Вы находитесь на странице: 1из 13

ABNT/CB-024

2º PROJETO ABNT NBR 16640


JUN 2018

Segurança contra incêndio para sistemas de transporte sobre trilhos


— Cálculo de escape de estações metroferroviárias em situação de
emergência
Projeto em Consulta Nacional

APRESENTAÇÃO
1) Este 2º Projeto foi elaborado pela Comissão de Estudo de Proteção contra Incêndio em
Túneis (CE-024:102.003) do Comitê Brasileiro de Segurança contra Incêndio (ABNT/CB-024),
com número de Texto-Base 024:102.003-003, nas reuniões de:

22.08.2016 31.08.2016 23.11.2016

a) é baseado no Anexo C da NFPA 130:2017;

b) não tem valor normativo.

2) Aqueles que tiverem conhecimento de qualquer direito de patente devem apresentar esta
informação em seus comentários, com documentação comprobatória.

3) Tomaram parte na sua elaboração, participando em no mínimo 30 % das reuniões realizadas


sobre o Texto-Base e aptos a deliberarem na Reunião de Análise da Consulta Nacional:

Participante Representante

CCRB CL4S Hélio Roberto S. Jacob


CORPO DE BOMBEIROS Ronaldo Aparecido Ribeiro
CORPO DE BOMBEIROS Samuel Teixeira
CPTM Luiz Roberto de Oliveira
GSI/USP Anthony Brown
HHTEC José Carlos L. Pereira
HILTI Bartolomeu Novaes
METRO SP Erik Colla
METRO SP Fabio Mori

© ABNT 2018
Todos os direitos reservados. Salvo disposição em contrário, nenhuma parte desta publicação pode ser modificada
ou utilizada de outra forma que altere seu conteúdo. Esta publicação não é um documento normativo e tem
apenas a incumbência de permitir uma consulta prévia ao assunto tratado. Não é autorizado postar na internet
ou intranet sem prévia permissão por escrito. A permissão pode ser solicitada aos meios de comunicação da ABNT.

NÃO TEM VALOR NORMATIVO


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

METRO SP Reinaldo K. Fujii


METRO SP Rodrigo Guedes de Azevedo
METRO SP Helcio Suguiyama
METRO RJ Wagner Bastos
Projeto em Consulta Nacional

SARANHA CONSULTORIA Silvio Aranha


TEKHNITES Ferenc J. Sarkary
TEKHNITES Rafael G. Kleimberg

NÃO TEM VALOR NORMATIVO


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

Segurança contra incêndio para sistemas de transporte sobre trilhos


— Cálculo de escape de estações metroferroviárias em situação de
emergência
Projeto em Consulta Nacional

Fire safety to rail transport systems — Calculation of egress from rail stations in emergency

Prefácio

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas


Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos
de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais (ABNT/CEE), são
elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas pelas partes interessadas no tema objeto da
normalização.

Os Documentos Técnicos ABNT são elaborados conforme as regras da ABNT Diretiva 2.

A ABNT chama a atenção para que, apesar de ter sido solicitada manifestação sobre eventuais direitos
de patentes durante a Consulta Nacional, estes podem ocorrer e devem ser comunicados à ABNT a
qualquer momento (Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996).

Ressalta-se que Normas Brasileiras podem ser objeto de citação em Regulamentos Técnicos. Nestes
casos, os órgãos responsáveis pelos Regulamentos Técnicos podem determinar outras datas para
exigência dos requisitos desta Norma.

A ABNT NBR 16640 foi elaborada no Comitê Brasileiro de Segurança contra Incêndio (ABNT/CB-024),
pela Comissão de Estudo de Proteção contra Incêndio em Túneis (CE-024:102.003). O seu 1º Projeto
circulou em Consulta Nacional conforme Edital nº 07, de 04.07.2017 a 03.09.2017. O seu 2º Projeto
circulou em Consulta Nacional conforme Edital nº XX, de DD.MM.AAAA a DD.MM.AAAA.

Esta Norma é baseada no Anexo C da NFPA 130:2017.

O Escopo em inglês desta Norma Brasileira é o seguinte:

Scope
This Standard specifies a model of calculation of egress for stations in emergency situations.
Calculations to center-platform, side-platform and multilevel-platform types of stations were performed.
With this calculation model, it is possible to determine the station evacuation time to the safety place,
ensuring personal life safety.

