Вы находитесь на странице: 1из 3

Boletim de Pessoal e Serviço

MINISTÉRIO DAS CIDADES


Brasília, 12 de junho de 2018 Edição Especial 6 - D

SUMÁRIO

RESOLUÇÃO Nº 2 - DO SISTEMA ELETRÔNICO DE INFORMAÇÕES – SEI........................................................................................1-3

MINISTÉRIO DAS CIDADES

RESOLUÇÃO Nº 2, DE 11 DE JUNHO DE 2018.

Dispõe sobre normas complementares à Portaria nº 101 de 30


de março de 2016 e à Portaria nº 102, de 31 de março de 2016.

O COMITÊ GESTOR DO SISTEMA ELETRÔNICO DE INFORMAÇÕES – SEI, no uso das atribuições que lhe
foram conferidas pela Portaria nº 142 de 26 de abril de 2016, publicada em Boletim Interno, pelo art 6º da Portaria nº 101 de 30 de março de
2016, publicada no DOU e pela Portaria nº 102 de 31 de março de 2016, publicada em Boletim Interno.
CONSIDERANDO a necessidade de normatizar a forma como é solicitada a alteração e exclusão de perfil de usuários no
SEI;
CONSIDERANDO normatizar a forma como é solicitada a desanexação e a ordenação de documentos na árvore do
processo;
CONSIDERANDO restringir a opção de cancelamento de documentos;
CONSIDERANDO regulamentar os pedidos de vista de processos;
CONSIDERANDO regulamentar a numeração de portarias no SEI; e
CONSIDERANDO padronizar o cadastramento de remetente e interessado.

RESOLVE:

Art. 1º Estabelecer a forma como deve ser solicitada a alteração e a exclusão de perfis de usuários no SEI–MCIDADES.
I - Quando o usuário trocar de setor no MCIDADES deve-se solicitar a alteração de acesso no SEI por meio de
um processo, cuja classificação será: Gestão da Informação: Credenciamento de Segurança. É necessária a inclusão do tipo de
documento: CGMI – Formulário de Atualização – Perfil de Acesso, preenchimento de todos os campos corretamente, assinatura e posterior
envio à Coordenação de Documentação, Arquivo, Acervo e Informações - CODOC.
a) O documento deve ser assinado pelo servidor solicitante e pela chefia imediata.
b) No caso de usuário terceirizado ou estagiário, apenas a chefia imediata deve assinar o documento.
II - Quando o usuário for desligado do MCIDADES deve-se solicitar a exclusão de perfil por meio de um processo no
SEI, cuja classificação será: Gestão da Informação: Credenciamento de Segurança, com a inclusão do tipo de documento: CGMI –
Formulário de Exclusão – Perfil de Acesso, preenchimento dos dados, assinatura, disponibilização em bloco de assinatura e posterior envio à
CODOC.

1
SAUS, Quadra 01 Lote 1/6 – Edifício Telemundi II, 10º andar Brasília – DF –70070-010
(61) 2108-1991 – 2108-1386 - cocap@cidades.gov.br
.
MINISTÉRIO DAS CIDADES
BOLETIM DE PESSOAL E SERVIÇO ESPECIAL Nº 06 - D
Brasília-DF, publicado em 12 de junho de 2018.

