Вы находитесь на странице: 1из 10

Casos Práticos

IRC DIREITO FISCAL II


Transparência
Fiscal
IRC C A S O S P R ÁT I C O S
Casos Práticos
• A sociedade Alfa, Lda. tem como objeto social a prática da medicina e a venda de material médico, sendo detida por
quatro sócios, todos médicos, com iguais participações sociais. Em 2016, um dos quatro sócios reformou-se e passou
apenas a exercer as funções de gerente da referida sociedade. Nesse ano, os rendimentos resultantes da prática da
medicina ascenderam a €200.000,00 e os da venda de material médico a €25.000. Estará esta sociedade abrangida
pelo regime da transparência fiscal? Em que se traduz esse regime?

• A sociedade Beta, Lda., é uma sociedade cujo capital social, no valor de €100.000, se encontra representado por
duas quotas de igual valor, detidas por Ana e Bruno. Ambos os sócios são mediadores imobiliários e exercem essas
funções na sociedade Beta, Lda.. Em Janeiro de 2017, os sócios decidiram realizar um aumento de capital - através
da criação de uma terceira quota, no valor de €20.000 - , que foi subscrito por Carlos, investidor que não exerceu
qualquer função na sociedade. Como se procederá à tributação desta sociedade em sede de IRC?
Casos Práticos
• A sociedade Gama Arquitetos, Lda., tem dois sócios arquitetos. Um, André, detém 60% do capital; o outro, Bernardo,
detém apenas 40%. Supondo que a sociedade obteve um lucro no valor de € 25.000,00, como será tributada a
sociedade e os seus sócios? Suponha ainda que a sociedade, nesse mesmo ano, efetuou adiantamentos por conta de
lucros no valor de €16.000 a André e € 10.000 a Bernardo. Neste caso, como ocorrerá a tributação dos respetivos
sócios?

• A INTG - ACE, é um agrupamento complementar de empresas que resultou da união de 14 pequenas e médias
empresas, todas sociedades que detêm uma participação de igual valor no seu capital social. No ano de 2016, O INTG
obteve um lucro tributável de €15.000 e em 2017 obteve, pela primeira vez, prejuízos fiscais de € 10.000. Como vai ser
tributada a sociedade em cada uma dessas hipóteses?
Regime
Simplificado
IRC C A S O S P R ÁT I C O S
Casos Práticos
• A sociedade Vénus, Lda. está abrangida pelo regime simplificado. No ano passado obteve os seguintes rendimentos:

Vendas de mercadorias - 50.000€; prestações de serviços de auditoria - 40.000€; Subsídio para aquisição de
equipamento 10.000€; Venda de um imóvel - 50.000€, Rendas de um imóvel, 10.000€.

Considere os seguintes elementos: O equipamento adquirido através do subsídio está sujeito a uma taxa de
depreciação de 10%; o imóvel, cujo valor patrimonial tributário é de 55.000€, foi adquirido em 2012, por 40.000€ tendo
sido praticadas depreciações no valor de 2%, e suportados 1000€ de encargos com a sua venda. A sociedade
suportou 4.000 € de obras de conservação e 200€ de IMI.

Considerando que a sociedade optou, no exercício passado, pela aplicação do regime, calcule a matéria tributável
dessa mesma sociedade.
Periodização Do
Lucro Tributável
IRC C A S O S P R ÁT I C O S
Casos Práticos
• O contabilista certificado da Sociedade Alfa, Lda., deu conta, depois do encerramento das contas da sociedade que
existiam 10 faturas de aquisição de bens e prestação de serviços relativos ao exercício de 2017 que não lhe foram
entregues pela Gerência, por terem sido danificadas nos incêndios do ano passado e só agora se terem conseguido
obter 2.as vias. Podem esses gastos ser imputados ao exercício de 2018? Considere o problema tendo em conta a
jurisprudência do STA sobre o princípio da especialização dos exercícios.

• A sociedade Beta, Lda. está a construir 4 moradias. Em janeiro de 2018, entregou duas aos seus adquirentes. Porém,
as restantes duas apenas serão entregues no prazo de um ano, já em 2019. Em que exercício devem ser imputados
os rendimentos e gastos resultantes da construção e alienação das moradias?
Casos Práticos
• A sociedade Gama encontra-se a construir uma ponte ao abrigo de um contrato de construção, com duração de três
anos e cujo preço estabelecido foi de 1.200.000,00€.

• No ano 1, foram faturados 320.000,00€, foram suportados gastos de 200.000,00€ e existe uma previsão de que os
gastos estimados para conclusão da obra ascenderão a 600.000,00€

• No ano 2, foram faturados 480.000,00€, foram suportados gastos de 320.000,00€ e estima-se que os gastos para a
conclusão da obra ascendam futuramente a 280.000,00€

• No ano 3, foram faturados 400.000,00€ e suportados gastos de 280.000,00€, perfazendo um total de 1.200.000,00
de rendimentos faturados e 800.000,00€ de gastos

• De acordo com os critérios previstos no artigo 19.º do CIRC como é que se irá proceder à imputação das
componentes positivas e negativas do lucro tributável
Casos Práticos
• Em atualização