Вы находитесь на странице: 1из 8

economia criativa

Resposta
Técnica Como elaborar um projeto
cultural competitivo

Aproveite as oportunidades de democratização para projetos culturais

O empreendedor cultural, além de criar, precisa encontrar formas de viabilizar seus projetos. Essas formas evoluí-
ram para além do fomento direto. A exemplo, estão as leis de incentivo à cultura e os editais de apoio à produção,
que têm o intuito de democratizar o acesso às verbas para a criação de produtos dessa natureza.
Para mostrar como o empreendedor do pequeno negócio de economia criativa pode concorrer com reais
chances de vencer nesses editais de apoio à produção cultural, sem a necessidade de agenciamento ou
outras formas de intermediação, esta Resposta Técnica apresentará várias informações relevantes para a
elaboração de projetos com grande potencial competitivo.
Essas informações tratam das principais formas de financiamento para a produção de bens culturais, em
especial os editais de órgão públicos, e mostram quem pode concorrer e como se habilitar a esses editais,
bem como o conjunto de elementos que constituem um projeto diferenciado.
/ Fontes de financiamento cultural no Brasil
Atualmente, existem vários editais culturais, desde programas que contemplam a edição de livros de auto-
res iniciantes, passando pelo apoio às artes plásticas, até o patrocínio de gravações musicais e montagens
de espetáculos teatrais.
Esses editais provêm de empresas públicas, mistas ou privadas, que exercem a função de análise e seleção
de projetos dentro de critérios definidos por comissões julgadoras compostas por profissionais experientes
ou estudiosos de cada área, premiando os que mais se adequam a esses requisitos.

1
Existem, ainda, os mecanismos municipais, estaduais e federais de incentivo que promovem, por meio da
renúncia fiscal, a captação de recursos e viabilização de projetos culturais escolhidos pelo próprio contri-
buinte, seja ele pessoa física ou jurídica.
Como o foco desta Resposta Técnica são os editais culturais, recomenda-se a consulta às secretarias mu-
nicipais e estaduais de cultura da sua região, o Ministério da Cultura (MinC) e a Agência Nacional do Ci-
nema (Ancine), para saber como aproveitar as vantagens das leis de incentivo, como a Lei Rouanet (Lei n°
8.313/91) e do Audiovisual (Lei n° 8.685/93).

O proponente de projetos culturais

Segundo a Instrução Normativa n° 1/2013, do MinC, propo- A recomendação é fazer


nente é a “pessoa que apresenta propostas culturais e res- uma leitura atenta do que cada
ponsabiliza-se pela execução dos projetos aprovados, poden- edital apresenta, buscando identificar
do ser pessoa física com atuação na área cultural ou pessoa quais tipos de negócios criativos se ade-
jurídica de direito público ou privado, com ou sem fins lucrati- quam e quais são as exigências apresen-
vos, cujo ato constitutivo ou instrumento congênere disponha tadas, sob o risco de ser desclassifi-
expressamente sobre sua finalidade cultural”. cado e ver que todo o esforço para
elaborar um belo projeto foi
Dependendo do edital, podem ser aceitas as inscrições de
em vão.
projetos culturais de ambas as naturezas (física e jurídica), ou
de apenas uma delas.

2
Como elaborar um projeto cultural vencedor

1. Leia todo o edital com atenção

Um edital na área da cultura é um documento que aborda vários aspectos:


a. A qual segmento cultural se destina.
O edital indica qual o setor da cultura a ser favorecido (música, teatro, cinema, literatura) e determina
o que deve ser realizado (gravação de CD, encenação de uma peça, produção de um curta-metragem,
edição de um livro).
Antes de se inscrever, certifique-se que o edital se aplica à sua área de atividades culturais.
b. Quem pode se habilitar e quais são os documentos exigidos do proponente.
Essa seção dispõe sobre o perfil de proponente que pode se inscrever, se há limite de idade, tempo mínimo
de domicílio na região do edital, e também sobre toda a documentação necessária para inscrição do projeto.
A ausência de qualquer um desses documentos implica na desclassificação do proponente.
c. Como apresentar o projeto cultural e a data limite para as inscrições.
O edital informa qual é a forma correta de encaminhar a documentação e projeto técnico e o prazo fi-
nal para o envio (impresso ou formato eletrônico, sua divisão por envelopes, número de vias, inscrição
pelo site, e-mail, correio ou entrega pessoal).
O não cumprimento da forma de inscrição ou do prazo também são fatores que eliminam automatica-
mente o proponente.
d. Quais são os itens obrigatórios que devem constar no projeto e como é feita a avaliação.
Para que os jurados entendam o que será realizado a partir do projeto cultural, é necessário expor alguns
elementos para compreensão, como: objetivos, justificativa, orçamento, cronograma das atividades, entre
outros. As dicas para sua elaboração serão apresentadas no item 3 - Elaborando o projeto técnico

3
e. O valor, data e formas de premiação, além do prazo de entrega do produto cultural ou das contrapartidas.
O proponente sabe de antemão qual é a premiação/incentivo, a data prevista para o pagamento deste prê-
mio, o número de parcelas e quais são as contrapartidas: entrega de um dado número de cópias do produto
cultural (obra audiovisual, livros editados ou CDs musicais) para os organizadores do edital ou sessões gratui-
tas de exibição, shows ou espetáculos para parte da população com dificuldade de acesso a bens culturais.
Fique atento ao prazo para entrega do bem cultural ou contrapartida para a comissão organizadora do edital.

Em caso de dúvidas,
Ler o edital na íntegra faz toda a diferença! Saiba que
a organização do edital
muitos proponentes têm seus projetos culturais desclas-
disponibiliza meios para que
sificados por não atenderem às exigências mínimas de
o proponente entre em contato,
participação do edital, seja na questão da documentação
seja por telefone ou e-mail, para
ou dos itens que compõem o projeto técnico.
dirimir qualquer questão
referente a ele.

2. A identificação do proponente

Para concorrer em um edital é necessário se cadastrar como proponente, pois ele comprova que está habili-
tado para se inscrever, ser selecionado e receber a premiação, conforme as regras estabelecidas, mediante
a apresentação de uma série de documentos comprobatórios.
Geralmente são exigidos uma ficha de inscrição assinada, currículos dos envolvidos, cópias simples ou
autenticadas de comprovantes de residência, certificado de registro da sua criação na Biblioteca Nacional,
documentos de identificação (carteira de identidade, CPF, CNPJ, contrato social da empresa) e para assina-
tura do contrato, no caso de premiação, certidões negativas de débitos com órgãos governamentais.
A simples apresentação de toda a documentação obrigatória não representa nenhum tipo de
vantagem competitiva para o proponente, pois se alguns serão desqualificados logo no início
do processo pela falta de qualquer um dos itens exigidos, um número significativo de concor-
rentes prestará muita atenção ao correto preenchimento dos requisitos exigidos.

4
Uma comissão de acompanhamento informa, após o encerramento do período de conferência da documen-
tação, quais proponentes estão ou não aptos para continuar no processo seletivo. O resultado pode ser
disponibilizado pelo site da entidade, Diário Oficial ou imprensa.
Em caso de discordância, é dado um prazo para apresentar recursos da decisão dessa comissão, que se
reúne novamente e julga, esses recursos, habilitando ou desclassificando o proponente de vez.

A diferenciação en-
tre tantas propostas cultu-
rais está no projeto técnico (ou
projeto criativo) bem elaborado,
que demonstra com total clareza
e objetividade o que o propo-
nente realizará, caso seja
3. Elaborando o projeto técnico premiado no edital.

