Вы находитесь на странице: 1из 8

Toninho Horta: um estudo sobre o uso de blocos de

acordes nos seus solos improvisados

Resumo

O trabalho consistirá na análise de três solos improvisados do músico Antônio Maurício Horta de Melo
(Toninho Horta), através da transcrição em partitura destes solos. Haverá destaque para uma de suas
principais particularidades: o uso frequente, nos seus improvisos, de blocos de acordes na guitarra. Serão
analisados três solos do disco “Once I loved” (1992), gravado juntamente com os músicos Gary Peacock
(baixo acústico) e Billy Higgins (bateria).

A pesquisa realizará outros temas relativos ao artista: breve biografia situando a sua importância no
cenário nacional e internacional com depoimentos de outros músicos significativos, linguagem e concepção
harmônica aplicada ao violão e guitarra; traços característicos do seu trabalho musical e por fim;
depoimentos do próprio Toninho Horta, com o intuito de compreender com mais precisão os detalhes de seu
estilo musical.
Introdução

A importância de Toninho Horta no cenário da Música Popular brasileira é inegável. Participou dos
discos “Clube da Esquina 1” e “Clube da Esquina 2” ao lado de grandes artistas como Milton Nascimento e
Lô Borges. Teve composições próprias gravadas por músicos significativos, como Milton Nascimento, Nana
Caymi, Boca Livre. Pat Metheny, um dos grandes guitarristas de jazz da atualidade, cedeu o seguinte
depoimento a respeito de Horta: “... Ele toca linhas melódicas tão fantásticas, com um tempo tão
extraordinário... Eu costumo descrevê-lo para outros músicos como o Herbie Hancock dos guitarristas da
Bossa Nova...” “... Em poucas palavras, Toninho Horta é um músico incrível, aquele raro guitarrista que
compreende a harmonia em seus caminhos mais profundos...” Depoimento retirado do site:

http://www.myspace.com/toninhohorta. Acesso em 13/10/2012.

A carreira do artista também consiste de apresentações ao lado de Milton Nascimento, Elis Regina,
Nana Caymi, Pat Metheny, Gal Costa, Joyce, MPB 4, Wayne Shorter, Lô Borges, João Bosco, Jazz
Sinfônica, Romero Lubambo, Guinga, Wagner Tiso, Dominguinhos e muitos outros. Horta conta atualmente
com 26 álbuns musicais lançados em mais de 40 anos de carreira.

Apesar dessa notória participação no cenário musical brasileiro e internacional e de sua originalidade,
como descreve Pat Metheny, pouco se encontra material didático a respeito da música de Toninho Horta. O
músico conta com apenas uma biografia oficial: “Harmonia Compartilhada”, de Maria Tereza R. Arruda
Campos, lançada pela editora Imprensa Oficial. Não possui um “songbook” oficial com suas composições e
há poucas análises disponíveis que, de maneira minuciosa (com transcrições na partitura), descrevam seus
solos improvisados.

A pesquisa será feita com o intuito de contribuir com os universos acadêmico e musical, a fim de
oferecer algo relevante com relação aos traços musicais característicos, pouco difundidos, do músico
Toninho Horta, com ênfase na sua concepção de improvisação em blocos de acordes. O disco escolhido para
análise, “Once I loved,” expõe de maneira ímpar tal concepção: por se tratar de um álbum jazzístico há
grande quantidade de solos improvisados pelo artista. As faixas escolhidas para análise são: Lullaby of
Birdland (George Sharing), Stella by Starlight (Victor Young) e Isn’t it Romantic (Rodgers/Hart).
Objetivos

Não são poucos os músicos que se inspiraram ou se inspiram no conceito musical desse artista
mineiro. Várias músicas foram compostas em sua homenagem, segundo o livro “Toninho Horta – Harmonia
Compartilhada” de Maria Tereza R. Arruda Campos, editora Imprensa Oficial. Precisamente foram 55
composições de vários artistas do Brasil e do mundo a exemplo de Hermeto Pascoal: “Tema pro Toninho”,
Ivan Lins: “Cê”, Scott Anderson (EUA): “Toninho” e Rudi Berger (Áustria): “Bossa for Toninho”. Esse fato
comprova que há, no meio musical, interesse por sua música.

O objetivo principal da pesquisa é organizar, em partitura, solos em que o músico Toninho Horta usa o
recurso da criação melódica e harmônica através de blocos de acordes na guitarra. Após transcritos em
partituras os solos serão minuciosamente analisados, harmonicamente, melodicamente e digitalmente, a
fim de atingir a compreensão integral de seus elementos e peculiaridades. O trabalho se destinará aos
diversos músicos e pesquisadores que queiram entender melhor a concepção de improvisação e
harmonização de Horta.

A pesquisa terá como intenção revelar como o artista atingiu essa concepção sonora, ou seja, tomar
conhecimento de sua formação, influências musicais, depoimentos próprios e de pessoas significativas ao
desenvolvimento do trabalho. Enfim, entender o meio pelo qual ele atingiu essa singularidade musical.
Metas Semestrais

Nos primeiro mês da realização da pesquisa a meta será o estudo de depoimentos, vídeos, artigos e
entrevistas relacionadas ao músico mineiro, com intenção de coletar informações significativas à construção
de uma sucinta biografia. Nessa haverá destaque para as influências musicais e para o processo de
construção de sua concepção musical, singularidade harmônica e uso peculiar de seu instrumento, o violão.
Nesse mesmo semestre, a biografia será escrita e o solo improvisado na faixa “Stella by Starlight” será
transcrito digitalmente e analisado conforme os métodos descritos em “Métodos ”. O segundo solo, em
“Lullaby of Birdland”, começará a ser transcrito também no primeiro semestre.

