Вы находитесь на странице: 1из 12

Gis Ida Brito SiI a

org nizadora
ISBN 85-874-5937-6
Copyright © Giselda Brito Silva

Direitos desta edição reservados à


EDITORA DA UFRPE
Rua Dom Manoel de Medeiros, sln - Dois Irmãos. Recife/PE. CEP:
52.171-300
Fone: (081) 3320 6000
Email: editora@ufrpe.br
Web site: www.ufrpe.br

Impresso no Brasil I Printed in Brazil


Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta
publicação, no todo ou em parte, constitui violação do copyright (lei nO
9.610/98).
Os conceitos, redação e correção textual neste livro são de inteira
responsabilidade dos autores.

1a. Edição - 2007

Revisão dos originais e formatação: Giselda Brito Silva


Apoio na leitura dos textos e avaliação dos conteúdos: João Fábio
Bertonha

Capa: Giselda Brito Silva


As imagens utilizadas na montagem da capa foram retiradas de
Prontuários Funcionais da AIB do Arquivo Público do Estado de
Pernambuco (APEJE) e do livro Imagens do Sigma, organizado por
Luiz Henrique Sombra e Luiz Felipe Hirtz Guerra, editado pelo Arquivo
Público do Estado do Rio de Janeiro, 1998.

Ficha catalográfica
Setor de Processos Técnicos da Biblioteca Central- UFRPE
E82 Estudos do integralismo no Brasil I Giselda Brito Silva, organizadora.
- Recife: Ed. da UFRPE, 2007. 265 p. ; il.
ISBN: 85-874-5937-6
Inclui bibliografia.
1. Brasil - História 2. Integralismo 3. Autoritarismo
4. Igreja 5. Tradíção (Teologia) 6. Persequição polltica
7. Ditadura e ditadores I. Silva, Giselda Brito
CDD 981
SUMÁRIO

Apresentação
Hélgio Trindade 07
Introdução
João Fábio Bertonha 09
1. Pesquisas sobre o integralismo na década de 1970
René E. GERTZ13
2. Origens do integralismo em debate: pensando a
biografia de Plínio Salgado nos anos 20
Leonardo Ayres PADILHA 27
3. Integralismo e Historiografia
Edgar Bruno Franke SERRA TTO 45
4. Integra listas e Católicos: as relações discursivas entre
intelectuais católicos pernambucanos e a Ação Integralista
Brasileira (1930-1937)
Carlos André Silva de MOURA 65
5. Tradição e Cristianismo: o nascimento do Integralismo
em Juiz de Fora
Leandro Pereira GONÇALVES 81
6. O Integralismo em Pernambuco: uma história entre
tantas da Ação Integralista Brasileira
Giselda Brito SIL VA 97
7. O Legionário Integralista: um novo homem para uma
nova Era
Raimundo Barroso CORDEIRO JÚNIOR 117
8. O homem no espelho e a Legião Cearense do Trabalho:
religião e política nas terras de Alencar
Emilia Camevali da SIL VA 141
9. A imprensa integralista de São Paulo e os
trabalhadores urbanos (1932-1938)
Renato Alencar DOTTA 163
10. Integralismo Proh Pudor! A crítica da grande imprensa
frente às comemorações dos 25 anos do Integralismo
Rodrigo CHRISTOFOLETTI 183
11. Entre Sigmas e Suásticas: nazistas e integralistas no Sul
do Brasil
Ana Maria DIETRICH 205
12. Fotografias, gênero e autoritarismo: representações de
feminino pela Ação Integralista Brasileira
Tatiana da Silva BULH()ES 219
13.1955: A campanha de Plínio Salgado à Presidência
Gilberto Grassi CALlL 237
5. TRADiÇÃO E CRISTIANISMO:
o nascimento do integralismo em Juiz de Fora"

Leandro Pereira Gonçalves ••

As primeiras leituras bibliográficas sobre o integralismo


confirmaram a inexistência de um completo estudo sobre a atuação
deste movimento na cidade de Juiz de Fora. À exceção de um trabalho
que relata o integralismo de forma bem factual - cujo título é Ação
Integralista Brasileira: seus reflexos em Juiz de Fora, realizado em
1973, quando muitos militantes ainda estavam vivos, nada mais se
encontra sobre a atuação do movimento na cidade. Trata-se de um
trabalho apresentado no IIº Prêmio de Pesquisa promovido pelo DCE
da Universidade Federal de Juiz de Fora, realizado na época pelo
acadêmico Maurício de Castro Corrêa, que serviu de base para tratar
do tema dentro das novas condições e possibilidades do trabalho
historiográfico acerca do integralismo no Brasil.
Além da ausência de estudos do movimento na cidade de Juiz
de Fora, a escolha do tema, Tradição e Cristianismo: o nascimento do
integralismo em Juiz de Fora, se deve, ainda, à percepção das
particularidades do movimento nesta cidade em relação às demais
localidades. Aqui, a Ação Integralista Brasileira (AIB) teve sua semente
plantada dentro de uma instituição religiosa metodista, diferente,
portanto, de muitas localidades onde o catolicismo foi o grande
pioneiro.
A Igreja Católica chegou a apoiar o movimento na cidade, mas
a base inicial se encontra na Igreja Metodista, que através de um
~rande centro educacional secular denominado Instituto Granbery,
Investiu na construção ideológica de controle da população pela
educação metodista, que veiculava um discurso previamente
prep~rado de acordo com a situação. Foi justamente através da força
~os Ideálogos metodistas que nasceu o integralismo juizforano, com a
~nte9ração do discurso integralista conservador ao discurso metodista
o Contexto religioso da década de 1930.
O movimento integralista surgiu através do interesse de vários
~~pos de intelectuais no Brasil, todos eles descontentes com a política
daIS~~nteaté então. Esse movimento foi decisivo na formação política
SOco ecada de 1930, tendo ampla repercussão no campo político e
19~~1 no Brasil. Iniciando suas atividades no princípio da década de
Pass' sob a liderança do escritor e jornalista Plínio Salgado, a AIB
divUloU a atuar formalmente através do Manifesto de outub.ro de 1~32,
Pelo~ado para todo o país. Sua organização, fortement~ Influen::lada
mOVimentos fascistas europeus, priorizava a arreglmentaçao de

