You are on page 1of 12

BIBLIOGRAFIA

1. Crônica

BENDER, Flora; LAURITO, Ilka. Crônica - história, teoria e pratica. Coleção


Margens do Texto. São Paulo: Editora Scipione, 1993.

CANDIDO, Antonio. A vida ao rés-do-chão. In: CANDIDO, Antonio et. al. A


crônica: o gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil. São
Paulo; Rio de Janeiro: Editora da Unicamp; Fundação Casa de Rui Barbosa,
1992.

CANDIDO, Antonio. A crônica: o gênero, sua fixação e suas transformações


no Brasil. São Paulo, Rio de Janeiro: Unicamp, Fundação Casa de Rui
Barbosa, 1992.

CHALHOUB, Sidney; NEVES, Margarida; PEREIRA, Leonardo Affonso de.


História em cousa miúda - capítulos de história social da crônica no Brasil.
Editora da Universidade de Campinas (Unicamp), 2005.

FERRAZ, Geraldo Galvão. A escrita de uma crônica. Revista Língua


Portuguesa. São Paulo: Ano 2, n. 20, páginas 38 – 39, jun, 2007.

MEDEIROS, Vanise Gomes de. Discurso Cronístico: uma falha no ritual


jornalístico.Disponível em:
http://www3.unisul.br/paginas/ensino/pos/linguagem/0501/05.htm

MELO, José Marques de. A crônica como gênero jornalístico. In: Teoria do
Jornalismo - identidades brasileiras. São Paulo, Editora Paulus, 2006.

MIYAKE, Ricardo. Entre o jornalismo e a literatura: a crônica. In: Revista


Biblioteca EntreLivros. Jornalismo x Literatura. São Paulo:edição especial n.
11, p. 50 – 53, Duetto, 2008.

PEREIRA, Wellington. Crônica: a arte do útil ou do fútil? (Ensaio sobre a


crônica no jornalismo impresso). João Pessoa: Idéia, 1994.

PIMENTA, Edward. A crônica é nossa? In: Revista Bravo! Tropicália. São


Paulo: Ano 10, n. 120, p. 84 – 89, ago, 2007.

PINTO, Manuel da Costa. Crônica Brasileira Contemporânea. São Paulo:


Moderna, 2005.

RONCARI, Luiz. A estampa da rotativa na crônica literária. In: Boletim


Bibliográfico Biblioteca Mário de Andrade. São Paulo: v. 46, números 1/4,
1985.
ROSSETTI, Regina; VARGAS, Herom. A recriação da realidade na crônica
jornalística brasileira. UNIrevista. São Paulo: Vol. 1, n. 3, jul, 2006. Disponível
em: http://www.unirevista.unisinos.br/_pdf/UNIrev_RossettiVargas.pdf.

SÁ, Jorge de. A crônica. Coleção Princípios. São Paulo: Ática, 1997.

SALGADO, Ronaldo. A Crônica Reporteira de João do Rio. Fortaleza:


Laboratório de Estudos da Oralidade e Expressão Gráfica, 2006.

SANTOS, Gerson Tenório dos. Enunciação e polifonia na moderna crônica


brasileira. X Congresso Brasileiro de Literatura Comparada (Abralic). Rio de
Janeiro, UERJ, 2006

SIMON, Luiz Carlos Santos. Do jornal ao livro: a trajetória da crônica entre a


polêmica e o sucesso. Disponível em: http://e-
revista.unioeste.br/index.php/temasematizes/article/viewPDFInterstitial/554/465

________. O cotidiano encadernado: a crônica no livro. Disponível em:


http://www.livroehistoriaeditorial.pro.br/pdf/luizcarlossimon.pdf.

2. Biografia e Perfil

ALBERTI, Verena. Literatura e autobiografia: a questão do sujeito na


narrativa. Estudos Históricos. Rio de Janeiro: 1991, vol.4, n.7, p.66-81.

BOAS, Sergio Vilas. Jornalismo sobre personagens. São Paulo: Summus


Editorial, 2007.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: Usos e abusos da história oral.


Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1998.

GALVÃO, Walnice Nogueira. As musas sob assédio – literatura e indústria


cultural no Brasil. São Paulo: Senac, 2005.

HISGAIL, Fani (org). Biografia: sintoma da cultura. São Paulo: Hacker


Editores/Cespuc, 1996.

