Вы находитесь на странице: 1из 96

PROJETO PEDAGÓGICO

2018

Casa da Criança “Vovô Nestor”


1 - OBJETO DA PARCERIA.

I. OBJETO DA PARCERIA

A Unidade Escolar atenderá 451 crianças, na faixa etária de 0 ano a 5 anos e 11 meses em período
integral de segunda a sexta-feira.

A previsão para o inicio das aulas é de 25 de Janeiro de 2018 a 21 de Dezembro 2018.

O atendimento acontecerá com 60 crianças do Agrupamento I, 180 crianças no Agrupamento II e 211


crianças do Agrupamento III.

O Projeto Pedagógico será executado em 200 dias letivos da seguinte forma:

 Matrícula;
 Execução do Trabalho Pedagógico;
 Reunião com as famílias;
 Avalição Institucional;
 Formação Continuada;
 Avaliação do Desenvolvimento da criança;
 Passeios Externos;
 Eventos com a família e a comunidade.

2 - CARACTERIZAÇÃO DA UNIDADE EDUCACIONAL E SEU ENTORNO.

2.1 - Identificação da Unidade Educacional.

CARACTERIZAÇÃO DA UNIDADE EDUCACIONAL E SEU ENTORNO

1. Identificação da Unidade Educacional

CASA DA CRIANÇA “VOVÔ NESTOR”

Rua Pedro Braga, 130

CEP 13036-135 – Parque Itália

Campinas – SP

Fone: (19) 2513-4837/3273-4737

e-mail: vovonestor.crianca@gmail.com

Identificação do Presidente da Casa da Criança “Vovô Nestor”

Nome Completo: Vitor de Pádua Ferreira

CPF: 073.950.358-87

RG: 14.175.790

Profissão: Engenheiro Civil


Endereço: Rua Hilário Magro Junior,nº 139, Apto 12, Bosque, Campinas - SP

Telefone/celular: 3273-4737

E-mail: vovonestor.crianca@gmail.com

Identificação da Diretora Educacional da Casa da Criança “Vovô Nestor”

Nome Completo: Cristina Helena Neves Bertuzzi

CPF: 096.804.688-60

RG: 15.118.518-9

Telefone/celular: (19) 99508-9767(claro) /998546133(vivo)

E-mail: cristina.helena.bertuzzi@gmail.com

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE EDUCACIONAL

Períod Horário Horário


Dia da Semana
o Início Término

Integra Segunda a Sexta-


7h30 17h00
l feira

2.2 - Histórico da Unidade Educacional

1. Histórico da Unidade Educacional

Em meados de 1973, a Sra. Ophelina Rabelo recebeu uma herança e decidiu doá-la a Casa da Criança
“Meimei”. O Sr. Nestor Mendes da Rocha, fundador daquela casa, a incentivou a criar sua própria creche
com um grupo de colaboradores. Assim nasceu à Casa da Criança “Vovô Nestor”, fundada em 12 de
outubro de 1975, carinhosamente chamado de “vovô” pelas crianças da creche. Inicialmente, com vinte e
cinco crianças em sede provisória, no Cambuí, hoje em sede própria no Parque Itália, em terreno de
2.500m2, doado em 1976, pela Prefeitura Municipal de Campinas, por trinta e quatro anos ininterruptos
esteve em pleno funcionamento.

O prédio encontra-se em bom estado de conservação e conta com uma infraestrutura física adequada para
o atendimento da educação infantil. O espaço físico é amplo, as salas de aula apresentam espaço
adequado, boa iluminação e ventilação. O prédio passou, recentemente, por processo de reforma e todas
as dependências contam com pintura e instalações elétricas novas, bem como mobiliários adequados.
Além das salas de aula, a UE conta com refeitório, biblioteca, área verde com parque, salão para
atividades, área coberta, sala de informática, cozinha, biblioteca/brinquedoteca.

O atendimento hoje oferecido é de 271 crianças do Agrupamento II e III conforme convênio junto com a
Secretária de Educação da cidade de Campinas/SP.

A proposta da Casa da Criança “Vovô Nestor” é o atendimento em educação infantil para crianças de 0
ano a 5 anos e 11 meses, considerando tanto a legislação em vigor como o compromisso público da
Prefeitura Municipal de Campinas de atender a demanda na educação infantil. Em março de 2015
iniciamos o atendimento para as 150 crianças da faixa etária de 1 e 8 meses a 5 anos e 11 meses, em
agosto do mesmo ano ampliamos o atendimento para 210 crianças. A U.E. oferece atendimento de
educação infantil às crianças inseridas num contexto sócio cultural de nível médio/baixo, atendendo
principalmente às mães que exercem sua função fora do lar.
A capacidade de atendimento da Casa da Criança “Vovô Nestor” é de 450 crianças, do Agrupamento I, II
e III. Está estruturado o atendimento da seguinte forma:

 uma turma de trinta crianças do Agrupamento I;


 sete turmas de trinta crianças do Agrupamento II;
 uma turma com vinte e seis crianças de Agrupamento III;
 duas turmas com trinta e uma crianças de Agrupamento III;
 três turmas com trinta e três crianças de Agrupamento III;
 uma turma com vinte e quatro crianças de Agrupamento III.

Todos os atendimentos serão feitos em período integral.

A Casa da Criança “Vovô Nestor” atende crianças de vários bairros da região sul: Parque Itália, Jardim
Icaraí, São Bernardo, Parque Oziel, Jardim Monte Cristo, Gleba B do Parque Oziel, San Diego, Campo
Belo, Jardim São Domingos, Jardim Fernanda, Nossa Senhora de Lourdes, Cidade Singer, Jardim
Bandeira, Jardim Leonor, Jardim Abaeté, São José, Jardim do Lago e Vila Vitória.

2.3 - Características socioeconômicas e culturais da Unidade Educacional e seu entorno.

1. Caracterização Socioeconômicas e Culturais da U.E e seu Entorno

A Casa da Criança “Vovô Nestor”, está localizada no Parque Itália, situa-se próximo ao centro de
Campinas, na região sul, localizado próximo a Receita Federal, e bairros distribuídos aos arredores:
Jardim Leonor, Vila João Jorge, São Bernardo, Vila Industrial, Jardim Dom Vieira, e ladeada pelos
corredores da Av. das Amoreiras e rodovia Santos Dumont e Avenida João Jorge. Em frente a U.E. há um
condomínio com aproximadamente 600 apartamentos, aumentando a quantidade de moradores que até
então era extremamente reduzida. A UE situa-se ao lado do prédio da APAE Campinas.

A Região é composta por 02 Escolas Estadual, 01 Escola Senai Roberto Mange, 01 Emei e 01 Entidade.
O bairro possui ampla rede de serviços básicos à população: Hospital Mario Gatti, DAS-Sul, Centro de
Saúde, Receita Federal, dois corredores de ônibus: Amoreiras e João Jorge, APAE, farmácias, clinicas
médicas, Casa da Criança Paralítica, ADACAMP, Lar da Amizade, Associação dos Cirurgiões Dentistas.
É uma região populosa e o comércio da região é composto por supermercados, padarias, papelarias e
farmácias. A região possui igreja evangélica, católica e centro espírita e de umbanda.

O bairro também possui equipamentos de lazer para a população: Grêmio Recreativo Parque Itália e o
Bosque dos Jequitibás.

Devido à localização da creche, a Casa da Criança “Vovô Nestor” atende crianças que provem dos vários
bairros: Parque Itália, Jardim Icaraí, São Bernardo, Parque Oziel, Jardim Monte Cristo, Gleba B do
Parque Oziel, San Diego, Campo Belo, Jardim São Domingos, Jardim Fernanda, Nossa Senhora de
Lourdes, Cidade Singer, Jardim Bandeira, Jardim Leonor, Jardim Abaeté, São José, Jardim do Lago e
Vila Vitória. Alguns desses bairros apresentam características de vulnerabilidade social.

Atendemos crianças da faixa etária de 1ano e oito meses até 5 anos e 11 meses, das classes
socioeconômicas desfavorecidas, sendo a renda per capita menor que R$ 1.405,00, sendo que a grande
maioria dos alunos provêm do Jardim São Diego, residentes em um condomínio da COHAB, construído
para abrigar as famílias que habitavam áreas de risco de Campinas.

A maioria das famílias tem a mãe como as provedoras do lar, com vários filhos, com a escolaridade do
ensino médio, na grande maioria trabalham como doméstica, e atividades não formais.

2.4 - Ações intersetoriais em que a escola está envolvida. (Se houver).

A U. E. mantém parcerias com ADACAMP, APAE, Instituto Educacional Dona Carminha, Unicamp,
Hospital Mario Gatti, Posto de Saúde próximo a Unidade Educacional, CAPS Roda Viva/Espaço
Criativo, Atendimento Especializado em Psicologia/Unip, SOS Mulher, CAPS Carretel, Lar da Amizade,
Casa da Criança Paralitica, Puc Campinas/Psicologia e Escola Estadual Salvador Bove.

Os Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil (2006), documento do Ministério da


Educação e Cultura – MEC aponta a relação estabelecida com as famílias das crianças como um dos
aspectos relevantes para a melhoria da qualidade na Educação Infantil.

Um bom trabalho com a Comunidade se traduz em um trabalho conjunto com os canais


institucionalizados da mesma. A integração entre os representantes legítimos da Comunidade, e entre os
demais equipamentos públicos e privados favorece a dinamização de intercâmbios entre todos e a busca
de benefícios comuns que gerem para a população, novas oportunidades e melhorias necessárias para uma
boa qualidade de vida.

Pretendemos promover palestras educativas voltadas para os temas: Sexualidade na Infância,


Planejamento Familiar, A Mídia e sua influência, entre outros temas sugeridos pelas famílias.

Contamos com as instruções de um Psicólogo voluntário e uma pediatra, oferecendo palestras com
vivências e práticas que nos ensinam como lidar com situações que estamos sujeitos na vida familiar e
escolar no nosso dia a dia.

2.5 - Infraestrutura predial, recursos físicos e materiais/equipamentos.

Infraestrutura Predial

Prédio com uma área de 2500m2 com área construída de 1.380m2, para atendimento das crianças.

Recursos Físicos:

 Treze salas de aula, para crianças 0 ano até 5 anos e 11 meses; corredores amplos e as salas
ventiladas e iluminadas por luzes naturais e artificiais;
 Duas sala de aula com dois ambientes e um banheiro adjacente;
 Um parque externo com areia, contendo brinquedos de ferro e um tanque de areia;
 Um tanque de areia;
 Uma horta, para atividades de cuidados com as crianças;
 Uma área coberta com uma pia e um lavatório, neste local as crianças do agrupamento II e III
praticarão atividades diversificadas;
 Uma casa de boneca de madeira;
 Dois refeitórios amplos, iluminado e ventilado capaz de receber todas as crianças em sistema de
rodízio para as refeições;
 Um salão amplo, piso cerâmica para realização de atividades diversas;
 Dois banheiros infantis, com quatro vasos infantis, para agrupamento II;
 Um banheiro com cubas para banho, para Agrupamento I;
 Um conjunto de banheiro infantil: masculino e feminino;
 Três banheiros para adultos/deficiência, um feminino e outro masculino;
 Duas sala para secretária;
 Uma biblioteca para adultos;
 Uma sala para a diretora;
 Uma sala para o administrativo;
 Uma sala da coordenadora pedagógica;
 Uma sala para professores
 Uma sala de atividades artesanais para a família;
 Uma área coberta para atividades de recreação;
 Uma sala para reuniões;
 Um almoxarifado;
 Uma cozinha com dispensa ampla;
 Um espaço de leitura para contação de histórias;
 Um pátio coberto para atividades recreativas;
 Uma sala de informática;
 Um espaço gourmet para atividades de culinária;
 Duas paredes de azulejo;
 Dois lavatórios com quatro torneiras;
 Uma parede de giz;
 Um pátio com balanço;
 Um espaço de beleza;
 Um espaço de fantasias;
 Um espaço sensorial;
 Um pátio com atividades de pneus e material não estruturado;
 Uma sala com ao cervo dos livros infantis/CD/DVD;
 Uma lavanderia com uma máquina de lavar;
 Uma brinquedoteca;
 Um espaço com banheiro para funcionamento de um brechó para arrecadação de fundos;
 Um solário.

Recursos Materiais

 Uma TV de 32’;
 Dois aparelhos de DVD;
 Dez sons portáteis;
 Uma máquina fotográfica digital;
 Acervo de livros, CDs e DVDs;
 Mesas e cadeiras adequadas à faixa etária atendida;
 Materiais pedagógicos, jogos pedagógicos e brinquedos;
 Colchões individuais para alunos de período integral;
 Quatro computadores para uso da Equipe Gestora;
 Três notebooks para uso da Equipe Gestora;
 Dois projetores;
 Sete conjuntos de mesas/cadeiras de escritório;
 Seis armários de arquivo;
 Quatorze armários fechados de aço;
 Três armários de aço baixo;
 Oito prateleiras de aço;
 Sete estantes de aço;
 Quatro armários de madeira;
 Seis armários de madeira baixo;
 27 armários com três gavetas com rodinha;
 Um roupeiro com 24 portas e um com oito portas;
 Quinze mesas de refeitório com bancos;
 Dois bebedouros para a adulto/criança com filtro;
 Um bebedouro para o adulto com filtro;
 Quatro gabinete de madeira;
 Quatro balcão de vidro;

- Um buffet com seis cubas para autoservimento das crianças;

- Um buffet com quatro cubas para funcionários;

 Sete geladeiras;
 Um freezer horizontal;
 Um freezer vertical;
 Quatorze pufs;
 Um fogão;
 Um fogão industrial;
 Duas caixas amplificadoras;
 Vinte prateleiras de madeira
 Vinte e cinco ventiladores de teto;
 Sete ventiladores de pé;
 Mesas e bancos refeitório para adulto;
 Vinte bicicletas para as crianças;
 Uma lavadora;
 Dois armários com 24 portas para cozinha;
 Cinco mesa de reunião;
 Cadeiras pretas e brancas;
 Materiais e utensílios para o preparo da alimentação escolar.

2.6 - Profissionais que atuam na Unidade Educacional - quadro(s) geral(ais) reunindo jornada, horários
de atendimento e de formação.

EQUIPE GESTORA:

HORÁRIO DE
NOME COMPLETO HABILITAÇÃO FUNÇÃO
TRABALHO

Cristina Helena Diretora


Pedagogia 07h30 as 17h00
Neves Bertuzzi Educacional

À contratar Pedagogia Vice diretora Á definir

07h30 as 17h00
(segunda/quarta/sexta)
Camila Fernanda Pedagogia (Pós em Ed. Especial e Coordenadora
Possari Lima cursando Gestão Escolar) Pedagógica 09h45 as 19h15 (terça)

09h30 as 19h00 (quinta)

EQUIPE DOCENTE:

NOME HORÁRIO DE HORÁRIO DE JORNADA


HABILITAÇÃO PROFESSORA
COMPLETO TRABALHO FORMAÇÃO SEMANAL

Terças-feiras
Á contratar Pedagogia AG I A Á definir 22 Horas
17h15 ás 19h15

Terças-feiras
Á contratar Pedagogia AG I B Á definir 22 Horas
17h15 ás 19h15

Érika 07H45 as Terças-feiras


Pedagogia AG II A 22 Horas
Benjamin Teles 12H00 17h15 ás 19h15

Diva Braz Pedagogia AG II B 07H45 as Terças-feiras 22 Horas


Pimentel
12H00 17h15 ás 19h15

Flaviana
07H45 as Terças-feiras
Helena Silva de Pedagogia AG II C 22 Horas
12H00 17h15 ás 19h15
Jesus

Terças-feiras
Á contratar Pedagogia AG II D Á definir 22 Horas
17h15 ás 19h15

Terças-feiras
Á contratar Pedagogia AG II E Á definir 22 Horas
17h15 ás 19h15

Terças-feiras
Á contratar Pedagogia AG II F Á definir 22 Horas
17h15 ás 19h15

Adreane Mira 13H00 as Terças-feiras


Pedagogia AG III A 22 Horas
dos Santos 17h15 17h15 ás 19h15

Danielle
13H00 as Terças-feiras
Aparecida da Pedagogia AG III B 22 Horas
17h15 17h15 ás 19h15
Silva

Fabiana Paula
07H45 as Terças-feiras
da Silva Pedagogia AG III C 22 Horas
12H00 17h15 ás 19h15
Pereira

Marcia Maria 07H45 as Terças-feiras


Pedagogia AG III D 22 Horas
Alves da Silva 12H00 17h15 ás 19h15

Meridiane
13H00 as Terças-feiras
Santos Pedagogia AG III E 22 Horas
17h15 17h15 ás 19h15
Carvalho

Ivanilda Garcia
07H45 as Terças-feiras
da Silva Pedagogia AG III F 22 Horas
12H00 17h15 ás 19h15
Gonçalves

Fabíola Kelly 13H00 as Terças-feiras


Pedagogia AG III G 22 Horas
Fonseca Soares 17h15 17h15 ás 19h15

Pedagogia com
07H45 as Terças-feiras
Milene Góis Habilitação Ed. Ed. ESPECIAL 22 Horas
12H00 17h15 ás 19h15
Especial

EQUIPE DE MONITORAS

NOME HORÁRIO DE HORÁRIO DE JORNADA


HABILITAÇÃO MONITORAS
COMPLETO TRABALHO FORMAÇÃO SEMANAL

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG I A Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00
Ensino Médio ou Quintas-feiras
Á contratar AG I A Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG I A Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG I B Á definir 42Horas
Pedagogia 17h15 ás 19h15

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG I B Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG I B Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00

Patrícia Gaia 07H30 as Quintas-feiras


Ensino Médio AG II A 42Horas
Lima 16H30 17h00 ás 19h00

Vanessa
07H30 as Quintas-feiras
Cristina da Ensino Médio AG II A 42Horas
16H30 17h00 ás 19h00
Silva Machado

Edsamara de 07H45 as Quintas-feiras


Ensino Médio AG II B 42Horas
Souza Jesus 12H00 17h00 ás 19h00

Simone Iara 07H30 as Quintas-feiras


Ensino Médio AG II B 42Horas
Batista 16H30 17h00 ás 19h00

Aparecida de
07H30 as Quintas-feiras
Almeida Neto Ensino Médio AG II C 42Horas
16H30 17h00 ás 19h00
Santos

Luciana de 07H30 as Quintas-feiras


Pedagogia AG II C 42Horas
Moraes Oliveira 16H30 17h00 ás 19h00

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG II D Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG II D Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG II E Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG II E Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00

Ensino Médio ou Quintas-feiras


Á contratar AG II F Á definir 42Horas
Pedagogia 17h00 ás 19h00

Á contratar Ensino Médio ou AG II F Á definir Quintas-feiras 42Horas


Pedagogia 17h00 ás 19h00

Adriana Pedagogia
Quintas-feiras
Donizetti AG III A 13H00 as 17h00 42Horas
17h00 ás 19h00
Crescencio (cursando)

Elisangela de 08H00 as Quintas-feiras


Pedagogia AG III A/D 42Horas
Freitas dos Reis 17H00 17h00 ás 19h00

Irene Anjos Quintas-feiras


Ensino Médio AG III B 13H00 as 17h00 42Horas
Oliveira 17h00 ás 19h00

Cinthia Cristina
08H00 as Quintas-feiras
Bandini de Pedagogia AG III B/C 42Horas
17H00 17h00 ás 19h00
Brito

Erilane Pereira Quintas-feiras


Ensino Médio AG III C 07H30 as 16h30 42Horas
da Silva Freitas 17h00 ás 19h00

Pedagogia
Karen Ribeiro Quintas-feiras
AG III D 07H30 as 16h30 42Horas
Soares Borges 17h00 ás 19h00
(cursando)

Elismara Quintas-feiras
Ensino médio AG III E 07H30 as 16h30 42Horas
Araújo Souza 17h00 ás 19h00

Silvana Maria
08H00 as Quintas-feiras
Rodrigues Pedagogia AG III E/F 42Horas
17H00 17h00 ás 19h00
Marques

Ana Marta de Quintas-feiras


Ensino médio AG III F 07H30 as 16h30 42Horas
Souza Dias 17h00 ás 19h00

Joice Lima Félix Quintas-feiras


Ensino médio AG III G 07H30 as 16h30 42Horas
de Abreu 17h00 ás 19h00

Rosilene Santos 08H00 as Quintas-feiras


Ensino médio AG III G/ II A 42Horas
de Almeida 17H00 17h00 ás 19h00

Maria Regina Quintas-feiras


Ensino médio Volante 07H30 as 17h00 42 Horas
Cunha da Silva 17h00 ás 19h00

EQUIPE ADMINISTRATIVA:

HORÁRIO DE
NOME COMPLETO HABILITAÇÃO FUNÇÃO
TRABALHO

Tatiane Hernades Matos Superior Auxiliar


07h30 as 17h00
Estevão Incompleto Administrativo

Alecssandra Borges Luchesi Ensino Médio Auxiliar 08h00 as 17h30


Administrativo

Jornada
Nome Habilitação Área de Atuação
Semanal

ALMEZINA DOS SANTOS Ensino


Cozinheira 40 horas
F.HERNANDES Médio

Ensino
A CONTRATAR Cozinheira
Médio

Ensino Aux. Cozinha (Ajudante de


ROSILDA MARIA DA SILVA 40 horas
Médio Cozinha

Ensino Aux. Cozinha (Ajudante de


LEONI DA LIMA FELIX 40 horas
Médio Cozinha)

Ensino Aux. Cozinha (Ajudante de


A CONTRATAR 40 horas
Médio Cozinha)

ome Habilitação Área de Atuação Jornada Semanal

CÍCERO FIRMINO Ensino Médio


Porteiro 40 horas
RIBEIRO Incompleto

Jornada
Nome Habilitação Área de Atuação
Semanal

MARIA GENESIANA HENRIQUE Ensino Fundamental Aux. Limpeza (Auxiliar de


40 horas
NASCIMENTO Incompleto Serviços Gerais)

Aux. Limpeza (Ajudante de


EDIONARA SANTOS COSTA Ensino Médio 40 horas
Serviços Gerais)

Aux. Limpeza (Ajudante de


ELIANA LEITE CABRAL LIMA Ensino Médio 40 horas
Serviços Gerais)

Aux. Limpeza (Ajudante de


A CONTRATAR Ensino Médio
Serviços Gerais)

Aux. Limpeza (Ajudante de


A CONTRATAR Ensino Médio 40 horas
Serviços Gerais)

3 - AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PARTICIPATIVA (AIP)

3.1 - Breve relato do trabalho realizado no ano anterior. (Apenas nos casos em que a Instituição
já manteve parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Campinas).

3.1.1 - Cumprimento das metas da UE e projetos propostos, constantes no PP.

Cumprimento das metas da U.E. e projetos propostos no PP:

Todas as metas atingidas e os objetivosdas atividades realizadas,tem o propósito de atender a diversidade


da demanda que temos em nossa U. E.
As crianças precisam se sentir seguras, protegidas e cuidadas. Para tanto é necessário que o propósito das
atividades tenha como alvo o desenvolvimento integral da criança. Dessa forma sãoprotagonistas de suas
aprendizagens porqueaprendem fazendo, experimentando, sentindo e pensando.

O educador ao criar vínculo comas crianças, respeitar o nível de desenvolvimento em toda situação de
aprendizagem e desenvolvendo na criança um sentimento de confiança em suas capacidades para
enfrentar novos desafios, amplia suas possibilidades e autoestima.

Toda situação de aprendizagem deve oferecer às crianças uma interação significativa com seus pares e
com os adultos promovendo a integração, o vínculo afetivo, a aprendizagem e o início de seu convívio
social; oferecendo ambientes de aprendizagem que facilitem essa interação, em pequenos grupos e grupos
maiores com modelos de relações positivas.

As atividades desenvolvidas neste ano contribuíram para a formação integral da criança, promoveu a
aprendizagem, garantiu a infância, a cooperação e troca com as famílias.

Observando as metas, notamos que muitas delas foram atingidas e estaremos retomando a cada uma delas
nas reuniões no ano de 2018, afim de melhorar nossas ações, estratégias, organização, previsão na busca
de ampliar a qualidade e buscar parcerias com outras instituições, com a comunidade e o conselho
escolar.

Cada criança é um ser único com características, necessidades, habilidades, e interesses próprios, por esse
motivo verificamos com o grupo docente a necessidade de trabalhar com a pedagogia de projetos, de
forma que sejam consideradas as singularidades e a heterogeneidade de cada turma, explorando,
pesquisando, e construindo conhecimentos partindo da escuta atenta as crianças, sendo essa uma das
principais mudanças na organização do trabalho pedagógico nesse ano.

3.1.2 - Relato sobre a formação continuada dos profissionais da Unidade Educacional e/ou em outros
espaços, indicando os resultados na prática educativa.

As formações dos professores são realizadas uma vez por semana com duração de duas horas, (docentes,
direção e coordenação pedagógica). A formação das monitoras é realizada uma vez por semana com
duração de duas horas (monitoras, direção e coordenação).

Nas formações foram debatidos os seguintes temas: Pedagogia do Afeto, RCNei, avaliação, autonomia.

Há o planejamento, a pauta de reunião, dando espaço para os informes administrativos e esclarecimentos,


proporcionando um espaço de socialização, projetos desenvolvidos na unidade, organização de eventos e
passeios, acompanhamento do desenvolvimento do projeto escolar, e acima de tudo, sendo um espaço de
formação, troca e aprendizagem, trazendo um embasamento teórico para reflexão da prática.

Ocorreram palestras com profissionais habilitados para trocas de experiências e assuntos pertinentes ao
desenvolvimento da criança e desenvolvimento pessoal dos educadores.

Houve um empenho de todos os educadores para a participação na oitava semana de educação de


Campinas, entrando com contato com outros saberes para uma reflexão do ato educativo.

Tivemos neste ano o trabalho dos Embaixadores da Prevenção, onde trabalharam valores (respeito-
esperança-fraternidade-paciência) com as professoras, monitoras e crianças, com encontros quinzenais,
onde realizava uma autoreflexão e conhecimento como podemos com as nossas ações realizar mudanças
no meio que atuamos.

A Entidade é o campo de estágio da Psicologia Organizacional da PUCC, e neste ano trabalharam com a
gestão, monitoras, professoras, equipe de apoio, através de encontros quinzenais os seguintes temas:
equipe – liderança – relação interpessoal, através de dinâmicas e conversas. Elaboraram a descrição de
cargos de todas as funções e o organograma.
Participação dos cursos de formação na Escola Tigrinhos:

Oficina Planejamento, Estrutura de Aula e Limites;

Oficina Atividades para Berçário;

Oficina Resolução Conflitos;

Oficina Pintura Facial;

Palestra Desenvolvimento da Moralidade Infantil;

Palestra Bullying .

A Instituição promove mensalmente uma reunião de avaliação institucional, além da discussão sobre a
instituição, foi oportunizado formações para toda a equipe através das seguintes palestras:

Palestra de Prof. Carlos Almeida – Os Educadores da Humanidade

Palestra de Prof. Anuar – Motivação pessoal

Oficina de Contação de histórias – Prof. Maibi Mascarenhas

Curso de Contação de história – Prof.José Antonio e Profa. Paula Negrão

Palestra de Primeiros Socorros – Dra.Sandra

Palestra da Sexualidade – Dra. Sandra

Palestra sobre Desenvolvimento da criança – Prof.Dra.Suely – Psicologa

3.1.3 - Atividades de integração realizadas entre o Conselho de Escola e famílias.

COOPERAÇÃO E TROCA COM AS FAMÍLIAS

Realizar Reunião com as Famílias no Decorrer do Ano Letivo

A inter-relação entre a família e a instituição educativa é um eixo condutor importantíssimo na educação


infantil. A educação é, portanto, competência de pais e professores que, de forma compartilhada, devem
encontrar as coordenadas adequadas de atuação e de colaboração.

É importante o envolvimento e a participação da família nos trabalhos realizados com a criança, de forma
que contribuam para que a instituição conheça e compreenda melhor a criança atendida, seus anseios e
dificuldades, levando-nos à construção de propostas educacionais adequadas. Realizamos bimestralmente
reunião com as famílias, na qual, passamos informações gerais e é falado sobre o Desenvolvimento da
Criança. Nesse ano mudamos a configuração da reunião de pais. Cada sala realiza sua reunião em
conjunto com a professora e monitora. Nesse trimestre realizamos junto com a família uma palestra sobre
o Câncer de Mama, essa palestra foi realizada no evento sábado com a família, promovido pelo pessoal da
Bosch.

