Вы находитесь на странице: 1из 16

FECHAMENTO: 29/04/2016 – EXPEDIÇÃO: 01/05/2016 – ANO 2016 – PÁGINAS: 272/257 – FASCÍCULO SEMANAL Nº 17

TEMAS EM DESTAQUE
PROCESSO CIVIL TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL
Ação de prestação de contas Adicional noturno
w Como na segunda fase as contas já foram prestadas judi- w O empregado submetido a turno de 12x36, em jornada
cialmente e somente se discute eventual saldo, não há que que abranja a totalidade do período noturno, tem direito ao
se falar em sua extinção em decorrência da morte de quem adicional noturno, inclusive sobre as horas trabalhadas
as prestou. (154194) após as 5h. (154043)
Depósito judicial Preposto
w De acordo com o regime jurídico do depósito judicial w Não sendo possível o comparecimento presencial dos
efetuado, há ou não o creditamento de juros, e, para a reali- sócios, o envio do administrador da empresa demandada à
zação de estorno, é sempre necessária prévia autorização audiência, na condição de preposto, não constitui irregula-
judicial. (154208) ridade. (154046)

CIVIL E COMERCIAL CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO


Condomínio Mandado de segurança
w Ao direito de receber os frutos da coisa comum, corresponde w Mesmo no mandado de segurança preventivo, é necessá-
necessariamente o dever de arcar proporcionalmente com as ria a comprovação da iminência da prática de ato abusivo
despesas comuns pertinentes à mesma coisa. (154227) ou ilegal, por parte da autoridade pública, ou a ameaça de
lesão a direito. (154119)
Duplicata
Processo administrativo disciplinar
w O aceite lançado em separado à duplicata não possui
w A declaração de possíveis nulidades no processo admi-
nenhuma eficácia cambiária, mas o documento que o
nistrativo disciplinar, segundo o princípio da instrumentali-
contém serve como prova da existência do vínculo con- dade das formas, depende da efetiva demonstração de
tratual. (154193) prejuízos à defesa do servidor. (154223)
PENAL E PROCESSO TRIBUTÁRIO
Imunidade parlamentar Imposto de exportação
w O “manto protetor” da imunidade alcança quaisquer w O drawback, sendo benefício fiscal, exige previsão em lei
meios que venham a ser empregados para propagar pala- específica para sua concessão, revelando-se inviável estender,
vras e opiniões dos parlamentares. (153811) pura e simplesmente, ao Imposto de Exportação. (154207)
Prova Taxa de fiscalização de vigilância sanitária
w A delação por corréu, em harmonia com as demais pro- w A Taxa de Fiscalização de Vigilância Sanitária revela-se
vas produzidas e observado o contraditório, é idônea para exigível sempre que desencadeadas providências concre-
embasar a convicção do julgador, com a consequente con- tas pelo órgão fiscalizador para aferir a pertinência do
denação. (154171) pedido. (154186)
Utilize os números para buscar a íntegra dos acórdãos no site
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

Processo Civil
AÇÃO DE COBRANÇA quarenta e nove reais e vinte e quatro centavos – veio a ser
JULGAMENTO MONOCRÁTICO extinta em razão da falta de liquidez do título executivo e,
PRECLUSÃO PRO JUDICATO segundo alega, teria acarretado a sua negativação nos
CERCEAMENTO DE DEFESA órgãos de proteção ao crédito. Ocorre que, apesar do reco-
– O julgamento monocrático da causa pelo relator, utili- nhecimento da iliquidez do título, a verdade é que à época
zando os poderes processuais do artigo 557 do CPC, não havia possibilidade de execução automática do saldo rema-
ofende o princípio do devido processo legal se o recurso se nescente neste tipo de contenda – a questão era conflituosa
manifestar inadmissível ou improcedente, prejudicado ou no Judiciário quando da propositura da ação, em 2002 –,
em confronto com súmula ou com jurisprudência domi- inclusive sendo objeto de embate no STJ. De fato, o contrato
nante do respectivo tribunal, do Supremo Tribunal Federal de alienação fiduciária em garantia ostenta eficácia execu-
ou de Tribunal Superior, sendo certo, ainda, que eventual tiva. Porém, com a venda extrajudicial do bem, é-lhe retirada
mácula fica superada com o julgamento colegiado do a liquidez e certeza indispensáveis a todo e qualquer título
recurso pelo órgão competente. O fenômeno da preclusão executivo. Portanto, o cabimento da execução era um tanto
pro judicato impede o órgão julgador de realizar novo jul- duvidoso, mas não há sinais de má-fé, nem sequer tal ponto
gamento no mesmo processo de questão incidental já foi aventado pelas instâncias ordinárias. Por outro lado,
enfrentada e solucionada por meio de decisão interlocu- também não se pode concluir que a execução em comento é
tória, ressalvadas as exceções legais. No caso dos autos, ilegal ou temerária e, por conseguinte, não há falar em res-
tendo o juízo singular determinado a realização da prova ponsabilidade da exequente. Recurso Especial não provido.
pericial contábil-tributária e de engenharia, não poderia em (STJ – REsp. 1.229.528 – PR – Rel. Min. Luis Felipe
momento posterior reanalisar a questão sob a justificativa Salomão – Publ. em 8-3-2016) 154213
de que a execução de uma estaria condicionada à efetivação
da outra. Segundo a jurisprudência desta Corte, há cercea- AÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS
mento do direito de defesa quando a parte é impedida de SEGUNDA FASE
produzir a prova postulada com o fito de comprovar as suas MORTE DO PRESTADOR
alegações e a sua pretensão é negada com fundamento na EXTINÇÃO DA AÇÃO QUE NÃO SE SUSTENTA
falta de provas. Precedentes. Recurso Especial provido. – Partindo-se da premissa de que o recurso especial foi
(STJ – REsp. 1.524.120 – RJ – Rel. Min. Ricardo Villas apresentado antes do falecimento pelo interessado, por
Bôas Cueva – Publ. em 3-3-2016) 154226 força do princípio pas de nullité sans grief, mesmo os vícios
mais graves não se proclamam se ausente prejuízo às partes.
AÇÃO DE INDENIZAÇÃO Ausência de nulidade no v. acórdão recorrido. O juíz é o
EXECUÇÃO SEM LIQUIDEZ destinatário das provas, cabendo a ele decidir pela necessi-
REGISTRO EM BANCO DE DADOS dade da produção delas. Uma vez declarada segura a prova
POR ÓRGÃO MANTENEDOR pericial, modificar tal entendimento esbarrará na Súmula
PLEITO DE DANO MORAL CONTRA nº 7 desta Corte. Como na segunda fase do procedimento de
A PRETENSA EXEQUENTE
prestação de contas elas já foram prestadas judicialmente e
– “A execução tramita por conta e risco do exequente, pre- somente se discute eventual saldo credor ou devedor, não
vendo os artigos 475-O, I, e 574 do Código de Processo há que se falar em sua extinção em decorrência do faleci-
Civil sua responsabilidade objetiva por eventuais danos mento de quem as prestou. Obrigação pessoal que passa aos
indevidos ocasionados ao executado” – REsp. 1.313.053/ herdeiros, observadas as forças da herança. O pleito de se
DF, Rel. Ministro Luis Felipe Salomão, Quarta Turma, jul- considerar as despesas tidas por incontroversas para efeito
gado em 4-12-2012, DJe 15-3-2013. Nos termos do art. 574 de redução do valor devido demanda inevitável revolvi-
do CPC, “o credor ressarcirá ao devedor os danos que este mento do arcabouço fático-probatório, o que é vedado em
sofreu, quando a sentença, passada em julgado, declarar recurso especial nos termos da Súmula nº 7 desta Corte.
inexistente, no todo ou em parte, a obrigação, que deu lugar Recurso conhecido em parte e nela não provido. (STJ –
à execução”. Cotejando os precedentes do STJ, verifica-se REsp. 1.374.447 – SP – Rel. Min. Moura Ribeiro – Publ. em
que não é a mera extinção do processo de execução que 28-3-2016) 154194
rende ensejo, por si só, a eventual responsabilização do exe-
quente; ao revés, só haverá falar em responsabilidade do AÇÃO DE USUCAPIÃO
credor quando a execução for tida por ilegal, temerária, AQUISIÇÃO DO IMÓVEL USUCAPIENDO
tendo o executado sido vítima de perseguição sem funda- POR CONTRATO DE COMPRA E VENDA
mento. Se não fosse assim, toda execução não acolhida – BEM DE PROPRIEDADE DE SOCIEDADE
qualquer que fosse o motivo – permitiria uma ação indeni- DE ECONOMIA MISTA
zatória em reverso. Na hipótese, a recorrente ajuizou ação IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO PEDIDO
de indenização buscando responsabilização por danos – A ação de usucapião não pode ser admitida como via pro-
morais, haja vista que anterior execução ajuizada pela cessual adequada para conquistar a propriedade de imóvel
recorrida – no valor de R$ 3.749,24 – três mil, setecentos e adquirido por compra e venda, da qual não se perfectibi-
JURISPRUDÊNCIA 271
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