LEVI, Geovanni. Usos da biografia. In: FERREIRA, Marieta de Moraes,


AMADO, Janaína. Usos e abusos da História Oral. Rio de Janeiro: Fundação
Getúlio Vargas, 1998, p.167-182.

PENA, Felipe.Teoria da biografia sem fim. Rio de Janeiro: Mauad, 2004.

PENA, Felipe. Biografias em fractais: múltiplas identidades em redes flexíveis


e inesgotáveis. Disponível em:
http://www.compos.org.br/data/biblioteca_107.PDF.

PENA, Felipe. Fragmentos de memórias e tempos na construção do


discurso biográfico. Em XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da
Comunicação – BH/MG – 2 a 6 Set 2003. Disponível em:
http://reposcom.portcom.intercom.org.br/bitstream/1904/4417/1/NP2PENA.pdf.

SCHMIDT, Benito (org.) O biógrafo: perspectivas interdisciplinares. Santa Cruz


do Sul: Edunisc, 2000.

SILVA, Cristina Maria da. A biografia romanceada de Rachel de Queiroz.


Disponível em: http://www.antropologia.com.br/colu/colab/c31-csilva.pdf.

3. Reportagem

KOTSCHO, Ricardo. A prática da reportagem. 3ª ed. São Paulo: Ática, 1995.

SALGADO, Ronaldo. A Crônica Reporteira de João do Rio. Fortaleza:


Laboratório de Estudos da Oralidade e Expressão Gráfica, 2006.

SODRÉ, Muniz; FERRARI, Maria H. Técnica de reportagem: notas sobre a


narrativa jornalística. 5 ed. São Paulo: Summus, 1986.

4. Gonzo

ALVARES, Rodrigo. O jornalismo gonzo no Brasil. Porto Alegre: PUC-


RS/Famecos, 2004. Monografia de conclusão de curso de Jornalismo.

CARROL, E. Jean. Hunter, The Strange and savage Life of Hunter S.


Thompson. Nova Iorque: Dutton, 1993.

CZARNOBAI, André F. Gonzo: filho bastardo do new journalism. Porto Alegre:


UFRS, 2003. Monografia de conclusão de curso de Jornalismo.

FERNANDES, Eduardo. Desaforismos Gonzológicos. Disponível em:


http://fraude.org/gonzo.php?Tid=37 , 2002a.

FERNANDES, Eduardo. Ensaios de gonzologia - A ilusão de escrever em


primeira pessoa. Disponível em: http://fraude.org/gonzo.php?Tid=36, 2002b

FERNANDES, Eduardo. Gonzologia - Gonzo pode dar mais ao mundo do que


somente jornalismo?. Disponível em:
http://fraude.org/gonzo.php?Tid=35,2002c.

LAGE, Nilson. O jornalismo na era da razão delirante. Disponível em:


http://www.jornalismo.ufsc.br/bancodedados/lage-razao.html,2002.

HIRST, Martin. What is gonzo? The etymology of an urban lengend.Disponível


em: http://eprint.uq.edu.au/archive/00000776/01/mhirst_gonzo.pdf . Acesso em:
27 nov. 2006.
OTHITIS, Christine. Common Themes and Their Origins in Thompson’s
Writing. Disponível em: http://www.gonzo.org/articles/lit/essone.html , 1994a.

OTHITIS, Christine. Gonzo in The Popular Culture, Disponível em:


http://www.gonzo.org/articles/lit/essthree.html, 1994b.

OTHITIS, Christine. The beginnings and concept of gonzo journalism.


Disponível em: http://www.gonzo.org/articles/lit/esstwo.html . Acesso em: 28
nov. 2006.

THOMPSON, Hunter. A grande caçada aos tubarões: histórias estranhas de


um tempo estanho. São Paulo: Conrad, 2004.

THOMPSON, Hunter. Hell´s Angels: medo e delírio sobre duas rodas. São
Paulo: Conrad, 2004.

THOMPSON, Hunter. Medo e Delírio em Las Vegas. São Paulo: Conrad,


2007.

VASCONCELOS, Wesdley da S. Delírio do verbo: o jornalismo gonzo e a


realidade alucinada. Fortaleza: UFC, 2003. Monografia de conclusão de curso
de Comunicação Social/Jornalismo.