This Standard do not provide impediment to the use of other methods that have equivalent or higher
quality, efficiency and safety to the model recommended.

NÃO TEM VALOR NORMATIVO


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

Segurança contra incêndio para sistemas de transporte sobre trilhos


— Cálculo de escape de estações metroferroviárias em situação de
emergência
Projeto em Consulta Nacional

1 Escopo
Esta Norma especifica um modelo de cálculo para escape de estações metroferroviárias em situ-
ações de emergência. Esta Norma apresenta cálculos para escape de pessoas de estações com
plataforma central, plataforma lateral e plataformas múltiplas. Por meio deste modelo de cálculo
é possível determinar o tempo de escape da estação para o local seguro, garantindo a segurança de
vida para as pessoas.

Esta Norma não impede a utilização de outros métodos que possuam qualidade, eficiência e segu-
rança equivalentes ou superiores aos itens por ela recomendados.

2 Referências normativas
Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para referên-
cias datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se as
edições mais recentes do referido documento (incluindo emendas).

ABNT NBR 15661, Proteção contra incêndio em túneis

ABNT NBR 16484:2017, Segurança contra incêndio para sistemas de transporte sobre trilhos –
Requisitos

NFPA 101, Life safety code

NFPA 130, Standard for fixed guide way transit and passenger rail systems

3 Termos e definições
Para os efeitos deste documento, aplicam-se os termos e definições das ABNT NBR 15661 e
ABNT NBR 16484, e os seguintes:

3.1
autoridade
organização, órgão, entidade ou associação responsável por verificar e/ou aprovar a aplicações dos
requisitos de uma norma ou código, ou para aprovar ou certificar equipamentos, substâncias, instala-
ção ou procedimento, emitindo as licenças de construção e/ou de operação e/ou de desativação da
instalação

3.2
área de circulação
saguão
níveis intermediários ou área de ligação entre a plataforma e a via pública, por meio de escadas, ele-
vadores ou corredores

NÃO TEM VALOR NORMATIVO 1/10


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

3.3
carga de ocupação de passageiros
número de passageiros em determinada ocasião
3.4
estação
local definido com o propósito de circulação de passageiros para embarque e desembarque, incluindo
Projeto em Consulta Nacional

áreas de serviço para usuários e espaços auxiliares associados à estrutura da estação


3.5
local de segurança
local seguro designado no sistema, podendo ser uma saída que conduza à área pública externa,
à estação, à via ou ao veículo; local em nível além do veículo, estação ou ferrovia, ou qualquer outro
local aprovado pela autoridade competente
3.6
plataforma de estação
área plana construída imediatamente adjacente à via de trilhos, utilizada para embarque e desembar-
que de passageiros
3.7
rota de escape
passagem física construída para pessoas, devidamente sinalizada e monitorada, dentro da estação
e via (túnel), que conduz à saída segura em casos de acidente, com ou sem incêndio

4 Modelos de cálculo
Apresenta cálculos para escape de pessoas de estações metroferroviárias com plataforma central,
plataforma lateral e plataformas múltiplas.

4.1 Estação com plataforma central

A Figura 1 apresenta uma estação elevada com plataforma central acima do saguão, que está locali-
zada no térreo.
Escada de emergência Escadaria de emergência
até o nível superior
41,5 m

Escadas rolantes
Desce
Desce Desce

30,5 m 69,5 m 83 m Via

183 m
Nível da plataforma

Saídas de emergência
Escadaria de Escadaria de
emergência 16,5 m
emergência
Área paga
Sobe Sobe
Sobe
Escadas rolantes

Nível do saguão

Figura 1 – Estação com plataforma central

2/10 NÃO TEM VALOR NORMATIVO


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

A plataforma tem uma extensão de 183 m para acomodar o comprimento do trem. A distância vertical
da plataforma para o saguão é de 9,10 m.
Esta estação tem uma área para compra de bilhetes separada do exterior por uma linha de bloqueio
contendo quatro bloqueios e uma porta para deficientes/serviço de 1,20 m. Além disto, há duas saídas
de emergência com largura de 1,80 m. Há seis aberturas na laje que se comunicam entre a plataforma
e o saguão. Cada uma contém uma escada fixa ou uma escada rolante. As salas técnicas e operacio-
Projeto em Consulta Nacional

nais da estação são localizadas no nível térreo.