lizou a transferência junto ao cartório registral, afinal, “a DEPÓSITO JUDICIAL


usucapião é forma de aquisição originária da propriedade, ESTORNO DE JUROS PELA
ou seja, quando inexiste relação jurídica de transmissão. Se DEPOSITÁRIA CEF
a parte autora adquire terreno através de contrato firmado DESNECESSIDADE DE AÇÃO ESPECÍFICA
com o proprietário anterior – forma de aquisição derivada –, – As súmulas nº 271/STJ – “A correção monetária dos
sendo incontroverso seu direito de propriedade, inviável o depósitos judiciais independe de ação específica contra o
manejo da ação de usucapião, que não se presta para a regu- banco depositário” – e nº 179/STJ – “O estabelecimento de
larização do imóvel com burla das exigências administra- crédito que recebe dinheiro, em depósito judicial, responde
tivas”. – TJ-SC – Apelação Cível nº 2011.068261-7, Rel. pelo pagamento da correção monetária relativa aos valores
Des. Jorge Luis Costa Beber, j. 7-3-2013. Ademais, “os recolhidos” – são aplicáveis, por analogia, à discussão
bens da Codisc, [órgão em nome do qual ainda está regis- sobre os juros porventura incidentes sobre os depósitos
trado o imóvel usucapiendo] criada pela Lei Estadual judiciais, podendo o juízo da causa julgar nos próprios
nº 5.089/75, pertenciam originalmente ao Estado e os imó- autos a regularidade dos estornos efetuados pela entidade
veis que foram incorporados ao seu patrimônio também depositária. De acordo com o regime jurídico do depósito
foram adquiridos com recursos públicos. Tais bens, por- judicial efetuado, se na forma da Lei nº 9.703/98 ou do
tanto, [enquanto registrados em seu nome] são insuscetí- Decreto-Lei 1.737/79, há ou não o creditamento de juros,
veis de usucapião, até porque a Lei Estadual nº 7.724/89, respectivamente, e, para a realização de estorno, é sempre
que autorizou a extinção da Companhia, já determinou que necessária prévia autorização judicial. Exemplificam o
o ativo remanescente será absorvido e incorporado pelo raciocínio os seguintes precedentes: REsp. nº 894.749 – SP,
Estado”. – TJ-SC – Apelação Cível nº 2009.074973-8, Rel. Primeira Turma, Rel. Min. Luiz Fux, julgado em 6-4-2010;
Des. Paulo Henrique Moritz Martins da Silva, j. 15-6-2010. EDcl nos EREsp. Nº 1.015.075 – AL, Primeira Seção, Rel.
(TJ-SC – Ap. Cív. 2014.074017-6 – Rel. Des. João Hen- Min. Humberto Martins, julgado em 24-3-2010; e RMS
rique Blasi – Julg. em 19-1-2016) 153803 Nº 17.406 – RJ, Segunda Turma, Rel. Min. Castro Meira,
julgado em 17-6-2004. Recurso especial do particular pro-
COMPETÊNCIA vido. Recurso Especial da Fazenda Nacional prejudicado.
CONTROVÉRSIA ENTRE JOGADOR (STJ – REsp. 1.578.792 – SP – Rel. Min. Mauro Campbell
E EMPRESA MULTINACIONAL Marques – Publ. em 8-3-2016) 154208
PATROCINADORA
OBRIGAÇÕES CONTRAÍDAS EM
CONTRATO DE FUTEBOL HONORÁRIOS DE ADVOGADO
FORO DE ELEIÇÃO ASSISTENTE JUDICIÁRIO
CÁLCULO DA REMUNERAÇÃO
– Inocorrência de negativa de prestação jurisdicional ou
mesmo nulidade da decisão quando as alegadas omissões – A remuneração do assistente judiciário nomeado nos
inexistem, seja porque devidamente esgotadas as questões moldes da Lei nº 1.060/50, após a revogação da Lei Esta-
submetidas ao Estado-jurisdição, seja porque mostram-se dual nº 155/97, deve obedecer os parâmetros fixados em
irrelevantes para o desate da controvérsia à luz dos funda- tabela organizada pelo Conselho Seccional da OAB, e
mentos que conduziram à extinção da demanda. Em sendo pagos pelo Estado, na forma do art. 22, § 1º, da Lei
paritária e, assim, simétrica a relação negocial estabelecida nº 8.906/94. (TJ-SC – Ap. Cív. 2015.095119-8 – Rel. Des.
entre conhecido jogador de futebol e empresa multinacio- Eládio Torret Rocha – Julg. em 10-3-2016) 154081
nal do ramo dos artigos esportivos, contrato cujo objeto,
ademais, relaciona-se à cessão dos direitos de uso de HONORÁRIOS DE ADVOGADO
imagem do atleta, não é possível qualificá-la como relação FIXAÇÃO EM CAUSA ONDE
de consumo para efeito de incidência das normas do Código NÃO HOUVE CONDENAÇÃO
de Defesa do Consumidor. Regulada pelo disposto no art. REVISÃO EM SEDE DE RECURSO ESPECIAL
88 do CPC/73, a competência internacional na espécie evi- ÓBICE DA SÚMULA 7 DO STJ
dencia-se como concorrente, revelando-se possível a elei- – A ação de repetição de indébito foi decidida a favor da ré
ção, mediante cláusula prevista no negócio jurídico qualifi- Fazenda Nacional. Desse modo, dela não consta conde-
cado pelas partes como “contrato de futebol” – contrato de nação alguma, sendo aplicável o art. 20, § 4º, do CPC, que
patrocínio e cessão de uso de imagem –, do foro alienígena determina a fixação da verba honorária por equidade, não
como competente para a solução das controvérsias sendo aplicáveis os limites percentuais do art. 20, § 3º, do
advindas do acordo. Precedente da Colenda 4ª Turma. Caso CPC, mas somente suas alíneas, consoante a expressa letra
concreto em que a obrigação principal contraída no acordo da lei, in verbis: “§ 4º Nas causas de pequeno valor, nas de
não deveria ser cumprida exclusivamente no Brasil. Sus- valor inestimável, naquelas em que não houver condenação
citada a incompetência da Justiça brasileira pela parte ou for vencida a Fazenda Pública, e nas execuções, embar-
demandada em momento oportuno, correta a decisão de gadas ou não, os honorários serão fixados consoante apre-
extinção do feito, sem resolução de mérito, diante da der- ciação equitativa do juiz, atendidas as normas das alíneas
rogação, pelas partes, com base em sua autonomia pri- “a”, “b” e “c” do parágrafo anterior”. Salvo as hipóteses
vada, da competência da Justiça brasileira e da eleição da excepcionais de valor excessivo ou irrisório, não se
Justiça holandesa para dirimir eventuais controvérsias. conhece de recurso especial cujo objetivo é rediscutir o
Recurso Especial a que se nega provimento. (STJ – REsp. montante da verba honorária fixada pelas instâncias de
1.518.604 – SP – Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino – origem, a teor do enunciado nº 7, da Súmula do STJ: “A pre-
Publ. em 29-3-2016) 154184 tensão de simples reexame de prova não enseja recurso
JURISPRUDÊNCIA 270
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

especial”. Quanto à alegação de irrisoriedade, é preciso mentos em autos de ação de sobrepartilha – demanda tra-
verificar que o foi fixada em R$ 10.000,00 – dez mil reais –, tada como de procedimento especial de jurisdição conten-
frente a um valor da causa de R$ 30.247.034,71 – trinta ciosa – art. 1.040 do CPC –, não cabe falar em multa por ato
milhões, duzentos e quarenta e sete mil, trinta e quatro reais atentatório à dignidade da Justiça, aplicada com base no
e setenta e um centavos. In casu, não foram abstraídos pela inciso III do art. 600 do CPC. Por outro lado, isso não quer
Corte de Origem os aspectos fáticos necessários para uma dizer que a resistência da instituição bancária não pode ser
nova apreciação da verba honorária. Desse modo, não cabe rechaçada pelo Poder Judiciário. Todavia, caberá ao magis-
a revisão em sede de recurso especial. Recurso Especial trado de piso se valer, assim como fez, da busca e apreensão
parcialmente conhecido e, nessa parte, não provido. (STJ – dos documentos requisitados, bem como analisar a possibi-
REsp. 1.579.265 – RJ – Rel. Min. Mauro Campbell Mar- lidade de aplicação do parágrafo único do art. 14 do CPC e
ques – Publ. em 1-3-2016) 154237
examinar se a conduta da parte ora recorrente não configura
litigância de má-fé – art. 17 do CPC. Recurso Especial pro-
INTERVENÇÃO DE TERCEIROS vido. (STJ – REsp. 1.231.981 – RS – Rel. Min. Luis Felipe
PEDIDO DE ASSISTÊNCIA SIMPLES
Salomão – Publ. em 3-3-2016) 154228
NECESSIDADE DE DEMONSTRAÇÃO
DO INTERESSE JURÍDICO
– A lei processual exige, para o ingresso de terceiro nos SENTENÇA
autos como assistente simples, que haja interesse jurídico JULGAMENTO EXTRA PETITA
decorrente da potencialidade de a decisão judicial a ser pro- NULIDADE
ferida repercutir sobre sua esfera jurídica, afetando, assim, – Os artigos 128 e 460 do CPC consagram o princípio da con-
uma relação material que não foi deduzida em juízo. Re- gruência ou da adstrição entre o pedido e a sentença, que
curso Especial conhecido em parte e desprovido. (STJ – veda ao juiz decidir a lide fora dos limites em que foi pro-
REsp. 1.336.231 – SP – Rel. Min. João Otávio de Noronha – posta. Nos termos do artigo 264 do CPC, após a citação é ve-
Publ. em 8-3-2016) 154209 dada ao autor a modificação do pedido ou da causa de pedir,
Nota – Sobre o tema, Costa Machado, em seus comentários quando não houver consentimento do réu. (TRF-4ª R. – Ap.
ao Código de Processo Civil, ao referir-se ao art. 50, Cív. 5018898-42.2015.4.04.7100 – Rel. Des. Luís Alberto
afirma: “O interesse que legitima a intervenção do assis- D’Azevedo Aurvalle – Publ. em 15-3-2016) 154118
tente não é interesse moral (o que teria, v.g., a sogra numa
ação de separação judicial) nem econômico (o que teria um SENTENÇA ESTRANGEIRA
credor do réu numa ação proposta por outro credor), mas AÇÃO DE REGULAÇÃO DO
somente o jurídico decorrente da potencialidade da sen- EXERCÍCIO DO PODER PATERNAL
tença que venha a ser proferida de repercutir sobre a sua CUMULADA COM ALIMENTOS E
esfera jurídica, afetando, assim, uma relação material que REGULAMENTAÇÃO DE VISITAS
não foi deduzida em juízo, a do terceiro (v.g., a sublocação, REQUISITOS PARA HOMOLOGAÇÃO
que é desfeita automaticamente pela sentença de proce- – É devida a homologação de sentença estrangeira que
dência do despejo), pela modificação ou extinção dos direi- atenda aos requisitos previstos no art. 15 da Lei de Intro-
tos dela resultados (Vicente Greco Filho)” (Código de Pro- dução às Normas do Direito Brasileiro e nos arts. 216-A a
cesso Civil interpretado e anotado, 5ª ed., p. 317). 216-N do RISTJ, bem como não ofenda a soberania nacio-
nal, a ordem pública e a dignidade da pessoa humana –
MEDIDA CAUTELAR LINDB, art. 17; RISTJ, art. 216-F. Não há óbice à homolo-
PRODUÇÃO ANTECIPADA DE PROVAS gação da sentença estrangeira que disponha apenas sobre
CABIMENTO
guarda de menor e direito à percepção de alimentos e de vi-
HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
sitas, sem trazer à discussão imóveis situados no Brasil, por
– É cabível a medida cautelar para evitar prejuízos iminentes
se tratar de causa de competência concorrente – CPC, art.
aos autores e ao próprio julgamento eficaz da causa nos autos
88 –, e não exclusiva, da autoridade judiciária brasileira –
principais. A parte deu causa ao ajuizamento da ação, por-
CPC, art. 89. A competência internacional concorrente,
tanto correta a condenação nas custas, e honorários periciais
prevista no art. 88, III, do Código de Processo Civil, não
e advocatícios. (TRF-4ª R. – Ap. Cív. 5056847-46.2014.
4.04.7000 – Rel. Des. Luís Alberto D’Azevedo Aurvalle – induz a litispendência, podendo a Justiça estrangeira julgar
Publ. em 15-3-2016) 154104 igualmente os casos a ela submetidos. Eventual concor-
rência entre sentença proferida pelo Judiciário brasileiro e a
sentença estrangeira homologada pelo STJ, sobre a mesma
MEDIDA CAUTELAR INCIDENTAL
EXIBIÇÃO DE DOCUMENTOS questão, deve ser resolvida pela prevalência da que transitar
PEDIDO FORMULADO CONTRA TERCEIRO em julgado em primeiro lugar. “São homologáveis sen-
NÃO INTEGRANTE DA LIDE ORIGINÁRIA tenças estrangeiras que dispõem sobre guarda de menor ou
RESISTÊNCIA EM CUMPRIR A ORDEM JUDICIAL de alimentos, muito embora se tratem de sentenças sujeitas
– O ato atentatório à dignidade da Justiça, previsto no art. a revisão, em caso de modificação do estado de fato” – SEC
600, III, do Código de Processo Civil, restringe-se ao pro- 5.736/EX, Corte Especial, Rel. Min. Teori Albino Za-
cesso de execução, caracterizando-se somente a conduta de vascki, DJe de 19-12-2011. Pedido de homologação de sen-
deslealdade processual praticada pelo executado. No caso, tença estrangeira deferido. (STJ – SEC 12.897 – EX – Rel.
por se tratar de pedido incidental de exibição de docu- Min. Raul Araújo – Publ. em 2-2-2016) 153959