Oficinas de Geração de Renda


A proposta de trabalho de integração e articulação com as famílias além do projeto sócio pedagógico
trabalha também com oficinas de capacitação e geração de renda para que as famílias possam se
emancipar, realizando uma parceria com o Centro de Convivência.

A família de nossos alunos tem condições socioeconômicas desfavoráveis, e muitas mães estão
desempregadas, pois não tinham com quem deixarem seus filhos. Elas precisam ser estimuladas e
também preparadas para retornarem ao mercado de trabalho, muitas neste momento não conseguirão
devido a falta de escolaridade e profissão.

As oficinas de renda poderão ajuda-las na obtenção de recursos em trabalhos em sua própria casa, até que
se preparem para o mercado de trabalho, através de estudo e cursos de profissionalização.

3.1.4 - As aprendizagens e conhecimentos construídos através das vivências proporcionadas às crianças.

AS APRENDIZAGENS E CONHECIMENTOS CONSTRUÍDOS ATRAVÉS DAS VIVÊNCIAS


PROPORCIONADAS ÀS CRIANÇAS.

Trabalhamos desenvolvendo a confiança e participação das crianças nas atividades de escovação,


lavagem de mãos, refeição e atividades individuais e coletivas, promovendo a autonomia das crianças nas
ações de cuidado pessoal, auto-organização, conhecimento do corpo, ampliação dos conceitos sobre sua
identidade, descobrindo que o indivíduo está presente em todas as comunidades, relacionando-se com
outros seres e com todo o ambiente onde vive e identificando e analisando diferenças, conceitos, pré-
conceitos, características, valores de toda uma sociedade a qual ele está inserido.

Para uma maior independência das crianças foram trocadas todas as torneiras para possibilitar melhor o
manuseio e desperdício de agua.

O autoservimento do Agrupamento III C-D acontecia com a utilização de tigelas que continham os
alimentos e com doação de um carrinho térmico no segundo semestre, começaram a utilizá-lo gerando
vivências novas e prazerosas.

O autoservimento no Agrupamento III A-B foi iniciado neste ano, pois estas crianças vieram do
Agrupamento II, foi uma experiência de grande independência, percebemos sentimentos de alegria e no
segundo semestre foi introduzida à faca.

Nos agrupamentos II ainda são servidos, e utilizam a colher, o Agrupamento II D, já no segundo semestre
começaram a utilização do garfo.

No primeiro semestre já iniciamos o desfralde, pois percebemos que muitas crianças já retiravam por si
mesmas as suas fraldas no banheiro, querendo utilizar o vaso sanitário.

Realizamos atividades que incentivaram a escolha de brincadeiras, brinquedos, nos momentos que
estavam nos cantinhos, da brinquedoteca, pátios, parede sensorial, parede azulejo, parede de giz, espaço
gourmet, cantinho da beleza, cantinho da fantasia.

As professoras oportunizaram durante todo o ano, atividades de escolha de sua preferência em espaços e
tempos diferentes.

Realizamos mensalmente aos sábados em parceria com o Instituto Robert Bosch, atividades da família e
crianças, onde oportunizou espaços de escolha de brincadeiras e contato com materiais diversos.

Realizamos dentro da sala de aula, nos pátios externos e no campo de futebol, localizado no Grêmio
Recreativo Parque Itália, brincadeiras tradicionais da cultura infantil, e propiciamos experiências com
pneus, bolas, cordas, túnel e materiais não estruturados como caixas, latas, potes plásticos entre outros.

Ocorreram momentos onde as crianças puderam rolar, correr, subir em obstáculos, pular, agarrar objetos
diferentes formas e espessuras e vivenciando desafios corporais.
Exploraram de forma planejada espaços de natureza e lazer do nosso entorno.

Tiveram contato e brincadeiras com elementos da água, areia, terra, pedras, argila, plantas, folhas e
sementes.

Utilizaram ao longo do ano bicicleta, velotrol desenvolvendo o equilíbrio, o domínio do objeto e


construindo sua autoestima, e percepção de si.

As crianças realizam em sua rotina, inclusive no deslocamento, brincadeiras e canções com gestos,
também recitações de poemas e parlendas.

Nas rodas de conversas as crianças são incentivadas a narrarem suas experiências, suas histórias de vida,
a contarem e recontarem histórias.

No cantinho da leitura as crianças foram incentivadas a manusear livros, revistas e jornais, de forma
prazerosa e convidadas a “produzir textos”.

As crianças diariamente entraram em contato com histórias através das rodas de conversa, cantinho da
leitura, momento da biblioteca.

Uma vez por semana as crianças utilizaram o Cantinho da Leitura para contação de história e escolha do
livro para levar para casa e fazer a leitura junto com a família (Projeto Pequenos Leitores).

Este ano iniciamos com um momento novo “A Hora do Conto”, e percebemos o encantamento e alegria
nesta vivência, pois elas escolhem o livro que irá ser apresentado, confeccionam o vestuário, adereços e
cenário e apresentam para as outras salas, respeitando a vontade de participação e ofertando outras
funções na peça para executarem respeitando a sua vontade.

Na brinquedoteca elas puderam oportunidades de escolher, criar, descobrir, explorar, experimentar,


divertir-se, imaginar e recriar. Possibilitando o acesso a uma grande variedade de brinquedos, dentro de
um ambiente especialmente lúdico. Esse espaço passou por uma reforma e uma nova organização. Foram
separados por caixas e prateleiras, os brinquedos da brinquedoteca, para facilitar sua utilização.

No espaço sensorial há materiais diversificados como, tecidos de diferentes texturas, pedacinhos de


madeira, espuma, bandeja de ovos, papel celofane, EVA, lixas, plástico bolha, garrafa pet, grelha, chave,
CDs, tampas de garrafas diversas, panelas, cano de PVC, hélice de ventilador, cadarço de sapato. Ele foi
remodelado em outubro em uma ação do Instituto Telefônica com novos materiais. Houve participação
das famílias das crianças, enviando diferentes tipos de matérias reciclados para a composição da nova
parede sensorial e as crianças confeccionaram os mobiles-cortinas-paredes. O resultado foi tão positivo
que incluímos em todas as salas de aula uma caixa de materiais não estruturados. Para as crianças
explorar sensações a partir da experimentação de tocar, sentir, conhecer diferentes texturas e
características próprias de cada material.

Realizamos no cantinho da leitura momento da contação de história para as crianças, o contato com
diversos livros, de vários gêneros literários, revista e jornais. Introduzimos neste espaço: poltronas, puffs,
almofadas para um ambiente mais acolhedor.

No cantinho da Beleza e da Fantasia possibilita as crianças de escolher, criar, descobrir, explorar,


experimentar, divertir-se, imaginar e recriar. Possibilitando o acesso a uma grande variedade de fantasia,
maquiagens e acessórios (bolsas, colares, chapéu, pulseiras, tiaras, entre outros). Esse espaço passou por
uma nova organização, deixando o local ainda mais enriquecedor para ser utilizados pelas crianças.

Propiciamos situações para a criança pudesse produzir pinturas, desenhos, esculturas com diversos tipos
de materiais.

Realizamos brincadeiras com sons, ritmos e melodias com voz e instrumentos possibilitando a sua
expressão através da linguagem musical, na sala de aula, no momento da higiene bucal, campo de futebol,
entre outros.

Organizamos espaços (brinquedoteca-fantasia-beleza-leitura-pátios-sala de aula) para brincadeiras de faz


de conta, jogo de papéis, ajudando o desenvolvimento do imaginário infantil.

Ocorreram brincadeiras, rodas de conversa, histórias e situações cotidianas significativas onde criou
oportunidade das crianças viverem experiências de quantificar, classificar e seriar.

 Campo de Futebol –. O Campo de Futebol fica localizado próximo a nossa escola, desde saída da
escola até a chegada ao campo é o momento de muita alegria, utilizando as músicas infantis para
contagiar todos que passam pela rua, já que as crianças vão caminhando até o local. As práticas
esportivas nesse espaço favoreceram as crianças a ampliação do conhecimento acerca de si
mesma, dos outros e do meio em que vive.
 Parede de Azulejo – Mexer com a tinta nesse espaço permitiu que as crianças explorassem
diferentes materiais desenvolvendo a linguagem artística. Possibilitando a criança ao tocar no
pincel com as mãos.
 Parede de Giz – Esse espaço possibilitou as crianças criar desenhos, estimular sua imaginação,
trabalhar a coordenação motora.
 Ateliê de Artes- Esse espaço foi utilizado para elaboração de brinquedos com materiais
reciclados, pinturas em tela, papel pardo, papel jornal, lápis, tinta, giz de cera, carvão, chão, areia
etc. Nesse espaço foi possível possibilitar as crianças a exploração, manipulação, expressão e
comunicação de produção por meio de práticas artísticas, propiciando o desenvolvimento de um
percurso de criação pessoal.
 Tanque de Areia/Parque – Esse local proporcionou a interação com outras crianças, através da
linguagem, enriquecendo o vocabulário, tornando-os mais criativos e promovendo a socialização.
Além disso, é o local que favoreceu o brincar, pois o espaço físico leva as crianças a planejarem
junto o que irão criar. No tanque de areia, a areia virou castelos, cidades, bolos, muros e tudo o
que a imaginação permitiu. Além de ajudar a desenvolver a coordenação motora e os sentidos.
 Horta – Faz parte do Projeto Quintal, cada sala tem seu canteiro identificado. Os alunos estiveram
presentes nas etapas e atividades desenvolvidas na horta, tais como: seleção das espécies a serem
cultivados, o plantio e os cuidados com a horta, após a colheita é sorteado um aluno para levar
para a casa e compartilhar com a família sua produção.

 Espaço Gourmet - Esse espaço, utilizamos para realizar receitas culinárias junto com as crianças,
estimulando o paladar, manipulando os alimentos e a degustação após a elaboração de cada
receita. Foram momentos prazeroso, divertidos e alegres. Além possibilitar o contato com
diferentes gêneros textuais como: receitas e rótulos de embalagens.

 Oficina de Capoeira – Foi trabalhado o movimento do corpo através de brincadeiras e jogos


lúdicos; Manuseio de instrumentos utilizados na capoeira; Músicas originárias da capoeira; Aulas
prática em Roda de Capoeira. A aula é realizada uma vez por semana, ampliamos para todos os
agrupamentos III.

 Oficina de Ballet – O ballet é uma atividade física e artística que além de servir como base para
as mais diversas danças, propicia a conscientização corporal, melhora na coordenação motora,
ritmo, flexibilidade e boa postura. A aula é realizada uma vez por semana para todos os
Agrupamentos III.
 ALGUMAS DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS EM 2017

FEVEREIRO

 Baile da Fantasia - Carnaval


 ABRIL
 Partilha – café da manhã comunitário;
 Pascoa - Apresentação da música Índio pelas monitoras;
 Visita do Palhaço;
 Semana Monteiro Lobato;
 Doação de ovos de páscoa pelo Colégio Vivendo e Aprendendo;
 Passeio ao Parque Ecológico de Jundiaí.
 MAIO

 Café da manhã para as Famílias;


 Encontro da Família pela parceira da Bosch;
 Participação na Mobilização do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de
Crianças e Adolescentes -18-05.
 JUNHO

 Comemoração do aniversário dos funcionários;


 Alunos Facamp – Ação voluntária;
 Festa Inverno - Regiões Brasileiras.
 AGOSTO

 Oficina de geração de renda para as famílias com participação de uma psicóloga;


 Monstra Cultural;
 Encontro da família com brincadeiras e atividades circenses – pela parceria da Bosch;
 Palestra para as famílias sobre educação dos filhos:
 Dra. Sandra – Médica Pediatra-Homeopata – Limites Sim ou não?

Dra. Suely – Psicóloga – Cuidar de si para cuidar do outro

 SETEMBRO

 Sra.Paula – Especialista do RH – Como organizar um currículo e comportamento na entrevista.


 Comemoração do aniversário dos funcionários;
 Cinema A Família Feliz para Agrupamento II A e III E
 OUTUBRO

 Pic-nic na creche;
 Dia do voluntariado da VIVO em Clube da Telesp;
 Dia da meleca;
 Dia do futebol de sabão – mangueira;
 Piscina;
 Circo Stankowich ;
 Chef Junior na Metrocamp;
 Doação de brinquedos da Elize;
 Doação de brinquedos da Thaís;
 Festival de Capoeira;
 Cinema com pipoca.
 NOVEMBRO

 Grupo de Geração de Renda participando no Dia da Mulher no Clube da Bosch;


 Encerramento da parceira da Bosch – Pic nic na Bosch;
 Formatura
 DEZEMBRO

 Festa de Encerramento e Sacolinha de Natal – Sescon;


 Festa de Natal;
 Natal feliz para as famílias mais carentes da creche;
 Natal no Lar da Amizade – Espírito de Natal – partilha;
 Confraternização da Equipe Escolar.

3.2 - Indicação dos processos de avaliação de aprendizagem para o ano de celebração da


parceria. (Para todas as Instituições).

3.2.1 - Definição de indicadores de avaliação de desempenho dos profissionais da escola.

INDICADORES DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PROFISSIONAIS DA ESCOLA

Para avaliação do desempenho dos profissionais pressupõe a coleta, a análise e a apresentação de


informações, sendo da maior importância utilizar instrumentos que possam entender as causas dos
problemas e encaminhar alternativas de soluções.

a) Reuniões mensais com todos os profissionais para avaliação da prática educativa através da análise e
reflexão;

b) Utilizamos a Avaliação de Desempenho Individual através da auto avaliação, para uma ação- reflexão
– ação;e receberão o feedback dos gestores, acerca de do seu desempenho, avaliando diferentes aspectos.

c) Avaliação dos alunos através de documento elaborado conforme a faixa etária para avaliação de toda
equipe escolar;

d) Avaliação da família através de questionário de preenchimento anônimo, abrangendo a parte


pedagógica/infraestrutura/profissionais.

Tendo em vista que o desenvolvimento profissional necessita de ações articuladas de formação, a


avaliação da atuação profissional é também condição para orientar, visando a progressão na carreira.

No quadro a seguir, serão apresentados alguns indicadores e instrumentos possíveis para uma avaliação
abrangente para o ano de 2018.

DIMENSÕES
INDICADORES INSTRUMENTOS AVALIADORES
DE ATUAÇÃO

 Avaliação das
 Aprendizagem das crianças aprendizagens
 Gestão do trabalho dos alunos
 Qualidade das atividades  Registros dos O Próprio
Docência propostas professores Funcionário (auto-
 Relação com as crianças  Registros e avaliação)
 Domínio dos conteúdos da coordenação
educação Infantil  Análise coletiva
da equipe

Compromisso  Ética  Registros do Autoavaliação e


pessoal  Autonomia trabalho
 Trabalho em equipe realizado Avaliação pela
 Disponibilidade para aprender  Análise coletiva equipe gestora
 Investimento na própria da equipe
formação  Relatórios da
 Assiduidade direção
 Observação do
cartão ponto
 Pontualidade
 Data da entrega de
 Compromissos assumidos
documentações
 Responsabilidade
pedagógicas
solicitadas

 Registros de
sistematização da
prática
 Sistematização do trabalho e
 Análise coletiva
Produção de de suas reflexões
da equipe Avaliação pela
conhecimento  Criação de propostas de
 Relatórios da equipe gestora
pedagógico trabalho inovadoras
direção
 Criatividade
 Observação dos
portfólios e
produções

 Contribuição no
desenvolvimento no projeto
educativo, e participação nas
reuniões de equipe,
colaboração com os colegas,
socialização de  Registros do
conhecimento etc. trabalho
Participação do
 Atuação em diferentes ações realizado A equipe técnica
projeto
educativas desenvolvidas na  Análise coletiva responsável pelo
educativo da
escola da equipe acompanhamento
escola
 Promoção da relação entre  Relatórios da
escolas, famílias e direção
comunidades(participação) em
reuniões de pais, criação e
desenvolvimento de projetos
de interação com as famílias e
outras instituições

 Registros do
 Aproveitamento em trabalho
participação de eventos realizado
Participação na Funcionário (auto
educacionais (palestras,  Análise coletiva
comunidade avaliação) e Equipe
seminários, encontros) da equipe
Educacional gestora.
 Apresentação de trabalho da  Publicações
sistematização da prática. (artigos, relatos,
apresentações,etc)

3.2.2 - Definição de Indicadores de avaliação da qualidade do trabalho pedagógico em


consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais e Municipais para Educação Infantil

QUADRO DE METAS E INDICADORES DE QUALIDADE

INDICADORES DE
OBJETIVOS METAS PRINCIPAIS AÇÕES
QUALIDADE

I. Formação 1. Promover a 1.1. Rotina diária 1.1.1 Garantir Ampliar a confiança e


INDICADORES DE
OBJETIVOS METAS PRINCIPAIS AÇÕES
QUALIDADE

Integral das participação delas nas


crianças a) atividades, atividades de escovação,
materiais e espaços lavagem de mãos,
planejados e refeição e atividades
educação em sua organizados de fácil experiências para a individuais e coletivas,
integralidade, acesso às crianças. elaboração da que promovam a
entendendo o autonomia nas autonomia das crianças
cuidado como algo b) situações de ações de cuidado nas ações de cuidado
indissociável ao aprendizagem pessoal, auto- pessoal, auto-
processo mediadas pelo adulto organização, saúde organização, saúde e
educativo. para ensinar às e bem-estar. bem-estar, que garantam
crianças a cuidarem de as interações entre elas,
si mesmas e de seus respeitadas as
pertences. individualidades e a
diversidade.

2, Promover ações 2.1. Rotina diária: 2.1.1 Garantir Utilizar dos cantinhos
educativas que experiências que da leitura; beleza;
preservem a) ampliação de promovam o fantasia; espaço
indivisibilidade experiências conhecimento de si gourmet; brinquedoteca;
das dimensões sensoriais, e do mundo e a parede sensorial; parede
expressivomotora, expressivas, corporais imersão das de azulejo; parede de
afetiva, cognitiva, por meio de atividades crianças nas giz; tanque de areia,
linguística, ética, e deslocamentos diferentes parquinho; bicicletas;
organizados linguagens e seu pneus; material não
estética e possibilitando progressivo estruturados.
sociocultural da movimentação ampla domínio.
criança. das crianças, nos Participar da hora do
diferentes espaços da conto, onde as crianças
escola, de forma dramatizam o conto
segura. infantil escolhido por
elas;
b) experiências com as
diferentes linguagens Participar dos projetos
para sua apropriação de dança e capoeira,
pela criança. descobrindo o seu corpo
e ampliando o
conhecimento de suas
possibilidades.
INDICADORES DE
OBJETIVOS METAS PRINCIPAIS AÇÕES
QUALIDADE

3.1. Rotina diária: Apoiar a conquista pelas


crianças de autonomia
3.1.1 Garantir
3, Viabilizar a a) Atividades na escolha de
experiências de
proposta diversificadas brincadeiras e de
expressão da
pedagógica com o individuais e atividades diárias;
individualidade e
reconhecimento coletivas, Trabalhar com os
respeito pelos
das especificidades contemplando as Cantinhos
ritmos e desejos da
etárias, das diferentes linguagens, diversificados,
criança; e
singularidades ampliando a confiança Biblioteca,
integração com
individuais e e a participação das Brinquedoteca,
outros grupos de
coletivas. crianças nas atividades Cantinhos da Leitura,
crianças.
individuais e Espaço Sensorial,
coletivas. Cantinho da Beleza.

Realizar levantamento
1.1.1 Utilizar na
de interesses junto as
metodologia os
crianças, para a criação
1.1. Elaboração de Projetos
1. Proporcionar do projeto;
Projetos didáticos Pedagógicos, as
aprendizagens de
com a participação sequências de
forma não linear. Nas atividades
das crianças. atividades e
permanentes observar o
atividades
interesse das crianças e
permanentes.
(re) cria-los.

Anotar o planejamento e
registro da execução da
prática para reflexão
2.1. Registro no
para um
diário de classe das
2. Realizar 2.1.1. Planejamento replanejamento;
atividades da turma
planejamento e coerente com os
e registro periódico
registro das princípios e Registrar as
reflexivo
I. Promoção da práticas proposta da SME e aprendizagens das
redirecionando o
Aprendizagem pedagógicas. da instituição. crianças e dificuldades
planejamento,
apresentadas para
quando necessário.
acompanhamento do
desenvolvimento da
criança.

3.1 Elaboração de
princípios e Utilizar instrumentos
instrumentos para 3.1.1 Elaboração de como observações,
compor os relatórios relatórios registro, fotografia,
3. Acompanhar o
individuais. periódicos de cada filmagem. Todos esses
desenvolvimento
aluno, em instrumentos são
das crianças por
3.2. Elaboração de consonância com utilizados para o
meio de relatórios
Relatórios individuais legislação sobre preenchimento da
de aprendizagem.
de alunos, documentação da Avaliação de
considerando a relação SME. Desempenho das
entre o planejamento e Crianças.
as aprendizagens.

III. Garantia 1. Planejar 1.1. Rotina semanal: 1.1.1. Garantir Possibilitar a


práticas vivências participação no Campo
INDICADORES DE
OBJETIVOS METAS PRINCIPAIS AÇÕES
QUALIDADE

a) Vivências éticas e
estéticas com outras
crianças e grupos
culturais;

b) Vivências que
incentivem a de Futebol, assistir
curiosidade, a peças de teatro na Casa
exploração, o da Criança Paralitica,
encantamento, o visita ao Zoológico,
questionamento, a participar do Projeto
indagação e o Horta.
conhecimento das
crianças em relação ao Utilizar o cantinho da
mundo físico e social, Leitura/Fantasias.
ao tempo e à natureza;
Utilizar os espaços da
c) Interação com Parede de Azulejo,
diversificadas Parede de Giz, Tanque
manifestações de de Areia e Parede
música, artes plásticas Sensorial para o brincar
e gráficas, cinema, e conviver;
fotografia, dança,
pedagógicas que
teatro, poesia e cotidianas nas Trabalhar com Projeto
tenham como eixos
literatura; múltiplas Pequenos Leitores,
da Infância norteadores as
linguagens e Biblioteca, Cantinho da
interações e a
d) Interação e o apropriação destas. Leitura. Possibilitar o
brincadeira.
conhecimento pelas acesso de diferentes
crianças das gêneros textuais como:
manifestações e receitas, revista, letra de
tradições culturais músicas infantis,
brasileiras. reconto utilizando
imagens. Continuar a
e) experiências de realização da hora do
narrativas, de conto.
apreciação e interação
com a linguagem oral Possibilitar
e escrita, e convívio oportunidades para a
com diferentes criança brincar nos
suportes e gêneros pátios com cordas,
textuais orais e túnel, pneu, peteca,
escritos; bicicletas, triciclo,
bolas, e material não
f) Em contextos estruturado.
significativos para as
crianças, recriadas as
relações quantitativas,
medidas, formas e
orientações espaço
temporais;

IV. Formação 1. Planejar os 1.1. Plano de 1.1.1. Realização de Realizar reunião de


em Serviço momentos Formação 100% dos formação uma vez por
INDICADORES DE
OBJETIVOS METAS PRINCIPAIS AÇÕES
QUALIDADE

semana, com duas horas


considerando as
de duração, onde se
necessidades
encontros semanais realiza as avaliações, a
formativas da equipe
semanais de das duas horas discussão de casos e
educativa e o estudo
trabalho sequenciais para o aprofundamento de
dos documentos
pedagógico entre desenvolvimento doassuntos a seres
curriculares da
os pares Plano de trabalhados na sala de
SME. Devidamente
Formação. aula com embasamento
registrado em livro
teórico e prático levando
ata.
– os a uma reflexão.

Ampliar as reuniões
quinzenais voltadas a
assuntos elencados pela
família com
profissionais habilitados
para trocas de
experiências e
vivências;

Convidar palestrantes
1.1. Reuniões com para reflexões de
temas voltados para assuntos pertinentes a
educação de filhos. criança e a escola;

1.2 Reuniões com os Organizar as reuniões


1. Realizar 1.1.1. Realizar, no
responsáveis para com a família, onde
V. Cooperação reuniões com as mínimo, todas as
acompanhamento ocorram dinâmicas e
e troca com as Famílias no reuniões previstas
pedagógico. textos para reflexão e
famílias decorrer do ano na Resolução do
também informes sobre
letivo calendário.
1.3 Reuniões para o desenvolvimento da
participação das aprendizagem do aluno;
famílias na gestão do
cotidiano da Elaborar com as
Instituição. famílias reuniões onde
haja discussões da
gestão da cotidiano;

Ampliar os cursos de
geração de renda, com
acompanhamento de
uma psicóloga para
possibilitar nova forma
de renda e reflexão da
dinâmica da família.

VI. Garantia do1. Realizar o 1.1. Atendimento 1.1.1 Atendimento Acompanhar as faltas
acesso atendimento das mensal de acordo a 100% da das crianças;
crianças de acordo proposta de proposta de
com o convênio atendimento. atendimento Realizar o cancelamento
com a SME das matrículas com
1.2. Considerar a rapidez;
ordem de classificação
INDICADORES DE
OBJETIVOS METAS PRINCIPAIS AÇÕES
QUALIDADE

Chamar novas crianças


para efetivação da
matrícula;

Atender as ordem
na lista de espera,
judiciais com rapidez e
salvo casos
integralidade.
específicos após
análise.
Atender casos de
crianças em situação de
risco enviados por Vara
da Infância, Conselho
Tutelar e outros órgãos.

1.1.1. Participação
1. Participar das Acompanhar a agenda
da Equipe Gestora
reuniões de das reuniões;
1.1. Participação da em 100% das
assessoramento e
Equipe Gestora nas reuniões realizadas
de orientações Acompanhar as
reuniões agendadas e/ou agendadas
agendadas pela convocações e cumpri-
pelo Núcleo de
SME las
Convênios da CEB

2.1.1 Atendimento Acompanhar os


a 100% das informes do Núcleo de
VII. Parceria 2.1. Cumprimento
solicitações e Convênios para os
com a SME das orientações e dos
prazos designados prazos;
prazos estabelecidos
e das orientações
2. Cumprir pela SME.
do Núcleo de Buscar no Diário Oficial
integralmente os
Convênios da CEB. as solicitações e prazos.
termos do
convênio
2.2.1 Manter 100%
do quadro de Realizar a troca de
2.2. Quadro de
pessoal aprovado funcionários com
pessoal completo
no Plano de rapidez.
Trabalho

VIII. 1.1.1. Atingir nível


1.1. Índice de Organizar planilhas de
Administração 1. Melhoria do de classificação
qualidade do controle orçamentário e
do ajuste e Planejamento igual ou maior do
planejamento realizado para controle
gerenciamento Financeiro que
financeiro - IPF de despesas.
do recurso SATISFATÓRIO
financeiro
2. Melhoria da 2.1. Índice de 2.1.1. Atingir nível
Execução do qualidade de de classificação Elaborar controles para
Ajuste e execução do ajuste e igual ou maior do acompanhamento da
Gerenciamento do gerenciamento do que execução e recurso.
Recurso recurso - IEG SATISFATÓRIO

3. Melhoria do 3.1. Índice de 3.1.1. Atingir nível Formar o profissional na


processo de qualidade da de classificação execução das suas
Prestação de prestação de contas - igual ou maior do tarefas de prestação de
Contas IPC que contas e acompanhar a
INDICADORES DE
OBJETIVOS METAS PRINCIPAIS AÇÕES
QUALIDADE

SATISFATÓRIO execução.

Realizar avaliações
4.1.1. Atingir nível
4. Melhoria do 4.1. Índice de mensais entre
de classificação
nível de qualidade administração e
igual ou maior do
Administração administrativa/finan financeiro, através de
que
Financeira Geral ceira total controles criados para
SATISFATÓRIO
está finalidade.

4 - ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA DA UNIDADE EDUCACIONAL

4.1 - Objetivos da Educação Infantil assumidos pela UE.

Objetivos Gerais da Educação Infantil

- Temos por objetivo ofertar uma educação de qualidade;

- Explorar de maneira criativa e lúdica todos os conteúdos da educação Infantil;

- Trabalhar de forma interdisciplinar abrangendo à todas as crianças; as diferentes linguagens;

- Contemplar a diversidade, respeitando e trabalhando na perspectiva da inclusão;

- Considerar os interesses, dificuldades e necessidades das crianças, respeitando seu conhecimento prévio;

- Propiciar as crianças diferentes vivências e experiências,

- Tornar as crianças protagonistas, dando vez e voz, propiciando a construção de seu conhecimento e
hipóteses.

A Educação Infantil tem como objetivo proporcionar condições adequadas para promover o bem-estar da
criança, em seu desenvolvimento físico, emocional, intelectual, moral e social, a ampliação de suas
experiências e estimular o interesse da criança pelo processo de conhecimento do ser humano, da natureza
e da sociedade.