Há elevadores para uso por pessoas deficientes ou para uso do pessoal de serviço. Há escadas
de emergência nas extremidades de cada plataforma, equipadas com portas com barra antipânico
e sensores de abertura.
As escadas rolantes têm degraus com 1,00 m de largura. As escadas regularmente usadas pelos usu-
ários têm 1,80 m de largura. As portas para as escadas de emergência e as escadas de emergência
têm 1,20 m de largura. A carga de ocupação da estação é de 2 314 pessoas.
A Tabela 1 apresenta os dados de análise para esta estação com plataforma central.

Tabela 1 – Cálculos do exemplo da estação com plataforma central


Capacidade dos componentes das rotas de escape m pessoas/m/min pessoas/min
Plataforma até o saguão (para piso inferior)
Escadas fixas (4) 7,20 56 403,2
Escadas rolantes (1) a (capacidade: 100/equipamento) – – 100
Escadas de emergência (2) 2,40 56 134,4
Ensaio de escada rolante (15 %) (não > 50 %) 637,6
Linhas de bloqueio no saguão
Bloqueios (4) (capacidade: 50/equipamento) – – 200
Portas de serviço (1) 1,20 60 72
Portas de saída de emergência 3,60 82 295,20
Total 567,20
Linhas de bloqueio até o local de segurança
Escadas fixas 0 56 0
Escadas rolantes a (capacidade: 100/equipamento) – – 0
Escadas de emergência 0 56 0
Ensaio de escada rolante (0 %) (não > 50 %) 0
Plataforma até local de segurança
Tempo de caminhada para rota de escape mais longa m m/min min
Na plataforma T1 41,4 38 1,09
Plataforma até saguão T2 9,1 15 0,60
No saguão T3 16,5 61 0,27
Depois do bloqueio, até local de segurança T4 3,05 61 0,05
Tempo total de caminhada: T = T1 + T2 + T3 + T4 2,01
a Para o cálculo, considerar uma escada rolante fora de serviço.

NÃO TEM VALOR NORMATIVO 3/10


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

4.1.1 EXEMPLO 1

Evacuar em 4 min ou menos a carga de ocupação (pessoas) da plataforma.


carga de ocupação da plataforma
Fp =
capacidade de escape da plataforma
Projeto em Consulta Nacional

onde

Fp é o tempo de fluxo para evacuar a plataforma, expresso em minutos (min).


2 314
Fp = = 3, 63 min
637,6

No Exemplo 1, o tempo de evacuação da plataforma resultou em 3,63 min, portanto, está de acordo
com o descrito em 5.5.6.1.1 da ABNT NBR 16484:2017.

4.1.2 EXEMPLO 2

Evacuar em 6 min, ou menos, a carga de ocupação (pessoas) do ponto mais remoto da plataforma
até o local de segurança.

Wp = Fp – T1

onde

Wp é o tempo de espera nas saídas da plataforma, expresso em minutos (min);

Wp = 3,63 – 1,09 = 2,54 min

Wbl = Fbl – Fp

onde

Wbl é o tempo de espera na linha de bloqueios, expresso em minutos (min);

Fbl é o tempo de fluxo na linha de bloqueio, expresso em minutos (min).

Carga de ocupação do saguão = carga de ocupação da plataforma – (Fp × capacidade da escada


de emergência)

Carga de ocupação do saguão = 2 314 – (3,63 × 134,4) = 2 314 – 488 = 1 826 pessoas.
carga de ocupação no saguão 1826
F bl = = = 3,22min
capacidade de saída de bloqueios 567,2

Wbl = Fbl – Fp = 3,22 – 3,63 = 0,00 min (significa que não há espera)

Ws = [Fs – máx (Fbl ou Fp)]

onde

Ws é o tempo de espera na saída do saguão, expresso em minutos (min);

Fs é o tempo de fluxo na saída do saguão, expresso em minutos (min).

4/10 NÃO TEM VALOR NORMATIVO


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

carga de ocupação do saguão 1826


Fs = = = 0,00 min
capacidade de saída do saguão 0

Ws = 0,00 – 3,63 = 0,00 min (significa que não há espera)

Tempo até local de segurança = T + Wp + Wbl + Ws = 2,01 + 2,54 + 0,00 + 0,00


Projeto em Consulta Nacional

Tempo até local de segurança = 4,55 min.