81
militantes e seu enquadramento em uma estrutura hierárquica A inserção do Integralismo em Juiz de Fora
burocrática. A partir. de então, logrou intenso e rápido crescimen
ascendente até a decretação do Estado Novo em novembro de 193 A vinda de Gustavo Barroso a Juiz de Fora ocorreu através do
quando foi proibido de atuar juntamente com outros partidos lt to Granbery da Igreja Metodista, que em seu jornal de circulação
movimentos. A hierarquia do movimento colocava Plínio Salgado co Instl ua do dia 20 de outubro de 1933, divulga a seguinte manchete: "O
Chefe Nacional e todos os demais membros tinham que jur inte~bery orgulha-se de ter como h?spede de honra, o .ilustre ~ra.sileiro
obediência às suas ordens, sem discussão. Logo após o lançamen Gra Gustavo Barroso, digno preSidente da Academia Brasllelfa de
oficial da Ação Integralista Brasileira, Plínio Salgado inicia su oro ,.2
articulações políticas pelo país, aglutinando o apoio da mocidade Letras. Em Juiz de Fora, ele fez parte do que era chamado de
transformando, assim, a AIB no principal partido de extrema-direita andeira ou Caravana Integralista, movime~to qu~ tinha ~o~o obje~ivo
busca do poder nos anos 30. B d utrinação, a divulgação e a propagaçao da Ideologia mtegrahsta
Ao analisar a década de 1930, no Brasil, logo nos deparam ael~ Brasil. O Chefe das. Milícias Integralistas~ Gustavo. Barro~o,
com as ações da Ação Integralista Brasileira,' movimento político d ~tiliZOUseu prestígio de presidente da ABL, para dl~ulgar as Ideologias
extremo conservadorismo que se articula com os discursos religioso olíticas integralistas entre os .pro!essore~ e alun~s.. .
defendendo principalmente a tradição. No país, o integralismo propõ p Desse grupo, o pioneiro do movimento mtegrahsta em JUIZ de
se a combater o liberalismo, o socialismo, o capitalismo internacional Fora foi o professor de Sociologia Oscar Machado, ent~o direto~ dos
as sociedades secretas vinculadas ao judaísmo e à maçonaria. Co ursosGinasial e Comercial do Instituto Granbery da Igreja Metodlsta e
esse discurso ideológico de combate em defesa às tradições cujo lem ~embro da Igreja Metodista Central de Juiz de tora que cedeu. ~s
é: Deus, Pátria e Família, os integralistas contaram com um expressiv dependências do colégio para Gustavo Barroso. Segundo Mauncl.o
número de filiados. Na crise liberal, as opções eram comunismo Corrêa,além de Barroso, também Plínio Salgado teve atu~ção e~ JUIZ
fascismo, e as famílias religiosas tradicionais, que possuíam de Fora. No dia 27 de novembro de 1933, o chefe dos mtegrahstas,
tendências políticas, ficaram ao lado do fascismo. Descartando, proferiu uma sé~ie de con~~rênci~s doutrinárias para divul~ar a
principalmente, o comunismo, essas famílias investem no integralismo ideologia integrahsta. Sua visita foi fundam~ntal para consohd~r a
que apresenta grande relação entre a religião e a política, mais forte fundação do núcleo municipal que ganhou muitos adeptos logo apos a
5
combate ao comunismo. visita do Chefe em dezembro de 1933. .