No começo do segundo semestre ocorrerá a conclusão da transcrição e análise do solo em “Lullaby of


Birdland”. Nos três meses seguintes o solo improvisado em “Isn’t it Romantic” será o foco da pesquisa, com
a realização de sua transcrição e análise. A meta final, último mês da pesquisa, será a elaboração das
considerações finais, bem como a bibliografia e referências.

O tempo de realização de cada atividade foi organizado de forma a ser possível o cumprimento dos
objetivos, sem que a elaboração do trabalho atrapalhe as outras atividades acadêmicas obrigatórias.
Métodos

O assunto harmonia e improvisação é extremamente amplo e conta com extensa bibliografia. Não há
um consenso com relação às análises harmônicas, cifragens e nomeação de escalas e acordes, mas sim várias
interpretações que muitas vezes diferem bastante entre si. Os livros “Harmonia: Fundamentos de Arranjo e
Improvisação” de Paulo José de Siqueira Tiné e “Teoria da Harmonia na Música Popular: Uma definição das
relações de combinação entre os acordes na harmonia tonal” de Sérgio Paulo Ribeiro de Freitas serão
utilizados como fonte de padronização nesse aspecto, a fim de estabelecer um método eficaz que evite
qualquer dúvida e imprecisão nas análises harmônica e melódica. A maior parte das informações técnicas de
escalas e acordes também tomarão por base esses livros.

As análises dos solos serão feitas da seguinte forma: primeiramente será realizada uma análise
harmônica, por graus do campo harmônico, da harmonia base para os solos, para entender as relações entre
os acordes e para tornar claros os encaminhamentos harmônicos. O próximo passo será transcrever os solos
em partitura e analisar pequenos trechos de poucos compassos de cada vez. Esse recurso torna mais
completo o entendimento musical, pois permite maior preocupação com a análise minuciosa de cada parte.

A autopsia dos solos compreenderá os seguintes aspectos: entendimento do uso das escalas, arpegios
ou blocos de acordes que o improvisador, Toninho Horta, utilizou nos solos, para estabelecer a relação
dessas notas improvisadas com a harmonia executada no momento desses solos. Nas análises dos blocos de
acordes improvisados nos solos, intenção principal desta pesquisa, cada acorde será analisado
individualmente, com suas passagens para outros acordes ou notas individuais e compreendendo os
encaminhamentos de vozes que o artista utilizou nos seus improvisos.

O trabalho conterá uma breve biografia de Horta, a fim de entender o desenvolvimento de sua
concepção sonora. Para tanto serão utilizados, principalmente, os seguintes materiais com informações vitais
para a pesquisa: “Toninho Horta – Harmonia Compartilhada” de Maria Tereza R. Arruda Campos, uma
biografia sobre o artista com vários depoimentos do próprio. “A Música Audaz de Toninho Horta”, dvd cujo
objeto de análise é a própria vida e carreira de Horta e que inclui depoimentos próprios do Toninho e de
músicos e parentes envolvidos com o artista. A dissertação de mestrado de Thais Lima Nicodemo “Terra dos
Pássaros: uma abordagem sobre as composições de Toninho Horta” também será usada como material de
apoio à pesquisa, pois inclui informações biográficas significativas e análises técnicas sobre o estilo
violonístico e composicional do músico.
A última parte da pesquisa conterá as considerações finais, que abordarão conclusões sobre o trabalho
e uma análise geral dos resultados obtidos com a pesquisa, bem como a bibliografia. Essas conclusões serão
escritas em ordem cronológica, ou seja, compatível com a ordem dos tópicos estudados.
Cronograma

Atividade/Mês 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Estudo do material para realização da
biografia x
Construção da biografia x x
Transcrição e análise do solo na faixa
Stella by Starlight x x
Transcrição e análise do solo na faixa
Lullaby of Birdland x x x
Transcrição e análise do solo na faixa
Isn’t it Romantic x x x
Considerações finais, elaboração da
bibliografia e referências. x
Bibliografia
- CAMPOS, Maria Tereza R. Arruda. Toninho Horta - Harmonia Compartilhada. São Paulo: Imprensa
Oficial, 2010.

- NICODEMO, Thais Lima. Terra dos Pássaros: uma abordagem sobre as composições de Toninho Horta.
Tese de mestrado em música, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009. Orientador: Prof. Dr.
Antônio Rafael Carvalho dos Santos.

- TINÉ, Paulo José de Siqueira. Harmonia – Fundamentos de Arranjo e Improvisação. São Paulo: Rondó,
2011.

- FREITAS, Sérgio Paulo Ribeiro de. Teoria da Harmonia na Música Popular: Uma definição das relações
de combinação entre os acordes na harmonia tonal. Dissertação de Mestrado. São Paulo: UNESP, 1996.

- A Música Audaz de Toninho Horta. Direção: Fernando Libânio. Terra dos Pássaros e Arcanga Filmes,
2011. Documentário (50min).

- O Violão Brasileiro. Direção: Fábio Zanon. São Paulo: Rádio Cultura FM. Entrevista de Toninho Horta,
2008.

Referências

- http://www.myspace.com/toninhohorta. Acesso em 13/10/2012

- http://www.leffa.pro.br/textos/abnt.htm. Acesso em 13/10/2012

- CAMPOS, Maria Tereza R. Arruda. Toninho Horta - Harmonia Compartilhada. São Paulo: Imprensa

Oficial, 2010.

- HORTA, Antônio. Fevereiro, 1997. São Paulo: Revista Guitar Player. Entrevista concedida a Beto Ruschel

e David Hepner.