5. Memória

BARBOSA, Marialva Carlos. Memória: um passeio teórico. In: Percursos do


Olhar: Comunicação, Narrativa e Memória. Niterói, EdUFF, 2007, p.39-52.

BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade – lembranças de velhos. São Paulo:


Companhia das Letras, 1994.

DOUEK, Sybil Safdie. Memória e Exílio. São Paulo: Escuta, 2006.

GAGNEBIN, Jeanne-Marie. Walter Benjamin ou a história aberta. In: Magia e


técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7ª ed.
São Paulo: Brasiliense, 1994. (Obras escolhidas, v. 1).

LE GOFF, Jacques. História e memória. Enciclopédia. São Paulo: Imprensa


Nacional, 1997.

NEVES, Lucília de Almeida. Literatura, memória e cidades: interseções.


Revista Scripta. Belo Horizonte, v. 7, n. 14, p.137 – 145, 1º sem, 2004.

PENA, Felipe. Fragmentos de memórias e tempos na construção do


discurso biográfico. Em XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da
Comunicação – BH/MG – 2 a 6 Set 2003. Disponível em:
http://reposcom.portcom.intercom.org.br/bitstream/1904/4417/1/NP2PENA.pdf
SANDES, Anderson. Diálogos com Pedro Nava: a sedução da palavra na
literatura, na história e no jornalismo. Fortaleza: Omni, 2005.

6. História do Jornalismo

MELO, José Marques de. História social da imprensa. Porto Alegre:


EDIPUCRS, 2003. (Comunicação; 27).

SODRE, Nelson Werneck. História da imprensa no Brasil. 4ªed. Rio de


Janeiro: Mauad, 1999.

7. Jornalismo e Literatura

ARNT, Héris. A influência da literatura no jornalismo: o folhetim e a crônica.


Editora E-Papers.

CASTRO, Gustavo de & GALENO, Alex (org.). Jornalismo e literatura: a


sedução da palavra, São Paulo, Escrituras, 2002.

COSSON, Rildo. Fronteiras Contaminadas. Editora da Universidade de


Brasília (UNB).

COSTA, Cristiane. Literatura vs. Jornalismo no Brasil. In: Revista Biblioteca


EntreLivros. Jornalismo x Literatura. São Paulo, edição especial n. 11, p. 16 –
23, Duetto, 2008.

GALENO, Alex. Jornalismo e literatura: a sedução da palavra. 2ª ed. São


Paulo, Escrituras, 2005.

GALVÃO, Walnice Nogueira. As musas sob assédio – literatura e indústria


cultural no Brasil. São Paulo, Senac: 2005.

LIMA, Alceu A. O jornalismo como gênero literário. São Paulo: Com-Arte:


Edusp, 1990.

MEDEL, Manuel A. V. Discurso literário e discurso jornalístico: convergências e


divergências. In: CASTRO Gustavo de; GALENO, Alex (org.). Jornalismo e
literatura: a sedução da palavra. 2 ed. São Paulo: Escrituras, 2005.

MENEZES, Fagundes de. Jornalismo e literatura. Rio de Janeiro: Razão


Cultural, 1997.

MOISÉS, Massaud. A criação literária: prosa II. 16 ed. São Paulo: Cultrix,
2000.

PENA, Felipe. Jornalismo Literário. São Paulo: Coleção Comunicação,


Contexto, 2006.
SANTOS, Bruno A. O real enquanto narração: um diálogo entre o jornalismo
literário e a antropologia interpretativa. Trabalho apresentado à Sessão de
Temas Livres do XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação –
Intercom. Rio de Janeiro, UERJ, 2005.

SATO, Nanami. Jornalismo, literatura e representação. In: CASTRO Gustavo


de; GALENO, Alex (org.). Jornalismo e literatura: a sedução da palavra. 2 ed.
São Paulo: Escrituras, 2005.

SILVA, Juremir M. da. O que escrever quer calar? Literatura e jornalismo. In:
CASTRO Gustavo de; GALENO, Alex (org.). Jornalismo e literatura: a
sedução da palavra. 2 ed. São Paulo: Escrituras, 2005.

SOARES, Rosana de Lima. Margens do Jornalismo: linguagem e discurso.


