Вы находитесь на странице: 1из 12
Computadores SEGUNDA-FEIRA 10 MAIO 2004 DIRECTOR JOSE MANUEL FERNANDES EDITOR RUI JORGE CRUZ A praga do
Computadores
SEGUNDA-FEIRA 10 MAIO 2004
DIRECTOR
JOSE MANUEL FERNANDES
EDITOR
RUI
JORGE CRUZ
A praga do novo
‘verme‘ Sasser
Os novos serviços
baseados no 3G
RoboCup 2004
no IST, em Lisboa
Gmail, perguntas
e respostas
Corridas e mais
corridas
Não tão virulento como o
Blaster mas bem chatinho
para os distraídos
TMN e Vodafone adiantaram
as suas propostas, algo
incipientes e ainda caras
Um ‘Mundial’ de futebol
jogado só por robôs e pelos
estudantes que os criaram
Esther Dyson analisa prós
e contras da proposta do
Google na sua última crónica
Qautro jogos, desde ‘Toca
Race Driver 2’ a ‘Collin
McRae’ e ‘MX Unleashed’
➜ pág. 8
➜ págs.6/7
➜ pág. 2
➜ pág. 4
➜ pág.12
MAIOR FABRICANTE MUNDIAL ACELERA INTRODUÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS
PUB

Novos Pentium da Intel para portáteis e redes sem fi os

A

I NTEL

CONFIRMOU, na passada

nos processadores mais antigos) permite produzir transistores de menor dimensão e menor potência eléctrica, introduzir um maior número em cada processador

e fazê-lo gastar menos energia. Tudo

semana, que procedera a uma mudança de planos no que res- peita à sua próxima geração principal de processadores

“série utilizadores a escolherem o que mais se adapta às suas necessidades e, por outro, esba-
“série
utilizadores
a escolherem
o que mais se
adapta às suas
necessidades e,
por outro, esba-
ter as comparações
redutoras entre mode-
los quase exclusivamente baseadas no
número de megahertzs (MHz) numa
altura em que factores como a arqui-
tectura interior, o volume das memó-
rias de caches e a própria arquitectura
externa tem mais influência no rendi-
mento de um PC que apenas os MHz do
processador.

isto junto, na prática, a

Intel consegue produzir

processadores mais rápidos

para computadores pes- soais. Mas aquilo que foi,

RUI JORGE CRUZ ISABEL GORJÃO SANTOS
RUI
JORGE
CRUZ
ISABEL
GORJÃO
SANTOS

por alguns, encarado como resultado de contratempos na concretiza- ção do “roadmap” da empresa seria mais bem explicado por Chuck Malloy, porta- voz da Intel: tratar-se-ia de “saltar” um ou dois projectos graças à possibilidade de antecipar algo que antes se pensava que só seria viável em volume daqui quatro a seis anos — a inclusão de dois núcleos de processamento no mesmo “chip” e o desenvolvimento das respectivas técnicas de produção fabril até 2006. Entretanto, já na madrugada de hoje (segunda-feira, dia 10 de Maio), a Intel anunciou oficialmente uma nova linha de processadores para computadores portáteis que, usando no seu fabrico a

tecnologia CMOS de 90 nanómetros — à imagem do que sucede com os Pentium 4 para computadores de secretária desde a segunda metade de 2003 —, apresentam outras melhorias na sua arquitectura face aos actuais Pentium 4M. A tecnologia CMOS de 90 nanómetros (que substituiu a de 130 nanómetros, ainda hoje usada

e potentes, e que menos riscos correm de sobreaquecimento. Os novos processadores para portá- teis — pertencentes a uma nova famí-

lia

designada

por

Pentium

M”

foram

desenvolvidos

sob

o

nome

de

código

“Dothan”

mas

 

agora chegarão

ao

mercado

 

como Pentium M 755, Pen-

tium M 745

e

Pentium

M 735. Isto resulta de um novo tipo de nomenclatura que a Intel deci-

 

diu usar em todos os seus novos pro-

cessadores

de

modo

a, por um lado, ajudar os

Computadores SEGUNDA-FEIRA 10 MAIO 2004 DIRECTOR JOSE MANUEL FERNANDES EDITOR RUI JORGE CRUZ A praga do

7c1bf3e5-024b-435b-bb28-84bbcd8a7552

O Pentium M 735 funciona a uma fre- quência de 1,7 GHz, a qual pode diminuir para os 600 MHz quando o processador não está a ser usado embora a máquina esteja ligada, o que permite poupar a bateria. O Pentium M 735 possui uma memória cache de 2 MB e o seu preço ron- dará os 294 dólares (um pouco menos em euros). Também o Pentium M 747 possui uma memória cache de 2 MB e integra o modo de poupança de bateria que lhe permite funcionar a 600 MHz quando não está a funcionar. A sua frequência é, porém, de 1,8 GHz e o preço ronda os 423 dólares. Por fim, o Pentium M processor 755, de 2 GHz, possui um modo de pou- pança de bateria e uma memória cache idênticos aos modelos anteriores e está disponível por cerca de 637 dólares. António Albarran, responsável tecnológico da Intel Corporation Ibéria, apresentou os novos modelos e efectuou uma retrospectiva da evolução dos processadores Pentium M (de Mobile). Assim, em 2002, estes processadores tinham 55 milhões de tran- sistores, baseavam-se na tecnologia CMOS de 130 nanómetros (os transisto- res eram, portanto, maio- res) e a sua memória cache de nível 2 era de 512 K. Já em 2003, um outro processador da Intel para portáteis, conhecido por “Banias” (e que era também um Pentium M) integrava 77 milhões de transistores e a sua memória cache de nível 2 aumentara para 1 MB. A tecnologia era ainda de 13 nanómetros. Agora, os “Dothan”, de tecnologia 0,09 mícron (os tais 90 nanómetros) possuem 140 milhões de transistores e memória cache de 2 MB. A par dos novos pro- cessadores, a Intel lançou também um novo “chip- set”, o Alviso, e um novo componente “wireless” (Calexico 2) compatível com as normas de redes sem fios 802.11a, 802.11b e 802.11g. A Intel, através do Centrino, tem vindo a apostar na tecnologia Wi- Fi e, citando estudos de consultoras como a Gar- tner ou a IDC, de 2003 a 2005, o número de pontos de acesso a redes sem fios públicas aumentará de cerca de 70 mil para cerca de 150 mil, com a Ásia e os EUA a abarcarem grande percentagem destas redes. Por outro lado, enquanto, no ano passado, o número de computadores portáteis com acesso “wireless” não passava dos 40 por cento, neste ano esse número ronda já os 60 por cento e, em 2005, atingirá os 90 por cento — isto de acordo com dados da IDC.

computadores

.2

ROBOCUP 2004 VAI TRAZER A LISBOA EQUIPAS DE 30 PAÍSES

Vem aí o Mundial de futebol robótico

O

EURO 2004 ESTÁ QUASE

a chegar mas não será só o futebol jogado por homens que vai animar o próximo Verão. De 29

evento, mas é muito importante aliar as duas coisas”. O Euro 2004 terá sido um

dos motivos que levou à rea- lização do RoboCup 2004 em Portugal mas não foi o único. Recorda Pedro Lima que, nou- tros eventos de futebol robótico internacionais, a participação de equipas portuguesas tem sido muito significativa. “Somos dos países mais representados, com equipas universitárias que se divertem imenso mas que não estão exactamente a brincar”. Muitos projectos de investigação nas mais diversas vertentes da robótica baseiam-se no futebol robótico. Neste ano, Portugal é o quarto

O Pentium M 735 funciona a uma fre- quência de 1,7 GHz, a qual pode diminuir

maior evento de sempre de futebol robótico. O Japão será o país mais repre- sentado, seguindo-se o Irão — que possui uma grande tradição de escolas de engenharia mecânica —, depois a Alemanha e logo a seguir

RoboCup 2004 em conjunto com Luís Custódio, que é também investigador e professor no IST. Os dois reuniram treze colegas de outras universidades por- tuguesas, que ficaram respon- sáveis por cada uma das ligas. A estes juntam-se também os organizadores internacionais. O evento é financiado por três entidades, como a RoboCup Federation, a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) e o Ciência Viva-Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnoló- gica. Algum do financiamento foi já atribuído mas não a totalidade que permitirá pagar todas as despesas do evento. Falta, ainda, cerca de metade do financiamento da FCT

e do Ciência Viva, num total de cerca de 200 mil euros. Ambas as entidades aguardam, por sua vez, a atribuição de verbas do Programa Operacional Ciência, Tecnologia, Inovação (POCTI), do Ministério da Ciência e do Ensino Superior, inte- grado no III Quadro Comunitário de Apoio da Comissão Europeia. Organizar um evento como este custa cerca de 1 milhão de euros e, nesta fase final, “é preciso pagar tudo”. Muitas das receitas provêm dos patrocinadores, da inscrição dos participantes e das entradas no evento. No entanto, Pedro Lima assume que a verba em falta é fun- damental para viabilizar o RoboCup 2004 e prefere, para já, não pensar no cenário mais pessimista. Com quase tudo a postos para cinco dias de jogos e demonstrações, Pedro Lima espera também que muita gente acorra à FIL para um diver- tido “banho de tecnologia”.

de Junho a 3 de Julho, a Feira Inter-

nacional de Lisboa (FIL) receberá o RoboCup 2004, o “Mundial” de futebol robótico, que deverá juntar 172 equipas de 30 países. Robôs de

diversos tipos juntar-se-ão numa competição que se prevê animada e junta os pontapés na bola ao que de melhor se faz no mundo da robótica. Esta é a primeira vez que o RoboCup se realizará em Portugal. A competição começou em 1997 e, desde então, junta anualmente os principais entusiastas da robótica. Claro que todos

querem alcançar os

país mais represen-

Portugal, antecedendo os EUA.

tado na categoria

O RoboCup 2004 dividir-se-á

em quatro eventos: um simpósio no IST e três competições a decorrerem em simultâneo — o futebol robótico sénior, que se divide em cinco ligas (Robôs de Tamanho Médio, Robôs de Tamanho Pequeno, Cães Robóticos, Robôs Humanóides e Simulação), a vertente de busca e salvamento, que se divide em duas ligas (Robôs de Busca e Salvamento e Simulação), e o RoboCup Junior, que também agrega três ligas (Futebol, Dança e Busca e Salvamento). Na categoria Robôs de Tama- nho Médio, há cinco equipas portuguesas inscritas, de univer- sidades do Minho, do Porto, de Aveiro e de Lisboa. Na categoria Robôs de Tamanho Pequeno e na categoria Cães Robóticos, estão inscritas equipas da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e, na vertente da Simu- lação, haverá três equipas portugue- sas presentes. Também na categoria Robôs de Busca e Salvamento participarão três equipas portuguesas. A estas há que juntar todos os jovens das escolas secundárias que estão inscritos na competição RoboCup Junior. Pedro Lima tem vindo a organizar o

ISABEL GORJÃO SANTOS
ISABEL
GORJÃO
SANTOS

melhores resultados mas a diversão acaba por ser o prin- cipal ingrediente. Jovens das uni- versidades ou do ensino secundário

aproveitam a ocasião para mostrar os resultados do seu empenho e da sua investigação. Pedro Lima, Investigador do Instituto de Sistemas e Robótica do Instituto Superior Técnico (IST), em Lisboa, é um dos principais responsáveis pela organização do evento e dá conta da azáfama que o envolve. “Ainda bem que faltam quase dois meses”, diz, em tom de desabafo, ao lembrar- se do que ainda há a fazer. O facto de o RoboCup decor- rer ao mesmo tempo que o Euro 2004 não é um acaso. Já em edições anteriores se procurou aliar o evento a outros grandes acontecimentos desportivos internacionais. “Quando soubemos que o Euro poderia ser em Portugal, dissemos aos responsáveis da Robo- Cup Federation que gostaríamos de realizar cá o RoboCup, na mesma altura”, explica Pedro Lima. É ver- dade que um evento como este tem uma grande componente de inves- tigação na área da robótica, mas também não é de desprezar a sua vertente lúdica e a capacidade de atrair um vasto público, sobretudo os mais jovens. “Não se trata de hipote- car o aspecto científico ou técnico do

sénior, com 13 equi- pas qualificadas. Um evento como o RoboCup inclui sobretudo futebol robótico mas não só. Há também um concurso dedicado à categoria Robôs de Busca e Salvamento e uma outra competição dirigida aos mais novos, os alunos das escolas secundárias. “Esta classe cresceu tanto que, neste momento, representa já metade do

O Pentium M 735 funciona a uma fre- quência de 1,7 GHz, a qual pode diminuir

RoboCup”, explica Pedro Lima. “Há uma explosão brutal do número de jovens que estão interessados na robótica”. Ao todo, o RoboCup 2004 deverá contar com cerca de mil partici- pantes, que representarão as 172 equipas qualificadas. A estas há que juntar as equipas de juniores, cujas inscrições estão ainda a decorrer. “Vamos ter cerca de 400 robôs na categoria sénior e outros 400 em juniores”, diz Pedro Lima. Esse número fará do RoboCup 2004 o

O Pentium M 735 funciona a uma fre- quência de 1,7 GHz, a qual pode diminuir
O Pentium M 735 funciona a uma fre- quência de 1,7 GHz, a qual pode diminuir

Várias competições para distintos tipos de robôs

As diferenças entre estas competições são várias. Na categoria Robôs de Tamanho Médio, cada equipa apresenta-se com quatro robôs que são completamente autónomos, levam

todos os sensores a bordo e distinguem as cores. As balizas são

amarelas e azuis, a bola é laranja e o objectivo é

... pois claro. Já na categoria Robôs de Tamanho Pequeno, a parte de computação encontra-se fora do campo onde evoluem os robôs e é através de uma câmara colocada sobre o recinto que se vê os robôs e a bola. As jogadas acabam por ser muito mais parecidas com as do verdadeiro futebol: desta vez, são colocados cinco “jogadores” de cada lado do campo, que tem o tamanho

marcar golos,

aproximado de uma mesa de pingue-pongue. Cada competição coloca problemas diferentes, do ponto de vista técnico, “e é exac- tamente esse o objectivo”, tal como explica Pedro Lima. No caso dos Haibo (os cães-robô desenvolvidos pela Sony e protagonistas da categoria Cães Robóticos) e dos Humanói- des, os robôs têm “pernas” e caminham. Os “cães”, por exemplo, “já jogam muito bem e fazem coisas engraçadíssimas, como

empurrar a bola com a cabeça”. Quanto aos Humanóides, explica Pedro Lima que o máximo que se pode esperar é vê-los tentar defender ou, eventualmente, chutar para a baliza. Nos Robôs de Busca e Salvamento, é criado um cenário de catástrofe e os robôs têm que percorrer essa zona e encontrar as “vítimas” — manequins que emitem calor e possuem um revestimento parecido com a pele dos humanos. As “vítimas” são mapeadas mas não resgatadas. “Para isso, seria preciso transportar a pessoa sem a magoar mais do que já está”. Para já, a ideia é pôr os robôs a cooperar, a dizer onde estão as pessoas e a dar algumas indicações sobre o seu estado. Podem, por exem- plo, transportar água ou uma luz, “o que pode ser fundamental para a vítima de uma catástrofe resistir muito mais tempo”. Na classe dos juniores, a competição “é uma festa”. Diz Pedro Lima que, em competições anteriores, foram os mais novos os mais entusiastas, que fi zeram directas em redor da sua máquina. Neste ano, a organização aguarda a presença de cerca de 200 escolas secundárias, o que signifi cará perto de mil alunos. I.G.S.

SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004

SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores . 3

Microsoft protege direitos de autor

A Microsoft lançou na passada semana o Janus, um novo “software” anticópia para protecção de direitos de autor destinado ao os utilizadores aluguer de fi lmes ou canções pela Internet para serem reproduzidos em telemóveis e outros dispositivos. O Janus, um programa de “gestão de direitos digitais”, contém uma espécie de relógio que controla um prazo de validade anexado aos vídeos e canções alugados, funcionando mesmo quando estes são transferidos de um computador para outro. O Janus terá maior relevância para o mercado da música “on- line”, cujas lojas aluguem vídeos e canções aos seus clientes (em vez de os venderem), permitindo-lhes reproduzirem- nos em aparelhos portáteis. Um utilizador poderá alugar vários fi lmes e músicas para uma longa viagem, descarregá- los do computador para um aparelho portátil e vê-los ou ouvi-las até que o período de aluguer termine, um mês depois. “Os actuais modelos de assinatura de vídeos e canções estão muito limitados por não permitirem a sua transferência entre computadores”, disse Jason Reindorp, porta-voz da Microsoft. Esta nova tecnologia só funcionará, porém, com uma nova geração de aparelhos portáteis disponíveis só daqui dois ou três meses.

Demo de rede de emergência

O consórcio que está a negociar com o Governo a instalação do Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) propôs criar uma mini-rede em três cidades durante o Europeu de Futebol. Alves Correia, assessor do Ministério da Administração Interna, disse que o consórcio propôs-se disponibilizar uma rede de demonstração durante o Euro 2004 cobrindo Lisboa, Porto e Faro. Serão instaladas bases nestas três cidades e ligadas a uma central de comutação de tráfego de comunicações — explicou Alves Correia no fórum “Comunicações de Emergência e Segurança” organizado pelo Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC). As bases instaladas em cada cidade estarão ligadas às várias forças e serviços de segurança, que delas poderão fazer uso durante o Europeu. O SIRESP visa acabar com a multiplicidade de redes com que as forças e agentes de segurança e emergência comunicam. Hélder Sousa e Silva, director do Serviço Nacional de Bombeiros e da Protecção Civil, garantiu que os sistemas de comunicação existentes “respondem cabalmente às próximas necessidade e desafi os, como o Rock in Rio, o Euro 2004 e a nova época de incêndios.

release 3.0

 
 

As perguntas certas sobre o Gmail do Google

Q uando alguém assegura que não fará nada de mal, não pode- mos deixar de acreditar nessa pessoa. Por outro lado, é um sinal positivo quando alguém

ESTHER DYSON
ESTHER
DYSON

que eu não sou capaz de fazer as minhas pró- prias opções? O maior problema resulta de o meu correio electrónico não ser, de modo nenhum, privado (e, já agora, tão pouco o é o vosso). Cada men-

contas de correio electrónico proporcionadas

consegue admitir que poderá fazer coisas más: trata-se de um reconhecimento de que os seus actos têm consequências e de que ele tem consciência de que há outros que a isso estão atentos. Tudo isto vem a propósito do Google, que tem vindo a garantir que os seus planos [de entrada em bolsa] não levará a empresa a proceder erradamente — embora tenha aca- bado de lançar (ainda em ‘versão’ beta) um novo serviço de correio electrónico, o Gmail,

sagem que eu envio é encaminhada por uma série de IPS e de servidores empresariais, o mesmo sucedendo com as mensagens daqueles com quem me correspondo. O diploma intitu- lado Electronic Communications Privacy Act, dos EUA, tornou ilegal a intercepção de men- sagens de correio electrónico enviadas através de sistemas públicos sem que haja uma ordem judicial nesse sentido. Mas a legislação não protege a privacidade daqueles que usam

que fez sair a terreiro alguns “defensores da privacidade”. O Gmail é um novo serviço gratuito de correio electrónico, ainda em fase de testes, que oferece a cada utilizador 1000 megabytes de capacidade de armazenamento — o que equivale a cerca de 500 mil páginas de men- sagens de E-mail. O serviço usa um robusto motor de busca que permite ao titular de uma conta de correio electrónico encontrar rapidamente qualquer mensagem, tenha ela sido enviada ou recebida. Isto soa a música aos ouvidos de muitos utilizadores dos serviços gratuitos de cor- reio electrónico, para quem a gestão do

Na verdade, a quem deveria caber o controlo do correio electrónico de um cidadão? E quem é que deverá ter-lhe acesso? Trata-se de questões razoáveis, assim como também há respostas razoáveis para elas.

pelas suas empresas. Além disso, o correio electrónico vai ficando cada vez mais despro- tegido à medida que, do ponto de vista legal, as mensagens vão deixando de ser “E-mail” e se tornam em “dados armazenados”. O nosso correio electrónico está legal- mente mais seguro e nós podemos ter a certeza de que ele é realmente destruído enquanto formos nós a controlá-lo; mas talvez seja fisicamente mais seguro se o confiarmos a um fornecedor de serviço como o Google, o Yahoo! ou a Microsoft, que detém o Hotmail. Resumindo: tenho mais medo de que as autoridades — ou as pessoas que usam a

Esther Dyson (edyson@edventure.com) é analista das TI, edita

seu E-mail se tornou num trabalho em “part-time” — pois têm que estar sempre a apagar as suas mensagens a fim de não ultrapassarem o volume máximo permi- tido, ou a vasculharem pacientemente entre as mensagens enviadas à procura de uma de que precisam. Mas há quem se queixe de que esta funcionalidade altamente útil [do Gmail] terá um preço elevado: o Google passará a gerar receitas sempre que os utilizadores do seu serviço de correio electrónico procedam a buscas nas mensagens por si recebidas e graças a anúncios publicitários seleccionados com base nas palavras-chave usadas para busca solicitada pelo utilizador. Os defensores da privacidade estão preocupados com a retenção de todos estes megabytes de correio electrónico, muito para além do momento em que os utili- zadores tiverem apagado as mensagens — e com a ideia de um computador que se põe “a ler” mensagens para escolher quais os anúncios mais relevantes para serem afixados. Com efeito, a senadora Liz Figue- roa, da Califórnia, dirigiu à Google uma carta aberta onde dizia que o serviço agora proposto seria “um desastre de enormes proporções”. Na verdade, a quem deveria caber o con- trolo do correio electrónico de um cidadão? E quem é que deverá ter-lhe acesso? Trata-se de questões razoáveis, assim como também há respostas razoáveis para elas. Em primeiro lugar, ponhamos as coisas em contexto: é fundamental que eu saiba quais são as minhas opções e possa tomas as minhas próprias decisões. Penso que as autoridades não deveriam limitar as minhas escolhas dizendo às empresas quais os servi- ços que elas poderão prestar. O aspecto-chave relativo ao que o Google está a oferecer é que se trata apenas de uma oferta, cujas condições estão claramente à vista — e eu posso dizer- lhes que sim ou que não. Uma das fontes de toda esta apreensão deriva da significativa presença do Google no

mercado: no passado mês de Março, o Google atingiu a sua quota máxima de 41 por cento das buscas norte-americanas na Internet. E é certo que o Gmail tem levantado as questões que se tem visto porque ele promete aquilo que os outros serviços de Webmail já oferecem — e mais ainda. A maioria dos for- necedores de serviços de correio electrónico baseado na Web não aceitam armazenar grande quantidade de mensagens de cada utilizador, sobretudo se este não pagar nada. Nem prometem — ou admitem — guardá-las indefinidamente. Até há algumas semanas, eu diria que deveria ser eu e só eu a guardar o meu cor- reio electrónico. Mas, nos últimos dias e sem qualquer aviso prévio, o meu computador deixou de funcionar. E, quando consegui pôr as coisas a funcionar novamente, veri- fiquei que perdera todas as mensagens que enviara nos últimos três dias antes do “crash” do computador. Daí que eu depreenda que o Google possa funcionar melhor do que eu na manutenção do meu correio electrónico — e nas respectivas cópias de segurança! Por outro lado, eu acabara de vender a minha empresa EDventure Holdings à CNET Networks, pelo que o meu correio electrónico é agora pertença deles: têm direito a lê-lo — e, provavelmente, terão mais interesse nos meus segredos pessoais do que o Google! Daí que a minha escolha, na prática, recaia em ambos: na CNET para o trabalho e no Google para as coisas pessoais (embora, muitas vezes, seja difícil distingui-las). Num mercado aberto, nem sempre há uma única resposta a certas questões: há opções diferen- tes para indivíduos ou situações diferentes. Em suma, o leque de escolhas à minha dispo- sição não ficou diminuído pelo aparecimento do Gmail — alargou-se. Ou os críticos pensam

pressão legalmente legitimada — tenham acesso ao meu correio electrónico do que seja o Google a guardá-lo, pois, pelo menos, o Google tem algum interesse em me manter satisfeita (para que eu continue a ler aqueles anúncios). Talvez aqui o problema tenha mais a ver com as políticas governamentais e não tanto com o Google. O nosso correio electrónico pre- cisa de ser legalmente protegido ao longo do tempo e não apenas enquanto circula. A segunda questão levantada pelo Gmail é a leitura das nossas mensagens de modo a determinar quais serão os anúncios relevan- tes que serão exibidos (e, assim, financiar, o serviço). Pessoalmente, não me importo: as minhas mensagens já são analisadas por computadores à procura de “spam” e de vírus — e já há algum tempo que deixei de ter essa preocupação. Penso que, mais do que ter medo destas coisas, poderemos tirar partido delas. Por exemplo, havemos de ver os nossos amigos implicitamente classificados em categorias — como se de legendas de banda desenhada se tratasse — no que toca aos anúncios que o Gmail gera a fim de condizerem com as suas mensagens: restaurantes franceses ou pada- rias? Férias em Beirute ou em Orleães? Porque não explorar o que é possível? A tecnologia é uma força poderosa. Deverí- amos preocupar-nos mais em responder às questões que ela levanta do que em evitá-las. Muitas vezes, a melhor resposta é dar aos utilizadores mais informação e mais opções, e protecção governamental onde elas não têm alternativa. Entretanto, pelo meio, há que explorar algumas das suas possibilidades.

o boletim “Release 1.0”, era presidente da Edventure Holdings (empresa organizadora do PC Fórum e agora vendida à CNET News) e foi, até Novembro de 2000, presidente da Internet Corporativo for Assigne Nades and Numeres (ICANN). Esta foi a última das crónicas quinzenais que Esther Dyson escreveu ao longo dos últimos anos. Exclusivo New York Times / PÚBLICO

computadores

.4

SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004

ESTUDO CONTESTA O MITO DO ‘DESENRASCANÇO’ NACIONAL

Portugal com atraso de 50 anos na criatividade

U M RECENTE estudo sobre vários países europeus e os EUA demonstra que o tradicional “desenrascanço” português não sobrevive a

uma análise estatística. Este estudo põe

em causa a crença de que os portugueses são criativos e, por isso, o país está apto adaptar-se à globalização da economia e às novas tecnologias. “A criatividade tornou-se a força motriz do crescimento económico. A capacidade de competir e prosperar na economia global ultrapassa o comércio de bens e serviços e os fluxos de capi- tal e investimento. Pelo contrário, ela torna-se cada vez mais a capacidade de as nações atraírem, manterem e desenvolverem pessoas criativas”, expli- cam Richard Florida e Irene Tinagli no relatório “Europe in the Creative Age”, divulgado em Fevereiro. Centrando-se nos três T do desen- volvimento económico — tecnologia, talento e tolerância, no sentido de abertura a novas pessoas e ideias —, os autores analisaram 14 países europeus (incluindo escandinavos e nórdicos) e comparara m-nos com os EUA. A “classe criativa” envolve quem trabalha nas ciências e engenharias, na investigação e desenvolvimento (I&D), nas indústrias baseadas em tecnologias, nas artes, na saúde, nas finanças ou nos meios jurídicos e outros, que lidam com tarefas criativas ou con-

ceptuais. Esta “classe

ESTUDO CONTESTA O MITO DO ‘DESENRASCANÇO’ NACIONAL Portugal com atraso de 50 anos na criatividade U