Em 1936, o Integralismo chegou ao auge de suas atividades, Em março de 1934, um grupo de integralistas chegou à cidade
com milhares de células espalhadas por todo o país e, Plínio Salgado, ampliando a consolidação do movimento, quando ocorreu a posse do
vangloriava-se de que o número de seus militantes alcançava a cifra professor Oscar Machado como primeiro chefe municipal do
de um milhão de pessoas. Ao mesmo tempo, defendia que sua milícia integralismo. Após o lançamento da semente integralista, o professor
reunia cerca de cem mil indivíduos em condições de combate. AS iniciou o processo de divulgação e ampliação do mo~iment~ com a
pretensões integralistas em atingir o poder pareciam, assim, bastante preparação de um forte veículo de propaganda atraves do Jornal O
realistas até que Getúlio Vargas resolveu por fim às pretensões do Sigma. A partir daí, instalou-se a organização da milícia integralista
líder integralista em 1937. jUizforanae da sede oficial do movimento.
Mostraremos um pouco de toda essa atuação na cidade de
Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira; onde a AIB passou a se A Igreja Metodista no campo da educação
destacar logo após três conferências doutrinárias ocorridas nos dias
20, 21 e 22 de outubro de 1933,1 realizadas pelo Chefe das Milícias O metodismo, que fez parte do movimento da Reforma
Integralistas, presidente da Academia Brasileira de Letras, Gustave Protestante, nasceu na Inglaterra no século XVIII, sob as i~éias de
Barroso. J?~n Wesley, ministro da Igreja Anglicana que ~eve a oportunld~de de
Viajar por cinqüenta anos, pregando e organizando uma SOCiedade
tnetodista por todo Reino Unido. Essas viagens tiveram como meta
destacar os problemas sociais da época oriundos da Revolução
IndUstrial,apontada como responsável por uma transforma9ão de toda
estrutura social inglesa. As idéias de John Wesley foram ainda a base
83
82
da organizaçã? de uma. educação destinada especificamente aos
adu.ltos. C~m ISSO, o ensln? ocupou um lugar privilegiado na ação stratégico usado na doutrina, por isso a necessidade de se construir
social, servindo para construir escolas destinadas a instrução de todos escolas. A educação passou a ser vista como um processo de
. A .Igrej~ Me~odista em pouco te~po se expandiu por todo ~ ~ormaçãocontínua do indivíduo, tendo como objetivo reformar o caráter
Reino Unido, inclusive tornando-se muito poderosa na América do e a vida dos homens.
Norte. No decorrer do século XVIII, na América Inglesa, a difusão do Em pouco tempo, o metodismo se transformou numa das
IIuminismo permitiu a abertura de novas formas de pensamentos maiores forças educacionais da Inglaterra no século XIX e de forma
religiosos, tendo como participação a Igreja Metodista. Após o rápida, chegou aos Estados Unidos como uma grande força religiosa
processo de Independência das Treze Colônias e a formação dos influenciando a vida e a cultura da população. Na segunda metade do
Estados Unidos da América, os metodistas iniciaram um movimento de século XIX, era a instituição religiosa de maior denominação e
expansão religiosa com muito sucesso, sendo o maior movimento dominação nos Estados Unidos. Identificava-se como a nação
protestante dos Estados Unidos, com vários princípios como o escolhida por Deus como dominante, devido à liberdade conquistada
individualismo, marca do IIuminismo liberal, presente no século XVIII. após a Guerra Civil. Por isso acreditava que as nações mais evoluídas
O metodismo chegou ao Brasil através das missões dos tinham o dever de civilizar as nações mais atrasadas do mundo. Essa
Estados. Unidos, no século XIX, tendo uma primeira tentativa entre dominação não só é restrita ao campo religioso, mas também, ao
1836 e 1841 ea segunda investida iniciada em 1876. Os metodistas político. Segundo Hooding Carter," quando os pregadores metodistas
além de quererem implantar a religião no Brasil, têm o objetivo de falam, os políticos os ouvem com a mesma atenção que suas próprias
transmitir os valores estadunidenses de liberdade, civilização e congregações.
progresso. O metodismo chegou ao Brasil com os ideais do liberalismo O nacionalismo religioso metodista, que está presente nos
já consolidados na América do Norte e foram justamente esses ideais Estados Unidos, propunha comunicar ao mundo, valores e ideais da
que exerceram um especial atrativo naqueles que desejavam América do Norte, dando assim legitimidade ao expansionismo
modificações, devido a uma política escravocrata e tradicional que era imperialista. O liberalismo foi o principal referencial teórico dessa
a do Brasil. Com isso a expansão do metodismo ocorreu no meio expansão. É nessa linha de raciocínio, que foi enviado ao Brasil,
urbano, favorecida por uma burguesia em ascensão com algumas missões procurando promover a ideologia estadunidense no
características modernas e por instituições de ensino que começavam continente.
a ser criadas. Segundo Mesquida.'" o Joumal of the General Conference of
É nesse contexto que o metodismo chega a Juiz de Fora no lhe Methodist Episcopal Church (1880) publicou que o metodismo dos
ano de 1884, com uma identidade liberal e progressista. Em pouco Estados Unidos manifesta um profundo sentimento nacionalista e a
tempo, avançou por toda a região mineira, inclusive a cidade de Juiz aceitação à política liberal, por isso as instituições de ensino têm como
de Fora, com a fundação de uma instituição de ensino, o Collegio propósito modelar e promover essas idéias. O metodismo tem como
Americano Granbery, no ano de 1890. Segundo Clifton E. 0lmstead,6 objetivo onde quer que seja, formar uma população livre, trabalhadora,
as instituições metodistas de ensino privilegiavam os filhos dos honesta, obediente; difundir, pela educação e liberdade, o progresso e
membros da Igreja com o objetivo de criar homens de moral elevada todas as forças racionais e morais que fazem o aperfeiçoamento da
capaz de influenciarem a comunidade em que viviam. Com esse civilização americana.
objetivo, de criar uma obra educacional com teor missionário o A educação metodista passou a ser então um canal de
metodismo difunde na sociedade juizforana uma cultura protestante convicção intelectual, ou seja, como diz Marilena Chauí, o ideólogo, a
estadunidense, pautada no liberalismo." cabeça pensante que tem como objetivo manipular a massa, pois esse
grupo teve como finalidade transmitir o pensamento de todos de
A educação metodista e o integralismo em Juiz de Fora acordo com os seus interesses."
A educação metodista passou a ser o produto das idéias e do
A Igreja Metodista, desde os seus primórdios, teve uma Pensamentoe é assim que surgiu a ideologia como criação de domínio
característica básica em sua doutrina ideológica que era a de ser um da realidade, pois as opiniões passaram com o tempo e com a força
movimento reformador e educativo. Em Letters of John Wesley,8 dos intelectuais a ser uma idéia vista como verdadeira e válida para
observa-se o pensamento do seu fundador sobre a educação, ponto toda a sociedade.