Revista Galáxia, São Paulo, n. 10, p. 99 – 116. dez. 2005.

8. Narração

ATAÍDE, Vicente de Paula. A narrativa de ficção. Ed. McGraw-Hill do Brasil.

_______. Literatura e Sociedade. São Paulo: Coleção Grandes Nomes do


Pensamento Brasileiro, Publifolha, 2000.

BENJAMIN, Walter. O narrador. In: Sobre arte, técnica, linguagem e política.


Lisboa: Relógio D´água, 1992.

CANDIDO, Antonio. A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 2005.

HANKE, Michael. Narrativas orais: formas e funções. Contracampo, pp 117-


26, 2003. Disponível em:
http://revcom2.portcom.intercom.org.br/index.php/contracampo/article/view/32/3
1

LEAL, Bruno Souza. Do testemunho à leitura: aspectos da evolução do


narrador jornalístico, hoje. Disponível em:
http://bocc.ubi.pt/pag/_texto.php3?html2=leal-brunonarrador-jornalismo.html.
2002.

LLOSA, Mario V. Cartas a um jovem escritor. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

RICOEUR, Paul. Temps et récit. Paris: Éditions du Seuil, 1983. (Tome 1.


L´intrigue et le récit historique).

SACKS, Oliver. Rebeca. In: O homem que confundiu sua mulher com um
chapéu. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, p.198-207.

SALGADO, Ronaldo. A Crônica Reporteira de João do Rio. Fortaleza:


Laboratório de Estudos da Oralidade e Expressão Gráfica, 2006.
SANDES, Anderson. Diálogos com Pedro Nava: a sedução da palavra na
literatura, na história e no jornalismo. Fortaleza: Omni, 2005.

TODOROV, Tzvetan. As estruturas narrativas. Coleção Debates,


Perspectiva, 1970.

9. Novo Jornalismo

CAPOTE, Truman. Os cães ladram. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,


1977.

LIMA, Alceu Amoroso. O jornalismo como gênero literário. Rio de Janeiro:


Agir, 1969.

THOMPSON, Hunter. A grande caçada aos tubarões: histórias estranhas de


um tempo estanho. São Paulo: Conrad, 2004.

_______. Hell´s Angels: medo e delírio sobre duas rodas. São Paulo: Conrad,
2004.

_______. Medo e Delírio em Las Vegas. São Paulo: Conrad, 2007.

WOLFE, Tom. Radical Chique e o Novo Jornalismo. São Paulo: Companhia


das Letras, 2005.

10. Poética, Polifania e dialogismo

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. 9 ed. São Paulo:


Hucitec, 1999.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoievski. 3ª ed. Rio de


Janeiro: Forense Universitária, 2005.

BRAIT, Beth. Ironia em Perspectiva Polifônica. Campinas: Unicamp, 1996.

BEZERRA, Paulo. Polifonia. In: BRAIT, Beth (org.). Bakhtin: conceitos-chave.


2 ed. São Paulo: Contexto, 2005.

ECO, Umberto. Opera aperta. Milano: Bompiani, 2000.

LOTMAN, Iuri. Cultura y explosión. Barcelona: Gedisa, 1994.

LOTMAN, Iuri. La semiosfera. Madrid: Ediciones Cátedra, 1996. 3 vols.


MACHADO, Irene (org). Semiótica da cultura e semiosfera. São Paulo:
Annablume, 2007.

MACHADO, Irene. Gêneros discursivos. In: BRAIT, Beth. Bakhtin: conceitos-


chave. São Paulo: Contexto, 2005.

PIGNATARI, Décio. O que é comunicação poética. Cotia: Ateliê Editorial,


2004.

SANTOS, Gerson Tenório dos. Enunciação e polifonia na moderna crônica


brasileira. X Congresso Brasileiro de Literatura Comparada (Abralic). Rio de
Janeiro, UERJ, 2006.

TEZZA, Cristóvão. Michail Bakhtin e a autoridade poética. XI Conferência


Internacional sobre Bakhtin. Curitiba, 2003. Disponível em:
http://pphp.uol.com.br/tropico/html/textos/1900,1.shl . Acesso em: 12 dez. 2007.

11. Quadrinhos

CIRNE, Moacy. Quadrinhos, sedução e paixão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

ECO, Umberto. Apocalípticos e Integrados. São Paulo: Perspectiva, 2000.

