Вы находитесь на странице: 1из 10

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA

campus PLANALTINA

PLANO DE GESTÃO

2015-2018

Fortalecer o Campus e trilhar pelos ideais de acolhimento, competência e responsabilidade


social

Plano de gestão apresentado à Comissão Eleitoral do


Campus Planaltina do Instituto Federal de Brasília para o
processo de eleição do Diretor-Geral.

Candidata: Profa. Edilene Carvalho Santos Marchi

Planaltina

2014
Apresentação do plano de gestão

O campus Planaltina pode ser comparado a um pequeno município, que apresenta


demandas de transporte, moradia, infraestrutura, alimentação, energia, produção, segurança,
gestão de resíduos, educação, questões ambientais, saúde, lazer, esporte e cultura. Esta
realidade requer um planejamento de curto, médio e longo prazo, que seja construído de forma
participativa, em busca da sua sustentabilidade.

Sustentabilidade pode ser definida como habilidade ou capacidade de se manter ou de se


sustentar. É algo que o campus necessita para sobreviver agora, levando em consideração as
necessidades do futuro no sistema em que vivemos. Ao refletir sobre sustentabilidade, apresento
este plano de gestão, de forma que a gestão esteja comprometida com as demandas atuais,
sobretudo, com o futuro do campus, do Instituto Federal de Brasília e do bem estar dos
estudantes.

Este plano de gestão tem o objetivo de partilhar com a comunidade do campus, temas
norteadores de ações futuras de forma que cada membro se sinta parte do campus, seja ouvido,
incluído, e seja artesão de seu futuro.

Linhas de atuação

Gestão da educação

Priorizar a oferta de educação de qualidade, enfatizando o acolhimento, a competência e a


responsabilidade social por meio das ações:

-Apoiar e defender novos meios de ingresso de estudantes no campus Planaltina.

-Aumentar a qualidade e o número de aulas práticas e visitas técnicas.

-Garantir que as disciplinas da área propedêutica sejam disponibilizadas aos


estudantes do campus de forma presencial.

-Discutir o Projeto Político Pedagógico do campus com a comunidade.

-Modernizar as Unidades de Ensino e Produção e o laboratório de informática.

-Ampliar a oferta de sinal de internet no campus e melhorar o acesso à informação aos


estudantes.

-Trazer um professor da área de Educação Física para completar o corpo docente do


campus para estimular campeonatos e treinos esportivos.

-Garantir melhoria do conforto térmico nas salas de aulas (ar condicionado e cortinas)
e instalações de novos bebedouros.

-Divulgar os horários da equipe de ensino e dos professores para atendimento ao


estudante por meio do mural na recepção da escola.
-Estabelecer ao colegiado um horário de discussão sobre as necessidades individuais
dos estudantes do Técnico em Agropecuária Subsequente.

-Aprimorar o registro acadêmico por meio da criação da secretaria digital.

-Garantir a representação do campus Planaltina no Conselho Regional de Engenharia


e Agronomia do DF para os Cursos de Agropecuária e reconhecimento do Curso Superior de
Agroecologia.

-Garantir a representação do campus Planaltina no Conselho Regional de Biologia


para o curso de Licenciatura em Biologia.

-Criar uma vitrine viva que contemple as diversas áreas de ciências agrárias, biológicas
e agroecológicas do campus: campo de forrageiras, frutíferas, gestão de resíduos do campus
(compostagem dos resíduos orgânicos do refeitório), bio-construção, trilhas ecológicas, tanques
de piscicultura e áreas a serem sugeridas pela comunidade, para que o campus seja referência
em tecnologia e inovação.

-Instituir um laboratório de Ensino de Biologia para estimular pesquisas na área de


Educação.

-Criar um museu que contemple geologia, entomologia, memória da luta pela terra e
agricultura familiar.

-Garantir que as decisões e questões levantadas nos Conselhos de Classe sejam


realizadas e suas ações sejam divulgadas posteriormente aos docentes, responsáveis e técnicos
de ensino.