84
85
Os missionários metodistas estavam conscientes de que er ís existe a necessidade de formar uma concepção
no interior que sua dominação ideológica iria ocorrer com mai reli9~osas.: J~~~ndos para que os ideólogos tenham a garantia de
sucesso, pois não seria, inicialmente, nas grandes cidades, po\lt'c~ n É a partir daí que se observa uma força do
conversão das classes sociais irnportantes." De acordo com e us Interesses. , Iv de análise Cabe
se lismo dentro do Instituto Granbery, que e a o ,. . r t
pensamento, a educação metodista tem como objetivo estratégi integra ue não está sendo afirmado que o Granbery e Integra,~ ~'
desenvolver sua doutrina em municípios do interior, entre eles a cidad le~~~a~~nos a Igreja Metodista, mas certos grupos de domíruo
de Juiz de Fora conhecida como o Vaticano do Metodismo Brasileiro. ul
rn I' ico dentro da instituição. . f
A Igreja Metodista, então, passa a exercer influência sobre ideDogl De acordo com periódicos de circulação Interna, o ~ro essor
cultura da elite e da nação, sendo suas instituições educacionai achado era uma pessoa detentora de grande ~espelto den~ro
pontos estratégicos para defender e propagar os princípios liberai Oscar ~ . _ membro da Igreja e com raizes rnetodlstas. ~Ie fOI o
que era algo vangloriado pela elite intelectual e política. da I~Sp~~U:~:~~nsávelpela divulgação e propagação do integradllsmoono
Os colégios metodistas mostram claramente o desejo de s pnnc .. cidade Em pouco tempo, as palavras e scar
dedicar particularmente à formação das elites. Percebe-se mais um ·t to e pioneiro na . I' .
Instl u . corpo docente e discente do co eqio,
vez que a instituição existe com o objetivo de formar a ideologia d Ma chado penetraram no f upo
do assim seu objetivo inicial, que era ~rmar um gr
dominação concedendo privilégios aos membros da elite religio alc~nçan ista e posteriormente um integralista em JUIZde ~ora, tendo
Esses, formados pelo Instituto Granbery, nada mais serão do que port ~ntllco.mun~lepróprio o cargo de Chefe Municipal do Integralls~o. ,
vozes dos ideólogos que é o próprio metodismo. No periódi me usive, bilid de da formação de uma ideologia e do
metodista: Expositor Cristão,13 é registrado que a doutrina tem com A responsa I I a f!; . I t .
·llena Chauí fica a cargo dos inte ec uais,
objetivo resolver as questões sociais, políticas e religiosas do país. id 'logo que segun do Mar ' d ,. álld
I eo. id ,. verdadeiras e transformam-nas em i elas va I as
Entre os documentos relacionados por Mesquida 14, destaca-se o "Livro q ue Julgam as I elas d t d
.ed de moldando o pensamento e o os.
de atas da diretoria do Colégio Americano Granbery (1895-1912)- para tod~ ~~~~~so~ O~car Machado foi considerad? ~~ desses, já que
sobre o objetivo do corpo docente que era a de ministrar a instrução um posto de destaque dentro da lnstltutçêo e por contar
sobre uma base moral e espiritual sólida, para que o colégio fosse um por ocupar . os a seu favor iniciou um movimento de
com todos os mecarusm '
centro de influências poderosas e agressivas.
persuasão-de sU,a~id~ias c~,!,o sedndoodetodo~achado começou no
A ação da educação metodista pode ser vista' como a O domtnlO Ideologlco e scar
conquistadora da hegemonia cultural, representante de uma sociedade momento em que ele mesmo convidou para e~tar presendte,e; ~ç3:~
considerada mais evoluída, que irá conduzir perfeitamente a prática . b dos militantes mais destaca os a
educativa pautada no iluminismo e no liberalismo. Os educadores no Instituto Gran ery, um d ·1'· ·Integralistas Gustavo
· B·I ira o chefe as rm retas
queriam criar uma nova mentalidade no cidadão, por isso dedicaram-
Integra Iista rast e , r a série de conferências
Barroso. Como já foi citado, esse. rea IZOUum d artigo do
se à formação das elites na esperança de conquistas à hegemonia sendo duas delas dentro do Granbery. De acor o com um
cultural.
periódico O Granberyense:
E é justamente dessa exigência de criar uma mentalidade para
se ter a hegemonia cultural que passamos a falar do Diretor dos O Dr. Gustavo Barroso é um desses
Cursos Ginásio e Comércio do Instituto Granbery. Como já foi dito, a brasileiros preclaros, que se im~õe .pela
educação metodista tem como objetivo proporcionar uma doutrina de personalidade intangível e pelo Idealismo
dominação ideológica elitizada desde o seu início com John Wesley. A sadio, bem como pelo caráter inflexível. Autor
característica principal dessa educação era privilegiar o liberalismo, de cinqüenta e tantos livros, colaborador de
marco da política e da economia dos Estados Unidos no início do inúmeras revistas, redator chefe do nosso
século xx. Partindo do .princípio que foram os missionários popular'Fon-Fon', conhecedor ~rofundo de
estadunidenses que implantaram o metodismo no Brasil e, todo o movimento político do Brasil, coloca~se
conseqüentemente, a educação, o liberalismo passa a ser a base de ainda como líder invulneráv_el ~o, Pa~ldo
doutrinação dos estabelecimentos de ensino no Brasil. Integralista. Sua excelência nao vira realizar
Já que a idéia inicial das instituições metodistas é a de formar um desejo seu, mas, sim, atender
pessoas que possam resolver as questões sociais, políticas e gentilmente a um convite nosso, pelo que,

