Вы находитесь на странице: 1из 22

SUPORTE AO PROFESSOR

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS AULAS

Fazei Discípulos

O discipulado como estratégia para o crescimento e fortalecimento da Igreja

O DESENVOLVIMENTO DAS AULAS Fazei Discípulos O discipulado como estratégia para o crescimento e fortalecimento da

COMO UTILIZAR ESTE MATERIAL?

Prezado (a) Professor (a),

É sabido que o desenvolvimento de uma aula, apenas de maneira discursiva, sem o uso de recursos didáticos, além de ficar entediante tem o seu aproveitamento extremamente prejudicado.

O propósito deste material é contribuir para evitar o problema acima referido, facilitando e tornando mais dinâmico e eficaz o seu trabalho.

Deve-se ressaltar que não basta dispor de uma revista de estudos bíblicos com bom conteúdo. Mais do que isso, é necessário trabalhar com os alunos de forma criativa e dinâmica, tornando o aprendizado algo prazeroso e relevante; algo que provoque mudanças na maneira de ver e sentir, estimulando a prática consciente.

Aqui você encontrará ideias e sugestões para desenvolver suas aulas de forma criativa e participativa e, certamente, com excelentes resultados.

Este material deverá ser utilizado paralelamente ao PowerPoint da revista. Os dois suportes, juntamente com a revista, deverão dialogar entre si durante todo o tempo de preparação e condução de sua aula.

Para alcançar êxito no desenvolvimento das aulas é fundamental que, antecipadamente, você cheque todas as informações contidas nos textos. Verifique se a reprodução dos vídeos está acontecendo corretamente.

Várias dinâmicas aqui sugeridas dependerão de providências prévias. Por exemplo:

computador, data show, cartolinas, papel A4, lápis e caneta, pincel atômico, lousa, etc. Bem antes do início da aula, você deve conferir as condições do local, a fim de verificar se precisará de extensão, tela, mesa, etc. A falta de atenção a esses detalhes pode arruinar uma aula que teria tudo para ser uma grande experiência.

Lembre-se: aulas bem apresentadas não admitem improvisos!

Agradecemos a confiança creditada ao nosso trabalho. Desejamos que a sua prática educadora produza transformações na vida de seus alunos e, consequentemente, gratificação ao seu coração.

DIDAQUÊ | A serviço do Reino

Fazei Discípulos

O discipulado como estratégia para o crescimento e fortalecimento da Igreja.

O discipulado cristão é uma responsabilidade outorgada à igreja pelo próprio Senhor Jesus

Cristo. A questão colocada não é se queremos ou não abraçar a tarefa do discipulado, mas se seremos ou não obedientes à ordem dada por Jesus.

Cada discípulo precisa compreender que é sua responsabilidade tornar-se, no devido tempo, um discipulador. Para isso, é necessário haver compromisso e dedicação.

O propósito dos estudos bíblicos contidos na revista FAZEI DISCÍPULOS é despertar quanto ao

valor do discipulado e desafiar toda a igreja a se envolver nesse processo.

TEMAS A SEREM ESTUDADOS:

01 | Entendendo o que é Discipulado

02 | Jesus: o maior exemplo de Discipulador

03 | O Discipulado na Igreja Primitiva

04 | A Vocação do Discípulo

05 | A Vida do Discípulo

06 | Graça e Discipulado

07 | Discipulado e Cruz

08 | Requisitos do Discipulado

09 | Motivações para o Discipulado

10 | Comunidade Discipuladora

11 | Evangelização e Discipulado

12 | Discipulado e Crescimento da Igreja

13 | Discipulado Relevante

01 | ENTENDENDO O QUE É DISCIPULADO

OBJETIVO DO ESTUDO:

Compreender que “discipulado” é a experiência de ter Jesus Cristo como modelo, Senhor e centro da nossa vida.

ABERTURA DA AULA:

Leia com os alunos o texto de Lucas 5.1 a 11.

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Para o início da aula, utilize o PowerPoint, escreva no quadro ou mostre em um cartaz estas duas questões que aparecem na introdução do estudo. Estimule os alunos a expor suas opiniões:

O que significa ser cristão?

Quem é, de fato, cristão?

Após alguns minutos (não mais que cinco), apresente o ponto de vista do autor da lição sobre o que significa ser cristão (use o PowerPoint):

De acordo com o ensino bíblico, ser cristão é seguir a Jesus; é experimentar a transformação promovida pelo evangelho; é praticar a mensagem do cristianismo. Há uma palavra que resume a vida cristã autêntica: discipulado. Logo, ser cristão é ser discípulo de Jesus. Segue-me’ – esse é o imperativo que Jesus apresentou, com frequência, a diferentes pessoas, conforme se vê nas páginas dos evangelhos. Naqueles dias, o segue-mede Jesus tinha também o sentido literal. Seguir a Jesus era andar com ele pelas estradas empoeiradas da Galileia. O segue-medo Senhor ressuscitado continua ecoando através dos tempos. Jesus, o Cristo vivo, continua chamando homens e mulheres de todos os lugares, de todas as idades, de todas as posições econômicas e sociais para que o sigam.”