-Criar o Programa de Conscientização e Preservação Ambiental por meio de palestras


e plantio de mudas, uso racional da água, energia elétrica, papel e coleta de lixo no Parque
Ambiental.

-Discutir a importância da preservação do Patrimônio Público por meio do Programa de


Respeito ao Patrimônio Público.

Gestão de assistência estudantil

Aprimorar ações afirmativas de acolhimento e compromisso ético social do campus com os


estudantes por meio das ações:

-Fortalecer e expandir o atendimento das necessidades dos estudantes quanto à


residência, alimentação, acompanhamento pedagógico, saúde e assistência social.

-Buscar a formação de uma equipe de saúde (médico, dentista, psicólogo, enfermeiro)


para atender as necessidades dos estudantes.

-Criar uma equipe multidisciplinar com presença feminina para acompanhamento e


apoio psíquico e pedagógico para evitar a evasão escolar.

-Ofertar a Noite no Cinema com a promoção de filmes para comunidade estudantil.


-Criar o Centro de Convivência, Esporte, Lazer e Cultura para promover o bem-estar
dos estudantes.

-Fortalecer e incentivar a monitoria como forma de diminuir a evasão e melhorar o


desempenho acadêmico.

-Ofertar cursos de formação inicial e continuada (FIC) nas áreas de artes plásticas,
música, linguagens e ética.

-Melhorar o relacionamento da gestão do campus com as famílias dos estudantes e


discentes pelo estabelecimento de um canal de atendimento via telefone, e-mail e página na
internet do campus.

-Criar sala de estudo na residência estudantil e lavanderia.

-Regulamentar atividades culturais, de lazer e esportivas coordenadas pela


Coordenação de Atendimento ao Estudante (CDAE).

-Estimular as práticas esportivas no período noturno com o estabelecimento de


campeonatos de futsal, voleibol, xadrez, dama, tênis de mesa e peteca.

-Incentivar discussões sobre o aprimoramento da residência estudantil com a


participação de residentes, CDAE, assistência estudantil e docentes.

-Resgatar o regulamento de residência e ao estudante de forma a atualizá-lo e adequá-


lo às necessidades atuais.

-Ofertar aos estudantes uma fruta como refeição durante os intervalos matutino e
vespertino.

-Instalar um programa de acolhimento aos estudantes pela promoção de festas, de


confraternizações, de boas vindas e de despedidas.

-Estabelecer uma parceria com o Centro de Referência em Práticas Integrativas em


Saúde (CERPIS) de Planaltina para promover ações conjuntas de bem-estar aos nossos
discentes.

-Fortalecer as ações do Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Específicas


(NAPNE).

Gestão administrativa

Primar pela competência administrativa e compromisso institucional por meio das ações:

-Otimizar e agilizar a direção de administração e planejamento para que possamos


executar os recursos financeiros e orçamentários que temos.

-Ofertar treinamento de nosso corpo técnico para licitações e compras; e acompanhar


os pedidos encaminhados à Reitoria para garantir sua execução dentro do prazo.
-Implementar a comercialização de produtos in natura e processados oriundos de
nossas unidades de produção de forma a aumentar os nossos recursos financeiros pela criação
do posto de vendas.

-Implantar duas lanchonetes, sendo uma próxima ao refeitório e outra área da


Agroecologia, por meio de licitação no campus.

-Aumentar o número de estudantes pelo aumento de oferta de cursos presenciais e via


educação à distância.

-Diminuir a evasão de estudantes criando melhores condições de vida para


permanência no campus.

-Implementar um painel eletrônico no refeitório e na recepção com divulgação


atualizada das principais notícias de interesse para a comunidade do campus, como a divulgação
de aniversários, período de matrícula, avisos, fatos marcantes da semana, imagens das aulas
práticas e projetos desenvolvidos na área de extensão e pesquisa do campus.

