Вы находитесь на странице: 1из 3



André de Melo Santos*


De dois em dois anos temos no ideologia da representação e, no fundo,
Brasil um período eleitoral, vivemos expressam os interesses de uma ou outra
numa dita democracia em que os meios classe ou fração de classes existentes.
de comunicação bombardeiam a Não podemos esquecer que as
população com a necessidade de votar e eleições são uma parte da engrenagem da
bem para escolher seus ditos sociedade capitalista, logo as eleições
representantes. Ocorre que cada vez mais servem para legitimar o sistema existente
fica evidente que os partidos visam com suas contradições. A sociedade
chegar ao poder e neste se manter e os capitalista que se caracteriza
discursos ficaram em segundo plano. fundamentalmente pela extração da mais
Desta forma os partidos de esquerda que valia em que duas classes se apresentam
diziam defender os trabalhadores uma como as principais, a burguesia e o
vez no poder fazem o discurso do patrão. proletariado, e para dominar o
Diante desse quadro o processo eleitoral proletariado que é a grande maioria a
sofre um desgaste diante da sociedade, burguesia se utiliza de vários
pois está já não deposita tantas mecanismos e um deles é o processo
esperanças nesse processo como em eleitoral. No processo eleitoral temos os
tempos passados. Assim, vemos surgir partidos de direita, que representam o
movimentos alternativos que propõe uma capital embora tenham um discurso
discussão que ultrapassa os limites do universal, ou seja, governam para todos –
processo eleitoral onde se discute as ocultando que esse ‘’todo’’ se limita à
bases dessa sociedade, pela radicalidade e burguesia – e os partidos de esquerda,
coerência das propostas podemos dizer que dizem defender a classe trabalhadora
que estes grupos trazem de volta o e uma vez no poder todos tem que rezar
pensamento utópico. na cartilha do capital. Embora possa
Votar ou não votar! Eis a questão também permitir a integração de
que nos é colocada a cada dois anos, ou trabalhadores, mas, a questão é que ao
como diz a propaganda oficial, devemos integrar o partido vai encontrar uma
escolher bem nossos governantes, o organização burocratizada, além de que
Brasil precisa do seu voto. Todo mundo os políticos profissionais acabam ditando
já está cansado desse sistema eleitoral, as regras e tendo mais privilégios. Além
porque a cada eleição aparece um projeto disso, uma vez no partido, o indivíduo ou
de mudança, mas quando chega ao poder segue as regras do partido, ou sai. E
o partido segue o mesmo projeto que aqueles que continuam e conseguem a
outrora criticava. Vejamos no caso do ascensão dentro do partido se aliam aos
atual governo, durante o governo anterior interesses dos capitalistas e continuam
o partido do atual foi o maior opositor, reproduzindo a burocratização. Aqueles
denunciava a implantação do que buscam criticar a posição do partido
neoliberalismo e suas conseqüências e são expulsos ou marginalizados dentro do
hoje no poder deu prosseguimento a essa próprio partido.
política, de forma dissimulada e com o O voto nulo tem por objetivo
discurso de manter a governabilidade. denunciar a farsa eleitoral, e ir além, e
Segundo Viana (2003a), os partidos podemos indicar isto como o
políticos são organizações burocráticas renascimento da utopia. O voto nulo é
cujo objetivo é conquistar o poder estatal uma luta de diversas organizações
e assim legitimar tal luta utilizando a existentes na sociedade brasileira. Estas
Revista Enfrentamento – no 08, Jan./Jul. 2010 27
organizações se caracterizam por uma para que este fosse mais justo, uma vez
crítica da burocracia e de como esta no poder assumiram uma postura
domina os partidos políticos. Também moderada e na prática conduzem o
retomam correntes que dentro do governo com as mesmas políticas
marxismo foram marginalizadas, mas que implantadas pelos anteriores. Diante disto
no conteúdo retomam as teses de Marx é inevitável um clima de descrença do
que segundo a qual a revolução será obra eleitorado, mesmo que não manifestado
da própria classe trabalhadora e para isso de forma consciente, e assim o voto nulo
não precisa da mediação de nenhum se apresenta como uma proposta
partido ou sindicato. alternativa que não se limita ao processo
Assim, vemos nestes movimentos eleitoral e busca trazer o debate para a
renascer o pensamento utópico, no questão fundamental, ou seja, discutir as
sentido que Ernst Bloch teorizou. bases da sociedade capitalista e suas