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

1. O DISCIPULADO CRISTÃO ENVOLVE APRENDIZADO COM O MESTRE

Para trabalhar este tópico, explore a tabela em que Juan Stam apresenta as diferenças entre ser discípulo de Jesus e ser discípulo dos rabinos (mestres judaicos):

O DISCÍPULO DE JESUS

O DISCÍPULO DOS MESTRES JUDAICOS

Responde ao chamado de Jesus

Apresentava-se por conta própria

Tem todas as áreas da vida impactadas pelo discipulado

Buscava apenas a formação intelectual

Tem um relacionamento pessoal com o Mestre

Tinha relacionamento apenas doutrinal

Experimenta um dom da graça

Pagava pela instrução recebida

Assume um compromisso absoluto com o Mestre

Não tinha compromisso com seus mestres

Tem uma vivência comunitária

Não vivia em comunidade

Segue o Mestre durante a vida toda

Seguia o mestre apenas temporariamente

Você pode utilizar esta tabela no PowerPoint ou, se preferir, pode confeccioná-la em papel, apenas com os títulos, deixando que os alunos completem a tabela. Eles poderão escrever as frases na tabela ou colá-las, caso você decida levá-las impressas. Caso utilize esta estratégia, a tabela deverá permanecer exposta em sala de aula durante o trimestre.

2. O DISCIPULADO CRISTÃO IMPLICA EM VIVER O PROJETO DE VIDA DE JESUS

Exponha este tópico, enfatizando os textos em que é apresentado o projeto de vida de Jesus para os seus discípulos. Para fixar, prepare marcadores de texto conforme o modelo abaixo e distribua-os entre os alunos.

Essas palavras, e tantas outras ditas pelo Senhor, com autoridade (Mc 1.22), devem ser PROJETO
Essas palavras, e tantas outras ditas pelo Senhor, com autoridade (Mc 1.22), devem ser
PROJETO DE VIDA
DE JESUS PARA
SEUS DISCÍPULOS
Reconciliar-se com o
irmão antes de fazer a
oferta (Mt 5.23,24)
Dar a quem pede e não
voltar as costas ao que
pede emprestado
(Mt 5.42)
Orar pelos que nos
perseguem (Mt 5.44)
Não andar ansioso pela
vida (Mt 6.25)
Acautelar-se dos falsos
profetas (Mt 7.15)
Perdoar ao irmão até
setenta vezes sete vezes
(Mt 18.21,22)

3. O DISCIPULADO CRISTÃO CONSISTE EM PARTICIPAR DA MISSÃO DE JESUS

Neste tópico, dê destaque às três questões levantadas por Orlando Costas, as quais devem servir de base para avaliarmos nosso exercício da missão cristã à luz das exigências do discipulado (as referidas questões estão no PowerPoint):

Nossos programas de missão estão conduzindo homens e mulheres a seguir Jesus através das encruzilhadas da vida?

Nossos programas de missão estão capacitando homens e mulheres para que participem da missão de Jesus no mundo?

Nossos programas de missão estão ensinando a obedecer ao Senhor em todas as coisas?

DISCUSSÃO

Incentive os alunos a compartilhar suas opiniões sobre estas questões da Discussão (projetar uma por vez no data show):

Muitos pensam que discipulado se refere apenas à preparação de pessoas para professarem sua fé. Essa compreensão é correta?

Quais são os prejuízos para a vivência e missão da igreja, se seus membros não compreendem que precisam ser discípulos de Jesus?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Para encerrar, convide os alunos a orar silenciosamente, reafirmando o compromisso de viverem dia a dia o projeto de vida proposto por Jesus para seus discípulos.

02 | JESUS: O MAIOR EXEMPLO DE DISCIPULADOR

OBJETIVO DO ESTUDO:

Mostrar que Jesus é, por excelência, o modelo de discipulador a ser seguido.

ABERTURA DA AULA:

Leia com os alunos o texto de Lucas 4.14 a 30.

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Explore a introdução do estudo e, em seguida, complete-a com a exibição do vídeo: Jesus ensina os discípulos a serem pescadores de homens< https://www.youtube.com/watch?v=W- OnowpDWNg >

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

1. JESUS CAMINHAVA JUNTO A OUTRAS PESSOAS

Enfatize que o discipulado cristão implica em caminhar junto. Ao final da exposição deste tópico, lance esta pergunta e estimule os alunos a responder:

Você tem caminhado lado a lado com pessoas que estão começando a aprender de Jesus, a fim de se dar a conhecer e também conhecê-las melhor?

2. JESUS INVESTIU NA FORMAÇÃO DE VIDAS

Deixe claro que não é fácil caminhar com as pessoas, pois as experiências afloram as virtudes e as misérias de cada um. Formar vidas pode levar tempo, exigindo paciência e perseverança; e isso só se torna possível quando o discípulo e o discipulador andam juntos.

