Вы находитесь на странице: 1из 5

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA GAP


Disciplina: Identidade, Etnicidade e Nação – 2018/1
Prof. Mirian Alves de Souza

Programa de curso

Objetivo
O curso explora os conceitos de etnia, nação e religião e problematiza categorias
identitárias, políticas de etnicidade, migração, refúgio e direitos humanos.

Metodologia
O curso se estrutura a partir de aulas teóricas de contextualização e debate dos textos
propostos; e aulas práticas de pesquisa, leitura e sistematização da bibliografia.

Avaliação
Trabalho final (10 pontos), deve articular trabalho de pesquisa e bibliografia da
disciplina.

Calendário
12/03 – Início das aulas: Apresentação da disciplina e seleção dos textos
07/05 – Proposta trabalho final
09/05 – Proposta trabalho final
11/06 – Trabalho final – último dia para a entrega
20/06 – Resultado parcial
27/06 – VS
18/07 – Resultado Final

Bibliografia

Cultura, etnia e nação

LINTON, Ralph. O cidadão norte-americano. In: O homem: Uma introdução à


antropologia. São Paulo, Livraria Martins Editora, 1959.

WEBER, Max. Relações comunitárias étnicas. In:_______. Economia e Sociedade. Vol


1. Brasília: Editora da UNB, 1991, p. 267-277.

BARTH, Fredrik. O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Rio de


Janeiro,Contra Capa, 2000.
________. “Etnicidade e o conceito de cultura”. Antropolítica, 2005.

HERZFELD, Michael. Cultural Intimacy: Social Poetics in the Nation-State. New


York/London: Routledge, 1997.

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. São Paulo: Companhia das Letras,


2008.

RENAN, Ernest. O que é uma nação?


http://www.revistas.usp.br/plural/article/viewFile/75901/79400
HOBSBAWM, Eric. RANGER, Terence. A Invenção das Tradições. Rio de Janeiro:
Paz e Terra, 1984.

VAN DER VEER, Peter. Religious Nationalism, Hindus and Muslims in India.
Berkeley: University of California Press, 1994.

SHRYOCK, A. Nationalism and the Genealogical Imagination: oral history and textual
authority in tribal Jordan. University of California Press, 1997.

BRINGA, T. Being Muslim the Bosnian Way: Identity and Community in a Central
Bosnian Village. Princenton: Princenton University Pres, 1995.

Politítica, poder e categorias identitárias

Ortner, Sherry. Resistance and the Problem of Ethnographic Refusal. Comparative


Studies in Society and History. Vol. 37, No. 1 (Jan., 1995), pp. 173-193

Chock, P. “The Irony of Stereotypes: Toward an Anthropology of Ethnicity”. Cultural


Anthropology. Vol. 2, No. 3 (Aug., 1987), pp. 347-368.

Herman, Edward e Peterson, David. The Politics of Genocide. Monthly Review, New
York, 2010.

O’Dwyer, Eliane Cantarino. Quilombos: Identidade Étnica e Territorialidade. Rio de


Janeiro: Editora FGV, 2002.

Pinto, Paulo Hilu R. & Clemente, P. Paulo Eugênio. “Ação Afirmativa: Políticas
Públicas, Relações Raciais e Práticas Acadêmicas”. In Direitos Negados – Cadernos de
Direitos Humanos. Rio de Janeiro: SEDH-RJ, 2004.

Brubaker, R. "Ethnicity Without Groups". Archives Européennes de Sociologie XLIII.2


(2002): 163-189.

Cytrynowicz, R. “Além do Estado e da Ideologia: imigração judaica, Estado-Novo e


Segunda Guerra Mundial”. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 22, n. 44, p.
393-423, 2002.

Lerner, K. Holocausto, Memória e Identidade Social: A Experiência da Fundação


Shoah. Tese de doutorado. Universidade Federal do Rio de Janeiro - PPGSA/UFRJ,
2004.

Eidhem, H. “When Ethnic Identity is a Social Stigma”. In: Barth, Fredrik (org.) Ethnic
groups and boundaries: the social organization of culture difference. Oslo: Universitets
forlaget, London: George Allen & Unwin, 1969.

Ciganos

Souza, Mirian Alves. Gypsies ou Roma: Denominadores comuns e codificação política


em Toronto, Canadá. In: Claudia Fonseca. (Org.). Antropologia e direitos humanos 6.
Rio de Janeiro: Mórula, 2016, v. 1, p. 109-160.
Veiga, Felipe Berocan e Mello, Marco Antonio da Silva. A Incriminação pela
Diferença: casos recentes de intolerância contra ciganos no Brasil. Comunicações do
ISER, v. 66, p. 86-108, 2012.