No Exemplo 2, o tempo de evacuação da plataforma resultou em 4,55 min, portanto, está de acordo
com o descrito em 5.5.6.2.1 da ABNT NBR 16484:2017.

Caso o saguão desta estação seja considerado o local de segurança, o cálculo do Exemplo 2 deve
ser modificado. O tempo para atingir o local de segurança deve somente incluir a soma do tempo de
trajeto andando do local mais remoto da plataforma ao saguão e do tempo de espera na saída da
plataforma. A área do saguão deve ser suficientemente grande para acomodar a carga de ocupação
do saguão calculada no Exemplo 2.

4.2 Estação com plataforma lateral


A Figura 2 ilustra uma estação subterrânea fechada com plataforma lateral, com o saguão de bilhete-
rias e bloqueios acima da plataforma, mas abaixo do nível da superfície.
Uma escada fixa e
Escada rolante (típica) uma escada rolante

Desce Desce Desce Até o nível superior

Área
não paga Aberto para
Espaço auxiliar Área paga 25,9 m
m plataforma
,1 39,7 m
Até o nível superior 35 Área abaixo
não paga

Desce Desce Desce


70,2 m
Escada fixa (típico)
Nível de saguão

Escadaria de emergência Escadaria de emergência


até o nível superior até o nível superior

Sobe
50,3 m Plataforma de embarque Sobe
25,9 m
VIA

Sobe Plataforma de desembarque 18,3 m


Sobe Sobe

100,7 m 45,7 m 36,6 m

183 m
Nível da plataforma

Figura 2 – Estação com plataforma lateral


NOTA Considerar escada rolante (típica) como sendo igual a duas escadas rolantes lado a lado.

A plataforma tem uma extensão de 183 m para acomodar toda a extensão do trem. A distância vertical
entre o térreo e o saguão é de 7,90 m. O saguão está 5,50 m acima da plataforma.
A estação em questão tem duas entradas normalmente utilizadas pelos usuários, sendo que cada
uma contém uma escada rolante e uma escada. O trajeto no térreo mede 3,05 m.
O saguão é dividido em duas áreas livres e uma área paga, separadas por uma linha de bloqueio,
com 12 equipamentos (portas giratórias do tipo torniquete) e uma porta de 1,20 m de largura nominal,
equipada com barra antipânico, para uso de deficientes e pessoal de serviço.

NÃO TEM VALOR NORMATIVO 5/10


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

Há três aberturas na laje entre cada plataforma e o saguão, contendo duas escadas fixas e duas
escadas rolantes.

Há elevadores do nível térreo até o saguão e do saguão até cada plataforma, para o uso de pessoas
deficientes e do pessoal de serviço. As salas técnicas e operacionais estão localizadas no nível do
saguão.
Projeto em Consulta Nacional

Há escadas de emergência enclausuradas levando diretamente para o térreo, localizadas nas extre-
midades de cada plataforma. As escadas rolantes têm largura do degrau 1,00 m. As escadas fixas de
emergência têm 1,20 m de largura. As escadas fixas públicas têm 1,80 m de largura. As portas para
as escadas de emergência têm 1,20 m de largura.

A carga de ocupação da estação é de 1 600 pessoas, sendo 228 pessoas na plataforma de desem-
barque e 1 372 pessoas na plataforma de embarque.

As Tabelas 2 e 3 listam os dados para a análise dos exemplos da estação com plataforma lateral.

Tabela 2 – Cálculos dos exemplos – Estação com plataforma lateral


Capacidade dos componentes das rotas de escape m pessoas/m/min pessoas/min
Plataforma de embarque até o saguão (ascendente)
Escadas fixas (2) 3,60 56 201,6
Escadas rolantes (1) a (capacidade: 100/equipamento) – – 100
Escadas de emergência (2) 2,40 56 134,4
Total de pessoas/min 436
Linhas de bloqueio no saguão
Catracas com portas giratórias do tipo torniquete (12)
– – 300
(capacidade: 25 pessoas/equipamento)
Portas de serviço (1) (capacidade: 60 pessoas/porta/min) – – 60
Total de pessoas/min 360
Linhas de bloqueio até o local de segurança
Escadas fixas (2) 3,60 56 201,60
Escadas rolantes (2) a (capacidade: 100/equipamento) – – 100
Ensaio de escada rolante (33 %) (não > 50 %) 301,60
Tempo de caminhada para rota de escape mais longa m m/min min
Rota de escape mais longa - Plataforma de embarque
Na plataforma T1 50,3 38 1,32
Plataforma até saguão T2 5,5 15 0,37
No saguão T3 35,1 61 0,58
Saguão até local de segurança T4 7,9 15 0,53
Depois do bloqueio, até local de segurança T5 3,05 61 0,05
Tempo total de caminhada: T = T1 + T2 + T3 + T4 + T5 2,85
a Para o cálculo, considerar uma escada rolante fora de serviço.