JURISPRUDÊNCIA 269
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

Civil e Comercial
ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA é título de crédito com força executiva, possuindo as carac-
BEM IMÓVEL terísticas gerais atinentes à literalidade, cartularidade, auto-
PURGA DA MORA nomia, abstração, independência e circulação. O Tribunal a
NECESSIDADE DE INTIMAÇÃO PESSOAL quo, atento às peculiaridades inerentes aos títulos de cré-
– Na alienação fiduciária em garantia de bem imóvel, ven- dito, notadamente à circulação da cártula, diligente na pre-
cida e não paga, no todo ou em parte, a dívida e constituído venção do eventual ilegítimo trânsito do título, bem como a
em mora o fiduciante, consolidar-se-á a propriedade do potencial dúplice cobrança contra o devedor, conclamou a
imóvel em nome do fiduciário – art. 26, caput, da Lei obrigatoriedade de apresentação do original da cédula,
nº 9.514/97. Ao fiduciante é dada oportunidade de purgar a ainda que para instruir a ação de busca e apreensão, proces-
mora. Para tanto, deverá ser intimado pessoalmente, ou na sada pelo Decreto-lei nº 911/69. A ação de busca e apre-
pessoa de seu representante legal ou procurador regular- ensão, processada sob o rito do Decreto-lei nº 911/69,
mente constituído. A intimação, sempre pessoal, pode ser admite que, ultrapassada a sua fase inicial, nos termos do
realizada de três maneiras: a – por solicitação do oficial do artigo 4º do referido regramento normativo, deferida a
Registro de Imóveis; b – por oficial de Registro de Títulos e liminar de apreensão do bem alienado fiduciariamente, se
Documentos da comarca da situação do imóvel ou do domi- esse não for encontrado ou não se achar na posse do
cílio de quem deva recebê-la; ou c – pelo correio, com aviso devedor, o credor tem a faculdade de, nos mesmos autos,
de recebimento, sendo essa a melhor interpretação da nor- requerer a conversão do pedido de busca e apreensão em
ma contida no art. 26, § 3º, da Lei nº 9.514/97. É nula a inti- ação executiva. A juntada do original do documento repre-
mação do devedor que não se dirigiu à sua pessoa, sendo sentativo de crédito líquido, certo e exigível, consubstan-
processada por carta com aviso de recebimento no qual ciado em título de crédito com força executiva, é a regra,
consta como receptor pessoa alheia aos autos e desconhe- sendo requisito indispensável não só para a execução pro-
cida. Recurso Especial provido para restabelecer a liminar priamente dita, mas, também, para todas as demandas nas
concedida pelo juízo de piso até o final julgamento do pro- quais a pretensão esteja amparada na referida cártula. A dis-
cesso. (STJ – REsp. 1.531.144 – PB – Rel. Min. Moura pensa da juntada do original do título somente ocorre
Ribeiro – Publ. em 28-3-2016) 154199 quando há motivo plausível e justificado para tal, o que não
Nota – Sobre o tema, Melhim Namem Chalhub esclarece se verifica na presente hipótese, notadamente quando as
que: “O regime jurídico desse tipo contratual – alienação partes devem contribuir para o adequado andamento do
fiduciária de bem imóvel – é definido pelos arts. 22 a 33 das feito, sem causar obstáculos protelatórios. Desta forma,
Lei 9.514/1997. [...] Já a extinção por inadimplemento do quer por força do não preenchimento dos requisitos exigidos
devedor está regulada nos arts. 26 e 27, articulados aos nos arts. 282 e 283 do CPC, quer pela verificação de defeitos
arts. 24 e 30. Nesse sentido, o art. 26 dispõe que o procedi- e irregularidades capazes de dificultar o julgamento de mé-
mento de recomposição da situação de mora é executado rito, o indeferimento da petição inicial, após a concessão de
no próprio Registro de Imóveis da localidade onde se situa prévia oportunidade de emenda pelo autor – art. 284, CPC –,
o imóvel objeto da garantia. Por esse procedimento, o é medida que se impõe. Precedentes. Recurso Especial des-
devedor (e o fiduciante, se for o caso) é notificado para pur- provido. (STJ – REsp. 1.277.394 – SC – Rel. Min. Marco
gação da mora, mediante pagamento das prestações ven- Buzzi – Publ. em 28-3-2016) 154201
cidas e não pagas. A notificação é efetivada pelo próprio
Oficial do Registro de Imóveis ou, por delegação deste, CÓDIGO DE DEFESA
pelo Oficial do Cartório do Registro de Títulos e Docu- DO CONSUMIDOR
mentos, ou, ainda, pelo Correio; em qualquer dos casos , o VENDA E COMPRA DE IMÓVEL
devedor (e o fiduciante, se o caso) deve ser notificado pes- DIFERENÇA DA METRAGEM
soalmente; é admitida a notificação por edital, caso o CONSTANTE NA PROPAGANDA
devedor e o fiduciante, se for o caso, se encontrem em local PRAZO PRESCRICIONAL E DANOS MORAIS
incerto e não sabido.” (Alienação Fiduciária, Incorpo- – O Código de Defesa do Consumidor estabeleceu limites
ração Imobiliária e Mercado de Capitais. Estudos e Pare- temporais diferentes para a responsabilização civil do for-
ceres. Rio de Janeiro: Renovar, 2012. p. 110) necedor. O art. 27 prevê o prazo prescricional de 5 – cinco –
anos para a pretensão indenizatória pelos danos causados
CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO por fato do produto ou do serviço; e o art. 26, o prazo deca-
AÇÃO DE BUSCA E APREENSÃO dencial de 30 – trinta – ou 90 – noventa – dias para a recla-
NÃO APRESENTAÇÃO DO TÍTULO ORIGINAL mação, conforme se trate de vícios aparentes ou de fácil
DETERMINAÇÃO DE EMENDA À INICIAL constatação de produtos ou serviços não duráveis ou durá-
– Possibilidade de recorrer do “despacho de emenda à ini- veis. Segundo a jurisprudência desta Corte, se o produto
cial”. Excepciona-se a regra do art. 162, §§ 2º e 3º, do apresenta vício quanto à quantidade ou qualidade, ou que
Código de Processo Civil quando a decisão interlocutória lhe diminua o valor, estar-se-á diante de vício aparente ou
puder ocasionar prejuízo às partes. Precedentes. Nos de fácil constatação, de acordo com o art. 26 do Código
termos da Lei nº 10.931/2004, a cédula de crédito bancário Consumerista. No caso, decaiu em 90 – noventa – dias o
JURISPRUDÊNCIA 268
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

direito de os autores reclamarem da diferença entre a me- ofensa à regra de composição das perdas e danos, nas obri-
tragem do imóvel veiculada em propaganda e a área do apar- gações em dinheiro, estatuída no art. 404 do Código Civil.
tamento descrita na promessa de contra e venda. A pretensão Consolidou-se nesta Corte o entendimento de que os juros
de indenização pelos danos morais experimentados pelos de mora serão calculados à base de 0,5% ao mês, nos termos
autores pode ser ajuizada no prazo prescricional de 5 – cin- do disposto no art. 1.062 do CC/1916 até a entrada em vigor
co – anos. Precedentes. Recurso Especial parcialmente pro- do novel Código Civil – Lei nº 10.406/2002 –, quando então
vido. (STJ – REsp. 1.488.239 – PR – Rel. Min. Ricardo será aplicada a taxa vigente para a mora do pagamento de
Villas Bôas Cueva – Publ. em 7-3-2016) 154218 impostos devidos à Fazenda Nacional, nos termos do art.
406 do CC/2002. (STJ – REsp. 980.700 – DF – Relª Minª
COMPRA E VENDA MERCANTIL Maria Isabel Gallotti – Publ. em 3-3-2016) 154227
PRODUTOS E DERIVADOS DO PETRÓLEO
RESCISÃO DIREITO AUTORAL
REDUÇÃO DA MULTA CONVENCIONAL COMERCIALIZAÇÃO DE MÚSICA COMO
– É lícito ao julgador reduzir a multa convencional se evi- TOQUES DE APARELHOS TELEFÔNICOS
denciada sua excessividade, ainda que se trate de contrato INEXISTÊNCIA DE AUTORIZAÇÃO
DO TITULAR DA OBRA
firmado sob a égide do Código Civil de 1916, desde que
VALOR DA INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL
cumprida, de modo parcial, a obrigação acordada. A ado-
ção de princípio norteador da teoria geral dos contratos – O artigo 28 da Lei de Direitos Autorais, ao trazer os cha-
como fundamento do aresto recorrido, in casu, o da boa-fé mados direitos patrimoniais, dispõe que, como regra geral,
objetiva, e da ideologia do venire contra factum proprium cabe ao autor o direito exclusivo de utilizar, fruir e dispor da
não implica aplicação retroativa de dispositivos que só pas- obra artística, garantia que decorre do art. 5º da Constitui-
saram a vigorar no Código Civil de 2002, pois apenas confi- ção Federal de 1988. O art. 24 da Lei nº 9.610/98 traz a
gura a consagração do princípio jura novit curia, segundo o relação dos direitos morais do autor, consistente na possibi-
qual, diante dos fatos da causa, compete ao juiz dizer o lidade de reivindicação e modificação da criação, conser-
direito. A conclusão a que chegou o acórdão recorrido vação de obra inédita, retirada de circulação ou suspensão
quanto à excessiva onerosidade da multa convencional de utilização já autorizada, bem como o de assegurar a inte-
imposta pelo descumprimento de cláusula de exclusividade gridade da criação intelectual. De acordo com o inciso IV
aquisição mínima de combustível firmada em contrato de do art. 24 da Lei de Direitos Autorais, não são todas e quais-
compra e venda de produtos e derivados do petróleo de- quer modificações que violam a integridade da obra, mas
mandaria a análise de cláusulas contratuais e do conjunto somente aquelas capazes de atingir a honra e a reputação do
fático-probatório dos autos, o que é vedado em recurso autor ou de prejudicar a sua criação intelectual. A garantia à
especial, ante a incidência das Súmulas nº 5 e 7 do STJ. integridade da obra tem por objetivo evitar a desnaturação
Recurso Especial parcialmente conhecido e desprovido. da criação ou o desrespeito às características que a identi-
(STJ – REsp. 1.334.034 – SP – Rel. Min. João Otávio de ficam e, dessa forma, a reprodução parcial da obra musical,
Noronha – Publ. em 29-3-2016) 154182 especialmente o trecho mais conhecido, longe está de im-
plicar vulneração à lei de direitos autorais – art. 24, IV, da
Lei 9.610/98. Desde que expressamente autorizadas ou se
CONDOMÍNIO as finalidades do contrato assim exigir, são admissíveis as
FRUTOS DA PARTICIPAÇÃO
adaptações da obra em razão da exigência do meio em que
OBRIGAÇÃO DE CONCORRER PARA
O PAGAMENTO DAS DESPESAS COMUNS serão utilizadas. No caso, a utilização de parte da música,
CUSTOS OPERACIONAIS DA GARAGEM ainda que, em regra, seja lícita, se tornou contrária aos
EXPLORADA EM CONJUNTO ditames da Lei nº 9.610/98, com a consequente violação aos
– Não se confunde a regência do condomínio civil estabele- direitos do autor, pois a utilização ocorreu sem prévia auto-
cido entre os contratantes do empreendimento, regido pelo rização do compositor. A importância de R$ 25.000,00 –
Código Civil – arts. 623 a 641 do Código de 1916 –, com a vinte e cinco mil reais –, arbitrada a título de indenização
disciplina legal própria dos condomínios em edificações, por danos morais, não se revela exorbitante, razão pela qual
dada pela Lei 4.591/64. Segundo premissas de fato estabe- não há justificativa para a intervenção desta Corte Superior.
lecidas pelo acórdão recorrido, receitas das garagens foram Incide, portanto, o enunciado da Súmula 7/STJ. Recurso
contabilizadas de modo que, sem tais recursos, o orçamento Especial não provido. (STJ – REsp. 1.358.441 – RS – Rel.
do condomínio, de superavitário, passaria a deficitário. Min. Luis Felipe Salomão – Publ. em 30-3-2016) 154180
Também é certo que o deficit do orçamento da adminis-
tração seria composto por todos os condôminos. Ao direito DIVÓRCIO
de receber os frutos da coisa comum, de um lado, corres- PARTILHA DE BENS
ponde necessariamente o dever de arcar proporcionalmente PEDIDO FORMULADO EM CONTESTAÇÃO
com as despesas comuns pertinentes à mesma coisa, no ADMISSIBILIDADE
mesmo período em discussão. Os rendimentos das aplica- – “Muito embora a partilha possa ser feita em ação própria e
ções financeiras – cuja incidência sobre os frutos não distri- após a dissolução judicial do vínculo existente entre as
buídos foi requerida pelas autoras – englobam a correção partes, via de regra é corolário da separação, do divórcio ou
monetária sobre os valores aplicados. Portanto, a incidência da dissolução de união estável; logo, pode ser pleiteada
de índices de aplicação financeira e correção monetária no inclusive em sede de contestação, independente de recon-
mesmo período-base de remuneração implica bis in idem e venção, se considerada parte da causa de pedir da exordial,
JURISPRUDÊNCIA 267
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