Quanto à educação especial tem por objetivo valorizar as peculiaridades de cada aluno, atender a todos na
escola, incorporar a diversidade, sem nenhum tipo de distinção. Segundo a LDB Nº 9394/96, art. 59
parágrafo I: “Os sistemas de ensino assegurarão aos educandos com necessidades especiais: I Currículo,
Métodos, Técnicas, Recursos educativos e Organização específica para atender suas necessidades”. Bem
como a acessibilidade desses educandos.

Desta forma, em concordância com o Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (Brasil,
1998, p. 63) tem por objetivo desenvolver as seguintes capacidades dos educandos:

 Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com
confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações.
 Descobrir e conhecer progressivamente seu próprio corpo, suas potencialidades e seus limites,
desenvolvendo e valorizando hábitos de cuidado com a própria saúde e bem-estar.
 Estabelecer vínculos afetivos e de troca com adultos e crianças, fortalecendo sua autoestima e
ampliando gradativamente suas possibilidades de comunicação e interação social.
 Estabelecer e ampliar cada vez mais as relações sociais, aprendendo aos poucos a articular seus
interesses e pontos de vista com os demais, respeitando a diversidade e desenvolvendo atitudes de
ajuda e colaboração.
 Observar e explorar o ambiente com atitude de curiosidade, percebendo-se cada vez mais como
integrante, dependente e agente transformador do meio ambiente e valorizando atitudes que
contribuam para sua conservação.
 Brincar expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades.
 Utilizar as diferentes linguagens (corporal, musical, plástica, oral e escrita) ajustadas às diferentes
intenções e situações de comunicação, de forma a compreender e ser compreendido, expressar
suas ideias, sentimentos, necessidades e desejos e avançar no seu processo de construção de
significados, enriquecendo cada vez mais sua capacidade expressiva.
 Conhecer algumas manifestações culturais, demonstrando atitudes de interesse, respeito e
participação frente a elas e valorizando a diversidade.

4.2 - Propósitos educativos da unidade educacional, contendo os princípios do trabalho, incluindo os


princípios da educação para a diversidade e inclusão.

PROPÓSITOS EDUCATIVOS

Concepção da Educação Infantil

Do ponto de vista legal, a Educação Infantil é a primeira etapa da Educação Básica e tem como finalidade
o desenvolvimento integral da criança de zero a cinco anos de idade em seus aspectos físico, afetivo,
intelectual, lingüístico e social, complementando a ação da família e da comunidade (Lei nº 9.394/96, art.
29).

A função das Instituições de Educação Infantil, a exemplo de todas as Instituições nacionais e


principalmente, como o primeiro espaço de educação coletiva fora do contexto familiar, ainda se inscreve
no projeto de sociedade democrática desenhado na Constituição Federal de 1988 (art. 3º, inciso I), com
responsabilidades no desempenho de um papel ativo na construção de uma sociedade livre, justa,
solidária.

Concepção de Criança

Acreditamos que a criança é um sujeito histórico e de direitos que, no cotidiano, constrói sua identidade,
brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende, observa, experimenta, narra, questiona e constrói sentidos
sobre a natureza e a sociedade, produzindo cultura, através de suas vivencias, interações e relações. Ela
deve ser a protagonista de seu aprendizado, ter vez e voz.

A criança faz parte de uma organização familiar que está inserida em uma sociedade, com uma
determinada cultura, em um determinado momento histórico. É profundamente marcada pelo meio social
em que se desenvolve, mas também o marca. A criança tem na família, biológica ou não, um ponto de
referência fundamental, apesar da multiplicidade de interações sociais que estabelece com outras
instituições sociais.

As crianças possuem uma natureza singular, que as caracteriza como seres que sentem e pensam o mundo
de um jeito muito próprio. Nas interações que estabelecem desde cedo com as pessoas que lhe são
próximas e com o meio que as circunda, as crianças revelam seu esforço para compreender o mundo em
que vivem as relações contraditórias que presenciam e, por meio das brincadeiras, explicitam as
condições de vida a que estão submetidas e seus anseios e desejos. No processo de construção do
conhecimento, as crianças se utilizam das mais diferentes linguagens e exercem a capacidade que
possuem de terem ideias e hipóteses originais sobre aquilo que buscam desvendar. Nessa perspectiva as
crianças constroem o conhecimento a partir das interações que estabelecem com as outras pessoas e com
o meio em que vivem. O conhecimento não se constitui em cópia da realidade, mas sim, fruto de um
intenso trabalho de criação, significação e ressignificação (Referencial Curricular Nacional Para A
Educação Infantil Introdução Volume 1).

Concepção de Creche/Pré-Escola
Toda proposta pedagógica deve considerar o bem estar da criança e dar oportunidade a ela de ter uma
infância saudável. Um lugar agradável permite o crescimento e o desenvolvimento da criança. A
liberdade de aprender com respeito e dignidade é um direito de toda criança.

A lei 8.069/90, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) trata o direito da criança de forma intensa,
mostrando o quanto a criança deve ser cuidada, educada e protegida.

Além disso, as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, assim como os Referenciais
Curriculares Nacionais para a Educação Infantil e as Diretrizes Curriculares do município de Campinas
também reiteram a importância e a necessidade de se trabalhar no contexto da Educação Infantil com a
indissociabilidade entre o cuidado e a educação.

Desta forma buscaremospropiciar o desenvolvimento integral da criança, com:

 O respeito à dignidade e aos direitos das crianças, consideradas nas suas diferenças individuais,
sociais, econômicas, culturais,étnicas, religiosas, etc.;
 O direito das crianças a brincar, como forma particular de expressão, pensamento, interação e
comunicação infantil;
 A socialização das crianças por meio de sua comunicação, interação e inserção nas mais
diversificadas práticas sociais, sem discriminação de espécie alguma;
 O atendimento aos cuidados essenciais associados à sobrevivência e ao desenvolvimento de sua
identidade.

Princípios Norteadores dos Trabalhos com as Crianças

O Plano de Ensino da UE estará em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a


Educação Infantil, enquanto um processo contínuo de reflexão e ação da prática pedagógica.

As propostas pedagógicas de Educação Infantil devem respeitar os seguintes princípios:

 Éticos: da autonomia, da responsabilidade, da solidariedade e do respeito ao bem comum, ao meio


ambiente e às diferentes culturas, identidades e singularidades.
 Políticos: dos direitos de cidadania, do exercício da criticidade e do respeito à ordem democrática.
 Estéticos: da sensibilidade, da criatividade, da ludicidade e da liberdade de expressão nas
diferentes manifestações artísticas e culturais.

A proposta pedagógica deverá promover condições para o trabalho coletivo e para a organização de
materiais, espaços e tempos que assegurem:

 O reconhecimento, a valorização, o respeito e a interação das crianças com as histórias e as


culturas africanas, afro-brasileiras, bem como o combate ao racismo e à discriminação;
 A dignidade da criança como pessoa humana e a proteção contra qualquer forma de violência –
física ou simbólica – e negligência no interior da instituição ou praticadas pela família, prevendo
os encaminhamentos de violações para instâncias competentes.

As práticas pedagógicas que compõem a proposta curricular da Educação Infantil devem ter como eixos
norteadores as interações e a brincadeira e garantir experiências que:

 Promovam o conhecimento de si e do mundo por meio da ampliação de experiências sensoriais,


expressivas, corporais que possibilitem movimentação ampla, expressão da individualidade e
respeito pelos ritmos e desejos da criança;
 Favoreçam a imersão das crianças nas diferentes linguagens e o progressivo domínio por elas de
vários gêneros e formas de expressão: gestual, verbal, plástica, dramática e musical;
 Possibilitem às crianças experiências de narrativas, de apreciação e interação com a linguagem
oral e escrita, e convívio com diferentes suportes e gêneros textuais orais e escritos;
 Recriem, em contextos significativos para as crianças, relações quantitativas, medidas, formas e
orientações espaço temporais;
 Ampliem a confiança e a participação das crianças nas atividades individuais e coletivas;
 Possibilitem situações de aprendizagem mediadas para a elaboração da autonomia das crianças nas
ações de cuidado pessoal, auto-organização, saúde e bem-estar;
 Possibilitem vivências éticas e estéticas com outras crianças e grupos culturais, que alarguem seus
padrões de referência e de identidades no diálogo e conhecimento da diversidade;
 Incentivem a curiosidade, a exploração, o encantamento, o questionamento, a indagação e o
conhecimento das crianças em relação ao mundo físico e social, ao tempo e à natureza;
 Promovam o relacionamento e a interação das crianças com diversificadas manifestações de
música, artes plásticas e gráficas, cinema, fotografia, dança, teatro, poesia e literatura;
 Promovam a interação, o cuidado, a preservação e o conhecimento da biodiversidade e da
sustentabilidade da vida na Terra, assim como o não desperdício dos recursos naturais;
 Propiciem a interação e o conhecimento pelas crianças das manifestações e tradições culturais
brasileiras;
 Possibilitem a utilização de gravadores, projetores, computadores, máquinas fotográficas, e outros
recursos tecnológicos e midiáticos.

Buscamos comtemplar em nosso projeto propostas significativase lúdicas, que integram aspectos
cognitivos e sociais, buscando unir razão, emoção e afetividade, além de acolher e orientar, propiciar a
construção do conhecimento através de vivências e experiências.

De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, a construção de


conhecimentos se processa de maneira interdisciplinar,entre os diferentes eixos sugeridos a serem
trabalhados com as crianças:

Formação Pessoal e Social - Identidade e autonomia

Para a construção de identidade e autonomia da criança é preciso que a criança aprenda a usar seus
recursos pessoais na tomada de decisão, diante de diferentes situações da vida.

Toda criança é um ser social, capaz de interagir e aprender com tudo que está à sua volta. Percebe-se que
a criança aprende por meio de vínculos que estabelece na interação com o outro, utilizando a imitação, o
faz de conta, a oposição, a linguagem e a apropriação da imagem corporal.

Este trabalho oferece situações para que as crianças vivenciem os diferentes hábitos culturais, conatrua
conhecimento sobre realidades diversas, aceitando as diferenças e semelhanças, respeitando a diversidade
cultural e social.

Conhecimento De Mundo – Construção das diferentes linguagens pelas crianças e relações que
estabelecem com os objetos de conhecimento. Enfatiza a relação da criança com a cultura, que aqui é
entendida como o conjunto de códigos e produções simbólicas, científicas e sociais da humanidade
construído ao longo da história dos diversos grupos humanos, englobando aspectos em constante processo
de reelaboração e ressignificação. O domínio progressivo das diferentes linguagens que favorecem a
comunicação e a expressão dos sentimentos, emoções e ideias das crianças propicia a interação com o
outro e facilitam a mediação com a cultura e os conhecimentos constituídos.

Eixos de trabalho: Movimento, Música, Artes visuais, Linguagem oral e escrita, Natureza e sociedade,
Matemática.

Movimento

O movimento para a criança é uma das linguagens que permite a exploração e descoberta do meio, a
comunicação com o outro.

A dança, o jogo, as brincadeiras, as práticas esportivas, os diferentes gestos de imitação favorecem a


ampliação do conhecimento acerca de si mesma, dos outros e do meio em que vive. Vida são movimento,
e movimento é vida. A criança é puro movimento, conhece o mundo e se desenvolve por meio dele. Para
Wallon, desde o início da vida, o movimento é uma das principais formas de comunicação da vida
psíquica com o ambiente externo. Para Piaget, as interações da criança com o mundo são mediadas pelo
corpo.

Música

De acordo com Vygotsky, 1989, o crescimento e o desenvolvimento da criança estão intimamente


articulados aos processos de apropriação do conhecimento disponível em sua cultura. Neste sentido,
concordamos com NOGUEIRA, 2004 que diz que a música está profundamente relacionada ao
desenvolvimento da criança em seus aspectos afetivos, sociais e cognitivos. Nessa perspectiva, o trabalho
com a linguagem musical no contexto da Educação Infantil possibilita inúmeras abordagens junto às
crianças, mesmo aquelas bem pequenas no sentido de fomentar esse desenvolvimento.

Ouvir música, aprender uma canção, brincar de roda, realizar brinquedos rítmicos é atividades que
despertam, estimulam e desenvolvem o gosto pela atividade musical, além de propiciar vivência de
elementos dessa linguagem. Proporciona a integração dos alunos, ajuda a desenvolver a linguagem, a
percepção e a audição. A música mantém forte ligação com o brincar, envolvem gestos, movimentos,
canto, dança e o faz-de-conta. Jogos e brincadeiras são maneiras da criança estabelecer contato consigo
própria e com o outro, de se sentir única e também parte de um grupo, e de trabalhar com as estruturas e
formas musicais que se apresentam em cada canção e em cada brincadeira.

Artes Visuais

Para Vygotsky (1982) o pensamento, a sensibilidade, a imaginação, a perspectiva, a intuição e a cognição


devem ser trabalhados de modo integrado visando o desenvolvimento das habilidades criativas das
crianças que não são inatas, pois a criatividade humana não é exceção, privilegio de poucos gênios, como
somos levados a crer.

As experiências em artes visuais oferecem à criança a possibilidade de explorar e conhecer materiais,


descobrindo as possibilidades expressivas e ampliando seu campo referencial.

O fazer artístico, a apreciação e a reflexão desenvolvem a imaginação criadora, a expressão, a


sensibilidade e as capacidades estéticas. Visando o desenvolvimento das capacidades criativas das
crianças, o pensamento, a sensibilidade, a imaginação, a percepção, a intuição e a cognição devem ser
trabalhadas de forma integrada, respeitando a faixa etária e nível de desenvolvimento.

Linguagem Oral e Escrita

Desenvolver as quatro competências básicas da linguagem: falar, escutar, ler, escrever. De acordo com o
Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, “o trabalho com a linguagem se constitui um
dos eixos básicos na educação infantil, dada sua importância para a formação do sujeito, para a interação
com as outras pessoas, na orientação das ações das crianças, na construção de muitos conhecimentos e no
desenvolvimento do pensamento”.

Natureza e Sociedade

O mundo onde as crianças vivem se constitui em um conjunto de fenômenos naturais e sociais


indissociáveis diante do qual elas se mostram curiosas e investigativas. Pela interação com o meio em que
vivem, as crianças aprendem sobre o mundo, fazendo perguntas e procurando respostas às suas
indagações e questões. Vivenciam experiências e interagem num contexto de conceitos, valores, ideias,
objetos e representações sobre os mais diversos temas a que tem acesso na vida cotidiana, construindo um
conjunto de conhecimentos sobre o mundo que as cerca. Temas pertinentes ao mundo social e natural.
Observação da natureza, ambientes, seu próprio corpo, modos de vida etc. Todas essas informações
fazem parte do contexto do seu mundo e estão ao mesmo tempo num todo integrado.
Matemática

As noções matemáticas – contagem, relações quantitativas e espaciais – são construídas pelas crianças a
partir de experiências proporcionadas pelas interações com o meio, pelo intercâmbio com outras pessoas
que possuem interesses, conhecimentos e necessidades que podem ser compartilhados. As crianças estão
imersas em um universo do qual os conhecimentos matemáticos são parte integrante, observam e atuam
no espaço ao seu redor e vão organizando seus deslocamentos, seus caminhos, estabelecendo seus
sistemas de referência, identificando posições e comparando distâncias, elaborando dessa forma, os
conhecimentos matemáticos. Fazer matemática é expor ideias próprias, escutar as dos outros, formular e
comunicar procedimentos de resolução de problemas, confrontar, argumentar e procurar validar seu ponto
de vista, antecipar resultados, aceitar erros, buscar dados, tomar decisões, agindo como produtoras de
conhecimento. O trabalho com a matemática contribui para a formação de cidadãos autônomos, capazes
de pensar por conta própria, sabendo resolver problemas.

ESTRATÉGIAS

Educar

Educar na educação infantil significa propiciar situação de cuidados, brincadeiras e aprendizagens


orientadas de forma integrada e que contribuem para o desenvolvimento das capacidades infantis de
relação interpessoal, de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança
e acesso aos conhecimentos mais amplos da realidade cultural e social. Nesse processo a educação auxilia
o desenvolvimento das capacidades de apropriação e conhecimento das potencialidades corporais,
afetivas, emocionais, estéticas e éticas na perspectiva de contribuir para a formação de crianças felizes e
saudáveis.

Cuidar

O cuidado deve considerar as necessidades das crianças que, quando observadas, ouvidas e respeitadas,
podem dar pistas importantes sobre a qualidade do que estão recebendo. Cuidar da criança é dar a ela
atenção como pessoa que está em continuo crescimento e desenvolvimento, compreendendo sua
singularidade, identificando e respondendo às suas necessidades. Interessar-se sobre o que a criança sente,
pensa o que sabe sobre si e sobre o mundo, visando à ampliação do seu conhecimento e habilidades, aos
poucos a tornarão mais independente e autônoma. Cuidar significa valorizar e ajudar desenvolver
capacidades, é ajudar o outro a se desenvolver como ser humano. O desenvolvimento integral da criança
depende tanto dos cuidados relacionais que envolvem a dimensão afetiva e dos cuidados com os aspectos
biológicos do corpo, com a qualidade da alimentação e dos cuidados com a saúde, quanto da forma que
esses cuidados são oferecidos.

Brincar

Para Vygotsky (1989), a brincadeira é entendida como atividade social da criança, cuja natureza e origem
específicas são elementos fundamentais para construção de sua personalidade e sua compreensão da
realidade da qual se insere. Nela, estão presentes três características: a imaginação, a imitação e a regra.
Essas características podem aparecer de forma mais evidente em um tipo ou outro de brincadeira, tendo
em vista a idade e a função específica que desempenham junto à criança.

Ao brincar as crianças recriam e repensam os acontecimentos que lhe deram origem, sabendo que estão
brincando. Pela a oportunidade de vivenciar brincadeiras imaginativas e criadas por elas mesmas as
crianças podem acionar seu pensamento para a resolução de problemas que lhes são importantes e
significativos. Propiciando a brincadeira cria-se um espaço no qual as crianças podem experimentar o
mundo e internalizar uma compreensão particular sobre as pessoas, os sentimentos e os diversos
conhecimentos.

As brincadeiras de faz de conta, os jogos de construção, os jogos de regras, os jogos tradicionais,


didáticos e corporais propiciam a ampliação dos conhecimentos infantis por meio da atividade lúdica. A
brincadeira favorece a auto realização das crianças, auxiliando-as a superar progressivamente suas
aquisições de forma criativa.

PRINCÍPIOS DA EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE E INCLUSÃO

A diversidade também é uma cultura a ser construída e representa uma visão de como se deve pensar,
planejar e organizar a educação para a melhoria da sociedade. O respeito e o reconhecimento da
diversidade é um dos princípios fundamentais na construção de um sistema educacional inclusivo.
Reconhecer o direito à diversidade em educação é dar respostas às diferentes necessidades educacionais
que os sujeitos apresentam diante do fato educativo.

O respeito à diversidade é uma forma de garantir que a cidadania seja exercida e os vínculos sociais
fortalecidos. O desenvolvimento de atitudes de tolerância e respeito à diversidade tem a ver com o direito
à educação, o direito à igualdade de oportunidades e o direito à participação na sociedade.

A inclusão é um processo complexo que configura diferentes dimensões: ideológica, sociocultural,


política e econômica. Os determinantes relacionais comportam as interações, os sentimentos, significados,
as necessidades e ações práticas; já os determinantes materiais e econômicos viabilizam a reestruturação
da escola. Nessa linha de pensamento, a educação inclusiva deve ter como ponto de partida o cotidiano: o
coletivo, a escola e a classe comum, onde todos os alunos com necessidades educativas, especiais ou não,
precisam aprender, ter acesso ao conhecimento, à cultura e progredir no aspecto pessoal e social.

O Plano de Ensino da UE estará em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a


Educação Especial, como modalidade da Educação Básica, a educação especial considerará as situações
singulares, os perfis dos estudantes, as características bio-psicossociais dos alunos e suas faixas etárias e
se pautará em princípios éticos, políticos e estéticos de modo a assegurar:

I - a dignidade humana e a observância do direito de cada aluno de realizar seus projetos de estudo, de
trabalho e de inserção na vida social;

II - a busca da identidade própria de cada educando, o reconhecimento e a valorização das suas diferenças
e potencialidades, bem como de suas necessidades educacionais especiais no processo de ensino e
aprendizagem, como base para a constituição e ampliação de valores, atitudes, conhecimentos,
habilidades e competências;

III - o desenvolvimento para o exercício da cidadania, da capacidade de participação social, política e


econômica e sua ampliação, mediante o cumprimento de seus deveres e o usufruto de seus direitos.

Quando falamos em Educação Inclusiva, pensamos nas transformações que se fazem necessárias tanto no
modo da organização escolar quanto no ato de ensinar; é fato que a diversidade enriquece o contexto
escolar e que todos os envolvidos neste processo enfrentam um grande desafio. Porém esta modalidade da
Educação Especial na rede comum de Ensino garante educação de qualidade para todos, sem nenhuma
distinção.

Na perspectiva da Educação Inclusiva, a Educação Especial passa a integrar a proposta pedagógica da


escola regular, promovendo o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos com
deficiência, transtornos globais de desenvolvimento e altas habilidades/superlotação. (BRASIL, 2008,
p.9).

Segundo Mendes (2012) além de ser um direito, a Educação Inclusiva é uma resposta inteligente as
demandas do mundo contemporâneo, desenvolvendo competências interpessoais e incentivando uma
pedagogia homogeneizadora. Em sua fala ressalta que a sala de aula deveria espelhar a diversidade
humana e não escondê-la. Esta situação gera muitos conflitos, mas o resultado final é uma educação
melhor para todos.

Uma escola inclusiva não “prepara” para a vida. Ela é a própria vida que flui devendo possibilitar, do
ponto de vista político, ético e estético, o desenvolvimento da sensibilidade e da capacidade crítica e
construtiva dos alunos-cidadãos que nela estão, em qualquer das etapas do fluxo escolar ou das
modalidades de atendimento educacional oferecidas. (CARVALHO, 2007, p. 34-35)

Nossa instituição escolar está preocupada em facilitar o processo de inclusão de alunos com Necessidades
Educativas Especiais e/ou deficiências, tanto no que diz respeito à estrutura física, quanto na organização
do trabalho pedagógico que venha ser desenvolvido para estes alunos. E, pensando nisso, para intervir
colaborativamente nas ações realizadas no contexto escolar contamos com uma Pedagoga com Formação
em Educação Especial e Inclusiva.

4.3 - Organização pedagógica dos tempos e espaços escolares e dos tempos pedagógicos de trabalho
entre os pares (tempo destinado à formação do Agente de Educação Infantil/Monitor e dos professores,
com os respectivos planejamentos e formas.

ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICO DOS TEMPOS EESPAÇOS ESCOLARES

Os espaços, os materiais e o tempo na escola são organizados de forma a auxiliar nas ações pedagógicas.

A rotina deve ser clara e compreensível, deve prever os cuidados,brincadeiras e as propostas pedagógicas,
deve levar em conta a diversidade e a heterogeneidade de cada turma.Osmateriais devem estarao alcance
das crianças, dispostos de forma organizada eem quantidade necessária.O espaço físico acolhedor,
aconchegante e seguro e ao mesmo tempo propicio e adequado para garantir aprendizagensàs crianças.

É preciso assegurar que as crianças frequentem os diversos ambientes da creche, ampliando as


possibilidades de estratégias e planejamentos, por isso há um cronograma de uso dos espaços, para que
todas as turmas utilizem e alternem espaços internos e externos conforme as rotinas e planejamentos.

As explorações dos espaços são planejadas de acordo com o intencionalidade pedagógica proposta pelo
próprio espaço ou de acordo com o projeto explorado pela turma, onde as crianças vivenciam e constroem
seus conhecimentos e hipóteses.

Espaços Pedagógicos que a U.E conta são:

Parque Externo

Tanque de areia

Espaço de jogos

Brinquedoteca

Biblioteca

Sala de vídeo

Pátio 1

Pátio 2

Pátio 3 (Com casinha de boneca e balanço)

Horta

Parede de Azulejo

Cantinho das Fantasias


Espaço Sensorial

Parede de Giz

Cantinho da Beleza

Espaço Da Bicicleta/Triciclo

Campo de Futebol (Grêmio)

Espaço Gourmet

Ateliê de Artes

Sala de Informática

Além do uso dos espaços, as crianças também participam de aulas de capoeira, Oficina de dança e Aulas
de Inglês, no contraturno do peíodo de aula das professoras.

1. ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA DOS TEMPOS PEDAGÓGICOS DE TRABALHO


ENTRE OS PARES

O FCD é o trabalho docente coletivo que tem por objetivo a integração de toda a equipe docente,
buscando um trabalho conjunto e de qualidade.

Na busca desta qualidade estaremos realizando juntos (docentes, direção e coordenação pedagógica) os
planejamentos, as pautas de reuniões, dando espaço para os informes administrativos e esclarecimentos,
proporcionando um espaço de socialização dos grupos de trabalho, projetos desenvolvidos na unidade,
organização de eventos e passeios, acompanhamento do desenvolvimento do plano escolar, e acima de
tudo, deve ser um espaço de formação, troca e aprendizagem, por isso é necessário embasarmos
teoricamente a prática e fazer uma permanente reflexão sobre a mesma. A sugestão dos professores é de
aprofundar as reflexões sobre as diretrizes curriculares, a Base Nacional Comum Curricular, Lei
Brasileira de Inclusão, entre outros temas pertinentes a prática da Educação infantil.

O FCD coletivo acontecerá semanalmente com duração de duas horas consecutivas as terças-feiras para
as professoras.

São momentos importantes de troca de experiência, estudo, leituras e discussão acerca de temas voltados
á pratica. Onde a cooperação e integração do grupo de auxiliares de educação deve ocorrer nas propostas
de formação.. São realizados planejamentos de atividadese capacitação continuada. O FCD para os
auxiliares acontecerá semanalmente e sua duração é de duas horas ás quintas-feiras.

Como instrumento de avaliação é utilizado um caderno de registro, em mãos o educador tem recursospara
pensar erefletir sobre suas metas, ações e estratégias, verificando, pesquisando e avaliando sua atuação.

Formando o educador e ampliando sua visão e percepção dos processos de aprendizagem e


desenvolvimento das crianças eem seu próprio repertório profissional.

Mensalmente é realizado uma Reunião Pedagógica com a Diretora Educacional, Coordenadora


Pedagógica, Professores, Monitor de Educação Infantil, Administrativo, Cozinheiras, Auxiliares de
Limpeza e Zelador onde é feito uma avaliação coletiva que envolve toda a estrutura educacional
descobrindo rumos para uma escola atuante, criativa, democrática e de melhor qualidade. Isto exige
compreensão da avaliação, que denota verificar as dificuldades para a busca demelhorar as
açõeseducativas e a organização do trabalho coletivo.

Como proposta, a avaliação pressupõe a coleta, a análise e a apresentação de informações, sendo da maior
importância utilizar instrumentos que possam entender as causas dos problemas e encaminhar soluções e
alternativas. Visto que todas as reuniões são planejadas, através de pautas, a equipe gestora, organiza e
dispõe materiais para leitura e estudo, e registradas em ata.

4.4 - Calendário anual

4.5 - Quadro das salas de aula com os respectivos horários de ocupação das turmas, com os respectivos
profissionais e horário que atuam.