3. JESUS VISLUMBRAVA O FUTURO DAS PESSOAS

Lição de objeto sugerida para ilustrar este tópico: leve para a sala um fragmento de granito ou pedra semipreciosa em estado bruto; leve também uma pedra correspondente a uma das sugeridas, porém, polida ou lapidada. Mostre primeiramente a pedra em estado bruto e pergunte aos alunos o que acham daquela pedra. Depois de algum tempo, mostre a eles a pedra polida ou lapidada, destacando que é a mesma pedra, porém submetida ao processo de polimento ou lapidação. Jesus fez exatamente isto com Pedro e os demais: ele os lapidou por meio do discipulado. Se você não conseguir o fragmento de pedra em estado bruto e a mesma pedra polida ou lapidada, utilize as imagens disponibilizadas no PowerPoint para ilustrar.

4. JESUS DIALOGAVA COM AS PESSOAS

Neste tópico, desafie seus alunos a exercitarem dia a dia o diálogo com aqueles que precisam aprender de Jesus.

“Quando o homem se compromete de verdade com Jesus, não lhe parece importante viver ou morrer. Será Cristo engrandecido no meu corpo, quer pela vida, quer pela morte (Fp 1.20)”.

6. JESUS ESTABELECEU UMA ESTRATÉGIA MULTIPLICADORA

Neste tópico, enfatize esta verdade:

O que se espera de todo discípulo de Jesus é a frutificação.

Para fechar a exposição, faça a leitura do texto de Lucas 8.4 a 8. Providencie espigas de milho, grãos de café ou laranjas. Mostre aos alunos uma semente e depois a grande quantidade que ela é capaz de produzir, enfatizando bem essa imagem. Se quiser tornar a ilustração ainda mais marcante, ao final da aula, convide os alunos para saborearam um cafezinho, espigas de milho cozidas ou laranjas. Evidentemente, terá de solicitar a alguém que tome as devidas providências para que tudo esteja pronto ao final da aula.

DISCUSSÃO

Incentive os alunos a responder estas perguntas:

Você acha relevante a igreja ter um programa continuado de treinamento para que cada discípulo seja transformado em discipulador? Sua igreja tem?

Atualmente, alguém do grupo está desenvolvendo discipulado com novos convertidos? Se houver, é oportuno compartilhar a experiência.

ENCERRAMENTO DA AULA:

Para encerrar, convide os alunos a pensar e orar em favor de alguém que precisa ser discipulado. Incentive-os a iniciar um trabalho de discipulado com as pessoas por quem oraram.

03 | O DISCIPULADO NA IGREJA PRIMITIVA

OBJETIVO DO ESTUDO:

Identificar o que a prática discipuladora da igreja primitiva tem a nos ensinar.

ABERTURA DA AULA:

Faça uma leitura diferente da usual, dos textos de Atos 2.42 a 47 e 4.32 a 37 (em forma de jogral). Com bastante antecedência, transforme os textos em um jogral, treine alguns alunos e inicie a aula convidando-os a fazerem a apresentação.

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS AULAS:

INTRODUÇÃO

Estimule os alunos a opinar sobre a pergunta inicial do estudo:

A igreja à qual você pertence é uma igreja discipuladora?

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Separe os alunos em quatro grupos e distribua a cada grupo um dos tópicos deste estudo. Utilizando a revista, eles terão dez minutos para analisar os tópicos e elaborar suas conclusões. Depois cada grupo apresentará, na sequência, para toda a classe, o seu respectivo tópico. Cada grupo deverá ter no máximo sete minutos para a sua apresentação.

1. A NECESSIDADE DE PERSEVERANÇA

2. A DOUTRINA COMO FATOR DE CONSOLIDAÇÃO

3. A COMUNHÃO COMO FATOR DE INTEGRAÇÃO

4. OS MEIOS DE GRAÇA COMO FATORES DE ALIMENTAÇÃO ESPIRITUAL

DISCUSSÃO

Conclua a aula com a discussão destas duas questões:

Você tem conseguido espaço em sua agenda para, além de participar das atividades da igreja, desenvolver o discipulado junto a amigos e colegas de trabalho? O que você tem a compartilhar sobre isso?

Os fatores vinculados ao discipulado eficaz, destacados neste estudo, têm sido considerados pela sua Igreja? Há muitas pessoas em sua igreja envolvidas em discipulado?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Encerre a aula orando em favor dos seus alunos, no sentido de que as lições aprendidas sejam colocadas em prática.

04 | A VOCAÇÃO DO DISCÍPULO

OBJETIVO DO ESTUDO:

Despertar em cada crente a consciência quanto à realidade e implicações do chamado para vir a Cristo e ir ao mundo, na condição de discípulo que se dispõe a fazer novos discípulos.

ABERTURA DA AULA:

Leia com os alunos o texto de Mateus 4.18 a 25.

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Inicie a reflexão incitando os alunos a apresentarem sua compreensão quanto ao sentido das palavras VINDE e IDE, relacionadas à vocação do discípulo. Para isso, faça um cartaz com as duas palavras em destaque. Caso prefera, pode escrevê-las no quadro ou utilizar o PowerPoint da lição.