86 87
desde já hipotecamos-lhe a nossa
gratidão, certos de que sua vinda Observa-se, com isso, que Gustavo Barroso vem. a Juiz de
Granbery . ~arcará u~ ponto luminoso nét ora com o objetivo de doutrinar, utilizando seu prestigl~ por ser
nossas paginas e tera um dos mais raro r '
presl ed nte da ABL , algo que irá ajudar muito os Interesses
acontecimentos na nossa vida colegiétl . tegralistas. . . . Chaul ã
In De forma rápida, é visto que as Idéias de Marrlena aUI s o
Certos de que tudo o que pleiteamos é Pai
rcadas em Juiz de Fora na década de 30, em que um grupo. de
honra da pátria, saudamo-Ia na pessoa ilustr
do dr. Gustavo Barroso." ~p 'Iectuais, liderado pelo Professor Oscar Machado, ini~ia um proJ~to
,nte dominação ideológica da massa. Mas, esse projeto. não fica
Como pode se! obse~ado _é muito clar~ ~o ~rtigo que a vind, de . mente restrito à vinda de Gustavo Barroso. Pode-se .dlzer que a
de Gustavo Barroso nao tem hgaçao com a polltlca Integralista e co obvlaen ça dele foi o início da chamada dominação ideológica, em que
sua. posição de intelectual. Mas nas palestras realizadas por ele no pres Machado tem o objetivo de continuar, inicialmente dentro do
Oscar "d d d
Instituto ~~anbery nos dias 20 e 21 de outubro, verifica-se que exist bery para posteriormente expandir por toda a CI a e, on e
Gran, , .. di'
uma posiçao de ~outrinação política nas conferências. Em uma de tará com o apoio de diversos segmentos, inclusive a. greJa
suas pal:stras, deixa claro .a sua defesa do regime fascista, que para ~~ólica. Mas esse não é o alvo desta investigação fic~ndo rest~,taao
ele. nao e uma simples ditadura, porém uma filosofia que realiza um início do movimento dentro do Instituto Gr~nbery da lqreja M~todl~t~.
projeto cultural na sociedade, criando assim um novo sentido da vida Continuando, então, com esse projeto de expansao tdeolóqíca,
renovando e reconstituindo a doutrina política dos Estados cristãos." ' observa-se na mesma edição sobre a vinda de Gu~tavo. B.arroso
.. De forma tendenciosa percebe-se a expansão do pensamento anunciado no periódico O Granberyense, um artlg~ íntltulado
pofl~lco de Gustavo Barroso, mesmo não sendo o divulgado pelo "Nacionalismo" de autoria de A. Vasconcelos e nele mais u~a ve~
Instltu!O Granbery. Vê-se isso como mais uma tentativa dos ideólogos, notam-se passagens em que os pensantes se j~lgart:l superrores a
ou s.eJa, do grupo pensante, em manipular as posições políticas dos massa: "A multidão não assimila idéias; apenas d~,xa-se fermentar por
dominados na instituição. Essa passa a ter acesso a esse discurso elas"." A dominação intelectual é algo que esta presente de forma
que é dado como verdade absoluta dentro da instituição. A vinda d~ explícita dentro do Instituto. .
Gustavo Barroso foi algo noticiado em toda a imprensa local, como se' Ainda nessa edição existe uma entrevista do Professor .?~ca:
nota, por exemplo, no jornal de maior acesso na cidade o Diário Machado com o título "Acerca de um movimento patnot/co.,
Mercantil: comentando a visita de Gustavo Barroso e ali se pode perceber quais
são as posições do Professor sobre o integralismo que começa a estar
Deverá chegar amanhã à cidade, o ilustre
presente dentro do Granbery:
escritor brasileiro Gustavo Barroso,
presidente da Academia Brasileira de Letras.
Acho que Gustavo Barroso veio a~ G~anbe_ry
Gustavo Barroso vem a Juiz de Fora a fim de,
numa hora oportuníssima [...] A inquietação
a convite do Centro Cívico do Granbery,
social contemporânea . repercute
realizar uma conferência literária. Essa
enormemente em nosso meio [...] E isso que
conferência terá lugar amanhã, às 8 horas da
nós estávamos precisando ouvir o que ele
noite, no salão nobre do importante
disse. Quer vistamos a camisa verde ou não,
estabelecimento de ensino. Vê se bem que o
todos nós devemos ser integralistas. A
Granbery vai proporcionar ao mundo
grande maioria dos granberyenses .reagiu
intelectual de Juiz de Fora uma grande noite
favoravelmente diante do apelo feito ao
de indizível prazer artístico, ao ensejo de
espírito moço pelo eminente brasileiro que
ouvir a palavra encantadora de Gustavo
nos visitou [...] Acho que o integralismo tem