Suécia já ultrapassou os EUA enquanto líder na criatividade. A capacidade de a população falar fluentemente inglês nestes países constitui um factor importante para o deslocamento do “epicentro da compe- titividade”, tradicionalmente nas mãos da França, Alemanha e Reino Unido. Também a capacidade de atrair e manter os melhores cérebros — nome- adamente, através de políticas de

imigração — ameaçam os EUA e é agora prática comum em vários países europeus, no Canadá ou na Austrália. O clima de captação nos EUA “arrefeceu”

igualmente o último lugar mas apresenta valores diferenciados no que se refere às atitudes relativas às minorias, valores tradi- cionais e auto-expressão, relacionados com os valores nacionais de direitos indi- viduais, qualidade de vida, democracia, ciência e tecno- logia, lazer, ambiente, ques- tões políticas, de imigração ou homossexualidade. Com base em todos estes dados, os autores com- pilaram o “Índice de Cria- tividade Europeia” (ECI) referindo que as nações do Norte da Europa — como os escandinavos — apa- rentam uma vantagem competitiva distinta, com a Suécia à frente, ultra- passando mesmo os EUA. A Finlândia e a Holanda podem equiparar-se a este país, enquanto a Dinamarca, a Alema- nha, a Bélgica e o Reino Unido estão no pelotão da frente.Os restantes países “enfrentam consideráveis desafios competitivos na Idade Criativa”. São eles, por ordem decrescente, a França, a Áustria, a Irlanda, a Espanha, a Itália, Grécia e Portugal. Em termos de tendências e progresso, com base nos dados tecnológicos e de talentos (deixando de lado a tolerância)

PEDRO FONSECA
PEDRO
FONSECA

tanto devido às restrições

e para mostrar a rapidez de crescimento

legais à imigração de

de uns países perante outros no aumento

das suas capacidades criativas, o estudo coloca a Irlanda à frente, seguida da Fin- lândia e de Portugal, com dados relativos ao intervalo 1995-2000. A análise permitiu ainda criar uma matriz de criatividade, onde Por- tugal se posiciona muito perto dos “up and comers”, países como a Irlanda com más classificações no ECI mas crescimento rápido no lado criativo — embora seja ainda considerado um “atrasado”, com a Espanha, a Áustria, a Grécia e mesmo a França, todos numa “posição difícil”. A não ser que consigam melhorar substancialmente a sua posição, “estes países vão des- cobrir ser difícil competir na Idade da Criatividade”, um “jogo aberto” em que nem sequer se pode ter a certeza de os EUA se manterem como o “epicentro da economia criativa”. (O estudo “Europe in the Creative Age” está disponível em www.creativeclass.org/acrobat/Europe_ in_the_Creative_Age_2004.pdf ).

criativa” já representa mais de 25 por cento da força de tra- balho em sete dos países analisados e quase 30 por cento na Holanda, Bélgica e Finlândia. Portugal ocupa o último posto, com 13,14 por cento do total de empregados, e a Itália (13,19 por cento), são os únicos abaixo dos 15 por cento. Nos outros países, no início do século XX, menos de 10 por cento dos trabalha- dores estava no sector criativo da econo- mia e “menos de 15 por cento da força de trabalho o fazia nos anos 50”; hoje, eles situam-se entre 25 e 30 por cento dos trabalhadores nas nações industriais avançadas. Os EUA mantêm-se na frente das tecnologias e da captação de talentos mas há agora um conjunto de países do

Norte da Europa — Finlândia, Suécia, Dinamarca, Holanda e Bélgica — com capacidades distintivas que lhes per- mitem competir pela liderança na cria- tividade. O estudo refere mesmo que a

quadros qualificados, à actuação das autoridades fronteiriças e a uma percepção menos favorável do país, em termos de agressividade uni- lateral e alguma hostilidade face aos estrangeiros. Quanto a talentos e ao crescimento das ocupações criativas, Portugal foi o único país que decresceu entre 1995 e 2000, mais de 3 por cento. No que res- peita à população com graus académicos entre os 25 e os 64 anos, Portugal posi- ciona-se à frente da Áustria e da Dina- marca. Quanto à quantidade de talentos científicos, o país só é ultrapassado pela Grécia, no último lugar. O mesmo sucede em termos gerais no índice tecnológico, à semelhança do que ocorre em termos de investimen-

tos em I&D. Já nas patentes regis- tadas, Portugal “regressa” à última posição, tal como sucede no capítulo das patentes de alta tecnologia. Na tolerância, Portugal ocupa

dica Manter o Windows actualizado (2) Estando escolhida a primeira opção de confi guração das Actualizações
dica
Manter o Windows actualizado (2)
Estando escolhida a primeira opção de confi guração
das Actualizações Automáticas do Windows, que
obriga o sistema a notifi car o utilizador antes de
transferir qualquer tipo de actualizações, surge um
ícone na área de notifi cação sempre que forem
encontradas novos “updates”.
Para iniciar o processo de transferência dessas actualizações,
clica-se no ícone que se encontra na área de notifi cação.
Surge então uma janela como a da imagem onde são
listadas as actualizações disponíveis para transferência. De
seguida, escolhe-se quais as actualizações que se pretende
transferir clicando sobre as caixas de verifi cação respectivas
e depois carrega-se no botão Iniciar Transferência.
As actualizações seleccionadas serão transferidas em
segundo plano, permitindo continuar a trabalhar sem
interrupções. No caso de se ter escolhido a segunda opção
de confi guração das Actualizações Automáticas, esta fase
não é visível para o utilizador já que o sistema só o notifi cará
quando as actualizações já tiverem sido transferidas.
Depois de uma transferência ter sido iniciada, pode-se
pará-la ou retomá-la a qualquer momento. Se se terminar
a ligação à Net ou reiniciar o computador depois de
interromper uma transferência, o Windows retoma-a
automaticamente da próxima vez que se ligar à Internet.
Concluída a transferência, o ícone aparecerá de novo na
área de estado, desta vez para notifi car que as actualizações
estão prontas para serem instaladas. A sua instalação pode
ser feita de seguida ou adiada. Para iniciar a instalação, clica-
se no ícone da área de notifi cação, o que faz surgir uma
janela semelhante à das transferências, carregando-se aí no
botão Detalhes. A seguir, escolhe-se quais as actualizações
que se pretende instalar clicando sobre as respectivas caixas
de verifi cação e prime-se o botão Instalar.
Quando a instalação estiver concluída, o Windows pode
apresentar uma mensagem a pedir para reiniciar o
computador, dependendo do tipo de componentes do
sistema instalados. É aconselhável reiniciar o computador
quando isso é pedido, porque, se não, o computador
poderá não funcionar correctamente
Se se optar por não instalar uma determinada
actualização já transferida, o Windows elimina os
respectivos fi cheiros do computador. Se, mais tarde, se
quiser instalá-la, há que transferi-la de novo. Para isso,
abre-se as Propriedades do Sistema e, no separador
Actualizações Automáticas, carrega-se no botão
Actualizações Recusadas. A seguir escolhe-se quais as
actualizações a instalar tal como antes. ● JOSÉ DOUTIL
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores .5
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004
computadores
.5

TMN E VODAFONE LANÇAM SERVIÇO COMERCIAL DE 3G COM PROMOÇÕES ATÉ AO FIM DO A

Os primeiros serviços da terceira geração mó

A ntecipando a data imposta pela Anacom para o lançamento comercial dos serviços de ter- ceira geração móvel, a TMN e a Vodafone têm já disponível

para os seus clientes o “serviço promessa”, que pretende melhorar a forma de comuni- cação através do telemóvel. Às funcionali- dades que os clientes das redes móveis já estão habituados adiciona-se a videocha- mada, aumentando também a rapidez no acesso a serviços de portais multimédia e melhorando significativamente a trans- missão de dados, o “down- load” de funcionalidades e de mensagens MMS. Depois de todos os atra- sos da tecnologia de terceira geração móvel — por culpa da situação financeira que as operadoras de telecomu- nicações atravessam desde 2001 mas também por difi- culdade em estabilizar a própria tecnologia e garan- tir a compatibilidade com as redes GSM —, os portugue- ses vão poder experimentar “em real” as promessas que o UMTS arrasta desde o final dos anos 90. Com o lançamento das duas redes móveis em 3G, embora ainda com cobertura limitada e a qualidade “possível”, Portugal acaba por se tornar, mais uma vez, pioneiro nas tecnologias móveis na Europa, já que são ainda poucos os países com contam com a comercialização do novo serviço, estando a grande maioria dos operadores ainda em testes. Também a disponibilidade de duas

redes UMTS no mesmo território e a pos- sibilidade de fazer videochamada entre elas é novidade no espaço europeu.

tores” da empresa (em Lisboa e Porto). A Vodafone viria a fazer o seu anúncio formal na semana passada, a 4 de Maio, sendo, a par da filial alemã, a primeira operadora do grupo a fazê-lo na Europa. A Optimus é a operadora licenciada que falta mas a empresa — que tem vindo a conduzir também testes-piloto com mais de uma centena de utilizadores — afirma estar em condições de lançar a tecnologia a qualquer momento. “Assinalaremos o nosso lançamento comercial quando sen- tirmos oportunidade, até porque acredita- mos que é o passo que nos levará à liderança”, explica Isabel Borgas, directora do Departamento de Relações Públicas da Optimus. A antecipação face à data da Anacom, após dois adiamentos a pedido dos operadores, visa obvia- mente marcar pontos no tão desejado “pioneirismo” e “inovação” mas também agarrar duas oportunida- des de mega-eventos que se aproximam. E se, na TMN, as datas do Euro estão assinaladas a verme- lho — devido às parcerias estabelecidas entre o Grupo PT e a UEFA —, a Vodafone não esconde a sua vontade de mostrar tec- nologia pronta e a funcionar durante o Rock’in’Rio, evento que patrocina e onde acredita estar mais localizado o seu alvo de utilizadores “early adopters”, que mais facilmente vão aderir ao serviço. Mas, ainda assim, as expectativas de

mudança de clientes para a nova tecnolo- gia não são muito elevadas. Numa altura em que se está a chegar ao nível de satu- ração no GSM, com a taxa de penetração

TMN E VODAFONE LANÇAM SERVIÇO COMERCIAL DE 3G COM PROMOÇÕES ATÉ AO FIM DO A Os

Adiantando-se,

a

de utilizadores de tele- móveis acima dos 90 por cento, os operadores não têm de convencer novos clientes a entrar no mundo móvel para o 3G, mas a mudarem do GSM para a nova tecnologia. Só que as vantagens apresentadas não

TMN foi a primeira

operadora

portuguesa

a

anunciar

o

comercial 3G, a

serviço

19

de

FÁTIMA

CAÇADOR

e

CRISTINA

ALEXANDRA

FERREIRA

/

Casa

dos

Bits

Abril, embora os equipamentos chegassem aos clientes apenas a 21 do mesmo mês e

estivessem

limitados às duas “megas-

As siglas e o que querem dizer

3G / UMTS (Universal Mobile Telecommunications System): terceira geração das redes de telecomunicações móveis GSM, que permite comunicações de banda larga com débitos na ordem dos 2 megabits por segundo (Mbps) e alarga as possibilidades de fornecimento de serviços móveis.

GPRS (General Packet Radio Service): uma norma que permite uma utilização da rede móvel GSM para transmitir dados a uma maior velocidade e com tecnologia de comutação de pacotes, semelhante à usada nas redes TCP/IP. A velocidade do GPRS pode chegar a 115 Kbps mas a transmissão de dados anda habitualmente à roda dos 56 Kbps.

Wi-Fi: conjunto de tecnologias de comunicação por rádio mas de menor alcance, suportadas nos protocolos 802.11x, e que servem para montar redes locais sem fi os (as chamadas WLAN). A mobilidade garantida pela possibilidade de comunicação sem fi os está a tornar esta tecnologia uma das grandes apostas dos fabricantes de informática e também de telecomunicações, que garantem desta forma a comunicação de dados através de redes sem fi os aos seus clientes a débitos que podem chegar aos 54 Mbps.

são muito evidentes. Para a comunicação de voz, que reúne o grosso da utilização de telemó-
são muito evidentes.
Para a comunicação de
voz, que reúne o grosso
da utilização de telemó-
veis, não haverá saltos
qualitativos a marcar e
a videochamada não é
considerada uma “killer
application” entre os
utilizadores finais,
além de sofrer ainda de
problemas de qualidade
(como o atraso do som e
o excessivo mosaico na
imagem), que dificul-
tam a comunicação. Já
nos dados para utiliza-
dores empresariais, os
benefícios são elevados
— e daí a existência de
pacotes especiais para
os computadores com
placas PCMCIA 3G (ver
caixa).
No acesso a dados
multimédia dos portais
TMN i9 e Vodafone
Live, os utilizadores vão
também sentir provei-
tos, sobretudo a nível

da velocidade, mas este poderá não ser motivo suficiente para justificar a mudança necessá- ria de telemóvel e o pagamento de servi- ços mais caros. Tentando obviar esta questão, e sem subsidiarem para já equipamentos para o mercado de con- sumo, os dois ope- radores prepararam preços promocionais de comunicações até ao final do ano para os novos clientes do 3G, abatendo desta forma um dos entra- ves iniciais à adesão. Até 30 de Junho a TMN vai praticar o preço promocional de 0,05 euros para as videochamadas, que depois custa- rão 0,99 euros por minuto. Até Setem-

Funcionalidades a mais?