6/10 NÃO TEM VALOR NORMATIVO


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

Tabela 3 – Cálculos dos exemplos – Estação com plataforma lateral


Capacidade dos componentes das rotas de escape m pessoas/m/min pessoas/min
Plataforma de desembarque até o saguão (ascendente)
Escadas fixas (2) 3,60 56 201,6
Projeto em Consulta Nacional

Escadas rolantes (1) a (capacidade: 100/equipamento) – – 100


Escadas de emergência (2) 2,40 56 134,4
Total de pessoas/min 436

Tempo de caminhada para rota de escape mais longa m m/min min


Plataforma de desembarque até o local de segurança
Na plataforma T1 18,2 38 0,48
Plataforma até o saguão T2 5,5 15 0,37
No saguão T3 39,7 61 0,65
Saguão até nível T4 7,9 15 0,53
No nível até o local de segurança T5 3,05 61 0,05
Tempo total de caminhada: Td = T1 + T2 + T3 + T4 + T5 2,08
a Para o cálculo, considerar uma escada rolante fora de serviço.

O cálculo do exemplo apresentado precisa ser realizado para analisar adequadamente este tipo de
estação. Este cálculo mostra o efeito do desconto de uma das escadas rolantes no saguão até o nível
térreo. A capacidade de saída da plataforma até o saguão cumpre os critérios descritos em 5.5.6.1 da
ABNT NBR 16484:2017.

4.2.1 EXEMPLO 3

Evacuar em 4 min, ou menos, a carga de ocupação da plataforma.

4.2.1.1 Plataforma de embarque


carga da ocupação de plataforma de embarque 1372
F p-e = = = 3,14min
capacidade de escape da plataforma 436
onde

Fp-e é o tempo para abandonar a plataforma de embarque, expresso em minutos (min)

4.2.1.2 Plataforma de desembarque

Fp-d = carga de ocupação da plataforma de desembarque/capacidade de escape da plataforma

Fp-d = 228 / 436 = 0,52 min

onde

Fp-d é o tempo para abandonar a plataforma de desembarque, expresso em minutos (min).

NÃO TEM VALOR NORMATIVO 7/10


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

As cargas de ocupação e os meios de escape das plataformas satisfazem ao critério de 4 min, de


acordo com 5.5.6.1.1 da ABNT NBR 16484:2017.

4.2.2 EXEMPLO 4

Evacuar em 6 min, ou menos, a carga de ocupantes da plataforma, desde o local mais remoto dela
Projeto em Consulta Nacional

até o local de segurança.

4.2.2.1 Plataforma de embarque

Wp-e = Fp-e – T1-e

onde

Wp-e é o tempo de espera nas saídas da plataforma de embarque, expresso em minutos (min).

Wp-e = 3,14 – 1,32 = 1,82 min.

Carga de ocupação do saguão = carga de ocupação da plataforma – (Fp-e × capacidade da escada


de emergência)

Carga de ocupação do saguão = 1 372 – (3,14 × 134,4) = 1 372 – 422 = 950 pessoas.

4.2.2.2 Plataforma de desembarque

Wp-d = Fpd – T1-d

onde

Wp-d é o tempo de espera nas saídas da plataforma de desembarque, expresso em minutos (min)

Wp-d = 0,52 – 0,48 = 0,04 min

Carga de ocupação do saguão = carga de ocupação da plataforma – (Fp-d × capacidade da escada


de emergência)

Carga de ocupação do saguão = 228 – (0,52 × 134,4) = 228 – 70 = 158 pessoas.

A carga total de ocupantes no saguão = cargas da plataforma de embarque + cargas plataforma


de desembarque

Carga total de ocupantes no saguão = 950 + 158 = 1 108 pessoas.