inclusive se objetivada apenas a partilha negativa” – TJ-SC, não tem obrigação alguma cambial de a aceitar; pode,
Ap. Cív. nº 2015.058568-3, de Turvo, Rel. Des. Gilberto porém, suceder que se tenha obrigado a isso por meio de
Gomes de Oliveira, j. em 15-10-2015. “Incumbe a quem acordos verbais ou escritos, anteriormente realizados
alega comprovar a efetiva aquisição de bens na constância entre ele e o sacador, e pode também ser condenado a inde-
da união estável, trazendo aos autos provas eficientes a res- nizar os danos, caso não ponha nela a sua assinatura, mas
peito, como determina o art. 333, I, do Código de Processo estes acordos não podem produzir uma obrigação cambial,
Civil, sob pena de ter o seu pedido de partilha desacolhido” – porque esta deve resultar do próprio título. (...) O aceite
TJ-SC, Ap. Civ. nº 2013.070485-4, de Tubarão, Rel. Des. deve ser escrito sobre a letra com a palavra ‘aceito’, ou
Trindade dos Santos, j. em 28-11-2013. (TJ-SC – Ap. Cív. com outra equivalente, como ‘pagarei’, ‘está bem’, assi-
2015.084461-1 – Rel. Des. Fernando Carioni – Julg. em nada pelo sacado. A lei contenta-se também com a simples
26-1-2016) 153801 assinatura posta na frente da letra: sendo feita no verso, o
aceite deve ser acompanhado da cláusula ‘aceito’, para o
DUPLICATA distinguir do endosso. (...) O aceitante, enquanto conserva
ACEITE EM SEPARADO em seu poder o título, pode revogar a obrigação riscando a
AUSÊNCIA DE EFICÁCIA CAMBIAL sua assinatura, conquanto tenha anunciado por carta ou
DOCUMENTO HÁBIL À INSTRUÇÃO verbalmente ao tomador cambial tê-la aceitado: pela
DE AÇÃO MONITÓRIA
entrega do título assinado obriga-se irrevogavelmente. Se
– Cinge-se a controvércia a saber se é possível o aceite em a letra é a certo termo da vista, o aceite deve ser datado
separado na duplicata mercantil. O aceite promovido na para determinar a data do vencimento: o simples visto com
duplicata mercantil corresponde ao reconhecimento, pelo a data posta pelo sacado não equivale a um aceite, e che-
sacado – comprador –, da legitimidade do ato de saque feito gado o dia do pagamento não existe ação cambial para
pelo sacador – vendedor –, a desvincular o título do compo- obrigar a pagar.” (OLIVEIRA, Celso Marcelo de. Tratado
nente causal de sua emissão – compra e venda mercantil a de Direito Empresarial Brasileiro, vol. I, Campinas: LZN,
prazo. Após o aceite, não é permitido ao sacado reclamar de 2004, págs. 173/175)
vícios do negócio causal realizado, sobretudo porque os
princípios da abstração e da autonomia passam a reger as RESPONSABILIDADE CIVIL
relações, doravante cambiárias – art. 15, I, da Lei nº 5.474/ FURTO DE CAMINHÃO ESTACIONADO
68. O aceite é ato formal e deve se aperfeiçoar na própria EM PÁTIO DE OFICINA
cártula – assinatura do sacado no próprio título –, incidindo DEVER DE GUARDA E VIGILÂNCIA
o princípio da literalidade – art. 25 da LUG. Não pode, por- CULPA CONCORRENTE
tanto, ser dado verbalmente ou em documento em separado. – Na hipótese dos autos, não se tem um daqueles casos
De fato, os títulos de crédito possuem algumas exigências comuns, típicos de simples relação de consumo entre clien-
que são indispensáveis à boa manutenção das relações te e sociedade empresária com estabelecimento dotado de
comerciais. A experiência já provou que não podem ser estacionamento para angariar clientela, acerca dos quais
afastadas certas características, como o formalismo, a car- esta Corte tem entendimento consolidado na Súmula
tularidade e a literalidade, representando o aceite em sepa- 130/STJ: “A empresa responde, perante o cliente, pela
rado perigo real às práticas cambiárias, ainda mais quando reparação de dano ou furto de veículo ocorridos em seu
os papéis são postos em circulação. O aceite lançado em estacionamento.” O caso é peculiar, pois envolve duas
separado à duplicata não possui nenhuma eficácia cam- sociedades empresárias e suas atividades típicas, quanto ao
biária, mas o documento que o contém poderá servir como bem móvel objeto do dano reclamado, estando cercado de
prova da existência do vínculo contratual subjacente ao aspectos merecedores de cautelosa apreciação. Analisadas
título, amparando eventual ação monitória ou ordinária – essas circunstâncias, elementos fáticos e probatórios fir-
art. 16 da Lei nº 5.474/68. A duplicata despida de força exe- mados pelas instâncias ordinárias, se, de um lado, não se
cutiva, seja por estar ausente o aceite, seja por não haver o pode afastar completamente a responsabilidade da oficina
devido protesto ou o comprovante de entrega de merca- ré pela guarda e vigilância decorrentes do ato gracioso, no
doria, é documento hábil à instrução do procedimento qual, de boa-fé, autorizou ou admitiu a estadia em seu esta-
monitório. Recurso Especial provido. (STJ – REsp. 1.334. cionamento de caminhão pertencente à transportadora
464 – RS – Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva – Publ. em autora, de outro lado, tem-se a ocorrência de culpa concor-
28-3-2016) 154193 rente da ofendida. O evento danoso decorreu, principal-
Nota – Sobre o tema, transcreve o Relator da doutrina de mente, de procedimento culposo, negligente, da parte
Celso Marcelo de Oliveira, segundo a qual os acordos ver- autora, que deixou de informar à recorrente que deixaria o
bais ou escritos não equivalem ao aceite, que se perfaz com caminhão por alguns dias sob sua custódia, entregando as
a assinatura do sacado no próprio título, não produzindo, chaves e documentando-se minimamente quanto ao ajuste.
portanto, nenhuma obrigação cambial. Ressalva-se, entre- A sociedade empresária transportadora não pode ficar
tanto, eventual direito indenizatório decorrente de perdas e absolutamente segurada contra riscos inerentes à sua ativi-
danos. Nesse sentido: “(...) O tomador de uma letra sacada dade econômica, como os de colisão e furto de caminhão de
deve apresentá-la no dia do seu vencimento ao sacado para sua frota, inclusive durante o período de repouso noturno,
receber o seu pagamento; mas tem também um incontes- bastando que estacione, gratuitamente, seus veículos em
tável interesse em saber, mesmo antes daquele dia, se o pátios de oficinas, de postos de gasolina, de restaurantes,
sacado está disposto a pagar. Para garantir este interesse, hotéis e pousadas e locais assemelhados situados à margem
pode apresentar a letra ao sacado para que a aceite. Este de rodovias, transferindo, com isso, para terceiros comer-
JURISPRUDÊNCIA 266
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

ciantes desavisados os riscos da atividade econômica pró- passivo da demanda. O contrato de seguro tem vigência
pria. Na perigosa vida dos que operam nas estradas, a con- simultânea com o contrato de mútuo. Assim, uma vez
duta solidária do comerciante que acolhe em estaciona- extinto este, automaticamente é extinto aquele que o acom-
mento de estabelecimento situado à margem de rodovia o panha. (TRF-4ª R. – Ap. Cív. 5026624-10.2014.4.04.7001 –
viajante profissional transportador deve ser estimulada, e Rel. Des. Luís Alberto D’Azevedo Aurvalle – Publ. em
não censurada. No contexto, mostram-se adequadas e de- 15-3-2016) 154112
terminantes para a ocorrência do evento danoso também as
condutas negligentes da recorrida-transportadora – teoria TESTAMENTO PARTICULAR
da causalidade adequada. Havendo concorrência de culpas – CONFIRMAÇÃO
concorrência de causas ou concorrência de responsabili- INOBSERVÂNCIA DOS REQUISITOS ESSENCIAIS
dades –, a indenização deve medir-se conforme a extensão IMPOSSIBILIDADE DE ABRANDAMENTO
do dano e o grau de cooperação de cada uma das partes à sua DAS EXIGÊNCIAS LEGAIS
eclosão, situação que deve ser dimensionada caso a caso – Cuida-se de procedimento especial de jurisdição volun-
pelo julgador. Na espécie, a recorrente, por seu comporta- tária consubstanciado em pedido de confirmação de testa-
mento culposo, atenuado pela grave negligência da vítima, mento particular. Cinge-se a controvérsia a determinar se
deverá responder somente pelo prejuízo imediato, o dano pode subsistir o testamento particular datilografado formali-
emergente do ato ilícito – furto qualificado – praticado por zado sem todos os requisitos exigidos pela legislação de
terceiros, ou seja, pelo valor do caminhão, excluindo-se da regência, no caso, a assinatura de pelo menos três testemu-
condenação os lucros cessantes da atividade empresarial da nhas idôneas e a leitura e a assinatura do documento pelo tes-
autora. Recurso Especial parcialmente provido. (STJ – tador perante as testemunhas. A jurisprudência desta Corte
REsp. 545.752 – RS – Rel. Min. Raul Araújo – Publ. em tem flexibilizado as formalidades prescritas em lei no tocante
24-2-2016) 154142 às testemunhas do testamento particular quando o docu-
mento tiver sido escrito e assinado pelo testador e as demais
SISTEMA FINANCEIRO circunstâncias dos autos indicarem que o ato reflete a von-
DA HABITAÇÃO tade do testador. No caso em apreço, o Tribunal de origem, à
COBERTURA SECURITÁRIA luz da prova dos autos, concluiu que a verdadeira intenção do
VÍCIOS DE CONSTRUÇÃO testador revela-se passível de questionamentos, não sendo
CONTRATO DE FINANCIAMENTO LIQUIDADO possível, portanto, concluir, de modo seguro, que o testa-
– Havendo a comprovação da existência de apólice de mento exprime a real vontade do testador. Recurso Especial
seguro do ramo público, com cobertura pelo FCVS, fica não provido. (STJ – REsp. 1.432.291 – SP – Rel. Min.
caracterizada a legitimidade da CEF para figurar no polo Ricardo Villas Bôas Cueva – Publ. em 8-3-2016) 154210

Penal e Processo
CRIME CONTRA O MERCADO colocará em risco interesses da empresa, deverá abster-se
DE CAPITAIS de negociar com os valores mobiliários referentes às infor-
USO INDEVIDO DE INFORMAÇÃO mações privilegiadas, enquanto não forem divulgadas.
PRIVILEGIADA Com efeito, para a configuração do crime em questão, as
ALEGAÇÃO DE ATIPICIDADE DA CONDUTA “informações” apenas terão relevância para esfera penal se
NÃO ACOLHIMENTO a sua utilização ocorrer antes de serem divulgadas no mer-
– A responsabilidade penal pelo uso indevido de infor- cado de capitais. A legislação penal brasileira, entretanto,
mação privilegiada, ou seja, o chamado Insider Trading – não explicitou o que venha a ser informação economica-
expressão originária do ordenamento jurídico norte-ame- mente relevante, fazendo com que o intérprete recorra a
ricano – ocorreu com o advento da Lei nº 10.303/2001, que outras leis ou atos normativos para saber o alcance da
acrescentou o artigo 27-D à Lei nº 6.385/76, não existindo, norma incriminadora. Em termos gerais, os arts. 155, § 1º,
ainda, no Brasil, um posicionamento jurisprudencial pací- da Lei nº 6.404/76 e 2º da Instrução nº 358/2002 da CVM,
fico acerca da conduta descrita no aludido dispositivo, tam- definem o que vem a ser informação relevante, assim como
pouco consenso doutrinário a respeito do tema. A teor do a doutrina pátria, que leciona ser idônea qualquer infor-
disposto nos arts. 3º e 6º da Instrução Normativa nº 358/ mação capaz de “influir, de modo ponderável, na decisão
2002 da Comissão de Valores Mobiliários e no art. 157, dos investidores do mercado”, gerando “apetência pela
§ 4º, da Lei nº 6.404/76, quando o insider detiver informa- compra ou venda de ativos”, de modo a “influenciar a evo-
ções relevantes sobre sua companhia deverá comunicá-las lução da cotação” – CASTELLAR, João Carlos. Insider
ao mercado de capitais tão logo seja possível, ou, no caso Trading e os novos crimes corporativos, Rio de Janeiro:
em que não puder fazê-lo, por entender que sua revelação Editora Lúmen Júris, 2008, p. 112/113. No caso concreto,
JURISPRUDÊNCIA 265
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