MCCLOUD, Scott. Desvendando os quadrinhos. São Paulo: M.Books, 2005.

SACCO, Joe. Palestina: uma nação ocupada. Tradução de Cris Siqueira. São
Paulo: Conrad, 2004.

SATRAPI, Marjane. Persépolis. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

12. Romance

BENJAMIN, Walter. A crise do romance. In: Magia e técnica, arte e política:


ensaios sobre literatura e história da cultura. 7ª ed. São Paulo: Brasiliense,
1994. (Obras escolhidas, v. 1).

BENJAMIN, Walter. O narrador. In: Sobre arte, técnica, linguagem e política.


Lisboa: Relógio D´água, 1992.

BENJAMIN, Walter. Sobre alguns temas em Baudelaire. In: Textos escolhidos


– Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1975.

KUNDERA, Milan. L´art du roman. Paris: Folio/ Gallimard, 1986.

13. Walter Benjamin e Baudelaire


BAUDELAIRE, Charles. O Pintor da Vida Moderna. Tradução: Teresa Cruz.
Lisboa: Veja, 1993.

BENJAMIN, Walter. A crise do romance. In: Magia e técnica, arte e política:


ensaios sobre literatura e história da cultura. 7ª ed. São Paulo: Brasiliense,
1994. (Obras escolhidas, v. 1).

BENJAMIN, Walter. Experiência e pobreza. In: Magia e técnica, arte e


política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7ª ed. São Paulo:
Brasiliense, 1994. (Obras escolhidas, v. 1).

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e


história da cultura. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BENJAMIN, Walter. O narrador. In: Sobre arte, técnica, linguagem e política.


Lisboa: Relógio D´água, 1992.

BENJAMIN, Walter. Pequenos trechos sobre arte. In: Rua de mão única. São
Paulo: Brasiliense, 1987. (obras escolhidas, v. 2)

BENJAMIN, Walter. Sobre alguns temas em Baudelaire. In: Textos escolhidos


– Os pensadores . São Paulo: Abril Cultural, 1975.

GAGNEBIN, Jeanne-Marie. Walter Benjamin ou a história aberta. In: Magia e


técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7ª ed.
São Paulo: Brasiliense, 1994. (Obras escolhidas, v. 1).

14. Literalidade e Ficcionalidade

ARNT, Héris. A influência da literatura no jornalismo: o folhetim e a crônica.


Editora E-Papers.

ARRIGUCCI, Davi. Enigma e Comentário – ensaios sobre literatura e


experiência. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

ATAÍDE, Vicente de Paula. A narrativa de ficção. Ed. McGraw-Hill do Brasil.

BABO, Maria Augusta. Ficcionalidade e processos comunicacionais, in


http://bocc.ubi.pt/pag/_texto.php3?html2=babo-augusta-literaturaficcionalidade.
html, 1996.

BARTHES, Roland. Ensaios Críticos. São Paulo: Edições 70, 1977.

BARTHES, Roland. Crítica e Verdade. São Paulo: Perspectiva, 1982.

BARTHES, Roland. O grau zero da escritura. São Paulo: Cultrix.


BARTHES, Roland. O prazer do texto. São Paulo: Perspectiva, 2006.

CASTAGNINO, Raul H. Que é literatura?. São Paulo: Mestre Jou, 1969.

EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. Tradução de


Waltensir Dutra. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

ECO, Umberto. Lector in fabula. São Paulo: Perspectiva, 2000.

ECO, Umberto. Seis passeios pelo bosque da ficção. São Paulo: Companhia
das Letras, 1991.

EL FAR, Alessandra. O livro e a leitura no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge


Zahar, 2006.

GOMES, Mayra Rodrigues. Jornalismo e ciências da linguagem. São Paulo:


Hacker Editores/Edusp, 2000.

HENN, Ronaldo Cesar. A pauta e a notícia: uma abordagem semiótica.


Canoas: Ed. ULBRA, 1996.

JAMES, Henry. A arte da ficção. Tradução de Daniel Piza. Rio de Janeiro:


Imaginário, 1995.

MANGUEL, Alberto. Uma história da leitura. Tradução de Pedro Maia Soares.


São Paulo: Companhia das Letras, 1997. Título original: A History of Reading.