QUADRO SÍNTESE DA ORGANIZAÇÃO DAS TURMAS (PROFESSORES E MONITORES)

PROFISSIONAIS
TURMAPERÍODO
CARGA CARGA
PROFESSOR MONITOR
HORÁRIA HORÁRIA

Nome do(s) monitor


Nome do prof. que Carga horária Carga horária Número de
Ex: AG (es) que atua(m)
M, T ou I atua nessa turma, no semanal do semanal do(s) alunos da
IA nessa turma no
período indicado professor monitores turma
período indicado

A CONTRATAR 42H 30

AG.I A TARDE A CONTRATAR 22H A CONTRATAR 42H 30

A CONTRATAR 42H 30

A CONTRATAR 42H 30

AG.I B MANHÃ A CONTRATAR 22H A CONTRATAR 42H 30

A CONTRATAR 42H 30

VANESSA C.SILVA
MACHADO 42H 30
AG.II A MANHÃ ERIKA BENJAMIN 22H
PATRICIA GRAIA 42H 30
LIMA

EDSAMARA DE
42H 30
DIVA BRAZ S.JESUS
AG.II B MANHÃ 22H
PIMENTEL
42H 30
SIMONE I.BATISTA

APARECIDA DE
A.NETO SANTOS
42H 30
FLAVIANA H.S.DE
AG.II C MANHÃ 22H
JESUS LUCIANA DE
42H 30
MORAES
OLIVEIRA

AG.II D MANHÃ A CONTRATAR 22H A CONTRATAR 42H 30


42H
A CONTRATAR 30

A CONTRATAR 42H 30
AG.II E MANHÃ A CONTRATAR 22H
A CONTRATAR 42H 30

A CONTRATAR 42H 30
AG.II F MANHÃ A CONTRATAR 22H
A CONTRATAR 42H 30

ADRIANA
DONIZETTI
42H 26
AG.III ADREANE M.DOS CRESCENCIO
MANHÃ 22H
A SANTOS
42H 26
ELISANGELA DE
FREITAS (TARDE)

IRENE ANJOS
OLIVEIRA 42H 31
DANIELE A. DA
AG.III BMANHÃ 22H
SILVA
CINTHIA BANDINI 42H 31
(MANHÃ)

ERILANE P.DA S.
FREITAS 42H 31
FABIANA P.DA S.
AG.III CTARDE 22H
PEREIRA
JOICE LIMA F.DE 42H 31
ABREU

KAREN
R.S.BORGES 42H 33
AG.III MARCIA MARIA
TARDE 22H
D ALVES DA SILVA
ELISANGELA DE 42H 33
FREITAS (MANHÃ)

ELISMARIA
A.SOUZA 42H 24
MERIDIANE
AG.III ETARDE 22H
S.CARVALHO
CINTHIA BANDINI 42H 24
(MANHÃ)

ANA MARTA DE
S.DIAS
42H 33
IVANILDA G.DA
AG.III F MANHÃ 22H SILVANA MARIA
S.GONÇALVES
RODRIGUES 42H 33
MARQUES
(TARDE)

AG.III TARDE FABIOLA 22H ROSILENE 42H 33


G K.F.SOARES SANTOS DE
ALMEIDA 42H 33
SILVANA MARIA
RODRIGUES
MARQUES
(MANHÃ)

MARIA REGINA
42H VOLANTE
C.DA SILVA

4.6 - Organização das matrículas: formas e critérios de enturmação.

ORGANIZAÇÃO DA MATRICULA DOS ALUNOS

As matrículas dos alunos na U.E. terão os seguintes critérios: o cadastro é realizado em todo o ano, há
prioridade para o atendimento de crianças em situação de risco social, subnutrida, cujo responsável esteja
vulnerabilidade social, irmãos de crianças já matriculadas na creche e preferencialmente que a mãe esteja
trabalhando fora.

Formas e Critérios de Enturmação nos Agrupamentos

Usamos como parâmetro a Resolução SME n° 10/2017 de 30/08/2017, que dispõe sobre as diretrizes e
normas gerais para política de atendimento á demanda da Educação Infantil e para a realização de
cadastro e matriculas nas Escolas Municipais de Educação Infantil e CEIs e Entidades Conveniadas de
Campinas para o ano de 2017.

Agrupamento Período

Agrupamento 1° de Julho de 2016 a 31 de Dezembro de


I 2018

Agrupamento 1° de Novembro de 2014 a 30de Junho de


II 2016

Agrupamento 1° de Abril de 2012 a 31 de Outubro de


III 2014

4.7 - Plano de Trabalho dos Gestores da Unidade Educacional, considerando as metas da UE.

Plano de Trabalho dos Gestores da Unidade Educacional

Profissionais Envolvidos:

Cristina Helena Neves Bertuzzi - Diretora Educacional

Camila Fernanda Possari Lima - Coordenadora Pedagógica

Plano de trabalho dos gestores da unidade educacional

4.4.5.1 4.4.5.2 4.4.5.3


4.4.5.4
Cronograma
Metas Ações Cumprimento Metas Responsáveis Ações

Desenvolver o trabalho Formação continuada para os Equipe Gestora, Durante o ano


pedagógico. educadores, com cursos, palestras,Docentes e Auxiliares letivo de 2018
encontros com profissionais e de Educação.
vivências nas áreas de Educação,
Desenvolvimento Pedagógico,
Arte e Cultura.

Formação continuada para os


Garantir os direitos da educadores, com cursos, palestras,
Equipe Gestora,
criança, atendendo suas encontros com profissionais e Durante o ano
Docentes e Auxiliares
necessidades de cuidado, vivências nas áreas de Educação, letivo de 2018
de Educação.
socialização e convivência. Desenvolvimento Pedagógico,
Arte e Cultura.

Dar plenas condições para Formação continuada para os


que as crianças se educadores, com cursos, palestras,
Equipe Gestora,
desenvolvam e venham a encontros com profissionais e Durante o ano
Docentes e Auxiliares
serem cidadãos vivências nas áreas de Educação, letivo de 2018
de Educação.
participantes, atuantes, Desenvolvimento Pedagógico,
plenos e felizes. Arte e Cultura.

Mobilizar o trabalho de toda a Equipe Gestora,


Proporcionar para as
equipe escolar em prol do Docentes e Auxiliares Durante o ano
crianças um ambiente físico
atendimento com qualidade de de Educação e letivo de 2018
seguro, limpo e organizado.
todas as crianças. demais funcionários.

Implantação e
Equipe Gestora,
desenvolvimento das oficinas Desenvolver as oficinas e Durante o ano
Docentes e Auxiliares
e atividades descritas no atividades planejadas para 2018. letivo de 2018
de Educação;
Projeto Pedagógico.

Equipe Gestora e
Oferecer cursos e oficinas de
Fortalecer o vínculo com as parceria com outros Durante o ano
geração de renda que despertem o
famílias. programas de letivo de 2018
interesse das famílias
atendimento.

Realizar cursos, palestras, Equipe Gestora,


Formação continuada para
workshops com profissionais e Docentes e Auxiliares Durante o ano
todos os profissionais da
vivências para todos os de Educação e letivo de 2018
entidade.
profissionais da U.E. demais funcionários.

Ações:

A equipe gestora reunir-se à diariamente das 08h30 às 09h30,visandodefinir e avaliar os pontos


necessários de sua ação, quanto a seu planejamento, implementação, implantação e avaliação;
concernentes às diversas áreas da Unidade Educacional, planejando ações, discutem estratégias e
prioridades, troca idéias e concepções a fim de rever a própria atuação, contribuindo para a eficiência do
trabalho realizado, trazendo problemas e questões cotidianas, na busca de soluções.

Os registros destas reuniões serão feitos no livro Ata para este fim. As pessoas envolvidas serão: Diretora,
coordenadora pedagógica e administrativo e apoio.

Estratégias: (voltadas à direção)

 Recepcionar, observar e orientar a entrada das crianças.


 Fazer a leitura do diário oficial
 Leitura de e-mails (NAED-PREFEITURA e etc)
 Organização da agenda do dia.
 Receber e analisar as necessidades de compras (pedagógico, limpeza, manutenção)
 Encaminhar os orçamentos e compras necessários, para o setor administrativo.
 Observar cardápio e andamento da cozinha
 Realizar reunião com a coordenação
 Atendimento aos pais
 Atendimento aos funcionários
 Coordenar a elaboração, execução e avaliação do Projeto Pedagógico
 Sugerir e acompanhar a execução de Projetos
 Promover com a coordenaçãoa integração dos professores na realização dos projetos de cada sala
 Coordenar e acompanhar a realização de eventos
 Conferir o lançamento do administrativo no sistema financeiro.

Plano de Trabalho do Coordenador

O coordenador pedagógico deve ter ações para participação e integração entre a criança, o professor, a
família e o coordenador visando os relacionamentos e o desenvolvimento eficaz no fazer pedagógico.

Estas ações devem incentivar e promover hábitos de estudos e discussões coletivas de textos, com ampla
visão dos fundamentos, princípios e conceitos da identidade e do processo infantil. Além disso, o
coordenador deve propiciar o desenvolvimento do projeto pedagógico, promovendo a possibilidade aos
professores de avaliar e repensar sua prática, e desta forma, a melhoria da qualidade do processo ensino
aprendizagem.

Segue as Estratégias (voltadas ao coordenador):

 Coordenar a elaboração, execução e avaliação do Projeto Pedagógico


 Sugerir e acompanhar a execução de Projetos
 Promover com a direção a integração dos professores na realização dos projetos de cada sala
 Elaborar com a pedagoga de Educação Especial oplanode trabalho, abrangendo a perspectiva da
Inclusão.
 Orientar e acompanhar as atividades:
 Projetos (visando o protagonismo da criança)
 Planejamentos mensais,
 Relatórios quinzenais do trabalho coletivo,
 Relatos individuais do desenvolvimento,
 Avaliações semestrais,
 Acompanhar horário dos professores: entrada/saída/horário de lanche e faltas
 Identificar constantemente as prioridades das crianças e as necessidades dos professores no
atendimento da turma
 Visitar as salas para detectar problemas existentes e procurar solucioná-los,
 Realizarreuniões individuais sempre que houver necessidade
 Acompanhar o planejamento das monitoras para o segundo período contrário da professora (contra
horário)
 Agendamento de passeios
 Agendamento das necessidades das crianças com os pais trazidas pela professora
 Agendamento dos pais com necessidades familiares
 Coordenar e acompanhar a realização de eventos
 Promover reuniões de pais para apresentação das atividades realizadas pelas crianças e o
desenvolvimento das mesmas
 Coordenar e realizar a formação continuada (trabalho coletivo)
 Promover e articular momentos com a família e com a comunidade, através das reuniões,
atividades de integraçãoe eventos culturais
 Orientar e acompanhar o diagnóstico das crianças, visando melhor atendimento, relatando avanços
e dificuldades na aprendizagem

Principios e instrumentos de avaliação:


O processo de avaliação do plano de trabalho dos gestores, se dará de forma processual durante o ano
letivo, em reuniões com toda a equipe nas quais a comunidade escolar avalia, através de uma ficha
"pesquisa de satisfação", com base em tudo o que foi previsto, como o processo de ensino tem
acontecido.

Também voltamos o olhar para a produção das crianças, seu desenvolvimento, os dados relacionados ao
desempenho escolar analisando os indicadores de aprendizagem.

Observamos as condições oferecidas pela instituição, refletimos sobre as estratégias didáticas, o trabalho
desenvolvido pelo professor. Examinamos o trabalho da equipe gestora envolvendo os demais segmentos
no processo avaliativo

Devendo o registro do processo avaliativo ocorrer a cada semestre, avaliando nossas estratégias de
ensino, tal como os projetos, seus conteúdos e a forma que aconteceram, também discorrendo acerca
doclima organizacional, ambiente de trabalho, e avaliação do trabalho da equipe gestora.

4.8 - Indicação de demandas de formação continuada dos profissionais da Unidade Educacional.

INDICAÇÃO DE DEMANDAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFISSIONAIS DA U.E

Definimos alguns dos temas à serem abordados nas formações com base nas avaliações da equipe gestora
em relação ao desenvolvimento do trabalho e outros foram solicitados pelas educadoras, conforme seus
interesses e necessidades de aprofundamento do conhecimento.

Realizaremos com as professoras a formação continuada uma vez por semana, com duração de duas
horas, da mesma forma realizaremos com as monitoras de educação infantila formação uma vez por
semana com duração de duas horas. A Reunião Pedagógica envolvendo todos os profissionais da Unidade
Educacional é realizada mensalmente.

De acordo com as Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil, a formação é “um processo contínuo
de reflexão e ação”.

Os temas propostos pelas professoras para serem trabalhados nos encontros de formações foram:

- Pedagogia de projetos;

- Autoregulação e Autonomia Moral na Educação Infantil;

- O aprofundamento nas Diretrizes e Bases para Educação Infantil;

- Estudo acerca da BNCC (Base Nacional Comum Curricular)

- A avaliação na educação infantil

- Educação Inclusiva;

- Teorias do desenvolvimento infantil e processos de aprendizagem (Piaget, Vygotsky, Freinet, Gardner,


entre outros).

- Abordagem Reggio Emilia e a contribuição do ateliê de artes para educação infantil.

- Sexualidade;

- Alfabetização e Letramento;

Com as monitoras estaremos abordando os mesmos temas e ainda outrosrelacionados à pratica cotidiana
como:

- Pedagogia de projetos;

- Música, ritmo e danças circulares

- Jogos e brincadeiras adaptadas

- Autoregulação e Autonomia Moral na Educação Infantil;

- A avaliação na educação infantil

- Abordagem Reggio Emilia e a contribuição do ateliê de artes para educação infantil.

- Sexualidade;

-Alfabetização e Letramento;

Além das formações na U.E. estamos sempre estimulando e divulgando aos educadores cursos no IBFE,
Tigrinhos Comunidade, FEAC, UNISAL, Simpósios entre outros conforme a busca pessoal do
profissional.

4.9 - Planos de Ensino dos professores contendo: profissionais envolvidos, objetivos, conteú dos,
metodologia, instrumentos e princípios para avaliação.

PLANO DE ENSINO ANUAL – AGRUPAMENTO II A

Profissionais envolvidos:

Professora: Erika Teles

Monitoras: Patrícia Lima

Vanessa Machado

Coordenadora: Camila Possari

ANO: 2018

Caracterização da turma

O agrupamento II A é composto por trinta e uma criança de 1 ano e oito meses a 3 anos que possuem
particularidades e necessidades próprias. Dessa forma, os educadores dessa turma precisam de
sensibilidade para observar suas necessidades, sentimentos e linguagens. A sala é composta de duas
monitoras e uma professora.

Este grupo possui crianças em sua maioria novas no convívio escolar. Estão descobrindo gradativamente
por meio da interação, os seus interesses, novas possibilidades para os objetos e criando vínculos afetivos.

A criança será participante ativa no processo de ensino aprendizagem e o conhecimento será construído
considerando os aspectos cognitivos, físicos, sociais e emocionais. O professor atuará como mediador
entre o conhecimento e a criança, estimulando sua curiosidade, necessidades, vivências e trazendo
elementos que contribuam para uma aprendizagem mais significativa.

Serão consideradas algumas datas comemorativas importantes para serem temas de estudos com as
crianças. Essas comemorações são prestigiadas na medida em que visam valorizar a vida social e fazem
com que a criança se aproprie do tempo e espaço.

A turma deste agrupamento escolherá um nome que acompanhará durante todo o ano, um nome que
poderá fazer parte ou ser um projeto de estudo do grupo. Dentro do nome escolhido, também teremos
uma mascote que fará parte da turma, como mais um membro e poderá ser levado para casa num sistema
de rodízio onde cada criança leva junto com um diário para ser acolhido e cuidado pelas crianças e pela
família. No diário, poderão ser escritas as histórias vividas pela criança e sua família com a mascote e
realizar desenhos, colagens, entre outras ideias que surgirem.

Introduzimos os cantos de atividades diversificadas, que é uma maneira de organizar o espaço de sala de
aula e o tempo, para que o aproveitamento por parte das crianças seja melhor. As crianças são convidadas
a escolher o que desejam fazer no dia a partir de várias opções oferecidas e organizadas pelos educadores.
Nessa idade, é essencial que os educadores estejam atentos, acompanhando e auxiliando as crianças a
compreenderem os cantos de atividades diversificadas.

Outro fator importante a considerar são as crianças com deficiência ou necessidades específicas. A
criança com deficiência não deixa de ser criança independente de sua necessidade física, intelectual,
sensorial ou emocional. Ela tem as mesmas necessidades de afeto, atenção, cuidado e educação que
qualquer outro aluno, por isso deve ser incluído e acolhido como ser único e importante na sala de aula.
Dependendo de sua necessidade, a criança terá apoio e adaptações necessárias ao seu desenvolvimento
escolar.

O planejamento é realizado mensalmente levando em consideração o projeto pedagógico da escola, o


planejamento anual da turma e o projeto escolhido de acordo com as necessidades e interesses das
crianças.

Rotina Diária:

 Acolhida das crianças em roda com música e conversa para que o aluno se sinta bem. Organização
dos pertences da criança e retirada dos cadernos.
 Higiene: Lavar as mãos antes das refeições.
 Café da manhã: Incentivar a boa alimentação.
 Escovação.
 Atividades em sala de aula durante a roda: conversa, chamada, contagem das crianças, rotina e
música.
 Atividades pedagógicas na sala de aula abordando o projeto em estudo.
 Almoço e Jantar: Incentivar a boa alimentação e experimentação de diferentes alimentos.
 Período de descanso: sono

A turma do Agrupamento II A está progressivamente se apropriando dos espaços da escola, onde são
estimulados a desenvolverem sua independência respeitando seus limites e interesses.

Objetivo geral:

 Oportunizar experiências diversificadas e significativas que provoquem a curiosidade e exploração


de materiais e temas buscando descobrir sobre o mundo físico, social e cultural.
 Desenvolver propostas em que as crianças participem em diferentes espaços e tempos, entre
interações e brincadeiras a partir da demanda e interesses da turma.

Objetivos específicos:

 Propiciar a satisfação das necessidades básicas de alimentação, higiene e afetividade.


 Experimentar diversos alimentos e alimentar-se sem auxílio.
 Estimular o brincar.
 Incentivar o cuidado com seu próprio corpo realizando pequenas ações de cuidado e higiene.
 Iniciar processo de retirada de fraldas – controle esfincteriano.
 Conhecer seu próprio corpo, seus limites e as sensações que ele produz.
 Propiciar situações de interação entre as crianças e adultos.
 Explorar a expressão de interesses, desejos, desagrados e sentimentos das crianças.
 Valorizar as falas das crianças bem como seus registros (desenhos).
 Estimular a participação e oportunidades de escolha.
 Incentivar o cuidado e respeito ao espaço escolar e materiais.
 Incentivar o respeito ao outro e às regras construídas no grupo.
 Organizar o espaço de sala em cantos de atividades diversificadas para favorecer diferentes
situações de aprendizagens.

 Proporcionar a criança oportunidades para que conheça as diversas expressões artísticas, os


aspectos mais significativos da cultura;

 Familiarizar-se com a imagem do seu próprio corpo, conhecendo suas partes, sensações e limites;

 Utilizar a contagem oral nas brincadeiras e em situações nas quais as crianças reconheçam sua
necessidade;

 Explorar o movimento do próprio corpo em brincadeiras que envolva o canto, gestos, movimentos
simultâneos, etc.

 Utilizar a contagem oral nas brincadeiras e em situações nas quais as crianças reconheçam sua
necessidade;
 Estimular noções de quantidade, tempo, espaço em jogos, brincadeiras e músicas;
 Estimular o reconhecimento e nomeação de cores;

 Participar de atividades que envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções que digam respeito
às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos;
 Explorar diferentes objetos, suas propriedades presentes na natureza, como folhas, areia, pedras,
argila, etc;
 Promover situações em que possa incentivar o uso adequado da água;

Conteúdos:

 Comunicação e expressão.
 Consciência de si.
 Percepções corporais: alimentação, higiene.
 Relações sociais.
 Conhecimento do corpo
 Expressividade
 Coordenação motora e equilíbrio
 Escuta de canções infantis da cultura popular e outras obras musicais.
 Exploração, expressão e produção de sons com instrumentos musicais e com o corpo.
 Instrumentos musicais (reconhecimento e construção).
 Relações com objetos e o meio.
 Fazer artístico, manipular e explorar (desenhar, pintar, modelar, criar).

 Apreciação das produções artísticas. Expressão Oral


 Participação em situações de leituras de histórias
 Manuseio de materiais impressos

 Contagem oral
 Grandezas e medidas.
 Espaço e forma
 Meio social, cultural e natural
 Animais
 Plantas e flores
 Recursos naturais
 Meio físico e entorno escolar

Metodologia

O processo de aprendizagem será organizado por meio da pedagogia de projetos adequando os eixos de
trabalho elencados neste planejamento.

O trabalho com a pedagogia de projetos acontece quando a escolha do objeto de estudo parte do interesse
e da realidade da criança. Aquilo que desperta curiosidade, vontade de descobrir, investigar, sentir e
experimentar. Onde os projetos permitem criar, sob forma de autoria singular ou de grupo, um modo
próprio para abordar ou construir uma questão e responde-la. A proposta de trabalho com projetos
possibilita momentos de autonomia e de dependência do grupo; momentos de cooperação do grupo sob
uma autoridade mais experiente e também de liberdade; momentos de individualidade e de sociabilidade;
momentos de interesse e de esforço; momentos de jogo e de trabalho como fatores que expressam a
complexidade do fato educativo.

É importante salientar que projetos é um trabalho interdisciplinar envolvendo as áreas do conhecimento e


implicando numa postura de flexibilidade dos educadores frente as escolhas e interesses das crianças.

Dentro da turma do agrupamento II A surgiu o interesse das crianças em descobrir o que havia dentro da
caixa surpresa levada nas primeiras semanas de aula. A partir desse centro de interesse, desenvolvemos o
projeto “O que tem dentro da caixa surpresa” que se estenderá a família com uma participação ativa no
desenvolvimento da criança.

ESTRATÉGIAS:

 Utilizar a fala para expressar seus sentimentos, necessidades e frustrações;


 Valorizar a criança como parte do grupo e suas particularidades;
 Perceber suas preferências alimentares e incentivar a experimentação de novos alimentos;
 Fazer uso do banheiro gradativamente com independência;
 Realizar a retirada de fraldas das crianças que ainda a usem;
 Estimular a cooperação e solidariedade entre as crianças por meio de brincadeiras e situações de
rotina;
 Respeitar pequenas regras de convívio social construídas no grupo;
 Gradativamente ir estimulando as crianças a fazerem atividades sozinhas, como colocar os
sapatos, despir-se e vestir-se;
 Realizar ações de higienização do corpo, como lavar as mãos e escovar os dentes;

 Propiciar brincadeiras com materiais que propiciem a descoberta e exploração do movimento;

 Participar de rodas de músicas que explorem o corpo;


 Brincar de imitar sons, bichos, fazer gestos e expressões faciais;
 Brincar de massinha e argila experimentando as sensações e sentidos;
 Explorar os brinquedos do parque de areia;
 Brincar com brinquedos de montar, empilhar, encaixar, entre outros;
 Explorar situações cotidianas como guardar brinquedos ou pegar determinado objeto para iniciar a
orientação corporal como em cima, em baixo, atrás, no alto, fora, dentro;
 Dançar cantando ou ouvindo músicas;
 Participação em rodas de músicas;
 Utilizar jogos cantados, parlendas, histórias cantadas, músicas infantis diversas da cultura popular;
 Utilizar cds e pen drives;
 Confeccionar instrumentos musicais com materiais recicláveis;
 Explorar os sons dos instrumentos musicais;
 Brincar de cantar músicas usando o nome das crianças;
 Escutar obras musicais de acordo com o projeto em estudo ou como forma de conhecer o novo;
 Fazer gestos e movimentos das canções e brincar com o corpo batendo palmas, pés, fazer sons
com a boca, entre outros;
 Propor brincadeiras e atividades em que as crianças possam diferenciar os diversos sons ao nosso
redor, como animais, telefone, carro, avião, entre outros;
 Explorar, expressar e produzir sons com a voz, corpo e materiais diversos;
 Propiciar momentos para ouvir músicas infantis e canções diversas;
 Participar de brincadeiras e jogos cantados e rítmicos;
 Confeccionar instrumentos musicais utilizando materiais recicláveis;
 Discriminar diferentes sons;
 Aumentar o repertório musical;

 Manipulação e exploração de materiais como giz de cera, tintas caseiras, guache e tintas da
natureza, esponjas, massinha, argila, entre outros. Utilizar diferentes tipos de papel, cores e
tamanhos, caixas de papelão, etc.
 Brincar com massinhas caseiras interagindo com as crianças e valorizando suas produções.
 Brincar com argila incentivando a experimentar diferentes texturas e sensações.
 Permitir que o desenho esteja sempre presente nas produções da turma, para estimular cada dia
mais sua musculatura dos dedos, imaginação e criação.
 Trazer imagens para que as crianças aprendam a reconhecer e compreender seu mundo.
 Valorizar as produções das crianças, expor dentro da sala de aula e em outros espaços escolares.
 Permitir que a criança perceba os objetos e matérias por meio dos sentidos, gelado, quente, macio,
cheiroso, etc.
 Incentivar o cuidado com os materiais de arte, bem como o seu próprio corpo.
 Uso da linguagem oral para conversar, contar histórias, cantar, contar vivências das crianças,
utilizando a roda de conversa;

 Valorizar as falas das crianças;


 Estimular a participação de todas as crianças na roda de conversa;
 Dispor em sala diferentes materiais impressos como livros adequados a idade, revistas, gibis, entre
outros;
 Possibilitar que a criança escolha o livro que deseja “ler”;
 Participar de situações em que o educador leia livros, pequenos textos e outros recursos escritos
que surgirem dependendo do projeto em estudo;
 Ampliar o conhecimento sobre os animais de interesse deles;

 Ampliar conhecimento sobre as plantas de interesse do grupo;


 Participar de passeios e eventos promovidos pela creche;
 Conhecer a cultura popular por meio de imagens, brincadeiras, histórias e músicas;
 Conhecer e explorar os diferentes objetos e suas propriedades presentes na natureza;
 Incentivar o uso adequado dos recursos naturais que dispomos como a água;
 Vivenciar momentos em que lembramos as principais datas comemorativas com propostas
adequadas a faixa etária;
 Explorar o ambiente em que está manipulando, testando os materiais disponíveis;
 Incentivar o cuidado com os materiais oferecidos para uso das crianças;
 Elaborar junto com as crianças massinhas caseiras e tintas e receitas culinárias;
 Vivenciar experiências concretas para notar e verbalizar diferenças entre, por exemplo:
pesado/leve, igual/diferente, dentro/fora, grande/, cheio/vazio, macio/áspero, maior/menor,
grosso/fino, muito/pouco, todo/parte;
 Propiciar brincadeiras e cantar músicas que contenham a contagem oral para estimular as crianças;
 Organizar um painel com aniversariantes do mês para que as crianças acompanhem a data e idade
dos colegas;
 Proporcionar brincadeiras com construções de torres com blocos de encaixe;
 Brincar de empilhar objetos;
 Explorar as cores e formas diante dos materiais utilizados em sala para que a criança se aproprie
gradativamente;
 Brincar, construindo pequenos circuitos com cadeiras, bancos, mesas, tecidos, entre outros, para
que a criança de desloque pelo espaço passando entre os obstáculos seja subindo, descendo,
engatinhando, etc.

Instrumentos e princípios para avaliação

Utilizar-se de um olhar atento para com as crianças, observando seu comportamento, reações, emoções,
desejos, interesses e características diante de atividades, situações. Essas observações precisam ser
registradas para que não se percam e tenhamos elementos importantes sobre cada criança. Será um
processo contínuo e organizado por meio do caderno de registro da criança, fotos, vídeos, caderno de
registro de atividades desenvolvidas, portfólio e as avaliações de desenvolvimento infantil realizadas no
final do semestre.

A avaliação acontecerá no dia a dia da sala de aula, através do desenvolvimento de várias atividades,
envolvendo todos os aspectos físicos, motores, afetivos e cognitivos, o qual virá auxiliar na elaboração do
parecer descritivo do aluno, sendo um instrumento avaliativo flexível, permitindo contemplar com mais
informações o desenvolvimento da criança.

Referências

BARBOSA, Maria Carmen Silveira, HORN, Maria da Graça Souza. Projetos pedagógicos na educação
infantil. Porto Alegre: Artmed, 2008

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria da Educação Fundamental. Referencial


Curricular Nacional para a Educação Infantil; Brasília: MEC/ SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Brincadeiras e interações nas diretrizes
curriculares para a educação infantil: manual de orientação pedagógica: módulo 1/ Brasil. Brasília: MEC;
2012.

CRAIDY, Carmem Maria, Kaercher, Gládis Elise P. da Silva. Educação infantil: pra que te quero? Porto
Alegre: Artmed, 2001.

ZABALZA, Miguel A. Qualidade em educação infantil; tradução Beatriz Neves. Porto Alegre: Artmed,
1998.

PLANO DE ENSINO ANUAL

AGRUPAMENTO II B

PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS:

Professora: Diva Braz

Monitoras: Simone e Samara

Coordenadora: Camila Possari

Ano: 2018
CARACTERIZAÇÃO DA TURMA:

O agrupamento II B é composto por trinta e duas crianças de 2 á 3 anos de idade, sendo uma das crianças
possui diagnóstico de autismo.

O agrupamento denomina-se por “Turma da Vaca”, o nome foi escolhido por eles, através de votação,
onde apontavam a imagem impressa do “bicho”, são crianças que até mesmo devido a faixa etária
apresentam uma curiosidade natural acerca dos animais, gostam muito de música, e jogos musicais,
envolvendo gestos e coreografias simples, os momentos de história e culinária também são os preferidos
do agrupamento.