não há controvérsia quanto às datas em que as operações EXTORSÃO


ocorreram e nem quanto ao fato de que o acusado participou REPARAÇÃO DE DANOS À VÍTIMA
das discussões e tratativas visando à elaboração da oferta PEDIDO EXPRESSO
pública de aquisição de ações da Perdigão S.A, obtendo, no NECESSIDADE
ano de 2006, informações confidenciais de sua companhia – – A aplicação do instituto disposto no art. 387, IV, do
Sadia S.A. – as quais, no exercício de sua profissão, tinha o CPP, referente à reparação de natureza cível, por ocasião
dever de manter em sigilo. Ainda que a informação em da prolação da sentença condenatória, requer a dedução
comento se refira a operações, na época, em negociação, ou de um pedido expresso do querelante ou do Ministério
seja, não concluídas, os estudos de viabilidade de aquisição Público, em respeito às garantias do contraditório e da
das ações da Perdição já se encontravam em estágio avan- ampla defesa. Recurso Especial provido. (STJ – REsp.
1.556.926 – RS – Rel. Min. Rogerio Schietti Cruz – Publ.
çado, conforme decisão proferida no procedimento admi-
em 2-2-2016) 153968
nistrativo realizado na CVM, destacada no acórdão recor-
rido. Diante do quadro delineado na origem, constata-se
IMUNIDADE PARLAMENTAR
que a conduta do recorrente se subsume à norma prevista no CRIMES CONTRA A HONRA
art. 27-D da Lei nº 6.385/76, que foi editada justamente OFENSA EM ENTREVISTAS A MEIOS
para assegurar a todos os investidores o direito à equidade DE COMUNICAÇÃO DE MASSA E
da informação, condição inerente à garantia de confiabili- EM POSTAGENS NA REDE SOCIAL
ATIPICIDADE DA CONDUTA
dade do mercado de capitais, sem a qual ele perde a sua
essência, notadamente a de atrair recursos para as grandes – Ofensas em entrevistas a meios de comunicação de massa
companhias. (STJ – REsp. 1.569.171 – SP – Rel. Min. e em postagens na rede social WhatsApp. O “manto pro-
tetor” da imunidade alcança quaisquer meios que venham a
Gurgel de Faria – Publ. em 25-2-2016) 154135
ser empregados para propagar palavras e opiniões dos par-
lamentares. Precedentes. Possível aplicação da imunidade
ESTUPRO a manifestações em meios de comunicação social e em
VULNERÁVEL redes sociais. Imunidade parlamentar. A vinculação da
CONSUMAÇÃO declaração com o desempenho do mandato deve ser aferida
REGIME INICIAL DE CUMPRIMENTO DA PENA
com base no alcance das atribuições dos parlamentares.
– A controvérsia atinente à configuração da forma tentada “As funções parlamentares abrangem, além da elaboração
do crime de atentado violento do pudor prescinde do ree- de leis, a fiscalização dos outros Poderes e, de modo ainda
xame de provas, sendo suficiente a revaloração de fatos mais amplo, o debate de ideias, fundamental para o desen-
incontroversos explicitados no acórdão recorrido. Não há volvimento da democracia” – Recurso Extraordinário com
violação ao art. 14, II, do CP, quando, diante de atos las- Repercussão Geral 600.063, Red. p/acórdão Min. Roberto
civos, diversos da conjunção carnal e atentatórios à liber- Barroso, Tribunal Pleno, julgado em 25-2-2015. Imunidade
dade sexual das vítimas – crianças –, se reconhece a consu- parlamentar. Parlamentares em posição de antagonismo
mação do delito. A proteção integral à criança, em especial ideológico. Presunção de ligação de ofensas ao exercício
no que se refere às agressões sexuais, é preocupação cons- das “atividades políticas” de seu prolator, que as desem-
tante de nosso Estado, garantida pela Constituição da Repú- penha “vestido de seu mandato parlamentar; logo, sob o
manto da imunidade constitucional”. Afastamento da imu-
blica – art. 227, caput, c/c o § 4º – e por instrumentos inter-
nidade apenas “quando claramente ausente vínculo entre o
nacionais. Por ocasião do julgamento do HC nº 111.840/ conteúdo do ato praticado e a função pública parlamentar
ES, realizado em sessão extraordinária do dia 27-6-2012, o exercida”. Precedente: Inq 3.677, Red. p/acórdão Min.
Pleno do Supremo Tribunal Federal, por maioria de votos, Teori Zavascki, Tribunal Pleno, julgado em 27-3-2014.
declarou, incidentalmente, a inconstitucionalidade do art. Ofensas proferidas por senador contra outro senador.
2º, § 1º, da Lei nº 8.072/90, com a nova redação dada pela Nexo com o mandato suficientemente verificado. Fiscali-
Lei nº 11.464/2007, afastando, assim, a obrigatoriedade de zação da coisa pública. Críticas a antagonista político.
imposição do regime inicial fechado para os condenados Inviolabilidade. Absolvição, por atipicidade da conduta.
pela prática de crimes hediondos e de outros a eles equipa- (STF – AO 2.002 – DF – Rel. Min. Gilmar Mendes – Publ.
rados. O Juízo de primeiro grau e o Tribunal de Justiça em 26-2-2016) 153811
entenderam devida a imposição do regime inicial fechado,
sem haver apontado elementos concretos dos autos que, JÚRI
efetivamente, evidenciassem a imprescindibilidade de im- HOMICÍDIO QUALIFICADO TENTADO
posição do modo mais gravoso. Assim, considerado o DOSIMETRIA DA PENA
AUSÊNCIA DE ILEGALIDADE NA FIXAÇÃO DA
quantum de pena imposto ao condenado – inferior a 8 PENA-BASE ACIMA DO MÍNIMO LEGAL
anos –, a análise favorável das circunstâncias judiciais e a – Da simples leitura do acórdão constata-se a ausência de
primariedade do agente, é necessário reconhecer o regime ofensa ao art. 482, parágrafo único, do Código de Processo
inicial semiaberto para o cumprimento da reprimenda. Penal. Os quesitos foram redigidos em proposições sim-
Recurso parcialmente conhecido e, nessa parte, provido, ples, de maneira clara, com menção aos fatos delineados na
para impor o cumprimento inicial da pena no regime semi- sentença de pronúncia e relativos à participação do acusado
aberto. (STJ – REsp. 1.269.648 – MG – Rel. Min. Rogerio na empreitada criminosa – se concorreu para o crime pro-
Schietti Cruz – Publ. em 28-3-2016) 154204 metendo recompensa para que terceira pessoa efetuasse
JURISPRUDÊNCIA 264
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

disparo de arma de fogo contra a vítima. Entenderam as ins- pornográfica – art. 241-B do ECA – e de armazenar fotogra-
tâncias ordinárias que o executor percorreu todo o iter cri- fias de conteúdo pornográfico envolvendo criança ou ado-
minis, apontado a arma para a cabeça da vítima e a atin- lescente – art. 240 do ECA – na hipótese em que restar
gindo em região de alta letalidade – face –, só não se con- incontroversa a finalidade sexual e libidinosa das fotogra-
sumando o crime por circunstâncias alheias à sua vontade. fias, com enfoque nos órgãos genitais das vítimas – ainda
O exame do iter criminis percorrido pelo agente para o fim que cobertos por peças de roupas –, e de poses nitidamente
de se determinar a correção ou não do percentual de redução sensuais, em que explorada sua sexualidade com conotação
da pena pela tentativa, por implicar o reexame do acer- obscena e pornográfica. Recurso Especial improvido. (STJ –
vo-fático probatório dos autos, é vedado no âmbito do REsp. 1.543.267 – SC – Relª Minª Maria Thereza de Assis
recurso especial, por força da Súmula 7/STJ. Precedentes. Moura – Publ. em 16-2-2016) 154166
Mostra-se devido o aumento na pena-base quando apon-
tados elementos concretos que evidenciam a desfavorabili-
dade de uma ou mais circunstâncias judicias. No caso con- PROVA
creto, a pena-base foi fixada acima do mínimo legal, pois DELAÇÃO DE CORRÉU
CIRCUNSTÂNCIA ATENUANTE
foram consideradas negativas a culpabilidade e as conse-
DOSIMETRIA DA PENA
quências do crime. A maior reprovabilidade da conduta,
evidenciada pela existência de duas circunstâncias judiciais – Já decidiu esta Corte Superior que a delação realizada por
desfavoráveis, não justifica a elevação desproporcional da corréu, se em harmonia com as demais provas produzidas
pena-base. Assim, faz-se necessário, excepcionalmente, na fase judicial – com observância do contraditório –, é
reduzir a reprimenda, na primeira fase, em observância ao idônea para embasar a convicção do julgador, com a conse-
princípio da proporcionalidade. Em princípio, não é incom- quente condenação. Se a confissão do acusado foi utilizada
patível a incidência da agravante do art. 62, I, do Código para corroborar o acervo probatório e fundamentar a conde-
Penal com autoria intelectual do delito – mandante. No caso nação, deve incidir a atenuante prevista no art. 65, III, “d”,
concreto, todavia, o acórdão recorrido não apontou ele- do Código Penal, sendo irrelevante o fato de a confissão ter
mentos concretos suficientes para caracterizar a referida sido espontânea ou não, total ou parcial, ou mesmo que
circunstância agravadora, que não aspectos relativos aos tenha havido posterior retratação. A despeito de conde-
próprios fatos pelos quais o ora recorrente fora condenado nação inferior a 8 anos de reclusão, deve ser mantida a
ou situações já indicadas para elevar a pena-base. Recurso imposição do regime inicial fechado de cumprimento de
Especial conhecido e parcialmente provido. (STJ – REsp. pena, nos termos do art. 33, § 2º, “b”, e § 3º, do Código
1.563.169 – DF – Rel. Min. Reynaldo Soares da Fonseca – Penal, haja vista a existência de circunstância judicial des-
Publ. em 28-3-2016) 154196 favorável. Em relação à aplicação do art. 77 do Código
Penal, o recurso especial encontra-se deficientemente fun-
PORNOGRAFIA INFANTIL damentado, porquanto a defesa deixou de indicar, expressa-
FOTOGRAFAR CENA PORNOGRÁFICA mente, as razões da eventual contrariedade do art. 77 do
ENVOLVENDO CRIANÇA Código Penal, o que impede o conhecimento do recurso.
OU ADOLESCENTE Incidência da Súmula nº 284 do STJ. Recurso Especial par-
TIPO PENAL ABERTO cialmente conhecido e, nesta extensão, parcialmente pro-
CONOTAÇÃO OBSCENA E FINALIDADE vido, para reduzir as penas dos recorrentes pelo crime de
SEXUAL E LIBIDINOSA roubo. (STJ – REsp. 1.202.111 – SP – Rel. Min. Rogerio
– A jurisprudência deste Superior Tribunal de Justiça há Schietti Cruz – Publ. em 31-3-2016) 1541711
muito se consolidou no sentido de que, em se tratando de
crimes contra a liberdade sexual, a palavra da vítima tem ROUBO
alto valor probatório, considerando que delitos dessa natu- APELAÇÃO DEFENSIVA
reza geralmente não deixam vestígios e, em regra, tam- DESCLASSIFICAÇÃO PARA FURTO SIMPLES TENTADO
pouco contam com testemunhas. A reforma do aresto EMENDATIO LIBELLI
impugnado, que concluiu pela efetiva comprovação da prá- – O acórdão que, ao julgar a apelação defensiva, considera
tica de atos libidinosos diversos da conjunção carnal des- não provada a violência ou grave ameaça e desclassifica a
critos na exordial acusatória, demandaria o necessário ree- conduta de roubo para furto opera a emendatio libelli, e não
xame de matéria fático-probatória, o que é vedado no julga- a mutatio libelli, agindo dentro do permissivo dos arts. 384
mento do recurso especial por esta Corte Superior de Jus- e 617 do Código de Processo Penal. As elementares do
tiça, que não pode ser considerada uma terceira instância crime de furto simples e de roubo simples, no que diz res-
revisora ou tribunal de apelação reiterada, a teor do enun- peito à subtração patrimonial, são as mesmas. Diferencia-se
ciado nº 7 da súmula deste Sodalício. A definição legal de o roubo porque nele há um plus, consistente no emprego de
pornografia infantil apresentada pelo artigo 241-E do Esta- violência ou grave ameaça ou na colocação da vítima em
tuto da Criança e do Adolescente não é completa e deve ser situação de impossibilidade de resistência. Dessa forma,
interpretada com vistas à proteção da criança e do adoles- uma vez descrita na denúncia a prática do crime de roubo,
cente em condição peculiar de pessoas em desenvolvi- por lógica, nessa descrição estarão inseridas, necessaria-
mento – art. 6º do ECA –, tratando-se de norma penal expli- mente, todas as elementares do crime de furto. Inexistência
cativa que contribui para a interpretação dos tipos penais de ofensa ao princípio da correlação. Recurso Especial
abertos criados pela Lei nº 11.829/2008, sem contudo res- improvido. (STJ – REsp. 1.482.751 – MG – Rel. Min.
tringir-lhes o alcance. É típica a conduta de fotografar cena Sebastião Reis Júnior – Publ. em 29-3-2016) 154185
JURISPRUDÊNCIA 263
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

