Вы находитесь на странице: 1из 5

O PROFESSOR DA ESCOLA DOMINICAL I

1. O ingresso do professor no trabalho da Escola Dominical. Para


o ingresso no trabalho da Escola Dominical, o professor deve ser
acima de tudo, uma pessoa salva de modo completo, membro da
igreja, de vida cristã correta e sã na fé.

2. A posição espiritual do professor:


a. E posição de honra (Gl 1.15; 1 Tm 1.12).
b. É posição de responsabilidade (Ez 33.8,9).

3. O ministério de ensino do professor


a. Por que ensinas?
 Por amor a Deus
 Por gratidão a Deus
 Porque o Senhor ordenou (Mt 28.19,20).
b. Qual o teu propósito no ensino?
 Ganhar almas para Jesus
 Desenvolver a espiritualidade dos alunos
 Treinar os alunos para o serviço do Mestre
c. O que ensinarás?
 A Bíblia (Mt 28.20)
d. A quem ensinarás?
 Homens, mulheres, crianças (Dt 31,12).
e. Como ensinarás?
 Conhecendo a Cristo como Salvador e Rei.
 Conhecendo a Bíblia (2 Tm 2.15). Ainda não vi um obreiro de
destaque, de projeção, de ministério abundante, de frutos
permanentes, que não fosse um apaixonado e contínuo
estudante da Palavra! Este conhecimento da Bíblia terá que
ser sistemático, organizado.
 Conhecendo matérias auxiliares e afins.
 Conhecendo o aluno, isto é, a psicologia de cada grupo de
idade.
 Conhecendo pedagogia. O alimento em casa difere com a
idade; no ensino bíblico também.

4. Os requisitos do professor

a. Preparo. O professor deve ter preparo.


 Espiritual (Ed 7.10; 1 Pe 3.15). É ser cheio, controlado e
movido pelo Espírito Santo (1 Co 2.15; Gl 6.1). Não é ter fogo
de labareda, mas do tipo brasa.
 Intelectual (cultura geral)
 Social (apresentação pessoal)
 Físico (estado saudável)
Homens a quem Deus tem usado, passaram todos por uma fase de
preparo. Exemplos:
 Moisés preparou-se 40 anos.
 Paulo esteve 3 anos na Arábia.
 Daniel e seus companheiros, mesmo para servirem numa
corte secular, tiveram seu preparo. O professor precisa saber
o que vai fazer. Jesus sabia “o que ia fazer” (Jó 6.6). Um aluno
que quer de fato aprender, não terá desejo de voltar a uma
classe para ouvir um professor dizer aquilo que ele já sabe, ou
que pode aprender sozinho.

Conclusão.

a. O professor para ter êxito e manter-se eficiente precisa:


 Ser espiritual, isto é, ser cheio do Espírito.
 Ter preparo. Preparo para ensinar.
 Estar equipado com literatura apropriada.
 Dispor de ambiente físico apropriado à condução das aulas.
b. Fidelidade no dever. Ser disciplinado.
 Isto é, cumprimento de seus deveres como professor (SI 101.6; 1
Co 4.2). Não é somente ser fiel, mas disciplinado.
c. Paciência
 E o mesmo que longanimidade.
 É fruto do Espírito Santo (Gl 5.22; 1 Ts 5.14).
 O nosso Deus é o “Deus de paciência” (Rm 15.5).
 E preciso muita paciência, especialmente nas classes infantis, de
adolescentes e de irmãos idosos.
d. Amor e dedicação
 É o serviço da melhor maneira (Ec 9.10).
 É o zelo no trabalho; zelo com entendimento (Rm 10.2).
 Há uma maldição nesse sentido (Jr 48.10 - ARA).
 Pontualidade
 E chegar na hora, começar na hora, terminar na hora.
 Jesus andava sempre na hora (Jó 2.4). Quem não pode ser fiel
nesta parte é melhor dar o lugar para outro que possa ser. O
professor que chega sempre atrasado à Escola Dominical perde
a paz, perde o controle, e perde a autoridade.
 Quanto a terminar na hora, há irmãos que não ligam para isso e
ainda acham que todo mundo está gostando quando passam da
hora.

5. As responsabilidades do professor
a. Responsabilidade para com Deus. Deus o pôs no seu trabalho!
(Lc 19.13,15; 1 Tm 1.12).
b. Responsabilidade para com a igreja. Orientar cada aluno a ser um
abnegado colaborador da igreja, em tudo: tempo, talentos,
finanças (Ef 4.12).
c. Responsabilidade para com a Escola Dominical. Conhecer a
organização e funcionamento da sua escola. Trabalhar em
harmonia e cooperação com os demais obreiros (Rm 12.10; Fp
2.3,25).
d. Responsabilidade para com a classe.
 Promover a edificação e crescimento da classe. Há por aí
professor “matador de classe”.
 Visitar os alunos. Cada classe deve ter sua própria
comissão de visitas.
 Orar pelos alunos individualmente.
 Buscar diante de Deus a conversão e edificação espiritual
de cada aluno.

6. O preparo e apresentação da lição.

É parte dos deveres semanais do professor.

 Material para o preparo da lição


 Etapas no preparo da lição
 A apresentação da lição

Durante a semana prepare a lição, estudando-a com oração e


dedicação, pedindo a Deus que o guie pelo seu Espírito. O trabalho do Senhor
merece a nossa maior abnegação e esforço.

Aos domingos procure chegar pelo menos 10 minutos antes do início da


escola. Freqüente a reunião semanal de estudo bíblico para professores da
Escola Dominical.

Sabendo que não vai estar presente certo domingo, avise com
antecedência ao seu substituto; avise também ao superintendente da escola.

O objetivo da Escola Dominical é o ensino da Palavra de Deus; não


gaste, pois, o tempo com coisas que não edificam. Vá para diante da classe
senhor do assunto a ser estudado. O êxito do professor depende mais de
consagração e preparo.

Mostre interesse por cada aluno da classe. Ore por eles. Visite-os,
especialmente quando enfermos ou faltando às reuniões. Dê um bem-vindo aos
visitantes, convidando-os a se matricular ou a voltar sempre. Na classe sempre
há pessoas não salvas; convide estas para aceitar o Senhor Jesus como seu
Salvador.

Cada domingo faça os apontamentos com muito cuidado para que os


relatórios sejam fidedignos.

Para termos uma ideia do papel e do valor dos sentidos no ensino, saiba-
se que:

a. Aprende-se 20% do que se ouve. A voz do professor tem grande


influência aqui. Deve ter a intensidade ideal e ser agradável.
b. Aprende-se 30% do que se vê. Aqui tem grande importância a
iluminação. A arrumação da sala também influi muito.
c. Aprende-se 70% do que se examina.
d. Aprende-se 90% do que se faz ou participa em grupo. Exemplo:
cânticos com gestos, marchas, provas, testes, procura e leitura
de versículos, trabalhos manuais, desenhos, pesquisas,
redações, mapas, etc. A criança, por exemplo, aprende de fato
quando “faz” a lição.
e. Aprende-se 90% do que se fala. Exemplo: leitura, recitativo de
memória, perguntas, reconstituição da lição, temas
desenvolvidos, discussão orientada, mesa redonda, exposição ou
preleção. Um antigo provérbio chinês, diz: “O que ouço, esqueço;
o que vejo, lembro; e o que faço, aprendo”.