Os terminais 3G que a Vodafone e a TMN colocaram nas lojas são considerados pelas empresas como equipamentos equivalentes aos telemóveis de topo de gama que os utilizadores podem actualmente adquirir para as redes de GSM. Integrando câmara fotográfi ca — duas no caso do Siemens U15 que a TMN comercializa —, ambos os modelos apostam nas funcionalidades multimédia acrescidas e no ecrã de dimensão alargada. Os dois telemóveis já estão à venda nas lojas, mas as operadoras não confi rmam as quantidades encomendadas para “stock”. De qualquer forma, os clientes que já possuem cartões das redes TMN e Vodafone têm a vida facilitada na mudança para estes equipamentos, podendo utilizar os cartões que já possuem nos novos terminais, embora tenham de solicitar a activação do serviço 3G na TMN. Em alternativa, é possível pedir uma segunda via do cartão, já com mais memória. Os dois modelos são compatíveis com as redes GSM, GPRS e UMTS, comutando automaticamente sempre que necessário ou assim que detectarem que a rede está disponível. O

utilizador pode visualizar no ecrã se o local onde se encontra tem cobertura 3G mas poderá sempre fazer chamadas apenas de voz e aceder a serviços multimédia através de GSM ou GPRS. Com preços ainda elevados — de 699 euros no caso do Siemens U15 da TMN e de 690 euros no caso do Samsung Z105 da Vodafone —, os dois telemóveis compensam no peso o que “aligeiram” na carteira dos compradores. O modelo U15 da Siemens pesa 140 gramas, enquanto o Samsung Z105 pesa 132 gramas, sendo uma variante em relação aos equipamentos cada vez mais leves e pequenos a que as marcas têm habituado os seus utilizadores. Para facilitar a aquisição, e já que a videochamada só funciona entre “pares” (se o interlocutor também possuir um telemóvel com a funcionalidade), a Vodafone garante um desconto no segundo terminal na compra de dois equipamentos. Para além desta benesse, os clientes gozam ainda de uma taxa especial, também de 50 por cento de desconto, no caso de quererem actualizar o seu telemóvel a partir de 1 de Dezembro deste ano.

Mais atraentes poderão ser as funcionalidades de imagem. O Siemens U15 possui duas câmaras, uma frontal e outra traseira, podendo os utilizadores comutar entre as duas formas de apresentação da imagem, mesmo durante uma videochamada. Já o Samsung Z105 tem uma câmara rotativa, que pode ser manualmente gerida pelo utilizador para apontar para o local que preferir. As características relacionadas com a gestão das imagens da câmara podem também ser a principal complicação para quem utilizar os novos telemóveis. Apesar de não serem “criptográfi cas”, inserem mais uma novidade para os utilizadores, que, para além de gerirem as videochamadas — quando disponibilizar ou não a imagem, ligar ou não os auriculares, etc. — têm também que confi gurar esta parte da câmara. Algo que, certamente, em pouco tempo entrará na rotina. A breve prazo as duas operadoras esperam ainda diferenciar a oferta de equipamentos ao mercado com a introdução de novos modelos, que poderão também ter preços mais atraentes. F.C. / CdB

computadores

.6

SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004

N O

vel

bro, a navega- ção no portal i9 será gratuita, uma promoção que a Vodafone estende até ao final do ano no Portal Live — enquanto para a videochamada cobra o mesmo valor de uma chamada de voz normal. M a n t e n d o a ideia de não s u b s i d i a r e m telemóveis, a TMN e a Voda- fone afirmam que só o farão dentro dos pacotes normais de empresas. Porém, a Vodafone lançou uma promoção até 30 de Junho mediante a qual, na compra de dois equipamentos, o segundo telemóvel goza de um desconto de 50 por cento. Os clientes poderão ainda trocar de equipamento a partir de 1 de Dezembro de 2004 com um desconto de 50 por cento na compra de um novo terminal de 3G. Até ao final de 2005, a TMN estima que terá mais de 1 por cento dos seus clientes a usarem a nova tecnologia 3G, número a que a Vodafone acrescenta um zero, apon- tando para 10 por cento. A equação vai provavelmente ser alterada com a entrada da Optimus no mercado, se porventura esta operadora optar por uma campanha comercial mais agressiva, com subsidia- ção de equipamentos; mas, de qualquer forma, os números de crescimento serão, como confirmam todas as consultoras, de evolução muito gradual.

N O vel bro, a navega- ção no portal i9 será gratuita, uma promoção que a

Placas facilitam comunicação de dados

Simplifi cando a utilização de quem quer aceder à Internet e ao E-mail através da rede móvel, as placas PCMCIA (ou PC Card) garantem já uma maior qualidade de acesso através das redes de GPRS e UMTS, e evitam a “complicação” de ter de usar o Bluetooth e os infravermelhos dos telemóveis para uma aplicação mais profi ssional da comunicação de dados. As três operadoras móveis portuguesas têm no mercado soluções para as redes de GPRS mas a Vodafone foi a primeira a comercializar uma placa que combina a ligação através das chamadas redes de 2,5 geração (GPRS) e o UMTS. O Vodafone Mobile Connect Card foi o primeiro serviço de 3G a ser comercializado em Portugal, tendo sido lançado ainda em Fevereiro — afi rmando António Coimbra, director de “marketing” da Vodafone, que o volume de tráfego cursado pelos clientes é três vezes superior ao do GPRS. O Mobile Connect Card 3G assenta na mesma facilidade de instalação e utilização que o seu antecessor, oferecendo ao cliente uma consola a partir da qual pode gerir a navegação na Web, o acesso ao correio electrónico e a recepção de mensagens escritas. Nessa mesma janela, o utilizador pode verifi car o volume de tráfego realizado e a velocidade a que está a trocar dados em cada momento. Tirando partido da cobertura actual da rede de 3G da Vodafone — que abrange a Grande Lisboa, Grande Porto, Coimbra, Aveiro, Braga, Faro e principais zonas de veraneio do Algarve —, o Mobile Connect Card 3G funciona também na rede de GPRS quando for necessário. O utilizador poderá escolher entre confi gurar a placa para aceder apenas em 3G, ou GPRS, mas em alternativa pode seleccionar um modo de comutação automática para a rede disponível. A placa custa agora 499 euros e os clientes podem optar por pacotes de comunicação de 50 MB, com uma mensalidade de 50 euros, para além do plano tarifário Corporate com uma mensalidade de cinco euros e um “pack” de 10 MB com um valor mensal associado de 20 euros para um tráfego de 10 MB. Aquando do lançamento do seu serviço de videochamada, em Abril, a TMN apresentou também discretamente a sua placa PCMCIA, a Novatel Merlin U530, que já pode ser encomendada nas lojas por 499 euros. Computadores não teve ainda oportunidade de testar este equipamento mas os dados fornecidos

pela TMN indicam que foi desenvolvido um “software” de ligação exclusivo para tornar mais fácil e intuitiva a instalação e o uso da aplicação e a confi guração da placa. A placa é vendida já com um cartão SIM 3G, devendo depois o cliente escolher o tarifário — exclusivo para clientes que compram Acesso 3G ou i9 3G. Existem “plafonds” mensais com 2 a 100 MB no Mega Mais, com preços entre 5,95 euros e 95,20 euros, não partilháveis entre utilizadores. Se o valor de tráfego for excedido, poderá pagar-se entre 3,57 euros a 1,19 euros por megabyte adicional, premiando os clientes com mais tráfego. Até 30 de Setembro de 2004, os clientes têm desconto de 50 por cento no valor da mensalidade. Há também a opção de um tarifário-base, o Acesso Base Mais, onde se paga apenas o tráfego realizado e que, em consumos até 5 MB, custa 0,0048 por KB; mas, se os consumos forem entre 5 e 20 MB, o valor por kilobyte é de 0,036 e, acima de 20 MB, é de 0,0030 euros. Apostando ainda na complementaridade com as redes Wi-Fi, a TMN tem uma oferta, até à mesma data, de 420 minutos por mês no serviço PT Wi-Fi, da empresa do mesmo grupo. F.C. / CdB

Placas facilitam comunicação de dados Simplifi cando a utilização de quem quer aceder à Internet e
Placas facilitam comunicação de dados Simplifi cando a utilização de quem quer aceder à Internet e
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores .7
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004
computadores
.7

O IMPACTO DAS QUESTÕES LEGAIS TENDE A AUMENTAR NA INTERNET

Problemas jurídicos do comércio electrónico

Q UAL O IMPACTO, os efeitos práticos e os riscos da jurisdição legal sobre a Internet para as empre- sas em todo o mundo? A resposta foi dada em Abril pelo estudo

“Global Internet Jurisdiction”, elaborado pela American Bar Association (a associação norte-americana de advogados), Internatio- nal Chamber of Commerce e o Internet Law and Policy Forum. Os resultados do estudo — terminado em Novembro de 2003 com respostas de 277 enti- dades — demonstram que são as empresas norte-americanas aquelas que mais estão pre- ocupadas com estas questões, muito mais do que as suas congéneres na Europa ou na Ásia,

numa questão que tem vindo a agravar-se nos últimos dois anos. A maioria dos inquiridos acredita que os problemas vão aumentar em 2005 e atribui a sua importância à emergência da Internet e do comércio electrónico. À frente destas questões legais, as maiores preocupações de quem tem um negócio “on- line” advêm dos riscos de potenciais processos judiciais, face aos quadros regulamentares, que também preocupam as empresas, assim como a regulação industrial, da defesa do con- sumidor, do comércio electrónico, dos impostos e da privacidade. Os média são apontados como o sector mais afectado pela regulamentação inter- nacional da Internet e “mais de metade das

respostas das empresas de média indicou que ajustaram as suas operações comer- ciais em resposta ao risco da jurisdição da Internet”. As empresas, principalmente as norte- americanas, tentam proteger-se através de “abordagens tecnológicas e jurídicas” para evitarem incorrer em problemas judiciais. Isso passa pela inclusão de declarações legais nos seus sítios da Web, utilização de servidores localizados nos locais das ope- rações comerciais, uso e registo de nomes de domínio nacionais ou a colocação de conteúdos locais. São também as empresas norte-ame- ricanas as que mais se preocupam em

usar técnicas de identificação para saber a origem dos seus utilizadores (69 por cento), enquanto apenas 41 por cento dos inquiridos na Ásia e 29 por cento na Europa dizem fazer o mesmo. Algumas empresas referem igualmente que evitam ter negócios com certas “zonas de alto risco”, dando o temor de fraude pelos utilizadores como a principal razão. Isto passa pelo bloqueio a certos endereços da Internet ou pela obrigação de registo, enquanto o uso de tecnologias de geo-refe- renciação (localização geográfica) ainda “é relativamente raro”. O estudo está dis- ponível em www.mgblog.com/resc/Global Internet Survey.pdf. PEDRO FONSECA

virose
virose
e desliga-se ao fi m de um minuto. É, entretanto, criado Acrescenta um valor ao Registo
e desliga-se ao fi m de um minuto. É, entretanto, criado Acrescenta um valor ao Registo

e desliga-se ao fi m de um minuto. É, entretanto, criado

Acrescenta um valor ao Registo do Windows para que seja executado quando o computador é iniciado e usa a API AbortSystemShutdown para bloquear tentativas de desligar ou reiniciar o computador. O “verme” inicia depois um servidor de FTP na porta TCP 5554, que é utilizado para propagar o “worm” para outros computadores. Varre a Net à procura de endereços de IP que não sejam 127.0.0.1, 10.x.x.x, 172.16.x.x-172.31.x.x (inclusive), 192.168.x.x e 169.254.x.x. Estes endereços são utilizados para gerar endereços aleatoriamente: 52 por cento das vezes de forma completamente aleatória, 23 por cento só os três últimos algarismos são aleatórios e 25 por cento os dois últimos. Este processo é feito de 128 “threads” (processos de execução), o que ocupa muito tempo de

utilitário de detecção — que, se descobrir o “worm”

nele. O número de “threads” do processo iniciado pela

um desses computadores, o “worm” envia “shell code”,

aleatoriamente através da porta 445 para determinar

possível infecção — como seja o contínuo reiniciar

de quatro ou cinco dígitos seguidos de “_up.exe” (por

segurança instaladas, especialmente a relativa à falha

Windows apresenta então uma mensagem de alerta

ao servidor de FTP do computador infectado, através

infectar, bem como o número de computadores que

se o computador está “on-line”. Se se conseguir ligar a

já conseguiu contaminar. As variante B, C e D criam o

Netsky.AC, onde aquela equipa alegadamente assume a criação e o lançamento do Sasser. Segundo alguns cálculos, o “worm” terá atacado 500 mil computadores nos três primeiros dias, havendo, no entanto, algumas estimativas que apontam para um intervalo entre 200 mil e 1 milhão — em qualquer dos casos, valores muito longe dos 10 milhões de computadores infectados no ano passado pelo Blaster. A versão inicial do “worm”, classifi cada como apresentando perigosidade média, espalhou-se lentamente; mas a variante B, surgida logo no sábado, infectou mais depressa muitos mais computadores, o que levou à sua classifi cação como sendo de risco elevado. Nos primeiros dias a seguir ao fi m-de- semana, surgiram outras duas variantes mas que não demonstraram ser tão perigosas como as anteriores.

aconselhado que se tenha todas as actualizações de

Esta “shell” é utilizada para criar uma ligação de volta

— daí resultando que um computador infectado se

computador está infectado pelo Sasser (se não

possa tornar tão lento que não se consiga trabalhar

próprio “worm”. Esta cópia terá um nome composto

que visa abrir um “remote shell” na porta TCP 9996.

endereço de IP do último computador que tentou

o fi cheiro Win.log na raiz do disco C: que contém o

O Sasser explora então a falha no Windows LSASS

explorada pelo “worm” e que aparece identifi cada

processamento por parte do processador central

reconhecê-lo), é ir ao sítio da Microsoft atrás

no Windows Update da Microsoft como sendo a

“fi rewall”, instalando de seguida a actualização

se tem um antivírus actualizado, que deverá

de segurança atrás referida. Por fi m, corre-se o

da porta TCP 5554, para transferir uma cópia do

O Sasser é um “worm” que tenta explorar a falha descrita no Microsoft

— permite também removê-lo. JOSÉ DOUTIL

levando à interrupção do processo Lsass.exe. O

do computador —, começar por activar uma

referido e correr o utilitário de detecção. A

Microsoft aconselha a, se houver sinais de

O Sassex liga-se aos endereços de IP gerados

Como proteger um PC do Sasser

e desliga-se ao fi m de um minuto. É, entretanto, criado Acrescenta um valor ao Registo

Para proteger um computador do Sasser é

e desliga-se ao fi m de um minuto. É, entretanto, criado Acrescenta um valor ao Registo

A melhor maneira de detectar se um

actualização de segurança KB835732.

e desliga-se ao fi m de um minuto. É, entretanto, criado Acrescenta um valor ao Registo

Quando é executado, o Sassex

“worm” consome uma grande

uma instância do “worm” a ser

Windows 2000 e Windows XP.

executada num computador,

se chama SkynetSasserVersio

O Sassex copia-se a si próprio

cria um “mutex” com o nome

ao mesmo tempo. O “mutex”

não os infecta, embora possa

os programas não consigam

e desliga-se ao fi m de um minuto. É, entretanto, criado Acrescenta um valor ao Registo

com o nome Avserve.exe. As

variante D também cria dois

sistemas desprotegidos que

afectando os computadores

não ter nenhuma função). A

“mutexs”, em que o primeiro

eles se liguem. Neste caso, o

servir-se deles para infectar

com os sistemas operativos

Security Bulletin MS04-011.