“Ao escrever um projeto, não enrole – seja objetivo. Deve ficar muito claro o que é o projeto e quais suas
intenções, ações e possíveis resultados. São milhares de inscrições e não se pode correr os risco do avalia-
dor se perder por uma explicação vaga”, aconselha o músico Rafael Fernandes, em seu texto 20 Dicas para
escrever um projeto cultural – parte 01.
A tradicional recomendação da leitura cuidadosa do edital continua valendo. Saiba quais são os elementos
que compõe o lado criativo do projeto e comece a respondê-los, descrevendo sua proposta da maneira mais
completa possível, já que, frequentemente, não são aceitas alterações ou complementações depois do envio.
Independemente do segmento do empreendedor cultural, certos itens são comuns a todos os editais:

Objetivos Geral e Específicos (O que?)


Em um pequeno parágrafo, responda qual é o produto final pretendido pelo projeto, indicando quem ou
que grupo de pessoas, o local e o período de tempo necessários para sua realização (baseado no ma-
nual da Fundação Cultural Estado da Bahia (Funceb) e da Votorantim). Os objetivos específicos listam
uma série de atividades que iniciam por um verbo de ação, sendo sucintas e diretas e que contribuem
para atingir o objetivo geral. (Funceb)
Justificativa (Por quê?)
Cite quais as razões para realizar o projeto proposto, enfatizando quais são as circunstâncias que
favorecem sua execução, o justificam e o diferenciam (Funceb). Ressalte os principais atributos do pro-
jeto, como sua inovação, qualidade e originalidade, seu mérito estético e artístico, impactos culturais,
sociais e econômicos, criatividade e relevância para seu público-alvo. (Desafio de elaborar e viabilizar
projetos culturais - Sesi)

5
Material-base do bem cultural
É preciso apresentar o texto ou esboço do produto cultural resultante do edital, por isso, alguns itens
exigidos podem ser: o argumento ou roteiro de uma obra audiovisual, a íntegra ou trecho do livro
(conto, romance, ensaio) a ser publicado, letra ou partitura das músicas a serem gravadas, a peça a
ser encenada, entre outros.
Estratégia de ação ou memorial descritivo (Como?)
Explique como o projeto será realizado, detalhando suas etapas a partir dos objetivos estabelecidos.
Enumere, por ordem cronológica, todas as atividades que serão necessárias para atingi-los, prevendo
o tempo de duração de cada uma delas, as aquisições necessárias, os serviços a serem realizados ou
contratados e que devem ser condizentes com os itens “Orçamento” e “Cronograma”. (Funceb e Sesi)

Cronograma de execução (Quando?)


Situe no tempo os procedimentos necessários para a realização do projeto, em forma de tabela, dividi-
dos em ações em 3 fases: pré-produção, produção e pós-produção, dentro do prazo total que o edital
define para sua execução. (Funceb e Votorantim)

Orçamento (Quanto?)
Relacione todos os recursos financeiros necessários à execução do projeto, em forma de tabela, se-
parado por itens e etapas, informando a unidade do item, seu valor unitário, quantidade e valor to-
tal, prevendo os custos com pessoal e serviços, equipamento, infraestrutura e montagem, material
de consumo, material gráfico, custos administrativos, comunicação e divulgação, impostos e taxas.
(Funceb e Votorantim). Atenção: Muitos editais não permitem que o orçamento extrapole o valor da
premiação. Outros aceitam valores de orçamento superiores ao prêmio, desde que se aponte as fontes
de recursos complementares.

Plano de divulgação
O proponente deve informar a tiragem e a distribuição dos produtos tangíveis do projeto cultural, como
CDs, livros, jornais, ou mesmo espetáculos e apresentações. Como contrapartida, os organizadores do
edital podem solicitar uma determinada quantidade do bem cultural a ser distribuído gratuitamente,
listando quais entidades serão beneficiadas. (Funceb)

6
Além desses, outros itens podem ser solicitados dependendo do edital.

Plano de Comunicação Ficha técnica Currículo resumido Carta de anuência Material gráfico
Conheça bem o público- nome dos profissionais do proponente e dos documento que atesta Impressos ou digitas
alvo e formule um envolvidos e suas principais envolvidos a participação dos que comprovem outros
plano de comunicação respectivas funções. no projeto, com ênfase profissionais indicados projetos do proponente
alternativo, mais na área cultural, na ficha técnica. na área cultural.
barato e eficiente. ressaltando a sua
experiência.