Barroso, nome de grande projeção na nossa
literatura. 18 vantagens sobre as demais corren~es
políticas [...] A principal dessas vantagens e ~
concepção filosófica que serve de base a
doutrina integralista [...] As massas humanas
88
89
precisam marchar para frente
liberalismo, por exemplo, hipertrofia dão unidade ao pensamento. Não dão,
aspecto do indivíduo. Crê o homem cíVi porque conservam o povo na ignorância. Só
Tudo resolve pela mentira do voto. [...] existe unidade nacional quando existe
Soci~lis~o, do o~tro lado, exagera o asp unidade cultural. [...] O sistema corporativo
economl~o da vida [...] O Integralismo UJ'I sobre o qual se baseia a organização social
esses d.o.,s asp~ectos da vida pela influêJ'lCi integralista visa precisamente a essa chaga
do Espmto. Ve o homem total, integral social que é a luta classista. A sociedade é
corpo, razão e espírito. Logo tem lugar para um conjunto de atividades profissionais em
Econo~ia e a Política, mas completando função harmônica. [...] O Integralismo, porém,
superpoe a ambas a Reli~ião. Essa é • é a grande tendência do século XX. [...] E o
concepção totalitária davida. o Brasil precisa de um grande surto
nacionalista.[ ...] O integralista tem certeza da
. . O.e acordo com Oscar Machado, existe no Brasil urna vitória." .
InqUJ.etaçao.que deve ser abolida. Gustavo Barroso propõe a solução'
se~ Integrahsta porque é mais vantajoso que as outras doutrina~
Podem ser vistos, nessa entrevista, que os ideais integralistas
e~lstentes: P~rtanto, os granberyenses devem seguir as doutrinas do
estão presentes no líder da instituição de ensi~o que ocupa o ~o~~o de
siqma, pOISsao as qu~ mais se adequam ao espírito de vida dos que
diretor e professor de Sociologia. Com esse discurso e com. a idéia de
fazem parte desse. mel~. Pode-se, então, verificar facilmente, que as
ser o pensante da ideologia, em pouco tempo essa fala. sera colo~ada
palavr~s. e as doutrinas Integralistas entram na instituição com o apoio
em prática, como já foi mencionada pela fundaçao do núcleo
incondICIonal de. um líder ~o próprio Granbery, considerado nesse meio
integralista na cidade e, inclusive, dentro da instituição, pois as práticas
u~ detentor ..~a '~telectuahdade formadora de opiniões, como pode ser
VIStOna sequencla da entrevista: do professor Oscar Machado, como diretor, serão de acordo com a
doutrina integralista, como se observa na transcrição de um discurso
feito por ele no momento de abertura das aulas em 1934, publicado na
Aceito a concepção integralista, que é o íntegra no periódico O Granberyense:
ponto de vista totalitário, isto, aliás, decorre
da concepção do Universo [...] O movimento Desde o princípio dos tempos, dois conceitos
integralista é no sentido de integrar todas as têm muitas vezes se chocado, algumas vezes
forças sociais do país na expressão da se associado e raras vezes se integrado. Um
~aci~~alidade. Só assim pode o povo é o conceito da liberdade, tantas vezes mal
~dentlfl~ar-se. com a Nação. [...] A Revolução compreendido, pelo qual se batem os
Inte~~al~sta e um esforço para conseguir o indivíduos e as multidões. O outro é o
eqUJIJbno, ordem, harmonia. entre as forças conceito da autoridade, tantas vezes mal
que se processam dentro da órbita da interpretado, que tem servido de um lado à
sociedade humana. [...] O mundo audácia dos prepotentes, e, de outro lado, as
~o~te~~orâneo caracteriza-se pela inclinações baixas dos desordeiros [...] Nós
Indlsclpllna, pela ausência do senso assumimos a direção do Ginásio e da E. de
hierárquico e pelo desprestígio da autoridade. Comércio numa hora em que graves
Para co~bater esses males, o Estado precisa acusações pesam sobre a coletividade
ter a~tondade para intervir e disciplinar a vida granberyense no que diz respeito as suas
colet~va. [...] O Integralismo, para tornar diretrizes educativas [...] Queremos
possivel a disciplina, crê na unidade de estabelecer um regime baseado em harmonia
pensamento. Por isso é superior às demais da autoridade com liberdade. [...] Senhores, o
correntes políticas. As correntes políticas não nosso maior problema no Brasil continua
90 sendo oda educação, mas educação no