Ele propaga-se procurando

quantidade de recursos do

Jobaka31 com a fi nalidade

sistema, o que faz com que

outro “mutex”, com o nome

variantes B criam o fi cheiro

correr de forma adequada.

das variantes B e C chama-

falha através de endereços

de não haver mais do que

Windows 95, 98 e ME mas

aleatoriamente — mas só

Jobaka3, mas que parece

para a pasta do Windows

protegidos contra aquela

exemplo, 74354_up.exe).

variantes também criam

se JumpallsNlsTillt (estas

O que o Sasser faz

a D cria o skynetave.exe.

Avserve2.exe, enquanto

variante C é de 1024.

computadores com

de IP seleccionados

Ele pode correr nos

computadores não

fi cheiro Win2.log.

nWithPingFast.

e desliga-se ao fi m de um minuto. É, entretanto, criado Acrescenta um valor ao Registo
e desliga-se ao fi m de um minuto. É, entretanto, criado Acrescenta um valor ao Registo

OS VÍRUS DA SEMANA

‘Verme’ Sasser atacou em força mas não igualou o Blaster

A última semana foi marcada pelo surgimento de um novo “worm” que se propaga através da Internet — mas não por correio electrónico — e que, pelas suas características e possibilidade de propagação, faz lembrar o Blaster. Trata-se do Sasser, que foi pela primeira vez detectado ainda no dia 30 de Abril e que, em menos de uma semana, se “desdobrou” em quatro variantes. De tal modo foi dada importância ao Sasser que a própria Microsoft — “culpada” do perigo que ele representa, pois o “verme” explora uma falha de segurança do Windows — criou uma página especial com um utilitário para verifi car a possível infecção dos computadores, para além de instruções para a sua remoção bem como prevenção ( http:

//www.microsoft.com/sasser ). Segundo a empresa, esta página terá sido visitada por cerca de 1,5 milhões de utilizadores durante as primeiras 48 horas da sua existência. E a Microsoft colocou, inclusive, uma chamada de atenção e uma ligação a esta página no seu sítio Windows Update. O Sasser explora uma falha recentemente detectada numa componente dos Windows 2000 e XP, chamada Local Security Authority Subsystem Service (LSASS), para a qual a Microsoft já havia disponibilizado um “patch” há cerca de duas semanas. O “worm” procura, através da Internet, computadores que ainda apresentem esta vulnerabilidade e estabelece uma ligação remota com eles, instalando aí servidores de FTP (File Transfer Protocol), que utiliza para se transferir a si próprio para estas máquinas. Uma das razões por que o Sasser não se propagou mais depressa foi o facto de os primeiros dias da epidemia terem coincidido com um fi m- de-semana e com feriados na segunda-feira em pelo menos dois países onde os sistemas de informação têm grande peso, tanto nas empresas como nos lares: a Grã-Bretanha e o Japão. Outra razão é a aparente fraca qualidade da sua programação, conforme opinião de alguns especialistas em segurança informática. Há vários indícios de que este “worm” teve origem na Rússia, numa equipa de programadores autodenominada Skynet Antivirus Team e que se suspeita também ser responsável por cerca de 30 variantes do “verme” Netsky — pelo menos é o que consta do código da última variante deste “worm”, o

Dia 10
Dia 10

Int, WM/FRIDAY.D, WM/ BADBOY.A;B;C, WM/FRIDAY.A, WM/SHOWOFF.G, W97M/Alamat, W97M/Cobra.a1, W97M/ BackHand.A, VBS/Aqui, WM/ BOOM.A;B, W97M/Rapmak.a, VBS/Alphae, W97M/Idea.A

W97M/Jackal.A, X97M/Hopper.r, W97M/Class.ed, VBS/Alphae, W32/ PetLil@MM, JS/Gigger.a@MM

VBS/Count, W97M/Yous, VBS/ Zync, WM/Eraser.A:Tw, W97M/ Courage.a, W97M/Fifteen.a, Tribute.A;B, W32/Winur.worm.b, W32/Winur.worm.a, W32/ Urick@MM, WM/Theatre.A, AOS.A, Habir.A, W97M/Alamat, W97M/ Cobra.a1, X97M/Anis, VBS/Aqui,

WM/Concept.F;G;J, W97M/Cash, W97M/Akuma, W97M/Cobra.a1, W97M/Alamat, Tribute.A;B, XM/Laroux.IC, WM/Eraser.A:Tw, WM/ERASER.H, W97M/Yous

WM/Alliance.A, VBS/Aqui, W97M/Cobra.a1, W97M/Alamat, WM/Eraser.A:Tw, WM/Envader.A (Intended), W97M/Yous

VBS/Godzilla@M, VBS/Count, WM/Helper.B, X97M/Hopper.r, JS/Gigger.a@MM, VBS/ Baracu.A@mm, VBS/Aqui, X97M/ Anis, W97M/Alamat, WM/Eraser.A:

W97M/Yous, W97M/Digma, WM/Envader.A (Intended), WM/ CVCK1.B;E, WM/Eraser.A:Tw, VBS/ Zync, Twno.A, WM/Goldsecret.B:

W32/SoftSix.worm, VBS/Aqui, W97M/Ekiam, W97M/Cobra.a1, W97M/Alamat, WM/ PHARDERA.C ;D (INTENDED), VBS/Valentin@MM, W97M/Este, W97M/Class.Q, VBS/San@M, WM/Eraser.A:Tw, W97M/Class.B, W97M/Class.D, W97M/Yous

WM/MERCY.B, WM/CVCK1.A, WM/JUNKFACE.A;B, WM/ Eraser.A:Tw, W97M/AntiSocial.e, W97M/Alamat, W32/Blurt@MM, VBS/Aqui, W97M/Bablas.aj, WM/Alliance.A

Tw, VBS/Zync, W97M/Nono.A, AOS.A, WM/Helper.A;B, VBS/ Loveletter.ar, W32/Urick@MM, W97M/Alina.a@mm, W97M/ Melissa.ao@mm, W97M/Hope.p

Dia 14

Dia 16

Dia 12

Dia 15

Dia 13

Dia 11

computadores

.8

SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004

UMA REVISTA DE IMPRENSA DAS NOTÍCIAS JURÍDICAS E COMENTADAS

Jurinfor lançou o serviço LexPress

A CEDER

À

I NTERNET ,

a

for adicionar a essas notícias anotações com a legislação mais directamente relacio- nada. Dizem os responsáveis

da Petrus e da Jurinfor que, diariamente, entre as 10 e as 11 da manhã, este processo estará concluído e os subscritores do serviço poderão consultar “on- line” a selecção de notícias efectuada. Quem pretender testar o novo serviço poderá aceder ao “site” LexPortugal.com, seleccionar a opção LexPress e consultar as notícias reco- lhidas desde o início deste ano e até ao final do mês passado. Os interessados podem depois subscrever o serviço, que custa 60 euros por trimestre ou 180 euros por ano. O LexPress representa “um desenvolvimento natural para

um fornecedor

de

conteúdos

meio da manhã, e

poder consultar, em

poucos minutos, as

notícias que saíram

relacionadas com temas jurí- dicos poderá ser um serviço interessante para advogados, magistrados ou outros profis- sionais ligados ao Direito. A Jurinfor pensou nisso, meteu mãos à obra e lançou, na semana passada, o LexPress. Há vários anos a disponi- bilizar conteúdos e serviços na Internet destinados aos

profissionais do mundo judi- cial — como é o caso do “site” LexPortugal.com —, a Jurin- for resolveu agora aliar-se a uma empresa que recolhe e prepara as notícias que saem na imprensa, a Petrus, e for- necer diariamente um serviço de revista de

imprensa

que

ISABEL GORJÃO SANTOS
ISABEL
GORJÃO
SANTOS

permite con- sultar as notícias de várias publicações que, de alguma forma, se relacionam com o mundo jurídico. Ao todo, a Petrus recolhe a informação de cerca de 250 títulos nacionais e regionais, seleccionando as notícias que se podem considerar impor- tantes para os juristas. Feita a selecção, é a vez de a Jurin-

jurídicos”, como referiu Nuno Machado Men- donça, presidente do conselho de administração da Jurinfor. Quanto ao objectivo, “é comple- tar a oferta da Jurinfor com um produto de grande valor acres- centado para os profissionais da área jurídica, bem como para outros decisores”. Para aceder ao serviço LexPress, é necessário efec-

UMA REVISTA DE IMPRENSA DAS NOTÍCIAS JURÍDICAS E COMENTADAS Jurinfor lançou o serviço LexPress A CEDER
UMA REVISTA DE IMPRENSA DAS NOTÍCIAS JURÍDICAS E COMENTADAS Jurinfor lançou o serviço LexPress A CEDER

tuar a inscrição no “site” LexPortugal.com e obter a palavra-passe que permite o acesso. Explica Helena Marcos, directora comercial e de “marketing” da Jurinfor, que o LexPress incluirá as notícias e artigos mais rele- vantes da área do Direito, o que abrange as mais diver- sas publicações periódicas, incluindo os jornais regio- nais. Apesar de privilegiar as notícias e a informação, o serviço incluirá também alguns artigos de opinião considerados relevantes para os juristas. Todos os conteúdos disponíveis no “site” LexPortugal.com se encontram interligados com o LexPress. Uma das vantagens deste serviço é o facto de ser acres- centada às notícias a legis- lação relacionada, bem como outros textos acerca do mesmo tema. Apesar de só ser dis- ponibilizado nas manhãs dos dias úteis, o LexPress irá também abarcar, à segunda- feira, as notícias que saíram durante o fim-de-semana. O LexPress possibilita o acesso ao texto integral dos artigos disponibilizados e não há número limitado de pesquisas após a adesão ao serviço.

SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores .9
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004
computadores
.9

classificados

 

Envie-nos os seus anúncios através da Internet (URL: http://www.publico.pt/classcomp). Pode também enviar-nos os seus anúncios por E-mail para computadores@publico.pt

V E N D O

 

C O M P R O

Monitor 19”

 

P R E C I S O

O F E R T A S

HUB Ethernet Micronet 4 portas

Contacto: 964612620

Access Point Wireless

10Mbs; Preço: 20,00; Zona

Placa controladora

Impressora fotográfi ca HP Photosmart P1100

Profi ssionais Voluntários

Dê IMAGEM à sua

Conceptronics C22APA

Lisboa Contacto: 966409009

para uma impressora HP

para estudo de viabilidade

lucrativos com a fi nalidade

paginainter@hotmail.com

empresa ...

Normas 802.11b/b+ (11/22 Mbs); Preço: 65,00; Zona

PC Card (PCMCIA) Wireless

Processadores AMD

Desde que haja a entrega

Deskjet 520.

Contacto: joaovaz71@portu

Ou Photosmart P1000, em bom estado e completas. Aceito propostas.

de associação sem fi ns

Elaboração de Sites para

Internet, Design Gráfi co,

Hardware, Software e

Instalam-se programas e

Lisboa Contacto: 966409009

NOVOS a preços mais baratos

galmail.pt

Impressora EPSON

Stylus Colour 500 a funcionar

a preto. Também qualquer

Contacto: Zona do Porto. E- mail: pl1274@hotmail.com

iMac 233

de reciclar equipamentos informáticos para uso de pessoas carenciadas. Enviar

Multimédia. E-mail: sfvasco@iol.pt

Conceptronics C22C

Normas 802.11b/b+ (11/22 Mbs); Preço: 30,00; Zona

de um processador AMD DURON acima de 1000 ou AMD XP acima de

ou só cabeça de impressão

impressora antiga em bom

Preço até 120 c., a pronto. Contacto:

psilvestre@net.sapo.pt

curriculum vitae. E-mail:

Internet

corrigem-se problemas

1800+, que estejam em

estado com cabo paralelo,

Portátil

 

Pizzaria, churrascaria,

 

Lisboa Contacto: 966409009

perfeitas condições de funcionamento. RAZÃO:

Em bom estado, muito

restaurantes

em computadores ao

Iomega Zip Externa USB

para Pentium I. Por favor,

ou mesmo casas noturnas

domicílio (Matosinhos

 

100MB

dizer o preço. E-mail: nupinho@sapo.pt

– Porto) Contacto: 96 961 02 76

+ 7 Disquetes ZIP; Preço:

60,00; Zona Lisboa Contacto: 966409009

Iomega Zip Interna SCSI

100MB

+ Controladora SCSI Adaptec

estou a construir um CLUSTER. Sou do Porto.