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Desenvolva os tópicos da lição, contando com a cooperação dos alunos para ler e comentar cada parágrafo. Você pode utilizar como apoio o PowerPoint da lição.

Após o desenvolvimento dos tópicos, convide os alunos a cantar a música “Sonda-me”, de autoria de Aline Barros. A letra está no PowerPoint do estudo. Está disponível em vídeo (com letra) neste endereço: < https://www.youtube.com/watch?v=LoVF_hSNPJo >

DISCUSSÃO

Incentive os alunos a responder a estas perguntas:

Em que ponto da vida cristã você se encontra: ainda é discípulo, limitando-se a receber instrução cristã ou já assumiu a condição de discipulador, cuidando daqueles que estão dando os primeiros passos na fé?

Talvez sua igreja seja exceção, mas, geralmente, verifica-se um número pequeno de discipuladores nas igrejas. Considerando que cada discípulo é por natureza um discipulador, porque esse potencial não é colocado em prática?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Encerre a aula convidando os alunos a um momento de oração silenciosa, em que cada um deverá se consagrar ao Senhor, pedindo a capacitação para se tornarem discipuladores eficazes.

05 | A VIDA DO DISCÍPULO

OBJETIVO DO ESTUDO:

Perceber que somos chamados por Cristo não para sermos meros religiosos, mas para sermos discípulos e, consequentemente, discipuladores.

ABERTURA DA AULA:

Conduza a leitura do texto de Mateus 16.24 a 28.

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Para a introdução do assunto, reproduza uma cena do filme “A maior história de todos os tempos”, em que Jesus dirige o chamado aos discípulos. Disponível neste endereço: < https://www.youtube.com/watch?v=W-OnowpDWNg >

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Desenvolva os tópicos da lição, contando com a cooperação dos alunos para ler e comentar cada parágrafo. Você pode utilizar como apoio o PowerPoint da lição.

Concluída a exposição dos tópicos, faça com os alunos o seguinte exercício: após entregar a eles papel e caneta, peça-lhes para escreverem supostas limitações que têm impedido, a cada um, atender de forma mais efetiva o chamado de Cristo para se tornarem pescadores de homens. Depois, sem constranger a ninguém, estimule-os a compartilhar com o grupo o que julgam serem suas principais dificuldades.

Para encerrar essa dinâmica, peça a eles para escreverem no verso do papel o que precisam fazer para superar essas limitações. Aqueles que desejarem, poderão também compartilhar com o grupo.

DISCUSSÃO

Incentive os alunos a responderem estas questões:

• Você tem obedecido a palavra de Jesus e lançado as redes? • Na prática
• Você tem obedecido a palavra de Jesus e lançado as redes?
• Na
prática
de
sua
comunidade
percebe-se
claramente
a
relação
entre
discipulado
e
santidade?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Para encerrar, convide os alunos a orar, de dois em dois, para que este estudo provoque transformações na prática cristã de cada um deles.

06 | GRAÇA E DISCIPULADO

OBJETIVO DO ESTUDO:

Perceber que o discipulado movido pela graça habilita o cristão a amar a Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento, de toda a sua força, como expressão de valorização dessa graça (Mc 12.30).

ABERTURA DA AULA:

Conduza a leitura de Efésios 2.1 a 10.

ESTRATÉGIAS PARA A CONDUÇÃO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Introduza a lição, solicitando aos alunos para apontar exemplos de barateamento da graça, tão comuns, hoje, na igreja evangélica brasileira.

Em seguida, você pode exibir o vídeo intitulado “O verdadeiro Discipulado”, disponível neste endereço < https://www.youtube.com/watch?v=zPO8BJ76550 >

Enfatize que não é possível falar sobre Graça e Discipulado, sem fazer menção a Dietrich Bonhöffer.

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Utilize o resumo do PowerPoint para expor os tópicos da lição ou, se preferir, ao iniciar cada tópico peça aos alunos para lerem e destacarem os pontos principais. Ao final de cada tópico, antes de passar ao seguinte, conclua sintetizando o que os alunos acabaram de compartilhar.

DISCUSSÃO

Incentive os alunos a opinarem sobre esta pergunta da discussão, visto que a primeira já foi explorada na introdução da aula:

Quais são as evidências, em sua igreja, de que a graça de Deus é valorizada?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Para concluir, ensaie com a classe o hino “Maravilhosa Graça”, de autoria de Haldor Lillenas, disponível (com letra) neste vídeo: < https://www.youtube.com/watch?v=mLxoUO1aRb4 > A letra está disponível também no PowerPoint. Dependendo do resultado, você pode combinar com o pastor da Igreja a apresentação do hino pelos alunos em um dos cultos.

07 | DISCIPULADO E CRUZ

OBJETIVO DO ESTUDO:

Apontar que o preço do discipulado inclui, conforme Marcos 8.34: negar-se a si mesmo, tomar a cruz e seguir a Cristo incondicionalmente.

ABERTURA DA AULA:

Conduza a leitura de Marcos 8.27 até 9.1.

