Вы находитесь на странице: 1из 16

ARRANJO GEOMÉTRICO

GEOMETRIA MOLECULAR

ORBITAIS HÍBRIDOS

A RRANJO GEOMÉTRICO G EOMETRIA MOLECULAR O RBITAIS HÍBRIDOS O RBITAIS M OLECULARES Prof. Cristiano Torres

ORBITAIS MOLECULARES

Prof. Cristiano Torres Miranda

Disciplina: Química Geral QM81B

Turmas Q13 e Q14O RBITAIS HÍBRIDOS O RBITAIS M OLECULARES Prof. Cristiano Torres Miranda Disciplina: Química Geral – QM81B

25/04/2018

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.

REPULSÃO DOS PARES DE ELÉTRONS NO NÍVEL DE VALÊNCIA – RPENV. Definido pelo número de
REPULSÃO DOS PARES DE ELÉTRONS NO NÍVEL DE
VALÊNCIA – RPENV.
Definido
pelo
número
de

coordenação total (NCT):

NCT = número de + pares de e -

átomos

coordenados

não-ligantes

pelo número de coordenação total (NCT): NCT = número de + pares de e - átomos
pelo número de coordenação total (NCT): NCT = número de + pares de e - átomos
pelo número de coordenação total (NCT): NCT = número de + pares de e - átomos
2
2

25/04/2018

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. A RRANJO GEOMÉTRICO de As forças de repulsão entre
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. A RRANJO GEOMÉTRICO de As forças de repulsão entre

ARRANJO GEOMÉTRICO

de

Federal do Paraná - QM81B. A RRANJO GEOMÉTRICO de As forças de repulsão entre os pares

As forças de repulsão entre os pares de

elétrons apresentam três magnitudes:

de

elétrons não-ligantes;

Repulsões intermediárias entre pare

Repulsões

fortes

entre

pares

de elétrons ligante e não-ligante;

fracas

entre

Repulsões

pares

elétrons ligantes.

fracas – entre • Repulsões pares elétrons ligantes. Par de elétrons não-ligantes possuem um volume muito

Par de elétrons não-ligantes possuem um volume muito maior que o par de elétrons ligantes.

Para minimizar a repulsão e - -e - , os pares solitários, em moléculas com níveis

de valência expandidos,

são sempre colocados em posições equatoriais.

3
3

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. 25/04/2018 GEOMETRIA MOLECULAR • Ao estabelecer a geometria ao
25/04/2018 GEOMETRIA MOLECULAR
25/04/2018
GEOMETRIA MOLECULAR
Federal do Paraná - QM81B. 25/04/2018 GEOMETRIA MOLECULAR • Ao estabelecer a geometria ao redor do

Ao estabelecer a geometria ao redor do átomo central, considera-se todos os elétrons (pares solitários e pares ligantes).

Quando dá-se nome à geometria molecular, focaliza-se somente na posição dos átomos.

e pares ligantes). • Quando dá-se nome à geometria molecular, focaliza-se somente na posição dos átomos.
4
4

25/04/2018

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.

25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. Geometria molecular 5
Geometria molecular
Geometria molecular
5
5
25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. Geometria molecular 6
25/04/2018
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.
Geometria molecular
6
25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. Geometria molecular 7
25/04/2018
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.
Geometria molecular
7

25/04/2018

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.

25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. T EORIA DAS L IGAÇÕES DE V ALÊNCIA
25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. T EORIA DAS L IGAÇÕES DE V ALÊNCIA

TEORIA DAS LIGAÇÕES DE VALÊNCIA

25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. T EORIA DAS L IGAÇÕES DE V ALÊNCIA
8
8
25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. ORBITAIS HÍBRIDOS 9
25/04/2018
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.
ORBITAIS HÍBRIDOS
9
25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. Orbitais híbridos 10
25/04/2018
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.
Orbitais híbridos
10
25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. LIGAÇÕES MÚLTIPLAS 11
25/04/2018
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.
LIGAÇÕES MÚLTIPLAS
11

25/04/2018

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.

Ligações múltiplas
Ligações múltiplas
25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. Ligações múltiplas 12
25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. Ligações múltiplas 12
12
12
Ligações múltiplas
Ligações múltiplas
25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. 13
25/04/2018
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.
13

25/04/2018

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. T EORIA DOS O RBITAIS M OLECULARES A molécula
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. T EORIA DOS O RBITAIS M OLECULARES A molécula

TEORIA DOS ORBITAIS MOLECULARES

A molécula de hidrogênio

Federal do Paraná - QM81B. T EORIA DOS O RBITAIS M OLECULARES A molécula de hidrogênio

A molécula de hélio

14
14

25/04/2018

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.

Orbitais moleculares
Orbitais moleculares

Orbitais moleculares a partir de orbitais atômicos 2 p

Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. Orbitais moleculares Orbitais moleculares a partir de orbitais atômicos 2
15
15
Orbitais moleculares
Orbitais moleculares

DIAGRAMAS DOS ORBITAIS MOLECULARES PARA MOLÉCULAS M 2 DO SEGUNDO

PERÍODO.

25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.
25/04/2018
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B.

O 2 , F 2 e Ne 2

16
16

B 2 , C 2 e N 2

. 25/04/2018 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - QM81B. O 2 , F 2 e Ne