a) O documento deve ser assinado pelo servidor solicitante, incluído em bloco de assinatura, disponibilizado e tramitado a
todas as unidades informadas no formulário.
b) No caso de usuário terceirizado, o formulário deve ser assinado pelo Gestor do respectivo contrato.
§ 1º A CODOC deve ser informada sobre a exclusão de perfil de usuários desligados do MCIDADES em até 2 dias úteis.
§ 2º Ficam responsáveis por informar a CODOC:
a) Em caso de servidor, a chefia imediata.
b) Em caso de estagiário, a Coordenação de Legislação, Capacitação e Desenvolvimento de Pessoal –
COLED.
c) Em caso de terceirizado, o gestor do respectivo contrato.
Art. 2º Normatizar a forma como é solicitada a desanexação e a ordenação de documentos na árvore do processo.
I - A ordenação dos documentos no processo e a desanexação exigirão anuência da chefia da unidade por meio
de despacho informando a motivação, inserido no processo, e serão realizadas pelos servidores com o perfil apoio.
Art. 3º Restringir a opção de cancelamento de documentos no SEI-MCIDADES às chefias, ou a quem delegar, e aos
servidores que têm o perfil apoio, criado pela Resolução nº 1 do Comitê Gestor do SEI, mediante despacho informando a motivação.
I - A fim de prevenir riscos de graves prejuízos à segurança jurídica dos processos e prejuízos à análise e legalidade dos
processos, deve-se evitar cancelar documentos. Em substituição ao cancelamento será possível:
a) Elaborar novo documento nos casos de mudança de entendimento ou erro que comprometa o conteúdo, registrando que
o novo documento substitui o anterior;
b) Concluir o processo e abrir um novo se houver o entendimento de que a invalidação do documento invalida, por
consequência, o ato administrativo objeto do processo.
Art. 4º Normatizar o prazo e a forma dos pedidos de vista de processos públicos, que poderá ser solicitada por qualquer
pessoa, não sendo necessário prévio credenciamento, pelos seguintes meios:
I - correio eletrônico dirigido à chefia da unidade;
II - correspondência postal enviada para o Ministério das Cidades;
III - Serviço de Informações ao Cidadão - SIC do MCIDADES; e
IV - Formulário de pedido de vista, quando houver, disponível no sítio eletrônico do Ministério das Cidades.
Parágrafo único. Todos os pedidos de vista devem ser inseridos no processo como documento externo, para fins de
registro.
Art. 5º Cabe à chefia imediata de cada unidade, ou a quem delegar, a autorização e disponibilização do acesso externo,
por meio de despacho inserido no processo.
Art. 6º Poderá ser concedida vista ou cópia integral de documentos ou informações de acesso restrito no SEI-
MCIDADES, a:
I - pessoa física ou jurídica na condição de parte interessada ou seu representante, independente da edição do ato
administrativo ou decisão a ele relativo, desde que seguidos os procedimentos de credenciamento e comprovação de identidade descritos no
art. 25 da Portaria 101, de 30 de março de 2016, que Institui o Sistema Eletrônico de Informações - SEI como sistema oficial de informações,
documentos e processos eletrônicos no âmbito do Ministério das Cidades.
II - representantes de órgãos de controle interno e externo e de auditoria do Poder Executivo Federal e do Poder Judiciário
Federal, mediante solicitação dirigida à chefia da unidade, que autorizará a disponibilização do link para o acesso externo.
§ 1º É importante observar o prazo de concessão de acesso externo, pois o usuário conseguirá visualizar o conteúdo do
processo inteiro, caso a disponibilização seja do tipo Acompanhamento integral do processo, mesmo a documentação inserida e assinada após
o momento da liberação de acesso.
§ 2º É vedado conceder acesso externo aos identificados nos incisos I por prazo superior a 20 (vinte) dias corridos e no
caso do inciso II por prazo superior a 60 (sessenta) dias corridos.
Art. 7º Ressalvadas as hipóteses legais de sigilo, poderá ser concedida cópia ou vista a terceiro que não seja parte
interessada no documento, desde que a decisão ou ato administrativo a ele relativo já tenha sido publicado, excetuando o acesso a eventuais
informações pessoais relativas à intimidade, vida privada, honra e imagem, observado o disposto no art. 55 do Decreto nº 7.724, de 16 de
maio de 2012.
Parágrafo único. É vedado conceder acesso externo ao terceiro que não seja parte interessada ou ao seu representante legal
por prazo superior a 10 (dez) dias corridos.

SAUS, Quadra 01 Lote 1/6 – Edifício Telemundi II, 10º andar Brasília – DF –70070-010
(61) 2108-1991 – 2108-1622 - cocap@cidades.gov.br
MINISTÉRIO DAS CIDADES
BOLETIM DE PESSOAL E SERVIÇO ESPECIAL Nº 06 - D
Brasília-DF, publicado em 12 de junho de 2018.

Art. 8º Ao solicitante que não possui endereço eletrônico deverá ser assegurada a vista ou cópia mediante a
disponibilização dos recursos necessários ou a impressão dos documentos.
Art. 9º Poderão ser enviados por e-mail arquivos de até 10 megabytes utilizando ferramenta interna de envio de
correspondência eletrônica do SEI-MCIDADES.
Art. 10 O prazo de atendimento dos pedidos não poderá ser superior a 20 (vinte) dias.
Art. 11 A tramitação dos processos públicos do SEI-MCIDADES poderá ser consultada por meio do módulo de pesquisa
pública do SEI-MCIDADES.
Art. 12 Regulamentar a numeração de Portarias no SEI-MCIDADES.
I - O tipo de documento Portaria ficará restrito às unidades signatárias, e para as demais unidades ficará disponível o tipo
de documento Minuta de Portaria.
II - A numeração das Portarias será automática pelo SEI e sequencial no órgão.
Parágrafo único. As unidades só poderão criar o tipo de documento Portaria no momento do envio para publicação, a fim
de preservar a sequência numérica e a ordem cronológica.
Art. 13 Padronizar o cadastramento de remetente e interessado.
I - Ao inserir a informação no campo remetente ou interessado, é necessário aguardar o total carregamento do banco de
dados a fim de verificar se já existe algum termo equivalente.
II - O cadastro de novos remetentes e interessados deve seguir a orientação no Anexo I, a fim de preservar a base de dados
do SEI-MCIDADES padronizada.
Art. 14 Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

LUCÉLIA DE LIMA ALVES


Presidente do Comitê Gestor do SEI

Os atos aqui publicados têm validade jurídica na forma do disposto no Decreto nº 96.496, de 12 de agosto de 1998, ressalvados aqueles de
publicação obrigatória no Diário Oficial da União e deverão ser cumpridos independentemente de qualquer comunicação ou expediente
complementar.

SAUS, Quadra 01 Lote 1/6 – Edifício Telemundi II, 10º andar Brasília – DF –70070-010
(61) 2108-1991 – 2108-1622 - cocap@cidades.gov.br

Похожие интересы