91
sentido da criação de uma mentalidade n realmente a doutrinação ocorreu e a massa teve acesso à
que venha substituir a anarquia menta~"
quelogia proposta pelos pensantes.
~oral d~ste nosso século XX, Pai ideO A partir de 1934, Juiz de Fora já tem uma sede própria da AIB
implantação da ordem, da disciplina e d movimento na cidade passa a ter um destaque nacional durante
hterarquía." e ~ o período em que esteve em funcionamento. No jornal integr~lista
to °Jllio de São Paulo é possível ver um relato do movimento em JUIZde
. De acordo c~m Oscar Machado, o Granbery será dirigido CQ AC(jo
auto.ndade~ edu~aç~o e deve ter como objetivo a ordem, a disciplina Fora: Numa espetacular consagração: O
a hl~rarqUla. DIz. ainda que quer estabelecer uma harmonia d Integralismo realiza em Juiz de Fora a sua
~utond~de com a hberd~d~. ~o_de-sever uma transposição do ideá' maior parada cívica: Juiz de Fora, sede da
lnteqralista dentro da instituição. ao analisar o discurso de Plí . 17ª Região mineira, viveu no domingo
Salgado: Inl passado, horas de profundo entusiasmo
Nós, no Brasil [...] queremos um governo cívico. Dois mil integralistas recepcionaram,
forte. [...] quando nós, integralistas, falamos sob calorosos aplausos, a comitiva que desta
e~ govern~s, fortes, não falamos em capital partiu no sábado, 27, sob a orientação
ditaduras e sim num regime'. Um regime é o do dr. Miguel Reale, [...] A comitiva viajou de
que queremos [...] a liberdade é o maior dom automóvel, sendo recebida em Juiz de Fora,
humano. [...] não pode existir governo forte com vibrantes manifestações dos camisas-
sem cult~ra forte.. ~ó .ela cria a disciplina. verdes locais [...] Impressionados com o
Porque cna a conscrencrade necesstdade." entusiasmo invulgar dos elementos que
constituíram a comitiva, quisemos ouvir o dr.
Como se ~e~cebe, <?scarMachado diz que dentro do Instituto Miguel Reale [...] A minha impressão sobre o
G~a~bery deve existir a~tondade com liberdade e nos faz remeter a Integralismo em Juiz de Fora é magnífica.
Plinio Salg~do quando diz que o Brasil tem que ter um governo forte Volto encantado com o alto sentido de
mas que a liberdade é o maior dom humano. ' disciplina dos camisas-verdes na 17ª Região
25
. Existe uma mist~r~ das práticas integralistas com as ações da Província de Minas Gerais.
:xlstentes .dentro do Coléqio on~e o propósito da educação metodista
e a ~e cnar uma .nova mentahdade no cidadão e Oscar Machado Após análise, o movimento integralista em Juiz de Fora merece
propoe. em seu discurso a formação de uma nova mentalidade um destaque especial na historiografia devido a sua força e as suas
~duc~~I?nal: O que .se observ~ de oposto a esse propósito tão particularidades. O objetivo do estudo não é pesquisar totalmente o
Iguallt~no e ~ doutrina defendida, pelos pioneiros da educação movimento em Juiz de Fora, mas apenas elucidar alguns pontos no
~etodl~ta: o liberalismo. Já no tempo de Oscar Machado er o processo de sua consolidação na cidade com a forte presença do
Integr~lIsmo. Mas o objetivo final é o mesmo: dedicar-se à f~rma~ão InstitutoGranbery da Igreja Metodista.
das elites na espera~ça de conquistas à hegemonia cultural. Não foi a intenção esgotar as informações sobre a fundação do
De fato .0 inteqralisrno passou a fazer parte do Instituto integralismo em Juiz de Fora, muito menos do movimento de uma
Granbery. A pa~l~ dessas doutrinações ideológicas, a elite intelectual maneira completa, mas sim, a de promover uma discussão entre as
alcança seu objetivo. Um exemplo claro do integralismo no cotidiano doutrinas educacionais da Igreja Metodista com o propósito da Ação
~o Granbery pode se~obs,~rvadono periódico da instituição na sessão Integralista na cidade.
Um pouco de humons",!o , em uma piada envolvendo uma funcionária ,. O ponto principal dessa análise foi o conceito de ideologia que
~o ~ranbery: "Até hOJe a pessoa que continua como integra lista e sem dúvida a ligação entre as duas instituições, pois a educação
Irreslstive! é a D. Eliza. Por quê? Porque toda vez que ela toca a metodista subsiste com o propósito de se dedicar à formação das
cempenrúe para a salda do refeitório, ela logo toma posição de sentido elites. A instituição existe com o objetivo de formar a ideologia de
e estende a mêo em correta seudeçêo integralista".24 Podemos notar dominação, pois os privilégios serão dados aos filhos dos memb~osda
Igreja com o propósito de influenciarem positivamente a comunidade,