Sigona, Nando. “Identidade, estereótipos e políticas: o caso dos Rom na Itália”.


Travessia - Revista do Migrante, no 51, janeiro-abril, 2005, p. 34-38.

Auzias, Claire. Samudaripen: Le Genocide des Tsigane. Paris: L’Éspirit Frappeur,


2004.

Vermeersch, Peter. “Ethnic minority identity and movement politics: the case of the
Roma in the Czech Republic and Slovakia”. Ethnic and Racial Studies. Vol. 26. n. 5,
September 2003. p. 879-901.

Vacite, Mio. “O Verbete Cigano deve Mudar”. O Dia, 16.03.2012.


http://odia.ig.com.br/portal/opiniao/mio-vacite-o-verbete-cigano-deve-mudar-1.420562

Fonseca, Isabel. Enterrem-me em Pé. A longa Viagem dos Ciganos. São Paulo:
Companhia das Letras, 1996.

Eberstadt, Fernanda. Little Money Street. In search of Gypsies and their Music in the
South of France. Vintage Books, 2006.

Shaw, Jonathan. Narcisa. Our Lady of Ashes. Heartworm Press, 2008.

Migração

SAYAD, Abelmalek. Imigração ou os Paradoxos da Alteridade. São Paulo: Edusp,


1998.

LESSER, Jeffrey. A negociação da identidade nacional: imigrantes, minorias e a luta


pela etnicidade no Brasil. São Paulo: Editora da UNESP, 2001.

WHITE, Jenny B. Turks in the New Germany, American Antrhopologist, New Series,
99 (4): 754-69, 1997.

Refúgio e Humanitarismo

HARRELL-BOND, Barbara. Can Humanitarian Work with Refugees be Humane?


http://www.unhcr.org/4d94749c9.pdf
________________. Imposing Aid. Emergency Assistance to Refugees. Oxford: Oxford
University Press, 1986.

MALKKI, Liisa. Speechless Emissaries: Refugees, Humanitarianism, and


Dehistoricization. Cultural Anthropology 11(3):377-404, 1996.

FACUNDO, Angela. 2014. Êxodos e refúgio: colombianos refugiados no Sul e Sudeste


do Brasil. Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Programa de
PósGraduação em Antropologia Social, PPGAS-MN. Defendida em abril de 2014.
HAMID, Sonia. (Des) Integrando Refugiados: Os Processos do Reassentamento de
Palestinos no Brasil. Tese doutoral. Universidade de Brasília, programa de Pós-
Graduação em Antropologia Social, 2012.

PERIN, Vanessa. A burocracia não acaba nunca. Reflexões sobre a composição do


sujeito refugiado por entre documentos, programas de assistência e organizações.
Revista de Antropologia da UFSCar, v.5, n.2, jul.-dez.2013, p.83-94.
______. Um campo de refugiados sem cercas: etnografia de um campo de um aparato
de governo de populações refugiadas. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 20,
n. 41, jan./jun. 2014,p. 303-330.

Morris, Lydia. Asylum, Welfare and the Cosmopolitan Ideal. Sociology of Rights.
Routledge, 2010.

Síria Contemporânea e Conflito Sírio

PINTO, Paulo Gabriel Hilu da Rocha. “Etnicidade e nacionalismo religioso entre os


Curdos da Síria”. In: Dossiê: Fronteiras e passagens: fluxos culturais e a construção da
etnicidade. Niterói: Antropolítica, n 19, 2005.
________________. The Anthropologist and the Initiated: Reflections on the
Ethnography of Mystical Experience among the Sufis of Aleppo, Syria. Social
Compass, Volume 57, 4, Dezembro 2010. p. 464-478.
________________. Religions e religiosité en Syrie. In: DUPRET, Baudouin;
GHAZZAL, Zouhair; COURBAGE, Youssef; AL-DBIYAT, Mohammed (Orgs.). La
Syrie au présent: reflets d’une société. Paris: Actes Sud – Sindbad, 2007.
________________. Syria. In: AMAR, Paul; PRASHAD, Vijay (Orgs.). Dispatches
from the Arab Spring: understanding the new Middle East. Minneapolis: University of
Minnesota Press, 2013.

