Вы находитесь на странице: 1из 3

Ecossistema educacional

Ecossistema educacional

18/07/2015 em Ambiente, Educação e etiquetado como Ambientologia, Ecossistema


educacional, Escola, Sociedade civil livre | 5 Comentários

77 Votes

Por Ricardo Kohn, especialista em Gestão.

Não parece haver muita dúvida que a educação, para evoluir, precisa funcionar como se fora
um ecossistema, ou seja: com todos os seus fatores constituintes em permanente interação;
capacidade de auto-organização e evolução; a absorver tudo o que é capaz de produzir, mas
sem gerar conhecimentos inúteis; capacidade de superar-se; e a garantir estabilidade nas
relações mantidas por seus fatores básicos.

Na teoria, um sistema ecológico decorre das relações ambientais espontâneas mantidas entre
seus fatores básicos, quais sejam, o ar, a água, o solo, a flora, a fauna e o homem. Embora
diversos em essência, na educação também existem fatores que são lhes básicos para possuir
desempenho: aluno, professor, escola, curso, comunicação e prática.

O aluno constitui o objetivo da educação. O professor, na qualidade de ator que o motiva a


dedicar-se. A escola, através de instalações, oficinas, equipamentos e material didático, é o
ambiente da educação. O curso, por meio de suas cadeiras, fornece a teoria essencial aos
níveis do aprendizado básico. Por sua vez, a comunicação constitui o elo de interação entre
todos os fatores. Tem-se por fim a prática, que aperfeiçoa e consolida o aprendizado. Esses
fatores básicos, sem dúvida, conformam um ecossistema.
Uma ótica

Muitas das ciências existentes, senão todas, decorreram da capacidade do homo sapiens em
observar como os organismos e as coisas funcionavam. Essa assertiva fica mais evidente caso
se tome como exemplos a Biologia, a Ecologia e a Geologia.

Os trabalhos realizados por Charles Darwin são uma bela demonstração desse fato. Foram
feitos através da simples observação, por um homem disposto a explicar a evolução de seres
vivos. Dessa forma, é possível concluir que Darwin foi, ao mesmo
tempo, aluno, professor, escola e prática, um soberbo pesquisador.

Relação entre fatores

Nos ecossistemas primitivos as relações ambientais mantidas entre seus fatores componentes
são de natureza física, química, biótica, econômica, social e política. Já no ecossistema
educacional essas relações são, sobretudo, de caráter cultural.

A ser assim, educação de qualidade precisa obter a dedicação de alunos ao aprendizado, desde
que motivados por seus professores, a qualidade da escola, a objetividade dos
ensinamentos transmitidos e a imprescindível prática contínua do que foi apreendido.

Educação brasileira

Em geral, a educação pública no Brasil, nos níveis fundamental e médio, é de péssima


qualidade. Lidera a evasão escolar no continente Americano. O MEC, bem como Conselhos
federal e estaduais de educação, mantém exagerada burocracia, que impede a melhoria dos
modelos de ensino, da renda dos professores e do interesse dos alunos.

O cenário atual é tão degradante, que não adianta fazer reformas ou revoluções no ensino
atual. É necessário repensar a estrutura desta instituição, suas relações com a saúde, a ciência
e o real desenvolvimento do país. Repensar, de forma a torna-la um ecossistema
ambiental, capaz de evoluir por si próprio.

A visão sistêmica que se tem acerca da possível deste setorencontra-se sumarizada no


artigo Ambientologia para a Educação, publicado em 8 junho de 2015. Leia e, caso acredite,
ofereça suas contribuições e melhorias.