92 93
se~~o capazes de resolverem as questões sociais olíti
religiosas do país. Os educadores também t~ ,p cas
. . t . - " em como obJ' . s de referência
rrurus rar a Instr~çao sobre uma base moral e espiritual sólida a e
o Granbery seja um centro de influências poderosas e a' ~e r~ q
NO ta
J~nto a esse processo de dominação, encontra-se o integr~lis~IV ~i90 baseia-se em minha Monografia de conclusão de curso de
?ec~d.a _de 1930, que como se nota tem uma forte influência de o 1ft :Cialização em História do Brasil (PUC/MG).
ínstituíção, principalmente através do Professor Oscar Man~o fSPMestrepelo Programa de Pós-Graduação em Letras do Centro de Ensino
grande defensor do movimento. c a erior de Juiz de Fora, área de concentração: Uteratura Brasileira;
Iftlft

~uPec;ialista em História do Brasil pela Pontifícia Universidade Católica de


. .Mais uma vez, a elite intelectual é o grupo ensante M7PasGerais; Ucenciado em História pelo Centro de Ensino Superior de Juiz
Influ~ncla a consciência social e tem o poder de trans~itir as id ~ d InFora;e-mail: leandropgoncalves@gmail.com.
dominantes para toda a sociedade. I er 1e As duas prim.eiras co.nferências fO,ram r;alizad~s n~ salão, do Instituto
Granberyda Igreja Metodista, com os títulos; A Inqwetaçao do seculo XIX e a
Reconstrução do século XX' e "O sentido Novo da Política, da Educação. e da
economia". Já última conferência ocorreu no salão de testas do Pálace Hotel,
intitulada:"Uberalismo, Comunismo e Integralismo".
21) Granberyense, Juiz de Fora, p. 1, 20 out. 1933.
3 Sobre sua presença na escola pode ser comprovada pelas fotos de 20 e/ou
21 de outubro de 1933 no Arquivo fotográfico Dr. Tarboux, do Museu
Granbery.
4 Rol n.º 1719, livro n.º 01, pág. 58. Data de recepção na Igreja Metodista
Central: 09/01/1930, pelo Pastor César Darcorso Filho. Transferido para Porto
Alegre em 11/09/1934.
5 CORRÊA, Maurício de Castro. Ação Integralista Brasileira: seus reflexos em
Juiz de Fora. Juiz de Fora: Trabalho apresentado ao IIº Prêmio de Pesquisa
DCE, 1973, p. 69.
6 Clifton E. Olmstead apud MESQUIDA, Peri. Hegemonia norle-americana e
educação protestante no Brasil. Juiz de Fora/São Bemardo do Campo:
Edufjf/Editel, 1994. p. 146.
? MESQUIDA, Peri. op. cit., p. 162.
8 Letters of John Wesley apud MESOUIDA, Peri. op. cit. p. 97.
9 Hooding Carter apud MESOUIDA, Peri. op. cit., p. 212.
10 MESQUIDA, Peri. op. cit., p.108-109.
11 CI:lAuí, Marilena. Convite a Filosofia. São Paulo: Ática, 2004. p.38?
12 LEONARD, Emile-G. O protestantismo brasileiro. São Paulo: Aste-Juerp,
1981. p. 55.
13 Expositor Cristão, Apud. MESOUIDA, Peri. op. cit., p. 154.
14 MESQUIDA, Peri. op. cit., p.157.
15 CHAUí, Marilena. op. cit., p.38?
16 O GRANBERY orgulha-se de ter como hóspede de honra, o ilustre
brasileiro Dr. Gustavo Barroso, digno presidente da Academia Brasileira de
Letras! O Granberyense, Juiz de Fora, p. 1, 20 out. 1933.
1~ BARROSO, Gustavo. O Integralismo de Norte a Sul. Rio de Janeiro:
CIVilizaçãoBrasileira, 1934, p. 120.
18 GUSTAVO BARROSO chegará amanhã a cidade: a sua anunciada
Conferênciano Granbery. Diário Mercantil, Juiz de Fora, p. 1, 19 out. 1933.
19 VASCONCELOS, A. Nacionalismo. O Granberyense, Juiz de Fora, p. 2, 20
OUI. 1933.

94
95
--------------------------------------------------------
20 MACHADO, Oscar. Acerca de um movimento patriótico. O Granberyens9
Juiz de Fora, p. 9, 20 out. 1933.' ,
21 Ibid.
22 MACHADO, Oscar. Discurso proferido pelo diretor do Ginásio e Comércio
pela ocasião em que se realizou a cerimônia da abertura das aulas. à
Granberyense, Juiz de Fora, p. 3, 15 abro 1934.
23 SALGAOO, Plínio. A doutrina do sigma. São Paulo: Revista dos tribunais
1935, p. 63-64. '
24 UM POUCO de humorismo. O Granberyense. Juiz de Fora, p. 12, 15 abro
1934.
25 NUMA ESPETACULAR consagração o integralismo realiza em Juiz de Fora
a sua maior parada cívica. Acção. São Paulo, p. 1, 1 dez. 1937.

96