-Criar instâncias de discussão com a comunidade do campus para promover a gestão


participativa nas áreas de residência estudantil e de servidores, gestão ambiental, gestão
patrimonial.

-Garantir a presença do tradutor de libras e melhoria da acessibilidade no campus.

-Convidar os técnicos terceirizados para as reuniões do campus como forma de


integrá-los à comunidade e de sensibilizá-los de sua participação no processo educacional.

-Estabelecer uma linha de comunicação constante com as empresas de transporte


para cobrar um serviço de qualidade e constância.

-Promover o desenvolvimento do acervo bibliográfico e informatizar o acervo da


biblioteca.

-Apoiar as ações da bibliotecária para dinamizar o serviço da biblioteca e aumento de


computadores para consulta nos sítios da internet.

-Resgatar projetos de modernização do refeitório e apoiar medidas de melhoria da


estrutura e do serviço.

-Implantar projeto de segurança do campus com instalação de câmeras em toda a


parte construída.

-Melhorar a iluminação no campus.

-Estimular a implantação de jardins e praças no campus.

-Criar Programa de Gestão de Resíduos Sólidos, apoiando projetos de coleta seletiva e


parcerias com Cooperativas de Coleta Seletiva.

-Criar Programa de Uso Racional de Água e Energia Elétrica no campus.

-Criar Programa de Respeito ao Patrimônio Público.


Gestão de pessoas

Valorizar os servidores do campus como forma de se alcançar os ideais de acolhimento,


competência e responsabilidade social por meio das ações:

-Criar e consolidar a diretoria itinerante com visitas bimestrais aos setores do campus.

-Implantar o SASD (Serviço de Atendimento aos Servidores e Discentes) para receber


sugestões e críticas anônimas por meio de um formulário na recepção. Tais demandas serão
analisadas pela direção e divulgadas nas reuniões gerais coordenadas pela direção geral.

-Orientar o corpo técnico e docente das fontes de recursos e editais com bolsas para
participação em cursos de pós-graduação, congressos e seminários.

-Capacitar a nossa comunidade (técnicos, docentes e terceirizados) na Língua


Brasileira de Sinais, em educação financeira pessoal, legislação na área educacional, língua
estrangeira (inglês e espanhol), propriedade intelectual e inclusão escolar.

-Instalar um programa de acolhimento aos nossos servidores pela promoção de festas


de confraternização, de boas vindas e de despedidas.

-Divulgar os servidores aniversariantes do mês.

-Instalar um programa de qualidade de vida que garanta aos nossos servidores


momentos de descontração e entretenimento (tênis de mesa, yoga, massagem, ginástica laboral
e academia de musculação).

-Estabelecer parceria com o Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde


(CERPIS) de Planaltina para promover ações conjuntas de bem-estar aos nossos servidores.

-Instalar programas de prevenção à saúde como campanhas de vacinação, doação de


sangue, prevenção de câncer de mama e colo de útero, de próstata, tétano e de doenças comuns
na sociedade brasileira e de prevenção de acidentes de trabalho.

-Promover o bem-estar no trabalho utilizando um projeto arquitetônico para humanizar


os espaços para docentes e técnicos (setores).

-Estimular a representação de um docente na Comissão Permanente de Pessoal


Docente (CPPD) na Reitoria do IFB.

-Melhorar a gestão dos recursos de diárias e passagens de forma participativa e mais


inclusiva, garantindo que parte deste recurso vá para outras demandas levantadas pelos
servidores.

-Renovar a parceria com o Governo do Distrito Federal (GDF) de forma atender aos
servidores que atuam no campus.
-Apoiar a abertura de discussão e divulgação sobre a luta dos técnicos pela jornada de
trabalho de 30 horas.

-Apoiar ações de qualificação dos servidores por meio de divulgação de cursos


gratuitos de educação à distância e presencial do SEBRAE, SENAI/SESI e Emater.