Contacto: 93 628 54 94 E-mail: dab@rambus.pt

Portátil HP Xe3

Pentium Celerom 600 MHz, 64 MB RAM, 4 GB, CD-ROM, ecrã TFT 12”, Modem 56Kb,

Processadores AMD usados

Compro processadores AMD DURON acima de 1000 e AMD XP acima de 1800+. Desde que estejam

em perfeitas condições de funcionamento. RAZÃO:

barato (quase dado) Estou disposto a negociar.

Contacto: 96 67 111 88 E-mail: joao.viegas@fi nan tia.com

Trocar PC

Troco (ou vendo) PC novo

AMD 500Mhz 3D, 64 mg

de qualquer segmento que tenham uma boa infraestrutura, e que desejem ser divulgadas. Posso trabalhar no

estabelecimento e ocupar- me da divulgação e página

Design Gráfi co

Criação de cartazes, imagem gráfi ca, paginação, desdobráveis, tratamento

de imagem, pré-impressão. Processamento de texto.

2940; Preço: 60,00Zona Lisboa

teclado novo, duas entradas

estou a construir um

Ram; Gráfi a 16 Mg, PCI

(pois também trabalho com

Aveiro/Braga.

Contacto: 966409009

CLUSTER. Sou do Porto.

128, CD-ROM, CDR Philips, Modem 56K, teclado e rato

a criação e manutenção de web sites), caso haja uma

Contacto: 966340860 E-mail: mrui@aeiou.pt

PDA Compaq 3630

Pouco uso, com cabos USB. Caixa, software e manuais originais. Cartão Compact Flash e assessório de ligação.

À melhor oferta a partir de

250,00.

E-mail: fausto_

USB e mala para transporte. Impecável. Estimado. Preço:

500

euros.

Contacto: 91 991 61 65

E-mail:

raul.mendes@megamail.pt

Computador SUPER CASE

Pentium 4 a 3.06 Ghz; 512 MB RAM; 80 GB; DVD 16-48;

Contacto: 93 628 54 94

E-mail: dab@rambus.pt

TINTEIROS e TONERS vazios

Compramos no âmbito de uma campanha ecológica.

Têm de ser originais e não reciclados. Cuidamos do meio ambiente.

por PC com Proc. PENTIUM

III. Condições a combinar. Z. Coimbra Contacto: 964529110 - E- mail:f.tomas@oninet.pt

Processador Intel Pentium

120

Mhz

Urgente. Contacto: Diogo

proposta Legal!!!

Contacto:

bruno@acwsites.com

Computadores precisam-

se

AISL - Associação de

Executo todo o tipo de

tarefas informáticas

na zona do Minho, como

processamento de texto, pequenos jornais, panfl etos,

convites, páginas de internet,

correia@netcabo.pt

Teclado G4

mais rato óptico de 1ª geração mac, mais dimm

CD-RW 48- 16-48; ATI Radeon

9000

com 128 MB e TV in/

out; Audigy 2; Soundblaster 2.1; Monitor LCD TFT 17”;

E-mail: meio.ambiente@iol.pt

Motherboard

C/ SOCKET7 p/ AMD K6.2

300Mhz. Urgente!

Lencastre 96 7020480

E-mail:

diogo.lencastre@netc.pt

Compro mediante

Intervenção Social LOGOS, sem fi ns lucrativos, recebe

oferta de computadores

usados para implementar

programa de ocupação de

reparação e manutenção de computadores.

Contacto: 917538263 E-mail: sersanto@mail.pt

Executo tarefas

informáticas

sdram 512mb pc 133; tudo

Contacto: 967456363

propostas

 

tempos livres e formação

Processamento de

Preço: 800 euros. E-mail:

Zip Drive externa Iomega

Jogo Virtua Pool 2, Diablo 2.

destinado a pessoas em

junto ou separado pela melhor oferta. E-mail:

mirrorwatch@hotmail.com

Portátil Compaq 2125

Sem defeitos, c/ 10 meses, proc. Intel Cel a 2 GHz, 256 MB, disco 30GB, unidade partilhada de DVD-ROM e gravador CDs. Garantia fábrica até 30/03/2005. Preço:

1050

euros.

Contacto: 934251759

Scanner HP 5P

com placa SCASI e software de tratamento de texto e imagem. Preço: 45 euros. Contacto: 933410818

bernapedroso@sapo.pt

PDA Toshiba e740

c/wifi . À Melhor oferta acima

de 450 euros.

Contacto: 96 657 10 12 E-mail: tmartins@webline.pt

Scanner Epson Perfection

1250

Em bom estado, por 40 .

Com cabo USB, alimentação,

e software. Requisitos: iMAC ou Power MAC G3/G4 OS MAC 8.5 ou Superior, e PC Pentium com WIN 98 ou superior, necessário 32Mb min RAM e 170 Mb. Hard

925

85 80

USB(mac), 100/250MB; até 65 euros; zona do Porto Contacto: 917126623 E-mail: designinprogress@s moove.org

CPU AMD Duron 1200 Mhz

Novo ou usado, em perfeitas

condições; zona de Coimbra E-mail: joao.carlos@mail.te

lepac.pt

iMAC Grafi tte

em excelente estado.

Contacto: Vasco Tavares

919435919

Spectrum zx81

Placa gráfi ca 16MB/32MB até 79,81 euros. Contacto: ricardo.a.pinheir o@clix.pt

Placa gráfi ca ISA com 4MB de memória

Peço que indique o preço, se

faz favor. Contacto: Gil Côrte (Lisboa)

Tel.: 217972346

E-mail: gcorte@hotmail.com

Impressora fotográfi ca

HP Photosmart P1100 em

bom estado e completas.

Aceito propostas.

situação de exclusão. Contacto: Jorge Pinto

914029315

E-mail: aisl@jkpt.net

Pagemaker

free lancer m/f para

actualização periódica de

página. Enviar propostas.

E-mail:

paginainter@hotmail.com

Licenciados em

Engenharia Informática

(ou equivalente)

Funções nas áreas de

Desenvolvimento e Projecto e de Administração

texto; apresentações em Powerpoint e excel;

pesquisas na Internet e bibliotecas. (Aveiro/Coimbra) Contacto: 965583978 E-mail: es_santos@mail.pt

Executo tarefas

informáticas

Pesquisas na internet e em bibliotecas; processamento de texto; digitalização de documentos e impressão a p/b e a cor. Preços a acordar.

Contacto: 916981549

E-mail: eporfi rio@mail.com

Executo tarefas

informáticas

Mesa Digitalizadora Genius HR II

Disk. Contactos: Amadora; tel. 91

da Sinclar, original e com acessórios (pago bem). E-mail: mamutte@bol.com.br

Scanner

Contacto: Zona do Porto. E- mail: pl1274@hotmail.com

Memórias Simm 32Mb Edo

72

contactos

de Dados. Pedem-se conhecimentos das

ferramentas Oracle, PS/SQL,

Pesquisas na internet (5

euros/hora); digitalização

com rato de 5 botões e

E-mail:

luciano.p.duarte@sapo.pt

Usado mas em bom estado;

Compro 2 memórias Simm

C++ e Designer 2000. Enviar c.v. por e-mail.

de documentos (imagem/ textos); apresentações em PowerPoint e Excel;

caneta de 3 botões, Template para Autocad R2000/R2002, software de instalação e

programa Dr.Genius. Preço:

75

euros.

Contacto: 933410818

Portátil Compaq AMD700

Vendo presario 700, 897MHz, Hitachi 20GB,128RAM, modem, placa rede; 2USB LCD, mem.vídeo 16M, mala,

WindXP+software vário. Zona de Coimbra ou Porto. Preço: 500 euros. E-mail: jboica@tugamail.com

Mesa Digital AIPTEK

Modelo Hyper Pen 5000u. Com ligação USB; dimensões 4”x 5”; detecção de 512 níveis de pressão da caneta; resolução 3048 linhas por i; rato sem fi os (funciona sobre

Scanner Umax Astra 1600U

Em bom estado, por 20 .

Com cabo USB, alimentação,

e software. Requisitos: iMAC ou Power MAC G3/G4 - OS

MAC 8.5 ou Superior e PC Pentium, Win 98 ou Superior, necessário 32Mb min RAM e

170

Mb. Hard Disk.

Contacto: Amadora; tel. 91

925

85 80

E-mail:

luciano.p.duarte@sapo.pt

PC

AMD ATHLON 600Mhz; disco

8.6

GB SEAGATE; 128 MB

SDRAM; drive disquetes; CD-Rom Samsung 48x; RIVA TNT2 32 MB; placa de rede 10/100 BNC/RJ45; placa de som 128 PCI; modem

200)

zonas de Lisboa, Sintra ou arredores. Contactos: 918108731

E-mail: abduarte@vizzavi.pt

ou antonis@oninet.pt

Transformador

para Mac PowerBook 540c

Contacto: 917885763

E-mail:

botgomes@fcdef.up.pt

Portátil usado

Fujitsu ou Compaq - Lisboa

e Margem Sul. Enviar confi guração. Contacto:

condeivan@hotmail.com

PLOTTER HP

Inkjet, cores ou

monocromática; A1 ou

AO; em boas condições de funcionamento.

32Mb Edo 72 contactos. Contacto:

José Rodrigues Tel:

919482421

E-mail: mop41115@mail.te

lepac.pt

AMD K6 ii (bus66) 300 ou

366

MHZ

Compro um destes modelos

de AMD K6 ii em bom estado

e sem overclocking. É favor

estabelecer uma oferta de

preço para negociação. Zona

de Setúbal ou Lisboa, só adquiro o material à vista. Contacto: Miguel Banha 91-

9715165.

E-mail: miguelbanha@netc.Pt

Gravador de Cds

Externo para ligação ao meu portátil. Enviar ofertas

para joaobento@netc.pt.

Contacto: joaobento@netc.pt

Contacto: 213922220 E-mail: rec.humanos@porto-

de-lisboa.pt

URL: www.porto-de-lisboa.pt

Emprego na área de Informática, em Portugal

Procuro empresas que

se interessem pelo meu

Currículo, tenho 23 anos de

experiência em informática,

como programador, analista

de suporte e gerente de informática, equipamentos de grande a pequeno porte, experiência em Oracle e

vários outros produtos,

tenho disponibilidade

imediata. Contacto: Gerson Eduardo de Oliveira - Brasil E-mail: popus@terra.com.br

Web Developers

processamento de textos

(1 euro/pp); impressão

(p&b: 0,25 euros/pp; cor: 0,5 euros/pp) Contacto: 965140724

E-mail: pjg_2002@iol.pt

Web Design

Construção de websites,

manutenção, design

personalizado, formulários.

Contacto: 914029315

E-mail: cidesign@jkpt.net

URL: www.jkpt.net

Desktop Publishing e

Fotocomposição

Todo o tipo de trabalho gráfi co, paginação,ilustração

2D e 3D, artes criativas, logotipos, cartazes, cartões, ideias publicitárias,

a mesa) e CD de instalação + software. Ideal para desenho e escrita. Zona Porto, Feira e arredores. Preço: 40 euros. Contacto: 93 809 38 82

56K V90; monitor 17”; rato c/netscroll; teclado; colunas. Preço: 300 (s/monitor

Contacto: 919805951 E-mail: jorgepedra@mail.te lepac.pt

CPU

A, pelo menos, 266 MHz e

Matrox Marvel

Edição de vídeo G400 (AGP)

ou G200 (PCI) Contacto: João - 91 995 78 49

Work in Holland with a good salary. If you are interested, contact me,

Contacto: Marc 00351-

962383783

E-mail:

Contacto: 914029315 E-mail: cidesign@jkpt.net URL: www.jkpt.net

Redes em ambiente

Windows

Contacto: 93 809 38 82

64Mb RAM, com 1 fi cha USB,

- E-mail: joni@net.sapo.pt

marc666@dds.nl

Montagem, manutenção,

 

E-mail: antonio_augusto_ sousa@hotmail.com

E-mail: antonio_augusto_

leitor de CD e drive -- tudo a

iMac 233

 

Professor

instalação, confi guração,

Web Design

Vários

sousa@hotmail.com

Compro iMac, preço até

Impressora HP Laser Jet 1100; Scanner HP 3200 c; disco Western Digital 320 MB; modem interno Diamond Supra 56 K. Vendo em separado. Excelente estado.

Contacto: 91 710 45 79

Colunas Creative

Componentes PC (AMD) MB ECS K7S5A c/ som (para Duron e Athlon XP) - in box; Mem 256Mb SDRAM; CD-ROM; Drive 3 ½ SONY; Modem 56K Int; CD-RW LG 16x10x40x (buffer underrun

funcionar. Muito urgente. Contacto: 936416765. E-mail:

raandersen@hotmail.pt

Processador Pentium II 450 (Socket)

E-mail: jestrela@icor-

construcao.pt

ZIP SCSI-100

598,56 euros, a pronto. Contacto:

psilvestre@net.sapo.pt

Impressoras HP

Vários modelos, a funcionar.