ROTINA DIÁRIA:

 Entrada: recepção das crianças e organização de seus pertences;


 Roda de conversa
 Higienização das mãos após utilização do banheiro e antes das refeições;
 Café da manhã, Almoço, Lanche da tarde, Jantar;
 Escovação após as refeições (Café da manhã e Almoço);
 Sono;
 Atividade pedagógica: Planejada antecipadamente
 Cantinhos externos: Parede sensorial; Horta; Cantinho da Beleza; cantinho da fantasia; Cantinho
da Leitura; Espaço Gourmet; Ateliê de Artes; Espaço para jogos; Sala de Vídeo; Campo de
Futebol; Parque; tanque de Areia; Parede Sensorial; Parede de giz; Pátios.

OBJETIVO GERAL:

 Ampliar a capacidade de se comunicar interagindo socialmente e estabelecendo vínculos afetivos


com seus pares. Apropriar-se de conhecimentos e bens culturais utilizando diferentes linguagens
de forma lúdica e significativa, sentindo-se seguro para criar e construir suas hipóteses e seu
conhecimento.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

 Proporcionar a criança oportunidades para que conheça as diversas expressões artísticas, os


aspectos mais significativos da cultura;
 Estimular a observação e identificação de figuras e objetos;
 Utilizar diferentes materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas
possibilidades de expressão e comunicação;
 Valorizar as suas próprias produções, das outras crianças e da produção da arte em geral.

 Explorar e manipular materiais de diferentes texturas e de diferentes meios e realizar diversas


criações;
 Estimular a criança a criar e evoluir em suas produções artísticas, principalmente o desenho;
 Propiciar momentos de cuidado com o próprio corpo e no contato com os suportes e materiais de
arte;
 Incentivar a organização e cuidados com os materiais de sala;

 Participar de diversas situações de comunicação oral, para interagir e expressar desejos,


necessidades e sentimentos;
 Ampliar o vocabulário;
 Incentivar a folhear e fazer a leitura visual de histórias;
 Familiarizar-se aos poucos com a escrita por meio da participação em situações nas quais ela se
faz necessária e do contato cotidiano com livros, revistas, entre outros;
 Escutar histórias, poemas, parlendas lidas e contadas pelo educador;
 Participar de situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da leitura e da escrita;
 Observar e manusear materiais impressos, como livros, revistas, gibis, etc;

 Experimentar e utilizar recursos para expressarem seus desejos, sentimentos e ideias;


 Familiarizar-se com a imagem do seu próprio corpo, conhecendo suas partes, sensações e limites;
 Brincar e se relacionar com outras crianças, professores e funcionários da escola;
 Valorizar ações de cooperação e solidariedade para com o outro;
 Favorecer a oportunidade de escolha e de participação em pequenas tarefas cotidianas;
 Adquirir hábitos de autocuidado e respeito a regras básicas de convívio social;
 Incentivar a resolver situações comuns do cotidiano, solicitando ou não o auxílio do adulto;
 Valorizar o diálogo como forma de lidar com os conflitos.
 Utilizar a contagem oral nas brincadeiras e em situações nas quais as crianças reconheçam sua
necessidade;

 Estimular noções de quantidade, tempo, espaço em jogos, brincadeiras e músicas;


 Estimular o reconhecimento e nomeação de cores;

 Explorar diferentes objetos, suas propriedades presentes na natureza, como folhas, areia, pedras,
argila, etc;
 Promover situações em que possa incentivar o uso adequado da água;
 Explorar o ambiente para que a criança possa se relacionar com outras pessoas, estabelecer contato
com pequenos animais que surgirem na creche e objetos diversos, incentivando a curiosidade e
interesse;
 Estimular o reconhecimento progressivo dos elementos do próprio corpo;

 Incentivar a expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e da


linguagem oral;
 Explorar o movimento do próprio corpo em brincadeiras que envolva o canto, gestos, movimentos
simultâneos, etc.
 Estimular o próprio corpo nas atividades de higiene como escovação de dentes e lavagem das
mãos;
 Utilizar o espelho como recurso para explorar o corpo e suas expressões;
 Propiciar atividades e brincadeiras em que a criança exercite o pular, correr, saltar, agachar, rolar,
entre outros;
 Estimular os cinco sentidos;

Conteúdos:

 Corpo humano
 Linguagem oral/ comunicação
 Letramento
 Numerais
 Cores, formas
 Grandezas e medidas
 Dramatização e expressão Corporal
 Coordenação motora
 Orientação temporal e espacial
 Música cantada e ouvida, ritmo e diferentes gêneros musicais
 Cooperatividade e atitudes de respeito.
 Movimento, dança e equilíbrio
 Habilidades manuais.

METODOLOGIA:

A metodologia de ensino está baseada em proporcionar e promover o bem estar e desenvolvimento


integral de cada criança na construção de projetos, advindos do interesse das crianças, utilizando como
base para aprendizado o interesse das crianças, usando de sequências didáticas e um trabalho
interdisciplinar com, atividades práticas como brincadeiras, jogos, musicas, historias, pois através destes a
criança interage e passa a relacionar-se com o mundo, buscando sempre a superação de desafios e
permitindo assim a construção da sua identidade e favorecendo sua autonomia. Sendo assim, serão
desenvolvidas atividades onde a criança utilizará em diversos momentos experiências próprias,
possibilitando a ampliação do seu conhecimento prévio.

Estratégias:

 Produções artísticas
 Pinturas
 Representações gráficas
 Vídeos sobre os temas de interesse
 Brincadeiras/dinâmicas
 Musicas relacionadas ao tema
 Painéis/ atividades
 Pesquisa para as famílias
 Confecção de jogos
 Culinárias
 Explorar diferentes gêneros textuais como: revistas, convites, poemas, receitas, jornais, rimas,
parlendas;
 Explorar os números relacionando a quantidades.
 Contação de histórias por meio de diferentes meios (livros, fantoches, etc);
 Cantigas de roda nos diferentes momentos
 Atividades com imagens
 Exploração de diversos objetos sonoros
 Artes com revistas
 Brincadeiras;

 Propor sistematicamente brincadeiras em grupos, integrando as crianças através de conversa em


rodinhas, a fim de possibilitar o conhecimento e a aproximação das crianças.
 Trabalhar a percepção do corpo a partir de observações sistemáticas, no espelho, do rosto, dos
cabelos, das partes do corpo, da altura, etc.
 Estabelecer observações em duplas acerca das diferenças e semelhanças entre os demais colegas,
buscando construir o conceito do eu e do outro.
 Desenvolver atividades de recortes, colagem e modelagem.

Instrumentos e princípios para avaliação

Serão utilizados registros escritos como: caderno de registro das monitoras e professoras, fotografias de
todas as atividades desenvolvidas em sala, portfólio individual da criança e também da sala, onde terá
registrado também as falas das crianças durante as atividades lúdicas e momentos de roda de conversa.

Além de fotos, vídeos e outras formas de documentação, onde vamos observar não somente os avanços,
mas as mudanças, dificuldades e o percurso das crianças, de forma a detalhar mais na elaboração do
relatório de desenvolvimento individual, comtemplando todos os aspectos.

PLANEJAMENTO ANUAL AGRUPAMENTO II C

PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS:

Professora: Flaviana Helena S. De Jesus

Monitoras: Aparecida de Almeida Neto Santos


Luciana Moraes de Oliveira

Coordenadora: Camila Fernanda Possari Lima

Ano: 2018

CARACTERIZAÇÃO DA TURMA:

O agrupamento IIC é composto por trinta e três crianças com idade que varia de 2 a 3 anos. que
completam 4, cada um com suas particularidades e necessidades.

Elas são residentes de bairros periféricos de Campinas, frequentando de forma integral a instituição,
sendo que 17 delas já frequentavam e as demais são ingressantes.

ROTINA DIÁRIA:

 Entrada: recepção das crianças e organização de seus pertences;


 Roda de conversa
 Higienização das mãos após utilização do banheiro e antes das refeições;
 Café da manhã, Almoço, Lanche da tarde, Jantar;
 Escovação após as refeições (Café e Almoço);
 Sono;
 Atividade pedagógica: Desenvolvimento de atividades, conforme planejamento, abrangendo os
conteúdos citados neste plano.
 Cantinhos externos: Parede sensorial; Horta; Cantinho da Beleza/Fantasia; Cantinho da Leitura;
Espaço Gourmet; Biblioteca; Vídeo; Campo de Futebol; Parque de Areia; Parede Sensorial;
Parede de giz; Pátios; Ateliê de artes.

OBJETIVO GERAL:

 Desenvolver uma imagem positiva de si, desenvolvendo autonomia e confiança em suas


capacidades e percepções em suas limitações. Estabelecer vínculos afetivos de troca com adultos e
crianças, fortalecendo sua autoestima e ampliando gradativamente suas possibilidades de
comunicação e interação social.
 Ampliar seus conhecimentos e o desenvolvimento integral, nos diversos aspectos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

 Participar de diversas situações de comunicação oral, para interagir e expressar desejos,


necessidades e sentimentos;
 Ampliar o vocabulário;

 Estimular a observação e identificação de figuras e objetos;


 Utilizar diferentes materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas
possibilidades de expressão e comunicação;
 Valorizar as suas próprias produções, das outras crianças e da produção da arte em geral.

 Oferecer condições adequadas para o desenvolvimento de seu potencial proporcionando sua


integração no meio social, respeitando suas limitações;
 Integrar a criança no meio escolar;
 Estabelecer significados através da interação;
 Desenvolver e ampliar os conceitos
 Identificar números, cores, formas geométricas, etc.
 Desenvolver raciocínio lógico-matemático.
 Classificar objetos por tamanho, espessura;
 Participar de situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da leitura e da escrita;

 Incentivar a expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e da


linguagem oral;
 Explorar o movimento do próprio corpo em brincadeiras que envolva o canto, gestos, movimentos
simultâneos, etc.

CONTEÚDOS:

 Quantidades e numerais;

 Características físicas;
 Conhecer as partes do seu próprio corpo;
 Grandezas e medidas;

 Família;
 Valores, solidariedade e a cooperação;
 Movimentos: Rasgar, enrolar, amassar.
 Dança e música;
 Diferentes gêneros musicais, cantigas de roda;
 Percepção dos sentidos;
 Regras de convivência;
 Jogos e brincadeiras;
 Reino animal;
 Identidade;
 Comunicação e expressão oral;
 Técnicas de pintura;

METODOLOGIA:

O trabalho proposto para esse ano diz respeito da pedagogia de projetos, a qual contempla o interesse da
criança. A escolha do tema que irá nortear o trabalho surgiu durante um momento de roda de conversa,
enquanto a turma realiza escolhas de suas músicas e pediam sempre a música da “Dona Aranha”. Nas
rodas de conversas e momentos de brincadeiras notamos também o interesse em descobrir mais sobre esse
animal tão curioso.

As atividades dirigidas em sala vão promover de forma geral a construção da identidade e a conquista da
autonomia da criança, visando o desenvolvimento da cognição, oralidade, pensamento lógico matemático
e interação social.

A metodologia de ensino está baseada em proporcionar e promover o bem-estar e o desenvolvimento


integral de cada criança com base no Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (RCNEI) e a
(BNCC), explorando os conteúdos aqui citados de forma interdisciplinar e significativa.

Estratégias

 Utilizar: atividades gráficas, desenho, pintura colagem, recorte e o material escolar.


 Confeccionar cartazes, murais, parlendas, poesias e etc.
 Histórias, músicas, vídeo e livros.
 Atividades com sucatas
 Jogos, brincadeiras e material pedagógico.
 Desenvolver vocabulário, linguagem e a comunicação entre os alunos.
 Desenvolver orientação espacial e a lateralidade
 Contar histórias infantis e leitura de outros gêneros textuais
 Explorar o seu nome e dos amigos de sala, através do crachá.
 Manusear livros de literatura infantil
 Desenvolver interesse e a atenção por músicas,
 Realizar desenhos livres
 Promover condições de um convívio agradável.
 Desenvolver atitudes respeito e cooperação.
 Desenvolver hábitos de higiene;
 Promover atividades em grupo e cooperativas.
 Estimular e desenvolver os cinco sentidos e a percepção.
 Identificar e nomear as partes do corpo humano.
 Incentivar a fala da criança nos diálogos e rodas;
 Construir regras em conjunto com a turma;
 Contar histórias, disponibilizar livros e revista para a criança folhear e ver as gravuras;
 Ampliar a coordenação viso motora, na busca do desenvolvimento integral da criança.
 Desenvolver vocabulário, linguagem e a comunicação entre os alunos.
 Desenvolver interesse e atenção por músicas e histórias.
 Proporcionar dramatizações com máscaras, fantoches, mímicas, imitar voz de personagens,
animais;
 Participar de brincadeiras e jogos cantados e rítmicos, fazendo movimentos corporais.
 Possibilitar que a criança construa sua identidade e autonomia por meio das brincadeiras, as
interações socioculturais e da vivência de diferentes situações;
 Vivenciar valores universais como solidariedade, amizade e cooperação;
 Máscaras, fantoches, mímicas, imitar voz de personagens, animais;

Instrumentos e princípios para avaliação:

A avaliação ocorrerá através da observação, participação, desenvolvimento das atividades (Registro) das
diferentes propostas.

Com constante observação dos comportamentos, reações, emoções, desejos, interesses da turma diante de
atividades, situações e projetos. Essas observações serão registradas de forma coletiva e individual,
através do portfólio, das avaliações individuais, registro em caderno, diário de bordo e relatórios
quinzenais do planejamento, sendo um processo contínuo e organizado.

PLANO DE ENSINO ANUAL – AGRUPAMENTO III A

Profissionais envolvidos:

Professora: Adreane Mira

Monitoras: Adriana e Elisangela Reis

Coordenadora: Camila Possari

Caracterização da turma:

A turma do agrupamento III A é composta por vinte e cinco crianças com idade entre 3 e 4 anos que
possuem seus interesses, vivências e vontades próprias, sendo que uma possui diagnóstico de
microcefalia.

Esse grupo contém crianças que já frequentavam a instituição e crianças novas no convívio escolar. Eles
interagem entre si, brincam juntos e estão aos poucos criando laços de amizade e sentimento de
pertencimento ao grupo.

A turma deste agrupamento escolherá um nome que acompanhará durante todo o ano, um nome que
poderá fazer parte ou ser um projeto de estudo do grupo. Dentro do nome escolhido, também teremos um
mascote que fará parte da turma, como mais um membro e poderá ser levado para casa num sistema de
rodízio onde cada criança leva junto com um diário para ser acolhido e cuidado pelas crianças e pela
família. No diário, poderão ser escritas as histórias vividas pela criança e sua família com o mascote,
realizar desenhos, colagens, entre outras ideias que surgirem.

Rotina Diária:

 Acolhida das crianças em roda com música e conversa.


 Organização dos pertences da criança e retirada dos cadernos.
 Higiene: Lavar as mãos antes das refeições.
 Café da manhã: Incentivar a boa alimentação.
 Escovação e beber água.
 Atividades em sala de aula durante a roda: conversa, chamada, contagem das crianças, rotina e
música.
 Atividades pedagógicas na sala de aula abordando o projeto em estudo.
 Almoço e Jantar: Incentivar a boa alimentação e experimentação de diferentes alimentos.
 Período de descanso: sono
 Espaços externos: Biblioteca; Espaço Gourmet; Brinquedoteca e vídeo; Parque de areia; Campo
de futebol; Horta; Parede sensorial; Cantinho da Leitura; Cantinho da Beleza; Cantinho da
Fantasia; Parede de azulejo e lousa.

Objetivo geral:

 Promover oportunidades para que a criança conheça seu próprio corpo e seus cuidados, amplie sua
capacidade de se comunicar interagindo socialmente e estabelecendo vínculos afetivos com seus
pares e adultos. Apropriar-se de conhecimentos e bens culturais utilizando diferentes linguagens
que serão significativas na formação pessoal e social.

Área de desenvolvimento:

Identidade e autonomia

OBJETIVOS:

 Reconhecimento de seu próprio corpo, seus limites e as sensações e ritmos que ele produz;
 Expressar desejos, sentimentos, ideias e desagrados;
 Incentivar a iniciativa e pedir ajuda nas situações onde houver necessidade;
 Realizar pequenas ações do cotidiano;
 Valorizar o diálogo como forma de resolver os conflitos;
 Experimentar momentos de cooperação, valorização de si e do outro e de suas capacidades;
 Incentivar interesses e escolhas;
 Favorecer a construção de regras dentro do grupo.
 Adquirir hábitos de autocuidado e higiene.

CONTEÚDOS:

 Comunicação e expressão.
 Consciência de si.
 Percepções corporais: alimentação, higiene.
 Relações sociais.
 Relações com objetos e o meio

ESTRATÉGIAS:
 Usar a fala para comunicar seus desejos, sentimentos, necessidades e vivências nos momentos de
roda de conversa e em outros que surgirem;
 Perceber suas preferências alimentares e experimentar novos alimentos;
 Oferecer oportunidades em que a criança realize o autoservimento.
 Aprender a utilizar os talheres adequadamente;
 Utilizar o banheiro com independência, bem como a higiene do seu corpo;
 Construir em conjunto com o grupo regras de convivência e colaborar com atitudes positivas;
 Incentivar ações de iniciativa, como vestir-se e despir-se sozinho, dar pequenos recados, etc;
 Proporcionar que se tenha o “ajudante do dia” para criar noção de responsabilidade;
 Colaborar com a organização do grupo e do espaço, guardando os materiais após o uso e
brinquedos;
 Vivenciar situações de trocas e compartilhamento de brinquedos;
 Proporcionar momentos de diálogos na roda de conversa sobre os acontecimentos vividos na
instituição, seja entre as crianças ou sobre as atividades que realizaram;
 Favorecer momentos para conheçam mais o próprio corpo, seus limites e possibilidades;
 Estimular a cooperação e solidariedade durante as brincadeiras e atividades do dia a dia;
 Criar oportunidades de escolha para utilizar os cantos de atividades diversificadas, parceiros,
brinquedos, entre outros;

Movimento

OBJETIVOS:

 Incentivar a explorar, reconhecer e valorizar seu próprio corpo.


 Participar de brincadeiras e jogos que envolvam subir, descer, dançar, pular, agachar, entre outros
apropriados e brincadeiras de imitação, ampliando as possibilidades de expressão corporal;
 Comunicar-se usando gestos e movimentos;
 Explorar diferentes posturas corporais;
 Perceber suas possibilidades e limites corporais;
 Desenvolver habilidades físicas como chutar, lançar, prender, etc.
 Expressar-se nas brincadeiras e demais situações de interação;
 Ampliar e aperfeiçoar os movimentos relacionados a coordenação motora fina;
 Estimular os cinco sentidos;
 Desenvolver o equilíbrio diante de jogos e brincadeiras;
 Desenvolver noções de direção e distância;
 Conhecer jogos e brincadeiras culturais;

CONTEÚDOS:

 Esquema corporal
 Capacidades Físicas
 Percepções sensoriais
 Orientação espaço-temporal

ESTRATÉGIAS:

 Participar de brincadeiras e jogos que envolvam correr, subir, descer, escorregar, dançar, etc., para
ampliar o conhecimento sobre o seu corpo e o controle dos movimentos.
 Proporcionar momentos musicais e brincadeiras cantadas para explorar movimentos variados;
 Dentro das variadas situações de rotina e projetos estimular os sentidos;
 Propor jogos dramáticos, em que a criança se torne um personagem;
 Promover atividades em que a criança estimule os pequenos membros, seja fazendo rasgadura,
colagem, amassar, utilizar a massinha, argila e outros materiais que forem pertinentes;
 Manipular materiais, objetos e brinquedos que aperfeiçoem suas habilidades manuais;
 Conhecer e participar de brincadeiras e jogos construídos culturalmente, como os jogos coletivos e
brincadeiras de roda;
 Dentro da rotina escolar e projetos mostrar noções de direção para que as crianças se apropriem
dessas noções e saibam diferenciá-las.

Música

OBJETIVOS:

 Criar situações de aprendizagem em que a criança brinque, perceba e expresse sensações por meio
da música;
 Estimular a ouvir diferentes músicas e sons, permitindo que a criança tenha contato com as várias
linguagens expressivas;
 Incentivar o prazer e alegria de cantar;
 Aumentar o repertório de canções e desenvolver a memória musical reproduzindo músicas
conhecidas oralmente;
 Construir instrumentos musicais utilizando materiais recicláveis;
 Reconhecer os diferentes sons de instrumentos musicais e diferenciá-los a partir de instrumentos
oferecidos a turma e os construídos de materiais recicláveis;
 Propor brincadeiras cantadas e dramatizações musicais;

CONTEÚDOS:

 O fazer musical (O que a criança consegue produzir)


 Apreciação musical

ESTRATÉGIAS:

 Participação em rodas de música para a criança conhecer e ampliar seu repertório musical;
 Propor momentos para cantar e assim desenvolver a memória musical;
 Ter contato com instrumentos musicais e ouvir os sons produzidos por eles e confeccionar
instrumentos com materiais recicláveis;
 Participar de brincadeiras cantadas e dramatizações utilizando canções conhecidas culturalmente e
estimular a improvisação musical;
 Utilizar o corpo para expressar sensações, se movimentar e fazer gestos diante das músicas;
 Escutar obras musicais de gêneros variados, inclusive músicas sem texto, as músicas clássicas;
 Perceber e discriminar sons de objetos sonoros;

Artes visuais

OBJETIVOS:

 Estimular a criação de desenhos, pinturas, colagens e modelagem a partir de seu próprio repertório
com diferentes materiais;
 Explorar os diferentes materiais oferecidos para a realização do trabalho artístico;
 Ampliar as possibilidades oferecidas pelos materiais artísticos e as diversas técnicas de pintura e
desenhos;
 Incentivar a valorização de suas produções e de seus colegas;
 Incentivar o cuidado, respeito e organização com os materiais coletivos da turma;
 Apreciar suas próprias produções;
 Conhecer obras artísticas do nosso meio cultural, procurando incentivar a observação de cores,
formas e elementos interessantes que estiverem presentes na obra;
 Desenvolver a criatividade através da manipulação e criação de diferentes atividades;
 Propiciar trocas de experiências entre as crianças, sobre o que cada uma produziu;
 Propor momentos de dramatizações de histórias contadas;

CONTEÚDOS:

 Apreciação artística
 O fazer artístico (O que a criança pode produzir)
 Expressividade

ESTRATÉGIAS:

 Oferecer momentos em que a criança possa criar desenhos, pinturas a partir de seu repertório;
 Ampliar as possibilidades de desenho e pintura, oferendo diversas técnicas para que a criança
desenvolva seu fazer artístico. Utilizando diferentes suportes, como papéis de cores, formas e
tamanhos variados, lixas, tecidos, entre outros;
 Oferecer variadas possibilidades de instrumentos como lápis, giz de cera, pincéis, carvão, canudos
e até mesmo o próprio corpo, como os dedos, um instrumento natural;
 Conhecer obras de arte e observar os elementos presentes nela, como cores, formas, objetos,
pessoas, etc.;
 Valorizar as produções das crianças expondo suas obras na sala de aula e demais espaços da
escola, nas exposições e mostras culturais organizadas pela instituição;
 Realização de jogos de dramatização e pequenos teatros em que a criança possa representar
usando fantoches e figurinos;

Linguagem Oral e Escrita

OBJETIVOS:

 Ampliar as possibilidades de comunicação e expressão e participar de situações onde a linguagem


oral esteja presente, como a roda de conversa;
 Utilizar a linguagem oral para brincar, cantar, conversar e comunicar;
 Criar oportunidades para expor ideias, sentimentos, sensações, preferências, necessidades, relatar
vivências, narrar fatos para que compartilhe suas experiências com o outro e desenvolva a fala
articulando melhor as palavras;
 Ampliar o vocabulário nas situações do dia a dia, apropriando-se de novas palavras;
 Incentivar o prazer da leitura, participando de escolha de livros para serem lidos, reconto de
histórias e utilizar o cantinho da leitura como oportunidade de desenvolver a concentração,
interação, imaginação e criatividade;
 Propiciar momentos para ouvir histórias, leituras de textos curtos e notas de jornal, parlendas e
jogos verbais;
 Realizar escolhas de livros, revistas, jornais e revista em quadrinhos para folhear e fazer a leitura
visual;
 Conhecer seu nome escrito, sabendo reconhecer gradativamente nas diversas situações do
cotidiano escolar;
 Incentivar a observar imagens e interpreta-las;
 Perceber que o que podemos falar, transmitir ou conversar podemos representar por meio da
escrita;

CONTEÚDOS:

 Expressão e comunicação oral


 Práticas de leitura

ESTRATÉGIAS:

 Realizar diariamente rodas de conversa, criando oportunidades para que as crianças contem suas
vivências, expressem suas opiniões, sentimentos e necessidades, deem sugestões e compartilhem
ideias;
 Realizar leitura e contação de histórias para as crianças com frequência;
 Permitir o manuseio de livros de história através do cantinho da leitura cotidianamente;
 Propor o registro de fatos, ideias e histórias por meio de desenhos;
 Apresentar materiais impressos como jornais, revistas, história em quadrinhos, fotos e imagens
para a criança manusear e interpretar o que observa;
 Brincar com parlendas, jogos cantados, verbalizando e imitando e ou criando gestos juntos;
 Conhecer e reconhecer seu nome em situações do dia a dia, como seu caderno de recados, seu
copo, sua folha de desenho, etc., para aprender a diferenciar-se do outro;
 Realizar o registro das conversas, atividades e histórias criadas pelas crianças em que o educador é
aquele que escreve, para a criança perceber que tudo que falamos podemos registrar no papel por
meio da escrita;

Matemática:

OBJETIVOS:

 Estimular a contagem oral nas brincadeiras, jogos e situações onde houver necessidade;
 Identificar pequenas quantidades realizando a contagem oral;
 Utilizar nas situações do cotidiano vocabulário adequado relativo a grandezas e medidas,
leve/pesado, maior/menor, alto/baixo;
 Desenvolver noções de perto/longe, dentro/fora, maior/menor, pequeno/grande, entre outros,
estabelecendo relação com objetos e situações vividas;
 Desenvolver a noção de tempo, os dias são determinados por semanas, manhã, tarde e noite,
compreender o ontem, hoje e amanhã e perceber a ordem e sucessão de acontecimentos;
 Manipular e explorar objetos e brinquedos em situações organizadas de forma a existirem
quantidades suficientes para que cada criança possa descobrir as características e propriedades
principais e suas possibilidades associativas.
 Explorar e identificar progressivamente as formas, objetos, figuras e cores em objetos, brinquedos
e materiais oferecidos;

CONTEÚDOS:

 Números e sistema de numeração


 Espaço e forma
 Grandezas e medidas

ESTRATÉGIAS:

 Recitar a contagem oral em brincadeiras como jogos de esconder ou pega, brincadeiras de roda
como a galinha do vizinho e parlendas que utilizem a contagem;
 Utilizar a contagem oral na roda contando as crianças, objetos e materiais que usaremos no dia,
entre outros recursos que surgirem;
 Propor situações para comparar quantidades;
 Utilizar situações, projetos e brincadeiras cotidianas para compreender noções de grandezas e
medidas;
 Compreender a grandeza do tempo conversando sobre o que fazem de manhã, à tarde ou à noite,
bem como o ontem, hoje e amanhã. Que essas grandezas estejam inseridas dentro do contexto da
sala, das conversas, brincadeiras e histórias;
 Manipular e observar diferentes objetos, materiais e brinquedos para perceber suas características,
propriedades, forma e cor;
 Representação de objetos e formas bidimensionais e tridimensionais utilizando diversos materiais,
como massinha, argila, palitos, etc.;
 Propiciar momentos com jogos como quebra-cabeças, jogo da memória, jogos de empilhar, entre
outros;

Natureza e sociedade

OBJETIVOS:

 Observar e explorar o ambiente com atitude de curiosidade própria das crianças e valorizando
atitudes de conservação;
 Construir brinquedos a partir de elementos da natureza e objetos recicláveis, incentivando práticas
de cuidado com o meio ambiente;
 Reconhecer por meio dos sentidos, as características de objetos e alimentos;
 Conhecer e identificar características e necessidades de seres vivos presentes na natureza, animais
e plantas;
 Conhecer e identificar os fenômenos da natureza, como chuva, raios, trovão, dia, noite, etc.;
 Promover situações em que possa incentivar o uso adequado da água;
 Incentivar o cuidado e respeito com os materiais coletivos da escola;
 Estimular o cuidado com o corpo, prevenção a pequenos acidentes e sua higiene;
 Estimular o uso adequado dos sanitários, pias e torneiras;
 Participar de atividades e brincadeiras que mostrem e permitam que as crianças conheçam as
tradições culturais.
 Vivenciar momentos em que lembramos as principais datas comemorativas com propostas
adequadas a faixa etária;
 Incentivar o respeito às regras de convívio social;
 Estimular a valorização de cada criança dentro do grupo.