Trabalho e Previdência Social


ABANDONO DE EMPREGO nulidade do contrato de trabalho mantido com aquela e
REQUISITOS passar a defender, de forma contrária ao que havia reconhe-
NÃO COMPROVAÇÃO cido na ação anterior, que não é mais empregado da presta-
RECONHECIMENTO DA DISPENSA SEM JUSTA CAUSA dora de serviços, mas sim do tomador, uma vez que ope-
– Para a configuração do abandono de emprego, exige-se a radas a coisa julgada em relação a uma das empresas e a pre-
presença de dois requisitos essenciais, sendo um de ordem clusão lógica em relação aos novos demandados – apli-
objetiva – afastamento do serviço por 30 – trinta – dias – e cação da regra do art. 836 da CLT. (TRT-3ª R. – RO
outro de ordem subjetiva, que consiste na intenção do 1242-2014-111-03-00-0 – Rel. Des. Fernando Luiz Gon-
empregado, ainda que implícita, de romper o vínculo – çalves Rios Neto – Publ. em 11-3-2016) 154250
animus derelinquendi. Não constatada a presença de tais
requisitos, impõe-se o reconhecimento de dispensa sem
justa causa do empregado, uma vez que o princípio da con- CONTRATO DE TRABALHO
tinuidade da relação de emprego gera presunção favorável UNICIDADE CONTRATUAL
CARACTERIZAÇÃO
ao empregado de que a dissolução contratual se deu por ini-
ciativa do empregador, nos termos da Súmula 212 do Col. – Por unicidade contratual, entende-se o reconhecimento de
TST. (TRT-3ª R. – RO 1383-2013-019-03-00-4 – Rel. Con- um único contrato de trabalho, nos casos em que o lapso
vocado Juiz Flávio Vilson da Silva Barbosa – Publ. em temporal entre a demissão e a readmissão, pela mesma
1-3-2016) 154265 empresa, é exíguo ou inexistente, configurando a suposta
interrupção como fraude. Nesses casos, a dispensa do recla-
ADICIONAL NOTURNO mante é considerada nula quando seguida da imediata read-
JORNADA MISTA missão do empregado, preservando todos os direitos adqui-
ORIENTAÇÃO JURISPRUDENCIAL 388 DA ridos pelo trabalhador durante o primeiro período contra-
SDI-I DO TST tual. (TRT-3ª R. – RO 1281-2014-105-03-00-5 – Rel. Des.
– O empregado submetido a turno de 12x36, em jornada Manoel Barbosa da Silva – Publ. em 14-3-2016) 154241
que abranja a totalidade do período noturno, tem direito ao
adicional noturno inclusive sobre as horas trabalhadas após
CONTRATO DE TRABALHO
as 5h. Apelo da ré improvido no tópico. (TRT-2ª R. – RO PERÍODO DE TREINAMENTO
1404-12.2014.5.02.0068 – Relª Desª Kyong Me Lee – Publ. TEMPO DE SERVIÇO
em 15-3-2016) 154043
– No período de treinamento, o trabalhador encontra-se à
disposição da empregadora com o fim de adequar-se às
BANCÁRIO condições contratuais estabelecidas por esta, capacitando-o
CARGO DE CONFIANÇA
REQUISITOS
para o efetivo exercício das tarefas para as quais se compro-
HORAS EXTRAS meteu. Referido período assemelha-se à experiência, fa-
– Embora para a caracterização do cargo de confiança não zendo-se presentes, na indigitada fase, os requisitos cons-
se exija amplos poderes de mando, representação e substi- tantes dos artigos 2º e 3º, da CLT. Logo, deve ser compreen-
tuição do empregador, há de haver certas circunstâncias dido no tempo de duração do contrato de trabalho. (TRT-3ª
que permitam aferir a fidúcia depositada no empregado que R. – RO 279-2015-036-03-00-0 – Rel. Convocado Juiz José
exerça tal cargo, como, por exemplo, assinatura autorizada, Nilton Ferreira Pandelot – Publ. em 10-3-2016) 154253
existência de subordinados aos quais ele possa advertir,
acesso a dados sigilosos etc. Na hipótese dos autos, a recor- CONTRATO POR PRAZO
rente não se desincumbiu de provar que o autor exercia efe- DETERMINADO
tivamente cargo de confiança bancário, nos moldes do § 2º RESCISÃO ANTECIPADA
do art. 224 da CLT, seja por meio de documentos, seja por CLÁUSULA ASSECURATÓRIA DO DIREITO RECÍPROCO
intermédio da prova oral realizada. (TRT-2ª R. – RO 2590- – A inexistência de documento hábil através do qual se
82.2014.5.02.0064 – Relª Desª Mércia Tomazinho – Publ. possa averiguar a duração prevista para o contrato de tra-
em 15-3-2016) 154037 balho do Autor, aliada à menção expressa à cláusula assecu-
ratória do direito recíproco de rescisão antecipada no
COISA JULGADA TRCT, bem como o fato de não restar comprovado que o
AÇÃO ANTERIOR DECIDIDA contrato tenha se encerrado no prazo, tampouco que a
PEDIDOS INCOMPATÍVEIS ENTRE SI Reclamada tenha observado os requisitos legais para a con-
PRECLUSÃO LÓGICA tratação dessa natureza, ônus que lhe competia permite que
– Admitida, em ação trabalhista anterior, a condição de se conclua pela antecipação, por parte da Ré, da ruptura
empregado da empresa prestadora de serviços, não pode o contratual, a fazer incidir o disposto no artigo 481 da CLT,
trabalhador, posteriormente, em demanda diversa, alegar a mantendo-se incólume, no particular, a r. sentença recor-
JURISPRUDÊNCIA 262
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

rida. (TRT-1ª R. – RO 10131-36.2015.5.01.0202 – Rel. comparecer em juízo na qualidade de preposto da parte


Des. José Antonio Piton – Publ. em 1-3-2016) 154023 demandada, se tiver conhecimento dos fatos. Precedentes.
No caso dos autos, a empresa demandada possui, como
CONVENÇÃO COLETIVA sócias, pessoas jurídicas estabelecidas no exterior, de modo
MULTAS que, não sendo possível o comparecimento presencial dos
QUANTIDADE POR INSTRUMENTO VIOLADO sócios, o envio do administrador da empresa demandada à
– A despeito da redação da cláusula coletiva, que prevê o audiência, na condição de preposto, não constitui irregula-
pagamento uma única multa por ação, sua interpretação ridade. Preliminar acolhida. (TRT-2ª R. – RO 739-83.2014.
deve se dar em consonância com o entendimento previsto 5.02.0039 – Relª Desª Jane Granzoto Torres da Silva – Publ.
na Súmula 384, I, do TST, que determina o pagamento da em 15-3-2016) 154046
penalidade por cada instrumento coletivo violado. Assim,
considerando que as violações às cláusulas coletivas ocor- RESCISÃO DO CONTRATO
reram no decorrer de todo o contrato de trabalho – como se DE TRABALHO
observa da condenação proferida e do presente acórdão –, JUSTA CAUSA
tem-se por devida uma multa coletiva por instrumento vio- MAU PROCEDIMENTO
lado – e não por cláusula violada. (TRT-3ª R. – RO 1286- ÔNUS DA PROVA
2014-043-03-00-6 – Rel. Des. Milton Vasques Thibau de – A dispensa por justa causa, por acarretar consequências
Almeida – Publ. em 7-3-2016) 154254 inegavelmente danosas à vida privada e profissional do
empregado, deve ter o seu motivo cabalmente comprovado.
DANO MORAL No presente caso, não ficaram demonstradas nos autos as
DOENÇA ADQUIRIDA AO LONGO supostas condutas gravosas do reclamante, que seriam sufi-
DO CONTRATO DE TRABALHO cientes para autorizar o rompimento do contrato de trabalho
INDENIZAÇÃO por justa causa sem ônus para o empregador. (TRT-3ª R. –
– É devida a indenização por dano moral decorrente de RO 1328-2014-008-03-00-1 – Rel. Des. Paulo Mauricio
doença adquirida ao longo do contrato de trabalho quando Ribeiro Pires – Publ. em 15-3-2016) 154047
constatada a existência de nexo causal entre a enfermidade
apresentada pelo trabalhador e as condições de trabalho RESCISÃO INDIRETA DO
desenvolvidas na empresa. (TRT-1ª R. – RO 6-57.2015. CONTRATO DE TRABALHO
5.01.0283 – Relª Desª Dalva Amélia de Oliveira – Publ. em IMPROCEDÊNCIA DO PEDIDO
ABANDONO DE EMPREGO NÃO CONFIGURADO
2-3-2016) 154020
RECONHECIMENTO DE PEDIDO DE DEMISSÃO
– Uma vez constatada a improcedência do pleito exordial
EMPREGADO PÚBLICO de declaração da rescisão indireta do contrato de trabalho,
REGIME CELETISTA
sem que tenha sido configurada a justa causa de abandono
COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO
de emprego pela reclamante, alegada na defesa empresária,
– De acordo com o inciso I do artigo 114 da CF/88, “com- tem-se que a rescisão do pacto laboral operou-se por inicia-
pete à Justiça do Trabalho processar e julgar as ações oriun- tiva da própria obreira, devendo assumir os efeitos de um
das da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito pedido de demissão, notadamente para fins de apuração das
público externo e da administração pública direta e indireta verbas resilitórias devidas. (TRT-3ª R. – RO 1782-2014-
da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municí- 020-03-00-6 – Rel. Des. Jorge Berg de Mendonça – Publ.
pios”. Se o empregado mantém contrato de trabalho com o em 14-3-2016) 154242
ente público pelo regime celetista, a competência é desta
Especializada, nos moldes do dispositivo citado. Ressalto TERCEIRIZAÇÃO
que não se trata de apreciação de causa instaurada entre o SERVIÇOS BANCÁRIOS
Poder Público e servidor a ele vinculado por típica relação de LABOR EM ATIVIDADE-FIM E ESSENCIAL
ordem estatutária ou de caráter jurídico-administrativo, mas ILICITUDE
sim celetista. (TRT-3ª R. – RO 233-2015-157-03-00-0 – – Comprovado que os serviços terceirizados pelo Banco
Relª Convocada Juíza Ana Maria Espi Cavalcanti – Publ. estão intrinsecamente ligados à sua atividade-fim, labo-
em 11-3-2016) 154251 rando a autora em seu benefício, na realização de tarefas
essenciais ao alcance dos seus objetivos econômicos, des-
PREPOSTO virtua-se o instituto da terceirização, que não pode, e nem
ADMINISTRADOR DA EMPRESA deve, servir de suporte à sonegação de comezinhos direitos
POSSIBILIDADE trabalhistas aos empregados que ao tomador emprestam sua
– O entendimento consagrado na Súmula nº 377 do C. TST força laboral. Impõe-se, com supedâneo no artigo 9º da CLT
busca, tão somente, evidenciar que as empresas comuns e entendimento jurisprudencial cristalizado na Súmula 331,
não podem ser representadas por pessoas estranhas e sem item I, TST, a declaração da nulidade do contrato firmado
nenhum vínculo com empreendimento empresarial, ao con- com a empregadora meramente formal e a consequente for-
trário das micro e pequenas empresas, que podem se fazer mação do vínculo direto com o beneficiário dos serviços.
representar por terceiros. Nessa linha, o C. TST tem deci- (TRT-3ª R. – RO 1156-2014-043-03-00-3 – Rel. Des. Júlio
dido que o administrador da empresa tem legitimidade para Bernardo do Carmo – Publ. em 14-3-2016) 154058
JURISPRUDÊNCIA 261
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