MIRANDA, Wander Melo; SOUZA, Eneida Maria de. Arquivos literários. São
Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

MOISÉS, Massaud. A criação literária – Prosa II. São Paulo: Cultrix, 1990.

PERISSÉ, Gabriel. Elogio da leitura. São Paulo: Manole, 2005.

ROSSETTI, Regina; VARGAS, Herom. A recriação da realidade na crônica


jornalística brasileira. UNIrevista. São Paulo: Vol. 1, n. 3, jul, 2006. Disponível
em: http://www.unirevista.unisinos.br/_pdf/UNIrev_RossettiVargas.pdf

SCHOPENHAUER, Arthur. Sobre livros e leitura. Tradução de Philippe


Humblé e Walter Carlos Costa. Paraula, 1993. Texto original: Über Lesen und
Bücher, capítulo 24 de Parerga und Paralipomena, 1851.

SOARES, Rosana de Lima. Margens do Jornalismo: linguagem e discurso.


Revista Galáxia. São Paulo, n. 10, p. 99 – 116, dez. 2005.

WALTY, Ivete Lara Camargos. O que é ficção. Coleção Primeiros Passos,


Brasiliense.
15. Jornalismo de Revista

SCALZO, Marília. Jornalismo de revista. São Paulo: Contexto, 2004.

VILAS BOAS, Sergio. O estilo Magazine: O texto em revista. São Paulo:


Summus, 1996.

16. Livro-reportagem

CAPOTE, Truman. A Sangue Frio – relato verdadeiro de um homicídio múltiplo


e suas conseqüências. Tradução de Sergio Flaskman. São Paulo: Companhia
das Letras, 2003.

GARCÍA MÁRQUEZ, Gabriel. Notícia de um seqüestro. Tradução de Eric


Nepomuceno. Rio de Janeiro: Record, 1996.

SACCO, Joe. Palestina: uma nação ocupada. Tradução de Cris Siqueira. São
Paulo: Conrad, 2004.

THOMPSON, Hunter. A grande caçada aos tubarões: histórias estranhas de


um tempo estanho. São Paulo: Conrad, 2004.

THOMPSON, Hunter. Hell´s Angels: medo e delírio sobre duas rodas. São
Paulo: Conrad, 2004.

THOMPSON, Hunter. Medo e Delírio em Las Vegas. São Paulo: Conrad,


2007.

17. Escritores Jornalistas

DINES, Alberto. Confluências. Publicado nos Cadernos de Literatura Brasileira


do Instituto Moreira Salles . Disponível em:
http://www.claricelispector.com.br/Download_Alberto_Dines_IMS.pdf. Acesso
em: 10 out. 2008.

INSTITUTO MOREIRA SALLES (Ed.). Jornalista: o ofício paralelo. Sobre a


atividade de jornalista de Clarice Lispector. Disponível em:
http://www.claricelispector.com.br/Download_Clarice_jornalista_o_oficio_paralel
o_IMS.pdf. Acesso em: 10 out. 2008.

INSTITUTO MOREIRA SALLES. Clarice Lispector. Instituto Moreira Salles,


2004. (Coleção Cadernos de Literatura Brasileira, 17/18)

LISPECTOR, Clarice. Correio Feminino. Rio de Janeiro: Rocco, 2006

LISPECTOR, Clarice. Só para mulheres. Rio de Janeiro: Rocco, 2008

LISPECTOR, Clarice. Entrevistas. Rio de Janeiro: Rocco, 2007


LISPECTOR, Clarice. De corpo inteiro. Rio de Janeiro: Rocco, 1975

NUNES, Aparecida Maria. Jogo de disfarces: Clarice Lispector e o ofício de


escrever colunas femininas. Disponível em:
http://www.claricelispector.com.br/Download_Clarice_jornalista_por_Aparecida
_Maria.pdf. Acesso em: 10 out. 2008.

QUEIROZ, Rachel de. Existe outra saída, sim. Fortaleza: Edições Demócrito
Rocha, 2007.

QUEIROZ, Rachel de; QUEIROZ, Maria Luiza. Tantos anos. Editora Arx,
2004.

SILVA, Cristina Maria da. A biografia romanceada de Rachel de Queiroz.


Disponível em: http://www.antropologia.com.br/colu/colab/c31-csilva.pdf