Вы находитесь на странице: 1из 4

As línguas mais importantes além do inglês

A importância dos idiomas no mercado de trabalho

Por Sayonara Salvioli | Yahoo Contributor Network – sex, 8 de nov de 2013 18:22 BRST

 Email
 Compartilhar 282
 Tweet


 Imprimir
ThinkStock
Todos sabem que o domínio de um segundo idioma já deixou de ser um diferencial para se
tornar um pré-requisito. Isso quer dizer que, em tese, já se espera que o profissional tenha
uma segunda língua fluente. Nessa linha de pensamento, o que o colocaria na frente na
corrida por uma boa posição no mercado seria o domínio de outros idiomas além do Inglês,
que - por suas aplicações universais - já se tornou uma necessidade de base. No entanto,
muito se tem discutido sobre a real proficiência de idiomas. E a polêmica se instala: qual é a
eficácia de se tentar "acumular idiomas no currículo" quando não se conhece bem a própria
língua?

Para esclarecer a importância e a aplicabilidade de diversas línguas no atual mercado de


trabalho (especialmente o nacional), o Yahoo! Finanças entrevistou experientes consultores
da área.

A necessidade magna do Português


Roberto Madruga é estrategista e educador de grandes organizações na área de Recursos
Humanos. Fundador e President da ConQuist, sua empresa é referência nacional em
treinamentos in-company, cursos de formação e programas de coaching. Com a sua ampla
experiência na área, Madruga informou algo que pode parecer surpreendente, mas que - na
sua opinião e nas vivências do mercado - reflete a realidade do momento. Ele afirma que,
"por incrível que pareça", o idioma mais importante no mercado de trabalho atualmente é o
Português. E o consultor explica as razões e apresenta dados:

" A cada dia que passa, aumenta a necessidade de troca de informações por escrito nas
empresas. Há cerca de 10 anos as pessoas se comunicavam, em média, 50% menos por
escrito do que hoje. Com o aperfeiçoamento das redes sociais e dos celulares, as mensagens
de texto se multiplicaram".

Roberto Madruga complementa:

" O fato é que a grande queixa das empresas é a de que os jovens estariam 'desaprendendo' a
escrever (ou não consumando uma real aprendizagem e consequente exercício da
comunicação escrita) em função da simplificação excessiva das mensagens. Cada vez mais,
infelizmente, as pessoas erram feio no Português e causam embaraços para a empresa onde
trabalham e para os clientes".

Cursos de Português para os próprios brasileiros / Ferramenta de trabalho

Isso explica a atual busca de cursos de Português para brasileiros - principalmente por parte
de executivos, gerentes, secretárias etc. -, já que no meio corporativo o domínio da
"ferramenta da língua" é uma exigência gradual e determinante. Essa ênfase ocorre também
na dinâmica do correio eletrônico, por exemplo. E, nas costumeiras apresentações em
projeções, a intolerância ao erro é cada vez maior, após tantos lapsos - e, mesmo, falhas
graves.

É preciso ressaltar, ainda, a importância da comunicação correta nas reuniões de trabalho. Há


aí a medalha e seu reverso: ao mesmo tempo em que a boa retórica vai promover (sem
dúvida) um profissional, aquele que tem má formação será "delatado" pela própria ação: ao
falar ou escrever, indiscutivelmente, ele "entregará" o seu despreparo. É nesse contexto que
bons cursos de Português vêm se tornando cada vez mais necessários.

Panorama econômico / Destaques do idioma

Mais ainda: a importância do Brasil em cenário mundial - numa prévia dos grandes eventos
(Copa do Mundo 2014 / Olimpíadas 2016) ditam essa valorização da língua, no compasso da
questão socioeconômica. Com notoriedade internacional, cresce o interesse pelo país, sua
cultura e seu idioma.

Estatísticas do Instituto Camões dão conta de que o Português é, atualmente, a quinta língua
mais falada na Internet e a terceira mais usada no Facebook e no Twitter. Grande destaque do
idioma se dá também no valorizado ramo de negócios de petróleo e gás. Em pauta, na cidade
de Lisboa, uma conferência sobre "o futuro do Português no complexo mundial".

Idiomas estrangeiros mais procurados depois do Inglês


Questionado, ainda, sobre a necessidade de outros idiomas para o ingresso e a progressão do
profissional em sua área, Madruga destacou que - no que se refere a línguas estrangeiras, para
o mercado, depois do Inglês vem o Espanhol.

O Yahoo! Finanças consultou também Roberto Barretto de Carvalho, Sócio-diretor/fundador


do Brasillis, com atuação no segmento desde 1992. O administrador de empresas informa que
em seu curso, especificamente, o idioma mais procurado continua sendo o Inglês, seguido
pelo Francês. Mas ele elenca também os principais destaques nessa busca: Português para
estrangeiros, Espanhol, Italiano e Alemão.

O Espanhol e o Francês

É fácil compreender o destaque do Espanhol e do Francês na busca por idiomas estrangeiros


e seu emprego no mercado nacional.

No caso do Espanhol - segundo idioma de maior difusão no mundo depois do Inglês -, são
preponderantes para sua busca as negociações com países latino-americanos e, especialmente,
o fato de o idioma ser o oficial da ONU, UNESCO, UE e MERCOSUL (Veja informações
referentes no portal Essential Idiomas).

Quanto ao idioma francês, no caso específico do Brasillis tem destaque logo depois do Inglês
(na escola). Já em esfera nacional, é o terceiro idioma mais procurado nas escolas de línguas.
O portal Essential assinala, ainda, que a importância do Francês se eleva com a crescente
instalação de empresas francesas no Brasil, em expansão significativa de mercado e interação
cultural.

A importância do vernáculo

De acordo com os dicionaristas, o vernáculo é a língua falada pelo povo de um país


(significado básico), em sua original correção [Veja mais aqui: Aulete].

Ainda, porém, que o termo não seja empregado correntemente, é a busca de seu bom uso que,
antes de tudo, pode beneficiar as comunicações e, mesmo, as relações de trabalho no país.

Apesar da comprovada necessidade de idiomas estrangeiros, é urgente que se busque a devida


qualificação no próprio idioma, como recomendam os especialistas. Afinal, todos concordam,
não será possível a alguém que não tenha domínio da língua nativa, em qualquer
circunstância, poder exercer uma real proficiência em outro idioma, seja ele qual for.