ESTRATÉGIAS PARA A CONDUÇÃO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Apresente à classe a segunda parte do versículo de Marcos 8.34 se alguém quer viver após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Para isso, você pode utilizar o PowerPoint do estudo; se preferir distribua cópias impressas ou leia diretamente na Bíblia. Após ler o versículo com os alunos, direcione as seguintes perguntas à classe:

O que você entende por “negar-se a si mesmo”?

O que quer dizer “tomar a sua cruz”?

Quais são as implicações de “seguir a Cristo”?

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Em vez de fazer a leitura dos tópicos da lição, desenvolva-os lançando perguntas aos alunos, uma a uma, como segue. Talvez seja interessante dar alguns minutos para que, antes, eles façam uma leitura silenciosa de cada tópico.

1. O DISCIPULADO PROPORCIONA A COMPREENSÃO DA MENSAGEM DA CRUZ

O que é o chamado “protoevangelho” (Gn 3.15)?

Para onde apontavam as profecias do Antigo Testamento?

Que profeta narra com detalhes o sofrimento e a morte do enviado do Senhor e quais são alguns desses detalhes?

A morte de Cristo foi algo prematuro e acidental?

Por que era necessário o sacrifício de Cristo?

Qual é o resumo da mensagem da cruz?

Quais são as consequências para a igreja da remoção da centralidade da cruz?

Qual é a essência da pregação paulina?

2. O DISCIPULADO IMPÕE A RESPONSABILIDADE DE CARREGAR A CADA DIA A CRUZ

Na compreensão de Dietrich Bonhöeffer, o que significa tomar a cruz?

O que significa morrer para este mundo e viver para Cristo?

Na cruz, Cristo se identificou conosco, tomando sobre si a nosso culpa, morrendo para que tivéssemos vida. Que impacto esse exemplo de altruísmo deve exercer em nós?

É possível haver discipulado genuíno sem cruz?

Que constatação, acerca das implicações do discipulado, Paulo faz junto aos filipenses? A igreja evangélica brasileira tem compreendido isso?

3. O DISCIPULADO PREPARA O DISCÍPULO PARA AS CONSEQUÊNCIAS DA CRUZ

Como entender o fato de que a cruz de Cristo é motivo de escândalo, mas também de glória? Hebreus 11 fala sobre os sofrimentos que sobrevieram a muitos, por causa da sua fé. Hoje, que exemplos você conhece de cristãos que estão sendo perseguidos por causa da fé em Cristo?

Conforme a mensagem de Pedro, que garantia tem os cristãos diante das perseguições?

Que certeza deve motivar o discípulo de Cristo, diante das ameaças decorrentes do compromisso com a cruz de Cristo?

DISCUSSÃO

Finalizando a reflexão, deixe os alunos darem suas opiniões sobre a primeira pergunta da Discussão:

Por que muitas igrejas não ensinam que o discipulado cristão inclui a cruz?

ENCERRAMENTO DA AULA:

A conclusão da aula pode se dar com a exibição do vídeo “Quebrantado” / Vineyard, disponível neste endereço: < https://www.youtube.com/watch?v=lLxr94wBTDA >

08 | REQUISITOS DO DISCIPULADO

OBJETIVO DA AULA:

Mostrar que, no discipulado, a agenda e os interesses do reino de Deus devem subordinar nossas agendas e interesses pessoais.

ABERTURA DA AULA:

Na semana anterior à aula, solicite a um grupo de alunos para ensaiar uma encenação do texto de Lucas 9.57 a 62. Eles poderão caracterizar-se com vestimentas da época de Jesus ou, se preferirem, poderão fazer a encenação em estilo contemporâneo.

ESTRATÉGIAS PARA A CONDUÇÃO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Enfatize esta parte da introdução:

O Senhor Jesus Cristo estabeleceu alguns requisitos para quem quere segui-lo. São requisitos que, se não forem preenchidos a contento, comprometem o discipulado. No texto tomado como base para esta reflexão, isso está bem claro. Enquanto caminhava para Jerusalém, Jesus apresentou os requisitos do discipulado. Logo no início da caminhada, ele deixou claro quais são esses requisitos. Assim, colocou à prova aqueles que se propuseram a segui-lo.

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Providencie três mesas, três folhas de cartolina (ou papel A4) e três pincéis atômicos. A classe será dividida em três grupos e cada um trabalhará em torno de uma mesa. Cada grupo ficará responsável por trabalhar um tópico da lição, devendo retirar as frases e palavras mais importantes para resumir o tópico. Depois cada grupo escreverá no papel o seu resumo e apresentará para toda a classe. Os três cartazes deverão ficar fixados na sala. Caso não queira utilizar essa técnica, use apenas o resumo do PowerPoint.

Grupo 1:

1. AS DIFICULDADES DO DISCIPULADO

Grupo 2:

2. A PRIORIDADE DEVIDA AOS INTERESSES DO REINO DE DEUS

Grupo 3:

3. A NECESSIDADE DE CONSAGRAÇÃO TOTAL

DISCUSSÃO

Coordene a discussão da segunda pergunta desta sessão, a saber:

O discipulado tem exigências gerais, que dizem respeito a todos os discípulos de Cristo, bem como exigências específicas, de acordo com a vocação e o chamado de cada um?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Termine com um momento de oração, reutilizando os três grupos que foram formados. Um voluntário de cada grupo deverá orar em favor das pessoas que integram o seu grupo.

