueles que se entregam de corpo e alma aos
encantos da internet e as suas múltiplas possibilidades.
Segundo uma pesquisa realizada pela TIC Kids Online Brasil (CETIC) em 2014, a
atividade mais realizada na Internet por jovens de 9 a 17 anos é o acesso às redes sociais,
seguido do uso para realização de trabalhos escolares. Dados da mesma pesquisa apontam
que, no Brasil, 90% dos jovens de 9 a 17 anos possuem pelo menos um perfil em rede social,
sendo o Facebook a mais acessada por eles, com 69%.

Dentre as muitas atividades que podem ser realizadas pelos jovens nas redes sociais
estão a publicação de textos e fotos, que normalmente estão abertos a comentários das
pessoas com as quais o indivíduo está conectado. Essas possibilidades encontradas na
ferramenta digital mais utilizada pelos jovens, os colocam, desde muito cedo, frente a
necessidade de utilização da escrita, seja para expressar um ponto de vista ou manter
comunicação com os demais usuários. Entretanto, a linguagem que normalmente se utiliza
nas redes sociais tem características bem distintas da norma culta da Língua Portuguesa.

Se por um lado, a facilidade de comunicação provocada pela difusão das redes


sociais entre os jovens é benéfica por colocá-los em contato com a escrita desde muito
cedo; por outro, há possibilidade de que a mesma interfira no aprendizado da linguagem
formal, uma vez que a linguagem utilizada nesses meios de comunicação (redes sociais) é,
frequentemente, descompromissada com as regras de ortografia da Língua Portuguesa.

Segundo XXXXXXXXX, para alguns estudiosos da internet, o internetês é nada


mais do que uma nova forma de transmitir mensagens, utilizando uma escrita reduzida e
truncada que imita a modalidade da fala.(p40)

Com esse desenvolvimento e avanço dessa linguagem tão utilizada pelos usuários
das redes sociais, a forma de se expressar e de se comunicar entre as pessoas, tem sofrido
uma grande mudança, que para muitos ainda não é tão conhecida quanto para os jovens,
que diariamente praticam esse tipo de comunicação.

O uso dessa nova linguagem tem levantado várias discussões a respeito da


interferência que essa nova linguagem vem exercendo sobre a escrita considerada
tradicional da língua portuguesa.

Entende-se por linguagem como a capacidade existente no homem, onde ele


comunica seus sentimentos e ideias, isto é, é a faculdade de comunicar-se uns com os
outros, por meio da fala como pela escrita, assim como outras maneiras convencionais.
(quem disse isso? Definições devem ser apresentadas com citação. Aqui você definiu
“linguagem”)

Todo o tipo de linguagem seja ela verbal ou não-verbal, inclui também a


linguagem extraverbal, que nada mais é do que aquilo que não foi dito,
mas que de alguma forma possa ter sido compreendido pela outra parte
envolvida na comunicação. (LÁZARI, site brasilescola)

Para muitos, essa nova forma de linguagem exerce uma função negativa sobre a
linguagem tradicional, pois com o uso contínuo dessa linguagem, a norma culta da língua
portuguesa vem sofrendo muitas interferências no aprendizado dos jovens, fazendo com
que esse vício de linguagem acabe atrapalhando no desenvolvimento dos mesmos. A troca
de palavras, de letras, que geralmente são substituídas por expressões reduzidas, por
figuras, acabam sendo adotadas no cotidiano de jovens que estão em fase de aprendizado
e de desenvolvimento da escrita. Othero (2004, p. 23) enfatiza que:

Uma nova forma de escrita característica dos tempos digitais foi criada.
Frases curtas e expressivas, palavras abreviadas ou modificadas para que
sejam escritas no menor tempo possível – afinal, é preciso ser rápido na
Internet. Como a conversa é em tempo real e pode se dar com mais de
um usuário ao mesmo tempo, é preciso escrever rapidamente

Já para outros, essa nova forma de se comunicar nada mais é do que uma nova
língua criada entre os jovens que utilizam as redes sociais, para se comunicarem de uma
forma resumida e rápida no dia a dia, não sendo capaz de causar nenhum dano ao
aprendizado da língua padrão. Segundo Freitas (2006):

[...] não se trata de uma conversação nos moldes tradicionais, ou seja, de


uma conversação face a face, mas, como se sabe, de um projeto
discursivo que se realiza só e através das ferramentas do computador via
canal eletrônico mediado por um software específico. A dimensão
temporal desse tipo de interlocução caracteriza-se pela sincronicidade
em tempo real aproximandose de uma conversa telefônica, porém,
devido às especificidades do meio que põe os interlocutores em contato,
estes devem escrever suas mensagens.

A linguagem virtual ou o Internetês designa a linguagem utilizada no meio virtual


em que as palavras foram abreviadas até o ponto de se transformarem em uma única
expressão, duas ou no máximo cinco letras, onde há um desmoronamento da pontuação e
da acentuação, pelo uso da fonética em detrimento da etimologia, com uso restrito de
caracteres e desrespeito às normas gramaticais. (quem disse isso?)

Com esse trabalho pretende-se verificar se há influência da linguagem virtual no


aprendizado da escrita dos jovens do ensino fundamental, entre aqueles que tem acesso a
internet e os que não tem, e se essas interferências podem ser consideradas positivas ou
negativas.
3. Problema:

Quais as influências que as redes sociais exercem sobre os jovens com relação ao uso da
linguagem virtual?

4. Objetivo geral:

O objetivo deste trabalho é analisar quais são as influências que esse novo tipo de
comunicação vem exercendo sobre o cotidiano dos jovens, em relação ao uso da
linguagem virtual, nas redes sociais, podendo ser influências positivas ou negativas, de
acordo com a visão de cada um.

5. Objetivos específicos:

 Analisar as influências da linguagem virtual, no cotidiano escolar dos jovens;


 Verificar se essas influências interferem na comunicação;
 Comparar o tipo de comunicação daqueles que tem acesso as redes sociais, com
outros que não tem o mesmo contato;

6. Questões norteadoras:

 Como esse novo tipo de linguagem pode atrapalhar o desenvolvimento da escrita


tradicional dos jovens?
 Será que realmente esse tipo de comunicação tem efeitos negativos na
aprendizagem ?
 Esse tipo de linguagem, pode ser considerada inofensiva ao aprendizado da
linguagem tradicional?

Похожие интересы