Contacto: 967012790

E-mail: rnsilva@mail.refer.pt

Pentium II 400Mhz

Preciso com urgência professor para DELPHI.

(Coimbra) Enviar C.V.por E-mail:

c.f.@portugalmail.pt

Construtores de Web Pages

Para trabalhar como

optimização. Consultoria informática. Pessoal certifi cado Microsoft. Contacto: 914029315 E-mail: technet@jkpt.net URL: www.jkpt.net

Creative Inspire 5.1 5100. Novas, ainda na embalagem. Zona Porto, Feira e arredores. Preço: 65 Euros

Contacto: 93 809 38 82 E-mail: antonio_augusto_ sousa@hotmail.com

Placa gráfi ca

nVidia Ge-Force 2 MX400 64MB, AGP 2x/4x, com TV out. Preço: 35 Euros (discutível).

E-mail: ei02088@fe.up.pt

protection) - in box; Oferta de jogo; Preço: 160 euros; Zona de Coimbra e Fig. da Foz Contacto: Ricardo 917939023

PowerMac G4 733 Mhz (version 2.0)

System bus 133 Mhz cache

L2 256 K, cache L3 1 Mb, disco de 60Gb, 512 MB SDRAM de memoria, 2 portas fi rewire, 2 portas USB + hub 4 portas USB, teclado

Compro em 2ª mão iomega

ZIP SCSI-100 a funcionar e em bom estado para a Mac. Por favor, referir o preço. E-mail:

jotomas@mail.telepac.pt

Mac

Com 2/3 anos de uso, em excelente estado. Zona de Coimbra. E-mail:

jcarlosmaia@yahoo.com

Em bom estado, que não

tenha sofrido overcloking.

Com preferência para a zona de Lisboa. Contacto: Rusty@mail.pt

Portátil

Compro portátil com modem e/ou cd-rom. Contacto: pe_lu@esoterica.pt

PC Pentium II/III

Computador recente Pentium II/III ou equivalente,

Programadores freelancers. Enviar curriculum, trabalhos realizados; remuneração

acima da média. Preferência com conhecimentos de e- com. Contacto: P.Magalhães E-mail:

np46nn@maol.telepac.pt

Programadores

Recém-licenciados ou com experiência para empresa sediada em Lisboa. Conhecimentos em: Access,

Construção de Web Sites por 100 euros, para empresas e

particulares. Óptimo para se dar a conhecer na Internet por um baixo preço. Contacto: 96 537 76 59 E-mail: mar_psi@yahoo.com URL:

www.webportugal.cjb.net

Web Design (comerciais ou não)

Construção de Web Sites para empresas e particulares. Procedo à manutenção,

Portátil Intel

Joystick compatível com

completo (placa som, gráfi ca, modem, colunas, Windows

Visual Basic, Java, C/C++, Cobol, ABAP/4, bases de

alojamento e registo do

Pentium 4, 2.4G, 512MRam,

Disco 40Gb, Monitor 17”,

Gravador, Placa Gráfi ca 64M,

1400

Euros (negociável). Área

e rato apple PRO + imic. Mac OS 10.2.5 + Mac OS

9.2

+ Software de design e

outros. Monitor Apple Studio

Amiga 500

E-mail: rdd40063@mail.tel

epac.pt

98

e Offi ce 2000 Premium) e,

eventualmente, um scanner

dinheiro.

dados e SQL. Capacidade

de trabalhar em equipa e

domínio, submissão em

motores de busca para uma boa promoção. Óptimo para

Combo Leitor (Dvd) e

Display 17’’ (TFT).Tudo

Contacto: 96 2776889

Jogos originais antigos

e gravador CD,S. Pago a

gosto pela informática de

difundir negócios por um

Contacto: 93 617 42 86

E-mail: gouveia_

portas USB. Inclui jogos originais. Como novo. Preço:

por 1850 euros. Estado impecável.

Procuro alguns jogos

originais antigos, com caixa e

manual, principalmente (mas

Contacto: 964529110-

239995314

(Lousã-Coimbra)

E-mail: frst@aeiou.pt

gestão.Todas as respostas devem ser enviadas

por e-mail, informando

sobre disponibilidade e

baixo preço.

do Porto.

E-mail: raul_

nao só) os da série Ultima.

Placa aceleradora 3D

vencimento pretendido.

eng@yahoo.com

Contacto: 966412662

arfwedson@netcabo.pt

Contacto: João Lopes E-mail:

URL: www.gdesignpt.cjb.net

 

E-mail:

Computador Pentium III

Contacto: Pedro R. Quaresma E-mail: prq@aeiou.pt

No mínimo 12 megas para

Gustavo.Cardoso@clix.pt

buisposit@hotmail.com

Técnico, Formador

jaogoncalves@oninet.pt

Portátil iBook

Torre completa, 866 Mb de

hdd e simms

slote Pci, com drivers, cabos

Comissionista

memória, caixa ATX, board

compro hdd de 2Gb ou mais

e placa em boas condições.

Trabalho à comissão; Venda

e Programador de Informática

Macintosh, 366 Mhz, 192 MB

e simms de 30 contactos,

Preço discutível. E-mail:

de cursos informática. Zona

Procuro trabalho compatível

 

DFI PIII, 256Mb, disco 20Gb, placa grafi ca Riva TNT32Mb,

4Mb ou mais x2, urgente: o

Board ASUS K7V

Centro

na área de Redes, Web,

RAM, disco 60GB, leitor de

placa de som, drive 1,44. Bom

fóssil está fi nalmente a ceder

Contacto: Fernando Paulo

Linguagens de Programação

CD, etc.; Impecável Contacto: 917610439

e faz-me muita falta.

Barata, com pouco uso e

917771633

e Hardware

COMPAQ Armada 110

preço. Zona de Matosinhos,

E-mail:

em boas condições. Estou disposto a dar 169,59 euros

http://www.pcforma.pt; E-

Contacto: 965 446 048

(portátil)

 

Porto. Contacto: 934500912

pedrotobias@hotmail.com

+portes. Contacto: Christian

mail: anuncio@pcforma.pt

E-mail: antpar@sapo.pt

P3 800 Mhz; 192 Mb SDRAM;

Omnibook

AMIGA 2000

Pires (Lisboa) Tel: 93 8379228

Programadores freelancers

Executo tarefas

10

GB disco rígido; CD-Rom

Compro AMIGA 2000 a

E-mail: christian@netc.pt

Enviar curriculum, trabalhos

informáticas

 

xe4500 PIVm 1,7Ghz, 512Mb

funcionar

93 836 02 67

Motherboard+Processador

realizados e contacto.

Pesquisas na internet (10

24X; Placa Som Integrated 16-Bit; 1.44 Mb Disquete

RAM; disco 30GB 14,1”; combo; modem; placa de

Contacto: António Borges tel:

Pentium 120

 

E-mail: carlosbaltazar@hot

euros/hora); digitalização

3,5’’; Placa Gráfi ca Trident

rede e mais. Windows XP

93 836 02 67

Prefª zona Porto. Preço: 12,47

mail.com

de documentos (imagens/

CyberBlade 3D 8 Mb;

Home edition; Windows XP

E-mail: acborges@clix.pt

euros

WWW Pages

textos); apresentações

Classic a funcionar

Contacto:

 

Modem Fax V.90 56K; Placa Rede Ethernet; Ecrã Cores

Professional edition; Offi ce (tudo original); Na garantia

Preferencialmente o mais

tiagopinho@yahoo.com

Romanian Students search collaborators to make

em PowerPoint e Excel; processamento de textos

14’’ Matriz Activa TFT; MS

(com 5 meses). Preço

clássico dos CLASSIC

Dimm 128 Mb PC133

web pages. Our price is 9$

(1 euro/página); impressão

Contacto: Paulo Curto

Barato. Máximo: 139,66 euros

(American dollars) for each

(p&b/cor: 0.25 euro/página)

 

Windows Milenium. Grande

(negociável): 1900 euros

965809087

Contacto: Christian Pires

page. For further information

Contacto: 965140724.

Lisboa. Contacto: tel. 965076944;

Contacto: 963430556 E-mail:

E-mail: paulocurto@mail.te

(Lisboa)

please contact us at

E-mail: paulogodinho_

E-mail: comp.comp@clix.pt

icdamune@portugalmail.pt

lepac.pt

E-mail: christian@netc.pt

murgulescu@hotmail.com.

2001@iol.pt

computadores

.10

 

SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004

 

agenda

SPI 2004 – IEEE Workshop on Signal Propagation on Interconnects

Data: 9-05-2004 a 12-05-2004 Local: Heidelberg, Alemanha Contacto: Uwe Arz E-mail: uwe.arz@ptb.de URL: www.spi.uni-hannover.de

NATW’04 – IEEE 13th North Atlantic Test Workshop

Data: 13-05-2004 a 14-05-2004 Local: Essex Juction, Vermont, EUA Contacto: Ian Harris E-mail: harris@ics.uci.edu URL: www.ee.duke.edu/NATW

ETS’04 – 9th IEEE European Test Symposium

Data: 23-05-2004 a 26-05-2004 Local: Córsega, França Contacto: Michel Renovell E-mail: renovell@lirmm.fr URL: www.lirmm.fr/ETS/ETS04

ISCAS 2004 – IEEE International Symposium on Circuits and Systems

Data: 23-05-2004 a 26-05-2004 Local: Vancouver, Canadá Contacto: ISCAS 2004 Conference Management E-mail: organizers@iscas2004.org URL: www.iscas2004.com

CAD’04 – Internet CAD Conference and Exhibition

Data: 24-05-2004 a 28-05-2004 Local: Pattaya Beach, Tailândia URL: www.cadconferences.com/CAD04.html

IWLS 2004 – 13th International Workshop on Logic and Synthesis

Data: 2-06-2004 a 4-06-2004 Local: Temeluca, Califórnia, EUA URL: www.iwls.org

ESIG 2004 – VII Encontro de Utilizadores

de Informação Geográfi ca

Data: 2-06-2004 a 4-06-2004 Local: Taguspark, Oeiras

Contacto: Vanessa Sebastião (Secretariado)

E-mail: usig@usig.pt URL: www.usig.pt/esig_2004.htm

RFIC 2004 – IEEE Radio Frequency Integrated Circuits Symposium

Data: 6-06-2004 a 8-06-2004 Local: Texas, EUA URL: www.rfi c2004.org

SWTW 2004 – Southwest Test Workshop

Data: 6-06-2004 a 9-06-2004 Local: Califórnia, EUA Contacto: William Mann E-mail: william.mann@ieee.org URL: www.swtest.org

2004

International Microwave Symposium

Data: 6-06-2004 a 11-06-2004

Local: Texas, EUA URL: www.ims2004.org

DAC 2004 – 41st Design Automation Conference

Data: 7-06-2004 a 11-06-2004 Local: San Diego, Califórnia, EUA Contacto: Angela Brantner URL: www.dac.com/41st/index.html

2004

Symposium on VLSI Technology

Data: 15-06-2004 a 17-06-2004

Local: Honolulu, Hawaii, EUA Contacto: Secretariat E-mail: vlsi@vlsisymposium.org

URL: www.vlsisymposium.org/technology/call.html

2004

Symposium on VLSI Circuits

Data: 17-06-2004 a 19-06-2004

Local: Honolulu, Hawaii, EUA

Contacto: Secretariat E-mail: vlsi@vlsisymposium.org URL: www.vlsisymposium.org/tcircuits/call.html

ISCA 2004 – The 31st Annual International Symposium on Computer Architecture

Data: 19-06-2004 a 23-06-2004 Local: Munique, Alemanha E-mail: isca04@ce.chalmers.se URL: wwwbode.cs.tum.edu/~isca

ERSA 2004 – The International Conference

on Engineering of Reconfi gurable Systems and Algorithms

Data: 21-06-2004 a 24-06-2004 Local: Las Vegas, Nevada, EUA URL: www.scism.lsbu.ac.uk/ERA/ersa04/ersa04.html

SHAREWARE

 

WEB DUMPER, DA MAX PROGRAMMING

Arquivar páginas e sítios da Web

SHAREWARE WEB DUMPER, DA MAX PROGRAMMING Arquivar páginas e sítios da Web A W EB assumiu-se
SHAREWARE WEB DUMPER, DA MAX PROGRAMMING Arquivar páginas e sítios da Web A W EB assumiu-se
SHAREWARE WEB DUMPER, DA MAX PROGRAMMING Arquivar páginas e sítios da Web A W EB assumiu-se

A WEB assumiu-se como

o principal repositório

de informação a

nível mundial. Nela

é possível encontrar

quase tudo sobre quase todos os

assuntos possíveis e imagináveis — desde informação comercial da grande maioria das empresas a operar em qualquer

Este “truque” pode ainda ser usado por empresas para fazerem arquivos e cópias semanais do seu sítio na Web para registo futuro, tendo em atenção que actualmente, a maior parte das páginas são geridas de forma dinâmica — o que torna impossível,

por exemplo, daqui a alguns anos,

verificar como era o

sítio da empresa, por

exemplo, no dia 10 de

tiver

o

cuidado

Maio de 2003. Se o departamento

de

“marketing”

de capturar o sítio para um CD,

quando, anos mais tarde, for preciso verificar o que estava na Internet em determinada data,

é só introduzir esse CD-ROM no

leitor e

aceder à

cópia

do sítio

na Web e ao respectivo conteúdo naquela data. O Web Dumper, da Max Programming, é uma das ferramentas disponíveis no mercado de “shareware” para executar esta tarefa — capturar e gravar no disco rígido de um computador o conteúdo completo de sítios na Web. Como factores

enquanto, nenhuma versão portuguesa. O programa pode ser obtido gratuitamente do sítio http://www.maxprog.com/ WebDumper.html e testado sem custos durante 30 dias. A instalação do Web Dumper executa-se sem grandes problemas e ele não ocupará mais do que 3

megabytes no disco rígido. Quanto

a requisitos, o programa requer

pressupõe apenas um PC (ou um Macintosh) com acesso à Internet. Usar o Web Dumper é tão simples como introduzir a URL (endereço) do sítio que se pretende capturar e seleccionar a opção Dump. Segundos depois, o programa começará a transferir para o disco rígido todas as páginas de HTML e ficheiros associados, desde imagens até vídeos e músicas. Os utilizadores mais experientes poderão alterar alguns dos parâmetros da captura, para, por exemplo limitar o tipo de ficheiros a serem copiados, limitar áreas do sítio na Web ou a captura (ou não) de ligações a sítios externos.

parte do mundo até

informação para uso educativo, disponibilizada por universidades, particulares ou outras entidades. Usando um motor de pesquisa — o Google, por exemplo — torna-se muito fácil encontrar determinada informação de que se necessita para terminar um relatório profissional ou um trabalho académico. Mas, muitas vezes, os sítios e os servidores que guardavam essa informação já desapareceram (ou mudaram de endereço) e é comum tentarmos encontrar uma página da Web que temos a certeza de ter visitado uns dias ou semanas antes e ela passou a não estar disponível. E como precisamos das informações constantes dessa página, para terminar um trabalho a ser entregue no dia seguinte, ficamos sem saber o que fazer. Para fazer face a esse problema, uma das formas que o utilizador tem para registar e arquivar informação da Web — que é ou poderá vir a mostrar-se importante no futuro — é gravar o conteúdo de certos sítios para o seu disco rígido. Ou seja, esta solução permite capturar todos os conteúdos disponíveis num sítio ou num servidor da Web para o seu computador de forma a poder consultá-lo sempre que pretender e sem ter que se ligar à Internet.