09 | MOTIVAÇÕES PARA O DISCIPULADO

OBJETIVO DO ESTUDO:

Apontar algumas motivações do discipulado cristão e, assim, motivar aqueles que são discípulos do Senhor Jesus Cristo e que labutam no reino de Deus.

ABERTURA DA AULA:

Leia com a classe os textos de Mateus 28.18 a 20 e Lucas 10.1 a 20

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS AULAS:

INTRODUÇÃO

Você pode iniciar a aula exibindo o vídeo motivacional encontrado neste endereço: < https://www.youtube.com/watch?v=IAnzAWt5tCI >

Em seguida, enfatize este trecho da introdução do estudo:

Discípulos motivados são discípulos dispostos a assumir compromissos com o Senhor do reino; são cheios

Discípulos motivados são discípulos dispostos a assumir compromissos com o Senhor do reino; são cheios de entusiasmo; mostram-se prontos e dispostos a cumprir os requisitos do discipulado. Foi por isso que Jesus sempre motivou e inspirou seus discípulos na

caminhada da vida cristã.

requisitos do discipulado. Foi por isso que Jesus sempre motivou e inspirou seus discípulos na caminhada

Desafie os seus alunos com esta pergunta:

E você, quer ser um Discipulador?

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Seguem os resumos de cada tópico para facilitar a sua exposição.

1. A MOTIVAÇÃO PARA O DISCIPULADO FUNDAMENTA-SE NA AUTORIDADE DAQUELE QUE COMISSIONA

Resumo do primeiro tópico:

É o Senhor Jesus quem comissiona. É na sua autoridade e poder que o discípulo responde ao

chamado (Lc 10.19). Quando ordenou aos seus primeiros discípulos que fizessem discípulos de todas as nações, Jesus deixou bem claro que é sob a sua autoridade que a missão é levada a cabo: “Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na

terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações

(Mt 28.18,19).

A motivação para o discipulado repousa exatamente nessa autoridade. Por ser ele o Senhor,

somos capacitados, em seu nome, a desafiar todos os homens, em todas as nações, a viverem

de acordo com os seus ensinamentos.

O discípulo reconhece o senhorio de Cristo sobre sua vida; vive debaixo da autoridade do

Senhor Jesus e é habilitado por ela a fazer novos discípulos (II Tm 2.1,2).

2. A MOTIVAÇÃO PARA O DISCIPULADO É FORTALECIDA QUANDO SE VÊ A TRANSFORMAÇÃO

DE VIDAS

Resumo do segundo tópico:

Nosso Mestre é Jesus Cristo; e o propósito do discipulado cristão é preparar pessoas a fim de que possam ser como seu Mestre (Lc 6.40). Este é o alvo do discipulado: transformar vidas, a fim de que possam ser como Jesus Cristo. A motivação para essa tarefa é fortalecida quando se vê a transformação que o Senhor Jesus opera nas pessoas. A obra de Cristo é anunciada como uma obra de libertação do homem de todos os jugos (Lc 4.18,19).

Quando chamou seus primeiros discípulos, Jesus apontou para a transformação que iria realizar

em suas vidas: “Não temas; doravante serás pescador de homens.”

(Lc 5.10).

Quando a igreja desenvolve a missão, entregando-se ao discipulado, vê a transformação operada na vida das pessoas; e, quando isso acontece, com certeza a motivação é revigorada.

3. A MOTIVAÇÃO PARA O DISCIPULADO É NUTRIDA PELO CONTEÚDO DA MENSAGEM

ENSINADA

Resumo do terceiro tópico:

O conteúdo do discipulado cristão é Jesus e sua palavra (Lc 10.21-24); ou, como relata Mateus,

todas as coisas ordenadas pelo Senhor (Mt 28.20).

Em João 15, Jesus fala sobre o poder revitalizador da sua presença e da sua palavra na vida do discípulo: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda. Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (Jo 15.1-5).

No discipulado cristão, o que se ensina é a mensagem transformadora do evangelho, que determina a maneira de pensar, sentir, falar e agir. O discipulado não é a transmissão e absorção de conceitos, simplesmente: é vida, é evangelho encarnado.

No discipulado, todos são desafiados a participar da nova comunidade, através do batismo e a prática dos ensinamentos de Jesus.

4. A MOTIVAÇÃO PARA O DISCIPULADO É GARANTIDA PELA COMPANHIA DE CRISTO E DO ESPÍRITO

Resumo do quarto tópico:

A certeza da companhia do Senhor é um forte fator de motivação para o cumprimento da

missão. Jesus prometeu: “E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.”

(Mt 28.20).

Jesus prometeu aos discípulos o envio do Espírito Santo para assisti-los na missão (Jo 14.16,17;

At 1.8).