CONTEÚDOS:

 Os lugares e suas paisagens


 Objetos e processos de transformação
 Os seres vivos
 Os fenômenos da natureza
 Organização dos grupos, seu modo de ser, viver e trabalhar

ESTRATÉGIAS:

 Participar de atividades que envolvam a observação de imagens de diferentes paisagens;


 Reconhecer objetos e suas características, de que são feitos, como são feitos, entre outros;
 Confeccionar brinquedos, materiais e jogos com materiais recicláveis;
 Valorizar a vida desde as pequenas situações como cuidados com animais e plantas;
 Conhecer espécies de animais e plantas presentes na natureza e suas características;
 Incentivar o cuidado com o corpo, a prevenção de acidentes, como machucados, quedas e o uso
adequado dos espaços e materiais escolares de uso coletivo como torneiras, banheiros, refeitório e
bebedouro;
 Observar o tempo diariamente e seus fenômenos, chamar atenção quando estiver chovendo, ou
com o tempo nublado, entre outros aspectos que surgirem a partir da observação. Ampliar
conhecimentos trazendo imagens para observação e relacionar o que esses fenômenos causam ao
meio ambiente;
 Conhecer e brincar com brincadeiras, músicas, histórias, parlendas e jogos construídos
culturalmente;
 Valorização das particularidades de cada criança, sua cultura e interesses;

Instrumentos e princípios para avaliação

Será um processo contínuo e organizado por meio do caderno de registro, fotos, videos e portfólio.
É um processo que exige atenção dos educadores e também confiar nas possibilidades das crianças, no
que ela é capaz de sentir, imaginar, fazer e se encantar.

É muito importante que tudo seja documentado de forma que tenhamos elementos importantes sobre cada
criança, para auxiliar na elaboração da avaliação de desenvolvimento individual.

Além da importância para a reorganização e avaliação do trabalho dos educadores, verificando o nível
potencial e real de cada criança, para propor atividades significativas que tragam possibilidades de
evolução, ampliação e construção de conhecimento.

PLANO DE ENSINO ANUAL

AGRUPAMENTO III B

PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS:

Professora: Daniele Aparecida da Silva

Monitora: Aline Bento

Coordenadora: Camila Possari

Ano: 2018

CARACTERIZAÇÃO DA TURMA:

O agrupamento III B é composto por trinta e duas crianças de 3 á 4 anos de idade, sendo 19 meninos e 13
meninas, que ficam na creche em período integral.
O grupo ébem heterogêneo, temos também uma aluna com diagnóstico de cegueira, e temos trabalhado na
perspectiva da inclusão, realizando com auxilio da professora de educação especial atividades adaptadas,
promovendo sua participação ativa em todos os momentos.

Temos respeitado a individualidade e diferença de cada um, de forma que suas experiências sejam
concretas a fim de que suas aprendizagens adquiram significado.

Para atender com qualidade o grupo de alunos a sala é composta por uma professora e duas monitoras.

A maioria das crianças já pertencia ao grupo escolar, por isto já conseguem manifestar suas preferências,
seus desejos e desagrados, através da forma verbal.
Todas as crianças participam das brincadeiras, das atividades desenvolvidas em sala realizadas pela
professora, nas quais são realizadas de acordo com sua capacidade.
De modo geral, a turma é muito entrosada. Ajudam-se uns aos outros, opinam nas tarefas uns dos outros e
gostam de realizar as atividades em grupo, encontrando algumas dificuldades apenas no que diz respeito á
divisão ou uso comum de materiais e brinquedos. Saindo de uma fase egocêntrica, iniciam a formação de
hábitos de partilha e internalizarão de regras de convivência social.

ROTINA DIÁRIA:

 Entrada: recepção das crianças e organização de seus pertences;


 Roda de conversa;
 Higienização das mãos após utilização do banheiro e antes das refeições;
 Café da manhã, Almoço, Lanche da tarde, Jantar;
 Escovação após as refeições (Café da manhã e Almoço);
 Sono;
 Atividade pedagógica, conforme o tema a ser tratado;
 Cantinhos externos: Parede sensorial; Horta; Cantinho da Beleza; cantinho da fantasia; Cantinho
da Leitura; Espaço Gourmet; Ateliê de Artes; Espaço para jogos; Sala de Vídeo; Campo de
Futebol; Parque; tanque de Areia; Parede Sensorial; Parede de giz; Pátios.

Objetivo Geral:

 Oferecer condições adequadas para o desenvolvimento de seu potencial proporcionando sua


integração no meio social, respeitando suas potencialidades, necessidades e limitações;
 Ampliar seus conhecimentos, desenvolvendo suas habilidades de forma integral, em todos os
aspectos, sociais, psicológicos, cognitivos e motor.
 Propiciar experiências significativas, explorando diferentes conteúdos de forma interdisciplinar,
desenvolvendo criticidade e curiosidade nas crianças.

Objetivos específicos:

 Estabelecer significados através da interação, com o “eu” e o “outro” no meio em que convive.
 Criar materiais diferenciados para proporcionar uma aprendizagem distinta e de fácil compreensão
para o aluno de necessidades especiais.
 Desenvolver percepções visuais, auditivas, táteis e gustativas;

 Ampliar a coordenação motora, na busca do desenvolvimento integral da criança.


 Desenvolver e ampliar os conceitos matemáticos.
 Desenvolver orientação temporal
 Identificar números, cores, formas geométricas, medidas, etc.
 Desenvolver raciocínio lógico.
 Classificar objetos por tamanho.

 Desenvolver atitudes de respeito e cooperação.


 Adquirir habilidades sociais.

Conteúdos:

 Corpo humano
 Eu / família/ casa
 Linguagem oral/ comunicação
 Letramento
 Números e quantidades
 Cores
 Grandezas e medidas
 Dramatização e expressão Corporal
 Coordenação motora
 Orientação temporal e espacial
 Música cantada e ouvida, ritmo e diferentes gêneros musicais
 Cooperatividade e atitudes de respeito.
 Movimento, dança e equilíbrio
 Habilidades manuais.
 Discriminação(semelhanças e diferenças)
 Comparação
 Tamanhos e formas (circulo, triangulo, quadrado, retângulo)
 Distância entre objetos (perto, longe)
 Velocidade (rápido, lento, devagar, depressa)

 Metodologia:
O trabalho proposto terá como base projetos advindos do interesse das crianças, visto que a aprendizagem
ocorre de forma significativa, de forma que a criança seja o sujeito de seu próprio conhecimento, cabe ao
professor ser o mediador e ficar atento a cada palavra ou frase dita pelas crianças, pois a escuta é
fundamental para conhecer os alunos, seus pensamentos e desejos, por isto o professor é visto apenas
como um facilitador no processo pela busca do conhecimento que deve sempre partir do aluno.

Quando a aprendizagem surge do interesse da turma, o processo de ensino e aprendizagem torna-se mais
fácil, pois a criança passa a associar e absorver melhor aquilo que está sendo dito e passado para ela,
fazendo com que assimile todo o conteúdo e vivencie suas próprias experiências, levando-a ao
conhecimento de si e do outro e assim possibilitar o desenvolvimento total de suas capacidades e
habilidades.

Estratégia

 Autorretrato
 Vídeos sobre os temas de interesse
 Explorar letra inicial do nome
 Alfabeto móvel para escrita dos nomes
 Gráficos diversos (peso, altura, idade, quantidade de letras do nome, etc)
 Brincadeiras/dinâmicas
 Musicas relacionadas ao tema
 Painéis/ atividades
 Pesquisa para as famílias: quem escolheu meu nome?como foi?
 Envio de fotos pelas famílias: eu na barriga da mamãe, eu bebê, eu e minha família.
 Confecção do jogo da memória com as fotos das crianças
 Culinária: receita de família
 Explorar diferentes gêneros textuais como: revistas, convites, poemas, receitas, jornais, rimas,
musicas...
 Explorar os números utilizando o tamanho das roupas, nº dos calçados, peso e medidas.
 Arvore genealógica de cada criança.
 Autorretrato
 Contação de histórias por meio de diferentes meios (livros, fantoches, etc);
 Cantigas de roda nos diferentes momentos
 Atividades com imagens
 Atividades com diversos objetos sonoros
 Atividades com revistas
 Construção de brincadeiras;
 Pesquisa familiar
 Sessão cineminha;
 Brincadeiras e cantigas que incluem diferentes formas de contagem: “a galinha do vizinho bota
ovo amarelinho; bota um, bota dois, bota três, bota quatro, bota cinco, bota seis, bota sete, bota
oito, bota nove e bota dez”; “um, dois feijão com arroz; três, quatro, feijão no prato; cinco, seis,
feijão inglês; sete, oito, comer biscoito; nove, dez, comer pastéis”.

 Propor sistematicamente brincadeiras em grupos, integrando as crianças através de conversa em


rodinhas, a fim de possibilitar o conhecimento e a aproximação das crianças.
 Organizar atividades individuais como criação e confecção de crachás, a partir de desenho e cartaz
para a identificação da criança.
 Trabalhar a percepção do corpo a partir de observações sistemáticas, no espelho, do rosto, dos
cabelos, das partes do corpo, da altura, etc.
 Estabelecer observações em duplas acerca das diferenças e semelhanças entre os demais colegas,
buscando construir o conceito do eu e do outro.
 Gráficos de altura.
 Observações no espelho, procurando estabelecer as diferenças e as semelhanças de tamanho entre
as crianças.
 Fazer um desenho de corpo inteiro, incentivando a criança a reproduzir a sua autoimagem;
 Nomear todos os objetos e móveis ali presentes.
 Desenvolver atividades de recortes.
 Realizar desenhos, pinturas

 Ampliar a coordenação motora, na busca do desenvolvimento integral da criança.


 Ampliar a coordenação viso motora, na busca do desenvolvimento integral da criança.

 Desenvolve hábitos de higiene: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.
 Habituá-los a usar as palavras: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.
 Levar a criança a participar das atividades de grupo.
 Estimular e desenvolver os cinco sentidos e a capacidade de auto-higiene a e identificação e
nomeação das partes do corpo.

Instrumentos e princípios para avaliação

A avaliação será continua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no
relacionamento com os colegas e com a professora, onde os conhecimentos e práticas devem permitir aos
pequenos aprenderem e criarem valores sobre suas capacidades, de modo a se reconhecer como um ser
que produz história e é capaz de descobrir coisas sobre o mundo, já que na Educação Infantil, a criança
está em processo constante de desenvolvimento, crescimento e de aprendizagem.

Por isto na hora de avaliar a criança o professor deverá levar em consideração os esforços individuais e
demonstrar como foram seus processos de aprendizagem, por isso serão utilizados registros escritos
como: caderno de registro das monitoras e professoras, fotografias de todas as atividades desenvolvidas
em sala, portfólio individual da criança e também da sala, onde terá registrado também as falas das
crianças durante as atividades lúdicas e momentos de roda de conversa.

PLANO DE ENSINO ANUAL AGRUPAMENTO III C

Profissionais envolvidos:

Professora: Fabiana Paula da Silva Pereira.

Monitoras: Erilane e Pâmela

Coordenadora: Camila Possari

Ano: 2018

APRESENTAÇÃO:

O agrupamento III C é composto por crianças na faixa etária de 3, 4 sendo que 14 crianças completarão
cinco anos antes do termino do ano letivo, totalizando 33 crianças sendo uma com (Hidrocefalia).

“O cotidiano da educação infantil revela a criança através do lúdico, em seus desenhos e nas variadas
historias contadas de suas vivencias do meio o qual vivem, assim pode-se conhecer sua cultura e propiciar
novos conhecimentos. Quando se oportuniza e problematiza essas vivencias pode-se revelar para a
criança outras formas de perceber e conceituar o que se vive e conhece.”

Nossa proposta para essa turma se define em explorar os conteúdos de forma interdisciplinar, para
promover um aprendizado significativo e o desenvolvimento integral.

Conteúdos:
Linguagem oral e escrita:

 Comunicação e expressão oral;


 Gêneros textuais
 Escrita espontânea
 Reconhecimento e nomeação de letras
 Função social da escrita

Artes:

 Desenhos e representações gráficas


 Obras de arte
 Técnicas de pintura
 Dramatização
 Produções artísticas usando materiais diversos, sucata e materiais não- estruturados.

Música:

 Cantigas e músicas infantis


 Instrumentos musicais
 Elementos sonoros, ritmo, volume, intensidade.

Movimento:

 Movimentos de arrastar-se, pular, correr, subir, descer, saltar;


 Danças, gestos e coreografias
 Praxia fina: movimentos de pinça, rosca
 Raciocínio Lógico matemático;
 Cores, formas geométricas
 Grandezas e medidas

Identidade e autonomia:

 Esquema corporal;
 Regras;
 Formação familiar;
 Autoestima;
 Valorização da sua imagem;
 Interação e cooperação;

Natureza e sociedade:

 Animais;
 Plantas;
 Vida em sociedade;
 Profissões;
 Meio ambiente
 Estações do ano

Objetivos Gerais:

 Proporcionar diferentes experiências e vivências, abordando as variadas linguagens e conteúdos da


educação infantil.
 Oportunizar a construção da autonomia fortalecendo a auto-estima, promovendo situações nas
quais as crianças possam desenvolver suas habilidades físicas e mentais, usando a sua imaginação
e criatividade, com ênfase na afetividade, na cooperação e socialização.
 Incentivar a curiosidade natural, estimular a atitude investigativa e questionadora.

O trabalho a ser realizado com este agrupamento será desenvolvido através da elaboração de diferentes
projetos advindos do interesse e necessidade das crianças, na qual serão utilizados diversos recursos para
o desenvolvimento do mesmo.

Nesse projeto a criança será participante ativa no processo de ensino aprendizagem e o conhecimento será
construído considerando a sua faixa etária os aspectos cognitivos, físicos, sociais emocionais da criança.

O professor atuará como mediador entre o conhecimento e a criança, estimulando suas curiosidades,
necessidades, vivências e trazendo elementos que contribuam para uma aprendizagem mais significativa.

O planejamento será realizado mensalmente levando em consideração o projeto pedagógico da escola,


partindo do interesse da criança.

Estratégias definidas:

Linguagem oral e escrita:

 Desenvolver a linguagem através de variadas situações de comunicação:


 Interesse e criação de leitura de histórias, brincadeiras, fazem de conta,
 Reconhecer a primeira letra do nome associando a outros objetos.
 Apresentar as vogais utilizando jogos lúdicos.
 Conhecer e reproduzir jogos verbais, jogos com nome.
 Propiciar o contato com livros, revistas, histórias em quadrinhos, poesias, parlenda, receitas,
rótulos, trava-línguas, participação em situações que as crianças manuseiem livros, escolher livros
para ler e apreciar, confecção de livros elaborados pelas crianças.
 Utilizar alfabeto móvel para construção de palavras, a partir da observação de palavras
apresentadas.
 Respeitar ao próximo, valorizar a amizade entre as crianças e as crianças e o adulto.
 Promover a interação e cooperação entre as crianças.
 Utilizar pequenas dramatizações para apresentação do conteúdo a ser trabalhado.

Matemática:

 Desenvolver a contagem oral através da utilização de jogos, confeccionados em sala.


 Utilização de jogos para trabalhar as regras.
 Organização de materiais noções de direção, sentido, tempo, grandeza, peso, medida, comparação,
 Classificação de cores, formas e tamanhos,
 Exploração do esquema corporal, lateralidade,
 Utilização e associações de formas geométricas,
 Identificar números quantidades em receitas uso do calendário,
 Realizar brincadeiras utilizando números.
 Trabalhar com gráficos.

Natureza e Sociedade:

 Organizar e sistematizar os conhecimentos relacionados com a natureza em transformação, ao


seres vivos, à ecologia e à qualidade de vida.

Música
 A exploração de materiais e a escuta de obras musicas para propiciar o contato e experiências com
a matéria prima da linguagem musical: o som e o silencio.
 Interpretação de música e canções diversas relacionada ao tema trabalhado.
 Participação em jogos e brincadeiras que envolvam a dança e a música.
 Utilização de sucata para a construção de instrumentos musicais.
 Saber reproduzir, criar rimas e sons.

Artes Visuais

 Será desenvolvido através do fazer artístico, exploração de materiais de diferentes texturas,


espessuras, tamanhos, macios, molhados, secos, ásperos, reconhecimento e reprodução artística,
cuidado com o corpo, espaço e ambiente com os materiais, limpeza e ordem, observação e
identificação de imagens, cores, formas e sensações,
 Utilização da linguagem do desenho, pintura, modelagem, colagem, construção, desenvolvendo o
gosto, respeito, conhecer e utilizar diversos materiais expressar-se livremente e direcionadamente,
desenvolver a criatividade, construção com sucata.

 Pinturas usando tintas guache, tinta plástica, giz de cera, canetinha, lápis de cor, anilina, jornal,
tinta de tecido, tintas produzidas junto com as crianças utilizando materiais do cotidiano como
tinta com pasta de dente.

Movimento

 Reconhecimento progressivo de segmento e elementos do próprio corpo por meio da exploração


com os outros.
 Percepção das sensações, limites, sinais vitais e integridade do próprio corpo.
 Participar de brincadeiras e jogos que envolvam correr, subir, descer.
 As musicas, brincadeiras e jogos serão dados de acordo com o tema trabalhado.
 Manipulação de materiais e brinquedos diversos para aperfeiçoamento de suas habilidades
manuais.

Linguagem oral e escrita:

 Contar histórias que abordem os temas trabalhados como: meio ambiente planeta terra.
 Criação de historias, brincadeiras de faz de conta.
 Saber reconhecer a escrita do próprio nome e dos colegas.
 Conhecer e reproduzir jogos verbais, jogos com nomes
 Participação em situações que as crianças leiam mesmo que não o façam de maneira convencional,
escolher livros para ler.

Matemática:

 Utilização de sucata para confecção de jogos matemáticos, para trabalhar coordenação motora
fina,
 Lateralidade,
 Atividades com números utilizando relógio para diferenciar o dia da noite,
 Classificação cores, formas e tamanhos,
 Utilizações de números presente em nosso dia a dia como, por exemplo, Número da casa,
 Identificar números através do telefone.
 Trabalhar medidas,
 Bingo dos números.
 Usar os números para contagem das letras, coordenação motora através da utilização do pincel,
pintura com giz.
 Utilização da tesoura par coordenação motora.
 Trabalhar receitas.

Natureza e Sociedade:

 Confeccionar cartazes, brincadeiras, jogos e canções a respeito da importância em se preservar a


natureza e os animais,
 Despertar nas crianças o interesse em estar cuidando das tartarugas e sua importância para o meio
ambiente,
 Orientar as famílias e as crianças sobre a importância do projeto Tamar e outros institutos que
trabalham com os animais para evitar sua extinção,
 Apresentar o Brasil e suas respectivas praias e lugares escolhidos pelas tartarugas, para colocarem
os seus ovos,

Musica:

 Trabalhar as diversidades músicas existente nos estados em que possuímos mais tartarugas,
 Utilizar musica para abordar o tema a ser trabalhado,
 Diferenciar os sons que existem na natureza,
 Perceber sons que ouvimos com freqüência,

Artes Visuais:

 Utilização de dobraduras, lixas, tintas.


 Utilizar recursos oferecidos pela natureza para a confecção de cartazes, painel,
 Fazer brinquedos com sucatas.

 Atividades gráficas como desenhos, para pintura, recorte e colagem.


 Tinta, pincel, cola tesoura, papel de diferentes tipos, formas e cores.
 Atividades gráficas como desenhos, para pintura, recorte e colagem.
 Tinta, pincel, cola tesoura, papel de diferentes tipos, formas e cores.
 Revista, jornal e sucata. Barbante, lã, linhas, madeira, algodão, gesso, garrafa, tinta e outros.

Movimento:

 Participar de brincadeiras que envolvam representações usando a expressão corporal.


 Utilizar atividades recreativas como saltar, pular, andar em diferentes ritmos, dançar, deitar, rolar.
 Exploração do corpo desenvolvimento de gestos e manipulação de diversos objetos.
 Movimentar-se imitando alguns animais.

Instrumentos e princípios para avaliação:

“Professor nenhum é dono de sua prática se não tem em mãos, a reflexão sobre a mesma. Não existe ato
de reflexão, que não nos leve a constatações, duvidas e descobertas e, portanto, que não nos leve a
transformar algo em nós, nos outros e no mundo”

Madalena Freire

A Avaliação será processual, acontecerá no dia a dia da sala de aula, através do desenvolvimento de
várias atividades, envolvendo todos os aspectos físicos, motores, afetivos e cognitivos, permitindo
contemplar com mais exatidão o desenvolvimento da criança, nos relatórios elaborados pela equipe.

Utilizaremos também de fotos, vídeos, gravações, portfólio individual e coletivo, além dos registros
escritos em caderno pelos professores e monitores.

Rotina diária da sala de aula


7hs30 min. Entrada das crianças acolhimento.

8hs00 entrada do professor, na sala de aula.

8hs 15 min. Ida ao banheiro e lavagem das mãos.

8hs e 30min. Café da manhã.

9hs escovação dos dentes, ida ao banheiro e água.

9hs15 min. Retorno para a sala de aula

Roda da conversa, música de bom dia e outras escolhidas pelas crianças, contagem das meninas e
meninos, quantos faltaram, como está o tempo, música para colocação dos crachás e apresentação do
calendário, hoje é o dia, mês dia da semana e ano, apresentação do tema a ser trabalhado no dia.

09h50min dividimos o grupo, metade em sala com a professora e a outra com a monitora, para realizar
atividades nos espaços externo da sala de aula.

Na sala de aula o grupo que permaneceu é dividido em dois cantinhos um com a professora se for
atividade individual e o outro com jogos confeccionados pela mesma ou jogos pedagógicos.

Após o termino da atividade realizamos a troca do grupo e assim até ser terminada a atividade proposta.

10hs e 45 min. Reunimos o grupo novamente, para fazer o fechamento do dia e comunicar o que será
feito no dia seguinte, após realizamos as lavagens das mãos para o almoço.

11hs. Almoço.

11hs30min. Escovação, banheiro e água.

11hs 45 min. Soninho.

PLANO DE ENSINO ANUAL AGRUPAMENTO III D

PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS:

Professora: Márcia Maria Alves da Silva

Monitoras: Karen R. Soares Borges e Elisangela de Freitas dos Reis

Coordenadora: Camila Possari

Ano: 2018

APRESENTAÇÃO

O agrupamento III D é composto por trinta e três crianças de 3 a 5 anos.

A turma apresenta no geral pouca expressão de suas vontades, necessidades e interesses, se tornando um
dos nossos principais objetivos, a ampliação do vocabulário, comunicação e aquisição da habilidade de
argumentação. Pretendemos desenvolver a oralidade, criticidade e capacidade de relatar fatos, expressar
suas vontades e transmitir recados.

As crianças escolheram o nome “Turma do coelho”, onde também a mascote foi escolhido e será usado
estratégia, promovendo também a construção da identidade e a conquista da autonomia da criança,
visando também o desenvolvimento da cognição, oralidade, pensamento e interação social.

Rotina Diária:

 Entrada: recepção das crianças e organização de seus pertences;


 Roda de conversa
 Higienização das mãos após utilização do banheiro e antes das refeições;
 Café da manhã, Almoço, Lanche da tarde, Jantar;
 Escovação após as refeições (Café e Almoço);
 Sono;
 Atividade pedagógica: conforme planejamento, constando os objetivos e estratégias aqui citadas.
 Cantinhos externos: Parede sensorial; Horta; Cantinho da Beleza/Fantasia; Cantinho da Leitura;
Espaço Gourmet; Biblioteca; Vídeo; Campo de Futebol; Parque de Areia; Parede Sensorial;
Parede de giz; Pátios; Ateliê de artes.

Objetivo Geral:

 Utilizar as variadas linguagens, com diferentes objetivos e intenções comtemplando os diferentes


conteúdos da educação infantil, buscando sempre trazer com uma abordagem lúdica.
 Promover o desenvolvimento integral das crianças, criar situações para desenvolvimento da
capacidade de comunicação, expressão de suas ideias, sentimentos, necessidades e desejos e
avançar no seu processo de construção de do conhecimento.

Objetivos específicos:

 Oferecer condições adequadas para o desenvolvimento de seu potencial proporcionando sua


integração no meio social, respeitando suas limitações;
 Integrar a criança no meio escolar;
 Ampliar seus conhecimentos e o desenvolvimento integral do aluno;
 Familiarizar a criança com as regras e combinados, de forma a adquirir bom convívio com os
colegas.
 Adquirir habilidades de socialização, através da interação com os demais e com o meio em que
convive.

Conteúdos:

 Desenho livre, pintura, recorte, colagem, representações gráficas;


 Brincadeiras tradicionais e adaptadas
 Jogos (memória, dominó,bingo)
 Formação famíliar
 Conhecimento do nome próprio;
 Linguagem
 Cultura
 Produções artísticas
 Coordenação motora global e fina
 Autoestima
 Cooperatividade e respeito
 Esquema corporal
 Numerais e quantidades;
 Letras;
 Movimentos, danças e gestos;
 Sons, músicas e cantigas.
 Diferentes gêneros textuais (parlendas, rimas, poemas, jornais, panfletos);
 Cores e formas;
 Valores morais e regras para bom convívio;
 Noção espacial e temporal,
 Lateralidade e direcionalidade;
 Animais e plantas;
 Independência nas atividades do cotidiano;

METODOLOGIA:

A metodologia de ensino está baseada em proporcionar e promover o bem estar e desenvolvimento


integral de cada criança na construção de projetos, advindos do interesse das crianças, utilizando como
base para aprendizado o interesse das crianças, usando de sequências didáticas e um trabalho
interdisciplinar com, atividades práticas como brincadeiras, jogos, musicas, historias, pois através destes a
criança interage e passa a relacionar-se com o mundo, buscando sempre a superação de desafios e
permitindo assim a construção da sua identidade e favorecendo sua autonomia. Sendo assim, serão
desenvolvidas atividades onde a criança utilizará em diversos momentos experiências próprias,
possibilitando a ampliação do seu conhecimento prévio.

Estratégias:

Linguagem oral e escrita;

 Desenvolver vocabulário, linguagem e a comunicação entre os alunos.


 Conhecer as letras e sua função social;
 Desenvolver orientação espacial e a lateralidade;
 Relatar fatos, ocorrências e experiências vividas;
 Articular bem as palavras e ampliar seu vocabulário;
 Reconhecer o seu nome e dos amigos de sala.
 Manusear livros infantis, didáticos e paradidáticos
 Compreender e transmitir avisos, recados e mensagens
 Representar as suas ideias por meio de desenhos e de diferentes registros

Artes:

 Produções feitas com sucatas.


 Jogos, brinquedos e brincadeiras utilizando sucata e materiais não estruturados.
 Confecção de cartazes.
 Proporcionar dramatizações com máscaras, fantoches, mímicas, imitar voz de personagens,
animais;

Musica:

 Desenvolver interesse e a atenção por músicas (diferentes tipos),


 Conhecer cantigas de roda;
 Explorar instrumentos musicais;
 Conhecer os conceitos de ritmo, intensidade, altura e volume;

Movimento:

 Desenvolver atividades de recortes e manipulação de diferentes materiais;


 Movimentar-se, imitar e criar gestos e coreografias;
 Realizar desenhos livres e dirigidos;
 Corrrer, saltar, arrastar-se, engatinhar e explorar os limites do corpo;
 Proporcionar materiais que permitam movimentos de pinça, encaixe e preensão;
 Desenvolver percepções visuais, auditivas e coordenação motora;
 Ampliar a coordenação e equilibrio, na busca do desenvolvimento integral da criança.

Raciocínio Lógico Matemático:

 Desenvolver e ampliar os conceitos matemáticos;


 Desenvolver orientação temporal e espacial;
 Apresentar os números e sua função social;
 Identificar cores, formas geométricas,
 Conhecer grandezas e medidas;
 Desenvolver raciocínio lógico-matemático.
 Realizar classificação, seriação, comparação;
 Classificar objetos por tamanho, espessura;

Natureza e sociedade

 Adaptar a criança a vida escolar e social.


 Promover condições de um convívio agradável.
 Desenvolver atitudes de cortesia, respeito e cooperação.
 Compreender a necessidade da cooperação de todos os membros da família e da escola, entre si.
 Desenvolver: atividades e conhecimentos sociais, habilidades de disciplina, independência e
habilidades quanto ao trabalho.
 Desenvolver hábitos de higiene: utilização do banheiro, lavagem das mãos, escovação dos dentes;
 Estimular e desenvolver os cinco sentidos, visão, audição, tato, paladar e olfato.