Constitucional e Administrativo
CONCESSÃO DE SERVIÇO PÚBLICO mais especificamente da progressão. A aplicação dessa
TRANSPORTE URBANO DE PASSAGEIROS limitação também para o caso de enquadramento inicial do
REVOGAÇÃO DA TARIFA POR ATO JUDICIAL servidor, previsto no art. 15 e seguintes e regulado pelo
INCABIMENTO DO DEVER DE RESTITUIR, POR
PARTE DA EMPRESA CONCESSIONÁRIA
Decreto 5.824/2006, materializa exegese extensiva de nor-
ma restritiva de direito, o que não é possível. Precedentes.
– É incabível exigir da concessionária de serviço público a
devolução do valor de tarifa cobrada dos usuários de ser- Está a Administração adstrita, por imperativo Constitucio-
viço de transporte urbano de passageiros, praticado ao nal – art. 37, caput –, à legalidade estrita, não podendo dar
tempo em que vigorou o ato municipal – Decreto Execu- interpretação extensiva ou restritiva, se a norma assim não
tivo – que o fixou, regularmente emitido pela autoridade dispôs, porquanto essa é a aresta de sua atuação, não
competente; os atos do Poder Público são ornados da pre- podendo atuar aquém ou além dessa divisa. Recurso Espe-
sunção de validade e legitimidade e os seus destinatários cial provido. (STJ – REsp. 1.473.150 – RS – Rel. Min.
que os observam e os cumprem acham-se atuando de Mauro Campbell Marques – Publ. em 9-12-2015) 153685
boa-fé. Neste caso, houve somente a condenação da con-
cessionária, tendo-se como pressuposto a declaração de FUNCIONALISMO PÚBLICO
nulidade dos Decretos editados pelo Município de con- DESVIO DE FUNÇÃO
versão de moeda quanto à tarifa e de sua posterior elevação. ANALISTA JUDICIÁRIO DA ÁREA
Decretos esses que foram expedidos pela Municipalidade, ADMINISTRATIVA QUE DESEMPENHAVA
FUNÇÕES DE OFICIAL DE JUSTIÇA
sobre a qual não recaiu responsabilização alguma, o que
DIFERENÇAS REMUNERATÓRIAS
não se pode admitir em termos de lógica jurídica. (STJ –
REsp. 929.792 – SP – Rel. Min. Napoleão Nunes Maia – Ainda que o Tribunal Regional Eleitoral não possua cargo
Filho – Publ. em 31-3-2016) 154167 de Oficial de Justiça, se fazem necessários tanto o trabalho,
quanto o exercício de atividades inerentes a esta atribuição.
FUNCIONALISMO PÚBLICO O cargo inexiste formalmente – por uma escolha da admi-
TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DE nistração pública, que dispensa sua criação – porém o ônus
INSTITUIÇÃO FEDERAL DE ENSINO proveniente desta carência não pode ser imputado ao ser-
NOVO PLANO DE CARREIRA vidor que, diante da necessidade do trabalho, exerce função
APROVEITAMENTO DE CURSOS DE CAPACITAÇÃO para a qual não foi designado. A União, portanto, não se
PARA FINS DE ENQUADRAMENTO
desincumbe do dever de remunerar o servidor pelo trabalho
– O procedimento de enquadramento na carreira dos servi-
efetivamente prestado, alegando não ser necessária a cria-
dores optantes pelo novo Plano de Carreiras e Cargos Téc-
ção por lei do cargo de Oficial de Justiça, em virtude da
nico-Administrativos em Educação no âmbito das Institui-
ções Federais de Ensino vinculadas ao Ministério da Edu- pouca frequência com que são realizadas atividades ex-
cação, instituído pela Lei 11.091/2005, restou previsto no ternas no âmbito da Justiça Eleitoral. (TRF-4ª R. – Ap. Cív.
Capítulo VII da referida Lei, observados o seu art. 26, 5032672-42.2015.4.04.7100 – Rel. Des. Luís Alberto
inciso III, e o Anexo III, e a posterior regulamentação pelo D’Azevedo Aurvalle – Publ. em 15-3-2016) 154111
Decreto 5.824/2006, quanto ao enquadramento por nível de
capacitação. Por sua vez, o desenvolvimento na carreira, IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
contou com previsão específica em capítulo distinto da Lei RESSARCIMENTO AO ERÁRIO
11.091/2005 – Capítulo V, tendo a progressão por capaci- EXTINÇÃO DO PROCESSO PELA PRESCRIÇÃO
tação profissional também sido condicionada ao cumpri- IMPRESCRITIBILIDADE
mento dos requisitos contidos no Anexo III, porém, contou – Conquanto a discussão acerca da imprescritibilidade das
ainda, com regra impeditiva de soma das cargas horárias ações de improbidade administrativa, que versem sobre res-
dos cursos de capacitação realizados, consoante teor do § 4º sarcimento ao erário, esteja pendente de exame pelo STF, no
do art. 10 da Lei 11.091/2005, cujo teor foi alterado em RE 690.069 – Tema 666 –, submetido a procedimento de
2012 pela Lei 12.272, para permitir o somatório de cargas repercussão geral, a jurisprudência desta Corte dá pela im-
horárias de cursos realizados, à exceção daqueles com prescritibilidade, em reiterados precedentes. “A suspensão
carga horária inferior a 20 – vinte – horas-aula. A despeito
dos recursos que tratam de idêntica controvérsia, prevista no
de tanto o enquadramento inicial do servidor nos níveis de
capacitação, quanto o seu posterior desenvolvimento na art. 543-C do Código de Processo Civil, dirige-se aos Tribu-
carreira mediante capacitação profissional, estarem condi- nais de origem, não atingindo os recursos em trâmite nesta
cionados ao cumprimento das cargas horárias previstas no Corte.” – AgRg no AgRg no Ag 1.410.653/SC, Rel. Ministra
Anexo III da Lei 11.091/2005, inexiste proibição à soma Regina Helena Costa, Primeira Turma, julgado em
das cargas horárias para fins de enquadramento inicial, mas 18-6-2015, DJe 1-7-2015. Recurso Especial provido. (STJ –
tão somente a limitação prevista no § 4º do art. 10 da Lei REsp. 1.390.642 – SC – Rel. Convocado Des. Olindo Me-
11.091/2005, que trata do desenvolvimento na carreira e nezes – Publ. em 7-12-2015) 153693
JURISPRUDÊNCIA 260
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

MANDADO DE SEGURANÇA Segurança denegada. (STJ – MS 14.023 – DF – Rel. Min.


AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO Rogerio Schietti Cruz – Publ. em 4-3-2016) 154223
DO ATO COATOR
CARÊNCIA DA AÇÃO RESPONSABILIDADE
– A petição inicial de mandado de segurança deverá vir CIVIL DO ESTADO
acompanhada dos documentos indispensáveis à consta- CUMPRIMENTO DESPROPORCIONAL
tação do ato coator, de vez que cumpre ao impetrante com- E LESIVO DE MANDADO
provar, de plano, as alegações de fato que embasam sua pre- DE BUSCA E APREENSÃO
tensão. No caso sob apreciação, não há nos autos prova da DANOS MORAIS
exigência reputada como ilegal, no caso a cobrança de PRESCRIÇÃO QUINQUENAL
R$ 5.000,00 – cinco mil reais – para a liberação do veículo. – Caso em que a recorrente busca obter indenização por
Mesmo no mandado de segurança preventivo, é necessária danos morais e materiais decorrentes do cumprimento
a comprovação da iminência da prática de ato abusivo ou desproporcional e lesivo de mandado de busca e apre-
ilegal por parte da autoridade pública, ou a ameaça de lesão ensão, com fundamento na responsabilidade objetiva do
a direito. Resta evidente a inexistência de demonstração da Estado. A pretensão tem como suporte tático a diligência
liquidez e certeza do direito do impetrante. Apelação a que realizada por agentes da polícia federal em cumprimento a
se nega provimento. Feito extinto sem resolução de mérito, Mandado de Busca e Apreensão na residência da autora,
a teor do art. 267, VI, CPC. (TRF-4ª R. – Ap. Cív. 5018422- diligência esta observada por terceiros – vizinhos – e efeti-
92.2015.4.04.7200 – Rel. Des. Luís Alberto D’Azevedo vada supostamente sem descrição. Buscando a recorrente a
Aurvalle – Publ. em 15-3-2016) 154119
reparação de prejuízos advindos de ato imputado à União,
deve ser aplicada ao caso a norma geral do art. 1º do Decreto
PROCESSO ADMINISTRATIVO 20.910/1932. Tendo a ação ocorrido em 27-3-2003, mo-
DISCIPLINAR mento em que se realizou a suposta conduta ensejadora de
ANALISTA TRIBUTÁRIO dano, e a ação ajuizada em 2001, constata-se a ocorrência
DA RECEITA FEDERAL
da prescrição, no caso. Recurso Especial não provido. (STJ –
PENA DE CASSAÇÃO DE APOSENTADORIA
INEXISTÊNCIA DE VÍCIOS CAPAZES DE MACULAR
REsp. 1.530.589 – ES – Rel. Min. Herman Benjamin –
A LEGALIDADE DO PROCEDIMENTO Publ. em 30-6-2015) 151852
– Consoante a mais recente jurisprudência desta Corte, a
consumação do ato atacado na impetração preventiva não SERVENTIA EXTRAJUDICIAL
implica a perda de objeto da ação mandamental. Reconhe- TITULAR DE CARTÓRIO
cimento parcial de litispendência, considerando a impe- PERDA DA DELEGAÇÃO
tração de outros dois mandados de segurança que versam PREVISÃO LEGAL DA PENALIDADE
sobre suposta ilegalidade da instauração do procedimento – A decisão a que chegou o Órgão Especial do Tribunal de
disciplinar a partir de documento denominado “Relatório origem foi amparada em amplo arcabouço probatório, não
Reservado”, elaborado por servidor tido como suspeito, havendo, por parte do recorrente, demonstração de que a
bem como sobre o alegado cerceamento de defesa durante a realização da perícia, tal qual requerida, levaria à modifi-
tramitação do incidente de sanidade mental. Possibilidade cação do resultado do julgamento. Não cabe a esta Corte de
de análise dos demais aspectos formais do procedimento Justiça, na presente via, rever a decisão do Tribunal a quo
disciplinar, suscitados como causa de pedir somente nesta no que tange à prescindibilidade ou não do meio de prova
ação mandamental, vedado o exame das matérias já dedu- referido, notadamente se o recorrente sequer demonstra ter
zidas e analisadas em demandas anteriores. Inexistência de ocorrido ausência de motivação na decisão do Tribunal
provas da falta de isenção dos membros da comissão disci- estadual, ao indeferir a realização da prova referida. A pe-
plinar, não constituindo o mandado de segurança via ade- nalidade aplicada está largamente amparada na legislação
quada para a análise pormenorizada da questão, dada a nacional e estadual, havendo previsão acerca da autoridade
necessidade de dilação probatória. A declaração de possí- competente para sua imposição, no caso, o Conselho Disci-
veis nulidades no processo administrativo disciplinar, plinar da Magistratura, tal qual ocorrido. O controle jurisdi-
segundo o princípio da instrumentalidade das formas – pas cional dos processos administrativos restringe-se à regula-
de nullité sans grief –, depende da efetiva demonstração de ridade do procedimento, à luz dos princípios do contradi-
prejuízos à defesa do servidor. O mandado de segurança tório, da ampla defesa e do devido processo legal, não
não constitui via adequada para o reexame das provas pro- podendo adentrar na análise do mérito administrativo, tam-
duzidas em processo administrativo disciplinar, tampouco pouco na consistência das provas utilizadas na conclusão
à revisão do juízo de valor que a autoridade administrativa adotada pela comissão processante. As alegações formu-
faz sobre elas. Compreendida a conduta do impetrante nas ladas não têm o condão de desconfigurar as faltas prati-
disposições dos arts. 117, IX, e 132, IV, da Lei nº 8.112/90 – cadas pelo impetrante no Tabelionato, tampouco atenuar a
valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, sua pena, que se mostra proporcional, em razão das inú-
em detrimento da dignidade da função pública, e prática de meras irregularidades cometidas, de forma reiterada, pelo
improbidade administrativa –, inexiste para o adminis- recorrente. Recurso Ordinário a que se nega provimento.
trador discricionariedade a autorizar a aplicação de pena (STJ – RMS 38.934 – SC – Rel. Min. Og Fernandes – Publ.
diversa da demissão ou da cassação de aposentadoria. em 12-2-2016) 153834