-Incentivar a realização de cursos de capacitação garantindo a liberação do servidor


por 20 horas a cada semestre com comprovação por meio de certificado.

Gestão da pesquisa

Estimular o aprimoramento da competência e da responsabilidade social por meio das


ações:

-Apoiar a criação de novos núcleos de estudos para contemplar as diversas áreas da


ciência que existem no campus.

-Fortalecer e apoiar projetos bem sucedidos existentes no campus como o NUPA-


Núcleo de Pesquisa Aplicada à Pesca e Aquicultura e NEA – Núcleo de Estudos em
Agroecologia.

-Incentivar a pesquisa para captação de recursos (recursos de bolsas e patentes) e


estruturação de laboratórios e equipamentos para pesquisa de campo.

-Apoiar nossos estudantes para participar do Programa Brasília Sem Fronteiras e


Ciências Sem Fronteiras.

-Promover cursos rápidos nas áreas de estatística, busca em periódicos, programas de


apresentação de trabalhos científicos e elaboração de gráficos e tabelas, normas técnicas de
escrita e utilização de softwares para análise de dados.

-Estimular a compra de livros e revistas científicas para compor o acervo da biblioteca.

-Divulgar no site os projetos de pesquisa desenvolvidos no campus.

-Apoiar a participação de nossos estudantes para apresentarem trabalho em eventos


técnico científico.

-Criar o Dia do Jovem Cientista para estimular a apresentação dos trabalhos de


pesquisa desenvolvidos pelos estudantes do campus no primeiro semestre de cada ano.

-Estimular parcerias com instituições de pesquisa e empresas para desenvolver


pesquisas no campus, convidando-os a participarem de eventos como o Dia do Jovem Cientista.

-Criar um laboratório de Ensino de Biologia para estimular pesquisas na área de


educação.
Gestão da extensão

Buscar novas formas de acolhimento para aprimorar a relação escola e comunidade por
meio das ações:

-Implantar o empreendedorismo no campus apoiando projetos de incubação de


empresas, hotel de projetos e empresa júnior.

-Ampliar a Semana do Cerrado de forma a torná-la um evento que promova a


divulgação do campus em todo o Distrito Federal.

- Implantar o projeto de laboratório móvel de ensino à distância com a oferta de cursos


e apresentação de vídeos nas áreas de agropecuária, agroecologia e biologia.

-Criar evento de confraternização no final do ano com a realização de um Festival de


Artes (exposição de artes plásticas, música e expressão corporal) da comunidade do campus.

-Fortalecer o Centro de Vocação Tecnológica (CVT) de Agroecologia de forma a


atender a comunidade externa e interna do IFB em seus diversos projetos.

-Estabelecer parceria com a ATA –Associação de Tecnólogos em Agroecologia e com


o Centro de Acadêmico do Curso Superior de Agroecologia para oferta de cursos de curta
duração e de divulgação de tecnologias sociais.

-Prospectar e implantar parcerias junto às empresas, cooperativas, organizações não


governamentais (ONG) para dar maior visibilidade aos cursos existentes no campus.

-Resgatar a parceria com a ONG Junior Achievement para implementação de projetos


na área de empreendedorismo.

-Solidificar nossa presença na Agrobrasília, Exposição Agropecuária de Planaltina e


Sobradinho por meio de um stand para divulgação de nossa escola e divulgação dos processos
seletivos.

-Fortalecer e melhorar nossa parceria com a Emater, instituições de permacultura e


agroecologia, UnB – campus Planaltina, Sebrae e Embrapa.

-Estabelecer parcerias internacionais com embaixadas para que nossos estudantes


tenham a oportunidade de ampliar seus horizontes.

-Incrementar nossa ação de apoio ao estágio, instaurando visitas periódicas às


empresas da região e os convidando para conhecer nosso campus.

-Fortalecer o convênio com a Equoterapia de forma aumentar a atuação do IFB


campus Planaltina neste projeto.