INSTRUMENTOS E PRINCÍPIOS PARA A AVALIAÇÃO

A avaliação é baseada em observação e registro, através de portfólio, caderno de registro avaliativo


coletivo do planejamento, caderno de observação das crianças, fotos e vídeos, além de suas diferentes
produções e criações.

Ocorrerá durante todo ano letivo, no cotidiano, através do desenvolvimento de várias atividades,
envolvendo todos os aspectos físicos, motores, afetivos e cognitivos, que vai auxiliar na elaboração do
relatório de desenvolvimento individual, sendo um instrumento avaliativo processual, permitindo
contemplar com mais exatidão a evolução da criança, suas mudanças e seu percurso.

PLANO DE ENSINO ANUAL AGRUPAMENTO III E

PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS:

Professora: Meridiane Santos Carvalho

Monitoras: Elismaria Souza Duarte e

Silvana Maria Rodrigues Marques

Coordenadora: Camila Fernanda Possari Lima

Ano: 2018

CARACTERIZAÇÃO DA TURMA:

O agrupamento III E, é formado por crianças de 4 á 5 anos, sendo 13 meninas e 11 meninos, totalizando
24 crianças.

O nome do agrupamento é “TURMA DO JACARÉ”, essa escolha se deu a partir de votação das crianças,
onde um mascote de pelúcia também foi escolhido, ele irá para a casa das crianças e participará de todos
os momentos do dia-a-dia com a turma.

ROTINA DIÁRIA:

Período da tarde:

13h00- entrada da professora na sala de aula (visto cadernos/ organização materiais)

13h15- Acordar as crianças do soninho

13h30- Lanche

13h45- Retorno para a sala de aula

Atividades Permanentes:

Roda de conversa, combinados, apresentação da aula a ser abordado no dia, crachás, calendário.

14:00 h- Atividade pedagógica

14h45- lavagem das mãos

15:00- Jantar

15h30- Atividades pedagógicas/ jogos e brincadeiras

16:00- Organização das mochilas/ troca (se necessário)

16h20- Saída

Periodo Contraturno: as monitoras fazem uso dos espaços externos e planejamento de atividades nesses
cantinhos.

OBJETIVOS GERAIS:

 Proporcionar momentos de ludicidade para despertar interesse para o letramento, a socialização,


interação.
 Estimular a criticidade e curiosidade nas crianças, promovendo o desenvolvimento nos aspectos
físicos, psíquicos, educacionais e sociais mediando assuntos, sugestões e interesse para assim
transformar o desenvolvimento potencial do aluno em desenvolvimento real.

CONTEÚDOS:

 Pinturas usando tintas guaches, tinta plástica, giz de cera, lápis de cor, jornal, tinta de tecido;
 Atividade gráfica como desenhos, para pintura, recorte e colagem;
 Esquema corporal
 Conceitos matemáticos: classificação, seriação, comparação
 Cores e formas
 Memória e assimilação
 Tabelas e gráficos
 Letras, escrita e sua função social
 Comunicação, fala e expressão
 Elementos que compõe o som
 Músicas Infantis, música Popular, regional, folclórica, de raízes, clássica, entre outras
 Numerais e quantidades
 Grandezas e medidas
 Artes, teatro e dramatização
 Diferentes portadores e gêneros textuais (jornal, panfleto, receita,)
 Artes e cultura
 Faz de conta e imaginação
 Danças, gestos e coreografias

OBJETIVOS ESPECIFICOS:

 Utilizar as diferentes linguagens corporal, musical, plásticas, oral e escrita;


 Explorar e valorizar diferentes portadores textuais;
 Incentivar atitudes independentes com relação as necessidades básicas, englobando alimentação,
higiene e afetividade;
 Desenvolver a autoestima e valorização do convívio social;
 Estimular o brincar e todas suas possibilidades;
 Ampliar de forma gradativa as diversas possibilidades de comunicação e expressão (oral, corporal,
gestual, entre outras);
 Ampliar o conhecimento de mundo e cultura, através de suas próprias produções, dos amigos e de
outros artistas ao qual tenham contato;
 Proporcionar a oportunidade de escolha e construção de hipóteses;
 Orientar pelo zelo do ambiente escolar e respeito dos espaços e materiais;
 Explorar as diversas possibilidades de criação a partir de elementos naturais e não estruturados;
 Apreciar e cuidar dos trabalhos produzidos individual e coletivamente;
 Conhecer as letras e a função social da escrita;
 Estabelecer a relação correspondente do número e quantidade;
 Estimular a criança a ter independência nas atividades de higiene como escovação de dentes e
lavagem das mãos;
 Incentivar a autorregulação e a autonomia moral;

Metodologia

O processo de aprendizagem será realizado por meio da escuta atenta, adequando os eixos de trabalhos
elencados neste plano, ao projeto e planejamento mensal.

As crianças participarão de todo o processo contribuindo com os seus conhecimentos prévios,


contemplando sua curiosidade e seus interesses.

Pedagogia de projeto é um caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, criatividade, emoções
e sentimentos de forma prazerosa e significativa.

O planejamento é realizado mensalmente levando em consideração o Projeto Pedagógicoda escola.

Nesse projeto a criança será participante ativa no processo de ensino aprendizagem e o conhecimento será
construído considerando a sua faixa etária os aspectos cognitivos, físicos, sociais emocionais da criança.

Linguagem Oral e escrita:

 Interesse e criação de leitura de histórias, brincadeiras, fazem de conta, saber reconhecer e


escrever o próprio nome;
 Situações em que se faça necessária a comunicação;
 Conhecer e reproduzir jogos verbais, jogos com nome, reproduzir pequenos textos;
 Familiarizarem-se com o contato cotidiano com livros, revistas, histórias, jornais, poesias,
propaganda, receitas, zelo com os livros e matérias;
 Estimular a solidariedade para que as crianças entendam a importância de ajudar o próximo;
 Utilizar dramatizações para apresentação do conteúdo a ser trabalhado;
 Proporcionar brincadeiras livres, deixando as crianças cria diversas situações;

Natureza e Sociedade:

 Expressar e comunicar seus desejos e emoções atribuindo as primeiras significações;


 Explorar possibilidades do fazer com nosso corpo, pensamento e vontade;
 Identificar a família como um grupo social no qual está inserido (a), valorizando e reconhecendo
sua importância;

Movimento:

 Jogos e brincadeiras que envolvam correr, subir, descer, aprimorando movimentos como saltar,
pular, arrastar, rolar, entre outros;
 Reconhecimento progressivo de segmento e elementos do próprio corpo por meio da exploração
com o meio e com os outros;
 Percepção das sensações, limites, sinais vitais e integridade do próprio corpo;
 Passeio em lugares como supermercados que explore vivências cotidianas.

Musica:

 Saber reproduzir, criar rimas e sons;


 Interpretação de música e canções diversas relacionadas ao tema trabalhado;
 Participação em jogos e brincadeiras que envolvam a dança e a música;
 Brincadeiras de roda pertinentes com o tema abordado;

Artes:

 Montar cartazes e painéis e outros tipos de arte em que expressem o conhecimento obtido;
 Confecção de brinquedos que permitam ao aluno explorar, aprender e entender melhor sobre os
assuntos abordados e que possa ser compartilhado com sua família;
 Desenvolver o gosto, respeito, conhecimento e manuseio de diversos materiais, expressar-se
livremente,
 Criar e construir com materiais não estruturados;
 Utilizar diferentes linguagens artísticas e materiais como: revistas, jornais, sucatas lã, barbante,
linhas, madeiras, algodão, garrafa e outros.

Linguagem Oral e escrita:

 Pesquisa junto aos familiares acerca da função das letras;


 Saber reconhecer a escrita do próprio nome e dos colegas;
 Jogos simbólicos;
 Jogos envolvendo o nome;
 Reconhecer a importância e os usos da leitura e escrita, através de histórias infantis;
 Propor situações de práticas leitoras com diferentes tipos de gêneros textuais;
 Brincadeiras que cooperativas que abordem valores;
 Participação em situações que as crianças leiam mesmo que não façam de maneira convencional,
escolher livros para ler;
 Utilização de histórias que abordem os assuntos trabalhados, utilizando poesias, letras de músicas;
 Realização da escrita das letras e números com diversos recursos;
 Roda de conversa sobre o conhecimento das letras e números, onde podemos encontra-los.
Matemática:

 Utilização de sucatas para confecção de jogos matemáticas, para trabalhar coordenação motora
fina;
 Atividades com números utilizando relógios para diferenciar o dia da noite;
 Classificação das cores, formas e tamanhos;
 Utilização da contagem oral na roda, realizando a contagem das crianças da sala;
 Identificar números, quantidades em receitas, uso do calendário, lista recorte e colagem dos
números;
 Utilizações de números do cotidiano como, por exemplo, conta de agua, luz, imas de farmácia e
gás entre outros;

Natureza e Sociedade:

 Estimular sentimentos bons como cooperação e união;


 Confeccionar cartazes, brincadeiras, jogos e canções a respeito de diversas culturas, exploração de
objetos diferentes;
 Cultura da família, brincadeiras tradicionais;
 Pesquisar acerca de diferentes profissões;

Movimento:

 Utilizar atividades recreativas como saltar, pular, andar em diferentes ritmos dançar, deitar, pular;
 Exploração do corpo desenvolvimento de gestos e manipulação de diversos objetos;
 Movimentos de rosca, encaixe e preensão;

Musica:

 Conhecer diferentes gêneros musicais;


 Conhecer o ritmo e elementos que compõe o som;
 Utilizar musica para abordar o tema a ser trabalhado;
 Perceber sons que ouvimos com frequência;
 Sensações que as músicas provocam em nós;

Artes:

 Atividade gráfica como desenhos, para pintura, recorte e colagem;


 Tinta, pincel, cola tesoura, papel de diferentes tipos, formas e cores;
 Utilização de revistas, jornais, sucatas lã, barbante, linhas, madeiras, algodão, garrafa e outros;
 Promover atividades lúdicas que promovam o interesse da criança;

INSTRUMENTOS E PRINCÍPIOS PARA A AVALIAÇÃO:

A avaliação será realizada, através da observação diária da criança, no desempenho de suas atividades, no
desenvolvimento da atenção e na relação com o grupo, através de registros escritos, por meio dos
portfólios e diário de bordo, atividades, fotos e vídeos, afim de apoiar a prática avaliativa.

Os relatórios de desenvolvimento individual, serão entregues aos pais nas reuniões que ocorrerão no
decorrer do ano letivo, conforme calendário.

PLANO DE ENSINO AG III F

PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS:

Professora: Ivanilda Garcia da Silva Gonçalves


Monitoras: Ana Marta e Silvana

Coordenadora: Camila Possari

Ano: 2018

CARACTERIZAÇÃO DA TURMA:

O agrupamento III F é composto por trinta e duas crianças com faixa etária entre 4 e 5 anos.

A turma escolheu como nome “Turma dos dinossauros” a escolha desse nome ocorreu por meio de
votação das crianças e o tema surgiu a partir do interesse das crianças, no momento em que as crianças
estavam folheando revistas para atividades, quando uma criança encontrou uma pata, começaram a
questionar “será que é de dinossauro? ” Um colega trouxe um pôster com vários dinossauros deixando as
crianças encantadas e ainda mais curiosos acerca desses animais.

ROTINA DIÁRIA:

 Entrada: recepção das crianças e organização de seus pertences;


 Higienização das mãos antes do café da manhã;
 Café da manhã,
 Higienização dos dentes após café;
 Roda de conversa;
 Atividades pedagógicas em sala de aula e em cantos externos da escola, relacionados ao tema do
projeto;
 Higienização das mãos antes do almoço;
 Almoço;
 Higienização dos dentes após o almoço;
 Sono;

Cantinhos e atividades externas:

 Biblioteca
 Musicalização
 Espaço Gourmet
 Brinquedoteca
 Vídeo
 Informática
 Parque de areia
 Campo de futebol.
 Horta
 Parede sensorial.
 Cantinho da Leitura
 Cantinho da Beleza/Fantasia
 Parede de azulejos: pintura
 Parede de Giz
 Ballet
 Capoeira
 Inglês

CONTEÚDOS:

ARTES VISUAIS:
 Desenhos dirigidos e espontâneos
 Recorte e colagem
 Pinturas diversas
 Leituras de imagens
 Técnicas artísticas

NATUREZA E SOCIEDADE:

 Moradia (habitat)
 Alimentação
 Respeito o meio ambiente
 Cultura brasileira
 Propor atividades que desenvolva sensibilidade, ritmo, o prazer de ouvirmúsicas;
 Conhecer diferentes gêneros musicais;
 Cantigas de roda;

MATEMÁTICA:

 Quantidades
 Cores
 Texturas
 Espessuras
 Tamanho
 Memória, concentração, atenção
 Formas

LINGUAGEM ORAL E ESCRITA:

 Letras do alfabeto
 Escrita e sua função social
 Reconhecimento e escrita das iniciais dos nomes das crianças;
 Conversas, diálogos, imitações, rimas e expressão de sentimentos, vivencias do cotidiano de cada
criança
 Observação e exploração nas atividades realizadas no dia a dia que envolvem leitura e escrita.
 Ampliação o vocabulário e a capacidade de comunicação.
 Leitura e exploração de diferentes portadores textuais (receitas, poemas, parlendas, jornais,
panfletos)
 Jogos cooperativos;
 Brincadeiras;
 Danças e músicas;
 Exploração de diferentes movimentos, gestos e coreografias;
 Desenvolver consciência corporal e de movimentação

IDENTIDADE E AUTONOMIA:

 Corpo humano
 Hábitos de higiene;
 Regras para convivência;
 Cuidado com pertences;
 Independência nas tarefas cotidianas;

OBJETIVO GERAL:

 Possibilitar por meios de pesquisas, brincadeiras, vivências e experiências a aquisição e


construção de novos conhecimentos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

 Utilizar diferentes recursos para o desenvolvimento do equilíbrio e coordenação motora.


 Utilizar do brincar e da ludicidade para a aquisição de novos conhecimentos;
 Promover a integração, socialização e autoestima;
 Utilizar a voz, o corpo e os instrumentos musicais e materiais sonoros para reproduzir, inventar e
criar imitações sonoras;
 Produzir trabalhos de arte, utilizando a linguagem do desenho, da pintura e da modelagem,
desenvolvendo gosto e respeito pelo processo de produção e criação;
 Ampliar gradativamente suas possibilidades de comunicação e expressão;
 Identificar seu nome escrito, bem como dos colegas, nas situações cotidianas;
 Conhecer as letras, e ampliar conhecimento acerca da função social da escrita
 Conhecer e respeitar as regras para uma maior socialização, através de critérios de cooperação.
 Deslocar-se com destreza progressiva desenvolvendo atitude de confiança nas próprias
capacidades motoras.
 Explorar e utilizar os movimentos de preensão, encaixe, lançamento, etc. para uso de objetos
diversos.

METODOLOGIA:

A metodologia de ensino está baseada em proporcionar e promover o bem-estar e o desenvolvimento


integral de cada criança com base no Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (RCN), Lei
de Diretrizes e Base da Educação Nacional (LDB) e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Através de temas que surgiram do interesse e curiosidade das crianças e sequências didáticas elaboradas
pelo professor, vamos explorar os conteúdos de forma a se relacionarem, construir e ampliar os
conhecimentos das crianças, partindo da observação do conhecimento prévio e almejando a participação
ativa das crianças e das famílias no decorrer do percurso.

Os educadores se tornam os mediadores do ensino dos alunos e não apenas os detentores do saber.
Estabelecendo uma boa relação com seus alunos, conseguimos administrar uma melhor forma de ensinar
e realizar a interação entre os conteúdos abordados e o interesse dos seus alunos, trazendo de forma lúdica
e prazerosa.

ESTRATÉGIAS:

- Levantar conhecimentos prévios das crianças;

- Documentar em um cartaz todas as informações obtidas;

- Realizar votação para a escolha do nome; utilizando o gráfico;

-Utilizar o corpo para fazermos as letras;

- Roda da Conversa;

- Filmes;

- Leitura de livros ;

- Dramatização da história (realizada pelas crianças);

- Utilização de músicas;
- Identificar as letras do alfabeto através de materiais diferenciados;

- Trabalhar com diversas cores;

- Trabalhar com a coordenação motora e montagem quebra – cabeças;

- Confeccionar jogos da memória com as crianças, para trabalhar lógica e raciocínio;

- Reconhecer os números de 0 a 10;

- Confeccionar cartazes;

- Realizar pinturas, utilizando diversas técnicas;

- Brincadeiras;

- Circuitos;

- Realizar aula passeio;

- Utilizar o datashow para mostrar vídeos;

- Realizar pesquisas junto a família

- Confeccionar cartazes com as documentações obtidas;

- Culinárias;

- Realizar plantação na horta;

- Falar sobre o cuidado com o meio ambiente;

-Trabalhar a velocidade e outros conceitos, no qual utilizaremos o campo para vivenciar através de
brincadeiras;

- Explorar diversos tipos de texturas;

- Dramatização;

- Expressão corporal;

- Descobrir sobre o corpo humano;

- Explorar a letra inicial do nome;

- Utilizar o alfabeto móvel para a escrita do nome;

- Jogos e brincadeiras;

- Música;

- Ritmo;

- Confecção de instrumentos musicais;

- Contação de história com livros e fantoches;


- Atividades com imagens;

- Cuidado com o mascote em casa;

- Atividade utilizando revistas;

- Confecção de brinquedos de sucata;

- Brincadeiras tradicionais;

INSTRUMENTOS E PRINCÍPIOS PARA A AVALIAÇÃO:

Será realizada por meios observação e registro, atividades individuais e em grupos, exposição de cartazes,
portfólio, jogos e registro como fotos e vídeos, relatórios em caderno sobre o desenvolvimento individual
das crianças e coletivo acerca das atividades realizadas.

Com objetivo de avaliar as práticas, acompanhar o desenvolvimento das crianças, de forma singular,
respeitando suas diferenças e heterogeneidade, relatando seus avanços e dificuldades, em relatório
individual semestral, que deverá ser entregue para as famílias nas reuniões de pais.

PLANO DE ENSINO ANUAL AGRUPAMENTO III G

PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS:

Professora: Fabiola Kelly Fonseca Soares


Monitoras: Joice Felix

Rosilene Santos
Coordenadora: Camila Possari

Ano: 2018

CARACTERIZAÇÃO DA TURMA:

O agrupamento III G, corresponde a crianças de 05 anos, sendo 16 meninas e 17 meninos, totalizando 33


crianças. O nome lúdico do Agrupamento é “Turma do Cachorro” essa escolha se deu a partir de
sugestões dada pelos alunos após um processo de votação, o mascote da turma foi confeccionado pelas
próprias crianças, o que facilitou a apropriação do mesmo, e seu nome “Pitchiwilly” também foi
escolhido por eles.

Rotina Diária:

 Recepção das crianças em roda com música e conversa para que os mesmos sintam-se acolhidos.
 Organização dos pertences da criança (retirada do caderno, caneca e lençol)
 Higiene: Lavar as mãos antes das refeições.
 Café da manhã: Incentivar a boa alimentação.
 Escovação e beber água.
 Atividades em sala de aula durante a roda: conversa, chamada, contagem das crianças, calendário,
rotina, música e história.

 Atividades lúdicas pedagógicas na sala de aula abordando o projeto em estudo.


 Almoço e Jantar: Estimular uma alimentação saudável e diversificada, oferecendo todo tipo de
alimento.
 Período de descanso: sono
 Biblioteca
 Musicalização
 Espaço Gourmet
 Brinquedoteca
 Vídeo
 Informática
 Parque de areia
 Campo de futebol.
 Horta
 Parede sensorial.
 Cantinho da Leitura
 Cantinho da Beleza/Fantasia
 Parede de azulejos: pintura
 Parede de Giz
 Ballet
 Capoeira

OBJETIVOS GERAIS:

 Explorar os diferentes conteúdos de forma interdisciplinar, ampliando as habilidades e os


conhecimentos prévios de cada criança, onde ela possa participar de forma ativa nesse processo,
bem como orientar e estimular os interesses das crianças e desenvolvê-las integralmente, nos
aspectos cognitivos, físicos, psíquicos, e sociais.

OBJETIVOS ESPECíFICOS:

 Desenvolver a imagem positiva da criança em relação a si mesmo e estimular o crescimento


saudável e gradativo no que se refere a maturação fisiológica e emocional, respeitando o tempo de
cada um;
 Conhecer as preferências e diferenças de cada criança e cultura e estimular o respeito a elas;
 Desenvolver a autoestima e valorização do convívio social;
 Estimular o desenvolvimento dos valores humanos e sociais;
 Estimular a capacidade de resolução de conflitos através do diálogo;
 Construir a cidadania e o senso de relacionamento intra e interpessoal;
 Construir coletivamente regras que estabeleçam relações harmoniosas entre os alunos e entre
alunos e educadores, bem como com os demais funcionários da instituição e estimular o respeito a
essas normas;
 Valorizar e utilizar o diálogo como forma de solucionar e esclarecer conflitos e tomada de
decisões;
 Incentivar a capacidade de ouvir;
 Ser capaz de expressar sentimentos por meio da fala e de produções artísticas;
 Apropriação, identificação e escrita de seu nome e dos colegas;
 Identificar a primeira letra do seu nome em diferentes contexto e situações;
 Identificar, nomear e diferenciar as letras;
 Reconhecer número e quantidade;
 Diferenciar letras e números;
 Diferenciar letras e desenho;
 Reconhecer as formas geométricas;
 Perceber diferentes sons, ritmos e gêneros musicais;
 Estimular o brincar e todas suas possibilidades;
 Ampliar de forma gradativa as diversas possibilidades de comunicação e expressão (oral, corporal,
gestual, entre outras);
 Ampliar o conhecimento de mundo e cultura, através de suas próprias produções, dos amigos e de
outros artistas ao qual tenham contato;
 Estimular o desenvolvimento por meio de dinâmicas, encenações e diferentes ritmos;
 Proporcionar a oportunidade de escolha e construção de hipóteses;
 Orientar e estimular o zelo do ambiente escolar e bens comuns;
 Explorar as diversas possibilidades de criação a partir de elementos naturais e não estruturados;
 Instigar a criatividade, a imaginação e o faz de conta;
 Estimular a percepção visual, tátil e auditiva;
 Estabelecer ligação e diferenciação entre o mundo real e o imaginário.

CONTEÚDOS:
- Linguagem, comunicação, fala.

- Cultura regional e produções artíticas

- Coordenação motora global e fina

- Diversidade cultural

- Autoestima

- Cooperatividade e respeito

- Corpo humano;

- Numerais e quantidades;

- Letras;

- Movimentos, danças e gestos;

- Sons, músicas e cantigas.

- Diferentes gêneros textuais

- Cores e formas;

- Valores morais;

- Noção espacial e temporal,

- Animais e plantas

MEDODOLOGIA:

Pautado na Base Nacional Comum Curricular, este planejamento anual de Ensino visa estimular o
desenvolvimento integral e ampliar a capacidade de comunicação por meio da Pedagogia de Projeto, uma
metodologia destinada a tornar o processo de aprendizagem mais atrativo, pois parte da escuta de
interesse dos alunos.

O planejamento é realizado mensalmente levando em consideração o Projeto Pedagógicoda entidade, o


planejamento anual da turma e as necessidades e interesses das crianças.Para desenvolver com a criança o
conceito do autoconhecimento, das relações interpessoais, o sentimento de pertença familiar e o resgate
de sua cultura, a preservação com elementos naturais e o encantamento através das brincadeiras bem
como, a coordenação motora e orientação espaço-temporal, despertando nela o interesse por estímulos
sonoros, visuais e auditivos, agindo diretamente na invenção e no imaginário da criança.

O estimulo da fala, expressão e comunicação será através de músicas, roda da conversa, contos e histórias
pequenas que despertem a fantasia da criança e em cantos de atividades diversificadas como: leitura,
pintura, fantasia e beleza, culinária e horta, musica, informática e oficinas de ballet e capoeira,
incentivando a memorização e gestos, esperando que a criança amplie gradativamente o seu vocabulário.

O projeto tem a intenção de criar na criança as competências e a contemplação dos campos de


experiências previstos pela BNCC para a faixa etária de crianças pequenas, designada no documento
como de (4 a 5 anos e 11 meses). O objetivo é a interdisciplinaridade dentro do plano de trabalho,
explorando de forma significativa, prazerosa, proporcionando diferentes vivências e experiências.

Estratégias:

- Reconhecer-se pelo nome, através do crachá;

- Mostrar a importância de ser chamado pelo nome e chamar os amigos também;

- Brincadeiras que remetam ao conhecimento do seu próprio nome e dos colegas;

-Apresentação do nome da turma para as outras turmas;

-Reconhecer regras através de brincadeiras.

- Jogos que envolvam equilíbrio, lateralidade, pular em um pé só, pular nos dois pés;

- Brincadeiras de roda pertinentes com o tema abordado;

- Jogos e brincadeiras aprimorando movimentos como saltar, pular, arrastar, rolar, entre outros;

- Percepção das sensações, limites, sinais vitais e integridade do próprio corpo;

- Identificar sons realizados com o próprio corpo e com outros materiais;

- Conhecer a diversidade de instrumentos usados na festa do Carnaval;

- Expressar e produzir sons com a voz, com o corpo e com objetos diversos;

- Reproduzir oralmente as músicas que já são conhecidas e aprendidas a fim de estimular a memória
auditiva e ampliar o universo musical;

- Interpretação de música e canções diversas relacionadas ao tema trabalhado;

- Participação em jogos e brincadeiras que envolvam a dança e a música;

- Recorte, colagem e pintura;

- Conhecimento de cores;

- Montar cartazes e painéis e outros tipos de arte em que expressem o conhecimento obtido;

- Filmes e vídeos sobre o tema trabalhado;

-Contação de histórias com livros e fantoches que abordam o assunto tratado;

- Perceber a linguagem como meio de comunicação, para desenvolver a imaginação, a criatividade, a


socialização e a organização de ideias;
- Formular, de acordo com a curiosidade e com o contexto, perguntas e respostas coerentes ao assunto
abordado;
- Explorar possibilidades do fazer com nosso corpo, pensamento e vontade;

- Descrever características aproximadas de personagens e cenas das histórias;

- Interesse e criação de leitura de histórias, brincadeiras, faz de conta, representando papéis;

- Desenvolver o gosto, respeito, conhecimento e manuseio de diversos materiais, expressar-se livremente,


desenvolver a criatividade e construção com materiais não estruturados.

- Identificar sua idade e a dos amigos;


- Perceber a maneira correta de utilização de alguns objetos do seu cotidiano, reconhecendo assim a sua
finalidade no meio social;

- Utilização da contagem oral na roda, realizando a contagem das crianças da sala;

- Identificar a quantidade de letras que cada nome contém.

- Construção coletiva de regras para boa convivência no ambiente escolar;

- Reforçar a importância de cumprir com as regras estabelecidas para um relacionamento saudável;

- Estimular a solidariedade para que as crianças entendam a importância de ajudar ao próximo;

- O respeito ao próximo, valorizar a família e a amizade entre as crianças e as crianças e o adulto;

- Permitir que as crianças entrem em consenso e escolham um ambiente dentro da escola para que possam
zelar pela conservação do espaço durante a semana;

- Vivenciar os valores aprendidos no cotidiano com os amigos e educadores;

- Visitar uma instituição para crianças ou idosos, levar doações e vivenciar os valores aprendidos.

- Desenvolver brincadeiras que demonstrem condutas e valores;

- Propor momentos de relaxamento;

- Encenação de histórias trabalhadas em sala de aula;

- Mostrar o que podemos fazer de bom para o outro usando as mãos;

- Construção e brincadeira com jogos diversos;

- Desenhar a silhueta das crianças e pedir para que preencham como se veem;

- Utilizar o espelho dentro de uma caixa para observação de sí mesmo;

- Dramatização de histórias;

- Trabalhar socialização e interação entre as crianças através de brincadeiras.

