Вы находитесь на странице: 1из 5

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA

CÍVEL E EMPRESARIAL DE BRAGANÇA/PA

BENEDITO REGINALDO CARDOSO BARROSO, brasileiro, casado, servidor


público estadual, portador do RG nº. 21382-PM/PA e do CPF nº. 329.817.322-34,
residente e domiciliado à Pass. Osório, nº. 154, Taira, Bragança/PA, CEP nº. 68.600-
000 e ANTONIA DE OLIVEIRA RIBEIRO CARDOSO, brasileira, casada, do lar,
portadora do RG nº. 2102785-PC/PA e do CPF nº. 301.776.182-72, residente e
domiciliado à Pass. Osório, nº. 154, Taira, Bragança/PA, CEP nº. 68.600-000, ambos
por seu advogado subscrito (instrumento de procuração incluso), vêm, respeitosamente,
perante Vossa Excelência, com fulcro no art. 226, § 6º da Constituição Federal, e nos
artigos 1.571 e seguintes do Código Civil, propor a presente AÇÃO DE DIVÓRCIO
CONSENSUAL DIRETO C/C PARTILHA DE BENS, pelas razões de fato e de
direito a seguir expostas:

DO PEDIDO DE GRATUIDADE DA JUSTIÇA

Os Requerentes pleiteiam os benefícios da Justiça Gratuita assegurado


pela Constituição Federal, artigo 5º, LXXIV, Art. 98 e ss do CPC, e Lei Federal
1.060/50 tendo em vista que momentaneamente, não podem arcar com as despesas
processuais, sem prejuízo de seu sustento e dos familiares, conforme declaração em
anexo.
DOS FATOS

Os Requerentes são casados desde 21/09/1994, pelo regime de


Comunhão Parcial de Bens, conforme comprova a certidão de casamento anexa, e
separados de fato desde 2008. Ou seja, há mais de dez anos o casal encontra-se separado
de fato.

DOS BENS

O casal possui o seguinte bem em comum:

01. Um imóvel, com construção, localizado na Pass. Osório, nº. 154,


Taíra, Bragança/PA, CEP nº. 68.600-000, medindo 18mt X 60mt.

DA PARTILHA

Os Requerentes convencionam a partilha nos seguintes termos:

O cônjuge varão deixará a casa para sua ex-companheira.

DOS FILHOS

Da união nasceram 04 filhos:

01- BARRIERY RAMON DE OLIVEIRA CARDOSO, nascido no


dia 21/10/1995, conforme comprova a certidão de nascimento inclusa;

02- VICTOR RENAN DE OLIVEIRA CARDOSOS, nascido no dia


26/12/1998, conforme comprova a certidão de nascimento inclusa;
03- ALANA KEVLIN DE OLIVEIRA CARDOSO, nascida no dia
30/05/2002, conforme comprova a certidão de nascimento inclusa; e

04- IARA TAYLANE OLIVEIRA CARDOSO, nascida no dia


24/02/2004, conforme comprova a certidão de nascimento inclusa.

DA GUARDA E VISITA

A guarda dos filhos menores será exercida pela mãe, podendo o pai
visitá-las livremente, desde que não prejudique seus estudos, e poderá ficar durante as
férias escolares e feriados prolongados de forma alternada.

DOS ALIMENTOS

A pensão alimentícia a ser prestada pelo cônjuge varão aos filhos em


comum e será de R$ 600,00 (seiscentos reais), equivalente a 10% dos rendimentos
brutos do mesmo, a serem pagos todo dia 05 de cada mês. O valor deverá ser depositado
na conta corrente da genitora das menores. A prestação acima se dará até a filha mais
nova completar 18 anos, ou concluir a faculdade, o que vier por último, desde que não
ultrapasse 24 anos. Ficando desobrigado, independente de processo de exoneração.

Ambos abrem mão dos alimentos recíprocos.

DO NOME DA MULHER

A mulher voltará a usar o nome de solteira, qual seja: ANTONIA DE


OLIVEIRA RIBEIRO.
DO DIREITO

O § 6º do art. 226 da Constituição Federal, antes da modificação trazida


pela Emenda Constitucional nº 66/2010, estabelecia que o “casamento civil pode ser
dissolvido pelo divórcio, após prévia separação judicial por mais de um ano nos casos
expressos em lei, ou comprovada separação de fato por mais de dois anos”, ao passo
que, após a referida alteração, passou simplesmente a prever que o “casamento civil
pode ser dissolvido pelo divórcio”.

Assim, diante da leitura do artigo supramencionado, conclui-se que é


permitida a extinção do vínculo matrimonial pelo divórcio sem a necessidade de prévia
separação judicial por mais de 1 ano ou de comprovação da separação de fato por mais
de 2 anos, como era exigido anteriormente.

Tendo em vista que os Requerentes encontram-se separados de fato há


mais de dez anos e da impossibilidade de reconciliação, pleiteiam a decretação do
divórcio de maneira consensual, nos termos das cláusulas acima descritas.

DO PEDIDO

Diante do exposto, requerem digne-se Vossa Excelência determinar:

1. o deferimento da concessão da gratuidade da justiça;


2. a oitiva do representante do Ministério Público;
3. a homologação do presente acordo na forma requerida,
decretando-se a extinção do vínculo matrimonial do casal;
4. a determinação da expedição dos mandados ao registro civil para
as devidas averbações, nos termos da lei;

Protesta pela juntada de todos os documentos ora anexados à presente


para a comprovação dos fatos ora alegados e por eventuais outros que Vossa Excelência
entenda como necessários à homologação desta.

Dá-se à causa o valor de R$ 67.200,00 (sessenta e sete mil e duzentos


reais), para fins de alçada.

Termos em que pede deferimento.

Bragança/PA, 21 de maio de 2018.

Dr. Ellison Costa Cereja


OAB/PA nº. 20.428

_________________________________________________________________
BENEDITO REGINALDO CARDOSO BARROSO
Cônjuge

__________________________________________________________________
ANTONIA DE OLIVEIRA RIBEIRO CARDOSO
Cônjuge