CHAGAS, Gisele Fonseca. Sufismo, carisma e moralidade: uma etnografia do ramo


feminino da tariqa Naqshbandiyya-Kuftariyya em Damasco, Síria. Tese de Doutorado.
Niterói: UFF, 2011.

PIERRET, Thomas. La Syrie d’un soulèvement à l’autre: exacerbation du


confessionalisme, desequilibres sócio-économiques et ambiguïtés géopolitiques. In: Le
sondes de choc des révolutions arabes. Beyrouth: Presses de l’Ifpo, 2014.

Salamandra, Christa. A New Old Damascus. Authenticity and Distinction in Urban


Syria. Indiana University Press, 2004.

Schiocchet, Leonardo. The Middle East and its Refugees. In Fartacek, Gebhard &
Binder, Susanne. (Eds). Facetten von Flucht aus dem Nahen und Mittleren Osten.
Vienna: Facultas-Verlags, 2017.

Baeza, Cecilia, and Paulo Pinto. “Building Support for the Asad Regime: The Syrian
Diaspora in Argentina and Brazil and the Syrian Uprising.” Journal of Immigrant &
Refugee Studies 14.3 (2016): 334-352.
Manfrinato, Helena de Morais. Dos quadros de guerra à participação: Notas sobre a
jornada do refúgio palestino em São Paulo. Cadernos de campo, São Paulo, n. 25, p.
421-436, 2016.
Al-Hardan, Anaheed. O Movimento pelo Direito de Retorno na Síria: Construindo a
cultura de Retorno, Mobilizando Memórias para o Retorno. In: Entre o Velho e o Novo
Mundo: A diáspora palestina desde o Oriente Médio à América Latina. Leonardo
Schiocchet (org.). Chiado Editora, 2015. p. 139-178.

Religião

ASAD, Talal. A construção da religião como uma categoria antropológica.


https://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/viewFile/44990/

GEERTZ, Clifford. Observando o Islã. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.


_________. O beliscão do destino: a religião como experiência, sentido, identidade e
poder. In: GEERTZ, C. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. p.
149-165.

CASANOVA, J. The problem of religion and the anxieties of European secular


democracy: In: MOTZKIN, G. F. (eds): Religion and democracy in contemporary
Europe. London: Alliance Publishing Trust, London, pp. 63-74. Tradução português
http://www.pucsp.br/rever/rv4_2010/t_casanova.pdf
_____________. "Catholic and Muslim Politics in Comparative Perspective" in Taiwan
Journal of Democracy, 1, 2005, n° 2 (dezember), pp. 89-108. Tradução português
http://www.pucsp.br/rever/rv4_2010/t_casanova3.htm

PINTO, Paulo Hilu. Islã: religião e civilização. Uma abordagem antropológica. p.13-
117.
_______. Ritual, etnicidade e identidade religiosa nas comunidades muçulmanas no
Brasil. In: Revista usp, set / out / nov/ 2005.

FERRAZ, Bruno Bartel. O sufismo na política marroquina. [Le soufisme dans la


politique marocaine]. Revista Diáspora: Narrativas em Movimento, 2017. URL:
http://www.revistadiaspora.org/2017/06/20/o-sufismo-na-politica-marroquina/
_________. Disputas sobre o Sagrado: O que a liberdade de imprensa e a figura do
Profeta Mohammed têm em comum?. [Les disputes du Sacré: Qu'est-ce que la liberté de
la presse et l'image du Prophète Mohammed ont en commun?]. Revista Diáspora:
Narrativas em Movimento. Ano 1, nº 2, Fev, 2016. URL:
http://www.revistadiaspora.org/2016/02/22/disputas-sobre-o-sagrado-o-que-a-liberdade-
de-imprensa-e-a-figura-do-profeta-mohammed-tem-em-comum/

CHAGAS, Gisele F. Conhecimento, identidade e poder na comunidade muçulmana


sunita do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado. Niterói: UFF, 2006.

BAKOUR, Houda Blum. A Igreja Ortodoxa Antioquina na cidade do Rio de Janeiro:


Construção e Manutenção de uma identidade religiosa diaspórica no campo religioso
brasileiro. Dissertação de mestrado: UFF, 2007.

DUMOVICH, Liza. Ya habibi: crise de vida, afeto e reconfiguração do self religioso na


conversão de mulheres ao islã, na Mesquita da Luz. Dissertação de Mestrado. Niterói:
UFF, 2012.