Вы находитесь на странице: 1из 2

A Narrativa Ficcional: Vovez, Tempos e Espaços

Ementa:

Estudo das principais teorias críticas que refletem sobre a Narrativa Ficcional, sua
constituição e especificidade, tanto nos aspectos formais, como ideológico-culturais,
com destaque para a relação entre ambos. Focalizam-se como questões centrais:
enunciação e enunciado; leitura e recepção; transformações e/ou rupturas da narrativa
ficcional e relações da literatura com outras linguagens, na perspectiva das teorias da
intertextualidade como fundadora do próprio discurso literário.

Bibliografia:

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. Rio de Janeiro: Livraria Eldorado Tijuca Ltda,
s/d.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética. Teoria do romance. São Paulo.:


UNESP, Hucitec, 1998.
Problemas da poética de dostoiévski. RJ: Forense-Universitária, 1981.

BARROS, Diana L. Pessoa de; FIORIN, José Luiz. Dialogismo, polifonia,


intertextualidade. São Paulo: EDUSP, 1999.

BARTHES, Roland. et alii. Análise estrutural da narrativa. Petrópolis: Vozes, 1973.


et alii. Literatura e semiologia. Petrópolis: Vozes,1971.

BLOOM, Harold. A angústia da influência. Rio Janeiro: Imago, 1991.

BRAIT, Beth. Ironia em perspectiva polifônica. São Paulo: Ed. Da UNICAMP, 1996.

BUTOR, Michel. Repertório. São Paulo: Perspectiva, 1974.

CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem & outras metas. São Paulo: Perspectiva, 1992.

CANDIDO, Antonio. O discurso e a cidade. São Paulo.: Livraria Duas Cidades,1993.


et alii. A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 1972.

CORTÁZAR, Julio. Valise de cronópio. São Paulo: Perspectiva, 1993.

DANZIGER, Marlies K.; JOHNSON, W. Stacy. Introdução ao estudo crítico da literatura.


São Paulo: Cultrix, EDUSP, 1974.

D'ONOFRIO, Salvatore. Teoria do texto. Prolegômenos e teoria da narrativa. São Paulo:


Ática, 1995.

ECO, Umberto. Interpretação e superinterpretação. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

EIKHENBAUM, Boris e outros. Teoria da literatura. Formalistas russos. Porto Alegre:


Globo, 1973.

FIORIN, José Luiz. As Astúcias da enunciação. As categorias de pessoa, espaço e tempo.


São Paulo: Ática, 1996.

GENETTE, Gérard. Discurso da narrativa. Lisboa: Vega, s/d.


Figuras. São Paulo: Perspectiva, 1972.

ISER, Wolfgang. O ato da leitura. São Paulo: Editora 34, 1996.

JAMES, Henry. A arte da ficção. Trad. Daniel Piza. São Paulo: Imaginário, 1995.

LUKÁCS, George. A teoria do romance. São Paulo: Duas Cidades, Editora 34, 2000.

LINS, Osman. Lima barreto e o espaço romanesco. São Paulo: Ática, 1976.
MACHADO, Irene A. O romance e a voz. A prosaica dialógica de Mikhail Bakhtin. RJ:
Imago; SP: FAPESP, 1995.

MAINGUENEAU, Dominique. Elementos de lingüística para o texto literário. SP: Martins


Fontes, 1996.
Pragmática para o discurso literário. SP: Martins Fontes.
O contexto da obra literária. SP: Martins Fontes.

NITRINI, Sandra. Literatura comparada. São Paulo: EDUSP, 1997.

PAZ, Octavio. Os signos em rotação. São Paulo: Perspectiva, 1972.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Flores da escrivaninha. São Paulo: Companhia da Letras,


1990.
Altas literaturas. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

POUILLON, Jean. O tempo no romance. São Paulo: Cultrix/EDUSP, 1974.

SILVA, Vitor Manuel de Aguiar e. Teoria da literatura. Coimbra: Almedina, 1988.

REUTER, Yves. Introdução à análise do romance. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

SANTOS, Luis A. Brandão. OLIVEIRA, Silvana Pessôa de. Sujeito, tempo e espaço
ficcionais. São Paulo: Martins Fontes, 2001.