-Ofertar cursos de formação inicial e continuada (FIC) conjuntamente à equipe da


Equoterapia, como casqueamento, atendimento às pessoas com necessidades específicas,
hipoterapia, educação/reeducação pré-esportiva e esportiva.
-Estabelecer parceria concreta com o Assentamento Pequeno Willian de forma a
apoiá-los para o ingresso no campus Planaltina e oferta de cursos por meio do CVT de
Agroecologia.

Proposta de agenda

No período de campanha a carga horária docente (turno vespertino – segunda, terça e


quinta-feira) em sala de aula da candidata não será alterada. As reuniões com os estudantes,
técnicos e docentes serão realizadas nas instalações do campus e previamente agendadas junto
à comissão eleitoral local.

Este documento é um plano de partida que será amplamente debatido e discutido pela
comunidade discente, docente e técnica e demais agentes, para que possam contribuir para
avanços no campus Planaltina.

Biografia da candidata

Edilene Carvalho Santos Marchi é formada em Engenharia Agronômica pela Universidade


Federal de Lavras (UFLA) (2000), iniciou sua vida acadêmica como estudante atuando como
monitora em atividades de ensino do curso de agronomia. Ainda, enquanto graduanda, foi
bolsista de iniciação científica do CNPq durante três anos na área de cafeicultura e participou
ativamente da criação do núcleo de estudos em cafeicultura da UFLA. Possui mestrado pela
UFLA (2000-2002) na área de produção vegetal com o tema de plantio direto na cafeicultura. No
doutorado (2002-2006), desenvolveu o tema de adubação orgânica como forma de difundir os
benefícios ao solo e às plantas. Neste período foi pesquisadora visitante da Universidade da
Califórnia, campus Riverside.

Está no Instituto Federal de Brasília (IFB) desde janeiro de 2009 como docente do campus
Planaltina, onde exerceu as atividades de ensino, pesquisa e extensão. Atuou como docente nos
Cursos Técnicos em Agropecuária, Técnico em Agroindústria, Técnico em Agropecuária com
Ênfase em Agroecologia (PRONERA) e Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia.

Desde que ingressou no campus Planaltina tem colaborado na gestão exercendo os


cargos de coordenadora do Curso Técnico em Agropecuária (2009/2010). Em seguida assumiu a
coordenação de Inovação Tecnológica do campus Planaltina (2010/2011) onde desenvolveu as
primeiras ações para subsidiar a implantação do Núcleo de Inovação Tecnológica do IFB. Esteve
à frente da coordenação de pesquisa do campus (2011/2012), estimulando a cultura da pesquisa
no campus.

Foi a primeira bolsista docente do IFB participante do Programa Ciências Sem Fronteiras,
realizando Pós-Doutorado na Universidade da Florida (2013/2014). Durante o Pós-Doutorado
trabalhou com avaliação de perdas de nitrato no solo utilizando um software de análise de risco
(N-Index) em parceria com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

É membro dos grupos de pesquisa Estudos Ambientais e Sustentabilidade e do Núcleo de


Pesquisas em Produção Sustentável no Cerrado do IFB.
É membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso Superior de Tecnologia em
Agroecologia contribuindo nas discussões para melhoria do curso. Atualmente, faz parte da
Comissão de Organização da IV Semana de Produção Científica do IFB apoiando as ações de
pesquisa e demais ações positivas para o campus e para o IFB.

Possui artigos publicados em periódicos, artigos de mídia, livros, boletins técnicos e anais
de congresso da área de Agronomia e Agroecologia. Desde que está no campus tem
desenvolvido projetos de pesquisa, envolvendo estudantes na Iniciação Científica e orientação de
projetos de Conclusão de Curso do CST Agroecologia. Atua como consultora ad hoc de
periódicos científicos, de congressos e seminários.

__________________________________

Prof. Edilene Carvalho Santos Marchi