JURISPRUDÊNCIA 259
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

Tributário
AÇÃO DE REPETIÇÃO DE INDÉBITO quinze dias que antecedem o auxílio-doença não pode ser
IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE ampliada para os casos em que há afastamento esporádico,
PAGAMENTO A MAIOR em razão de falta abonada. Precedente: AgRg no REsp.
TERMO INICIAL DO PRAZO DE PRESCRIÇÃO 1.476.604/RS, Rel. Ministro Mauro Campbell Marques,
– Não é cabível a glosa da quantia declarada como anteci- Segunda Turma, DJe 5-11-2014. Recurso Especial não pro-
pação do imposto devido, quando o contribuinte comprova a vido. (STJ – REsp. 1.563.543 – PR – Rel. Min. Herman
retenção realizada pela fonte pagadora conforme havia infor- Benjamin – Publ. em 4-2-2016) 153920
mado na declaração de ajuste anual. O termo inicial do prazo
de prescrição para repetição de IRPF pago a maior é a data de EXECUÇÃO FISCAL
entrega da declaração de ajuste anual, momento em que IPTU
oportunizado ao contribuinte o exercício da pretensão de res- SUBSTITUIÇÃO DO DEVEDOR
tituição do tributo, salvo quando se tratar de rendimentos PELO NOVO PROPRIETÁRIO DO
sujeitos à tributação definitiva ou exclusiva na fonte. IMÓVEL NO CURSO DO PROCESSO
(TRF-4ª R. – Ap. Cív. 5008521-12.2015.4.04.7100 – Rel. IMPOSSIBILIDADE
Des. Rômulo Pizzolatti – Publ. em 15-3-2016) 154098 – “O Superior Tribunal de Justiça assentou que ‘A Fazenda
Pública pode substituir a certidão de dívida ativa – CDA –
CONTRIBUIÇÃO PARA O SESI até a prolação da sentença de embargos, quando se tratar de
AGENTE FISCAL correção de erro material ou formal, vedada a modificação
ATRIBUIÇÃO TÍPICA DE AUTORIDADE do sujeito passivo da execução’” – Verbete nº 392 da
ADMINISTRATIVA Súmula do STJ. “Inocorre preclusão quanto ao exame das
LEGITIMIDADE PARA CONSTITUIÇÃO condições da ação, mesmo quando não alegada a ilegitimi-
E COBRANÇA DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO
dade pela parte interessada, eis que o reconhecimento pode
– As entidades e organizações em geral, dotadas de perso- ocorrer ex officio e a qualquer tempo e grau de jurisdição,
nalidade jurídica de direito privado, que recebem contribui- nos expressos termos do artigo 267, VI e § 3º, do Código de
ções parafiscais e prestam serviços de interesse público ou Processo Civil, ainda que o fato implique revogação de
social, estão sujeitas à fiscalização do Estado nos termos e anterior decisão, salvo se nelas lastrada”. – AC nº 2014.
condições estabelecidas na legislação pertinente a cada 063222-6, de Joinville, Rel. Des. Paulo Ricardo Bruschi, j.
uma – Decreto-lei nº 200/67, art. 183. O representante do 14-4-2015. (TJ-SC – Ap. Cív. 2015.086891-0 – Rel. Des.
Sesi encontra-se investido das atribuições de fiscalização e
Paulo Henrique Moritz Martins da Silva – Julg. em
arrecadação direta da contribuição adicional de que trata o
28-1-2016) 153783
art. 3º, § 1º do Decreto-lei nº 9.403/46, conforme dispõe o art.
art. 11, § 2º, do Decreto nº 57.375/65. A fiscalização do Sesi,
no exercício de atribuição típica de autoridade administra- IMPOSTO DE EXPORTAÇÃO
tiva tem legitimidade para constituir crédito tributário rela- REGIME DE DRAWBACK
EXTENSÃO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS
tivo à contribuição adicional de que trata o art. 3º, § 1º do
NÃO CABIMENTO
Decreto-lei nº 9.403/46. É farta a jurisprudência desta Casa
que reconhece a legitimidade ativa das entidades do sistema – O drawback constitui um regime aduaneiro especial, que
“S” para a cobrança das respectivas contribuições adicionais, pode apresentar-se em três modalidades – isenção, sus-
quando por si fiscalizadas/lançadas. Na hipótese, as Notifi- pensão e restituição de tributos – e é classificado como
cações de Débito, relativas a fatos geradores ocorridos nos incentivo à exportação, nos termos dos arts. 1º, I, da Lei
anos de 2001 a 2006, foram expedidas por agente fiscal do nº 8.402/92 e 382, caput, do Decreto nº 6.759/2009. O in-
Sesi no exercício de atribuições do Poder Público Federal, centivo consubstancia-se na desoneração do processo de
em 8-12-2006, razão pela qual são legítimos os lançamentos produção, o que acaba tornando a subsequente mercadoria
efetuados, não havendo que se falar em decadência, pois nacional mais competitiva no mercado global. O caso
constituído o crédito tributário dentro do quinquênio pre- versa acerca da suspensão de tributos incidentes sobre
visto no art. 173, I, do CTN. Recurso Especial provido em insumos importados para serem utilizados na industriali-
parte. (STJ – REsp. 1.555.158 – AL – Rel. Min. Mauro zação de couros bovinos e bubalinos, com o compromisso
Campbell Marques – Publ. em 29-2-2016) 154121 de futura exportação, após o processo de beneficiamento,
tratando-se, portando, do denominado drawback-suspen-
CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA são. A Recorrente sustenta que o benefício fiscal do Im-
ATESTADOS MÉDICOS EM GERAL posto de Importação, que é próprio do drawback, há de ser
FALTA ABONADA estendido também ao Imposto de Exportação, na operação
INCIDÊNCIA subsequente. O drawback, sendo benefício fiscal, exige
– Incide a contribuição previdenciária sobre “os atestados previsão em lei específica para sua concessão, revelando-se
médicos em geral”, porquanto a não incidência de contri- inviável estender, pura e simplesmente, ao Imposto de
buição previdenciária em relação à importância paga nos Exportação – CF, art. 155, § 6º, e CTN, art. 111. Recurso
JURISPRUDÊNCIA 258
ADV FASCÍCULO SEMANAL 17/2016 COAD

Especial não provido. (STJ – REsp. 1.313.705 – PR – Relª direito só é garantido após a vigência da Lei 9.779/99.
Minª Regina Helena Costa – Publ. em 8-3-2016) 154207 Recurso Especial da Fazenda Nacional provido para deli-
mitar o direito ao creditamento do IPI após o advento da Lei
IMPOSTO DE RENDA 9.779/99 e o ajuizamento da ação – out./2001. (STJ – REsp.
BOLSA DE EXTENSÃO 811.486 – RN – Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho –
ATIVIDADE DE ESTUDO E PESQUISA Publ. em 8-3-2016) 154206
ISENÇÃO
– São isentas ao imposto de renda as verbas percebidas a SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA
título de bolsa de extensão, pagas pela Fundação Médica do IMPOSTO NÃO RECOLHIDO
Rio Grande do Sul, a Professor Preceptor vinculado ao Pro- PELO SUBSTITUTO POR CONTA
grama de Docência em Residência Médica e Assistência à DE DECISÃO JUDICIAL
Saúde junto ao Hospital de Clínicas de Porto Alegre, uma IMPOSSIBILIDADE DE COBRANÇA DO SUBSTITUTO
EM RELAÇÃO ÀS EXAÇÕES GERADAS NO
vez que a atividade desenvolvida é de estudo e pesquisa – PERÍODO DE VIGÊNCIA DO DECISUM
art. 26 da Lei 9.250/95. Precedentes do STJ no sentido de
que são isentas ao imposto de renda as bolsas de estudo e de – Nos termos do art. 128 do CTN, o responsável tributário
pesquisa caracterizadas como doação, quando recebidas não é equiparado ao contribuinte, mas é aquele que, embora
exclusivamente para proceder a estudos ou pesquisas e não tenha relação direta com o fato gerador, possui algum
desde que os resultados dessas atividades não representem vínculo com a situação enquadrada na hipótese de inci-
vantagem para o doador, nem importem contraprestação de dência. A regra, portanto, é que o substituto tributário
serviços. Precedentes desta Regional. Recurso Provido. assume os deveres do sujeito passivo para o recolhimento
(TRF-4ª R. – IU 5013573-23.2014.4.04.7100 – Rel. Des. do tributo – no caso, o ICMS –, e deve ter a possibilidade de
Giovani Bigolin – Publ. em 14-3-2016) 154094 repassar o seu ônus ao verdadeiro contribuinte, mediante a
inclusão do valor do imposto no preço das mercadorias. No
caso concreto, a empresa recorrida estava desobrigada do
IMPOSTO DE RENDA ônus tributário, tendo em vista decisão judicial que afastou
AUXÍLIO-CONDUÇÃO o regime da substituição tributária. Dessa forma, conside-
PRAZO PRESCRICIONAL rando que houve decisão judicial autorizando a desconsi-
– No julgamento do RE nº 566.621/RS, Relatora, a Ministra deração do regime da substituição tributária, não há como
Ellen Gracie, submetido ao regime da repercussão geral, o responsabilizar o substituto pelo inadimplemento do tri-
Supremo Tribunal Federal reconheceu a inconstitucionali- buto, pois estava protegido por força de decisão judicial.
dade do art. 4º, segunda parte, da Lei Complementar nº 118, Recurso Especial a que se nega provimento. (STJ – REsp.
de 2005, considerando válida a aplicação do novo prazo de 1.068.811 – RS – Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho –
5 – cinco – anos tão somente às ações ajuizadas após o Publ. em 7-3-2016) 154215
decurso da vacatio legis de 120 dias, ou seja, a partir de
9-6-2005. Hipótese em que a ação foi ajuizada em TAXA DE FISCALIZAÇÃO DE
3-8-2005, posteriormente à vigência da Lei Complementar, VIGILÂNCIA SANITÁRIA
estando, portanto, sujeita ao novo prazo prescricional de 5 – RENOVAÇÃO DE REGISTRO
cinco – anos nela previsto. Acórdão proferido pela Primeira DE MEDICAMENTO SIMILAR
Turma que, seguindo a orientação da Corte Especial ado- PERANTE A ANVISA
tada no julgamento da Arguição de Inconstitucionalidade REQUERIMENTO DE DESISTÊNCIA PROTOCOLADO
ANTES DA DECISÃO FINAL
nos EREsp. nº 644.736/PE, destoa do entendimento consa-
DESINFLUÊNCIA QUANTO À INCIDÊNCIA
grado pelo Supremo Tribunal Federal. Recurso Especial
desprovido, em juízo de retratação. (STJ – REsp. 983.167 – – A Taxa de Fiscalização de Vigilância Sanitária prevista
RS – Rel. Convocado Des. Olindo Menezes – Publ. em no art. 23, § 1º, da Lei nº 9.782/99, na hipótese de pedido de
22-2-2016) 154154 renovação de registro de medicamento similar perante a
Anvisa, revela-se exigível sempre que desencadeadas pro-
vidências concretas pelo órgão fiscalizador para aferir a
IMPOSTO SOBRE PRODUTOS pertinência do pedido a ele dirigido; em tal contexto, rema-
INDUSTRIALIZADOS nescerá exigível a mencionada taxa, mesmo que manifes-
CREDITAMENTO tado pedido de desistência pelo interessado antes da res-
AQUISIÇÃO DE INSUMOS E MATÉRIAS-PRIMAS posta final do órgão de vigilância sanitária. Precedente:
TRIBUTADOS APLICADOS NA INDUSTRIALIZAÇÃO
DE PRODUTO FINAL ISENTO, NÃO TRIBUTADO REsp. 1.109.286/SC, Rel. Min. Herman Benjamin, 2ª Tur-
OU FAVORECIDO COM ALÍQUOTA ZERO ma, DJe 31-8-2009. Não se pode, pois, reduzir a contro-
– O direito ao creditamento do IPI, decorrente da aquisição vérsia em questão apenas à verificação da presença do ato
de matéria-prima, produto intermediário e material de concreto e final do deferimento da renovação de registro –
embalagem utilizados na fabricação de produtos isentos ou ou de sua recusa –, sendo, antes, suficiente à caracterização
sujeitos ao regime de alíquota zero, exsurgiu apenas com a do exercício do poder de polícia da Anvisa, enquanto fato
vigência da Lei 9.779/99 – STF, RE 562.980/SC, Rel. Min. gerador da exação, a prática de efetivas providências admi-
Ricardo Lewandowski, Rel. p/Acórdão Min. Marco nistrativas antecedentes e necessárias à final apreciação da
Aurélio, Tribunal Pleno, DJe 4-9-2009. O acórdão anterior- pretendida renovação de registro, o que, ressalte-se, restou
mente proferido pela 1ª Turma do STJ destoa do entendi- bem evidenciado no caso em exame. Recurso Especial par-
mento do STF no ponto em que mantém a sentença quanto cialmente provido. (STJ – REsp. 1.122.200 – SC – Rel.
ao direito ao creditamento do IPI, sem observar que tal Min. Sérgio Kukina – Publ. em 28-3-2016) 154186

JURISPRUDÊNCIA 257