Segundo Bicca (1986, p-80) formas de dominação.
Pensamento utópico como A democracia burguesa é a forma
utopia concreta não almeja que a burguesia encontrou para
nenhuma distância com relação a reproduzir seus privilégios que são
seu objeto; muito pelo contrário: conseqüentes da exploração que mantém
como pensamento orientado para o
sobre as classes exploradas, criando
futuro – em vez de simples
pensamentos de desejosos mecanismos que favorecem a burocracia
entusiásticos – é uma busca partidária e restringe a participação
constante de mediação com o seu popular. Desde o fim da ditadura militar,
conteúdo. praticamente, os principais partidos tanto
Desta forma, utopia concreta é de direita como de esquerda chegaram ao
uma consciência antecipadora, um querer poder, e em razão disso surgiu uma
que impulsiona o ser para o futuro e vai ilusão, devido o fato de os partidos de
contra a ideologia da sociedade esquerda fazerem o discurso de que
capitalista que desilude e a qual contribui defendem a classe trabalhadora e
para essa condição ruim que vivemos prometem uma mudança nas políticas
como algo natural. estatais. Diante disso cria-se uma
Tem sido dito, constantemente na expectativa muito grande em torno desses
imprensa, expressões do tipo “as eleições governos. Podemos citar a euforia que foi
não pegaram” ou “as eleições ainda não a eleição do PT à presidência da
empolgaram a população”. O que os república. Porém, como já era esperado,
jornalistas querem dizer com isto é que a não mudou nada, um partido que
população não se interessa pelo processo participa do processo eleitoral é igual a
eleitoral de hoje como se interessavam no todos os outros partidos, mesmo que diga
passado recente, como exemplo a ser diferente. Segundo Viana (2003 b, p-
mobilização popular em torno das 12),
eleições de 1989. Isso acontece porque Os partidos políticos são
todos os partidos, inclusive os da “dita organizações burocráticas que
esquerda”, representam o mesmo projeto visam à conquista do Estado e
buscam legitimar essa luta pelo
político, mesmo com as devidas poder através da ideologia da
maquiações para se apresentarem como representação e expressam os
diferentes para o público. No Brasil os interesses de uma ou outra classe
partidos de esquerda que ou fração de classes existentes.
tradicionalmente estiveram na oposição, Vejamos o que ocorre no Brasil, o
tinham um discurso mais radical que governo anterior do PSDB implantou o
pregavam mudanças profundas no Estado neoliberalismo no país, este se caracteriza
o
Revista Enfrentamento – n 08, Jan./Jul. 2010 28
por privatizações, redução de direitos quebuscam a transformação social, e não
trabalhistas e previdenciários, enfim compactuam com o processo eleitoral,
criou condições para que as taxas de logo, não podem ser incluído neste todo.
lucro dos capitalistas não caíssem. Isso E a crítica radical favorece o
gerou o desgaste político do governo renascimento de tendências de esquerda
anterior e foi o combustível para a que foram marginalizadas, mas que pela
propaganda do PT, e este, uma vez no sua coerência continuam vivas.
poder deu seqüência ao projeto Conselhistas, autogestionários e
neoliberal, ou seja, não mudou nada. anarquistas, correntes que são contra o
O ponto importante desse processo reformismo e o burocratismo cada vez
foi o da unificação dos partidos de mais ganham espaço no mundo atual.
esquerda com os da direita, uma vez que Assim podemos dizer que temos
os partidos de esquerda chegaram ao um renascimento da utopia, no sentido
poder mudaram o discurso e começaram que Ersnt Bloch (2005) propõe, ou seja,
a defender bandeiras que outrora uma utopia concreta, um querer que
atacavam. Diante deste quadro o voto impulsiona a uma transformação social
nulo se apresenta como uma alternativa, ao contrário da própria ideia de utopia
mas uma alternativa mais radical que visa que existe na nossa sociedade, utópico é
questionar as bases dessa sociedade para visto como um ‘’sonhador’’ ou utopia
concretamente propor uma mudança. abstrata no sentido de algo não ser
Primeiramente, não podemos analisar o realizável. Para a utopia concreta temos
processo eleitoral isoladamente do resto que buscar meios de realizar esses
da sociedade capitalista, ele é parte da sonhos, e no caso da política temos que
engrenagem, pois, na sociedade lutar, para que o sonho de uma sociedade
capitalista tem os grupos de oposição sem exploração se torne possível.
* Especialista em Ciência Política.

Revista Enfrentamento – no 08, Jan./Jul. 2010 29