Fonte: Funceb

4. Revise o projeto

Corrija os erros
Antes de encaminhar seu projeto para o comitê de avaliação, separe um tempo para conferir se toda a docu-
mentação exigida está incluída no projeto cultural e não esqueça de fazer a revisão ortográfica do seu texto.

Apesar de não ser um fator eliminatório, nenhum membro da comissão julgadora do edital
vai gostar de ler um texto com erros gramaticais.

Ideias
são muito
diferentes de
projetos!
Vantagens de ter um projeto pronto

Nem mesmo as ideias mais geniais se concretizam sem o suporte de um bom projeto, que organiza todas as
informações que orientam a sua realização.
Com tanta gente buscando os meios para viabilizar suas ideias, os empreendedores que dispõem de um projeto
bem elaborado, que demonstra objetivamente o que vai ser feito, as razões pelas quais ele deve ser realizado,
quanto vai custar para tirá-lo do papel e onde se poderá conferir o fruto desse trabalho, largam na frente.
Além da participação de editais, com grandes chances de vitória, o produtor cultural fica preparado para a
eventualidade de se deparar com pessoas interessadas em patrocinar o projeto em eventos de sua área de
atuação ou mesmo em encontros não programados.
7
Ações
recomendadas

Não deixe tudo para


última hora! Trabalhe com
um prazo que permita um tempo
razoável para revisão, tanto do
Para aumentar as chances em editais e transformar seus proje-
conteúdo (documentos para ha-
tos culturais em realidade, o empreendedor cultural deve seguir
bilitação e projeto técnico)
as orientações abaixo:
quanto da ortografia.
¡¡ Leia o texto completo do edital e, em caso de dúvidas, entre
em contato com a comissão organizadora para esclarecer
os pontos que não ficaram claros.
¡¡ Fique atento aos prazos e a forma de envio do seu projeto Acesse os sites das entidades
abaixo e se informe sobre os
cultural para concorrer ao edital. editais na área da cultura que eles
promovem:
¡¡ Certifique-se de ter incluído toda a documentação exigida ¡¡ Editais do Ministério da Cultura
para habilitação do proponente, sob risco de eliminação do ¡¡ Editais da Funarte
¡¡ Editais da Agência Nacional do
processo seletivo. Cinema
¡¡ Seleção de projetos culturais
da Caixa
¡¡ Seja claro e objetivo durante a elaboração do projeto técnico, ¡¡ Cessão de espaço nos Centros
Culturais do Banco do Brasil
respondendo todos os itens de modo mais completo e compre- (CCBBs) 2014/15
¡¡ Oi Futuro
ensível possível, já que o proponente muitas vezes não terá um ¡¡ Banco Nacional do Desenvolvi-
mento (BNDES) para eventos
momento posterior para defender sua proposta cultural. culturais
¡¡ Rumos Itaú Cultural

Sua opinião faz a diferença!


Por isso o Projeto de Inteligência Competitiva do Programa Sebrae 2014 quer Participar
saber mais sobre suas expectativas e satisfação. Responda a breve pesquisa
que elaboramos especialmente para você e seu negócio!

SEBRAE
Presidente do Conselho Deliberativo Nacional: Roberto Simões UAMSF – Unidade de Acesso a Mercados e Serviços Financeiros
Serviço Brasileiro de Apoio às
Diretor-Presidente: Luiz Barretto | Diretor-Técnico: Carlos Alberto dos Santos UACS – Unidade de Atendimento Coletivo - Serviços
Micro e Pequenas Empresas Diretor de Administração e Finanças: José Claudio dos Santos | Fotos: banco de imagens Conteúdo: Leandro Andrade

facebook.com/sebrae2014
www.sebrae2014.com.br
twitter.com/sebrae_2014

Похожие интересы