SHAREWARE WEB DUMPER, DA MAX PROGRAMMING Arquivar páginas e sítios da Web A W EB assumiu-se
SHAREWARE WEB DUMPER, DA MAX PROGRAMMING Arquivar páginas e sítios da Web A W EB assumiu-se

diferenciadores perante a concorrência, encontramos o seu preço (15 euros), o facto de estar disponível simultaneamente para os sistemas operativos Windows, da Microsoft, e MacOS, da Apple, e ainda em diversos idiomas, como o espanhol, o francês e o italiano — não existindo, por

Estas operações estão devidamente documentadas no ficheiro de ajuda que acompanha o programa. Para evitar que os ficheiros gravados ocupem mais espaço do que aquele que realmente é necessário, o Web Dumper inclui uma funcionalidade que elimina todos os ficheiros duplicados. Para

libertar espaço no disco rígido, as pastas que contêm os ficheiros associados a cada sítio podem ser copiadas para um CD-ROM, para arquivo e posterior visualização. Um dos pontos fortes do programa reside na forma como a informação é gravada. O Web Dumper cria novas ligações entre todas as páginas gravadas, de

forma a manter a mesma lógica de navegação que se encontra quando se acede directamente ao sítio na Web. Isto significa que o programa não se limita a copiar os ficheiros para o disco rígido, reconstruindo todas as ligações e a lógica de navegação para que a informação assim guardada não se transforme num amontoado de ficheiros, antes se mantenha uma cópia fiel do sítio da Web que lhe deu origem. Toda a estrutura de directorias é mantida, permitindo, por exemplo, que os conteúdos sejam copiados para um servidor da Internet ou de intranet e disponibilizados a um grupo mais alargado de utilizadores. O programa pode ser ainda usado no contexto de redes empresariais, pois possui suporte para “proxys” e “gateways” de acesso à Web. O Web Dumper é uma das aplicações mais simples e eficientes disponíveis no mercado de “shareware” destinadas a copiar conteúdos da Web para o disco rígido de um PC para visualização “off-line”. Poderá ser usado para criação de cópias de segurança de sítios da Web para arquivo, ou simplesmente para captura de informação disponível na Internet para posterior consulta e utilização. Os 15 euros pedidos pelo seu registo tornam o programa numa das mais económicas ferramentas na sua categoria.

 

FICHA

FICHA Editor Rui Jorge Cruz Redactores, colaboradores e cronistas Ana Gerschenfeld, Ana Machado, André Ruivo, António

Editor

Rui Jorge Cruz

 

Redactores, colaboradores

e cronistas

Ana Gerschenfeld, Ana Machado, André Ruivo, António Granado, Casa dos Bits, Fernando Santos, Helena Viegas, Henrique Carreiro, Henrique Saias, Isabel Gorjão Santos, João Cruz, José Antunes, José Doutil, Luís Félix, Miguel Crespo, Nuno Bernardo, Paulo Almeida, Pedro Fonseca, Rita Cruz, Rita Hasse Ferreira

Secretariado

 

Paula Dias

Paginação

Ana Carvalho, Ivone Ralha, Hugo Pinto, Jorge Guimarães

Projecto Gráfi co & Designer

Luis Carlos Amaro/ Gráfi cos à Lapa

 

Computadores é publicado às segundas-feiras

E-Mail

computadores@publico.pt

Tel. 21-0111168

 

Fax 21-0111008

Assine Computadores

 

Assine o PÚBLICO à segunda-feira e receba o jornal

em sua casa ou levante-o no seu posto de venda habitual com os suplementos Computadores e Economia.

E-mail: assinaturas@publico.pt Tel.: 808 200 095 (custo chamada local) Fax: 210 111 017

Assinatura semestral (26 exemplares):

 

18.20

Portugal

58.50

Europa Resto do Mundo

94.90

Assinatura anual (52 exemplares):

Portugal

36.40

Europa

117.00

Resto do Mundo

189.80

Desconto na assinatura anual para escolas e instituições de solidariedade social. Preços especiais para Macau, Timor, São Tomé e Guiné. Os preços incluem IVA à taxa legal em vigor.

SEGUNDA-FEIRA.1.MARÇO.2004 SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004 computadores .11
SEGUNDA-FEIRA.1.MARÇO.2004
SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004
computadores
.11
JOGOS ‘ TOCA RACE DRIVER 2’, ‘COLIN MCRAE RALLY 4’, ‘R: RACING’ E ‘MX UNLEASHED’ Alta
JOGOS
‘ TOCA RACE DRIVER 2’, ‘COLIN MCRAE RALLY 4’, ‘R: RACING’ E ‘MX UNLEASHED’
Alta competição

A TENÇÃO

A

QUEM

não

é

impressiona. O seu efeito no comporta- mento do carro é bem sensível, pelo que são obrigatórias as cautelas. Por outro lado, são corridas viris, com muito mais adversários que o habitual (até 20), em que ninguém se coíbe de dar toques estra- tégicos para pôr o jogador fora de pista. A dificuldade é elevada, fazendo com que este jogo seja atraente, em especial para quem quer uma condução séria.

De tal forma que a dificuldade se divide entre simulação e pró-simulação, ou que a graduação de dificuldade vá até aos

... saber travar no ponto certo, fazer tra- jectórias correctas em curva, dosear o

acelerador e o travão a cada momento (e aí os gatilhos da Xbox são preciosos, com o teclado do PC a criar uma dificuldade extra), escolher os pontos de ultrapassa-

gem, controlar derrapagens

e contrabrecagens. É igual-

110 por cento

Além disso, é preciso

incondicional de corridas

automóveis e, em especial,

de simulações. As próximas

linhas podem conter cenas

de realismo extremamente chocantes. Se, por acaso, pretender continuar a ler o texto, fica também avisado que aqui se fala dos dois melhores jogos de auto- móveis para PC editados nos últimos 12 meses. Falamos dos gémeos (separados à nascença) “Toca” e “Colin McRae”, as duas séries da Codemasters que são incontornáveis na carreira de qualquer piloto virtual.

“Toca Race Driver 2”, disponível para PC e Xbox, é um salto em frente nesta série. O trabalho de melhorar o seu ante- cessor foi grande e deu frutos. Os carros têm excelente aspecto, a simulação é de grande nível, o modo car- reira é rico e tem excelen-

MIGUEL CRESPO
MIGUEL
CRESPO

tes cenas intercalares que ajudam o jogador a incarnar a persona- gem. Desta vez, não vestimos a pele de Ryan McKane mas a nossa própria, com a visão da história a passar da terceira para a primeira pessoa. Mas a lógica da carreira é similar: ir criando palmarés, cumprindo os objectivos que cada equipa que nos contrata coloca no início de cada campeonato. A variedade dos carros é impressionante, indo desde os aranhiços de Fórmula Ford até aos poten- tes monolugares do tipo Indycar ou Fór- mula 1, passando por clássicos, carros de turismo (DTM incluído, bem como o BTCC e o V8 Supercars australiano), superdes- portivos, barchetas, camiões e protótipos de rodas cobertas. Cada tipo de carro está reproduzido em todos os detalhes, tanto no aspecto como no som e no comportamento, as pistas são dezenas — reais, incluindo nomes como Bathurst, Road America, Laguna Seca, A1 Ring, Mantorp Park ou Vallelunga — e muito bem recriadas. Os carros apresentam danos e não é só a boa forma como são apresentados que

mente possível afinar os carros em inúmeros parâmetros — mas não no modo carreira. Destaque ainda para o modo multijogador, presente nas duas versões e muito competitivo. Ponto negativo é a componente de rali e todo-o-terreno do jogo — nitidamente tiros ao lado, tal a falta de qualidade e ridículo dessas secções. Além de escusa- das, mancham o jogo, criando um choque negativo que demora a passar. Mas, no geral, a emoção está bem presente, num jogo com identidade própria e muita, mas mesmo muita, adrenalina. “Colin McRae Rally 04” merece agora referência pela edição da versão para PC, meia dúzia de meses depois da destinada às consolas. Mantém a mecânica, os carros e a emoção de uma verdadeira simulação de rali. Tem igualmente o mesmo ar “déjà vu”, pois um jogo de rali é exactamente isto: carros de várias categorias (licencia- mentos actuais e do passado, dos WRC aos Júnior WRC, passando pelos monstros do Grupo B da década de 80 ou clássicos), ralis com todos os tipos de piso — terra, asfalto,

neve, lama, etc. — e em variados cenários. Em termos de conversão para o PC, o gra- fismo é bastante bom, a fluidez também e só se sente mesmo é a falta de um controlo analógico para melhor poder graduar as acelerações, travagens e curvas. A física dos carros é bastante realista, a exigência de condução também e, para já, é o melhor no género. Só que já não há grande espaço para inovações… Por contraponto ao realismo das produções da Codemasters, temos “R:

Racing”, o herdeiro espiritual da série arcada “Ridge Racer”. A Namco voltou a pegar na ideia de fazer um jogo de super- desportivos, sem grandes preocupações de simulação, com muitas pistas, gran- des carros e montes de corridas. A pro-

Título

“Toca Race Driver 2”

9/10

Estilo

Corridas

Plataforma

PC e Xbox

Produtor

Codemasters

Distribuidor Ecofi lmes

 

Edição

Abril 2004

 

Título:

“Colin McRae Rally 04”

8/10

Estilo

Corridas

Plataforma

PC

Produtor

Codemasters

Distribuidor Ecofi lmes

 

Edição

Abril 2004

 

Título

“R: Racing”

Estilo

Corridas

7/10

Plataforma

PlayStation 2

Produtor

Namco

Distribuidor Electronic Arts

 

Edição

Abril 2004

 

Título

“MX Unleashed”

Estilo

Corridas

Plataforma

PS2

8/10

Produtor

THQ

Distribuidor Ecofi lmes

 

Edição

Abril 2004

messa está lá toda mas há um nítido erro de concepção, pois, ao agarrar o carro ao cenário (o carro está fixo e é o cenário que se move), cria-se uma sensação de falta de realismo que choca o jogador e até chega a criar algumas tonturas. Os carros estão bem recriados, há montes de máquinas reconhecíveis e licen- ciadas, os circuitos são bem construídos e os modos de jogos são vários e garan- tem prolongada diversão. O esquema de compra e “tuning” dos carros dá um gosto especial, baseado em créditos obtidos não apenas pela posição final nas corridas mas também pelas trajectórias, travagens, ausência de toques, etc. Os ingredientes estão lá todos e são uma espécie de “best of” das referências do género — “Project Gotham Racing 2”, “Gran Turismo 3” e

“Need For Speed Underground”. Quem

gosta de correr apenas por diversão poderá

gostar de “R: Racing” mas, se as corridas

fossem melhor construídas, o jogo teria

muito a ganhar.

Quem prefere duas rodas em vez

de quatro tem em “MX Unleashed” um

marco da simulação de motocrosse,

supercrosse e “freestyle”. A série “MX”

já tinha dado cartas mas, desta vez, a

THQ esmerou-se e propõe um jogo muito

atractivo do ponto de vista visual, com

grande variedade de modos de jogo,

desafios desafiantes (passe a redundân-

cia) e motos com excelente física, muito

reactivas aos controlos, nomeadamente

às distribuições de peso.

O jogo inclui, como novidade, outros

veículos, como “monster trucks” ou heli-

cópteros, mas funcionam mais como fol-

clore e são um pouco escusados. Do ponto

de vista sonoro, já não há paciência para

rockalhadas e metal, mas o som das

motas está espectacular: bem divertido,

animado, com lógica, bons desafios e

competitivo, “MX Unleashed” só não tem

lama a saltar para a cara do jogador,

impondo-se como um dos melhores jogos

de motos de sempre.

computadores

.12

7c1bf3e5-024b-435b-bb28-84bbcd8a7552

SEGUNDA-FEIRA.10.MAIO.2004