Em meio às lutas do ministério, Paulo experimentou o alento da companhia prometida pelo Senhor Jesus: “Teve Paulo durante a noite uma visão em que o Senhor lhe disse: Não temas; pelo contrário, fala e não te cales; porquanto eu estou contigo, e ninguém ousará fazer-te mal, pois tenho muito povo nesta cidade.” (At 18.9,10).

A igreja é revestida de autoridade pelo próprio Senhor para cumprir a missão de fazer

discípulos.

DISCUSSÃO

Dê oportunidade aos alunos para opinarem sobre estas questões:

Qual é o seu nível de motivação, atualmente, no desenvolvimento da missão?

A sua igreja, de forma geral, tem se mostrado motivada em relação ao discipulado cristão?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Convide os alunos a orar silenciosamente, suplicando a Deus aumento da motivação para se dedicarem ao trabalho de discipulado. Em seguida encerre orando por eles.

10 | COMUNIDADE DISCIPULADORA

OBJETIVOS DO ESTUDO:

Mostrar quão importante e necessário é o discipulado como recurso para o fortalecimento e o desenvolvimento saudável da igreja.

Mostrar que essa responsabilidade tem a ver com cada membro da igreja.

ABERTURA DA AULA:

Faça a leitura de Atos 18.24 a 28.

ESTRATÉGIAS PARA A CONDUÇÃO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Leia e comente cada parágrafo da introdução do estudo.

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Divida a classe em três grupos, dando a eles as seguintes tarefas:

a) O primeiro grupo, baseando-se no primeiro e segundo tópicos da lição, deverá escrever

numa folha de papel A4, em duas colunas, o seguinte: “O QUE NÃO É DISCIPULADO” e “O QUE É DISCIPULADO”. Depois deverão justificar por que o discipulado deve ser reconhecido como a consistente modalidade de ensino da igreja;

b) O segundo grupo, baseando-se no terceiro tópico da lição, deverá fundamentar biblicamente a afirmação de que “o discipulado deve ser utilizado como uma eficaz estratégia para a plantação de novas igrejas”;

c) O terceiro grupo deverá elaborar uma lista de respostas às perguntas da Discussão.

Cada grupo deverá dispor de uns dez minutos para trabalhar e, depois, cinco minutos para expor para toda a classe o seu trabalho.

Terminadas as exposições, passe o vídeo “Pequeno Grupo Multiplicador”, disponível neste endereço: < https://www.youtube.com/watch?v=50rFKaLx8Js >

ENCERRAMENTO DA AULA:

Encerre a aula com um momento de intercessão pela Igreja. Sugira a formação de pequenos grupos, com três pessoas, para que todos possam orar.

11 | EVANGELIZAÇÃO E DISCIPULADO

OBEJETIVO DA AULA:

Conscientizar sobre necessidade de atrelar o discipulado à evangelização para conduzir os novos convertidos à maturidade em Cristo e a uma vida eficaz como discípulos.

ABERTURA DA AULA:

Conduza a leitura de Atos 11.19 a 26.

ESTRATÉGIAS PARA A CONDUÇÃO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Prepare um cartaz com estas informações retiradas do terceiro tópico desta lição e coloque-o em lugar visível da sala, antes do início da aula (está disponível no PowerPoint):

DESIGREJADOS NO BRASIL:

4 milhões são os brasileiros que se declaram evangélicos, mas não têm vinculação eclesiástica; o percentual de evangélicos nesta situação é de 10%;

62% dos desigrejados são egressos de denominações neopentecostais, cuja ênfase é a teologia da prosperidade;

63% dos respondentes declararam que voltariam a se vincular a uma comunidade que não apresentasse os vícios e malversações que os afastaram da comunhão;

29% dizem que não pretendem manter vínculo com outra igreja novamente;

5,6 anos é o tempo médio de conversão dos desigrejados.

Convide alguém que tenha bastante experiência sobre evangelização e discipulado, para apresentar um depoimento de mais ou menos dez minutos, a fim de despertar e desafiar seus alunos a serem discipuladores.

Em seguida, comente rapidamente a introdução do estudo e passe este vídeo: “Discipulado Missional Life on Life Brasil” < https://www.youtube.com/watch?v=wX_rvWx8X-I >

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Leia com os alunos e comente, parágrafo a parágrafo, o conteúdo dos tópicos para reflexão.

DISCUSSÃO

Divida a classe em dois grupos para a discussão das perguntas desta sessão. Concluída a discussão, os grupos terão a oportunidade de comparar suas conclusões e sugestões.

Por que, geralmente, evangelização e discipulado estão desassociados na igreja evangélica brasileira?

Como articular um trabalho que integre evangelização e discipulado e assim criar uma nova realidade?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Faça um círculo, dê uma breve palavra final de incentivo e peça a duas pessoas para orar (de preferência, uma de cada grupo).

12 | DISCIPULADO E CRESCIMENTO DA IGREJA

OBJETIVO DA AULA:

Considerar a relação existente entre discipulado e crescimento da igreja e a necessidade do treinamento de líderes para que a tarefa seja desenvolvida com eficácia.