4.2.2.3 Tempo de espera na linha de bloqueios

4.2.2.3.1 Plataforma de embarque

Wbl-e = Fbl – Fp-e

onde

Wbl é o tempo de espera na linha de bloqueio, expresso em minutos (min);

Fbl é o tempo de fluxo no bloqueio, expresso em minutos (min).

8/10 NÃO TEM VALOR NORMATIVO


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

carga de ocupação do saguão 1108


F bl = = = 3,07min
capacidade de saída dos bloqueios 360

Wbl-e = Fbl – Fp-e = 3,07 – 3,14 = 0,00 min (significa que não há espera)

Ws = [Fs – máx .( Fbl ou Fp-e )]


Projeto em Consulta Nacional

onde

Ws é o tempo de espera na saída do saguão, expresso em minutos (min);

Fs é o tempo de fluxo do saguão, expresso em minutos (min).

carga de ocupação do saguão 1108


Fs = = = 3,67min
capacidade de saída do saguão 301, 6

Ws-e = 3,67 – 3,14 = 0,53 min

4.2.2.3.2 Plataforma de desembarque

Wbl-d = Fbl – Fp-d

Wbl-d = 3,07 – 0,52 = 2,55 min

Ws = [Fs – máx. (F bl ou Fp-d)]

Ws-d = 3,67 – 2,55 = 1,12 min

4.2.2.4 Tempo total de evacuação de plataformas

4.2.2.4.1 Plataforma de embarque

Tempo total de evacuação da plataforma de embarque = Te + Wp-e + Wbl-e + Ws-e

Tempo total de evacuação da plataforma de embarque = 2,85 + 1,82 + 0,00 + 0,53

Tempo total de evacuação da plataforma de embarque = 5,20 min

4.2.2.4.2 Plataforma de desembarque

Tempo total de evacuação da plataforma de desembarque = Td + Wp-d + Wbl-d + Ws-d

Tempo total de evacuação da plataforma de desembarque = 2,08 + 0,04 + 2,55 + 1,12

Tempo total de evacuação da plataforma de desembarque = 5,79 min

4.3 Estação com plataformas múltiplas

Os procedimentos para calcular os tempos de saída para estações com plataformas de múltiplos níveis
são semelhantes aos exemplos de cálculo mostrados em 4.1 e 4.2, respectivamente. As mudanças
nos cálculos de saída são, para estações com plataformas de múltiplos níveis, principalmente em
função das determinações de carga de ocupação simultânea para os dois níveis de plataforma.

NÃO TEM VALOR NORMATIVO 9/10


ABNT/CB-024
2º PROJETO ABNT NBR 16640
JUN 2018

O procedimento relativo aos cálculos de carga de ocupação geralmente é recomendado como descrito
a seguir:

 a) calcular a carga de ocupação para cada nível de plataforma como nos exemplos apresentados
em 4.1 e 4.2, respectivamente, para os mesmos horários do dia;
Projeto em Consulta Nacional

 b) a carga de ocupação do nível superior é aumentada pelas pessoas abandonando o nível inferior
por meio das rotas de escape normais, de acordo com 4.3-d);

 c) para um incêndio no nível inferior, são calculadas as hipóteses referentes à distribuição das car-
gas de ocupação para os meios disponíveis de abandono, de modo semelhante aos procedimen-
tos descritos em a), b) e d).

 d) se o incêndio for na plataforma de nível superior (para estação subterrânea), pode-se admitir uma
porcentagem esperada de ocupantes que poderiam sair do nível inferior pelas rotas de escape
normais versus àqueles que poderiam sair pelas escadas de emergência. Estas suposições são
exclusivas para cada sistema como uma função de diversos parâmetros, incluindo:

 1) configuração física de estações, meios de saída das estações e localização das saídas de
emergência;

 2) instalações de comunicação para avisar os usuários do sistema, tanto verbalmente quanto
por sinalização;

 3) nível de trânsito do pessoal de serviço das estações;

 4) responsabilidades pelo procedimento de emergência do pessoal em trânsito, estabelecidas


pela organização de controle de tráfego do local.

O restante dos cálculos de saída fica essencialmente inalterado em comparação aos outros cálculos
mostrados em 4.1 e 4.2, respectivamente.

10/10 NÃO TEM VALOR NORMATIVO

Оценить