- Conhecer diversos ritmos brasileiros;

- Identificação sonora a partir de artigos artesanais;

- Sensações que as músicas provocam em nós;


- Confecção de fantasias e outras produções artisticas;

- Promover atividades gráficas e lúdicas que promovam o interesse da criança no tema trabalhado;

- Mostra de imagens e figuras que envolvam os temas trabalhados;

- Produções realizadas com diversos tipos de materiais como: tinta, giz de cera, lápis de cor, gliter;
algodão, entre outros;

- Recorte e colagem;

- Atividades diversas que coloquem as crianças em contato com um mundo letrado;

- Confecção de cartazes, brinquedos e outros relacionados ao tema trabalhado;

- Propor situações de práticas leitoras com diferentes tipos de gêneros textuais;

- Brincadeiras que abordem a cooperação e o respeito;

- Expressar sentimentos de forma verbal;

- Estabelecer relações espaciais, percebendo a posição de objetos e de outras pessoas em relação a si


próprio;

- Oficina artesanal em conjunto as famílias;

- A “Hora do conto”, apresentação de histórias trabalhadas para as outras turmas;

- Explorar para que os próprios alunos façam sua contação criando suas histórias;

- Passeio de interação entre família/escola.

- Sorteio de letras para trabalhar o alfabeto móvel;

- Construção de brinquedos com materiais recicláveis e outros materiais;

- Realização de culinária com foco na quantidade de ingredientes;

- Contagem regressiva para a festa, identificando quantos dias faltam para a mesma;

- Trabalhar a relação de números e quantidades utilizando o calendário;

- Sequencia e relacionamento de fatos;

- Participar de atividades em outros ambientes fora da sala de aula;

- Estimular a resolução de conflitos através de conversas e a autoregulação.

Instrumentos e princípios para avaliação:

A avaliação segue as premissas dadas pelo Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil que
diz que “A avaliação deve buscar entender o processo de cada criança, a significação que cada trabalho
comporta, afastando julgamentos, como feio ou bonito, certo ou errado, que utilizados dessa maneira em
nada auxiliam o processo educativo” (1998, p. 112).

Avaliação será contínua, pois observarei o processo de aprendizagem e o desenvolvimento das


dificuldades reais das crianças, verificando as superações. Formativa, uma vez que se pauta na formação
da criança. Cumulativa e diversificada, pois a avaliação estará posta em todos os procedimentos e
momentos de atividade, tal qual o projeto e suas características.

Para tanto, através da observação diária da criança, no desempenho de suas atividades, no


desenvolvimento da atenção e na relação com o grupo, realizarei o registro das avaliações do
desenvolvimento coletiva e individual, registros quinzenais, bem como os trabalhos em folhas que farão
parte do portfólio das crianças a fim de apoiar a prática avaliativa.

O instrumento de avaliação será ficha de avaliativa que será entregue aos pais nas reuniões que ocorreram
no decorrer do ano letivo, registros, portfólios, caderno de registro de desenvolvimento individual,
relatório das estratégias (quinzenal) e fotos.

REFERENCIAS

CÓRIA-SABINI, Maria Aparecida; OLIVEIRA, Valdir Kessamiguiemonde. Construindo Valores na


Escola. Campinas, SP: Papirus, 2002.

FERREIRO, Emília. Psicogênese da Língua Escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: paz e
Terra, 2007.

BRASIL, referencial curricular nacional para educação infantil volume 3, 2011.

BRASIL, base nacional comum curricular, 2017.

4.10 - Plano de trabalho do pedagogo de Educação Especial, contendo: objetivos, ações diretas com a
criança público-alvo, ações junto ao professor, intervenções com a turma, metodologia, recursos e
materiais; princípios e instrumentos de avaliação.

Casa da Criança Vovô Nestor

Plano de trabalho da Educação Especial

2018

Professora: Milene Goes

O professor de Educação Especial possui conhecimento legal e histórico para posicionar o professor de
sala comum quanto ao trabalho em meio à diversidade, facilitando desta forma, o processo de
aprendizagem dos alunos público alvo desta modalidade. Este profissional promove não só o
estreitamento na relação professor-aluno, quanto trabalha para que Educadores ampliem seu olhar para
cada um de seus aprendizes de forma individual, destacando sempre suas competências e nunca suas
limitações.

O pedagogo com formação em Educação Especial acompanha o aluno na sala de aula e demais espaços
educacionais, em conjunto com o professor regente, de acordo com horários pré estabelecidos com a
equipe gestora. Colabora com a formação continuada da Equipe da UE, participa de reuniões com órgãos
de serviços especializados, viabiliza parcerias com rede de serviços, famílias e comunidade. O papel do
profissional da área da Educação Especial é também intervir nas atividades que o aluno ainda não tem
autonomia para desenvolver sozinho, ajudando a criança a sentir-se capaz de realizá-las, selecionando
procedimentos de ensino e apoio para compartilhar, confrontar e resolver conflitos cognitivos.

Como estratégia para que o trabalho seja de excelência, ele deve ser baseado em uma parceria entre o
professor de Educação Especial e o Professor de sala regular. É de fundamental importância estreitar as
relações de todos os funcionários e garantir o envolvimento de todos no ambiente escolar para uma
inclusão efetiva. E por fim, ressaltar que a família tem papel imprescindível para que este trabalho
caminhe de forma harmoniosa em busca de um objetivo maior, que é o desenvolvimento global das
crianças incluídas nesta Unidade Escolar.

PÚBLICO-ALVO

A fim de estreitar relações e pensando sempre no desenvolvimento total das habilidades de cada aluno, é
estabelecida uma atuação colaborativa com os profissionais que atuam com as crianças público alvo de
Educação Especial nas instituições fora do âmbito escolar. Segue abaixo relação de alunos que já
possuem um CID indicando uma deficiência e os alunos que ainda estão em processo de avaliação, para
seguimento nos atendimentos e encaminhamentos para serviços na área da saúde.

QUANTIDAD AGRUPAMENT ÓRGÃO


DEFICIÊNCIA INICIAIS
E O EXTERNO

MICROCEFALIA 01 AGIII A APAE/PUCC D MASCULINO

BAIXA VISÃO 01 AGIII B CAIS R FEMININO

DEFICIÊNCIA
01 AGIII F APAE R FEMININO
INTELECTUAL

AGII B CAPS’I T FEMININO


TEA 02
AGIII G ADACAMP A FEMININO

SUSPEITA DE TEA
01 AGIII C - L MASCULINO
(EM INVESTIGAÇÃO)

Sabendo da necessidade de uma equipe Multidisciplinar para apoio e orientação em relação ao


desenvolvimento dos alunos com deficiência matriculados nessa UE, acompanhamos as instituições e as
famílias para garantir-lhes o direito ao atendimento.

INICIAIS ATENDIMENTOS ESPECILIZADOS

D Estimulação Precoce: Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Pedagoga Especialista; PUCC


MASCULINO – acompanhamento fonoaudiológico, Otorrino e oftalmológico.

Pedagoga Especialista, fonoaudióloga, Pedagoga responsável por orientação e


R FEMININO
mobilidade.

R FEMININO

T FEMININO Médico Neurologista, Psicologia, Terapia Ocupacional

A FEMININO

L
Sem acompanhamento até o momento
MASCULINO
Existem ainda alguns apontamentos de suspeitas de atrasos no desenvolvimento, de linguagem e
comportamentos inadequados que serão investigados e encaminhados para setores responsáveis nos
âmbitos de saúde e seus respectivos serviços.

Destaco que caso alguma criança ao longo do ano letivo apresente alguma necessidade, olhar ou
avaliação especializada, na própria escola ou fora, mesmo que ainda não tenha um laudo médico, este terá
o acompanhamento do professor de Educação Especial, assim como descrito na LDBN N 9394-96, artigo
58

METODOLOGIA

Consiste em desenvolver um trabalho de observação, investigação e intervenção diretamente com o aluno,


em sala de aula e demais espaços da escola, a fim de instrumentalizar a inclusão dos alunos com
deficiências.

Todas as atividades a serem desenvolvidas em sala, visando à participação dos alunos de forma integral,
deverão ser planejadas pela professora e/ou monitora regentes de sala. Caso necessário o auxílio da
professora de Educação Especial, esta, estará à disposição para adaptações e ajustes, oferecendo assim
recursos facilitadores para o processo ensino-aprendizagem das crianças em questão.

Pensando em um plano de ação adequado, que busca alternativas educacionais adaptadas para atender os
alunos com Necessidades Educacionais Especiais e/ou Deficiência, oportunizando direitos e equidade de
condições para o pleno desenvolvimento de suas habilidades, destacamos o estimulo de algumas
habilidades:

INICIAIS ESTÍMULOS

Coordenação motora global e praxia fina;


D MASCULINO
Estimular o desenvolvimento de linguagem oral;

Promover autonomia e independência


R FEMININO
Desenvolvimento cognitivo: memória, atenção concentração

R FEMININO

Proporcionar um ambiente estruturado e previsível, permitindo consistência e


clareza;
T FEMININO
Reduzir ansiedade,para prevenir comportamentos inadequados

A FEMININO

Proporcionar um ambiente estruturado e previsível, permitindo consistência e


clareza;
L MASCULINO
Reduzir ansiedade, para prevenir comportamentos inadequados.

OBJETIVOS GERAIS

 Garantir a participação, aprendizagem e continuidade no processo ensino-aprendizagem;


 Promover acessibilidade arquitetônica, nos mobiliários (se necessário), na comunicação e
informação;
 Estimular a participação e envolvimento das famílias e comunidade;
 Encaminhar e acompanhar os casos de alunos que ainda não possuem laudos à seus serviços,
tendo em vista que necessitam de apoio Multidisciplinar para o desenvolvimento de suas
habilidades;

INTERVENÇÕES E AÇÕES COM A TURMA

Segundo MANTOAN, a escola prepara o futuro e, de certo que, se as crianças aprenderem a valorizar e a
conviver com as diferenças nas salas de aula, serão adultos bem diferentes de nós, que temos de nos
empenhar tanto para entender e viver a experiência da inclusão.

Pensando nisso a professora de Educação Especial deve promover momentos onde os alunos possam
desenvolver habilidades de escuta, respeito aos colegas em sua individualidade, colaboração na
construção de uma sociedade mais solidária. Incentivar a cooperação e aprender a conviver na
diversidade.

Sempre em parceria com a professora de sala comum construir materiais pedagógicos adaptados para
colaborar no processo ensino-aprendizagem dos alunos publico alvo da modalidade da Educação Especial

RECURSOS E MATERIAIS

Já falamos anteriormente sobre a importância de não considerar como foco as dificuldades dos alunos
com Necessidades Educacionais Especiais e planejar o trabalho baseado em seus interesses e suas
potencialidades.

Pensando que o desenvolvimento de suas capacidades está diretamente ligada as experiências vividas e ao
ambiente, podemos dizer que a utilização de jogos e brincadeiras auxiliam muito no desenvolvimento das
áreas de comunicação, desempenho motor, cognição e interação, principalmente na primeira infância.

Portando é papel do profissional da Educação Especial incentivar estes momentos nos planejamentos das
atividades de sala comum, para favorecer o desenvolvimento de todas as crianças, garantido que todos,
sem exceção, participem ativamente destas atividades, facilitando e adaptando para aqueles que
apresentem determinada dificuldade.

Os materias pedagógicos adaptados também facilitam a aprendizagem destes alunos, e pode ser
confeccionados com a própria turma, com material reciclado, por exemplo.

Serão utilizados ainda pela professora de Educação Especial materiais já disponíveis na escola, como:
cola, tesoura, lápis de cor, giz de cera, massinha de modelar, papéis coloridos, canetinhas, revistas, papel
contact, régua, velcro, livros de literatura infantil, livros adaptados, entre outros.

PRINCÍPIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

Serão realizados registros e observações (parecer pedagógico) a fim de acompanhar o desempenho e


desenvolvimento dos alunos.

Anamnese com a intenção de levantar dados para investigação e possíveis encaminhamentos, a fim de
contribuir com o bom desenvolvimento de cada criança;

Avaliação continua e formativa, através de visitas e trocas com profissionais do atendimento


especializado, documentações como: registro coletivo e individual, fotos e portfólio.

Milene Goes Santos

Pedagoga em Educação Especial


5 - COMPROMISSOS DA UNIDADE EDUCACIONAL.

5.1 - Quadro com Plano de Ação, contendo: problemas identificados; prioridades estabelecidas; metas
definidas; ações para cumprimento das metas; responsáveis pelas ações; indicadores para
monitoramento das ações e cronograma das ações planejadas

Indicadores
Problemas Ações para o Cronograma
Prioridades Metas Responsáveis para o
Identificado cumprimento das ações
Estabelecidas definidas pelas ações monitorament
s das metas planejadas
o das ações

1 . Planejar
como será
1
realizada a 1. Diretora
1.Compra de .Revitalização
horta e Educacional
1.Revitalizaç mudas de da horta
1. Falta de definido seu
ão dos plantas.
uma horta plantio. 2.Equipe de 1. Até Abril
canteiros, 2. Ações
para plantio, apoio
2. Preparo da pedagógicas
cuidado e 2 . Explorar 2. Durante
2. Plantio na terra. envolvendo
colheita das com as 3.Coord. todo o ano
horta com as cuidado com a
crianças crianças a Pedagógica,
turmas. 3. Plantio com horta e
importância professoras, e
as crianças; consumo das
do meio crianças
hortaliças.
ambiente e o
cuidado.

1.Colocar
1.Colocar
internet nos
internet nos
computadores
computador
e jogos
es e jogos
adequados 1.Diretoria e
1. Utilizar a adequados
para a faixa diretora 1. Utilizar a
sala em seu para a faixa
etária. Educacional sala sem
todo para etária.
atrapalhar o
realização de 1. Até Maio
2. Aquisição de 2.Diretoria e andamento da
2. atividades 2. Colocar
cadeiras diretora turma do AG
Dificuldade pedagógicas. cadeiras 2. Até Maio
Educacional III G.
no uso da
3. Aquisição e
sala de 2. Adequar o 3. Colocar 3. Até Maio
instalação de 3.Diretoria e 2. Ações
informática mobiliário. porta para
porta para diretora pedagógicas
separar a sala 4. Até Maio
separar a sala Educacional envolvendo uso
3. Colocar do AG III G
do AG III G da sala de
porta de
4.Coord. Informática.
correr. 4. Capacitar
4. Capacitação Pedagógica
as monitoras
para as
para
monitoras para
direcionar as
direcionar as
aulas.
aulas.

3.Dificuldad 1. Utilizar a 1. Utilizar a 1. Planejar o 1.Coord. 1. Utilizar a 1. Até


e no uso da sala em seu sala em seu uso da sala, Pedagógica, sala sem Março
sala de vídeo todo, para todo, para para assistir a professoras, atrapalhar na
apoio apoio vídeos com monitoras rotina da 2. Até Março
pedagógico. pedagógico. intencionalida 2.Diretoria e turma do AG
des diretora III F, Com
pedagógicas.
2. Aquisição
2. Aquisição de espaço maior.
de outro Educacional
outro aparelho
aparelho
DVD. 2. Ações
DVD. 3.Diretoria,
pedagógicas 3. Até Março
diretora e
3. Mudança do envolvendo uso
3. Mudança equipe de
local da sala, da sala de
do local da apoio.
para melhor vídeo.
sala.
aproveitamento
do espaço.

1. Espaço
4. Falta de 1.Propiciar
estruturado e
espaço para mais espaços
1.Solicitar coberto para o
realizar cobertos para 1.Cobertura 1.Diretoria e 1. Até
junto à desenvolvimen
atividades realização do Pátio 2 diretora Dezembro
diretoria. to de
nos dias de das ações
atividades
chuva. pedagógicas.
externas.

6 - QUADRO CONTENDO O PLANO FINANCEIRO COM PREVISÃO DE INVESTIMENTOS


PARA AQUISIÇÕES,MANUTENÇÕES, ETC.

Detalhamento do Plano de Aplicação

A Casa da Criança Vovô Nestor, associação civil sem fins lucrativos, situada a Rua Pedro Braga, 130,
Parque Itália – Campinas, inscrita no CNPJ nº 48.188.015/0001-51, informa que realiza as suas compras e
contratações necessárias à execução das atividades desenvolvidas, de forma centralizada pela sua área
administrativa/Financeira, subordinada a Diretoria da entidade.

Os princípios da impessoalidade, moralidade, eficiência, publicidade e economicidade, previstas na Lei


8.666/93, estão presentes em todas as compras e contratações que houver a utilização de recursos
públicos, obedecendo às determinações e especificidades de cada convênio/ajuste formalizado com o
poder público.

As compras e/ou serviços deverão são precedidos de:

I. Requisição de compras;

II. Seleção de empresas idôneas e independentes (não pertencentes ao mesmo grupo);

III. Solicitação de, no mínimo, 03 orçamentos para todos os itens (independentemente do valor),
preferencialmente em papel timbrado do fornecedor para comprovar o menor preço de mercado;

IV. Apuração da melhor oferta, através de planilha comparativa de preços;

V. Emissão do pedido de compra e/ou contratação.

O processo de compra e/ou contratação de serviço é iniciado após o recebimento da Requisição de


compras, precedida de constatação pela Direção da Instituição que o item e a quantidade solicitada
correspondem à necessidade da casa.

As compras e/ou contratações são caracterizadas como ROTINA ou URGÊNCIA, conforme descrição a
seguir:
I. ROTINA: Toda e qualquer despesa passível de planejamento das etapas de execução, previsão
orçamentária e recebimento do item ou serviço em tempo hábil para que não ocorra prejuízo ao objeto
pactuado.

II. URGÊNCIA: Toda e qualquer despesa classificadas como de força maior, decorrente de fato
imprevisível, inevitável e estranho a vontade das partes, que possa gerar prejuízo ou comprometer a
segurança de pessoas.

Para as compras e/ou contratações de ROTINA, a entidade:

I. Seleciona empresas idôneas e independentes (não pertencentes ao mesmo grupo) que participarão da
concorrência de preço;

II. Orça os produtos e serviços com mesma especificidade e quantidade, considerando a qualidade
necessária ao bom desempenho do objeto do convênio;

III. Solicita no mínimo 03 orçamentos para todos os itens, preferencialmente em papel timbrado do
fornecedor;

IV. Planilha todos os custos apresentados, destacando o menor custo global (mesmo que neste esteja
inserido valores com frete);

Para as compras e/ou contratações de URGÊNCIA, a entidade:

I. Emite justificativa por escrito, assinada pelo presidente da Instituição que demonstre as implicações que
a falta do serviço ou produto acarretará ao objeto do convênio firmado com o Poder Público.

II. Orça com apenas um fornecedor, preferencialmente em papel timbrado do fornecedor;

III. analisa a especificidade do produto ou serviço; e

IV. No caso de contratação de serviço, assegura o prazo de garantia e a reposição de peças (quando for o
caso);

Outras considerações e premissas inerentes aos processos de compras e contratações de serviços:

I. Deverão ser orçados os produtos e serviços com a mesma especificidade e quantidade;

II. Quando o produto ou serviço NÃO for passível de cotação em função de exclusividade de
comercialização, deverá ser apresentado a Diretoria da Instituição o atestado de exclusividade do
produto/fornecedor;

III. Orçamentos pela Internet: Somente serão válidos se realizados em sites confiáveis, contemplando o
valor do frete e com o endereço eletrônico visível;

IV. Orçamento de transportes de alunos deverá constar o destino da Atividade Pedagógica e o número de
alunos transportados;

V. Os contratos firmados pela Instituição, para aquisição de produtos e/ou contratação de serviços,
deverão obrigatoriamente conter as informações a seguir:

 Dados completos do Fornecedor como razão social, endereço, CNPJ, etc;


 Dados pessoais do representante legal da empresa contratada - CPF e RG;
 Objeto do Contrato;
 Descrição completa do produto ou serviço;
 Condições de fornecimento ou prestação de serviços;
 Periodicidade do fornecimento ou prestação de serviços;
 Valor Unitário e Valor Total;
 Local de entrega ou da prestação de serviço;
 Período de início e fim da vigência do contrato;

Sobre o recebimento dos produtos e serviços pagos com recursos públicos informamos que:

I. Todos os produtos e serviços pagos com recursos públicos necessariamente serão recebidos por uma
comissão recebedora composta de no mínimo 03 (três) funcionários da Instituição;

II. Consta no verso dos documentos fiscais de serviços e produtos, pagos com recursos públicos, a
aprovação de no mínimo 03 (três) membros da Comissão Recebedora com nome legível, RG, CPF,
Cargo, assinatura e a data do recebimento.

III. Anualmente a Instituição designa 03 (três) funcionários para compor a comissão recebedora de
produtos e serviços, através de declaração datada e assinada pelo seu Presidente, contendo:

 A finalidade da Comissão Recebedora;


 Nome, cargo, RG e CPF dos funcionários designados para compor a Comissão Recebedora;
 Período de vigência da nomeação dos membros da Comissão Recebedora; e
 Havendo alteração dos membros da Comissão Recebedora, deverá ser emitida nova declaração
nos moldes acima descritos.
 Estão dispensadas da aprovação da Comissão Recebedora as contas de Consumo e benefícios
trabalhistas, desde que aceitos no convênio/ajuste formalizado

Os documentos fiscais comprobatórios de utilização de recursos públicos são:

I. Nota fiscal Formulário ou Eletrônica de acordo com a natureza da despesa <VENDA> ou <SERVIÇO>
sem rasuras;

II. Nota Fiscal Eletrônica com certificação de autenticidade através de consulta no site
www.nfe.fazenda.gov.br/;

III. Fatura de Serviços sem rasuras acompanhados do espelho da fatura, onde constem os serviços
utilizados/prestados;

IV. Recibo que contenha a descrição da despesa e a relação nominal dos beneficiados/funcionários (Ex.
transporte coletivo - TRANSURC);

Para os pagamentos efetuados com Recursos Públicos:

I. Todos os pagamentos realizados com recursos públicos devem ocorrer exclusivamente na conta
vinculada ao convênio, através de cheque ou transferência bancária.

II. Todo o cheque vinculado à conta do convênio ao ser emitido deverá ser fotocopiado, não sendo válido
impresso de papelaria;

III. Todos os cheques e transferências bancárias devem ser nominais ao favorecido, seja ele prestador de
serviço, funcionário, etc.

Para a seleção e contratação de pessoal a Entidade:

I. Realiza o recrutamento dos colaboradores internamente pelo Diretor Educacional da entidade e se


organizam da seguinte maneira:
 Busca de currículos recebimentos durante o ano e arquivados na entidade;
 Publicação da vaga em site de emprego e site do Poupatempo;
 Divulgação em mural da entidade da vaga;
 Solicitação de currículos junto a FEAC.

II. Analisa os currículos conforme o perfil da vaga seguindo os seguintes critérios:

 Avaliação da organização do currículo;


 O tempo de serviço e experiência na profissão;
 Formação acadêmica (quando necessária);
 Habilidades desenvolvidas no decurso da sua atuação profissional.

III. Compõe o perfil profissional do recrutador:

 Formação superior completa;


 Capacidade de planejar e executar um programa de contratação que envolva todas as etapas do
processo seletivo;
 Possui visão sistêmica da organização interna e externamente, conhecendo a cultura
organizacional e suas ramificações;
 Identifica o perfil do gestor que irá atuar diretamente com o candidato, o ambiente de trabalho e
seus colegas diretos;
 Atualiza-se frequentemente sobre dinâmicas de seleção e contratação de pessoal;
 Tem experiência no terceiro setor.

IV. Os requisitos exigidos do profissional a ser contratado são:

 Formação Acadêmica compatível com a função (quando necessário);


 Experiência na função comprovada na carteira profissional;
 Gostar de trabalhar na educação infantil (crianças);
 Possuir habilidades como: proatividade, assertividade, bom relacionamento interpessoal, entre
outros;
 Desejável experiência em função similar exercida no terceiro setor;
 Interesse em formação continuada.

V. Sobre a metodologia aplicada na seleção, entendemos que são próprias para cada segmento e a
interação entre eles, seguem alguns exemplos:

 Responder questionário com perguntas sobre formas de atuação na dinâmica de sala da aula
(disciplina/ensino-aprendizagem/relacionamento);
 Entrevista com a (o) psicóloga (o);
 Participação em uma dinâmica de grupo com a psicóloga;
 Laboratório de vivência de uma aula em grupo com o tema sugerido.

VI. As entrevistas são realizadas pelo administrativo da entidade, pela psicóloga (o) ou pela diretora
educacional conforme o tipo de profissional que está sendo selecionado. As etapas da entrevista são
realizadas da seguinte forma:

 Atendimento individual;
 Diálogo sobre a experiência profissional: o que desenvolvia na função? Como avalia a sua
contribuição no antigo trabalho?
 Explicações sobre a saída do antigo trabalho e sobre o último salário;
 Reflexão sobre as respostas do questionário;
 Falar sobre os seus pontos positivos e negativos;
 Elaboração de três desenhos, aplicados pela (o) psicóloga (o).
VII. A contratação de pessoal, após todas as etapas de recrutamento, ocorre nas seguintes etapas:

 Informação aos candidatos o resultado do processo seletivo;


 Entrega de ficha ao funcionário, onde consta a relação dos documentos admissionais e local para
realização do exame médico admissional;
 Recebimento dos documentos para admissão com antecedência de uma semana;
 Apresentação do novo colaborador a todos os funcionários e integração na equipe de trabalho;
 Acompanhamento permanente na primeira semana de atividades, na rotina e no relacionamento
interpessoal.

Detalhamento dos gastos previstos para execução do Termo de Colaboração de acordo com o Plano de
Aplicação:

RECURSOS HUMANOS – CUSTOS MENSAIS

CARGO SALÁRIO BENEFÍCIOS ENCARGOS

Diretor Educacional R$ 5.659,53 R$ 108,00 R$ 1.952,54

Vice-Diretor Educacional R$ 4.150,00 R$ 108,00 R$ 1.431,75

Orientador Pedagógico R$ 3.961,64 R$ 108,00 R$ 1.366,77

Professores (16 col.) R$ 30.663,04 R$ 1.728,00 R$ 10.578,75

Agente de Educação Infantil/Monitor (30


R$ 61.996,50 R$ 3.240,00 R$ 21.388,79
col.)

Servente ou Aux. Serviços Gerais (5 col.) R$ 8.489,25 R$ 540,00 R$ 2.928,79

Cozinheira (2 col.) R$ 3.820,98 R$ 216,00 R$ 1.317,99

Auxiliar de Cozinha (3 col.) R$ 5.093,55 R$ 324,00 R$ 1.757,27

Assistente Administrativo (2 col.) R$ 3.961,62 R$ 216,00 R$ 1.366,76

TOTAL R$ 127.796,11 R$ 6.588,00 R$ 44.089,41

MATERIAL DE CONSUMO

Material Pedagógico Material de Limpeza Serviços

Jornais/Revistas Cândida Serviços de copiadora

Livros Papel higiênico Suprimento de Gás

Brinquedos Pedagógicos Papel toalha Manutenção de Edifício

Painéis de parede(chamadinha-
Desinfetante Manutenção de Extintores
numeros-letras, etc)
Cones Cloro Serviço de Contabilidade

Papel toalha branca para


Bolas Serviços de detetização
cozinha

Cordas Alccol gel 70° Serviços de Brinquedos Infláveis

Material de informática Alcool Serviço de Chaveiro

Papel sulfite Sabonete liquido Taxa de Lixo

Papel canson Sabonete em pedra Seguro do imóvel

Papel fotografia Sabão em pedra Água

Papel camurça Vassoura Energia Elétrica

Papel color set Rodo Telefone

Papel cartão Esfregão Serviço de confecção de uniformes

Papel seda Esponja de aço Serviços de frete

Papel cartolina Esponja Serviços de transporte

Manutenção de Equip.de
Placa de EVA Roxinho
Informática

Tapete de EVA Limpa pedra Manutenção Máquina de Lavar

TNT Limpador de Veja Manutenção da coifa

Lápis de cor Saco para lixo Manutenção de Liquidificador

Guache Bobina de plástico Manutenção de fogão

Canetinha Bom ar Manutenção de Geladeira

Lápis preto Pastilha adesiva Manutenção de Bebedouro

Borracha Purificador de Ar Manutenção de VAP

Manutenção de microfone/caixa de
Cola Sabão em pó
som/rádio

Manutenção de cartão de ponto


Caneta Pano de chão
digital
Fita de cetim Balde Plástico

Tecido diversos Refil de rodo

Tinta spray cores Lustra móveis

Cola pano acrilex Luva de borracha

Cola quente Touca Descartável

Pistola de cola quente Luva descartável

Tule

Velas coloridas

Algodão de bolinha

Pratinho de bolo

Guardanapo

Tinta acrílica para tela

Elástico 3CM

Fitilhos

Fita crepe

Saco plástico

Papel Laminado

Papel Rino

Clips

Fita para presente

Lantejoula

Balões de bexiga

Pincel diversos

Tinta para tecido


Olhinho

Grampo

Tesoura pequena

Tesoura grande

Grampeador

Furador

Pasta Polionda

Papel Crepom

Papel Dobradura