ABERTURA DA AULA:

Conduza a leitura de Atos 1.1 a 14.

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA:

INTRODUÇÃO

Inicie a aula lendo e comentando esta observação de Luiz Augusto C. Bueno (está no PowerPoint):

O grande problema das igrejas é o que podemos chamar de orfandade espiritual. Os recém-convertidos são simplesmente deixados de lado e os que permanecem na igreja tornam-se órfãos espirituais. A resposta para isto é a realidade do ministério paulino. O apóstolo Paulo se considerava pai de todos os discípulos de Cristo (I Co 4.15; Gl 4.19; I Ts 2.11). O discipulado chama a igreja a se responsabilizar pelo seu membro; não apenas fazê-lo um bom conhecedor de doutrinas, mas, na convivência do discipulado, torná-lo alguém extremamente comprometido com a sua comunidade.”

Em seguida, passe o vídeo “Igreja Missional Simples”: < https://www.youtube.com/watch?v=ZpfmcZnb9SE >

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Com a participação dos alunos, leia e comente cada tópico desta lição. Use o PowerPoint.

1. O DISCIPULADO POR MEIO DE PEQUENOS GRUPOS É ESSENCIAL PARA O CRESCIMENTO

INTEGRAL DA IGREJA

2. O DISCIPULADO DEVE SER ABRAÇADO PELOS MEMBROS DA IGREJA COMO UM ESTILO DE

VIDA

3. O DISCIPULADO REQUER TREINAMENTO DE LÍDERES

DISCUSSÃO

Provoque a discussão em torno das questões aqui levantadas:

Quais são algumas das dificuldades encontradas para envolver os leigos no trabalho de discipulado? O que pode ser feito a fim de superar essas dificuldades?

Alguém pode alegar que não precisa de discipulado para alcançar o crescimento da igreja, pois a igreja está cheia, mesmo sem discipulado. Como você analisa esse ponto de vista?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Não deixe de exibir este vídeo para concluir a sua aula: “Fazei discípulos e não membros” < https://www.youtube.com/watch?v=SjVnxZg_v-M >

13 | DISCIPULADO RELEVANTE

OBJETIVO DO ESTUDO:

Identificar atitudes que devem se fazer presentes na prática dos discípulos de Jesus nos dias de hoje.

ABERTURA DA AULA:

Conduza a leitura de Atos 9.20 a 31.

Imprima um cartão para cada aluno, contendo estas palavras que estão na introdução do estudo. Faça a leitura e distribua os cartões (você pode aproveitar este modelo ou confeccionar um cartão ao seu modo):

este modelo ou confeccionar um cartão ao seu modo): Encerrada a leitura do cartão, fale que

Encerrada a leitura do cartão, fale que Barnabé é um desses personagens e que o estudo de hoje será baseado em sua experiência cristã.

Antes de prosseguir, passe este vídeo intitulado: “O que é uma Igreja Missional?” < https://www.youtube.com/watch?v=sDB1057T6Ow >

TÓPICOS PARA REFLEXÃO

Faça a exposição dos tópicos deste estudo, utilizando o roteiro proposto no PowerPoint.

DISCUSSÃO

Separe um tempo razoável para que seja feita uma boa discussão em torno destas questões:

Você acha que a sua igreja tem demonstrado sensibilidade para receber com alegria, indistintamente, todos os que dela se aproximam, crendo no potencial transformador da graça de Deus?

Em sua igreja há muitos elementos que cumprem o papel que Barnabé cumpriu, no sentido de facilitar a integração dos novos convertidos? O que pode ser feito para melhor ainda mais esse trabalho?

ENCERRAMENTO DA AULA:

Para concluir esta lição e a série de estudos, não deixe de exibir o vídeo: “Ide e fazei discípulos”, disponível neste endereço: < https://www.youtube.com/watch?v=qaUVy43oF50 >

Ore em favor de seus alunos e de sua Igreja.

Mensagem da DIDAQUÊ

Prezado (a) Professora (a):

AGRADECEMOS O SEU INTERESSE POR ESTE MATERIAL E DESEJAMOS AS MAIS RICAS BÊNÇÃOS SOBRE SUA VIDA E MINISTÉRIO.

SE A SUA IGREJA AINDA NÃO POSSUI UM MINISTÉRIO DE DISCIPULADO, MOTIVE SEUS ALUNOS A COMEÇAR ESSE TRABALHO. EVIDENTEMENTE, ISSO DEVE ACONTECER EM PLENA SINTONIA COM A DIREÇÃO DA IGREJA, POIS ESSE TRABALHO DEMANDA ORAÇÃO, TREINAMENTO QUALIFICADO, CUIDADOS NA INTEGRAÇÃO DOS NOVOS DISCÍPULOS E AVALIAÇÃO CONSTANTE.

O NOSSO DESEJO É QUE A REALIDADE DE SUA IGREJA CHEGUE A ESTE PONTO:

CADA DISCÍPULO UM DISCIPULADOR.

DIDAQUÊ A serviço do Reino.